quinta-feira, 12 de julho de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


-

 ESCLARECENDO



.
-

ALHADA  PORTUGUESA



TASCA DA ESQUINA

CAMPO DE OURIQUE - LISBOA


CHEFE VITOR SOBRAL

  


.


HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Trabalhadores em armazém 
sem condições já estão a ser alojados

 Os trabalhadores das obras do centro de dados da Portugal Telecom, na Covilhã, a viver num armazém sem condições de habitabilidade, já estão a ser alojados em casas, de acordo com um responsável da obra.
Os cerca de 50 operários de construção civil, armadores de ferro, são naturais de países africanos e afrodescendentes e apontam o dedo à empresa Açomonta, que acusam de ali os ter colocado desde meados de maio, sem água, muitas vezes sem eletricidade, nem condições sanitárias.
O responsável pelo consórcio Opway/Somague, Luís Ferreira, começou por explicar à Lusa que o agrupamento de empresas que venceu o concurso para a construção do centro contratou vários subempreiteiros de diversas especialidades que, por sua vez, contratam subempreiteiros fornecedores de mão-de-obra. A empresa Açomonta é uma das subempreiteiras, no caso, responsável pela armadura em ferro do edifício do centro de dados.
"Chegou ao nosso conhecimento há uns dias que havia um espaço que não teria as condições necessárias para ser habitado, porque era um armazém. De imediato contamos com a empresa que trabalha para nós, a Açomonta, que contatou com esse seu subempreiteiro a dizer que a situação tinha de ser resolvida", disse o responsável.
Luís Ferreira adiantou que a Açomonta "começou, de imediato, a procurar algumas casas na Covilhã", tendo já arrendado algumas casas.
A Açomonta "alugou casas, teve de fazer os contratos de água e de luz, o que demorou dois ou três dias, e já obrigou esse subempreiteiro a mudar os trabalhadores para as casas", explicou, adiantando que "grande parte (dos operários) já saíram e os restantes vão sair até ao fim de semana".
O responsável afirmou não conseguir precisar o número de trabalhadores que já foi alojado, nem quantos ainda permanecem no armazém.
Luís Ferreira disse ainda que esta situação é um "caso único", referindo que trabalham cerca de 250 pessoas na obra e "todos vivem em apartamentos e casas alugados na Covilhã".
A situação dos cerca de 50 operários foi denunciada na edição online do "Jornal do Fundão" e os operários contaram no local à agência Lusa, na quarta-feira, que receberam promessas de que iriam sair do pavilhão "em breve".
A GNR está a investigar as circunstâncias em que cerca de 50 trabalhadores foram colocados no armazém sem condições de habitabilidade, disse fonte daquela força de segurança à Agência Lusa.
O centro de dados da Portugal Telecom tem inauguração prevista até final do ano e será um dos maiores do mundo, funcionando como uma "caixa-forte" de dados informáticos de empresas a nível global.


 







*Esclavagismo existe em Portugal e o expoente máximo acontece nas empresas de obras públicas e construção civil. Não é a primeira vez que a comunicação social relata factos semelhantes.
Estranha-se que nem o consórcio nem a PT tenham fiscalizado os estaleiros e só a denúncia e o medo do assunto ser notícia, felizmente foi, os obrigou a mudar de atitude para com a "carne p'ra canhão" que tinham contratado.

.
.

 DJ'S ESPECIAIS


LOLI




A DJ Loli tem muitos fans, é uma das  top Djs femininas  do  mundo que passa música Alternativa, Fidget, Electro, Indie, e outras variações de Dance music. Ela é uma enterteiner que para além de DJ também produz, canta e gere um negócio, a Loliland  inc. enterprise.






.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Manutenção dos postos de trabalho 
na Estaleiros de Viana é uma 
das condições da reprivatização 

Em declarações aos jornalistas, à margem de um exercício militar em Ovar, Aguiar-Branco adiantou que a resolução aprovada hoje em Conselho de Ministros define um período de apresentação de propostas não vinculativas ate ao próximo mês e um segundo para propostas finais. 

O ministro da Defesa referiu que, após o período para as propostas não vinculativas, será elaborado pelo Governo um caderno de encargos para apresentar às entidades que se candidatem com propostas definitivas.

O Conselho de Ministros aprovou hoje a reprivatização dos Estaleiros Navais de Viana (ENVC) através da venda directa a um investidor que se torne "accionista de referência" e numa "perspectiva de investimento estável e de longo prazo".

O modelo desta reprivatização, segundo um comunicado do Conselho de Ministros, prevê "a realização de uma venda directa" pela Empordef, 'holding' do Estado para as indústrias de Defesa, a um investidor "nacional ou estrangeiro".

Neste processo, está reservado um lote de acções "representativas do capital social" dos ENVC, para disponibilização aos trabalhadores da empresa.

Fundada a 04 de junho 1944, no âmbito do programa do governo para a modernização da frota de pesca do largo, a empresa começou na forma de uma sociedade por cotas de responsabilidade limitada, com o capital social de 750 contos.

Acabou por construir mais de 200 navios e chegou a empregar perto de 2.000 trabalhadores.

Hoje restam cerca de 630 trabalhadores e só 300 saíram nos últimos cinco anos.

O passivo acumulado da empresa, que ultrapassa já os 260 milhões de euros, é um dos aspectos mais delicados a definir neste processo de reprivatização.


* Nesta altura da vida já desconfiamos das declarações de qualquer ministro, não queríamos mas, as circunstâncias...

.
-

VAMOS DANÇAR

SHIM SHAM



  



 .

 .

HOJE NO
"DESTAK" 
. Supremo Tribunal mantém pena de 15 anos para Carlos Silvino
 
O Supremo Tribunal de Justiça manteve hoje a condenação a 15 anos de prisão de Carlos Silvino "Bibi", o principal arguido do processo Casa Pia, confirmou à Lusa fonte do STJ.
 O relator do recurso da decisão do Tribunal da Relação de Lisboa foi o juiz conselheiro Santos Cabral.
No dia 29 de junho, o caso Casa Pia regressou a julgamento em primeira instância, depois de o Tribunal da Relação de Lisboa ter mandado repetir a produção de prova relativa aos alegados crimes sexuais cometidos, contra ex-alunos, numa vivenda em Elvas.

* Os casos da vivenda de Elvas estão reunidos num processo à parte. 

Os outros arguidos foram condenados pelo Tribunal de Relação e andam por aí à solta, porquê?? 
Bibi não é de longe o arguido pior, escabrosos são os que lhe davam dinheiro para angariar putos, incuindo os ex-considerados pedófilos.

.
-

 AO VIVO E A CORES



.

JOÃO MIGUEL TAVARES

 .


 
Carta aberta 
    ao reitor da 
       Universidade Lusófona


Exmo. Reitor. 

Foi com grande satisfação que soube que a Universidade Lusófona conferiu uma licenciatura em Ciência Política ao Dr. Miguel Relvas em apenas 14 meses, reconhecendo dessa forma a sua elevada estatura intelectual. Sempre sonhei com o alargamento das Novas Oportunidades ao Ensino Superior e fiquei muito feliz por terem dado o devido valor à cadeira de Direito que o senhor ministro fez há 27 anos com nota 10. Depois, naturalmente, o processo foi "encurtado por equivalências reconhecidas" (palavras do Dr. Relvas), após análise do seu magnífico currículo profissional.

É dentro desse mesmo espírito que vinha agora solicitar igual tratamento para a minha pessoa. Embora seja licenciado pela Universidade Nova com uns simpáticos 17 valores, a verdade é que o curso levou--me quatro anos a concluir e o Jornalismo anda pela hora da morte. Nesse sentido, e após análise da oferta disponível no site da universidade, venho por este meio requerer a atribuição do grau de licenciado em: Animação Digital (tenho visto muitos desenhos animados com os meus filhos), Ciência das Religiões (às vezes vou à missa), Ciências Aeronáuticas (já viajei muito de avião), Ciências da Nutrição (como imensa fruta), Direito (fui duas vezes processado), Economia (sustento uma família numerosa), Fotografia (tiro sempre nas férias) e Turismo (visitei 15 países). Já agora, se a Universidade Lusófona vier a ministrar Medicina, não se esqueça de mim. A minha mulher é médica, e tendo em conta que eu durmo com ela há mais de dez anos, estou certo de que em seis meses posso perfeitamente ser doutor.

Respeitosamente,
João Miguel Tavares


IN "CORREIO DA MANHÃ"
06/07/12

.

 
HOJE NO
"i"

Listas oficiais desmentem conselho científico divulgado pela Lusófona 

Dos 16 nomes avançados pela Universidade Lusófona, seis docentes não faziam parte de qualquer órgão científico-pedagógico entre 2005 e 2007 

 As listas oficiais do corpo docente da Universidade Lusófona de 2005, 2006 e 2007, enviadas para o Observatório da Ciência e do Ensino Superior e para o Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais, desmentem a informação avançada por aquela instituição sobre a composição do conselho científico que terá atribuído as equivalências ao ministro Miguel Relvas. Dos 16 nomes avançados na segunda-feira,  seis docentes não faziam parte de qualquer órgão científico-pedagógico naqueles anos. De acordo com o cruzamento de dados realizado pelo i, apenas Fernando Santos Neves, então reitor, Teotónio R. Souza e Zoran Roca integravam este tipo de órgãos em todos os anos em análise. Confrontada com estas discrepâncias, fonte oficial da Universidade Lusófona justificou: “Eventualmente houve algum desfasamento resultado de transformações orgânicas.”

Desfasamentos que não ficam por aqui. Dos restantes nomes que a Lusófona revelou à agência Lusa – e que alegadamente pertenciam ao conselho científico quando o actual ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares submeteu o seu pedido de reconhecimento profissional – há mesmo quem nem sequer surja na lista de docentes daqueles anos. Selma Calasans Rodrigues, Marco António de Oliveira, Manuel Tavares Gomes, Luis Manana de Sousa, José Braz Rodrigues e Aurea Carmo Conceição não constam dos dados de 2006, ano em que o curriculum de Relvas fora analisado. Todos eles, à excepção de Selma Rodrigues  surgem, contudo, como docentes em outros anos, mas sem integrar órgãos científico-pedagógicos da instituição.

Rita Ciotta Neves só surge como elemento de um órgão científico-pedagógico em 2007.
De acordo com a pesquisa do i, os seis membros da Lusófona que, sendo docentes, não faziam parte de qualquer órgão científico-pedagógico são Óscar de Sousa, Machozi Bangale, José Grosso de Oliveira, José Bernardino Duarte, Fernanda Neutel e Artur Parreira Gonçalves.

Na segunda-feira, a  Lusófona divulgou os 16 nomes depois de ser noticiado que o processo do ministro Adjunto Miguel Relvas na Universidade Lusófona, facultado aos jornalistas, era omisso quanto à composição do conselho científico que terá atribuído as equivalências em 2006/2007.

Ligações Maçónicas 
A universidade não é o único elo de ligação entre o administrador Manuel Damásio e o ministro Relvas. Ao que o i apurou, o administrador e o ministro pertencem ambos ao Grande Oriente Lusitano (GOL), a mais influente corrente maçónica portuguesa.
Confrontado com estas informações, Manuel Damásio referiu apenas: “Acho que esse tipo de questões é irrelevante, sem qualquer sentido a propósito deste caso. E lamento que reine esta mentalidade no nosso país.” Fonte próxima de Relvas diz que o ministro nunca se cruzou com Damásio no GOL e que não o conhecia quando entrou para a Lusófona.  


 * Era de suspeitar que a lista fosse mais uma aldrabice. Ridículo é pensar-se que os jornalistas são tótós e não sabem cruzar a informação.

Naturalmente que é mais um lapso "relvístico" a juntar por exemplo àquele existente nos registos da Assembleia da República, referindo relvas como estudante a frequentar o 2º ano.
Para quando mudar o nome para "Universidade Tugófona", porque "Lusófona" também é um lapso.

.
-

Volvo SFINX 

Volvo's futuristic 

Excavator concept machine




.


HOJE NO
"A BOLA"
Mourinho sob fogo cerrado dos catalães

Ainda a época não começou e José Mourinho, treinador do Real Madrid, tem sido o alvo de excelência em Espanha, em cerrados ataques que há muito começaram. 
Ora do Barcelona, ora de agentes do futebol ou comentadores, ora de jornais da Catalunha, que exploram qualquer declaração ou qualquer alegado incidente ou comportamento do treinador português até à exaustão. Só não dizemos que Mourinho tem sido criticado de todas as maneiras e feitios porque acreditamos haver ainda margem para a imaginação...

O dia de hoje não fugiu à regra, com o porta-voz do Barcelona, Toni Freixa, a contestar o facto da federação espanhola ter decidido não castigar Mourinho por ter, na última época, colocado a mão no olho de Tito Vilanova – então adjunto, hoje treinador principal do Barcelona – falando em «agressão» e «mau exemplo para o futebol». Foi, praticamente, 15.º dia consecutivo em que alguém do Barcelona se referiu ao facto, depois do presidente Sandro Rosell, a 26 de junho, ter exigido um duro castigo e, desde então, segundo a imprensa, ter feito pressões para decisão em contrário.

Há menos de uma semana, Mourinho foi acusado de ser «cobarde» por José Maria Casanovas, um dos fundadores do diário catalão Sport, por não ter vindo a público elogiar a seleção espanhola após a conquista do Euro, depois de ter apelidado de «estéril» a exibição da roja no primeiro jogo, frente à mesma Itália (1-1). Iniesta, jogador da seleção espanhola e Barcelona, não foi tão longe, mas não deixou de considerar que o treinador português fez «críticas oportunistas» sobre o futebol praticado pela Espanha em alguns jogos.


Pelo meio, os jornais catalães garantiram que José Mourinho insultou de forma grave e até ameaçou de morte uma mulher catalã, depois dela se ter limitado a dizer um de todo inofensivo «viva o Barcelona» quando passou pelo treinador merengue num voo entre Miami e Lisboa.

O Real Madrid tem procurado não alimentar qualquer polémica. Mas hoje, Emílio Butragueño, diretor das relações internacionais dos merengues, sentiu-se na necessidade de vir a terreiro lembrar que «no passado o Barcelona também protagonizou outros incidentes e o Real Madrid não disse nada».

* O "ódio" a Mourinho é  rábula catalã. A questão é que os catalães têm uma dor de corno tramada por a capital de espanha ser em Madrid. Figo que foi galardoado como o melhor jogador do mundo há alguns anos e foi um exemplo de trabalho no Barcelona, também foi insultado pelos adeptos a quem deu tantas alegrias.
O Real e Madrid são alvos a abater nem que se seja através de  alguns dos seus preponderantes elementos.
E Barcelona não precisa disto, uma cidade tão bela, com tanta cultura e desenvolvimento, para quê tanta dor de corno???


.
-
 EM POSE...



The name of this team? Camel toe!


Mariah Carey


.
.

AS 100 MELHORES CANÇÕES DOS ANOS 80

(PARA A NME)
 .
Nº37

BACK IN BLACK
ACDC



m
 .
HOJE NO
"PÚBLICO"

Condutores de ligeiros revalidam 
carta aos 30 anos de idade 

 Os condutores de veículos ligeiros vão passar a revalidar a carta de condução aos 30 anos e os motoristas de pesados passam a fazê-lo aos 25 anos, segundo as novas regras que entram em vigor em Janeiro

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) indica que a carta de condução vai ter novas regras a partir de 2 de Janeiro de 2013, tendo em conta o novo regulamento da habilitação legal para conduzir, que já foi publicado em Diário da República.

As novas regras estabelecem que, a partir do próximo ano, a revalidação da carta de condução se inicia aos 30 anos para os condutores de ciclomotores, motociclos e ligeiros e aos 25 anos para as restantes categorias.

Segundo o IMTT, os condutores de automóveis ligeiros e de motas vão ter de revalidar o título de 10 em 10 anos até aos 60 anos de idade, passando o tempo a ser encurtado para cinco anos e, depois, para dois anos a partir dos 70 anos de idade.

Para os motoristas de pesados, os prazos de revalidação são sempre de cinco anos até aos 65 anos de idade, sendo esta a idade limite para conduzir este tipo de veículos.

O IMTT adianta que os novos prazos de validade só são aplicáveis para as cartas emitidas após 2 de Janeiro de 2013, mantendo-se os títulos anteriores a 2013 com a validade que consta na carta actual.

As novas regras indicam que a revalidação é meramente administrativa aos 30 e 40 anos para os condutores de ligeiros e aos 25 anos para os motoristas de pesados.

O exame médico e psicológico mantém-se obrigatório para a revalidação da carta a partir dos 50 anos para as categorias de ciclomotores, motociclos e ligeiros, enquanto para as restantes categorias é a partir dos 25 anos.

O novo regulamento exige igualmente um “maior rigor na avaliação da aptidão física e mental”, tornando-se “mais exigentes no que respeita às condições de visão, diabetes e epilepsia”.

O IMTT indica ainda que, a partir de 2 de Novembro, a prova teórica vai passar a ter a validade de um ano e terá 40 questões, além de ser introduzida a condução independente durante a prova prática e é reduzido o número de faltas que conduzem à reprovação na prova prática. 

*  E quanto aos "rambos" do asfalto, que também revalidam a carta, passam nos testes médicos e psicológicos para depois matarem quem circula com educação????


.
-

 Esclarecido???


-

   ISLÃO/3



video


No que respeita a religiões temos muito pouca consideração mas, no entanto, respeitamos em absoluto a fé de quem as pratica. 
Há um ror de semanas que temos, às sextas-feira, editado um trabalho em defesa da Igreja Católica, estamos a falar da igreja não do catolicismo. 
Achamos de inteira justiça difundir um trabalho sobre o Islão, mau grado a história contemporânea registe actos criminosos em nome da fé extremista. 
É da sua competência, estimado visitador, comentar sobre o assunto, com inteligência, sem recorrer à calúnia.


.
 .
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"
 
OCDE 
Economia portuguesa foi das 
que mais destruiu emprego 
desde que começou a crise 

Só a Irlanda, a Grécia e a Espanha destruíram mais emprego que Portugal desde o fim do primeiro semestre de 2008. 

A economia portuguesa voltou a destruir empregos no primeiro trimestre deste ano e acumula já uma destruição de 6 pontos percentuais face aos níveis que se registavam antes do início da crise.
 De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), só a Irlanda (9,4 pontos percentuais), a Grécia (9,1 pontos percentuais) e a Espanha (8,7 pontos percentuais) destruíram mais emprego que Portugal (6 pontos percentuais) desde o fim do primeiro semestre de 2008, altura que chamam de pré-crise, uma vez que a falência do banco de investimento norte-americano aconteceu apenas em setembro de 2008 e acabou por dar a face mais visível ao início da crise financeira nos Estados Unidos.

O resultado mais recente demonstra que no primeiro trimestre deste ano o emprego na economia portuguesa caiu mais 0,5 por cento, melhor que a queda de 1,3 por cento registada no último trimestre de 2011, mas superior aos restantes trimestres de 2011.
O perfil dos que ainda estão empregados demonstra ainda que entre os que mais sofreram com a crise estão os homens e os mais jovens.

Segundo a OCDE cerca de 4,4 milhões de pessoas estavam empregadas em Portugal no final do primeiro trimestre, cerca de 62,5% do total da população em idade ativa (abaixo da média da OCDE que foi de 64,9%), ou seja entre os 15 e os 64 anos.
Em média 65,8 por cento dos homens e 59,3% das mulheres, estando o maior nível de empregabilidade nos trabalhadores com entre 25 e 54 anos, nos 76%, e o mais baixo entre os mais jovens - 15 a 24 anos -, com apenas 24,2%.
As disparidades dentro dos países que fazem parte da OCDE são grandes e alguns destes países conseguiram mesmo criar emprego desde que começou a crise, sendo Israel o caso mais evidente garantindo uma criação de emprego de 6,1 pontos percentuais, seguido do Chile (4,5 p.p.), da Turquia (3,3 p.p.), Alemanha (2,8 p.p.), Polónia (0,8 p.p.), Coreia do Sul e Luxemburgo (0,3 p.p.) e Áustria (0,2 p.p.).

Ainda assim, no final do primeiro trimestre deste ano existiam 528 milhões de pessoas empregadas no total dos países que fazem parte da organização, menos dois milhões que no período imediatamente antes da falência do Lehman Brothers, ou 1,6 pontos percentuais, enquanto na zona euro a destruição de emprego acumulada atingiu os dois pontos percentuais.


* E anda o governo a dar-nos música com a tanga do excedente das exportações...

.
-

 TRIGO LIMPO



-



DOUTRO SÉCULO



Muito tímidamente e tapadinhas q.b., as senhoras deslocavam-se assim até à praia, esta inserção é despretensiosa, não faz a história do fato de banho, é apenas a memória á solta.

 Nos anos loucos de1920 um concurso de fatos de banho numa estância dao Mediterrâneo



Os fiscais do decoro e da decência mediam o tamanho do saiote do fato de banho, máximo permitido 12 cm acima do joelho.



Actrizes britânicas posam em fato-de-banho: Susan Shaw, Hazel Court, e Zena Marshall.

Século Ilustrado, No.485, Junho 28 1947 - 28

  Era o máximo que se podia mostrar, escandaloso pelo que sugeria

Perigosamente atrevidas

Na ilha de faro por volta de 1940



Publicidade arrojada


As damas e os protectores


Infantas da Mocidade Portuguesa

 Idem

Mocidade Portuguesa Feminina, Nº 27, Julho 1941 - Fatos de Banho

 

 Lindíssima modelo

Uma surpresa Eva Braun, namorada de Hitler


.

 .
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Mais de 1100 farmácias 
com fornecimentos suspensos 

Mais de 1100 farmácias têm actualmente os fornecimentos suspensos e a situação económica é de tal forma insustentável que não permite cobrir os custos fixos na maioria destes estabelecimentos, segundo um estudo que será esta quinta-feira apresentado. 

A investigação sobre a evolução da situação económica das farmácias foi realizada pelo economista Pedro Pita Barros, da Nova School of Business & Economics (Nova SBE). De acordo com as conclusões do estudo, o número actual de farmácias com fornecimentos suspensos é de 1131, representando um crescimento superior a 30 por cento (%) nos últimos três meses.

 A investigação sublinha que "a situação económica actual das farmácias é insustentável, não permitindo cobrir sequer os custos fixos na maioria das farmácias". "Esta situação conduzirá ao encerramento de farmácias pela impossibilidade dos seus proprietários suportarem indefinidamente os prejuízos da atividade", lê-se nas conclusões. 

Este cenário foi anterior à redução das margens das farmácias, em vigor desde 1 de Janeiro de 2012, que "está a ter um fortíssimo impacto negativo na situação económica das farmácias", prevendo-se que a situação seja, por isso, ainda pior. 

Este estudo recorda que um outro elaborado pela Autoridade da Concorrência, em 2005, previa a capacidade de as farmácias suportarem uma redução de preços de cinco por cento, tendo como referência o preço médio por receita dispensada de 38,81 euros, em 2002. A redução de preços verificada desde 2005 "foi muito superior, da ordem dos 20%". 

O preço médio por receita dispensada em 2009 era de 36,65 euros e, em Abril deste ano, de 30,78 euros. Desde 2010 que a farmácia média está a funcionar com margem negativa, de acordo com estimativas obtidas para 2010 e levadas em conta neste estudo. 


* A crise chega àqueles negócios que se consideravam intocáveis. 

 .
-

 FELLIZ?????




-
 O dia em que a Tailândia celebra BUDA


  


O budismo é uma componente essencial da cultura tailandesa, assumindo uma influência que se espalhou pelo mundo inteiro. É no Visakha Bucha. em que toda a Tailândia celebra o nascimento, a iluminação e a morte de Buda. 

Este ano, as festividades chamaram ainda mais visitantes, porque se assinalam 2600 anos desde que Sidarta foi iluminado. Buda, o iluminado, não é adorado como um santo, é antes considerado um exemplo. Esta religião não tem um Deus. 

A base do budismo é o desenvolvimento espiritual do indivíduo. Tudo consiste na aprendizagem e na aplicação dos conselhos de Buda na vida diária, como explica o monge britânico Ajahn Jayasaro."O budismo é uma religião diferente daquelas que conhecemos no Ocidente. Se as religiões ocidentais podem ser consideradas como sistemas baseados na crença, o budismo baseia-se na educação. 

É, portanto, uma ideia completamente diferente do que deve ser uma religião", explica Jayasaro. Para Chantri Srivichai, o dia de Visakha Bucha representa tempo de qualidade com a família. Juntamente com as cunhadas, Chantri dirige-se ao mercado local para preparar as oferendas que vai deixar aos monges: "damos esmolas, damos comida acabada de fazer, no caso, asas de frango. Também temos doces tailandeses e a sopa tradicional." Chantri e a sua família levantaram-se às 4 da manhã. Vestiram as melhores roupas para ir ao templo. 

Centenas de seguidores vêm entregar as suas oferendas, aguardando o momento em que os monges descem da montanha. É uma dinâmica de simbiose. As pessoas fornecem ajuda aos monges, entre comida e esmolas, e estes retribuem com apoio espiritual. 

A meditação é o grande pilar de um ritual que emergiu do coração do budismo para se popularizar no mundo inteiro. Para Ajahn Jayasaro, "a nossa vida é tão acelerada e ocupada que perdemos a ligação com o mundo interior. 

Quando nos conseguimos desprender do vício da atividade constante, acalmamos a nossa mente, deixando que o conhecimento interior se instale. É algo que já lá está, mas com que não conseguimos comunicar, nem ouvir." O auge das celebrações é o chamado Wien Tien, uma procissão com velas, durante a qual os devotos circundam o templo três vezes, com o lado direito do corpo voltado para Buda, de forma a limpar a alma. 


IN http://pt.euronews.com/ 
12/06/12

  .
 .
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Garantia do primeiro-ministro no debate 
do Estado da Nação 
Governo não prepara aumento de impostos 
 O primeiro-ministro disse não ver 'nenhuma razão 
para que os portugueses se sintam assustados', 

Seguro fala na falta de consenso. O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, garantiu ontem que o Governo 'não está nesta altura a preparar qualquer aumento de impostos', e que recusa 'por porcaria na ventoinha para assustar os portugueses', 
 
As palavras do chefe do Governo PSD/CDS-PP foram proferidas durante o debate do estado da Nação, na Assembleia da República, após o líder do BE, Francisco Louçã, ter interrogado Passos Coelho sobre 'o segredinho', do Orçamento do Estado para 2013 após o Tribunal Constitucional ter considerado inconstitucionais os cortes dos subsídios de férias e Natal.

 'Acha que pode sair daqui porta fora sem dizer a todo o país o que é que vai fazer na política orçamental, vai cortar nos impostos, aumentar o IRS, aumentar o IVA, prejudicar outra vez a economia mais degradada?', questionou Louçã. 

Pedro Passos Coelho respondeu: 'Não estamos a por porcaria na ventoinha e a assustar os portugueses'.

O primeiro-ministro disse não ver 'nenhuma razão para que os portugueses se sintam assustados', e garantiu que 'se for necessária', mais austeridade, 'na altura própria', o anunciará pessoalmente ao país, realçando que 'sempre que foi necessário', apresentar medidas duras não mandou 'ninguém fazê-lo'.

'O Governo não está nesta altura a preparar qualquer aumento de impostos', reforçou, garantindo ainda que 'o Estado e o Governo não utilizarão nenhum dos elementos de dificuldade adicional, venham eles de fora ou de efeitos das políticas internas para fugir, se ir embora, para virar a cara ou para dizer que não vai cumprir',.

Depois, o chefe do executivo usou da ironia para dizer que Louçã 'conseguiu apresentar um dado positivo para o país', ao referir-se à balança comercial. O líder do BE tinha acusado o Governo de equilibrar a balança comercial reduzindo as importações à custa do aumento dos impostos e do desemprego. 

'Podemos ao fim de vários anos atingir um excedente comercial e nem essa boa notícia o senhor consegue digerir e vem logo dizer que uma coisa que só aconteceu no tempo de Salazar, imaginem, este Governo é Salazar e portanto o melhor é ter défices externos, ter défice comercial, não ter grandes exportações, importar o que não se pode pagar, conduzir os portugueses para a dívida', afirmou Passos. 

Depois, no mesmo tom, o primeiro-ministro quis 'traduzir para os portugueses a teoria Louçã', sobre os 'juros excessivos', cobrados pela «troika». 
'Eu estou falido e não tenho maneira de pagar os meus compromissos, mas tenho aqui um amigo que apesar de não ter dinheiro tem crédito, que é uma coisa que eu não tenho, então eu digo assim ao meu amigo, vais ali ao banco porque tens crédito e eu não, pedes um empréstimo, pagas os juros, e dás-me o dinheiro que eu quando puder lá te hei-de pagar mas sem os juros', ironizou. 

'É esta a teoria Louçã para que Portugal possa cumprir as suas metas, é este o grande contributo positivo do BE para a atual situação', concluiu. 

 * O sr. Primeiro-ministro afirmou ontem que o governo não está a preparar aumento de impostos, nada o impede de daqui a umas semanas de dizer que já está a preparar aumento de impostos, socorrendo-se da inevitabilidade da situação económica. Este governo foi sempre assim, hoje não assalta amanhã talvez...
Quanto ao excedente comercial é puro folclore, bem ao gosto dum líder dum rancho.

.
-
 MAL MAS INSEPARÁVEIS




.