segunda-feira, 25 de junho de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

-
   

BEBEDICES




397413 242604729146910 126894987384552 562145 38975524 n adult pictures  


-



 NIGHT FASHION








































.
-



 MITOS SEXUAIS/1



1º MITO - Se como homem pensa  gostar mais de sexo que a mulher com quem está num dado momento.
A verdade é que a mulher pode não estar a gostar de fazer  sexo consigo.




 2º MITO - A masturbação causa cegueira
Se fosse verdade como  seria possível estar a ler esta legenda???







3ºMITO - Pode-se apanhar DST na sanita

Doenças  Sexualmente Transmitidas precisam de um ambiente húmido para se desenvolverem. A única coisa que se pode apanhar no assento da sanita são 'piolhos'.


 4º MITO -   A cada sete segundos os homens pensam em sexo.
Se os homens pensam em sexo oito vezes por minuto durante um jogo de futebol, então o cerne da questão muda inteiramente.



 5º MITO - As mulheres são incapazes de terem sexo casual porque são demasiado emocionais         
Não sabe se a sua mãe concordaria!


.


-



 NIGHT FASHION














































.
 .
HOJE NO
"DESTAK"

Dois médicos, cinco delegados 
de informação médica e dois armazenistas entre os detidos 

Dois médicos, cinco delegados de informação médica, dois armazenistas e uma pessoas que fazia a ligação entre os elementos do grupo são os 10 detidos hoje numa investigação sobre fraudes no Serviço Nacional de Saúde (SNS). 

Fonte ligada ao processo adiantou à agência Lusa que o esquema de fraude e falsificação de documentos envolvia um sistema em que médicos prescreviam medicamentos, através de listagemns do SNS, com as receitas a serem entregues a farmácias, onde os medicamentos comparticipados pelo Estado português eram levantados para seguirem, não para os doentes cujos nomes constavam das receitas, mas para exportação. 

Segundo a mesma fonte, os medicamentos iam para exportação depois de se dar baixa nas farmácias com a correspondente comparticipação do Estado português. 


* Quase e certeza que estes gajos andaram a pedir explicações aos políticos.


.

  2 - OS REIS SALOMÃO E DAVID 
NUNCA EXISTIRAM ?!?!?!?!



Polémico quanto baste assim definimos este trabalho, temos para nós opinião própria e privada, o estimado visitador pensará o que lhe aprouver, nós, não faltaremos ao respeito da fé de quem quer que seja.
m
-



 NIGHT FASHION






























.

 
HOJE NO
"i"

Google is watching you. 
É possível que ele se esqueça de si? 

Se quer destruir o seu rasto na internet, a missão será impossível se tiver sido seguido por terceiros. Um utilizador tem ou não o “direito ao esquecimento”?

Há trabalhos que não dão frutos: ter existência virtual pode ser uma chatice para quem quer uma vida reservada. E se deseja que a internet o esqueça, o melhor é preparar-se para perder algum tempo a tentar destruir os seus vestígios: seja qual for o tamanho do rasto, apagá-lo custa bem mais do que começá-lo. Eu já nem tinha ilusões. Sendo jornalista, era certo que seria uma missão quase impossível. 

Tendo um apelido invulgar, ainda mais: é mais difícil que o mundo virtual me confunda com outra. E é nestas alturas que uma pessoa volta a rogar pragas ao apelido que nos atormentou a infância: se me chamasse Sílvia Santos seria bem mais difícil que me encontrassem. 

Mas não. Basta googlar o nome – quem nunca googlou que se acuse – para ser confrontada com uma conta no Facebook, referências a um livro, dezenas de artigos publicados, um blogue antigo e até registos de uma intervenção muito antiga numa reunião de câmara, enquanto estreante nas lides num jornal local. Mesmo que conseguisse eliminar os meus registos, seria impossível que o Google não viesse a encontrar outros, porque houve reproduções noutros sites e blogues. 

 O blogue antigo também já não está ali a fazer nada e se é meu, devia poder apagá-lo com a mesma facilidade com que o criei. Mas falho à primeira na missão de o destruir: esqueci-me da password da conta do wordpress. Com o Facebook, confesso, fiz batota: gosto demasiado dele para me arriscar a perdê-lo. Mas agradeço nunca ter criado uma conta na Wikipédia e nunca ter feito compras na internet. 

Parto para a segunda curiosidade: pesquisar o nome dos meus pais no Google, convencida de que esses, de certezinha, não têm rasto na internet. Porquê? Porque nem sequer usam computador. Mas bastam dois cliques para a surpresa: o nome do meu pai aparece em avisos de concursos públicos, por ter trabalhado para o Estado. E o nome da minha mãe, que nunca ligou sequer um computador e também nunca trabalhou para o Estado surge num sítio tão improvável como uma lista com os resultados de quem iria levar uma lanterna ao senhor morto, numa procissão. Quer um, quer outro, têm apenas esses registos. O suficiente para qualquer utilizador, tendo os seus nomes completos, conseguir descobrir facilmente o sítio onde moram. Conclusão: nem quem não percebe nada do mundo virtual, consegue ser invisível, porque há sempre o risco de alguém escrever sobre nós.  

Esquecimento 

A discussão em torno do direito ao esquecimento – ou seja, ver o seu rasto eliminado da internet – já levou o governo espanhol a pedir à Google para retirar os dados de 90 pessoas daquele motor de busca. Em Espanha, a Agência de Protecção de Dados tem recebido dezenas de queixas de utilizadores que argumentam ter direito a não aparecer nas pesquisas, depois de terem eliminado todas as suas contas. Em Portugal, nenhuma queixa chegou ainda à Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD). "Temos muitas queixas relacionadas com spam ou com o Street View da Google, mas não com o direito ao esquecimento", adiantou ao i Ana Roque, professora universitária e vogal da CNPD. 

Se quer passar à margem dos motores de busca, o melhor é não criar contas, sites ou blogues, não fazer comentários com o seu nome, não trabalhar para o Estado – e, já agora, não pedir obras em casa, porque o edital também fica público. E rezar para que ninguém se lembre da sua existência. Se já violou alguns destes passos e está arrependido, a coisa complica-se. 

João Barreto, professor na pós-graduação da Universidade Católica em Segurança de Sistemas de Informação, garante que "hoje é praticamente impossível não ter vida na internet", porque tudo o que se escreve "passa facilmente para a esfera pública". Ana Roque também afiança que o melhor princípio, antes de publicar, é prevenir. E ter em conta que "tudo o que pomos na internet nunca sai da internet": "Se alguém reproduzir ou fizer link para alguma coisa que eu escrevi o ciclo é imparável." A lei permite que qualquer utilizador possa pedir ao prestador de serviço a quebra de contrato. E isto terá de servir para a conta no Facebook, na Vodafone ou na Amazon. Caso o utilizador desconfie que os seus dados não foram eliminados, a CNPD pode fiscalizar e defender os seus direitos. O problema surge quando o que se escreveu já foi republicado por terceiros. Porque isso implica que o Google censure o que foi publicado por outros, contra a sua vontade. "Aí o meu direito ao esquecimento colide com o direito à liberdade de expressão. A não ser que quem usou o seu nome na internet esteja a cometer um crime contra os seus direitos de personalidade, faz parte do seu direito à informação poder escrever sobre outras pessoas", explica Ana Roque. 

Para já a lei apenas prevê o direito à eliminação de dados – ou seja, que os seus dados sejam apagados de todos os serviços a que acedeu por via contratual. Mas na nova directiva sobre protecção de dados que está a ser discutida desde Fevereiro e pode vir a ser aplicada em 2014 pretende--se ir mais longe, colocando o direito ao esquecimento online na alçada da regulação comunitária. A medida pretende penalizar com multas as empresas que não retiraram completamente da internet os dados que o utilizador mandou apagar. 

 Escapar aos olhos do maior motor de busca não é fácil. A CNPD pode pedir à gigante americana para que sejam usados truques, como um que permite confundir o motor de busca ou fazer que este salte os seus resultados sem os tornar visíveis. Mas não sorria já: só aparentemente se tornará invisível. Se os dados que o incomodam estão disponíveis em sites de terceiros, a informação continuará disponível através dos links directos. 


 por SÍLVIA CANECO 



 *Estamos tramados, um xixi fora do penico e lá podemos ser notícia 

.
-


 ECO-CONDUÇÃO



 Começamos agora uma viagem pela eco-condução. Diz lhe alguma coisa? Para além de mais segura é mais eficiente; reduz as emissões de gases com efeitos de estufa e outros poluentes, bem como o consumo de combustível. Não esqueçamos a diminuição do desgaste do veículo e mais importante: o conforto e a segurança dos passageiros aumenta de forma significativa.


 Enviado por

.
-


NIGHT FASHION


















































.
 .
HOJE NO

"A BOLA"

Volta a Portugal contará com quatro equipas portuguesas e 12 estrangeiras 

A Volta a Portugal em bicicleta de 2012 vai contar com quatro equipas portuguesas e mais uma seleção nacional e ainda com 12 equipas estrangeiras. 
As equipas portuguesas, todas pertencentes ao escalão continental, são a Carmin-Prio, Efapel-Glassdrive, LA-Antarte e Onda Boavista. Quanto às estrangeiras dividem-se entre continentais e continentais profissionais. As mais cotadas na prova portuguesa serão a Andalucia (Espanha), Andalucia-Coldeportes (Colômbia), Caja Rural (Espanha), Saur-Sojasun (França) e Unitedhealthcare (Estados Unidos). 

Do escalão continental vêm a Funvic-Pindamonhangaba (Brasil), Orbea (Espanha), Burgos BH.Castilla y Leon (Espanha), Itera-Katusha (Rússia), Lokosphinx (Rússia), Team Bonitas (África do Sul) e MTN QHUBEKA (África do Sul). 

 Este ano não se verifica a presença de nenhuma equipa do Protour (escalão máximo) na corrida portuguesa. 


 * Infelizmente e cada vez mais uma voltinha, culpa de quem nos governa e não aproveita a volta como um cartaz turístico de excelência.

.

FILOMENA MARTINS


  

A Europa do Euro ao euro 

É sintomático que, nesta altura, a Europa continue a discutir o euro moeda e não o euro futebol. E sintomático que os principais jornais espanhóis deem menos páginas à hipótese de serem a primeira equipa a conquistar, consecutivamente, dois europeus e um mundial, que à dimensão do seu resgate e às dúvidas que subsistem sobre ele. É sintomático que em França e na Grécia não esteja toda a gente a discutir o futuro das seleções, mas sim as eleições deste fim de semana e o que elas significam para o futuro europeu. 

É sintomático que a Itália não tenha aberto a discussão sobre a validade do velhinho Pilro, mas sim sobre quando chegará a sua hora de também pedir ajuda externa. E até é sintomático que Angela Merkel não dê tréguas por estes dias passando o protagonismo a Mario Gomez e companhia, e opte por falar da solução para os bancos europeus. O futebol costuma proporcionar momentos de pausa nas tensões políticas e económicas. Mas não desta vez. E é por isso, por todos estes sintomas, que o alerta geral está ativado. Está provado que não podem existir soluções individuais para uma Europa em colapso, e que a crise já não é apenas uma coisa de países periféricos e endividados. Se cada caso é um caso, e se é preciso aplicar regras a quem nunca as cumpre, é ainda mais verdade que tem de ser encontrada uma solução global na próxima cimeira do euro, já depois do Euro. A Europa vai ter de olhar para si como uma equipa de futebol, em que cada jogador tem um peso, mas precisa de todos para funcionar. E para vencer. 

As jogadas da Esquerda 

Em fevereiro do ano passado, Francisco Louçã começou a perder o Bloco quando decidiu antecipar-se ao PCP e apresentar uma moção de censura ao Governo de José Sócrates antes de tempo. Jerónimo de Sousa esperou e conseguiu depois não só "apagar" Louçã na oposição como unir em sem redor toda a direita no chumbo do PEC que obrigou a eleições antecipadas. Agora, na véspera de Louçã partir para a Grécia para tirar partido de poder festejar com Alexis Tsipras a possível vitória dos radicais de esquerda da Syriza, Jerónimo de Sousa decidiu antecipar-se a apanhar essa onda de esquerda: apresentou de surpresa a primeira moção ao Governo de Passos Coelho. 

Uma moção inconsequente nos resultados, mas que ninguém pode dizer que não é consequente na sucessão de críticas com que os comunistas têm brindado a maioria e que se vão traduzir em protestos até ao debate do estado da Nação. E que tem ainda o condão de limitar a ação do PS de Seguro. A jogada política é boa. Mas se os portugueses também mostrarem saturação dos partidos tradicionais, se for chamada a assumir responsabilidades, a ser mais que do contra, a fazer parte da solução, estará a Esquerda disponível? 

A saga dos nomes do TC 

Mais de seis meses depois, ainda não foi ontem, ao contrário do anunciado, que o PS se entendeu com o PSD sobre o nome que tem de apresentar para o Tribunal Constitucional. A saga, bem pior do que uma qualquer sequela de quinta categoria, e durante a qual só o CDS conseguiu propor um nome acima de qualquer dúvida, já incluiu figuras de relevo nas estruturas partidárias mas sem credenciais para o cargo, como se estivéssemos a discutir um chefe de distritais; e até um juiz conhecido por uma cossentença no mínimo estranha sobre um caso de abuso de menores. Quando a política trata assim um dos órgãos mais importantes na soberania do Estado, obriga os cidadãos a questionarem-se sobre quem lidera estruturas com menos peso institucional, mas igualmente relevantes e fundamentais para o funcionamento do País. 

 A vigilância da pedofilia 

A proposta da ministra da Justiça para criar um sistema de referenciação de pedófilos, à imagem do que já se faz nos EUA e em Inglaterra, encerra muitas interrogações e exige inúmeros cuidados. A primeira reação, a mais popular, perante as penas e o controlo de um crime hediondo, é o aplauso à intenção de Paula Teixeira da Cruz. Mas isso é o mais fácil. O difícil é perceber os riscos da aplicação da medida ou estudar se não existem alternativas mais eficazes. 

Os cidadãos têm o direito de saber que um pedófilo condenado, após a pena cumprida, vive na sua rua? Se sim, também deveriam saber se vive lá um terrorista ou um serial killer, ou qualquer outro criminoso, certo? Aumentar as penas para os abusadores de menores, que pode e deve ser superior ao de certo tipo de homicídios, devia ser discutido. Entregar a vigilância desses abusadores, após o cumprimento das penas, às autoridades competentes, criando mesmo regras de acompanhamento psicológico ou impedimentos profissionais, pode e deve ser debatido. Mas não é aos cidadãos que cabe vigiar ex-condenados - sabendo-se que, justa ou injustamente, lhe irão criar problemas graves -, é ao Estado. A proteção das crianças deve ser uma função essencial de um país. Mas não com leis precipitadas, baseadas em dados escassos e aplausos populares.



 IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS" 
16/06/12 

 .
 .
HOJE NO
"PÚBLICO"

Remessas atingiram mais de 800 milhões
. de Janeiro a Abril 
Há dez anos que emigrantes não enviavam
 tanto dinheiro para Portugal 

As remessas em dinheiro dos emigrantes portugueses aumentaram no início do ano para níveis de há dez anos, alcançando 822,4 milhões de euros entre Janeiro e Abril. Este valor representa mais 17,6% do que no mesmo período do ano passado e é o mais elevado desde 2002, segundo dados do Banco de Portugal noticiados no Diário Económico desta segunda-feira. 
Estes números sugerem uma inversão da tendência de queda das remessas, a par do aumento do número de portugueses que sai do país para trabalhar. Em 2009 caíram 8,2% e no ano passado estabilizaram, subindo apenas 0,19%. O aumento da emigração nos últimos anos e o agravamento da situação em Portugal poderá estar a levar os que estão fora a sentirem-se compelidos a ajudar mais os familiares que ficaram em Portugal, segundo especialistas ouvidos por aquele jornal. 

Numa primeira fase, quem emigra tem mais tendência para gastar dinheiro devido às novas despesas, refere Filipa Pinho, do Observatório da Emigração. Mesmo assim, o aumento das dificuldades “pode levar a que uma emigração mais antiga seja impelida a ajudar os seus familiares”, diz Jorge Malheiros, do Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa. 


* A única parte boa da notícia é a que tem a haver com a solidariedade dos que lá de fora enviam dinheiro para atenuar as dificuldades de quem cá vive.

.
.

8 . DENTRO DO
CORPO HUMANO


 

m

 .

HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Portugueses tiram mais de 
mil milhões dos certificados 

 Em Maio, os resgates líquidos destes produtos atingiram 186 milhões de euros, aumentando as saídas em 2012 para 1,1 mil milhões. Os investidores portugueses continuam a retirar dinheiro dos certificados de aforro. Só em Maio, os resgates líquidos situaram-se em 186 milhões de euros, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto de Gestão do Crédito Público (IGCP). 

Desde o início do ano, os resgates líquidos são já de 1.091 milhões de euros. O montante total aplicado pelos portugueses nestes instrumentos desceu de 11.384 milhões para 10.293 milhões em 2012. A saída acima do previsto de investimento destes produtos levou recentemente a UTAO a defender que o Estado terá de fazer mais emissões de dívida no mercado de Bilhetes do Tesouro para compensar esta quebra no financiamento. 

É que apesar de os certificados do tesouro continuarem a captar investidores, com subscrições líquidas de 12 milhões de euros, o ritmo de captação de poupança por parte destes instrumentos é inferior ao que o Governo estimava. No total, os portugueses têm 11,7 mil milhões de euros investidos nestes instrumentos (10,3 mil milhões em certificados de aforro e 1,4 mil milhões em certificados do Tesouro). O valor corresponde apenas a 6% da dívida directa do Estado. 


* Vão aos anéis para ver se safam os dedos.

.
.


AS 100 MELHORES 


CANÇÕES DOS ANOS 80
.
 
(PARA A NME)
 .
Nº 52
 
.
THE RIVER
.

BRUCE SPRINGSTEEN



 

m
 .
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Estudantes premiados 
em torneio de robótica 

As três equipas do Agrupamento de Escolas de São Gonçalo, de Torres Vedras, que participaram no Torneio de Robótica RoboCup 2012, que terminou ontem no México, foram premiadas em várias modalidades. 
Segundo o professor Jaime Rei, coordenador do projecto, os estudantes tiveram uma "prestação brilhante" nas provas e todas as equipas foram apuradas para as finais das várias modalidades, nomeadamente Futebol Robótico, Busca e Salvamento e ainda Dança Robótica. 

Na prova de Futebol Robótico Júnior, os participantes alcançaram o título de Campeões Mundiais em Superteam's e a Menção Honrosa de Melhor Apresentação. A equipa de Dança Robótica recebeu a Menção Honrosa de Melhor Uso de Sensores. 


* Bons professores + bons alunos = boas escolas

.
.

Vinho



é cultura


CULTURA É LIBERDADE




2 .ESSÊNCIa







.


HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Cavaco Silva apela ao empreendorismo 

O presidente da República sublinhou ontem na abertura da Plataforma das Artes e da Criatividade, em Guimarães, que a 'ligação', entre criatividade e empreendorismo pode contribuir para 'melhorar', a qualidade de vida da população e 'até estimular a empregabilidade', 
Cavaco Silva tinha à sua espera cerca de uma centena de manifestantes com cartazes contra o novo código do trabalho, recentemente promulgado pelo presidente, mas, no final da visita, não quis comentar a situação dizendo que 'não queria desviar a atenção do que é realmente importante', 

O presidente da República recebeu ainda a medalha de ouro da cidade, 'a mais lata distinção', no dia em que Guimarães assinala a Batalha de S. Mamede, que em 1128 deu origem ao 'Primeiro Dia de Portugal', Em declarações aos jornalistas, no final da visita à Plataforma das Artes e da Criatividade, construída ao abrigo da Capital Europeia da Cultura Guimarães 2012, Cavaco abordou o tema da criatividade articulada com empreendorismo. 
'Essa ligação contribuirá para melhorar a qualidade de vida e as condições de vida da população do Norte do país e até estimular a empregabilidade, principalmente dos mais jovens', afirmou.
 Minutos antes, no discurso de inauguração do edifício e de agradecimento pela distinção, Cavaco Silva salientou a 'necessidade', do Norte do país 'se afirmar como um espaço privilegiado de crescimento das indústrias criativas em articulação com a atividade empresarial', Segundo o presidente da República 'desta articulação irá decerto resultar uma renovada dinâmica para as empresas'. 

* O sr. Presidente criou as condições necessárias e suficientes para ninguém lhe dar importância!!!


.
.

NO  TOPO











M
 .

HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Código do Trabalho: 
A partir de 1 de agosto, será mais 
fácil, rápido e barato despedir 

A partir de 1 de agosto será mais fácil, rápido e barato fazer despedimentos individuais em Portugal. A terceira alteração ao Código do Trabalho (CT) foi hoje publicada em Diário da República (Lei n.º 23/2012) e "entra em vigor no primeiro dia do segundo mês seguinte ao da sua publicação". 

 À exceção da eliminação dos feriados de Corpo de Deus, de 5 de outubro, de 1 de novembro e de 1 de dezembro (que acontecer só a partir de 1 de janeiro de 2013), todas as restantes mudanças passam a ser possíveis de 1 de agosto próximo em diante. A saber: 

-1. Inadaptação. 
Passa a ser mais fácil e barato despedir individualmente já que o novo CT flexibiliza o conceito de inadaptação. O empregador deixa de estar obrigado, como até aqui, a dar uma segunda oportunidade (um posto de trabalho compatível) ao trabalhador. O patrão tem de fundamentar as razões que levam a despedir, mas pode evocar mais motivos para o conseguir fazer. A lei permite agora despedir se ocorrer "modificação substancial da prestação realizada pelo trabalhador, de que resultem, nomeadamente, a redução continuada de produtividade ou de qualidade, avarias repetidas nos meios afetos ao posto de trabalho ou riscos para a segurança e saúde do trabalhador, de outros trabalhadores ou de terceiros, determinados pelo modo do exercício das funções e que, em face das circunstâncias, seja razoável prever que tenham caráter definitivo". Também pode haver inadaptação "caso tenha havido introdução de novos processos de fabrico, de novas tecnologias ou equipamentos baseados em diferente ou mais complexa tecnologia, a qual implique modificação das funções relativas ao posto de trabalho". 

-2. Extinção de posto de trabalho. 
O diploma facilita bastante esta modalidade, deixando cair o critério da antiguidade (o trabalhador mais antigo era normalmente protegido e tinha prioridade no acesso a posto de trabalho alternativo. 
Agora, desde que "o empregador demonstre ter observado critérios relevantes e não discriminatórios face aos objetivos subjacentes à extinção do posto de trabalho" "considera-se que a subsistência da relação de trabalho é praticamente impossível". O trabalhador pode recorrer e pedir uma ação inspetiva, mas o rol de motivos evocados que podem ser producentes passa a ser mais amplo, colocando mais poder do lado do empregador. Cabe ao empregador encontrar unilateralmente os “critérios relevantes” para dizer quais os postos de trabalho a eliminar. 

-3. Férias. 

Eliminação da majoração dos três dias de férias por assiduidade. Período de férias passa a ser simplesmente de 22 dias. 



-4. Horas extraordinárias. 
O chamado trabalho suplementar (em dias de folga e feriados) serão pagos pela metade face ao que acontecia até agora. Passa a ser 25% da retribuição pela primeira hora ou fração desta e 37,5 % por hora ou fração subsequente, se estivermos a falar de dias úteis; e 50 % por cada hora ou fração, no caso de dias de descanso semanal, obrigatório ou complementar, ou de feriados. 

A lei suspende ainda por "dois anos, a contar da entrada em vigor da presente lei", os contratos coletivos e as cláusulas dos contratos de trabalho que prevejam o pagamento de "retribuição do trabalho normal prestado em dia feriado, ou descanso compensatório por essa mesma prestação, em empresa não obrigada a suspender o funcionamento nesse dia". 

-5. Folgas. 
O diploma anula ainda "as disposições de instrumentos de regulamentação coletiva de trabalho e as cláusulas de contratos de trabalho celebrados antes da entrada em vigor da presente lei que disponham sobre descanso compensatório por trabalho suplementar prestado em dia útil, em dia de descanso semanal complementar ou em feriado". 
A lei suspende por "dois anos, a contar da entrada em vigor da presente lei" os "acréscimos de pagamento de trabalho suplementar superiores aos estabelecidos pelo Código do Trabalho". Isto é, todo o pagamento de horas extra previsto em casos especiais ou de exceção cai. 

-6. Banco de horas. 
O empregador e o trabalhador podem acordar diretamente a prestação de trabalho em regime de banco de horas sem que isso tenha de passar pela negociação coletiva, pelo sindicato e pela comissão de trabalhadores. 

"O regime de banco de horas pode ser instituído por acordo entre o empregador e o trabalhador, podendo, neste caso, o período normal de trabalho ser aumentado até duas horas diárias e atingir 50 horas semanais, tendo o acréscimo por limite 150 horas por ano". A instituição do banco de horas grupal também é facilitada, bem como o alargamento deste regime a toda uma empresa. 

-7. Indemnizações. 
Passa a haver três modelos de compensação por despedimento. 
 a) Os contratos celebrados depois de Novembro de 2011 (data da entrada em vigor do novo regime das compensações em caso de despedimento) terão direito a receber uma indemnização equivalente a 20 dias de salário por cada ano de “casa”, até ao limite máximo de 12 retribuições base e diuturnidades ou 240 salários mínimos (116.400 euros). 

b) Já os contratos celebrados antes daquela data mas que, em caso de despedimento ainda não chegariam ao limite dos 12 salários, ficam sujeitos a duas regras: recebem 30 dias por cada ano de casa até à entrada em vigor da nova lei; e entram no ritmo de 20 dias por cada ano, até atingir os referidos limites. 
c) Os contratos mais antigos, para casos de 20 ou 30 anos de antiguidade na empresa, manterão o valor (e as regras de cálculo da indemnização) a que teriam direito quando entrarem em vigor as novas regras. Mas mesmo que permaneçam na empresa, já não acumularão mais tempo para efeitos da compensação. 

-8. Feriados. 


A eliminação dos feriados de Corpo de Deus, de 5 de outubro, de 1 de novembro e de 1 de dezembro, resultante da alteração produz efeitos a partir de 1 de janeiro de 2013. 


-9. Pontes. 

Em caso de possibilidade de ocorrência de pontes (encerramento da empresa total ou parcial) "num dia que esteja entre um feriado que ocorra à terça-feira ou quinta-feira e um dia de descanso semanal (sábado ou domingo), o patrão tem notificar os trabalhadores "até ao dia 15 de dezembro" do ano anterior sobre os dias que pretende encerrar em modalidade pontes no ano seguinte. 

-10. Fundo das indemnizações. 
Tem sido consecutivamente adiado, mas a ideia é que este fundo pague parte das compensações em caso de despedimento. A proposta preliminar que dará origem à definitiva de implementação de fundo só deverá surgir no terceiro trimestre. Nesta altura o valor das indemnizações deverá cair outra vez para "a média europeia", dos atuais 20 dias (novos contratos) para oito a 12 dias por ano de trabalho. 



* O governo a tramar quem lhe paga os salários 

.


 .
-

POR PORTUGAL




.
,


CAVALOS









n
 .

HOJE NO
"RECORD"

Portugal lidera ranking 
"cheio" de espanhóis 

Ronaldo e Pepe na frente do castrol edge O top-10 do ranking Castrol 
Edge é dominado por futebolistas das seleções de Portugal e Espanha, que se defrontam quarta-feira nas meias-finais do Euro'2012. 

Apesar de ter mais espanhóis (5) do que portugueses (3), a lista de 10 continua a ser liderada por Cristiano Ronaldo, seguido agora de perto por Pepe, que subiu na tabela graças à exibição no jogo com a República Checa. Fábio Contrão, que também subiu, é 8.º, enquanto que o melhor dos "nuestros hermanos" é Xabi Alonso, no 4.º posto, atrás do italiano Claudio Marchisio. 

É caso para dizer que esta classificação é, em si mesma, mais um Portugal-Espanha. 

Classificação: 
1. Cristiano Ronaldo (Portugal), Real Madrid (avançado), 9,68 pontos 
2. Pepe (Portugal), Real Madrid (defesa), 9,61 
3. Claudio Marchisio (Itália), Juventus (médio), 9,54 
4. Xabi Alonso (Espanha), Real Madrid (médio), 9,48 
5. Iniesta (Espanha), Barcelona (médio), 9,43 
6. Piqué (Espanha), Barcelona (defesa), 9,38 
7. David Silva (Espanha), Manchester City (médio), 9,33 
8. Fábio Coentrão (Portugal), Real Madrid (defesa), 9,29 
9. Sergio Ramos (Espanha), Real Madrid (defesa), 9,25 
10. Michal Kadlec (República Checa), Bayer Leverkusen (defesa), 9.21 


* Atão e o João Moutinho, andam ceguinhos???? 


.