quarta-feira, 30 de maio de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA






Declaração de Amor Alentejana



Minha querida magana...    


Desda aquela vez da palha naquele monti. Que aqui ficastes escarrapachada na minha alembradura. 
Atão na foi tã bom? Diz laa?
 

Condolho pra ti com esses bêços de mula, o mê coração prega purradões nas costelas, parece um trator a arrencar ecalitros naquela charneca. 

Se mamares comé tamo, se machares come tacho,vamos pedir a tê pai cacete nosso acasalamento. 

Gosto de ti, pôrra! 




AQUI SE REVELAM OITO MOTIVOS PORQUE O INVESTIDOR ESTRANGEIRO NÃO VEM PARA PORTUGAL
 
OLIVEIRA E COSTA E DIAS LOUREIRO






.

.

UM HELICÓPTRERO 
NA PALMA DA MÃO


 Um helicóptero que cabe na palma da mão poderá ser a nova   ferramenta para auxiliar os serviços de espionagem a "cuscar" no futuro jornalistas e empresários portugueses.

 Criado em 2009 pela empresa norueguesa Prox Dynamics, o helicóptero espião PD1200 foi desenvolvido por soldados e espiões e  é movimentado por um motor elétrico e comandado por controle remoto.

 Com hélices medindo 10 cm, o objeto do tamanho de um brinquedo pesa apenas 15 gramas e pode atingir a velocidade de 32 km/h.

  


O helicóptero capta imagens dos locais que devem ser espionados a partir de uma câmera acoplada no seu interior.

BALSEMÃO FORTEMENTE 
ARMADO

"O PD 1200 pode ser carregado dentro do bolso e levanta vôo em segundos, dando um panorama quase que imediato sobre o que se passa no terreno", disse Petter Muren, presidente da Prox Dynamics.


  

 O helicóptero espião  foi minuciosamente  testado em áreas desérticas e resistiu a fortes ventos, acrescentou Muren.

RICARDO COSTA 
COM UMA ARMA À CINTURA
O invento está à venda desde 2010 e a redacção de "a peida é um regalo do nariz a gente trata" muito se interroga sobre se  este equipamento terá sido ou não utilizado pelos "TUGABONDS", na patriótica tarefa de espiar os perigosíssimos Balsemão e Ricardo Costa.

.
.

O ÓDIO MATA




DIGA NÃO AO RACISMO


.

-


 A COVA





Com Ivo Canelas, Afonso Pimentel e Augusto Portela
Realizado por Luís Alves
Argumento por Luís Alves e Rodrigo Sousa
Produzido por Luís Alves


Melhor Curta-metragem - Shortcutz Lisboa Abril 2011
2º prémio - Festival de Curtas-Metragens de Faro 2011
Fantasporto 2011 - Nomeado para o Prémio do Cinema Português
Caminhos do Cinema Português - Selecção Oficial
Porto 7 - Selecção Oficial
Cortex Festival de Curtas-metragens de Sintra - Selecção Oficial
Festival do Cinema Digital de Odemira 2011 - Selecção Oficial
Shortcutz Porto Junho 2011 - Competição Oficial
Festival Video do Barreiro 2011 - Selecção Oficial
Vencedor dos Prémios CinEuphoria 2012 em:
- Curta-Metragem (Cinema Português)
- Realizador de Curta-metragem (Cinema Português)
- Actor Secundário (Cinema Português)
- Filme (prémio do Público)
- Realizador (prémio do Público)
- Actor Secundário (prémio do Público)
- Top Curtas-Metragens (Cinema Português)
- Top 10 Cinema Português



.
 .

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Grupo de motards Hells Angels
 proibido em Berlim 

O Senado (governo regional) de Berlim proibiu esta quarta-feira o grupo de motards Hells Angels, por suspeitas de ligação ao crime organizado, noticiou o jornal ‘Bild’. 

Mais de 500 polícias fizeram rusgas nas instalações e apartamentos de elementos do grupo, mas uma fuga de informação terá permitido aos Hells Angels transferir a inscrição de muitos dos membros para a vizinha Potsdam. 

Um porta-voz do senador para os assuntos internos de Berlim, Frank Henkel, confirmou a notícia, acrescentando que já foi aberto um processo-crime contra desconhecido. 

As suspeitas contra os Hells Angels estão relacionadas com tráfico de droga, proxenetismo, tráfico de seres humanos, posse ilegal de armas e graves ofensas corporais, o que levou a justiça berlinense a autorizar, na semana passada, o requerimento de proibição apresentado pelo senador democrata-cristão. 

Entre 2005 e 2009, os Hells Angels e os rivais Bandidos, outro clube de motards com centenas de elementos, foram alvo de 798 processos-crime que resultaram em 109 detenções, no decorrer das quais a polícia berlinense apreendeu dinheiro e outros bens no valor de 1,3 milhões de euros, bem como drogas, avaliadas em um milhão de euros. 

No mesmo período, as penas de prisão contra ‘rockers’ da capital alemã totalizaram 325 anos, por crime organizado, incluindo ofensas corporais, chantagem, roubo e homicídio, segundo dados do Senado. O norte da capital alemã é território dos Bandidos, e o sul dos Hells Angels. 

A polícia acredita que Berlim está a servir de plataforma para ambos os grupos ganharem posições no leste europeu desde 2010. Os Hells Angels foram fundados em 1948, nos Estados Unidos, e chegaram a fazer segurança nos concertos dos Rolling Stones, até ao incidente registado em 1969, em Altmont, na Califórnia, quando um membro dos Hells Angels matou à facada um jovem de 18 anos que estava sob o efeito de drogas e apontou uma arma ao famoso grupo de rock. Os Bandidos surgiram em 1968, também nos EUA, estão na Europa desde 1989, e há dez anos em Berlim.



 * A mafia motoqueira, perigosíssima, se os vir fuja, não pense duas vezes.


.
.
3-OS SAMURAIS



UMA EXCELENTE SÉRIE DO CANAL HISTÓRIA


Os Samurais existiram por quase 8 séculos (do VIII ao XV), ocupando o mais alto status social porquanto existiu o governo militar nipônico denominado xogunato. Pessoas treinadas desde pequenos para seguir o Bushido, o caminho do guerreiro. O samurai era uma pessoa muito orgulhosa, tanto que se seu nome fosse desonrado ele executaria o seppuku, pois em seu código de ética era preferível morrer com honra a viver sem a mesma. Seppuku, suicídio honrado de um samurai em que usa uma tanto (faca) e com ela enfia no estômago e puxa-a para cima eviscerando-o. Uma morte dolorosa e orgulhosa. Inicialmente, os samurais eram apenas coletores de impostos e servidores civis do império. Era preciso homens fortes e qualificados para estabelecer a ordem e muitas vezes ir contra a vontade dos camponeses. Posteriormente, por volta do século X, foi oficializado o termo "samurai", e este ganhou uma série de novas funções, como a militar. Nessa época, qualquer cidadão podia tornar-se um samurai, bastando para isso adestrar-se no Kobudo (artes marciais samurais), manter uma reputação e ser habilidoso o suficiente para ser contratado por um senhor feudal. Assim foi até o xogunato dos Tokugawa, iniciado em 1603, quando a classe dos samurais passou a ser uma casta. Assim, o título de "samurai" começou a ser passado de pai para filho. O samurai mais famoso de todos os tempos foi Miyamoto Musashi (1584—1645), um guerreiro que veio do campo, participou da batalha de Sekigahara e iniciou um longo caminho de aperfeiçoamento. Ele derrotou os Yoshioka em Edo (atual Tóquio) e venceu o grande Sasaki Kojirō, outro grande samurai. Pelo fim da era Tokugawa, os samurais eram burocratas aristocráticos ao serviço dos daimiô, com as suas espadas servindo para fins cerimoniais. Com as reformas da era Meiji, no final do século XIX, a classe dos samurais foi abolida e foi estabelecido um exército nacional ao estilo ocidental. O rígido código samurai, chamado bushido, ainda sobrevive, no entanto, na atual sociedade japonesa, tal como muitos outros aspectos do seu modo de vida. Os Samurais, como classe social, deixaram de existir em 1868, com a restauração Meiji, quando o imperador do Japão retomou o poder do país. Seu legado continua até nossos dias, influenciando não apenas a sociedade japonesa, mas também o ocidente.

WIKIPEDIA

m

 .


HOJE NO


"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

No Name Boys 
Um arguido absolvido e seis 
com penas de prisão suspensas 

O Tribunal Criminal de Lisboa decidiu hoje, na repetição parcial do julgamento de sete elementos da claque do Benfica No Name Boys, substituir as penas de prisão efetiva aplicadas em 2010 pela suspensão da execução das sanções. No acórdão lido hoje pelo juiz Renato Barroso, presidente do coletivo da 5.ª Vara, foi suspensa por igual período a execução das penas que tinham sido atribuídas a Hugo Caturna (condenado a oito anos e seis meses de prisão efetiva), José Pité Ferreira (sete anos), Pedro Taranta (quatro anos e meio), Bruno Cardoso (dois anos e três meses) e Nuno Fernandes (quatro anos e meio).

 A António Claro, o único em prisão efetiva dos sete arguidos julgados na repetição parcial do julgamento devido a incidentes no Seixal, em Lisboa e em Alcochete, em 2008, foi aplicada a pena de seis meses de prisão pela autoria de um crime de ofensas à integridade física. 
 O tribunal comprovou que o elemento da claque do Benfica atingiu um indivíduo na cabeça com uma garrafa de cerveja, num posto de combustíveis em Alcochete, horas depois do Benfica-FC Porto (1-1), da segunda jornada da Liga de futebol da época de 2008/09. Claro confessou em tribunal o ato e, como salientou o juiz Renato Barroso, "a pena de seis meses acima da pena parcelar mais grave, de três anos e meio, foi suspensa", tendo o tribunal alterado a qualificação do crime para a forma simples em vez de qualificada. 

 Na leitura do acórdão de 28 de maio de 2010, em que oito dos 37 arguidos foram absolvidos e foram determinadas 13 penas de prisão efetivas e 16 suspensas, António Claro foi condenado a 12 anos em cúmulo jurídico, a condenação mais pesada. O Tribunal da Relação de Lisboa deu provimento ao recurso da defesa de Claro e reduziu a pena para oito anos e dois meses de prisão, além de ter decidido a repetição parcial do julgamento, dando provimento aos recursos das defesas, que consideraram que houve desproporcionalidade nas penas, aplicadas sem fundamentação de prova. 

O advogado de Claro, Carlos Mouro Pereira, garantiu que vai recorrer para a Relação de Lisboa do veredito de hoje e sublinhou a necessidade de fixação de um novo cúmulo jurídico, para que, depois, possa pedir a liberdade condicional, uma vez que o elemento dos No Name Boys tem quase metade da pena cumprida. "Em metade da pena, [António Claro] foi absolvido e em metade foi condenado.

 O grande problema é que, agora, há uma pena suspensa na condenação de oito anos e dois meses", disse o causídico, satisfeito por ter ficado "provado em tribunal a tese de que não havia fundamentação" na acusação. Fábio Santos, que tinha sido sancionado com dois anos e oito meses de pena suspensa em 2010, foi o único arguido absolvido na repetição parcial do julgamento, em que se procedeu à repetição do julgamento de três processos conexos, ocorridos no centro de estágio do Benfica, no Seixal, em Alcochete, e no McDonalds da Segunda Circular, em Lisboa. 

 Os 37 arguidos foram julgados de março a maio de 2010, acusados da prática dos crimes de associação criminosa (não provada pelo tribunal), tráfico de droga, posse de armas brancas e de guerra, ofensas à integridade física, incêndio, roubo e outros ilícitos. 

* Não foram presos mas não deixaram de ser energúmenos, foi-lhes estendida a passadeira vermelha para o cometimento de novas e bárbaras façanhas já na próxima época. A polícia deve sentir uma grande vergonha por tanto menosprezo pelo seu trabalho.


 .
-

NANOTECNOLOGIA/1
PALESTRA




Palestra com prof. Cristiano Fantini, do Departamento de Física da UFMG, sobre conceitos básicos da nanociências e sobre os rumos que a academia e o mercado devem seguir nesta área.
Atente-se à linguagem simples com que se expressa o prof. Fantini.
Palestra gravada no Centro Universitário Franciscano (Unifra), em Santa Maria - RS - Brasil 

 ..



HOJE NO


"RECORD"

Kitesurf: 
Inês Correia inicia defesa 
do título mundial no Guincho 

A portuguesa Inês Correia inicia a defesa do título mundial de Kitesurf no Guincho (1 a 10 de junho), na primeira etapa do Circuito Mundial da KSP (Kite Surf Pro), que também fará a sua estreia na Europa. Na competição masculina, o título mundial também pertence a um "rider" que fala português, o cabo-verdiano Ayrton Cozzolino, que também vai competir pela primeira vez em Portugal. 

O Guincho acolhe a primeira etapa do Circuito KSP, que integra ainda provas em Le Morne, Maurícias (7 a 16 setembro), West Coast, Irlanda (19 a 28 outubro) e Maui, Hawaii (29 de novembro a 8 de dezembro). Na praia do Guincho, considerada uma das três melhores reservas de surf do mundo, segundo uma nota da organização, estarão "riders" de 18 países a competir pelos 15 mil euros de prémios. Kristin Boese, presidente da KSP, não esconde o entusiasmo pela etapa do Guincho: "É um momento entusiástico para nós termos o Circuito de 2012 a começar no Guincho, que terá a primeira prova de sempre do KSP na Europa". "As condições são fantásticas. O vento, as ondas, a praia são muito bons e todos terão oportunidade de ver do melhor kite do mundo aqui em Portugal", acrescentou a presidente do KSP durante a apresentação do evento, no Guincho. 

 Inês Correia, a portuguesa campeã mundial, de 19 anos, sublinhou que o Guincho "tem tudo para um grande campeonato, grandes ondas e bom vento", formulando votos para que estas condições marquem a realização da prova. 


 * Que revalide o título

.

ALEXANDRA MACHADO


  


O elo mais fraco 

Estamos no início do concurso. Adelino Cunha foi o elo mais fraco. Houve razões para ele sair do programa. Mas alguém mais tem de sair. Só pode haver um vencedor. O mesmo é dizer que, nesta história, só um lado pode ter razão. Miguel Relvas tem de tirar as devidas consequências.

 Quando Passos Coelho formou Governo, a escolha de Miguel Relvas teve logo muitas leituras. Este jornal, no especial Poderosos que vem editando, da autoria de Pedro S. Guerreiro e Fernando Sobral, colocou, em 2011, Miguel Relvas atrás de Passos Coelho, dizendo que seria o Armando Vara deste Governo. Considerei, na altura, que seria talvez para se dar o benefício da dúvida não se colocava Relvas acima de Passos. Miguel Relvas chegava ao Governo com os seguintes pelouros: Administração Local, Desporto e Comunicação Social, incluindo privatização da RTP. Demasiados poderes. Mesmo para um homem do aparelho e de muitas relações. Achou-se, talvez, indestrutível. 

O ministro terá tido, neste caso com o Público, dois pecados que, confirmando-se, deviam ser capitais. Ameaçou cortar a comunicação de todo o Governo com o jornal. E fê-lo porque sabe que o conseguiria. Fê-lo porque sabe que outros antes dele o fizeram. Fê-lo porque sabe que muito passa pelo Governo. 

O outro pecado? O de divulgar dados pessoais da jornalista Maria José Oliveira. Nuno Simas, no jornal Público, quando escrevia sobre as secretas, teve as suas chamadas telefónicas escrutinadas. Maria José Oliveira, que hoje escreve sobre secretas, veria divulgado o nome da pessoa com quem vive, por alegadamente ser da oposição. Miguel Relvas, habituado a lidar com jornalistas, terá achado que o telefonema que fez não passava dali. A história não era publicada, mas o seu telefonema também não era divulgado. Enganou-se. Ainda bem. Porque há pressões. Mas o que Miguel Relvas terá feito é mais do que isso. É tentativa de subjugação. Não pode fazê-lo. E Passos Coelho não pode ficar calado. Não pode ficar parado. 

Já agora para não se pensar que se trata de corporativismo, o caso só se ficou a saber porque foi a conselho de redacção. Devia ter sido denunciado pela própria direcção. 

Podemos esperar pela opinião da ERC. Podemos ver isto como um caso político-partidário. Até podemos ver o caso como um confronto entre duas partes. Eu vejo uma tentativa ilegítima de limitar a liberdade de imprensa. Passos Coelho pode optar por uma destas versões. É a vez dele jogar e escolher o elo mais fraco. 


*Jornalista 


 IN "JORNAL DE NEGÓCIOS" 
28/05/12 

,


 

HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Municípios decidem até 23 de agosto freguesias que vão agregar 

 As assembleias municipais têm até 23 de agosto para comunicarem à Assembleia da República quais as freguesias que pretendem agregar nos respetivos municípios, de acordo com o regime jurídico da reorganização administrativa publicado, esta quarta-feira, no "Diário da República".

 O diploma vai reduzir mais de mil freguesias, sobretudo em áreas urbanas, e abre a hipótese de agregação de municípios com o objetivo de promover "a coesão territorial e o desenvolvimento local" com ganhos de escala e de eficiência e alargar "as atribuições e competências das freguesias e dos correspondentes recursos". 

As assembleias municipais têm 90 dias a partir da entrada em vigor da lei, na quinta-feira, para remeterem à Assembleia da República as pronúncias sobre quais as freguesias que querem agregar nos seus territórios. A lei estabelece que os municípios com uma densidade populacional superior a mil habitantes por quilómetro quadrado (km2) e com uma população igual ou superior a 40 mil habitantes (municípios de nível 1) terão de reduzir no mínimo 55% do número de freguesias urbanas ou em lugares urbanos sucessivamente contíguos e 35% do número das outras freguesias. 

 Os municípios (de nível 2) com mais de mil habitantes por km2 e com menos de 40 mil habitantes ou com uma densidade populacional entre 100 e mil habitantes por km2 e com 25 mil habitantes deverão reduzir metade das freguesias urbanas ou contíguas e 30% das outras freguesias. Os municípios de nível 3, com 100 a 1.000 habitantes por km2 e com menos de 25 mil habitantes e os que têm menos de 100 habitantes por km2, vão ter de reduzir metade das respetivas freguesias urbanas ou contíguas e 25% das outras freguesias. 

Como exceções, o diploma estabelece que não poderão existir freguesias com menos de 150 habitantes e que a reorganização não é obrigatória em municípios com quatro ou menos freguesias. As assembleias municipais, "em casos devidamente fundamentados", podem decidir reduzir menos 20% de freguesias em relação a estas percentagens. 

 As freguesias criadas por agregação por decisão das respetivas assembleias recebem mais 15% da verba a que têm direito através do Fundo de Financiamento das Freguesias (FFF) até ao final do mandato seguinte à agregação e integram o património, os recursos humanos, os direitos e as obrigações das freguesias agregadas. 

Os municípios que queiram iniciar um processo de fusão devem apresentar à Assembleia da República uma proposta e terão tratamento preferencial no acesso a linhas de crédito do Estado, assim como um aumento de 15% de participação no Fundo de Garantia Municipal até ao final do mandato seguinte à fusão. Mesmo que não se queiram fundir, os municípios podem ainda propor, mediante acordo, a alteração dos respetivos limites territoriais, "incluindo a transferência entre si da totalidade ou de parte do território de uma ou mais freguesias". 

O acompanhamento da reforma e a avaliação da conformidade com a lei das pronúncias das assembleias municipais é da responsabilidade de uma Unidade Técnica, que funciona junto da Assembleia da República. Cabe a esta unidade apresentar projetos de reorganização administrativa para os municípios que não se pronunciarem ou que o fizerem em desacordo com a lei, com base nos critérios gerais. 


 * Verdadeiramente importante é reduzir o caciquismo local, a nível de aldeia, para depois se combater o municipal um osso bem mais duro de roer. 


 .
-

 
II-HISTÓRIA DA CIÊNCIA

  4 - DO QUE O MUNDO É FEITO?




UMA MAGNÍFICA E IMPERDÍVEL SÉRIE DA BBC

.
 .

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Negócios no comércio a retalho 
duplicam queda em Abril 

Dados revelam agravamento da contracção da actividade no comércio a retalho. 

 O índice de volume de negócios no comércio a retalho caiu 9% em Abril, por comparação com o mesmo mês do ano passado, duplicando a queda homóloga de 4,5% registada em Março. A amplitude da contracção homóloga foi maior nos produtos não-alimentares (-10,3%) do que nos alimentares (-7,8%), embora, face ao mês anterior, o agravamento tenha sido semelhante (4,5 e 4,6 pontos percentuais, respectivamente). 

 O comércio a retalho tem sido dos sectores mais castigados pela fortíssima retracção no consumo privado, com reflexos negativos não apenas no volume de negócios, mas também no emprego e nas remunerações asseguradas pelo sector. 

Revela o INE que também os índices de emprego, do número de horas trabalhadas e das remunerações, apresentaram taxas de variação homóloga negativas, de -7,3%, de -6,0% e de -3,7%, respectivamente. 
QUANDO O GALO CANTAR 
A ECONOMIA MELHORARÁ

Medidas pelos indicadores qualitativos, também hoje divulgados pelo INE, as perspectivas para o sector estarão a estabilizar-se, tendo o indicador de confiança no comércio a retalho passado de -23,1 em Abril para -20,1 em Maio. 


 * Esperemos que não seja uma surpresa para o governo como foram os números do desemprego.

.
.


AS 100 MELHORES 


CANÇÕES DOS ANOS 80

(PARA A NME)
 .
Nº 74

  RIP IT UP


  ORANGE JUICE




.
 .

HOJE NO
"DESTAK"

PJ no Infarmed após queixa de favorecimento de fármaco da BIAL 

  A Polícia Judiciária esteve hoje nas instalações do Infarmed em Lisboa, após uma queixa contra esta entidade por alegadamente favorecer a aprovação de um medicamento da BIAL, revelou o presidente da instituição. 

Jorge Torgal, que falava aos jornalistas à saída da Comissão Parlamentar de Saúde, onde foi ouvido sobre a falta de medicamentos nas farmácias, revelou que quando saiu das instações do Infarmed para ir para o Parlamento "a Polícia Judiciária (PJ) e o Ministério Público (MP) ainda lá estavam", sem precisar se se tratou de buscas ou de outra diligência de investigação. 

Jorge Torgal justificou a situação com o facto de ter sido feita uma queixa contra o Infarmed por alegadamente esta entidade reguladora ter tido uma "tolerância especial" para que o medicamento Zebenix (para a epilepsia) da BIAL fosse aprovado e colocado no mercado. 


* Haja ou não haja culpa do Infarmed, percebe-se que a saúde é acima de tudo um negócio, quem se queixou fê-lo porque perdeu oportunidade de vender ou impingir.

.
.


AUTO-COLANTE PARA SENIORES





COMA BEM e EXERCICE-SE...

MORRE-SE DE QUALQUER MODO!


m
.



HOJE NO



"i"



Mulheres em cargos de chefia aumentam produtividade das empresas 

 Igualdade de género "pode promover uma tensão criativa” 

 A integração das mulheres no mundo empresarial pode levar ao aumento da produtividade e criatividade das empresas. A conclusão é retirada de um debate organizado pela Câmara do Comércio América em Portugal (AmCham Portugal), em conjunto com a European Professional Women’s Network (EPWN). “Uma melhor diversificação de mulheres e homens nas funções desempenhadas e um maior equilíbrio na tomada de decisão pode originar vantagens competitivas, melhorar a produtividade e a criatividade dos colaboradores, atraindo mais clientes”, explica Graça Didier, secretária-geral da AmCham Portugal. 

 Para a responsável, o facto de as empresas exercerem a sua actividade num mundo multicultural, heterogéneo e imprevisível leva a que seja imprescindível o recurso à criatividade e à perspicácia. Graça Didier defende ainda que “a igualdade do género correctamente gerida pode promover uma tensão criativa e uma cultura aberta”, acrescentando que “será mais fácil de alcançar os desafios se os conhecimentos dos trabalhadores forem diversificados”. 

Por essa razão, a responsável considera que os países e as empresas necessitam de novas políticas de inclusão de modo a integrar as mulheres, tratando todas as pessoas da mesma maneira. “As empresas reconhecem que a falta de compreensão da diversidade é um risco com custos demasiado elevados e que a valorização das diferenças equivale a reconhecer que homens e mulheres têm diferentes papéis sociais e trabalham em diferentes áreas e posições sociais. Por isso mesmo, possuem diferentes experiências, valores e perspectivas que podem beneficiar a empresa”, concluiu Graça Didier. 

 * Por trás de uma mulher com valor há sempre um homem disponível...


.

 Concurso mundial de vinhos
. declara alentejano 
Poliphonia o melhor tinto 


Poliphonia Signature 2008. É este o melhor vinho tinto segundo os jurados do Concurso Mundial de Bruxelas, uma das maiores competições de vinhos do mundo. Na segunda, a organização anunciou os premiados e confirmou a vitória deste vinho alentejano, assinado pela Granadeiro. Portugal soma dez Grandes Medalhas de Ouro (todas para Alentejo e Tejo), perto de uma centena de medalhas de ouro e mais de centena e meia de prata.  
HENRIQUE GRANADEIRO

O Poliphonia Signature 2008 foi considerado o Melhor Tinto 2012 pelos jurados do Concurso Mundial de Bruxelas. A competição, uma das maiores do mundo, reuniu, entre 4 e 6 de Maio em Guimarães, um painel de provas internacional com membros de 48 países. No total, estiveram em análise 8397 vinhos e espirituosos de produtores de 52 países.

Portugal foi o quarto país que mais vinhos enviou: 925 amostras, das quais 552 eram vinhos tintos. A grande maioria era proveniente da região do Douro e Vinho do Porto (241), que, para surpresa de muitos, ficou de fora das Grandes Medalhas - o Alentejo enviou 194.

O vinho tinto alentejano elevado a melhor a concurso, o Poliphonia Signature 2008, é originário de vinhas de Reguengos de Monsaraz e São Mansos (ambas as localizações no distrito de Évora), sendo da autoria da Granadeiro Vinhos, de Henrique Granadeiro, que tem como enólogo Pedro Baptista. 


É um vinho engarrafado há cerca de dois anos, um dos topos-de-gama da chancela, e que possui “bastante estrutura e bastante concentração", disse o enólogo à Lusa. "Evolui muito bem em garrafa", sublinhou.

A série a que pertence este tinto, vinhos Poliphonia, homenageia "um dos mais ilustres proprietários do Monte dos Perdigões" (onde está instalada a adega da marca), o compositor Luís de Freitas Branco, que por ali viveu por volta de 1920 e onde compôs diversas obras. Os Poliphonia, refere a Granadeiro Vinhos, "representam, em toda a linha, a visão do autor recorrendo às vinhas mais velhas" das propriedades. 

Poliphonia Signature 2008
Preço: €185.31
(Pack 6 Garrafas)

O vinho, a partir das castas Alicante Bouschet e Syrah, tem maturação em carvalho francês ("18 meses em barricas novas de carvalho francês seguido de um ano em garrafa") e é resumido como possuidor de "aroma de grande complexidade e boa intensidade dominado por notas de fruta em compota, réglisse, pimenta preta e cera de móveis, "na boca apresenta muito boa estrutura, com taninos maduros e sedosos". Um "vinho de grande elegância", com final "longo e equilibrado", lê-se na informação sobre o Poliphonia.

O enólogo Pedro Baptista, que se especializou em enologia em França (na École Supérieure d´Oenologie em Montpellier), está na empresa desde 2002 , tendo iniciado os seus trabalhos na Fundação Eugénio de Almeida na vindima de 1994. Conta com a enóloga Margarida Barrancos Vieira como colaboradora e é, actualmente, o responsável pelos vinhos de ambas as empresas, além de enólogo da Adega da Cartuxa.
PEDRO BATISTA "O MÁGICO"

A ligação de Pedro Baptista a Granadeiro já data dos tempo da Fundação, visto que Henrique Granadeiro, desde 2001 na liderança do projecto Granadeiro Vinhos, esteve antes à frente da Eugénio de Almeida no lançamento de vinhos muito celebrados, casos dos Cartuxa ou Pêra-Manca.





Vencedores do 19º Concurso Mundial de Bruxelas
Melhor Tinto: Poliphonia Signature 2008 (Vinho Regional / Alentejo - Portugal) 
Melhor Rosé: Theopetra Estate Rosé 2011 (Meteora - Grécia)
Melhor Branco: Hacienda Zorita Verdejo 2011 (Rueda - Espanha)
Melhor Espumoso: Joly-Champagne Cuvée Spéciale (Champagne - França) 
Melhor Espirituoso: La Botija Pisco Italia 2011 (Chincha - Peru) 
Melhor Vinho Doce: Samos Nectar White 2008 (Samos - Grécia) 

Dez Grandes Medalhas de Ouro lusas

Além da vitória do Poliphonia, Portugal somou 297 distinções, incluindo dez Grandes Medalhas de Ouro (repartidas apenas entre as regiões Alentejo e Tejo), perto de uma centena de medalhas de ouro e mais de centena e meia de prata. Os vencedores da distinção máxima (Grande Medalha de Ouro) neste nível são:

Cardal 2010 (Tejo, Vinho Regional, Quinta da Alorna)
Encostas de Estremoz Reserva 2009 (Alentejo, Encostas de Estremoz)
Herdade das Servas Touriga Nacional 2008 (Alentejo, Serrano Mira)
Monsaraz Premium 2008 (Alentejo, Carmim)
Monte das Servas Colheita Seleccionada Tinto 2009 (Alentejo, Serrano Mira)
Palpite 2008 (Alentejo, Vinho Regional, Fita Preta Vinhos)
Poliphonia Signature 2008 (Alentejo, Vinho Regional, Granacer)
Portal da Águia 2010
(Tejo, Vinho Regional, Quinta da Alorna)
Quinta da Lagoalva Castelão & Touriga 2010 (Tejo, Vinho Regional, Sociedade Agricola Qta Lagoalva de Cima)
Quinta S. Joao Batista 2010 (Tejo, Tomar, Enoport - United Wines)



IN "FUGAS/PÚBLICO"
14/05/12 


NR: O vinho premiado  é um topo de gama, a Casa Granadeiro produz um excelente vinho de mesa tinto o "VALE DO RICO HOMEM" que está à venda em pacotes de 3 litros por menos de 9 €. Este blogue não faz publicidade a nenhum produto mas não tem pruridos em  fazer propaganda do que se faz muito bem em Portugal.

.

.
.
 .
HOJE NO
"A BOLA"

Tocha olímpica em mãos portuguesas 

A presidente do Banco Alimentar, Isabel Jonet, e a atleta Filipa Ferreira transportaram esta quarta-feira a Tocha Olímpica, durante a viagem que o artefacto está a realizar pelo Reino Unido até ao início dos Jogos de Londres. Isabel Jonet, de 52 anos, correu na área de Chester, perto de Liverpool, enquanto Filipa Ferreira, de 17 anos, pegou na tocha em Acrefair, perto de Wrexham, no País de Gales. 

Ambas foram indicadas pela Samsung, patrocinador dos Jogos Olímpicos deste verão em Londres, a primeira enquanto ativista contra a pobreza e a segunda na sequência de uma votação levada a cabo através da rede social Facebook. 

 Está previsto que um outro português, Jorge Gonçalves, de 61 anos, transporte também a Tocha, já na reta final da viagem, a 23 de julho, em Bromley, no sul de Londres. 

 No total espera-se que o artefacto passe pelas mãos de oito mil pessoas ao longo da viagem, que tem a duração total de 70 dias. 

 * Por mérito próprio

.

 .
HOJE NO


"PÚBLICO"

Grupo de personalidades defende “limpeza” nos serviços secretos 

LIMPEZA À MANEIRA
Um coro de críticas à actuação dos Serviços de Informações defende uma limpeza profunda e uma resposta política à perda de credibilidade das secretas. Pedro Passos Coelho elegeu as secretas para tema do debate quinzenal no Parlamento, que decorre esta quarta-feira à tarde. 

 As críticas começaram no fim-de-semana com o social-democrata António Capucho, seguido de Francisco Pinto Balsemão, e esta quarta-feira foi a vez de Pacheco Pereira, Bacelar Gouveia e Garcia Leandro. O Governo fez nesta terça-feira saber que escolheu as secretas para tema do debate quinzenal. 
PESSOAL QUALIFICADO

O social-democrata José Pacheco Pereira disse, em entrevista à rádio Renascença, estranhar a falta de consequências no caso das secretas e acrescentou que os Serviços de Informações perderam toda a credibilidade interna e externa. "Eu também sou a favor de que isto precisa de levar uma volta completa, eventualmente até uma refundação dos serviços, que têm gente capaz, nem toda a gente tem este tipo de comportamento", afirmou. O ex-dirigente social-democrata defendeu que é "necessário encontrar alguém exterior aos serviços, sem estar comprometido com amiguismos, violação de segredos de Estado, mas que conheça a matéria para cumprir esse papel".
PORTA SECRETA PARA ESPIÕES

 Depois de ontem Francisco Pinto Balsemão ter igualmente defendido uma “imediata limpeza” nos Serviços de Informações, esta quarta-feira também Bacelar Gouveia frisou o sentimento de desconfiança que mina os serviços. "Há uma dimensão política que julgo que se está a descurar e todos os dias gera, realmente, um sentimento de desconfiança e até de medo em relação àquilo que os Serviços de Informações fazem", afirmou o antigo presidente do Conselho de Fiscalização dos Serviços de Informações e constitucionalista. Bacelar Gouveia defendeu uma "intervenção rápida" para que se restabeleça, "na medida do possível, os níveis de confiança por parte dos cidadãos em relação à actividade dos Serviços de Informações". 
AGENTES DISFARÇADOS

Já o general Garcia Leandro, antigo director do Observatório de Segurança, reiterou, em declarações à TSF, a tese que defende uma "limpeza do pessoal" nos serviços e a aposta em personalidades com "elevado nível ético". “O que deve ser feito é, exactamente, uma reformulação do sistema e, uma coisa que é muito importante: é que, ao lado da competência profissional, as pessoas sejam escolhidas pelo seu elevado nível de comportamento ético. Isso é uma coisa absolutamente indispensável, porque ou se vai atacar esta situação de fragilidade rapidamente ou este processo vai continuar a queimar bastante gente, e não é em lume brando, é em lume forte”, disse o general. 

Ontem, Jorge Silva Carvalho, antigo director do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED) pediu a sua desvinculação do segredo de Estado, pelo que só prestará esclarecimentos em julgamento quando o pedido for aceite. 


* Este assunto começa a cheirar mal, mas se fosse só o cheiro.... 

.