sábado, 24 de março de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA ADULTOS

.


SE NÃO SERVIR PARA MAIS NADA FAÇA ARTESANATO





.
.
DURMA COM ESTA
'O que te engorda não é o que você come entre o Natal e o Ano Novo, mas o que você come entre o Ano Novo e o Natal'
 
( Solange Couto)
.
.
E SORRI...

MARCELO REBELO DE SOUSA

.

"Há muitos portugueses  

a sofrer"

 

Texto e foto in "DIÁRIO DE NOTÍCIAS" - 24/03/12

.



.

DOAÇÃO






OBRIGADO CARACOLETA

.
.
DOMINGO MUDA 
A HORA
AMANHÃ 25/03/12 
À UMA DA MADRUGADA ADIANTA-SE O RELÓGIO UMA HORA, TEM INÍCIO
 A HORA DE VERÃO
.

.

20 -DANÇAS NATIVAS

DANÇA ANGOLANA   
REBITa





.
 
.

 ESTA MADRUGADA VAMOS EDITAR  
"PEIDA-FORA-DE-HORAS"

Recreie-se com um excelente filme de
UMBERTO ECO

"O NOME DA ROSA"
ÀS 00H05

.
.

1.KAMASUTRAM

Kamasutram (Sânscrito: कामसूत्र), geralmente conhecido no mundo ocidental como Kama Sutra, é um antigo texto indiano sobre o comportamento sexual humano, amplamente considerado o trabalho definitivo sobre amor na literatura sânscrita. O texto foi escrito por Vatsyayana, como um breve resumo dos vários trabalhos anteriores que pertencia a uma tradição conhecida genericamente como Kama Shatra.

“Ao contrário do que muitos pensam, o Kama Sutra não é um manual de sexo, nem um trabalho sagrado ou religioso. Ele também não é, certamente, um texto tântrico. Na abertura de um debate sobre os três objectivos da antiga vida hindu - Darma, Artha e Kamadeva - a finalidade do Vatsyayana é estabelecer kama, ou gozo dos sentidos, no contexto. Assim, Darma (ou vida virtuosa) é o maior objetivo, Artha, o acúmulo de riqueza é a próxima, e Kama é o menor dos três.” — Indra Sinha.

Kama é a literatura do desejo. Já o Sutra é o discurso de uma série de aforismos. Sutra foi um termo padrão para um texto técnico, assim como o Yôga Sútra de Pátañjali. O texto foi escrito originalmente como Vatsyayana Kamasutram (ou "Aforismos sobre o amor, de Vatsyayana"). A tradição diz que o autor foi um estudante celibatário que viveu em Pataliputra, um importante centro de aprendizagem. Estima-se que ele tenha nascido no início do século IV. Se isso for correto Vatsyayana viveu durante o ápice da Dinastia Gupta, um perído conhecido pelas grandes contribuições para a literatura Sânscrita e para cultura Védica.






 "Foi dito por alguém que não há ordem ou momento exatos entre o abraço, o beijo e as pressões ou arranhões com as unhas ou dedos, mas que todas essas coisas devem ser feitas, de um modo geral, antes que a união sexual se concretize, ao passo que as pancadas e a emissão dos vários sons devem ocorrer durante a união. Vatsyayana, entretanto, pensa que qualquer coisa pode ocorrer em qualquer momento, pois o amor não se incomoda com o tempo ou ordem."











 "Quando o amor se intensifica, entram em jogo as pressões ou arranhões no corpo com as unhas. As pressões com as unhas, entretanto, não são comuns senão entre aqueles que estejam intensamente apaixonados, ou seja, cheios de paixão. São empregadas, juntamente com a mordida, por aqueles para quem tal prática é agradável."

CONTINUA NO PRÓXIMO SÁBADO

.
.



MASHA





.

JOÃO RICARDO VASCONCELOS



A Festa das Privatizações


Privatizar tornou-se um verbo bastante vulgar na agenda dos Governos Portugueses das últimas décadas. Todos, independentemente da sua cor política, avançaram com o seu leque de privatizações. Poder-se-á dizer que tal apenas revela que existiam demasiados setores económicos nas mãos do Estado. Poder-se-á também contra-argumentar que tal sempre foi uma forma simples de arrecadar uns trocos no final do ano para contrabalançar défices crescentes. É uma discussão interessante, mas não é de facto na mesma que nos centraremos neste texto. Concentrar-nos-emos sim nas polémicas que normalmente envolvem estes processos. As privatizações surgem sempre legitimadas por um discurso de redução de encargos para o Estado. Argumenta-se então que a gestão privada é mais eficiente que a pública, surgindo assim a privatização como solução para libertar os contribuintes de um honorário supérfluo, ao mesmo tempo que dinamiza a economia com mais um ator livre das garras do Estado. O problema é que, como o caso português demonstra, acaba por não ser bem assim que as coisas acontecem. Por um lado, dificilmente se diminuem encargos para os contribuintes quando se privatizam empresas que dão lucro. Por outro lado, naquelas em que tal não acontece, a manutenção de contratos com o Estado para a prestação de serviço público acaba por ser tão ou mais honrosa do que o que acontecia anteriormente. Acrescente-se ainda o caso da privatização de empresas monopolistas, em que se acaba assim por colocar em mãos privadas uma mais valia anteriormente do domínio público. O presente caso da EDP veio mais uma vez confirmar os efeitos perniciosos de inúmeros processos de privatização. Considerou-se de menor importância o valor estratégico que a referida empresa possui para o Estado Português. E pouco importou que grandes países europeus continuem a ter as suas empresas públicas de eletricidade. Nós, Portugueses, não precisamos cá dessas coisas. Tudo acabou portanto com a entrega da EDP a uma empresa detida em 100% pelo Estado Chinês. Comentários para quê... Importa igualmente não esquecer que se privatizou uma empresa supostamente com ótima saúde. Ou seja, o argumento dos encargos para os contribuintes não se aplica. Privatizou-se também uma empresa praticamente monopolista. Não existem portanto efeitos positivos a curto prazo na dinamização do mercado da eletricidade em Portugal. Pelo contrário, o que antes era um monopólio público, passou a ser agora um monopólio privado. E quando se tentou reduzir o valor dos fantásticos contratos que ligam a empresa ao Estado, tudo acabou com a saída do Governo do Secretário de Estado da Energia. Nem pensar em fazer tal coisa uma vez que nos contratos firmados com o “parceiro” chinês, lá constava que as rendas com o Estado Português (vulgo, com os contribuintes Portugueses) deviam permanecer inalteradas. Um negócio da China, portanto. E para que tudo se torne ainda mais engraçado, importa não esquecer que o recém-nomeado chairman da referida empresa, com um salário astronómico, foi um dos grandes mentores do programa económico do Governo. Eis um bom exemplo do universo das privatizações em Portugal. Podíamos aqui esmiuçar também a privatização do BPN para reforçar este ponto de vista., Mas mais do que preocupar-se com o que se passou ou está a passar, consegue ser ainda mais preocupante o que aí vem. Dos CTT à RTP, da ANA à TAP, esta promete ser uma legislatura bastante animada nestes domínios. Sim, preparemo-nos porque a festa só agora está a começar. 



POLITÓLOGO

IN "AÇORIANO ORIENTAL"
21/03/12


.
.

7- Instintos Sexuais Humanos




Apresentado por Robert Winston.

Instinto Humano.
Por que 21 mil quilômetros de batom são vendidos por ano? O que cada um de nós fará mais de 3 mil vezes durante a vida? Por que 18 mil litros de loção pós-barba são usados todos os dias? Como queimaremos 250 mil calorias ao longo da vida? E o que 240 milhões de pessoas estarão fazendo hoje à noite? No fim, tudo se resume a uma coisa. O que é? Fazer sexo. Documentário da BBC/TLC Co, em português, apresentado pelo Discovery Channel.
ÚLTIMO EPISÓDIO

.
.


AO SÁBADO É ASSIM

AMOR




.

 .


JORGE JESUS

.

"Parece que o árbitro esperava uma oportunidade para prejudicar o Benfica"

 .

IN "EXPRESSO" - 24/03/12

.

.

DAS CANÇÕES MAIS OFENSIVAS DE SEMPRE

12 –  NWA
F*** THA POLICE



LETRA

Right about now, NWA court is in full effect
Judge Dre presidin'
In the case of NWA versus the police department
The prosecution attorneys are M.C. Ren, Ice Cube, and Eazy
Mothafuckin' E
Order, order order
Ice Cube, take the mothafuckin' stand
Do you swear to tell the truth, the whole truth and nothin' but
the truth, so help yo' black ass?
"You're goddamned right!"
why don't you tell everybody what the fuck you gotta say...

Fuck the police commin' straight from the underground
A young nigger got it bad 'cause I'm brown
And not the other color
Some police think
They have the authority to kill a minority
Fuck that shit 'cause I ain't the one
For a punk motherfucker with a badge and a gun
To be beaten on and thrown in jail
We can go toe to toe in the middle of a cell
Fuckin' with me 'cause I'm a teenager
With a little bit of gold and a pager
Searchin' my car, lookin' for the product
Thinkin' every nigger is sellin' narcotics
You'd rather see me in the pen
Than me and Lorenzo rollin' in a Benz-o
Beat up police, out of shape
And when I'm finished, Bring the yellow tape
To tape off the scene of the slaughter
Still gettin' Swoll' off bread and water
I don't know if they fags or what
Search a nigger down and grabbin' his nuts
And on the other hand
Without a gun, they can't get none
But don't let it be a black and white one
'Cause they'll slam ya down to the street top
Black police showin' out for the white cop
Ice Cube will Swarm
On any motherfucker in a blue uniform
Just 'cause I'm from the CPT
Punk police are afraid of me, huh
A young nigger on the warpath
And when I finish, it's gonna be a bloodbath
Of cops dyin' in L.A.
Yo, Dre, I got something to say ...

Fuck the police!
Fuck the police!
Fuck the police!
Fuck the police!

SCENE I :

Pull your goddamn ass over right now
Aw, shit, and what the fuck you pullin' me over for?
'Cause I feel like it, just sit your assw on the curb and shutthe
fuck up!
Man, fuck this shit
All right smartass, I'm takin' your black ass to jail

M.C. Ren, will you please give your testimony to the jury about
this fucked up incident?

Fuck the police and Ren said it with authority
Because the niggers on the street is a majority
A gang - that's wit whoever i'm steppin'
And a motherfuckin' weapon is kept in
A stand-by for the so called law
Wishin' Ren was a nigger that they never saw
Lights all flashin' behind me
But they're scared of a nigger so they mace to blind me
But that shit don't work, I just laugh
Because it gives 'em a hint not to step in my path
To police, I'm sayin', "Fuck you punk!"
Readin' my rights and shit - it's all junk
Pullin' out a silly club so you stand
With a fake-assed badge and a gun in your hand
But take off the gun so you can see what's up
And we'll go at it, punk, and I'm a' fuck you up
Make you think I'm a' kick your ass
But drop your gat and Ren's gonna blast
I'm sneaky as fuck when it comes to crime
But I'm a' smoke 'em now and not next time
Smoke any motherfucker that sweats me
Or any asshole that threatens me
I'm a sniper with a hell of a scope
Takin' out a cop or two that can't cope with me
The motherfuckin' villain that's mad
With potential to get bad as fuck
So I'm a' turning around
Put in my clip, yo
And this is the sound
Yeah, Somethin' like that
But it all depends on the side of the gat
Takin' out a police would make my day
But a nigger like Ren don't give a fuck to say...

Fuck the police!
Fuck the police!
Fuck the police!
Fuck the police!

SCENE II :

Yo, Man, whatcha need?
Police, open now (oh shit), we have a warrent for Eazy E'sarrest
Oh shit
Get down and put your hands up where I can see 'em!
Man, what did I do?
Just shut the fuck up and get yo' motherfuckin' ass on thefloor
But I did'nt do shit
Man, just shut the fuck up

Eazy E, why don't you step up to the stand and tell the juryhow
you feel about this bullshit?

I'm tired of the motherfuckin' jackin'
sweatin' my gang while I'm chillin' ub the shack an'
Shinin' the light in my face and for what?
Maybe it's because I kick so much butt
I kick ass, or maybe it's 'cause I blast
Oh a stupid-assed nigger when I'm playing with the trigger
Of an Uzi or an AK
'Cause the police always got somethin' stupid to say
They put up my picture with silence
'Cause my identity by itself causes violence
The E with the criminal behavior
Yeah, I'm a gangster, but still I got flavor
Without a gun and a badge, what do you got?
A sucker in uniform waitin' to get shot
By me or another nigger
And with a gat, it don't matter if he's smaller or bigger
(Size don't mean shit, he's from the old school, fool)
And as you asll know, E's here to rule
Whenever I'm rollin', keep lookin' in the mirror
And ears on cue, yo, so I can hear a
Dumb motherfucker with a gun
and I'm rollin' off the eight, he'll be the one
That I take out and then get away
While I'm driving off laughin', this is what I'll say ...

Fuck the police!
Fuck the police!
Fuck the police!
Fuck the police!

The verdict :

The jury has found you guilty of being a red-neck, white-bread,
Chicken-shit motherfucker
"That's a lie! that's a goddamn lie!"
Get him out of here!
"I want justice!"
Get him the fuck out of my face
"I want justice!"
Out right now!
"Fuck you, you black motherfuckerrrrrrrrrrr!"

Fuck the police!
Fuck the police!
Fuck the police!


.




 AO SÁBADO É ASSIM


ESTADO DE DIREITO




  


 .
 ..

  
AO SÁBADO É ASSIM





“Ela aceita todos os homens obsessivos que a perseguem”

Jennifer Lopez não consegue ter um relacionamento saudável com os homens. Quem o diz é Benny Medina, agente e amigo íntimo da actriz e cantora. "Sempre desejei que ela conseguisse dar um tempo para conhecer alguém naturalmente, em vez de aceitar todos os homens obsessivos que a perseguem."

"Eu acredito que a facilidade com que essas obsessões se tornam namoros acabam por influenciar a capacidade de ela ter uma relação verdadeira. E ela nunca faz nada pela metade. Quando se compromete com qualquer coisa, mergulha e dá tudo." 

IN "MÁXIMA"
24/02/12

.
.

GALGO 
         ESPANHOL









Classificação F.C.I.:Grupo10 Lebréis Seção 3 Lebréis de Pêlo Curto
Padrão FCI nº 285 24 de maio de 2002.
País de origem: Espanha
Nome no país de origem: Galgo Español
Utilização: Cão de caça à lebre, em rápida perseguição e guiando-se pela visão. Igualmente, foi utilizado e pode perseguir outros animais de pêlo como coelhos, raposas e também javalis; porém a primordial utilização da raça tem sido e é a caça às lebres emcorrida.
Sem prova de trabalho

RESUMO HISTÓRICO: o galgo espanhol é conhecido desde a Idade Antiga pelos Romanos embora tenhamos que supor que sua chegada e implantação na Península seja muito anterior. Descendentes de antigos lebréis asiáticos, ele se adaptou aos nossos diferentes terrenos de estepes e planícies. Foi exportado em grandes quantidades para outros países como a Irlanda e Inglaterra, durante os séculos XVI, XVII e XVIII, sendo o nosso Galgo um dos ancestrais do Galgo Inglês que apresenta com o Galgo Espanhol as semelhanças próprias da raça que serviu de base antes de sua posterior
seleção e aclimatação. Cabe destacar dentre as numerosas citações de autores clássicos, aquela do Arcipreste de Hita, que diz: “Para a lebre que sai, logo se lança um galgo...”
demonstrando assim a principal e ancestral função da raça.

MAIS HISTÓRIA
As pessoas referem-se à semelhança entre o galgo e representações de cães de arte egípcia , o galgo, provavelmente, tem suas raízes ancestrais em cães dos faraós egípcios. Também é provável que o Vertades romano seja outro de seus antepassados. A verdade é que as primeiras referências escritas do galgo estão no tratado de século II a. C. Cynegeticus de Arriano de Nicomédia , que foi cônsul da Andaluzia .

O autor descreve a caça de lebres com galgos praticamente idêntico ao utilizado actualmente em Espanha, acrescentando que era um costume dos hispânicos possuirem-no, independentemente da classe social.

Não é fácil determinar o que aconteceu a corrida nos primeiros séculos da Idade Média , mas o fato é que sobrevive, tornando-se evidente após um certo tempo para florescer.

Na colonização dos séculos nono e décimo ocorrem grandes áreas agro-cinegéticas coincidentes com a reconquista de Castela . Grandes extensões de terra de pousio proporcionou a tradição de corridas de lebres com galgos, uma prática comum em ambos os reinos árabes e cristãos. Guerra e caça são confundidos ao longo dos anos, dizendo o autor David Salamanca que "O cão, o cavalo e galguero são três grandes guerreiros."

Estamos cientes do valor atribuído ao galgo naquele tempo e o grande número de leis que criminalizam os seus roubo e morte. Município de Salamanca (século IX), Jurisdição de Cuenca, jurisdição de Zorita de los Canes, Jurisdições de Molina de Aragón ( século XII), Município de Usagre (século XII).
Em Slonza Cartuario existe uma escrita de herança em Villacantol concedida pelo prefeito para Diego Gutierrez Citid, datado de 03 de novembro de 1081, que afirma: "Urso de galgos sólida colore nigro ualente caetum dae argento" encontrar este tipo de referência ao cão dá uma idéia do valor que lhe era atribuído.
Os murais da capela de San Baudelio de Berlanga , em Soria , que datam do século XII mostrar uma cena de caça lebres com três galgos que contou com aspecto muito semelhante aos animais de agora.

O galgo foi forjado na estepe castelhana, tanto no Planalto Norte (Valladolid, Zamora, Salamanca Ávila, Segovia, Soria, Burgos e Palencia) e no Planalto Sul (Toledo, Cuenca, Guadalajara, Madrid e Ciudad Real) e o galgo povou toda a região sem concorrência de outras raças.

Há referências aos cães, não só em textos, mas também em expressões e provérbios e até mesmo na literatura espanhola, como uma das frases mais famosas contida na no romance Don Quixote :
"Somewhere in la Mancha, cujo nome não me lembro, não muito tempo viveu um daqueles senhores de lança e escudo antigo, um corte magro e um galgo correndo para."

Da mesma forma, o ditado "Um galgo velho, jogá-lhe lebre, coelho não" sugere que é necessário contratar alguém experimentado para uma tarefa difícil, para que se possam obter resultados das suas capacidades.

APARÊNCIA GERAL: cão lebrel de bom tamanho, eumétrico, subconvexo, sublongilíneo e dolicocéfalo. De estrutura óssea compacta, cabeça longa e estreita, tórax de ampla capacidade, ventre muito retraído e uma cauda muito longa. Os posteriores bem aprumados e musculosos. Pêlo    fino e curto ou duro e semilongo.

PROPORÇÕES IMPORTANTES: estrutura sublongilínea;
diâmetro longitudinal ligeiramente maior que a altura na cernelha. Devese procurar a proporcionalidade e a harmonia funcional tanto parado quanto em movimento.

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: de caráter sério e retraído; porém quando sai para caçar, demonstra uma grande energia e vivacidade na caça.

CABEÇA: proporcionada ao corpo, longa, enxuta e seca. A relação crâniofocinho é de 5/6: comprimento do crânio 5, comprimento do focinho 6. Linhas crâniofaciais divergentes. O conjunto crâniofocinho, visto de cima, deve ser bem longo e uniforme; com focinho longo, estreito.
REGIÃO CRANIANA
Crânio: de largura reduzida e de perfil subconvexo. A largura do crânio não alcançará a metade de seu comprimento. O crânio possui uma linha mediana bem marcada em seus dois primeiros terços; a cavidade frontal e a crista occiptal é simplesmente marcada.
Stop: suave, muito pouco acentuado.
REGIÃO FACIAL
Trufa: pequena, úmida, com mucosas pretas.
Focinho: longo, de perfil subconvexo, com ligeiro estreitamento da cana nasal até à trufa.
Lábios: muito secos. O lábio superior cobrirá perfeitamente inferior. O lábio inferiornão apresentará comissura labial marcada. São finos, aderentes e com mucosas escuras.
Maxilares / Dentes: dentes fortes, brancos e saudáveis. Mordedura em tesoura. Caninos bem desenvolvidos. Presença de todos os prémolares.
Olhos: pequenos, oblíquos, de forma amendoada; preferivelmente escuros, de cor avelã. Olhar calmo, doce e reservado.
Pálpebras: de pele fina e mucosas escuras. Bem aderentes ao globo ocular.
Orelhas: largas na base, triangulares, carnudas em seu primeiro terço e mais finas e delicadas em direção à ponta que deverá ser arredondada. De implantação alta. Em
atenção, são semieretas no seu primeiro terço com as pontas dobradas em direção às laterais. Em repouso, são em rosa, aderidas ao crânio. Esticadas para a frente, elas ficarão muito próximas a comissura labial de ambos os lábios.
Palato: da cor das mucosas com rugas fortemente marcadas.

PESCOÇO: longo, de seção oval, plano, esbelto, forte e flexível. Estreito na parte da cabeça, alargando ligeiramente em direção ao tronco. Linha superior ligeiramente côncava. Linha inferior quase reta com uma ligeira convexidade central.
TRONCO
Aspecto geral: retangular, forte e flexível, dando impressão de robustez, agilidade e resistência. Caixa torácica amplamente desenvolvida, ventre bem retraído.
Linha Superior: com uma ligeira concavidade sobre o dorso e convexidade sobre o lombo. Sem interrupções bruscas e sem oscilações durante a movimentação, dando a impressão de grande elasticidade.
Cernelha: simplesmente marcada.
Dorso: reto, longo e bem defi nido.
Lombo: longo, forte, não muito largo e com a linha superior arqueada, com compacta e longa musculatura, dando impressão de elasticidade e força A altura do lombo em sua parte central pode ultrapassar a altura na cernelha.
Garupa: longa, poderosa e inclinada. Sua inclinação é superior a 45º com a linha horizontal.
Peito: poderoso, mas não muito largo; profundo sem atingir os cotovelos e muito longo até as costelas flutuantes. Ponta do esterno marcado.
Costelas: costelas planas com amplos espaços intercostais. As costelas devem ser bem visíveis e marcadas. O perímetro torácico é ligeiramente superior a altura na cernelha.
Ventre e flancos: ventre abruptamente retraído desde o esterno; esgalgado. Flancos curtos, secos e bem desenvolvidos.

CAUDA: forte na raiz e de inserção baixa, estentendo-se
entre as pernas afinando-se progressivamente até terminar em uma ponta muito fina. Flexível e muito longa, ultrapassando bem os jarretes. Em repouso, caída em forma de foice com um gancho bem acentuado e inclinada lateralmente. Colocada entre as pernas com um gancho quase tocando o solo na frente dos posteriores; é um dos aspectos mais típicos da raça

MEMBROS
ANTERIORES
Aspecto geral: perfeitamente aprumados, finos, retos e paralelos; metacarpos curtos e finos; pés de lebre.
Ombros: secos, curtos e inclinados. A escápula deve ser sensivelmente mais curta que o braço.
Braços: longos, mais longos que a escápula, muito musculosos; com cotovelos livres, embora muito próximos ao tronco.
Antebraços: muito longos; retos e paralelos, ossos bem definidos, com tendões bem marcados. Almofadas carpais bem desenvolvidas.
Metacarpos: ligeiramente inclinados, finos e curtos.
Patas anteriores: de lebre. Dedos fechados e arqueados. Falanges fortes e longas. Almofadas duras e bem desenvolvidas. Membrana interdigital moderada e unhas
bem desenvolvidas.
ANGULAÇÕES:  
ângulo escápuloumeral:110º
ângulo húmeroradial: 130º

POSTERIORES
Aspecto geral: poderosos, ossos bem definidos, com músculos longos e bem desenvolvidos. Perfeitamente aprumados e de angulações corretas. Jarretes bem marcados; metatarsos curtos e perpendiculares ao solo; patas de lebre com dedos arqueados. Os membros posteriores dão impressão de potência e agilidade na impulsão.
Coxas: muito fortes, longas, musculosas e tensas. O fêmur o mais perpendicular possível. Vistas por trás, apresentam uma musculatura muito marcada; longa, plana e potente, seu comprimento é de ¾ da perna.
Pernas: muito longas, ossos marcados e fi nos. Musculosas em sua parte superior; menos na parte inferior, com clara apresentação de veias e tendões.
Jarretes: bem marcados com nítida apresentação do tendão que estará muito desenvolvido.
Metatarsos: finos, curtos e perpendiculares ao solo.
Patas posteriores: patas de lebre, iguais aos membros anteriores.
ANGULAÇÕES: 
ângulo coxofemoral: 110º
ângulo femorotibial: 130º
ângulo do jarrete: superior a 140º

MOVIMENTAÇÃO: o movimento típico é naturalmente o galope. O trote deve ser longo, próximo ao solo, elástico e potente. Sem tendência a lateralidade e sem ambladura (significa movimentar os dois membros de um mesmo lado, ao mesmo tempo).

PELE: bem aderente ao corpo em todas as suas partes, forte e flexível; de cor rosada.
As mucosas devem ser escuras.
PELAGEM
Pêlo: denso, muito fi no, curto, liso; espalhado por todo o corpo até os espaços interdigitais. Ligeiramente mais longo nas partes posteriores das coxas. A variedade de pêlo duro semilongo apresenta maior aspereza e comprimento de pêlos, que pode ser variável; embora sempre espalhado uniformemente pelo corpo, tende a apresentar uma barba e bigodes na face, sobrancelhas e topete na cabeça.

CORES: todas as cores são permitidas. São consideradas como cores mais típicas e por ordem de preferência as seguintes:
· fulvos e tigrados mais ou menos escuros, bem pigmentados;
· pretos;
· manchas escuras e claras;
· encarvoados;
· canelas;
· amarelos;
· vermelhos;
· brancos;
· com manchas brancas e malhados.

TAMANHO
Altura na cernelha: 
Machos: de 62 a 70 cm
Fêmeas: de 60 a 68 cm
Admite-se, sobre a altura, uma margem de 2cm para exemplares de proporções excelentes.

NOTAS:
· os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.


IN "CONFEDERAÇÂO BRASILEIRA DE CINOFILIA"


.
 
 .
 Mais 2 descobertas científicas alentejanas

1.ª descoberta

Depois de observar como trabalha a troika, conclui-se que trabalha a pilhas:
Pilha tudo.

2.ª descoberta
Sócrates, afinal, é um exemplo a seguir:
Se todos os políticos o seguissem e fossem viver para o estrangeiro... vivia-se muito melhor em Portugal.


.
 
.


PEDRO PASSOS COELHO

 “Quem anda sempre com o martelo na mão tudo lhe parece um prego”.

 (no congresso do PSD)

.

IN "CORREIO DA MANHÃ" - 23/03/12

.

 

.




A TERRA  COMO ARTE


Belcher Islands: September 21st, 2001. Like sweeping brushstrokes of pink and green, the Belcher Islands meander across the deep blue of Canada's Hudson Bay. The islands' only inhabitants live in the small town of Sanikiluaq, near the upper end of the middle island. Despite the green hues in this image, these rocky islands are too cold to sustain more than a smattering of low-growing vegetation.

Ilhas Belcher,  21 de Setembro de 2001. Apesar  das zonas verdes nesta imagem, estas ilhas pedregosas são demasiado frias para susterem mais do que traços de vegetação rasteira.

Nota: A Pesquisa Geológica Americana compilou várias colecções denominadas ' A Terra como Arte'. Esta colecção tem como característica a qualidade artística e não a científica das imagens recolhidas pelo programa Landsat. Este programa é um conjunto de Observações-terrestres feitas por satélites geridos conjuntamente pela NASA e pela Pesquisa Geológica Americana.
Desde 1972 que os satélites do Landsat têm recolhido informações sobre a Terra a partir do espaço. As imagens são apresentadas em 'cor falsa' - os satélites usam tanto a parte visível como invisível do espectro magnético.
.

UMA EDIÇÃO PARA

 MÃOS QUE VÊEM



O JORNAL DE NOTÍCIAS  EDITA A CADA DOIS MESES, UMA EDIÇÃO EM BRAILE DE QUASE MIL EXEMPLARES, COM AS NOTÍCIAS MAIS RELEVANTES DESSE PERÍODO.
CADA EDIÇÃO DEMORA OITO HORAS A IMPRIMIR, CONSOME MAIS DE 12300 FOLHAS DE PAPEL ESPECIAL E É LIDA POR CEGOS EM 14 PAÍSES.
INICIATIVA EXTRAORDINÁRIA!!!

.






PREPARANDO PARA OS

OLÍMPICOS






m

ESCOLHAS DA SEMANA E DO MÊS

.
COMPRE JORNAIS E REVISTAS



Jornal do Centro









Vida Rural












.