terça-feira, 3 de julho de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA







.

ESPETACULAR

mm
 .

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Ministro da Saúde cede aos médicos 

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, alterou as regras de contratação de médicos – e cedeu às exigências dos clínicos, nomeadamente nas horas e no número de empresas de recursos humanos aceites para prestar o serviço. Mais: o contrato deixa de depender única e exclusivamente do preço, passando a referir também a qualidade.

Esta decisão surge a oito dias da greve dos médicos, marcada para os dias 11 e 12, mas, ao que o CM apurou, os sindicatos, pelo menos até à hora de fecho desta edição, mantinham a paralisação. 

Segundo o documento, a que o CM teve acesso, "para a escolha do profissional mais adequado, para além do critério preço [ponderado no mínimo a 50% na pontuação final], poderão ser estabelecidos critérios que permitam valorizar as respectivas competências clínicas necessárias à prestação dos serviços em causa [ponderados até 50% na pontuação final]". 

O número de horas a contratar também é reduzido. De 2500 milhões de horas passa para 1980 milhões. E aumenta o número de prestadores de serviços a serem seleccionados por especialidade/por distrito. Em vez de cinco, passam a vinte as empresas que podem prestar este tipo de serviço. 

 Contactado pelo CM para comentar estas alterações e para se saber se a greve se mantinha, Jorge Roque da Cunha, do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), respondeu: "Registamos a súbita abertura e vontade conciliadora e negocial do Ministério da Saúde nalguns aspectos revelados pela comunicação social das reivindicações sindicais."
 E acrescentou: "Esperamos que no dia 13 essa postura do Ministério da Saúde não só se mantenha como evolua positivamente." Fonte do Ministério da Saúde afirmou ao CM que a reformulação do contrato vai ao encontro das queixas dos sindicatos e da Ordem dos Médicos e que haverá uma muito pequena margem para se fazer greve. 

FALHAS NO SISTEMA DE RECEITAS ELECTRÓNICAS 

Faltam remédios nas farmácias, os utentes recorrem à automedicação para não pagarem taxas moderadoras nos hospitais, a base de dados para a prescrição electrónica não tem informação correcta sobre fármacos existentes e preços. Estas são apenas algumas das denúncias feitas ontem pela Ordem dos Médicos e pela Associação de Farmácias de Portugal, num comunicado conjunto. Segundo o documento, estas falhas podem conduzir a um problema de saúde pública. 

* A classe médica é um lobby poderoso, quer tenha razão ou não ganha sempre.

. .
-

IV . O MUNDO 



SEM NINGUÉM

  1- a ameaça à capital



video


.
 .

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Exportações para fora da UE aceleram 

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte (CCDR-N) destacou, ontem, a 'recuperação do dinamismo', das exportações na região, que registaram um crescimento de 12,4 por cento no primeiro trimestre deste ano face ao período homólogo de 2011. 
 Segundo o boletim «Norte Conjuntura», a recuperação verificada no domínio das exportações foi, em grande medida, impulsionada pelo aumento das exportações para fora da UE, que cresceram 20,1 por cento. Também as exportações para o espaço comunitário cresceram (10,7). 


 * É muito bom mas não chega, os portugueses precisam de ter poder de compra para consumir e estão muito, mas muito tesos, é por isso que as falências e o desemprego aumentam.

.
-

 I LOVE YOU


 COM CINOKÓKÓ

 FACA, CORAÇÃO E  UMA FERRADURA
 PARA DAR SORTE


UM AMOR BARATO



AMOR TUNADO



SUGESTIVO



SEM CASCA

 DECORATIVO

.

ANA NI RIBEIRO

  

Pare de fumar... 
            sem engordar 

Alguém que deixa de fumar fica com uma pele luminosa, os dentes mais brancos e uma energia que desconhecia ter. O reverso da medalha é que se arrisca (talvez?) a ganhar peso. Segundo as estatísticas uma mulher aumenta em média 3,8 kg e os homens 2,8 kg, nos dois anos seguintes a deixar de fumar. 

Contrariamente ao que se pensa, a alimentação dos ex-fumadores não deve ser restritiva: deve ser leve, equilibrada, e muito variada, para devolver o prazer e acalmar a sensação de fome. Iniciar uma dieta rígida será um acumular de erros. Adicionar uma dificuldade a outra conduz inequivocamente ao caos. Por outro lado, implementar uma estratégia para alterar os seus hábitos alimentares, permite dar a volta à situação. 

Deve comer pouco, várias vezes ao dia, de modo a evitar os petiscos entre refeições. Assim que o seu organismo elimine a nicotina, vai-se manifestar um grande desejo de açúcar. Para o satisfazer escolha uma peça de fruta ou alguns frutos secos, uma salada de fruta ou um iogurte com uma colher de chá de mel. Um pequeno doce aqui, um chocolate ali... Veja quais os alimentos que come em excesso e reduza. Aquilo que ingere deve ser degustado e não engolido à pressa. Como deixar o (mau) hábito? 

Não pense que é mais que óbvio que vai engordar. Pense em si como alguém que não vai engordar mais e não como alguém que tem três dolorosos quilos para perder. Trabalhe a longo prazo. Uma abstinência é um trabalho árduo e longo e o risco de ganhar peso está sempre vigente. Estabeleça uma meta a long o prazo! 

Durante algumas semanas tenha sempre consigo pastilhas elásticas sem açúcar e rebuçados com zero calorias para saborear quando tiver vontade de fumar. Agarre-se ao salva vidas! Como, por exemplo, às bebidas light porque fazem face a uma vontade imensa de açúcar. Um copo de coca-cola zero é melhor do que um biscoito de chocolate. 

Particularmente útil na hora do antigo hábito, ou seja, do cigarro. 
 • traga sempre consigo doses de adoçantes (para não ter a desculpa que no café do costume nunca há), pastilhas elásticas sem açúcar e rebuçados enriquecidos com vitamina C, B6 e B12, e rebuçados enriquecidos com magnésio, um poderoso e eficaz anti-stresse. À venda em farmácias. 
• escolha alimentos ricos em magnésio, ou tome magnésio em ampolas: para regular as emoções e acalmar. 
• ingira alimentos ricos em vitamina C, para fazer face à carência instalada em nicotina, um super dopante. 
 Um estudo realizado prova que a vitamina C ajuda a lutar contra a dependência do cigarro. 

Além de se pensar no que vai para a mesa, também é preciso pensar em exercício físico. Para acalmar pratique Tai-chi, Yoga, dança... mas pratique também um desporto que queime mais calorias: jogging, natação rápida, vá ao ginásio. Não junte toda a actividade desportiva só ao fim de semana, pois assim retira o seu efeito relaxante. 


Se pretende obter informações sobre Nutrição ou outros assuntos relacionados, envie as suas questões para: anapimentaribei-ro@gmail.com 


 IN "CORREIO DO MINHO" 
27/06/12 

.
 .

HOJE NO
"RECORD"

Pepe e Cristiano Ronaldo 
no onze ideal dos adeptos 

Os internacionais portugueses Pepe e Cristiano Ronaldo integram o onze ideal do Euro'2012, escolhido pelos adeptos no site da UEFA e divulgado esta terça-feira. 

A Espanha, bicampeã europeia, "dá" três jogadores à equipa ideal da competição: o guarda-redes Iker Casillas, o defesa Sérgio Ramos e o médio David Silva. 
Na defesa, ao lado de Pepe e Sérgio Ramos, os adeptos colocariam o francês Mathieu Debuchy e o capitão alemão, Phillip Lahm. 
Numa equipa treinada pelo alemão Joachim Löw, o meio-campo seria formado pelo russo Alan Dzagoev, o inglês Steven Gerrard, o italiano Andrea Pirlo e David Silva. 
Na frente, o onze ideal dos adeptos teria o português Cristiano Ronaldo e o alemão Mario Gomez, que tal como o vencedor da Bota de Ouro, o espanhol Fernando Torres, apontaram 3 golos durante a competição. 

Fora da equipa ideal dos adeptos fica João Moutinho, que estava entre os 33 nomeados, e também o médio espanhol Andrés Iniesta, eleito o melhor jogador do torneio. Pepe e Cristiano Ronaldo já integravam, juntamente com Fábio Coentrão, a lista dos 23 melhores jogadores do campeonato, elaborada pela UEFA. 

* De pleno direito

.
-
3-TERRA RARA


video

Prepare-se para presenciar um verdadeiro e assombroso espectáculo. Mergulhe em oceanos e escale montanhas para conhecer o catastrófico passado e o violento presente de nosso planeta. Os eventos aqui registados são assustadores e fascinantes! Sabia que todos os anos uma média de 18.000 meteoritos cai na Terra; que apenas 7,4 km abaixo dos seus pés a temperatura chega a 3.000 graus; ou que o topo do Monte Everest um dia já foi o fundo do oceano? Fique por dentro da história da Terra, explore a Lua com os astronautas da Apollo, esteja presente na maior exploração subterrãnea do mundo. Veja o mais antigo artefacto geológico da Terra - uma rocha de 3.7 bilhões de anos. Descubra como a África e a América do Sul se separaram milhões de anos atrás. Testemunhe os efeitos devastadores de um terremoto e de um vulcão em erupção. Pare acreditar no poder deste extraordinário planeta! 

.
 .

HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

O primeiro português a escavar achados de dinossauros na Gronelândia 

Octávio Mateus é o primeiro paleontólogo português a integrar uma expedição internacional que, dentro de uma semana, vai escavar na neve da Gronelândia achados de dinossauros, enfrentando possíveis ataques de ursos polares.
Ichthyostega

 "A Gronelândia é um local relativamente inexplorado em várias áreas da ciência, uma das quais a paleontologia. Expedições anteriores mostraram a ocorrência de dinossauros e de outros fósseis e, por isso, vamos escavar durante três semanas", afirmou à agência Lusa o paleontólogo. 

Naquela que é a sua primeira expedição científica na neve, o investigador da Universidade Nova de Lisboa e do Museu da Lourinhã compõe uma equipa de seis paleontólogos (entre dinamarqueses e americanos) de um total de onze pessoas, que vai permanecer entre 10 de julho e 02 de agosto em Jameson Land, na zona leste da Gronelândia, onde vai ter de lidar com diferentes adversidades. 
O PALEONTÓLOGO PORTUGUÊS

Além da temperatura que poderá oscilar entre os zero e os 20 graus, é um sítio completamente inóspito e remoto, onde vão ter de acampar e para onde os cientistas vão ser transportados e recolhidos mais tarde de helicóptero, a partir da Islândia. "É um local com bastantes ursos polares e vamos ter de aprender a lidar com eles, a manusear armas de fogo para os afugentar e para nos defender caso sejamos atacados, por isso teremos de ter sempre rondas de vigilância para garantir a nossa segurança", explicou Octávio Mateus, lembrando que estes animais são os únicos predadores da atualidade a incluir os humanos na sua dieta alimentar. 

As expetativas de encontrar fósseis de dinossauro são elevadas, uma vez que nas anteriores já foram descobertos ossos de 'plateosaurus', pegadas de 'terópodes' (dinossauros carnívoros) e ' temnospôndilos', semelhantes a enormes salamandras, com 210 a 220 milhões de anos, do Triásico. "Como essa data corresponde ao início da evolução dos dinossauros, tudo o que descobrirmos vai dizer-nos um pouco como é que todos os outros dinossauros apareceram depois destes", explicou, o que vai permitir acrescentar novos dados à história evolutiva destes animais. 
MUSEU DA LOURINHÃ, VISITE-O E ENCANTE-SE

Sendo os 'plateosaurus' animais do início da era dos dinossauros e cuja existência é conhecida em vários países da Europa (precederam os saurópodes- dinossauros de grande porte e pescoço comprido), viveram na altura em que os continentes estavam próximos uns dos outros, por isso "podem ajudar a perceber a história de como os continentes se desuniram". Além disso, a existência de dinossauros em ambientes polares, quer na Antártida quer na Gronelândia, vai possibilitar aos cientistas perceber a sua paleobiologia, uma vez que são os únicos répteis a existir em climas frios, o que significa que eram detentores de uma regulação de temperatura muito diferente dos atuais répteis. 


* Em Portugal não há só maus políticos, há muito bons cientistas. 

 .
.

         AS 100 MELHORES 
CANÇÕES DOS ANOS 80

(PARA A NME)
 .
Nº 45

BOYS OF SUMMER

DON HENLEY





.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Mulheres ganham menos 200 euros 
de reforma do que os homens 

As mulheres ganham, em média, menos 200 euros de reforma do que os homens, segundo um estudo nacional hoje divulgado, que alerta para as dificuldades por que passam as idosas em Portugal 
MAS LUTAM

 "As mulheres têm uma esperança de vida maior, mas isso não quer dizer que esse tempo seja vivido de forma saudável", sublinhou Pedro Perista, um dos responsáveis pelo estudo "Género e Envelhecimento", apresentado hoje durante o seminário promovido pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG) na Assembleia da República. Dois investigadores do Centro de Estudos para a Intervenção Social (CESIS) cruzaram os dados existentes (desde os Censos 2011, aos números do Instituto da Segurança Social e da Eurostat) e traçaram um retrato das portuguesas com mais de 65 anos. 

Resultado: as mulheres vivem mais sozinhas, com menos dinheiro e em casas mais degradadas. No ano passado, a GNR contabilizou 23 mil idosos a viver sozinhos. Dois em cada três eram mulheres (63,5% mulheres versus 37,5%). Muitas chegam à velhice sós e sem dinheiro. Se a pobreza está muito associada aos idosos, é entre as mulheres que a situação é mais preocupante. O investigador realçou "a diferença abismal entre a situação de pobreza dos idosos antes e depois de receberem as prestações sociais: Antes das prestações, a maior parte da população idosa estaria numa situação de pobreza. 
O PESO DA VIDA

Depois das transferências sociais as diferenças evidenciam-se", com uma clara desvantagem para as mulheres. O valor médio das pensões de velhice atribuídas aos homens com mais de 65 anos rondava os 500 euros, em 2010, enquanto o valor atribuído às mulheres se ficava nos 297 euros. Em algumas situações, as diferenças de rendimentos poderão não estar directamente relacionados com os anos de trabalho, mas apenas com os descontos feitos: "É preciso distinguir as carreiras contributivas e o trabalho, porque existem muitos casos de mulheres que trabalharam mas não descontaram. Isto tem depois um impacto nas taxas de pobreza", sublinhou o investigador do CESIS. 

No caso das pensões de invalidez verifica-se o mesmo fenómeno, com os homens a ganhar em média 358 euros e as mulheres apenas 281 euros. Olhando para a pensão social de velhice, destinada a quem não tem qualquer sistema de protecção social obrigatória ou não fez descontos suficientes para ter direito à pensão de velhice, as mulheres aparecem em maioria: representam dois em cada três beneficiários, entre os 80 e os 84 anos (74%), e quatro em cada cinco beneficiários, com mais de 85 anos (82,7%). 
E TEMPO PARA AMAR

Quando as pensões são demasiado baixas, o estado dá o "Complemento Solidário para Idosos". Segundo números apresentados hoje, dois em cada três beneficiários deste apoio são mulheres. As mulheres também surgem neste retrato como vivendo em habitações mais degradadas: casas com tectos que deixam passar água, com humidade nas paredes ou janelas apodrecidas são a realidade de 27,4% das idosas. 

Nas mesmas condições vivem 21,9% dos homens, com mais de 65 anos. Para 4,7% das mulheres, viver num sítio sem casa de banho, duche ou autoclismo não são coisas do passado, passando-se o mesmo com 3,5% dos homens. As más condições das habitações dos idosos levou o governo a criar, em 2008, o Programa Conforto Habitacional para Pessoas Idosas que deu resposta, na primeira fase, a 1.100 pessoas. "Destas, 57,2% eram mulheres", concluiu o investigador. 

* A frágil condição feminina 

 .


AMBIENTE



Um magnífico trabalho do Euronews sobre protecção e monitorização do ambiente.

.

.


HOJE NO
"DESTAK"

Mais de metade das PME estimam quebras na faturação do segundo trimestre - Barómetro CCP 

A maioria das pequenas e médias empresas (PME) portuguesas estima que a faturação do negócio terá sofrido uma quebra no segundo trimestre, de acordo o barómetro PME Comércio e Serviços, hoje divulgado pela CCP. 

De acordo com o estudo da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), quando questionadas sobre as expetativas futuras das PME em relação ao período entre abril e junho, 56,4 por cento estimou quebras no seu volume de negócio.

 "Os resultados do barómetro PME Comércio e Serviços da CCP indicam uma tendência acentuada para o desinvestimento, redução da capacidade instalada e redução do quadro de recursos humanos. Estas intenções, relativas ao segundo trimestre de 2012, quase que duplicaram face às expressadas no final do ano passado", refere a confederação. 

* Um título curioso o desta notícia, serão  aproximadamente 90% as empresas que apresentarão quebras, claro que 90% é mais de metade, jornal bonzinho este.

.
-


  SANTARÉM  À  NOITE













.
 .

HOJE NO
"i"

Técnicos do parlamento põem em causa a “razoabilidade das previsões” de Gaspar 

Qualidade das previsões sobre receita fiscal e contas da Segurança Social sob fogo da unidade de técnicos do parlamento 

“Não deixes que a realidade estrague uma boa história” é uma expressão autocrítica usada com humor entre jornalistas – “Não deixes que a realidade estrague uma boa execução orçamental” parece ser a variante utilizada no Ministério das Finanças liderado por Vítor Gaspar, sugere o relatório mais recente da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO). 

 A UTAO, um orgão técnico de apoio aos deputados à Assembleia da República, considera que o agravamento dos riscos orçamentais nos primeiros cinco meses do ano não se deve apenas à conjuntura económica dura e difícil de prever, mas às próprias previsões do governo para a receita dos impostos e a conta da Segurança Social. 

“Tendo em conta que no primeiro trimestre de 2012 acabou por se verificar um abrandamento da recessão económica (determinado pelo comportamento menos negativo da procura interna), o agudizar dos referidos riscos coloca algumas dúvidas sobre a razoabilidade das metas orçamentais definidas, nomeadamente as relativas à receita fiscal e às contribuições e prestações sociais”, realça a UTAO logo no resumo do relatório sobre a execução orçamental até Maio. 

É a primeira vez que os técnicos da UTAO – cujo trabalho periódico tem sido elogiado e defendido na Comissão de Orçamento e Finanças pelos deputados de todas as bancadas parlamentares – se pronunciam de forma aberta sobre a base de previsão em que assenta o Orçamento do Estado. Mais à frente no documento, a unidade técnica volta a pôr a qualidade das previsões do Ministério das Finanças em causa, duvidando da razoabilidade das metas “mesmo após a revisão em baixa efectuada no âmbito da primeira alteração ao Orçamento do Estado para 2012”. 

A execução orçamental está a correr bastante pior do que o previsto, sobretudo devido a dois pontos de divórcio entre previsões e realidade: receita de impostos e Segurança Social. Na receita fiscal a divergência é maior nos impostos indirectos sobre o consumo, que valem cerca de 60% do total. 

A receita do IVA, que já depois da revisão em baixa no orçamento rectificativo deveria crescer cerca de 10,6% no conjunto do ano, está a cair -2,8%. O Imposto sobre Produtos Petrolíferos está a cair mais do dobro do ritmo anual previsto, e o Imposto Sobre Veículos o triplo (-47,7% contra -15%). Na Segurança Social, muito pressionada pelo desemprego recorde, as contribuições tombam -3,1% (face à previsão de -1,1%) e a despesa com prestações (excluindo as pensões dos bancários) cresce 3,9 pontos percentuais acima do previsto. 

O Ministério das Finanças explica que o fracasso das previsões se deve principalmente à dimensão inédita do ajustamento orçamental e económico em Portugal, que dificulta a fiabilidade dos modelos de previsão. “Não havia experiência anterior para servir de exemplo”, explica fonte oficial do ministério de Gaspar, exemplificando com a queda a pique do consumo de bens duradouros, como carros e electrodomésticos. 

Um ex-responsável pelas contas públicas portuguesas confirma ao i que os modelos usados para prever a receita são relativamente fiáveis no caso de variações pequenas na conjuntura, não servindo para um ajustamento violento. “Apostaram na lotaria da receita no início do ano, sob certas hipóteses, mas a Nossa Senhora do Orçamento não apareceu”, ironiza. 

Para outros especialistas, contudo, havia precedentes claros na experiência recente que deveriam ter sido um aviso. “É verdade que a conjuntura é traiçoeira. Mas a experiência recente de 2009 tinha-nos mostrado de forma muito viva a volatilidade da receita fiscal num país que depende essencialmente da tributação indirecta”, afirma Sérgio Vasques, professor na Universidade Católica e ex-secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. “Só podemos ver nisto um exercício de irrealismo”, acrescenta. 

A UTAO confirma que a meta para a receita fiscal está “seriamente comprometida”, ameaçando de forma clara o objectivo de 4,5% do PIB para o défice. Governo e partidos da maioria reconhecem o problema, mas têm dado sinais ambíguos sobre a sua resolução – o governo mantém a porta aberta para mais medidas de austeridade, ao passo que na maioria pelo menos o CDS já fala de uma renegociação com a troika. 

É a segunda vez que um organismo independente critica a falta de qualidade e realismo das previsões do ministério de Vítor Gaspar. Em Maio, o Conselho para as Finanças Públicas liderado por Teodora Cardoso arrasou as previsões económicas entre 2013 e 2016 constantes no Documento de Estratégia Orçamental apresentado pelo governo: “A fraca qualidade das projecções oficiais sugere as dificuldades encontradas pelo Ministério das Finanças em ultrapassar o tradicional enviesamento optimista na sua preparação”. 


* Ele não mente, ele não aldraba, ele não ludribia mas....oh compulsiva incompetência que dás cabo do teu povo!!! 


.
-


Onze meses
        
      3.000 fotografias

                       e muito café....


  


.


HOJE NO
"A BOLA"

Farmacêutica multada por 
falsificar dados de medicamentos 


 Uma multa histórica. É assim que está a ser vista a coima de mais de 2,3 mil milhões de euros que a farmacêutica GlaxoSmithKline concordou pagar por ter falsificado e ocultado informações de três fármacos.

 O Departamento de Justiça dos Estados Unidos chegou a acordo com GSK para o pagamento do montante, do qual 1,6 mil milhões de euros se destinam a indemnizações a civis. Em causa estão três documentos. O Paxil foi promovido pela GSK sem ter licença da Agência de Fármacos e Alimentos (FDA, na sigla inglesa). O Paxil é um medicamento para a depressão, destinado a menores de idade. 

O Avandia, um fármaco para a diabetes, foi para o mercado entre 2001 e 2007 sem que a GSK tivesse informado sobre as suas contraindicações. O terceiro medicamento é o antidepressivo Wellbutrin, que a farmacêutica promoveu, pagando a médicos para o receitar, em 2003. 

 As investigações duraram anos e foram feitas pela FDA, FBI e pelo Departamento de Saúde, no sentido de descobrir eventuais ilegalidades no funcionamento da GSK. O procurador-adjunto, James M. Cole, comentou o caso em comunicado: «Esta ação constitui o maior acordo de fraude na área da saúde da história dos Estados Unidos.» 


* O laboratório tem dinheiro, paga a multa pela trafulhiçe, cerca de 5% do que ganhou com ela, mas ninguém vai preso, isto é justiça! 

.
-


OKTOBERFEST


2010 





























 






.