domingo, 25 de março de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA



O CÃO DO POLÍTICO

Reunidos num churrasco de jardim, encontram-se um engenheiro, um contabilista, um químico, um informático e um político, todos com os seus cães. E, todos eles, desejosos de mostrarem as habilidades dos seus animais.

1 - O engenheiro disse para o seu cão: Scalimetre, mostra as tuas habilidades!
O cão agarrou num martelo, umas tábuas e construiu um canil.
Todos os presentes concordaram que era inacreditável.

2 - O contabilista disse que o seu cão podia fazer ainda melhor: Flux , mostra as tuas habilidades!
O cão entrou em casa, foi à cozinha, voltou com 24 biscoitos, divididos em 8 pilhas de 3 bolachas cada.
Todos concordaram que era muita habilidade...

3 - O químico disse que o seu cão iria fazer melhor: Óxide, mostre-nos o que sabe fazer!
O Óxide entrou em casa, foi ao frgorífico, tirou leite, uma banana descascada, usou a batedeira e fez um batido.
Todos concordaram que era impressionante.

Contudo, o informático sabia que podia vencê-los a todos e disse: Megabyte, faz!
O Megabyte foi direito ao carro, pegou no notebook, ligou-o, verificou se ele tinha algum vírus, melhorou o sistema operativo, mandou um e-mail e instalou um jogo.
Todos concordaram que isto era muito difícil de ser superado.

Olharam com desconfiança para o político e disseram-lhe: - E o seu cachorro, o que é que sabe fazer...?

5 - O político chamou o seu cão e disse: Deputado, mostra para todos as tuas habilidades!
O Deputado levantou-se de repente, comeu as bolachas, bebeu o batido, cagou no tapete, destruiu os arquivos do notebook, virou-se de costas para os outros quatro cães, ocupou o canil com um título falso e alegou imunidade parlamentar ....



.
.

À ATENÇÃO DO 

SR. MINISTRO





.
.


 As novas acessoras 

de J.J.








.

...Que nunca doa a mente, nem as mãos, a quem escreveu esta carta aberta.


Exmo Senhor Presidente da República
Lisboa

Vou usar um meio hoje praticamente em desuso mas que, quanto a mim, é a forma mais correcta de o questionar, porque a avaliar pelas conversas que vou ouvindo por aqui e por ali, muitos portugueses gostariam de ver esclarecidas as dúvidas que vou colocar a V/Exa e é por tal razão que uso a forma "carta aberta", carta que espero alguns dos jornais a que a vou enviar com pedido de publicação dê à estampa, desejando que a resposta de V/Exa fosse também pública.
Tenho 74 nos, sou reformado, daqueles que descontou durante 41 anos, embora tenha trabalhado durante 48, para poder ter uma reforma e que, porque as pernas já me não permitem longas caminhadas e o dinheiro para os transportes e os espectáculos a que gostaria de assistir não abunda, passo uma parte do meu dia a ler, sei quantos cantos há nos Lusíadas, conheço Camilo, Eça, Ferreira de Castro, Aquilino, Florbela, Natália, Sofia e mais uns quantos de que penso V/Exa já terá ouvido falar e a "navegar na net".

São precisamente as "modernices" com que tenho bastante dificuldade em lidar que motivam esta minha tomada de posição porquanto é aí que circulam a respeito de V/Exa afirmações que desprestigiam a figura máxima do País Portugal, que, em minha opinião, não pode estar sujeita a tais insinuações que espero V/Exa desminta categoricamente.

Passemos à frente das insinuações de que V/Exa foi 1º Ministro de Portugal durante mais de dez anos, época em que V/Exa vendeu as nossa pescas, a nossa agricultura, a nossa indústria a troco dos milhões da CEE, milhões que, ao contrário do que seria desejável, não serviram para qualquer modernização ou reforma do nosso País mas sim para encher os bolsos de alguns, curiosamente seus correligionários, senão mesmo, seus amigos. Acredito que esse tempo que vivemos sob o comando de V/Exa e que tanto mal nos fez foi apenas fruto de incompetência o que, sendo lamentável, não é crime, os crimes foram praticados por aqueles que se encheram à custa do regabofe, perdoe-me o popularismo, que se viveu nessa época e que, curiosamente, ou talvez não, continuam sem prestar contas à justiça.

Entremos então no que mais me choca, porque nesses outros comentários, a maioria dos quais anónimos mas alguns assinados, é a honestidade de V/Exa que é posta em causa e eu não quero que o Presidente da República do meu país seja o indivíduo que alguns propalam pois que entendo que o cargo só pode ser ocupado por alguém em quem os portugueses se revejam como símbolo de coerência e honestidade, é assim que penso que nesta carta presto um favor a V/Exa, pois que respondendo às questões que vou colocar, findarão de vez as maledicências que, quero acreditar, são os escritos que por aí circulam.

1ª Questão:
Circula por aí um "escrito" que afirma que V/Exa, professor da
Universidade Nova de Lisboa, após ser ministro das finanças, foi
convidado para professor da Universidade Católica, cargo que aceitou sem se ter desvinculado da Nova o que motivou que lhe fosse movido um processo disciplinar por faltar injustificadamente às aulas da Nova, processo esse conducente ao despedimento com justa causa, que se teria perdido no gabinete do então ministro da educação, a quem competiria o despacho final, João de Deus Pinheiro, seu amigo e beneficiado depois de V/Exa ascender a 1º Ministro com o lugar de comissário europeu, lugar que desempenhou tão eficazmente que o levou a ficar conhecido como "comissário do golfe".
Pergunta directa:
Foi ou não movido a V/Exa um processo disciplinar enquanto professor da Universidade Nova de Lisboa?
Se a resposta for afirmativa, qual o resultado desse processo?
Se a resposta for negativa é evidente que todas as informações que
andam por aí a circular carecem de fundamento.

2ª Questão:
Circulam por aí vários escritos sobre a regularidade da transacção de acções do BPN que V/Exa adquiriu. Sendo certo que as referidas acções não estavam cotadas em bolsa e portanto só poderiam ser transaccionadas por contactos directos, vulgo boca a boca, faço sobre a matéria várias perguntas:
1ª - Quem aconselhou a V/Exa tal investimento?
2ª- A quem adquiriu V/Exa as referidas acções?
3ª- Em que data, de que forma e a quem vendeu V/Exa as acções?
4ª- Sendo V/Exa um renomado economista, não estranhou um lucro de 140% numa aplicação de tão curto prazo?

3ª Questão
Tendo em atenção o que por aí circula sobre a Casa da Coelha limito-me a fazer perguntas:
1ª- É ou não, verdade, que o negócio entre a casa de Albufeira e a
casa a Coelha foi feito como permuta de imóveis do mesmo valor para evitar pagamento de impostos?
2ª- Se já foi saldada ao estado a diferença de impostos com que atraso em relação à escritura se processou a referida regularização?
3ª- É ou não verdade que as alterações nas obras feitas na casa da
Coelha, nomeadamente a alteração das áreas de construção foram feitas sem conhecimento da autarquia?
4ª- A ser positiva a resposta à pergunta anterior, se já foi sanado o
problema resultante de obras feitas à revelia da autarquia, em que
data foi feita tal regularização e se foi feita antes ou depois das
obras estarem concluídas?
5ª- Última pergunta, esta de mera curiosidade, será que V/Exa já se lembra do cartório em que foi feita a escritura?

4ª Questão 
 É uma questão que eu próprio lhe coloco: Ouvi V/Exa na TV dizer que tinha uma reforma de 1300 €, que quase lhe não chegava para as despesas, passando fugazmente pela reforma do Banco de Portugal. Assim, pergunto:
1ª- Quantas reformas tem V/Exa?
2ª- De que entidades e a que anos de serviços são devidas essas reformas?
3ª- Em quantas não recebe 13º e 14º mês?
4ª- Abdicou V/Exa do ordenado de PR por iniciativa própria ou por imposição legal?
5ª Recebe ou não V/Exa alguns milhares de euros como "despesas de representação"?

Fico a aguardar a resposta de V/Exa com o desejo de que a mesma seja de tal forma conclusiva e que, se V/Exa o achar conveniente, venha acompanhada de cópias de documentos, que provem a todos os portugueses que o que por aí circula na Net, não passam de calúnias e intrigas movidas contra a impoluta figura de Sua Exa o Senhor Presidente da República de Portugal.
A terminar e depois de recordar mais uma das suas afirmações na TV, lembro uma frase do meu avô, há muito falecido, alentejano, analfabeto e vertical: " NÃO HÁ HOMENS MUITO, OU POUCO SÉRIOS, HÁ HOMENS SÉRIOS E OUTRAS COISAS QUE PARECEM HOMENS".
Por mim, com a idade que tenho, já não preciso nem quero nascer outra vez, basta-me morrer como tenho vivido. Sério.

Com os meus melhores cumprimentos.
José Nogueira Pardal

 
Publicada por Blogger em "A Insustentável Leveza do Ser"
 19/02/2012

Enviado por JOPÊ

NR: Independentemente de ser verdade  esta carta ter sido escrita por o sr. Pardal, o seu conteúdo é sério, não calunioso ou ofensivo.
Agradecemos a quem a enviou.

.
.

ESTA SEMANA NA
"Pc GUIA"


Dica do Dia: Como substituir no Gmail os botões com ícones por botões com texto
Para substituir os botões com ícones pelos botões com texto, entre na sua conta no Gmail e vá até Definições/Geral. Nesta lista procure a opção intitulada “Etiquetas de botões” e altere a configuração para “Texto”. Por fim faça clique em “Guardar alterações”.


* Quem sabe, sabe


.
.


ESTA SEMANA NA
"VIDA RURAL"

Espanha reduz caudal do Douro 
abaixo dos mínimos

A situação de seca que se vive em Espanha obrigou a aplicar no rio Douro o regime de exceção previsto no Convénio de Albufeira, que gere os rios ibéricos.

Segundo veicula a edição online da Sic Notícias, o diretor técnico da Confederação Hidrográfica do Douro, Pedro Matia, explicou que a situação “é pouco usual” e que a exceção se aplica perante a impossibilidade de manter os caudais que Espanha tem que garantir. “Se a situação melhorar no Douro os caudais mínimos serão restabelecidos”, sublinhou.

Entretanto, o presidente da Câmara de Torre de Moncorvo defendeu a necessidade de criar reservas estratégicas de água nos afluentes do Douro, de forma a colmatar situações de seca e repor os níveis do caudal do rio. “Enquanto Espanha tem mais de 20 barragens na bacia hidrográfica do Douro, em Portugal não há uma única para acorrer a situações de seca como a que estamos a atravessar”, justificou o autarca.


* Os governos nunca se preocuparam com constituir uma rede hidrográfica interna com albufeiras e lagos artificiais ligados por canais onde a águe seria drenada de uns sistemas para os outros por gravidade.
Os vizinhos espanhóis fecham a torneira e nós berramos...


.
.



NIETZCHE

.

5.HUMANO, DEMASIADO HUMANO







Carregado por  em 31/03/2010
A semente do pensamento disseminado por Nietzsche no século 19 prefigurava o piloto do século 20 sobre os conceitos do existencialismo e da psicanálise. Este programa conta com entrevistas de grandes estudiosos do pensamento do Nietzsche sendo eles: Ronald Hayman e Leslie Chamberlain (biógrafos de Nietzsche), Andrea Bollinger (arquivista), Reg Hollingdale (tradutor), Will Self (escritor) e Keith Ansell Pearson (filosofa) que sonda a vida e os escritos de Nietzsche. Além de mostrar também o papel da irmã de Nietzsche na edição de suas obras para o uso como propaganda nazista. Contando também com partes de prosas aforísticas extraídas de obras como a parábola de um louco e assim falou Zaratustra, com isto transmitir a essência e o estilo do pensador profético 
m
.

ONTEM NO
"i"

Crise financeira foi provocada pela “ganância de Wall Street”

A crise financeira foi em grande medida provocada pela “ganância” de Wall Street e os recentes protestos nos Estados Unidos não vão comprometer a reeleição de Barack Obama, considerou em entrevista à Lusa um histórico do Partido Democrata.

“As pessoas compreenderam que crise financeira foi provocada pela ganância sobretudo em Wall Street, entre os bancos e o que designamos por classe rica dominante nos Estados Unidos”, disse Spencer Oliver, ex-líder da juventude do Partido Democrata norte-americano na década de 1970, e que entre outras funções integrou a direção da Comissão de Helsínquia para os direitos humanos do Congresso dos Estados Unidos entre 1976 e 1985, e foi conselheiro principal do comité para os Assuntos Externos da Câmara dos Representantes do Congresso dos EUA até janeiro de 1993.

Atualmente, Spencer Oliver assume o cargo de secretário-geral da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, após três reconduções.

O movimento “Occupy Wall Street”, uma ação de indignação política que alastrou pelos EUA desde meados de 2011, foi a consequência dessa sensação de mal-estar social, num país em crise económica.

“Apesar de existir uma enorme taxa de desemprego, ou das ameaças ao sistema de segurança social devido à crise financeira, existem executivos em Wall Street que se reformaram, mas garantindo milhões de dólares em bónus. As pessoas ficam zangadas com isso, e o movimento ‘Occupy Wall Street’ tem origem nesta situação”, indica.

As críticas do movimento de protesto não terão sido no entanto dirigidas diretamente à administração da Casa Branca e ao Presidente Barack Obama, que desde sempre contou com o apoio incondicional de Spencer Oliver.

As críticas devem ser antes apontadas “ao sistema financeiro, aos resgates e aos estímulos” que canalizaram avultadas somas “para salvar a pele de muitos banqueiros que foram os primeiros responsáveis pela atual situação”. E que motivou “o desapontamento e da revolta que existe numa parte considerável da nossa população”, incluindo nos setores mais radicais da direita reunidos em torno do movimento “Tea Party”.

Na perspetiva do veterano líder dos democratas, e apesar do “obstrucionismo” dos republicanos, Obama “fez um excelente trabalho” neste primeiro mandato, e decerto que será reeleito nas presidenciais de novembro.

“Esta atitude dos republicanos desacreditou-os largamente junto da população norte-americana. O facto de os republicanos terem bloqueado e obstruído os seus três primeiros anos de mandato, e continuarem a atacá-lo, permitiu que a população entendesse que Obama tinha razão. E também porque a economia está a melhorar”, sintetiza.

Em paralelo, considera que a corrida à nomeação do candidato republicano não tem decorrido de forma positiva. “Estão a deslizar cada vez mais para a extrema-direita, o que ajuda imenso Obama”.

Nas presidenciais de novembro, a situação económica será outro aspeto decisivo, com os dados mais recentes sobre o recuo do desemprego a favoreceram o líder da Casa Branca. No entanto, Spencer Oliver mostra-se reservado sobre a situação económica.

“O desemprego é ainda muito elevado, cerca de oito por cento... Poderá continuar a descer mas julgo que Obama não poderá contar com esse fator”, argumenta.

“A economia ainda permanece com problemas, a crise financeira não terminou, ainda existe uma enorme dívida não apenas nos Estados Unidos mas pelo mundo, e uma situação na Europa que não foi resolvida. Se a situação na Europa piorar, decerto que terá um impacto negativo nos Estados Unidos”, adverte.

As medidas adotadas nos últimos três anos e num contexto adverso – “os republicanos controlam o Congresso, têm maioria na Câmara dos Representantes, uma minoria de bloqueio no Senado e nada passa pelo Congresso sem que os republicanos adotem uma posição, o que têm feito em 90 por cento das situações”, recorda – são outros argumentos fortes do candidato apoiado pelo Partido Democrata.

“O facto de 47 milhões de norte-americanos não terem acesso a um seguro de saúde tornou-se numa situação embaraçosa para os Estados Unidos. E Obama fez o melhor que pôde para tentar instituir um sistema onde todos tivessem algum tipo de segurança”, enfatiza.

Spencer Oliver, com uma vasta experiência nesta área, sabe que nada é certo em política. Mas sublinha que Obama é “um grande candidato”, elogia a equipa que o rodeia e que já dirigiu a primeira campanha presidencial, e que assegura estar preparada “para enfrentar a mais dispendiosa campanha da história dos EUA”.


* O Tio SAM regoziga-se no seu íntimo com o default europeu.


.


ENCONTROS DO 3º GRAU

James Dean e Elizabeth Taylor
Elizabeth tinha menos um ano do que James Dean mas, em 1955, era a grande estrela de Hollywood. A confiança com que se apresentou a 6 de Junho no set de filmagens, no Texas, assustou Dean. Estavam em Marfa, onde a temperatura atingia facilmente os 49 graus à sombra, a filmar O Gigante. O actor falhou logo a primeira cena: tinha de a convidar para tomar chá, mas os takes repetiam--se. Dean dirigiu-se ao público que assistia às gravações.

Baixou as calças e urinou à frente de todos. Quando regressou, ordenou simplesmente: “OK, podem filmar!”
Elizabeth Taylor ficou chocada. O amigo de Dean, Dennis Hoper, perguntou-lhe porque é que o tinha feito: “Se estou nervoso, não consigo trabalhar. Então pensei: ‘Se consigo mijar à frente de duas mil pessoas, posso estar à frente da câmara e fazer qualquer coisa.’


IN "SÁBADO"
25/03/12

.
.

HOJE NA
"SÁBADO"

Passos Coelho
 perde maioria absoluta no
 Conselho Nacional do PSD

A lista da direcção ao Conselho Nacional do PSD, encabeçada por Paulo Rangel, conseguiu 25 dos 70 lugares neste órgão, correspondentes a 36% dos votos, perdendo a maioria absoluta de que dispunha no chamado parlamento do partido.

No último Congresso, a lista da direcção, também liderada por Paulo Rangel, tinha conseguido 29 dos 55 lugares deste órgão, correspondentes a 52,7% dos votos.

Em 2010 concorreram 13 listas, enquanto no actual Congresso disputaram a eleição para o Conselho Nacional dez listas, tendo sido a segunda mais votada a lista J, com muitos elementos da JSD, que conseguiu 12 lugares.

Já a equipa proposta pelo presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, para a Comissão Política do partido foi eleita com 88% dos votos.

O presidente da Mesa do Congresso do PSD, Fernando Ruas, anunciou que participaram nesta votação 745 congressistas, dos quais 657 votaram favoravelmente a lista proposta por Passos Coelho, que tem Matos Rosa como secretário-geral e Jorge Moreira da Silva como primeiro vice-presidente.

Foram também eleitos vice-presidentes Nilza Sena, Manuel Rodrigues, Marco António Costa, Teresa Leal Coelho e Pedro Pinto, sendo estes dois últimos as novidades desta equipa de direcção, em substituição de Paula Teixeira da Cruz e Diogo Leite Campos, que deixaram a Comissão Política do PSD.

Foram ainda eleitos vogais da Comissão Política Desidério Silva, Fernando Armindo Costa, Fernando Jorge, Hermínio Loureiro, José António Jesus, Maria da Conceição Pereira, Maria Trindade, Paulo Júlio, Rodrigo Moita de Deus e Rogério Gomes.
Destes, só Rodrigo Moita de Deus, Fernando Armindo Costa e José António Jesus não pertenciam à anterior direcção do PSD.

Há dois anos, a Comissão Política proposta por Pedro Passos Coelho foi eleita pelo Congresso do PSD com 87,2% de votos favoráveis, 677 num total de 774 votantes.

O presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses e da Câmara Municipal de Viseu, Fernando Ruas, foi reeleito presidente da Mesa do Congresso do PSD, numa lista que obteve 662 votos a favor.

A lista da direcção para o Conselho Nacional, encabeçada por Calvão da Silva, obteve 297 de um total de 717 votos, o que corresponde a 41% dos votos e cinco mandatos neste órgão.


* Só mudam algumas laranjas, o estrume é o mesmo.

.
.




2.CHERNOBYL

O DESASTRE





Na madrugada do dia 26 de abril de 1986, um dos reatores da usina nuclear de Chernobyl explodiu. Um inferno de chamas coloridas alcançou quase 1000 metros de altura nos céus da Ucrânia. Este  documentário acompanha a luta contra o tempo que milhares de soviéticos jamais poderão esquecer. Durante os oito meses que se seguiram à explosão da central nuclear, 800 mil jovens soldados, mineiros, bombeiros e civis de todas as regiões da antiga União Soviética, trabalharam sem descanso na tentativa de diminuir os efeitos da radioatividade, e com isso tentar salvar o mundo de outra provável tragédia.Os efeitos dessa explosão haviam sido cem vezes superiores aos provocados pela bomba de Hiroshima e mais de 200 mil pessoas tiveram que ser evacuadas de seus locais de origem.O pior acidente nuclear da História, produziu uma chuva radioativa que pôde ser detectada desde a antiga União Soviética, passando pela Europa Oriental, Escandinávia, Inglaterra e atingindo até a costa leste dos Estados Unidos.


NR: O Homem não trata bem o planeta, pensou-se que depois de Chernobyl  houvesse mais cuidado com a Mãe Terra, mas exactamente há um ano Fukushima revelou que o Homem continuará a ser selváticamente predador até à sua extinção, porque a Terra sobreviverá!
m
.

HOJE NO
"RECORD"

NCAA: 
Carlos Almeida conquista ouro
Na prova das 200 jardas bruços

O nadador olímpico Carlos Almeida conquistou este domingo a medalha de ouro nos Campeonatos Universitários norte-americanos (NCAA) da 1.ª divisão, na prova das 200 jardas bruços.

O português, que competiu pela Universidade de Louisville (Kentucky), onde se encontra a tirar o curso de marketing, tornou-se o primeiro português a subir ao mais alto lugar do pódio na competição, ao nadar a distância em 1.51,88 minutos.

A medalha de prata foi alcançada por Trevor Hoyt, da Universidade da California (1.51,90), e a de bronze para Kevin Cordes, da Universidade do Arizona (1.51,97).

Sábado, Carlos Almeida conquistou a medalha de prata nos 100 jardas bruços, com a marca de 51,78 segundos, prova disputada em piscina curta (25 jardas, equivalente a 22 metros).

Os resultados dos nadadores obtidos em provas medidas em jardas e não em metros não são reconhecidos pela Federação Internacional de Natação (FINA).

Carlos Almeida já alcançou minino B para os 100 metros bruços dos Jogos Olímpicos de Londres2012.


* VALENTE

.
.

ENCONTROS DO 3º GRAU

Elvis Presley e Richard Nixon

Em 1970, em consequência, talvez, da quantidade de narcóticos que ingeria, Elvis Presley estava paranóico: queria acabar com o consumo de drogas entre os jovens. 

 Por isso requisitou uma audiência com Richard Nixon, que foi aceite no próprio dia. Os adjuntos do Presidente norte-americano convenceram-no de que receber Elvis aumentaria a sua popularidade entre os jovens.

O encontro, na Sala Oval, a 20 de Dezembro de 1970, foi, no mínimo, estranho. A indumentária de Elvis quase deixou Nixon sem palavras. “Você veste-se de forma estranha, não é?” foi o melhor que o Presidente conseguiu dizer. Elvis levou-lhe uma Colt.45 da Segunda Guerra Mundial e duas fotografias autografadas. Depois fez o pedido: que Nixon lhe desse o distintivo e o cargo de agente especial. Quando o Presidente concordou, abraçou-o. Nos anos seguintes fez uso dos seus novos poderes: ligava a sirene do carro e mandava parar condutores em excesso de velocidade ou ajudava em acidentes de viação. 


IN "SÁBADO"
23/03/12

.
.

ESTA SEMANA NA
"VISÃO"

Homens lisboetas estão 
entre os mais bonitos do mundo

A Travelers Digest elegeu Estocolmo como a cidade com os homens mais bonitos do mundo. Por ordem decrescente nomeou Nova Iorque, Amesterdão, Lisboa e Buenos Aires.

Quanto às razões para a eleição dos homens lisboetas, a revista aponta qualidades como "cosmopolitas e bem-educados" assim como "cavalheiros altos, carismáticos e atléticos que poderão causar surpresa com o seu firme conhecimento não só da própria cultura, como da de outras nações".

Segundo a mesma revista, os homens lisboetas - ou portugueses - gostariam certamente de assistir a um espetáculo de fado num bar do Bairro Alto ou um passeio nostálgico por Alfama o que será interessante do ponto de vista feminino.

Em qualquer um dos casos, seja lisboeta ou português, a publicação conclui que estes "sedutores latinos serão capazes de fazer os pés das amadas levantarem do chão".

Para a Travelers Digest os homens de Estocolmo estão em primeiro lugar pois embora sejam muitas vezes apontados como homens frios, distantes e solitários são homens fieis para a toda a vida.


* Para alguma coisa serve ao "alfacinha" ser engatatão...


.

SANDRA CARDOSO



Pais

Este artigo vem com uns dias de atraso; ou talvez não. Li muita coisa ternurenta sobre os pais deste Mundo esta semana. Mensagens de amor, de saudade, de gratidão aos progenitores no âmbito da comemoração do Dia do Pai.Umas verdadeiramente enternecedoras; outras claramente para marcar o ponto na agenda das redes sociais.

Mas a que fixei e a que mexeu mais comigo foi a de uma professora do ensino básico no seu blogue pessoal*, que defendia que “faz cada vez menos sentido comemorar o Dia do Pai nas escolas”. E dava uma explicação crua, mas bastante racional: “É que acaba por ser um dia triste para a maior parte das crianças”. E porquê?. “Uns porque não conhecem o pai, outros porque não o vêem há não sei quanto tempo; outros que não sabem quando vão estar com ele e ainda outros porque o pais arranjou nova família, novos filhos e já não têm tempo para os filhos do primeiro casamento”, explicou.

A sociedade mudou, é certo. O modelo de família que todos conhecíamos como normal é hoje uma raridade, todos sabemos. Há muitas famílias monoparentais, há famílias que se separaram e renascem outras, entretanto. Há guardas partilhadas, fins-de-semana divididos, processos de divórcios complicados, separações por mútuo acordo. Há amores que acabam e vidas que recomeçam.

Mas há uma coisa que nunca se interrompe. Um pai não se pode, ou não deveria poder, se demitir da única profissão que é para a vida. A maternidade e a paternidade não são coisas que façam pausa para férias, folgas ou por cansaço. Um filho nunca substitui o outro. E não deveria haver filhos de primeira (os de segundos casamentos) e de segunda (os de primeiros casamentos). Parece-me contra-natura esta ideia.

Na mesma semana, outra amiga professora deixava um alerta na sua página do Facebook: "A ver se nos etendemos: os pais educam, os professores ensinam".

O desabafo fez-me pensar que há cada vez mais pais (e mães) que acham que isto de ter filhos dá muito trabalho. Mas é de uma irresponsabilidade deixar para terceiros [que não substituem] uma função que é a mais gratificante de todas. As pessoas têm todo o direito de prosseguir, de mudar de vida; mas não têm o direito de tornar infeliz o Dia do Pai para uma criança.

Mas infelizmente também existem Pais (e mães) de primeira, segunda e outros sem categoria nenhuma.



IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA"
23/03/12

.

 
ESTA SEMANA NO
"VIDA ECONÓMICA"

Mulheres continuam arredadas 
dos lugares de direção das empresas

Ainda há um longo caminho a percorrer no que diz respeito à presença das mulheres nos lugares de topo das empresas, em Portugal. Os números são reveladores: num universo que ultrapassa as 429 mil empresas, apenas, 30,5% das funções de gestão e direção são ocupados por mulheres. Os homens preenchem os restantes 69,5%. Quem o diz é a Informa D&B, especialista na gestão de informação de empresas para empresas, divulgando, assim, os primeiros resultados do estudo sobre o perfil da presença feminina no tecido empresarial português em 2011.

Entre as organização analisadas, verifica-se ainda que 44,8% destas têm uma equipa de gestão e direção mista, 45,1% apresentam uma equipa exclusivamente masculina, sendo que somente 10,1% possuem um grupo de gestão e direção exclusivamente feminino. Um outro dado curioso: 54,9% das empresas têm, pelo menos, uma mulher na direção, vesus 89,9% que têm, pelo menos, um homem.
Por outro lado, a presença feminina vai diminuindo à medida que a dimensão das empresas aumenta. Assim, é, nas micro-empresas que se verifica a maior participação das mulheres, 33,1%. Já, nas pequenas, este valor diminui para os 27,3%; nas médias, fica-se pelos 21,8%, sendo que, nas grandes, não vai além dos 16,4%. O mesmo se passa nas empresas mais jovens e nas mais antigas. Ou seja, é nas primeiras que os cargos de gestão e direção femininas assumem uma maior relevância, 32,3%, passando para os 31,6% nas empresas que têm entre um e dois anos, e para os 28,8% nas empresas mais antigas, com mais de 20 anos.
Por setores, há também dados interessantes para refletir. Isto quer dizer que é no retalho, serviços, alojamento e restauração que se regista a maior participação feminina, com valores acima dos 33%, sendo que a menor pertence às empresas de telecomunicações, gás e eletricidade. Aqui, os valores ficam abaixo dos 20%.

Empresas cotadas em bolsa com escassa presença feminina

Os números são, uma vez mais, esclarecedores: nas empresas cotadas em bolsa não há registo de mulheres na presidência, sendo que apenas 6,2% do conselho de administração é constituído por representantes do sexo feminino. O cenário melhora ligeiramente quando se analisam as sociedades anónimas no seu conjunto, já que 41,5% possuem mulheres no conselho de administração, sendo que 13,2% detêm, mesmo, o cargo de presidente do mesmo.



* Esta coisa da igualdade do género é uma música que não alegra...


.
.

 A ORIGEM...






 Enviado por ADNARIM
.
.
ESTE MÊS NO
"JORNAL DO CENTRO"

Museu do Caramulo recebe prémio
. “Personalidade do Ano”

O Museu do Caramulo recebeu o Prémio “Personalidade do Ano” no evento Carro do Ano/Troféu Essilor Volante de Cristal, que decorreu no passado dia 28 de Fevereiro. A distinção foi atribuída pelos 18 jornalistas que compõem o júri deste troféu, em homenagem ao papel do Museu do Caramulo na promoção, divulgação e defesa do património automóvel nacional.

“Este prémio é o reconhecimento da atividade que o Museu do Caramulo tem desenvolvido ao longo dos anos, dentro e fora das paredes do museu. Nos últimos 10 anos tivemos que reinventar a nossa forma de estar e de fazer as coisas, alargando a nossa área de atuação a muitos outros territórios, como por exemplo os eventos, visitados anualmente por mais de 100 mil pessoas.” disse Tiago Patrício Gouveia, diretor do Museu do Caramulo.


* Se nunca visitou este museu não sabe o que está a perder de conhecimento. São muitos anos a preservar a história do automóvel.

.
.


4 - CERRADO 





O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro, estendendo-se por uma área de 2.045.064 km2, abrangendo oito estados do Brasil Central: Minas GeraisGoiásTocantinsBahiaMaranhãoMato GrossoMato Grosso do SulPiauí e o Distrito Federal.
Cortado por três das maiores bacias hidrográficas da América do Sul, tem índices pluviométricos regulares que lhe propiciam sua grande biodiversidade.

As "savanas brasileiras" — o Cerrado e a Catinga — são uma forma de vegetação que tem diversas variações fisionómicas ao longo das grandes áreas que ocupam do território do país. 

b
.

ESTA SEMANA NO
"SOL"

Nova acusação no caso BPN

O Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) acaba de deduzir a segunda acusação no âmbito do dossiê BPN, desta vez por crime de falsificação de documentos, relativos a operações de crédito feitas através do Banco Insular, que resultaram num prejuízo para o banco de 185,3 milhões de euros e de 36,8 milhões de dólares.

Os arguidos são o antigo presidente do BPN, José Oliveira Costa, António Franco (ex-administrador), José Vaz de Mascarenhas (ex-presidente do Banco Insular) e Ricardo Pinheiro (ex-director do Departamento de Operações do banco). A acusação foi feita pelos procuradores da República Rosário Teixeira (que coordena, no DCIAP, as investigações dos casos BPN e Furacão) e Patrícia Agostinho. Ainda estão pendentes 20 outros inquéritos relativos ao BPN.

Nesta acusação, começa-se por recordar como o BPN se tornou proprietário do Banco Insular e escondeu essa ligação durante anos ao Banco de Portugal e ao homólogo supervisor de Cabo Verde. Pelo Insular, mas com dinheiro desviado do BPN, foram feitos desde 2001 contratos de empréstimo de centenas de milhões de euros, ruinosos para o banco – que de outra forma não os poderia ter feito, sem alertar o supervisor em Portugal.

O carácter fraudulento dessas operações de crédito e o prejuízo causado já estão em julgamento, há cerca de um ano, nas Varas Criminais de Lisboa (contra 23 arguidos, acusados de burla e abuso de confiança, entre outros crimes). Nesta acusação de falsificação de documentos, estão em causa as chamadas ‘cartas de opção de retoma de créditos’: ou seja, documentos enviados para Cabo Verde, em que se atestava que o BPN assumia a responsabilidade pelos financiamentos feitos pelo Banco Insular.

Essas cartas obrigavam o BPN a comprar os créditos em causa, assumindo assim o risco das operações feitas pelo Insular. Para serem executadas, bastava o Insular fazer o pedido, a qualquer momento.

Segundo a acusação do DCIAP, essas cartas foram feitas e assinadas como se fossem contemporâneas às operações de crédito – o que era falso. A sua elaboração era feita seguindo instruções de Oliveira Costa e foi a solução encontrada para iludir os auditores e as entidades de supervisão de Cabo Verde de que os créditos concedidos estavam devidamente garantidos em termos de rácios de capital.

Ainda segundo a acusação, Vaz Mascarenhas, presidente do Insular, ia informando quais eram as operações de crédito que estavam omissas quanto a garantias, Oliveira Costa dava instruções e António Franco e Ricardo Pinheiro assinavam – sem terem, porém, poderes para tal. Além disso, descobriu-se que essas cartas eram feitas por atacado, em papel timbrado fornecido ao BPN em anos posteriores aos que se faziam constar. Só de uma vez, em 2007, foram assinadas 65 cartas, em que 58 tinham datas de anos anteriores.

Queixa fora do prazo fez cair infidelidade
O DCIAP teve de restringir-se à falsificação de documentos (punível com prisão até três anos), ficando impune o crime de infidelidade aqui também detectado. Isto porque o BPN não fez queixa dentro prazo. É que o crime de infidelidade – que ocorre quando alguém gere intencionalmente bens a seu cargo com grave prejuízo patrimonial – depende de queixa do lesado. Neste caso, a administração do BPN, já liderada por Miguel Cadilhe, tomou conhecimento formal da situação em Agosto de 2008. A queixa teria de ser apresentada pelo menos até Fevereiro seguinte – o que a nova administração do banco já nacionalizado, liderada por Francisco Bandeira, só fez em Abril. Por isso, o DCIAP teve de arquivar a participação.


* Foi inocentemente que o sr. Francisco Bandeira denunciou a infedilidade fora de prazo, que grande par de cornos...à justiça.


.

.


 VÁ DE TRANSPORTE PÚBLICO





.
.

ESTA SEMANA NO
"EXPRESSO"

500 milhões de euros pagos 
ilegalmente pela Parque Escolar
Tribunal de contas concluiu que a administração da Parque Escolar pagou ilegalmente 545 milhões de euros nas obras de modernização em 205 escolas.

O Tribunal de Contas (TC) detetou irregularidades financeiras e quer que os cinco gestores paguem uma multa de 7500 euros cada um.

O juiz conselheiro Mira Crespo concluiu que a empresa pública pagou ilegalmente 545 milhões de euros nas várias obras do programa de modernização das escolas secundárias do país.

O DIAP de Lisboa também está a investigar a gestão de Sintra Nunes, Teresa Valsassina Heitor, José dos Reis, Gerardo Meneses e Paulo Farinha para descobrir se houve gestão danosa ou qualquer outro crime económico.

No relatório divulgado hoje, o TC arrasa a gestão da Parque Escolar, e diz que houve derrapagem injustificável dos custos, endividamente excessivo e falta de transparência na contratação de arquitetos. Quando foi apresentado, em 2007, o programa propunha-se investir 940 milhões de euros em 332escolas. Em 2011, tinham sido gastos três mil milhões em apenas 205 escolas.

O próprio TC admite que a execução do programa "está comprometido". Há mais cinco auditorias a obras em cinco escolas que ainda não estão concluidas.


* Mas quantos quinhentos milhões não foram usados indevidamente por todas  as PPP's deste país, haverá coragem para revelar???


.

.

DANIELA PIMENTA




.