quarta-feira, 11 de julho de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.







m
-

 SERÁ AR???



.

-
A GALINHA OU EU



Realização: Denízia Moresqui

.
-

 O aquecimento global 
é uma evidência



.
 .


HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Processos de mediação de crédito aumentaram 41% em 2011 

O Mediador de Crédito mediou mais do dobro dos processos que opõem detentores de empréstimos e entidades financeiras. E o número total de novos processos cresceu 41% no ano anterior.

 O mediador de crédito recebeu 251 novos pedidos de mediação entre detentores de crédito e entidades financeiras. Este número corresponde a um aumento de 41% face a 2010, de acordo com o relatório divulgado esta quarta-feira pelo Banco de Portugal. 

Já o número de processos efectivamente mediados ascendeu a 140, mais do que duplicando o número do ano anterior. Desde que começou a funcionar (1 de Agosto de 2009), este organismo recebeu 554 pedidos de mediação, tendo conseguido proceder em 255, ou seja, em cerca de metade. 

A maioria dos processos chega às mãos do Mediador de Crédito, da responsabilidade de Clara Machado (na foto), desde Fevereiro de 2012, por via directa. Ou seja, as pessoas dirigem-se directamente a este organismo. Estes representam 68% dos processos. Em 2011, 22% dos pedidos de mediação chegaram através do Banco de Portugal e 4% através da Secretaria de Estado do Tesouro e das Finanças. As “outras entidades”, onde se inclui por exemplo a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), foram responsáveis pela chegada dos restantes 6%. 

15% dos novos processos foram concluídos 

Durante o ano passado, deram entrada no Mediador de Crédito 251 processos, sendo que 38 foram dados como concluídos, revela o relatório. 

Dos restantes, 66 foram arquivados, e os restantes estão em curso, a ser analisados ou à espera de elementos e outras informações. 

 Há ainda 38 processos que, por não estarem no âmbito das competências deste mediador, foram enviados para outras entidades ou arquivados. 

Dos pedidos de mediação que entraram no Mediador de Crédito, 78% estão relacionados com processos de reestruturação e consolidação de crédito de particulares. Apenas 1% se referiam, em 2011, a crédito à habitação, com a obtenção de crédito pessoal a representar igualmente 1% dos pedidos. Já o acesso ao financiamento por parte das empresas foi responsável por 4% dos processos. 

No que respeita às entidades financeiras, foi o Barclays o “alvo” de mais pedidos de mediação por parte das pessoas que procuraram ajuda junto do Mediador de Crédito. Esta instituição foi responsável por 21 processos de mediação, seguida pelo BCP, com 18 processos, em ex-aequo com a Cofidis. 


* Uma boa ajuda para quem está em dificuldades 

 .
.


  2 - CIENTOLOGIA


video
A cientologia é um sistema de crenças fundado em 1952 pelo autor de ficção cientifica L. Ron Hubbard (1911-1986, nascido em Tilden, Nebraska). A cientologia foi oficializada em 1954. Esta religião baseia-se nos livros de Hubbard Dianética: A Moderna Ciência da Saúde (1950), Dianética: A Evolução da Ciência e Ciência da Sobrevivência. Hubbard considerava a Dianética como uma subdisciplina da Cientologia. Até morrer, em 1986, Hubbard publicou centenas de livros sobre cientologia e apenas alguns sobre Dianética. A doutrina tem influências de outras religiões, como o hinduísmo e o budismo, e de ciências humanas, como a psicologia.
m
-

ÓBVIO




.
 .
HOJE NO
"DESTAK"

PSD quer saber se "Seguro e Sócrates" são "duas faces da mesma moeda" 

 O líder parlamentar do PSD afirmou hoje que "o país precisa de saber se Seguro e Sócrates são afinal duas faces da mesma moeda", exortando o PS a dizer se assume os "erros" e quer ser "fiel" ao memorando. 

"Senhor deputado, o país precisa de saber se Seguro e Sócrates são, afinal, duas faces da mesma moeda, da mesma receita, da mesma doutrina, da mesma ilusão", afirmou Luís Montenegro. No debate do 'estado da Nação', o presidente da bancada do PSD disse que é preciso "falar verdade" e interrogou: 

"O PS assume ou não assume os seus erros? O PS quer ou não quer ser fiel aos compromissos que rubricou?". 

* Qual é a outra face da moeda chamada Relvas, Dias Loureiro, Duarte Lima, Valentim, Isaltino, Oliveira e Costa, Eduardo dos Santos? 
É mais um poliedro.

.
 .
MOTAS PERSONALISADAS






m
.

 QUE SE FAZ 
A UNS PAIS DESTES???



.
 .
HOJE NO
"i"

Greve dos médicos 
com adesão superior a 95%. 
 Bastonário fala em início 
"de um novo futuro" 

A greve de médicos teve uma adesão a nível nacional que ultrapassou os 95 por cento, anunciou hoje o dirigente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM), Mário Jorge Neves.

 Discursando para as várias centenas de médicos que se encontram concentrados em frente ao Ministério da Saúde desde as 15:00, Mário Jorge Neves disse que, “neste momento, sem demagogia e com todo o rigor, podemos dizer que a greve a nível nacional ultrapassa os 95 por cento”. 

Especificando por unidade hospitalar, o dirigente da FNAM afirmou que a adesão no Hospital de Santa Maria foi de 98 por cento, em São José de cem por cento e, no Curry Cabral, de 95 por cento. 

Relativamente ao resto do país, Mário Jorge Neves disse que no Hospital Pediátrico de Coimbra a adesão foi de cem por cento, nos Hospitais de São João e Santo António, no Porto, foi superior a 90 por cento, no Hospital de Setúbal foi de 95 por cento, em Évora 98 por cento e, em Faro, 95 por cento. 

 Quanto aos centros de saúde e à quase totalidade das unidades de saúde familiar, a adesão à greve chegou aos 100 por cento. 

Mário Jorge Neves sublinhou que "nem no tempo da Leonor Beleza" se registou uma adesão com esta dimensão. 

O dirigente sindical saudou ainda as várias associações que enviaram mensagens de apoio aos médicos, entre as quais uma Faculdade de Medicina brasileira e a Federação das Associações de Médicos de Saúde Pública de Espanha, que "afirmaram que a nossa luta é a luta deles". 

Além de associações representativas da saúde, chegaram também mensagens de apoio do Sindicado dos Professores da Grande Lisboa e do Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública da Zona Centro. 

 Mário Jorge Neves lembrou que, "pela primeira vez, uma greve de médicos juntou dois sindicatos, a Ordem dos Médicos, a Associação Nacional de Estudantes de Medicina, a Associação de Médicos Unidos, a Associação de Médicos Internos, a Associação de Médicos de Saúde Pública e a Associação Europeia dos Médicos Hospitalares". 

O bastonário da Ordem dos Médicos classificou o dia de hoje como o início de “um novo futuro” e dirigiu-se ao ministro da Saúde para dizer que as reformas não se fazem contra os profissionais nem contra os doentes. 

 “Estamos numa grave encruzilhada na Saúde e hoje é o dia em que se pode começar a desenhar um novo futuro”, disse José Manuel Silva, dirigindo-se aos mais de 2.500 médicos presentes na manifestação em frente ao Ministério da Saúde. 

Lembrando que a Ordem dos Médicos (OM) esteve desde o início “ativamente envolvida” no protesto convocado pelos dois sindicatos do setor, o bastonário justificou ainda a sua presença na manifestação invocando a sua condição de “cidadão preocupado com o país”. 

José Manuel Silva quis ainda “afirmar publicamente” que os médicos querem um “diálogo sereno, construtivo, objetivo e consequente com o Ministério da Saúde, algo a que a equipa ministerial se furtou durante meses, mostrando que o ministro está muito mal assessorado”. 

* Foi a greve dum lobby poderoso que assusta qualquer governo. Havia razão para a greve, esperemos que não hajam "razões" para isto não passar de uma tempestade num copo de água. A dignidade profissional é uma coisa o feudo medieval é outra.
Vamo ver  nas negociações se o ministro  é medroso ou não.


 .

ANA CRISTINA PEREIRA




Madeira vista de fora:
  Resgatar 
      qualquer coisa 

Parece que levamos sempre qualquer coisa do sítio onde nascemos 

Ia a andar, com vagar. De repente, do outro lado da rua, um toldo verde: "Epicerie - Poissonnerie La Perle de l'Atlantique". 

Já me deparei com portugueses nos sítios mais improváveis. Sei lá, numa loja colorida junto ao que resta da cidade das cruzadas, Acre, na Galileia, em Israel, ou numa cela de luxo, na prisão de San Pedro, em La Paz, na Bolívia. Mesmo assim, não esperava encontrar ali, numa mercearia-peixaria, um homem vindo da terra da minha avó materna, mesmo que "ali" fosse a rue du Canal, uma das mais portuguesas ruas de Esch-sur-Azette, uma das mais portuguesas comunas do Luxemburgo. 

Quando me soube uma jornalista portuguesa a fazer uma reportagem sobre portugueses, o homem perguntou de onde era. Também era de São Vicente, mas da freguesia de Ponta Delgada, sítio da Lombada - 1º Lombada para ser mais preciso. E, pronto, conhecera a minha avó Ana, a minha tia-avó Cândida, as suas netas e muita gente que eu nem seria capaz de identificar. 

Não o entrevistei. Seria entrevistar um "quase-parente".E para entrevistar um "quase-parente" é preciso avisar leitores. 

Pus-me a ver a broa de milho, o queijo da serra, o presunto, as postas de bacalhau, os tremoços… E saí, toda contente, com uma garrafa de Madeira na mão: um boal com uma certa idade, o ideal para acompanhar os queijos que os meus amigos, José Luís e Jessica, serviriam naquela noite. 

Agora há pouco, durante o Europeu de Futebol, dei por mim a pensar naquele instante partilhado com aquele senhor, que me falara com um estranho encanto. Aconteceu quando percebi que, mesmo sem qualquer gosto futebolístico, sentia alguma irritação ao ouvir ataques persistentes ao Cristiano Ronaldo. Parece que levamos sempre qualquer coisa do sítio onde nascemos. 

Parece que a carregamos para toda a parte - sem notar, às vezes. E parece que essa qualquer coisa nos assalta sem nos darmos conta. Talvez seja a infância a chamar por nós. Talvez a comida seja o melhor transporte para ela. 

Esta semana, cá em casa, houve "batata da barbiça", vinda de São Vicente, assada no forno, só com sal grosso. Fiquei com a barriga cheia, como uma miúda. E estiquei-me no sofá a ler uns textos da Clarice Lispector, como há tempos me recomendou Eleutério, um português residente no Brasil, a propósito de uma destas crónicas. E encontrei isto: "Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o quê... não sei onde... para resgatar alguma coisa que nem sei o que é nem onde perdi."



 Jornalista do Público 


IN ""DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA" 
08/07/12

.
-
 Cu rri cu lum


.
 .
HOJE NO
"A BOLA"

Conselho de Justiça quer ouvir clubes sobre impedimento de empréstimos 

 O Conselho de Justiça da Federação notificou todos os clubes da Liga e da 2.ª Liga, além da própria Liga de Clubes e do presidente da Assembleia Geral da Liga, para se pronunciarem sobre o recurso apresentado pelo Benfica contra o impedimento de emprestar jogadores a clubes da mesma Divisão. 

As partes notificadas têm agora prazo máximo de cinco dias para dar a conhecer ao órgão da Federação o ponto de vista sobre o assunto, aprovado pelos clubes em Assembleia Geral da Liga, realizada no passado dia 28 de junho. 

O Benfica avançou com recurso junto da Federação a 9 de julho, pelo que, através das notificações agora enviadas pelo Conselho de Justiça, o processo está a decorrer de forma célere e a decisão não deverá demorar a ser conhecida. 


* Quem quer tramar o futebol???

.
-

III - HISTÓRIA DA CIÊNCIA

   
4 - COMO CHEGÁMOS ATÉ AQUI?


video


UMA MAGNÍFICA E IMPERDÍVEL SÉRIE DA BBC 

VEJA OS EPISÓDIOS ANTERIORES  
NAS QUARTAS-FEIRA PRECEDENTES À MESMA HORA


.M
-
 CRIATIVIDADE???



.

HOJE NO
"PÚBLICO"

O parecer que serviu de base 
à atribuição das equivalências 
a Miguel Relvas na íntegra

O parecer que a seguir se publica resulta da transcrição manual do documento ontem consultado pelo PÚBLICO na Universidade Lusófona, podendo haver nele uma ou outra pequena divergência em relação ao original, nomeadamente a nível de pontuação, devido ao facto de a universidade não permitir que ele seja fotografado, não distribuir cópia do mesmo e permitir a consulta do processo apenas durante 30 minutos de cada vez.

O documento traduz a avaliação feita à candidatura de Miguel Relvas ao curso de Ciência Política e Relações Internacionais e foi com base nele que um dos seus autores, o director do curso, decidiu depois atribuir ao currículo apresentado por Miguel Relvas a equivalência a 32 das 36 cadeiras que constituem o plano de estudos do curso.

O parecer foi subscrito pelos professores Fernando dos Santos Neves, director do curso de Ciência Política e Relações Internacionais, que era também presidente do Conselho Científico do Departamento em que esse curso era ministrado e ainda reitor da universidade, e pelo professor José Fialho Feliciano.

Parecer 

No contexto do pedido de reconhecimento e creditação de competências profissionais apresentado à Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias por Miguel Fernando Cassola de Miranda Relvas lavra-se neste documento o parecer de apreciação de informação curricular apresentada e discutida em entrevista pelo candidato. A informação constante do currículo do candidato denota uma elevada experiência profissional que se reparte por três domínios centrais de actividade: o exercício de cargos públicos, o exercício de funções políticas e o desempenho de funções em domínios empresariais, ou de intervenção social e cultural.

A experiência do candidato estende-se ao longo de mais de duas décadas de actividades essencialmente focadas no domínio da política nacional e local, com especial incidência em diferentes aspectos da actividade da administração local e central, mas também da gestão de organizações políticas e empresariais. O currículo do candidato no domínio político destaca-se pela sua actuação no sector das organizações partidárias de juventude, onde a experiência acumulada lhe permite desde muito jovem uma participação activa nos mais relevantes palcos do debate e da discussão política nacional, nomeadamente enquanto deputado à Assembleia da República, o que lhe garantiu a aquisição de competências relevantes na área de estudo a que se candidata, Ciência Política e Relações Internacionais, nomeadamente aquelas que dizem respeito à compreensão dos quadros institucionais da actuação política e partidária em Portugal, no que diz respeito ao funcionamento dos sistemas eleitorais, funcionamento e articulação institucional de organizações político-partidárias no Portugal democrático, métodos e técnicas de análise política e domínios associados de avaliação e compreensão da função e consequências sociais do fenómeno político.

O enquadramento de actuação das organizações de juventude partidária em Portugal, e o peso relevante que as mesmas adquiriram no contexto da transição para a democracia e a integração de Portugal na Comunidade Europeia está reflectido na informação curricular apresentada, onde fica patente a ligação entre o fenómeno da politização da sociedade e a vida quotidiana, bem como a dimensão sociológica do fenómeno. O profundo envolvimento nessa realidade demonstrado pelo currículo submetido promove a aquisição de competências transversais de compreensão do papel de diferentes classes sociais e elites na modelação da sociedade onde essas organizações actuam e se desenvolvem. A experiência enunciada contribui ainda para a aquisição de competências em outra área essencial para o domínio científico a que o candidato concorre, a do marketing político.

O património de experiência profissional acumulado neste primeiro domínio cobre períodos relevantes da história de Portugal contemporâneo, onde a democratização da sociedade assinala também a emancipação epistemológica do campo dos estudos em ciência política. A discussão curricular não permite, no entanto, afirmar que o candidato possua competências no que concerne ao conhecimento mais profundo da teoria do Estado e sua relação com fenómenos de democratização ou revolução. Há, no entanto, na experiência acumulada no domínio político uma pertinente, porque temporalmente simultânea, sintonia com períodos de exercício onde a evolução da sociedade implicou a materialização de princípios teóricos relevantes no campo das ideias políticas e que no Portugal contemporâneo muito contribuíram no período para a evolução da sociedade. A experiência acumulada neste intervalo envolve aspectos que não remetem para o exercício profissional, mas sim em exclusivo para a actividade partidária, pelo que embora muito extensa, parte dessa experiência deverá ser creditada em menor grau.

No domínio do exercício de cargos públicos a experiência profissional enunciada estende-se também ao longo de um período muito longo e envolve o desempenho de cargos governativos a nível nacional e local. A totalidade destes cargos foram desempenhados já no período após a adesão de Portugal à Comunidade Europeia, o que permitiu ao candidato adquirir competências em domínios aplicados do direito e da socio-economia da União Europeia, mas também a níveis básicos da geo-estratégia e da organização de instituições internacionais, nomeadamente por via da experiência enunciada de participação em organismos internacionais como a NATO.

No entanto, o carácter menos longo desta experiência internacional exige o reforço da formação no domínio de pelo menos uma unidade curricular associada à geo-estratégia internacional. No desempenho de cargos a nível nacional, nomeadamente governativos, o candidato detém experiência em cargos ao mais alto nível, nomeadamente como secretário de Estado numa legislatura, o que implicou profundo relacionamento com matérias do foro legal, administrativo e de análise política. 

O desempenho de cargos públicos em alguns organismos de poder local releva da compreensão e capacidade de integração na gestão da administração regional e local, mas também da aquisição de competências em matérias relacionadas com o desenvolvimento de políticas, desenvolvimento de finanças locais, nomeadamente porque é precisamente no período em que o candidato exerce essas funções que o país beneficia de um conjunto significativo de políticas e financiamentos comunitários que em muito transformaram as realidades locais e regionais do país. 

O desempenho de cargos públicos integra ainda a ligação a organismos de coordenação regional e diferentes actividades dispersas.

O terceiro domínio de experiência profissional declarada concerne essencialmente ao exercício de funções no domínio empresarial, embora também integre alguma experiência de intervenção cultural e no domínio dos socio-media. Para além das competências básicas ao nível da compreensão das organizações, e fenómenos associados que esta experiência acarretou, ela envolveu componentes de internacionalização, nomeadamente no espaço lusófono, bem como a evidente aquisição de competências transversais em domínios distintos como os da negociação, manejo linguístico, técnicas de apresentação, ou estudos de mercado e análise de dados económicos e sociais. 

A experiência profissional enunciada não lida em particular com o exercício de cargos de liderança, mas ao envolver funções, conforme declarado, de consultoria em organizações de domínios de actuação distintos permite contactar com realidades empresariais em mutação e percepcionar o entrecruzamento, hoje inevitável, entre esferas sociais no passado distintas ou incompatíveis, como era o caso da esfera empresarial e da esfera político-partidária. Neste ponto o currículo submetido reflecte um percurso profissional que, ao não se limitar ao exercício político, aponta para uma desejável diversificação de competências e aprendizagens. 

Face ao exposto considera-se que o currículo submetido tem mais valias claras e aspectos salientes muito positivos que levam a que sejam considerados relevantes para efeitos de creditação de competências profissionais uma parte significativa dos elementos aí constantes.

Três aspectos merecem particular relevância: a longevidade das funções desempenhadas, a natureza das mesmas, maioritariamente de liderança ou grande responsabilidade institucional, e a sua variedade. Estes dois aspectos enunciam um currículo rico em elementos que enquadram um parecer de valorização do mesmo em 160 ECTS, que deverão ser feitos equivaler a diferentes unidades curriculares, preferencialmente em linha com os diferentes pontos enunciados neste parecer.

Considerando, em face da juventude da legislação que os regula, o carácter embrionário deste tipo de processos, recomenda-se que em uma eventual ponderação ou cálculo de avaliações se considere que esta creditação deve ser complementada com avaliações aferidas por eventuais classificações pós-secundárias, ou então que se proceda à aplicação de escalas qualitativas.

Lisboa 6 de Outubro de 2006, 

Os relatores 

Assinatura de António Fernando Santos Neves e de José Fialho Feliciano 




* Para bom entendedor estas palavras bastam 

.
.

AS 100 MELHORES CANÇÕES DOS ANOS 80

(PARA A NME)
 .
Nº38

WALK THIS WAY
RUN DMC

m
.

HOJE NO

"DIÁRIO ECONÓMICO"

Recessão custa ao País 
mais 185 mil empregos 

O Banco de Portugal estima que a recessão será mais suave, mas a economia vai destruir 185 mil empregos este ano. Nos últimos 20 anos, nunca a quebra do emprego teve consequências tão negativas para a actividade económica como irá ter este ano. 

O aviso é do Banco de Portugal (BdP), que voltou a piorar as previsões para o mercado de trabalho e a frisar as suas consequências no rendimento disponível das famílias. De acordo com o Boletim Económico de Verão do BdP, publicado ontem, há 20 anos que o factor trabalho não era tão prejudicial à evolução da economia. "Antevê-se um forte contributo do factor trabalho para a redução do PIB em 2012", avança o supervisor, prevendo que a quebra no emprego retire 2,6 pontos percentuais ao PIB este ano. 

Desse modo, continua, "o contributo do factor trabalho para a evolução da actividade económica deverá ser o mais negativo registado nas últimas duas décadas, uma vez que se projecta uma taxa de variação anual do emprego de -3,9%". Já em 2013 o factor trabalho terá um contributo um pouco melhor, ainda que se mantenha negativo. 

Deverá retirar 0,4 pontos ao PIB, "num contexto de quedas menos acentuadas do emprego", que deverá recuar 0,7% no próximo ano. Contas feitas, o relatório antecipa uma destruição de mais de 184,6 mil postos de trabalho este ano e de 31,8 mil em 2013. Na previsão anterior, feita no Boletim de Primavera, as previsões apontavam para uma perda de apenas 170,5 mil empregos este ano. 


* Vão ser mais de 200 mil, em 2013 alguém acertará as contas

.
.
AUTO-COLANTE PARA SENIORES



O único problema com a reforma ...

é que nunca se consegue o raio de um dia de folga

m

 .

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"
Fabricado pela empresa 
portuguesa Tekever 

Avião não tripulado para missões de vigilância O primeiro avião português não tripulado e totalmente autónomo foi lançado segunda- -feira na maior feira de aviação europeia, no Reino Unido 

O fabricante do AR4 Light Ray, a empresa Tekever, quer competir com os EUA e Israel. Missões de vigilância e recolha de informação nas áreas da segurança e defesa são as principais funções deste aparelho de apenas dois metros de comprimento e desmontável, que foi desenvolvido com a ajuda do Exército português. 

Segundo Ricardo Mendes, presidente da Tekever, um sistema deste tipo - com duas a três aeronaves, uma estação de solo e algumas ferramentas - custa 500 mil euros. Já há contactos com forças armadas e de segurança internacionais com vista ao futuro. 


* Portugal inteligente sem licenciaturas feitas à martelada. 

.

O PALCO DO
ASFALTO

















.
 .


HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Vítor Gaspar 
Controlo da execução 'é difícil ' 

O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, advertiu ontem que o controlo da execução orçamental em 2012 é 'claramente muito difícil', mas mostrou confiança e determinação para enfrentar as dificuldades que a economia portuguesa atravessa. 

'Não se pode nunca partir da hipótese de que conseguir os nossos objetivos vai ser fácil', declarou. 

* Desde que tomou posse o sr. ministro das Finanças assumiu peremptóriamente a execução orçamental e depois de nos impôr a sua chacina financeira afirmou várias vezes que não seriam impostos mais sacrifícios. 
Depois, incompreensivelmente surpreendeu-se com a escalada dos números do desemprego, das falências, coisas que para qualquer português de rua não seria novidade. 
Agora o Tribunal Constitucional dá-lhe de bandeja a possibilidade de nos extorquir mais dinheiro... 
Ele não mente, ele não engana, ele não ludribia, mas onde está a competência quando manifesta tanta surpresa e insegurança no que diz? 

.
-
2 - O SONO

como dormir bem


  


.
 .


HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Canção favorita de Kim Jong-un
 é sucesso

Uma das vantagens de ser líder na Coreia do Norte é poder ter personagens da Disney como o Mickey, a Minnie ou o Winnie The Pooh como parte de espetáculos, ainda que Pyongyang tenha más relações com os Estados Unidos. Outra é ter a sua própria canção.

Enquanto noutros países do mundo há canções temáticas que estão normalmente associadas a personagens de desenhos animados, super-heróis, programas de televisão ou dias festivos, na Coreia do Norte é tradição que os líderes tenham os seus próprios temas. Um hábito que remonta ao fundador do país, o avô do atual líder Kim Jong-un, Kim il-Sung.

Contrariamente ao que acontecia nas canções do avô e do pai, a canção de Kim Jong-un não menciona o nome do líder. Em vez disso a canção intitulada "Avante Rumo à Vitória Final" tem na sua letra excertos do discurso que fez a 15 de abril por ocasião das comemorações do 100º aniversário no nascimento do seu avô, segundo o jornal britânico Guardian.

A canção temática é parte do esforço de propaganda do regime para construir a imagem do chamado "grande sucessor". Por isso, escreve o Guardian, a música passa várias vezes por dia na rádio e na televisão. E de acordo com a agência de notícias estatal (KCNA), a canção foi recebida com bastante entusiasmo pelos cidadãos da Coreia do Norte.


* O povo norte-coreano é um dos mais sacrificados do mundo. 
Não tem saúde, nem comida, nem nada, as únicas liberdades que tem é a de adorar um anormal chamado Kim Jong-un e de fingir que é feliz. 
Nós ficamos perpelexos porque ninguém faz nada por este povo, os novos bolcheviques russos e os habituais comunistas chineses acham que está tudo bem, a malta do ocidente assobia para o lado.

.


BARRAGEM DE
SRISAILAM

A Barragem de Srisailam é uma barragem construída no rio Krishna em Srisailam no distrito de Kurnool , no estado de Andhra Pradesh na Índia e é a segunda maior em capacidade hidrolétrica no país. 

A barragem foi construída numa garganta profunda no Hills Nallamala , 300 m (980 pés) acima do nível do mar. Tem 512 m (1.680 pés) de comprimento, 145 m (476 pés) de altura com 12 comportas para projecção da água. Tem um reservatório de 800 km 2. Na margem esquerda do rio existem centrais 6 × 150 MW reversíveis turbinas (para armazenamento de componentes suplentes e na margem direita existem 7 × 110 MW, para o mesmo efeito.

 História do projecto 
O projecto Srisailam começou em 1960, inicialmente como um projeto de energia hidroeléctrica, por todo o rio Krishna, perto de Srisailam no estado de Andhra Pradesh. 

Com sucessivos atrasos, a barragem principal foi finalmente concluída vinte anos depois, em 1981. Entretanto, o projeto foi convertido para ser uma instalação polivalente com uma capacidade geradora de 770 MW para a sua segunda fase, cuja conclusão estava prevista para 1987. 

A barragem tem a capacidade de fornecer água para uma área de 2.000 km2 com área principal de influência de 206,040 km2 e a propagação de água para 1,595 km2. 

A HISTÓRIA EM IMAGENS/1



Do braço direito do canal 90 km2 em Kurnool e distritos Kaddapa assegura-se irrigação abundante. A estimativa inicial de investimento foi modesta de 384,7 milhões de rupias, mas o custo total da obra ultrapassou os 10 mil milhões de rupias. 

O muro de 143 metros de altura e 512 m de largura custou mais de 4 mil milhões juntamente com a instalação de quatro grupos geradores de 110 MW cada. O custo do canal da margem direita orçou em 4.490 milhões. 

 O investimento inicial de 1.4 milhões foi fornecido pelo Banco Mundial. Em 2 de outubro de 2009, barragem Srisailam recebeu um afluxo sem precedentes de água que chegou a ameaçar a resistência da estrutura da represa.

Optimização de recursos 
Actualmente, o fluxo de águas para o reservatório Srisailam é apenas armazenado sem ser utilizado para gerar energia. 

A HISTÓRIA EM IMAGENS/2

 

A água enche o reservatório Srisailam que depois de cheio a faz transbordar para o reservatório Nagarjunasagar a jusante também sem acontecer neste movimento a produção de energia. O objectivo será encher o reservatório Nagarjunasagar com água que entretanto passou através das unidades de produção de energia.

Sobre as comportas
Seis das 12 comportas da crista da barragem Srisailam foram abertos na noite de 2 de Agosto de 2005 para dar lugar a 5 cusecs lakh provenientes de curso superior do Krishna. O "cusec lakh" é uma medida de taxa de fluxo da água dum rio
Nesse dia a barragem foi cheia até aos 873 pés um pouco menos que a capacidade máxima de 885 pés. Aconteceram alguns problemas na colocação das comportas, porque os equipamentos para as deslocarem eram velhos, funcionaram mal e foram abandonados numa das margens.

Sobre o rio Krishna 
O rio Krishna (Predefinição:Lang - mr, em canarês: ಕೃಷ್ಣಾ ನದಿ, em telugu: కృష్ణా నది) é um dos maiores rios da Índia, com uma extensão aproximada de 1300 km e drena uma área superior a 250000 km². 

Nasce nas colinas de Mahabaleswar no estado de Maharashtra, atravessa a cidade de Sangli e encontra-se com o mar na Baía de Bengala na cidade de Hamasaladeevi no estado de Andhra Pradesh. Além dos estados já citados, o rio Krishna atravessa também o estado de Karnataka. 

Um dos principais afluentes do Krishna é o rio Tungabhadra, formado por sua vez pelos rios Tunga e Bhadra que nascem na zona conhecida como Ghats do oeste. O rio conta com duas importantes barragens,esta em Srisailam e a outra nas colinas Nagarjuna. 
Esta última, conhecida como Nagarjuna Sagar, é uma das maiores barragens de toda a Ásia. Como em quase todos os rios da Índia, as margens do Krishna estão adornadas de templos. 

O de Templo de Sangli, dedicado ao deus Ganesha é um dos mais belos. Próximo desta cidade encontram-se diversos templos, destino de muitos peregrinos hindus. 

WIKIPÉDIA

.


HOJE NO
"RECORD"


Vera Barbosa "ameaça" recorde nacional dos 400 metros barreiras 

A atleta portuguesa Vera Barbosa foi esta terça-feira segunda classificada na prova de 400 metros barreiras do Meeting de Sotteville, em França, com 55,83 segundos. A marca fica a escassos três centésimos de segundo do recorde nacional que ela melhorou nas meias-finais dos recentes Europeus de Helsínquia. A prova foi ganha pela nigeriana Adjoke Odumosu, com 54,75. 


Marco Fortes segundo na Alemanha 

O lançador português Marco Fortes foi esta terça-feira segundo classificado num "meeting" de lançamento do peso, realizado em Biberach, na Alemanha. O atleta do Benfica voltou a ultrapassar os 20 metros, com um ensaio de 20,22 metros. A prova foi ganha pelo alemão David Storl, campeão mundial em 2011, com 21,22, enquanto outro lançador germânico, Ralf Bartels, foi terceiro, com 20,00. 


* Não é dos políticos que Portugal se orgulha 

.
.
arte em papel reciclado



m