domingo, 24 de junho de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA



.
Professora: 
-Bruno, que nome se dá a uma pessoa que continua a falar, mesmo quando os outros não estão interessados? 
Bruno: 
-Professora.
.
-


AR CONDICIONADO



INCORPORADO



  



 .
 .

ESTA SEMANA NO
"SOL"

Guterres e Durão 
na calha para liderar a ONU 

Dados como candidatos a Belém em 2016, ambos podem preferir uma candidatura à chefia da ONU. 

O socialista tem vantagem. O próximo secretário-geral da ONU pode vir a ser um ex-primeiro-ministro português. Quer António Guterres quer Durão Barroso são hipóteses para o lugar ocupado actualmente pelo sul-coreano _Ban Ki-Moon, cujo mandato termina no final de 2016. 

No Ministério dos Negócios Estrangeiros e em meios diplomáticos, Durão e Guterres são nomes falados com crescente insistência. Tudo aponta para que o próximo secretário-geral da ONU seja um nome do eixo europeu e o ex-primeiro-ministro socialista tem algumas vantagens. Com o pelouro de Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), cujo segundo mandato termina em Junho de 2015, Guterres é, de facto, a segunda figura na hierarquia das Nações Unidas – embora formalmente exista um vice-secretário-geral. «Adora o que está a fazer e tem muitos apoios, nomeadamente o do Partido Democrata nos EUA», diz um amigo e ex-companheiro da política, referindo contactos que vêm do tempo de Bill Clinton, coincidindo com o Governo de Guterres, em Portugal.

 Mas também Durão Barroso, cujo mandato em Bruxelas termina no final de 2014, tem fortes probabilidades e já terá manifestado interesse em ‘entrar na corrida’ junto de alguns dos seus colaboradores mais próximos. Tanto mais que sondagens de popularidade em Portugal a que Durão Barroso tem recorrido regularmente, continuam a dar-lhe valores muito baixos, que parecem desaconselhar a tão falada candidatura a Belém em 2016. 

O actual presidente da CE estará já consciente de que o seu futuro deverá passar mais por um novo cargo internacional do que pelo regresso à política nacional, nomeadamente pela candidatura presidencial do centro-direita à sucessão de Cavaco Silva. Quanto a Guterres, também apontado como potencial candidato do centro-esquerda a Belém, o_facto de estar a desempenhar «reconhecidamente, um óptimo lugar no ACNUR, o seu perfil de conciliador nato» e os apoios, dentro da ONU, ajudam à candidatura, diz um dirigente do PS. 

Tanto mais que, após a saída de Ki-Moon, se espera que «volte a ser um europeu a ocupar o cargo», acrescenta um ex-colaborador próximo de Guterres. Portas preparado para apoiar campanha à ONU A última vez que um político da Europa ocupou a cadeira de secretário-geral das Nações Unidas foi com o austríaco Kurt Waldheim, que saiu em 1981. Seguiram-se um sul-americano (Perez de Cuellar) e os africanos Boutros Ghali e Koffi Annan. 

Ao Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) já vão chegando vários sinais do interesse de Durão e de Guterres pela secretaria-geral da ONU. E Paulo Portas está preparado para fazer uma intensa acção diplomática para ajudar um deles a chegar a líder da_ONU. Nas Necessidades, porém, sustenta-se que «o assunto ainda não está na agenda» e que a prioridade do ministro dos Negócios Estrangeiros se centra agora na campanha, já em marcha, para conseguir a eleição de Portugal para o Conselho dos Direitos Humanos, daqui a dois anos. 

Mas nos círculos diplomáticos os lóbis movimentam-se. _E o ex-primeiro-ministro socialista, que foi personalidade em foco na celebração do Dia Mundial do Refugiado, tem participado em diversas reuniões da cimeira do ONU Rio+20 e contactado com vários estadistas mundiais. Internamente, visto como um óptimo candidato a Presidente da República, a vontade do próprio não vai nesse sentido. «Continuará durante muitos anos a ocupar cargos em organizações internacionais. É o que o deixa realizado. Não lhe passa pela cabeça a candidatura a Belém», assegura um ex-ministro ao SOL.

*  Guterres não é mordomo de ninguém, nas Nações Unidas tem feito um trabalho extraordinário e exemplar.

.
-
FRANK WARREN

Meio milhão de segredos



 

 Os segredos podem assumir muitas formas — podem ser chocantes, tolos ou cheios de alma." Frank Warren, o fundador de PostSecret.com, partilha meio milhão de segredos que estranhos lhe enviaram em postais de correio.

 .
 .

ESTA SEMANA NO
"EXPRESSO"

Relvas quis favorecer 
empresa de Passos Coelho

 Helena Roseta acusa Miguel Relvas de querer favorecer uma empresa onde trabalhava Pedro Passos Coelho, na época em foi secretário de Estado. 

 Miguel Relvas tentou favorecer uma empresa em que trabalhava Pedro Passos Coelho quando foi secretário de Estado da Administração Local, entre 2002 e 2004, do Governo de Durão Barroso. A acusação foi feita ontem pela ex-bastonária da Ordem dos Arquitectos na SIC Notícias. Helena Roseta recordou ao Expresso o episódio que se passou com o agora ministro:
- "O senhor secretário de Estado chamou-me porque havia a possibilidade de Portugal se candidatar a um programa comunitário de formação para arquitetos municipais, mas a única condição era que fosse a empresa do dr. Passos Coelho a dar a essa mesma formação". 
Helena Roseta, então bastonária da Ordem dos Arquitetos, não se recorda do ano em que o episódio se passou, nem da empresa a que Miguel Relvas se referia, mas considerou que a condição não era aceitável, que se deveria realizar um concurso público, e o acordo não avançou. "Considero importante recordar este episódio para se perceber a personalidade de uma pessoa que agora está envolvida numa polémica em que há afirmações contraditórias", disse Helena Roseta referindo-se ao caso em que o ministro é acusado de fazer "pressões inaceitáveis" ao jornal "Público". "Na altura, percebi que era uma pessoa que não sabia distinguir fronteiras", frisa ao Expresso. 

Contactado pelo Expresso, o assessor de imprensa do ministro Miguel Relvas disse desconhecer as declarações de Helena Roseta, mas que acha estranho estar-se a falar de um caso que terá acontecido há dez anos. O programa comunitário em causa era o FORAL, que se destinava a promover a formação profissional de funcionários municipais. 


* Helena Roseta faz o contraponto da ERC e é uma pessoa muito séria. Vai ter é processos em tribunal por causa do que afirmou, oxalá esteja devidamente fundamentada. Quanto a Miguel Relvas é mais do mesmo, alguém tem dúvidas???

.

.
-

6.CANNABIS


A ERVA MALDITA?




Documentário médico onde o Dr. John Marsden analisa as origens da Cannabis, a maconha. Ele vai atrás de respostas para perguntas como: A maconha pode causar esquizofrenia? Ela pode levar alguém a buscar drogas mais pesadas? Ele entrevista pessoas cujas vidas foram destruídas ou revividas por esta planta que já vinha sendo usada há quase 3.000 anos antes de Cristo.

Um excelente trabalho da BBC

 .
.
HOJE NO

"A BOLA"

Irina Coelho campeã feminina de fundo 

A ciclista Irina Coelho, da equipa Freebike Loulé/Bike Clube S. Brás, sagrou-se este sábado campeã nacional feminina de fundo.

Na prova de 61 quilómetros disputada em Pataias, Irina Coelho venceu ao sprint Celina Carpinteiro (Ouribike/Ouriquense) e Mónica Magro (Saertex Portugal/Bicicletas Lavarinhas). No escalão de juniores a vitória sorriu a Joana Ferreira (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) e em cadetes a Ana Lopes (Ouribike/Ouriquense). 


 * Quando destacamos estes atletas quase desconhecidos nas nossas inserções, não editando quem anda sempre sob as luzes da ribalta, é porque paulatinamente os primeiros vão amando e defendendo a modalidade em que são bons e obtendo  pouco proveito financeiro, é porque são merecedores do maior respeito dos portugueses. 
Nunca foi referido o nome de um destes desportistas em actividades off-shore, PPP's, intimidação a jornalistas, corrupção etc,.

.

PETER SINGER




O uso e abuso 
     da liberdade religiosa  


 Quais são os limites certos da liberdade religiosa? Marianne Thieme, líder do Partido pelos Animais da Holanda, responde da seguinte forma: "A liberdade religiosa termina onde o sofrimento humano ou animal começa". 

O Partido pelos Animais, o único partido pelos direitos dos animais com representação num parlamento nacional, propôs uma lei que exige que todos os animais sejam atordoados antes do abate. A proposta uniu líderes islâmicos e judeus em defesa daquilo que consideram uma ameaça à sua liberdade religiosa, porque as suas doutrinas religiosas proíbem a ingestão de carne de animais que não estejam conscientes quando são abatidos. 

O parlamento holandês concedeu aos líderes o prazo de um ano para provar que os seus métodos de abate ditados pela religião não são mais dolorosos do que o abate precedido de atordoamento. Caso não consigam fazê-lo, a exigência de atordoamento antes do abate será implementada. Entretanto, nos Estados Unidos, bispos católicos afirmaram que o presidente Barack Obama está a violar a sua liberdade religiosa ao exigir que todas as grandes entidades empregadoras, incluindo universidades e hospitais católicos, ofereçam aos seus trabalhadores seguros de saúde que incluam a contracepção. E, em Israel, os ultra-ortodoxos, cuja interpretação da lei judaica proíbe os homens de tocar nas mulheres que não sejam suas esposas ou com quem não tenham relacionamento, pretendem separar os lugares para homens e mulheres nos autocarros e suspender o plano do governo para acabar com a isenção do serviço militar para estudantes religiosos a tempo inteiro (63 mil em 2010). 

 Quando as pessoas são proibidas de praticar a sua religião – por exemplo, através de leis que proíbem determinadas formas de adoração – não poderá haver quaisquer dúvidas de que a sua liberdade religiosa foi violada. A perseguição religiosa era habitual nos séculos passados e actualmente ainda persiste em alguns países. Mas o facto de se proibir o abate ritual de animais não impede os judeus ou os muçulmanos de praticarem a sua religião. 

Durante o debate sobre a proposta do Partido pelos Animais, o rabino Binyomin Jacobs, grande rabino da Holanda, dirigiu-se aos membros do parlamento com a seguinte afirmação: “Se já não tivermos ninguém que possa fazer o abate ritual na Holanda, deixaremos de comer carne”. E isso, obviamente, é o que se deve fazer quando se professa uma religião que exige que os animais sejam abatidos de uma forma menos humana do que aquela que se pode conseguir através de técnicas modernas. 

 Nem o Islão nem o Judaísmo defendem qualquer obrigação de comer carne. Não peço aos judeus e aos muçulmanos que façam mais do que eu próprio optei por fazer, por razões éticas, há mais de 40 anos. Restringir a legítima defesa da liberdade religiosa à rejeição de propostas que impedem as pessoas de praticar a sua religião, torna possível a resolução de muitos outros litígios em que se afirma que a liberdade de religião está em jogo. 

Por exemplo, permitir que homens e mulheres se sentem em qualquer lugar de um autocarro não viola a liberdade religiosa dos judeus ortodoxos, porque a lei judaica não ordena que se utilizem os transportes públicos. É apenas uma comodidade da qual se pode prescindir – e os judeus ortodoxos têm dificuldade em acreditar que as leis que professam tivessem o objectivo de tornar a vida o mais cómoda possível. 

Da mesma forma, a exigência do governo Obama de oferecer um seguro de saúde que cubra a contracepção, não impede os católicos de praticarem a sua religião. O catolicismo não obriga os seus seguidores a gerir hospitais e universidades. (O governo já isenta as paróquias e dioceses, o que estabelece uma distinção entre as instituições que são fundamentais para a liberdade da prática religiosa e as que são periféricas.) 
É claro que a Igreja Católica teria relutância em abdicar das suas extensas redes de hospitais e universidades. Estou em crer que, antes disso acontecer, acabariam por considerar que a contracepção coberta pelo seguro de saúde é compatível com os seus ensinamentos religiosos. 

Mas, se a Igreja tomasse a decisão contrária, e entregasse os seus hospitais e universidades a organismos que estivessem dispostos a oferecer tal cobertura, os católicos continuariam a ter liberdade para adorar e seguir os ensinamentos da sua religião.A isenção do serviço militar por convicção religiosa pode ser mais difícil de resolver, porque algumas religiões ensinam o pacifismo. 
Este problema é geralmente resolvido através de um serviço alternativo que não é menos árduo do que o serviço militar (para que essas religiões não atraiam seguidores apenas por essa razão), mas que não implica lutar ou matar. O judaísmo, no entanto, não é pacifista, assim, mais uma vez, não está em jogo qualquer questão de liberdade. 

Os ultra-ortodoxos querem isenção para aqueles que dedicam o seu tempo ao estudo da Torá, justificando que para o bem-estar de Israel, o estudo da Torá é tão importante quanto o serviço militar. No entanto, a opção de um serviço nacional não-combatente não irá resolver esta disputa, a menos que esta consista no estudo da Torá. Mas não há nenhuma razão para que a maioria laica de Israel partilhe a convicção de que ter dezenas de milhares de ultra-ortodoxos a estudar a Torá traga qualquer benefício à nação, e não é com certeza uma tarefa tão árdua como o serviço militar. 

Nem todos os conflitos entre religião e Estado são fáceis de resolver. Mas o facto destas três questões, que actualmente causam controvérsia nos seus respectivos países, não dizerem realmente respeito à liberdade de praticar uma religião, sugere que o apelo à liberdade religiosa está a ser mal utilizado. 

Professor de bioética na Universidade de Princeton e professor Laureado na Universidade de Melbourne 

Tradução de Teresa Bettencourt/Project Syndicate


IN "PÚBLICO"
12/06/2012

.

.

ESTA SEMANA NA
"O ELETRICISTA"

Pronodis: 
primeiro detetor de presença humana
 a nível mundial (HPD1) 

A Steinel, uma vez mais na vanguarda da tecnologia a nível da deteção, lançou na Feira Light & Building 2012 o detetor de presença humana. 

Este detetor de referência HPD1 (Human Presence Detection) é o culminar do atingir a perfeição na deteção. Ao longo de 5 anos, os maiores especialistas do mundo e universidades estiveram unidos para desenvolver este sistema que analisa as imagens diretamente no sensor. 
Com esta inovação é possível integrar novas aplicações na automatização dos edifícios. O sensor deteta as pessoas e identifica o seu número exato, independentemente se estão sentados ou de pé ou mesmo que não haja movimento. A informação é transmitida através do interface IP ou relé. 

É através da imagem visível na face do detetor, que se toma conhecimento da deteção e esta imagem pode alternar entre totalmente branco/ humano em encarnado / humano encarnado dentro de um retângulo. A primeira vantagem passa pela definição da zona de deteção. O detetor HPD1 define a zona de deteção limitando-a à zona estritamente necessária, ou seja, por exemplo, permite definir dentro de uma sala uma zona de movimento e até 3 zonas de presença. 

Essas zonas podem ser facilmente programadas via comando. Além disso, permite detetar pessoas, e assim pela primeira vez é possível detetar pessoas sem haver movimento. A comutação é feita de imediato ao entrar ou sair da zona de deteção. A deteção exata previne falsas comutações. A terceira vantagem refere-se à contagem de pessoas porque este detetor HPD1 não só deteta a presença de pessoas, como possibilita a sua quantificação. 

Os infra-vermelhos garantem o seu funcionamento em modo noturno. E ainda permite fazer uma diferenciação seletiva, algo que é uma enorme vantagem do HDP1 relativamente a um detetor de movimento porque através desta nova tecnologia de deteção, permite distinguir um corpo humano de um outro ser. 


* A electrónica é um mundo fabuloso, o problema são os maus utilizadores!


.
-


RADICAL  É KARMA




.
 .

ESTA SEMANA NA
"EXAME INFORMÁTICA"

A forma como usa a Net 
pode mostrar se está deprimido 

 Costuma passar de app em app sem parar, partilhar ficheiros em cascata ou abusar do uso do email? Então, talvez tenha chegado a hora de verificar se está tudo bem consigo. 

Sriram Chellappan and Raghavendra Kotikalapudi são dois investigadores que afirmam conseguir criar um software que detete sintomas de depressão e que, para isso, só precisa de analisar o histórico de navegação do utilizador. A experiência decorreu junto de 216 estudantes universitários que preencheram um questionário sobre a forma como se sentiam e se se sentiam deprimidos. 

O estudo concluiu que 30% dos estudantes afirmava sentir sinais de depressão. O passo seguinte, com a autorização dos envolvidos, foi analisar o histórico da Net de cada um destes voluntários, noticia a Forbes Os investigadores concluem que existem comportamentos específicos que podem indiciar a depressão: navegar de app em app, rapidamente; partilhar muitos ficheiros; abusar do uso do email; consumo excessivo de vídeos, chats e jogos online. 

Basicamente, todos os utilizadores da Internet estariam deprimidos. A dupla de cientistas diz que consegue criar um modelo de software para ser instalado em PCs e smartphones para alertar se o utilizador está a revelar indícios de estar deprimido. 


* É altura de pensarmos se queremos ter permanentes espias em casa!!!


 .

 E O ZÉ FUGIU




 Enviado por A. DIAS

NR: Realmente o Zé fugiu, mas porque perdeu eleições senão ainda o estávamos a gramar.

Mas devemos lembrarmo-nos do outro Zé que se pirou, governava em maioria quando lhe  acenaram da Europa com o lugar de mordomo-mor e o ZÉDURÃO nem hesitou, mandou os portugueses às ortigas, fardota a preceito, aí anda ele pressuroso há um ror de anos, a abrir portas ou a servir salsichas e vichiçoises tão ao gosto de germanos e gauleses. 
Alguém se lembra nestes anos todos de comissão de alguma posição antagónica aos seus patrões, exceptuando uns brandos fingimentos para mostrar trabalho???

Querm inaugurou o Serviço de Fugas foi o Prof. Silva que mandou na sua vez Fernando Nogueira para perder eleições que devia ter sido ele a enfrentar.

. .
.

ESTA SEMANA NA
"SÁBADO"

Desemprego através de despedimento colectivo aumentou 70% 
O aumento foi de 70,7 por cento 
face ao mesmo período de 2011 

De acordo com os dados divulgados pela Direcção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT) referentes aos primeiros quatro meses do ano, os processos de despedimento colectivo já concluídos envolveram 315 empresas e 27.894 trabalhadores. 

Do total de trabalhadores envolvidos foram despedidos 2677 funcionários, estando 2837 em risco de o serem a qualquer momento. Apenas quatro processos foram revogados e 149 estavam a ser analisados. Em 2011, no mesmo período de tempo e tendo em conta os processos de despedimento colectivo concluídos, houve 173 empresas a recorrer a este expediente, tendo afectado mais de oito mil trabalhadores, dos quais, 1568 acabariam por ser despedidos naquele período. 

Já em 2012, só no mês de Abril, e tendo em conta os processos concluídos, 70 empresas recorreram a este instrumento e num universo de 9211 trabalhadores envolvidos, foram despedidos 777, um número que mais do que triplicou face ao mesmo mês de 2011. 

Quanto aos processos de despedimentos iniciados nos primeiros quatro meses deste ano, fixa-se em 386 o número de empresas que deram início ao processo. 

Num universo de 29.699 trabalhadores, correm risco de despedimento 3858, segundo a DGERT. Numa análise por regiões, o Norte do País e Lisboa e Vale do Tejo foram as zonas mais afectadas pelos despedimentos nos primeiros quatro meses deste ano, tendo sido eliminados 1180 e 1136 postos de trabalho, respectivamente. 


* Estes são de há muito os número prevísiveis para os quais o governo diz estar surpreendido.


.
.


PARA O LANCHE




.
.
ONTEM NO
"i"

Deputados socialistas avançam com
. proposta de co-adopção gay 

Os deputados do PS Pedro Delgado Alves e Isabel Moreira vão apresentar em Julho uma proposta de co-adopção para casais homossexuais. “Já não estamos a falar de criar uma família de raiz, queremos é dar resposta às famílias homossexuais em que apenas uma das partes tem o poder paternal”, esclarece o parlamentar e líder da Juventude Socialista. 

O projecto será entregue no próximo mês, mas só será discutido na Assembleia a partir de Setembro. Tal como acontece para os casais heterossexuais, os deputados do PS querem permitir aos casais homossexuais em que apenas um dos cônjuges detém o poder paternal – por vínculo biológico ou por adopção – a extensão da filiação ao seu parceiro. 

As associações LGBT estimam que em Portugal existam centenas de casos nesta situação. A alteração visa assegurar que, em caso de falecimento ou doença de um dos cônjuges, o menor fica à guarda do outro elemento do casal. Pedro Alves sublinha que noutros países, como a Alemanha, isto já acontece. Depois de a proposta de adopção por casais homossexuais (apresentada pelo BE) ter sido rejeitada pela maioria, a co-adopção poderá reunir mais apoios dentro do próprio PS. “Sabemos que há deputados no PS mais favoráveis a esta proposta e não deixaremos de tentar persuadir a direcção a apoiar-nos, pois visamos a resolução de um problema real”, diz Alves. 

A JS/Lisboa está a promover uma campanha a favor da adopção gay, mas o tema não deverá voltar ao parlamento a médio prazo. Com uma maioria parlamentar contrária, o líder da JS diz acreditar no poder da pedagogia: 

“O tempo tende a favorecer este debate, por isso a JS mantém-se activa no esclarecimento desta questão.” 

* Acabar legalmente com a xenofobia de uma vez por todas. Será que os heterosexuais que contestam este tipo de adopção estão inseguros quanto à sua orientação sexual e à sua função enquanto educadores??? 


.
.


CHATEEI













c
.
  HOJE NO

"RECORD"

Canoagem: Teresa Portela 
bronze em K1 200 

 A canoísta Teresa Portela conquistou este domingo a medalha de bronze em K1 200 metros nos Europeus de canoagem, que decorrem em Zagreb. 
A portuguesa cumpriu a prova em 40,376 segundos, a 1,004 segundos da húngara Natasa Janics (tem no currículo três medalhas de ouro em Jogos Olímpicos e 18 em Mundiais) e a 724 milésimas da polaca Marta Walczykiewcz, vice-campeã do mundo da distância. Teresa Portela, a melhor canoísta portuguesa de sempre, já tinha sido bronze em K1 200 nos Europeus de 2011. 

Agora, em Zagreb, foi igualmente quinta no K4 500 (com Helena Rodrigues, Joana Vasconcelos e Beatriz Gomes), com o qual também vai competir em Londres2012, além de K1 200 e 500. 


* Se os políticos fossem tão trabalhadores como os nossos atletas....

.
.

PARA O LANCHE





.
.
ESTA SEMANA NA
"VISÃO"

Médicos extraíram tumor 
na boca de bebé no útero da mãe 

A cirurgia inédita, realizada em 2010, consistiu em extrair, com laser, um tumor, do tamanho de um pêssego, da boca de um bebé de 17 semanas de gestação. 

A menina nasceu saudável O problema da pequena Leyna Mykaella González foi detetado durante uma ecografia, realizada às 17 semanas de gravidez, quando os médicos viram o que parecia uma enorme bolha a sair da boca do feto. 

 O diagnóstico foi aterrador para Tammy González, a mãe: um tumor potencialmente fatal. Agora, dois anos depois, conta, pela primeira vez, como a vida da filha foi salva naquela que foi a primeira operação do género de sempre, usando um laser para intervir com a bebé ainda no útero materno. 

Leyna, agora, com 20 meses, nasceu saudável e apenas com uma pequena cicatriz na boca. Os cirurgiões da Universidade de Miami e do Jackson Memorial Hospital, Riuben Quintero e Eftichia Kontopoulos, que esperavam desde 2010 para anunciar o feito, estiveram quinta-feira lado a lado com a menina, relatando a inédita operação que durou pouco mais de uma hora e que o tumor tinha o tamanho de um pêssego. Emocionada, a mãe recordou que uma ou duas semanas antes da ecografia que revelou o tumor tinha feito outra, onde não era visível qualquer sinal alarmante. 

O rápido crescimento do tumor foi o que impediu esperar pelo parto para operar a menina. "Caso ela nascesse viva, mesmo assim não haveria garantias de que seria normal, teria de se submeter a uma traqueotomia, várias cirurgias, teria deformidades", recorda Tammy González. 


* Quando os médicos são mágicos ou deuses.... 


.
.

IMAGINAÇÃO


ILIMITADA











m
.
ESTA SEMANA NO
"VIDA ECONÓMICA"

Associação Comercial do Porto 
contesta modelo de privatização 
para a TAP e a ANA 

A Associação Comercial do Porto está contra o modelo de privatização previsto pelo Governo para a ANA e a TAP. Considera muito preocupante o impacto que terá a privatização "em bloco" na economia do Norte do país. 

Adianta a instituição em comunicado: "É verdade que o aeroporto faz parte da ANA, que é um monopólio. Mas é um monopólio público que é regido por interesses que transcendem a mera obtenção do lucro." Considera a associação que a privatização da ANA em bloco não é o único possível, nem será o mais interessante do ponto de vista do interesse público.

 "O modelo de monopólio privado que abrange todo o sistema aeroportuário não é o único possível, nem aquele que permite maximizar os benefícios. Se a ANA for privatizada em bloco sem contemplar argumentos quantitativos, haverá um factor de incerteza que será descontado no valor que o Estado vai arrecadar. Ainda que se acredite que a soma das partes pode valer mais do que a alienação total, é uma questão que necessita de ser avaliada em pormenor.

" Perante este cenário, conclui a Associação Comercial do Porto: "Seria preciso estudar a possibilidade de criar subsidiárias da ANA, de forma a não prejudicar as condições dos financiamentos existentes nessa empresa pública e que dificilmente poderão ser replicadas na atual conjuntura internacional. Seria igualmente necessário estudar a questão dos quadros e do pessoal da ANA, num modelo de privatização em separado, admitindo-se ainda que estes possam ser necessários no INAC ou noutro instrumento de regulação que possa vir a ser criado." 


* Privatizar aeroportos é próprio de governantes perdulários e submissos.

.
.




PARA O LANCHE




.
 .
ESTA SEMANA NO

"CORREIO DO MINHO"

Universidade do Minho
Professor vence 
Prémio Jovem Investigador 

 Paulo Flores, professor do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade do Minho, venceu o Prémio Jovem Investigador 'Professor João Martins' em Mecânica Aplicada e Computacional 2011, promovido pela Associação Portuguesa de Mecânica Teórica, Aplicada e Computacional (APMTAC). 

O galardão vai ser entregue no próximo Congresso da associação, em Bilbau, Espanha, em junho de 2013. O Prémio, atribuído pela primeira vez a um investigador da UMinho, homenageia os jovens investigadores que mais se tenham distinguido em qualquer área da Mecânica Aplicada e Computacional pelo número e impacto dos trabalhos publicados em revistas científicas de circulação internacional ou que tenham contribuído significativamente para o avanço da área, em termos pedagógicos e na ligação ao tecido empresarial. 

Paulo Flores já tinha recebido uma menção honrosa do galardão em 2010. Paulo Flores preside Comité da Federação Internacional do setor O professor da Escola de Engenharia da UMinho (EEUM) foi entretanto eleito para presidir durante os próximos dois anos ao Comité Técnico para Dinâmicas Multicorpo da Feder ação Internacional para a Promoção da Ciência de Máquinas e Mecanismos (IFToMM). É o único português a presidir uma Comissão Técnica desta entidade, que visa promover a investigação e o desenvolvimento no domínio científico de Máquinas e Mecanismos e que junta associações nacionais de 57 países. Paulo Flores foi eleito para o cargo na reunião anual da comissão, que decorreu na Universidade de Estugarda, Alemanha. 

O docente é membro observador desta comissão desde 2006. Paulo Flores tem 39 anos e é natural de Rossas, Vieira do Minho. Licenciou-se, doutorou-se e agregou-se em Engenharia Mecânica pela UMinho e pós-doutorou-se no Swiss Federal Institute of Technology (Suíça) e na Universidade do Arizona (EUA). Venceu o “First Place Graduate Award in recognition of valuable contributions to College of Engineering Open House 2003”, pela Wichita State University (EUA), e o prémio de melhor tese de doutoramento da EEUM em 2005. É autor de mais de duas centenas de publicações (livros, capítulos de livros, monografias, artigos científicos, textos pedagógicos). 


* Nós precisamos deste tipo de portugueses, inteligentes, esforçados a colocarem o melhor de si ao serviço da comunidade, a classe política que temos é descartável. 
Socrates e  Relvas serão lembrados pelas suas tristes figuras.

.
.

POEMAS


  "e por vezes"



DAVID MOURÃO FERREIRA


por Teresa Coutinho




.



QUASE REAIS









m

ESCOLHAS DA SEMANA E DO MÊS

-

 COMPRE JORNAIS E REVISTAS



















































.
.
12 - AFRICA











m