terça-feira, 20 de março de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


VISITANTE ILUSTRE




.
.

O MAIOR ESPECTÁCULO DO MUNDO CANTA  EM PORTUGUÊS


RIO 2012

Clipe de Grande Rio



Comissão de Frente

Mestre-Sala e Porta-Bandeira




.


AMORE E MERDA





INTÉRPRETES:
- GIULIA MUREDDU
- GORAN TURNSEK
.


HOJE NO
"PÚBLICO"

Pagamento de 300 milhões aos
. agricultores deverá ser antecipado 
para 16 de Outubro

O pagamento de 300 milhões de euros de ajudas comunitárias aos agricultores portugueses deverá ser antecipado para 16 de Outubro, disse hoje o secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque, em Bruxelas.

"Houve o pedido de antecipar o pagamento dos apoios comunitários - que normalmente são pagos só no final de Dezembro - para 16 de Outubro", disse o secretário de Estado, no final de uma reunião do Conselho de Ministros da Agricultura dos 27.

"Portugal recebe de ajudas directas, no todo, cerca de 600 milhões de euros. Estamos a falar de uma antecipação de 50 por cento - 300 milhões de euros - já para Outubro", disse.

"Essa antecipação, que é muito importante porque apoia os agricultores mais cedo", referiu o governante que sublinhou a "situação financeira muito difícil" que afecta sobretudo a produção animal.

As verbas não podem chegar antes de Outubro, adiantou o secretário de Estado, porque têm que ser feitos controlos, assegurados pelos Estados-membros.

Uma outra verba de 45 milhões será antecipada, a nível nacional, para Abril e Maio, ao abrigo do Programa de Desenvolvimento Rural, para pagamento de medidas agro-ambientais e para regiões desfavorecidas.

Albuquerque adiantou ainda que houve também o reconhecimento da necessidade de "derrogações para que os agricultores possam trabalhar em modo de seca.

As medidas para enfrentar a seca em Portugal e Espanha" acrescentou, mereceram o apoio de oito outros Estados-membros, nomeadamente a Itália e Eslovénia.

José Diogo Albuquerque (na foto) representou hoje Portugal no Conselho de Ministros da Agricultura dos 27, substituindo a ministra, que visita Angola.


* O pagamento "antecipado" em Outubro, porque não no ex-dia da República, deve ser para custear as despesas de velório e funeral dos agricultores que entretanto se suicidaram. Estamos em Março, a seca é agora, para Outubro faltam sete meses, este governo parece uma agência funerária.


.
.



I . O MUNDO SEM 


NINGUÉM



5 - vida depois das 


pessoas





Os episódios anteriores foram editados nas terças-feira precedentes à mesma hora.


.

ALMORRÓIDA AGONIADA


Igreja pode ter castrado jovens para curar homossexualidade

Pelo menos dez crianças podem ter sido castradas por médicos de uma instituição católica na província holandesa de Gelderland na década de 50, do século passado. A medida terá sido justificada com a necessidade de as curar da homossexualidade e como pena por denunciarem abusos sexuais.

O estranho caso começou a ser desvendado com uma investigação de Joep Dohmen, do periódico NRC Handelsblad. O jornalista descobriu a história de Henk Heithuis, castrado em 1956, na altura com 20 anos, depois de ter denunciado à polícia abusos sexuais por parte de padres na casa de acolhimento em que vivia. Na altura, a maioridade só era atingida aos 21 anos.

O jovem acabou por morrer dois anos depois num acidente de viação. Mas o caso não desapareceu. Dohmen seguiu o rasto da história e descobriu que, apesar de dois clérigos terem sido condenados, Heithuis foi transferido para uma unidade psiquiátrica da Igreja, antes de ser transferido para o Hospital St. Joseph, em Vehgel. Terá sido, então, que o jovem alegadamente pediu para ser castrado.

Contudo, não foram encontrados quaisquer documentos com a assinatura do jovem a dar o seu consentimento. Fontes revelaram ao jornalista que esta técnica era usada para curar a homossexualidade e como castigo pelas denúncias de abusos sexuais.

A castração de Heithuis foi confirmada por um escultor holandês, Cornelius Rogge, que na altura conheceu o jovem e a sua história e denunciou o caso, mas sem quaisquer consequências.

Mas a história de Heithuis não é a única. A investigação de Dohmen descobriu que, pelo menos, mais nove pessoas que podem ter também sido castradas. “Há casos anónimos que já não podem ser confirmados. Ainda devem haver muitos outros, mas a questão é se aqueles miúdos, hoje idosos, vão querer contar as suas histórias”, advertiu o jornalista.

O caso ganhou um novo fôlego esta segunda-feira com a revelação de minutas de actas de reuniões da década de 50, que dão conta que inspectores do Governo não só tinham conhecimento das castrações, como estavam presentes quando eram discutidas. Os documentos revelam ainda que os familiares não eram informados do tratamento dado aos menores.

Há ainda evidências que o ex-primeiro-ministro Vic Marijnen, falecido em 1975, colaborou para encobrir os crimes. À data da castração, de Heithius, o governante era presidente da casa de acolhimento e terá usado influência para evitar que outros padres cumprissem penas por pedofilia.



IN "CORREIO DA MANHÃ"
20/03/12


.
.

HOJE NO
"DESTAK"
China garante ter sido a principal vítima dos piratas informáticos em 2011

Cerca de 8,9 milhões de computadores na China foram alvo de ciberataques no ano passado, mais 78 por cento do que em 2010, o que torna a China na principal vítima dos piratas informáticos, informaram as autoridades locais.

De acordo com os dados do Centro de Coordenação de Emergências da Rede da China, os ataques envolveram cerca de 47 mil protocolos de Internet (IP, identidades informáticas) procedentes do estrangeiro, especialmente dos Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul.


* Talvez seja uma tentativa de beliscar esta feroz ditadura.


.
.



1.IRRACIONAIS?!












.
.



FRANCISCO JOSÉ VIEGAS

SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA

 

"o Estado não deve um cêntimo ao senhor Berardo ou à sua fundação. Ao contrário do que tem sido dito, e a provar boa fé da secretaria de Estado, até apoiamos extra, além da subvenção anual, a exposição comemorativa a Nikis Skapinakis porque achámos que era importante e de relevo. Em boa fé nós ganhamos".  

 

"O Governo acha que chegou a altura de pôr ponto final no regime gratuito da Colecção Berardo".

 

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS" - 20/03/12

.

 

.

HOJE NO
"i"

Mais de 18% da frota automóvel da PSP está avariada

Na divisão de Sintra já existem esquadras sem nenhum carro disponível e agentes do programa Escola Segura a trabalhar a pé

Dos 3975 carros da PSP, 722 estão inoperacionais. Contas feitas, mais de 18% da frota automóvel da polícia está actualmente avariada. Segundo um levantamento a que o i teve acesso, Lisboa é o comando com mais carros inoperacionais: são 326 carros parados. Segue-se o Porto com 182 e Setúbal com 43. E há casos, como o da divisão de Sintra, em que dos cerca de 60 carros existentes só 12 andam. Os restantes 40, contou ao i fonte daquela divisão, estão parados devido a pequenas avarias. “Temos de tudo: desde viaturas que sofreram pequenos acidentes e nunca mais foram arranjadas, a carros que estão a verter óleo, revisões que não foram feitas e pneus desgastados.”

A falta de veículos é de tal ordem que, numa das esquadras, um agente do programa Escola Segura está a trabalhar “a pé”. E nas esquadras da Mira-Sintra e de São Marcos não há, desde há um mês, um único carro disponível. “A lógica tem sido rentabilizar o que ainda existe”, diz a mesma fonte. Exemplo disso é o que tem feito o comandante de uma das esquadras – que está a usar um carro emprestado, depois de ter ficado sem meio de transporte.

Os cerca de 40 carros avariados de Sintra têm estado parados na divisão, mas ontem os agentes deram pelo seu “desaparecimento”, porque foram levados para as oficinas da PSP em Alfragide. “Está programada uma visita do ministro [Miguel Macedo] à divisão para esta semana e não podemos deixar de associar as duas coisas”, diz a mesma fonte.

Paulo Rodrigues, da Associação Sindical Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP), admite que os carros possam ter sido levados “para arranjar”. É que nos últimos 15 dias, em Lisboa, mais de 40 viaturas foram concertadas recorrendo-se a peças de outros carro avariados.

A maioria das avarias, de Norte a Sul, são de fácil resolução – como lâmpadas fundidas, falta de calços de travões ou problemas eléctricos, acrescenta Armando Ferreira, do Sindicato Nacional de Polícia (SINAPOL). “Por norma não são avarias excepcionais, só que os concursos para aquisição de material demoram muito tempo”, concorda Paulo Rodrigues. Um exemplo é o concurso para a compra de carros novos que a tutela abriu em Janeiro e ainda não terminou. “É preciso compreender que as instituições não são todas iguais. A PSP tem de funcionar 24h por dia e há muitos imprevistos”, sublinha o presidente da ASPP, defendendo uma “desburocratização” de procedimentos. Armando Ferreira garante que já há “muitos agentes” a usar carros particulares para trabalhar, “quando alguns comandantes da PSP usam as viaturas de serviço para fins pessoais”, remata.

O i tentou um comentário da Direcção Nacional da PSP até ao fecho da edição, mas tal não foi possível.



* E os bombeiros, a GNR e outros órgãos de segurança e fiscalização??

.

JORGE MONTEMOR



MALDITAS IMPARIDADES

"No crédito bancário à economia, 64% do total é-o ao sector de construção e imobiliário"

Muitos desses créditos são a longo prazo apesar de financiados pela banca em curto prazo. Os que não são de longo prazo também são de difícil cobrança ou liquidação dada a actual situação do mercado imobiliário.

Para a desalavancagem exigida pela troika para 120% do rácio de empréstimos sobre depósitos, o esforço terá que vir de outros sectores, os que conseguem ir liquidando, e onde a banca está a pressionar. Praticamente todas as empresas estão a ver o seu custo de financiamento a aumentar e os plafonds de crédito a diminuir, incluindo e infelizmente as empresas de bens transacionáveis e exportadoras, vectores de recuperação da economia. Até quando? Até a banca conseguir “limpar” os seus balanços dos seus activos improdutivos.

Existem muitos créditos que os bancos não poderão hoje recuperar, e talvez nem num futuro próximo. É ouvido em muitos Conselhos de Administração uma “certeza” de os bancos não quererem exigir os créditos às suas empresas para não ficarem com os activos penhorados ou com as próprias empresas, entre insolventes ou viáveis com excesso de dívida. Os bancos converterse-iam em holdings de participações, que não desejam nem estão preparados para isso. A venda também não é hipótese dadas as imparidades daí resultantes. Isto é, o valor do activo pode ser inferior ao crédito registado na contabilidade dos bancos. É possível que desses 64% de crédito ao imobiliário e construção, ou perto de 100 mil milhões de euros, existam imparidades resultantes da desvalorização imobiliária, de quase 20%.

Isso corresponderia a uma perda, se realizada hoje, de 20 mil milhões de euros ou oito vezes a capitalização bolsista dos bancos portugueses. Seria a insolvência, não é solução. A banca preferirá fazer, como fizeram os bancos japoneses na década de 90, “arrumar” esses créditos no sótão à espera de melhores dias. No entanto, isso é um “crowding-out” de crédito à economia. Por ter esses empréstimos imobilizados, não geram novos créditos à economia. Se a banca não se “limpar” desses créditos não pode voltar a ser o que deve ser, um instrumento vital e básico da nossa economia de mercado, europeia porque a economia americana por exemplo não depende tanto dos bancos para a intermediação entre poupança e investimento.

Necessitamos de um “reset” para termos uma banca saudável. Salvar a banca desses activos é um imperativo, o que não significa salvar a actual estrutura accionista até por questões de moral hazard. Como?



IN "EXECUTIVE DIGEST"
12/03/12


.
.

HOJE NO
"A BOLA"

«O meu infortúnio pode ter sido 
decisivo para Muamba» - Cech

Petr Cech diz que a lesão grave na cabeça que contraiu em 2006 pode ter contribuído para salvar a vida de Fabrice Muamba, jogador do Bolton que caiu inanimado durante o jogo da Taça de Inglaterra com o Tottenham, no passado sábado, e que se encontra hospitalizado.

«Quando me lesionei passou muito tempo até me retirarem do campo. Se o mesmo tivesse acontecido com Fabrice, ele poderia não ter hipóteses. Fico contente com tudo o que foi feito desde então, as estruturas médicas melhoraram e os jogadores têm mais possibilidades de sobreviver dado o equipamento médico que agora existe no campo. Poucos segundos podem fazer a diferença», lembra o guardião checo, em declarações ao site do Chelsea.


* Em Portugal também há casos de atletas mal assistidos após acidente ou síncope, e morreram...

.
.

 
7 - O que DARWIN 
 
 
não sabia





Os episódios anteriores foram editados nas terças-feira precedentes à  mesma hora.

.
.

HOJE NO
"PÚBLICO"

Ensino superior
Estudo revela que quase metade dos alunos atravessa dificuldades económicas

Quase metade dos alunos do ensino superior atravessa dificuldades económicas, muitos temem abandonar o curso ainda neste ano lectivo e 58% não se sente preparado para entrar no mercado de trabalho, revela um estudo hoje divulgado.

Estes são os dados nacionais dos inquéritos feitos aos universitários e tratados pela Associação Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (AAUTAD), para saber qual a situação económica e as dificuldades dos estudantes do ensino superior. O estudo foi divulgado hoje, em conferência de imprensa, após o Encontro Nacional de Direcções Associativas (ENDA), que decorreu em Évora, durante o fim de semana, e que reuniu dirigentes das associações académicas e de estudantes das universidades e institutos politécnicos nacionais.

De acordo com os promotores do estudo, aos inquéritos, que foram feitos já este ano nas universidades e politécnicos de Portugal Continental e Açores, responderam quatro mil alunos num universo de cerca de 130 mil.

Dos 4000 inquiridos, 1855 afirmou passar dificuldades económicas; destes, 1224 disseram temer abandonar o ensino superior por esse motivo e 1275 revelaram que não recebem bolsa de acção social.

Nos inquéritos foi perguntado se os alunos se sentem preparados para entrar no mercado de trabalho, tendo 2214 (58%) respondido que não e 1620 (42%) que sim. Os estudantes foram também questionados sobre se a sua formação se ajusta às oportunidades de emprego em Portugal, com mais de metade (62%) a considerar que não e 38% que sim.

Quanto às intenções de emigrar depois de terminar o curso, 2110 (55%) respondeu que sim e 1743 (45%) disseram que não.

O presidente da AAUTAD, Sérgio Martinho, disse que o associativismo nacional está “muito preocupado” com os dados revelados pelo estudo, cujo resultado vai ser enviado para a tutela e para outros órgãos do sector para “terem a noção da realidade do ensino superior”.

“Quase metade dos alunos que respondeu a estes inquéritos demonstra dificuldades económicas e isto preocupa-nos muito”, porque “daí advêm muitos outros problemas, nomeadamente a continuação da frequência no ensino superior”, afirmou o responsável. O dirigente estudantil defendeu que “tem de haver um maior apoio” para os alunos com dificuldades económicas e “mais informação” sobre as ajudas para que esses estudantes possam continuar a estudar.


* É verdade que alunos universitários têm dificuldades económicas e passam mal para poderem frequentar as aulas, devem ser apoiados. Mas pode acontecer que meninas e meninos que levam o pópó para a faculdade também se queixem de dificuldades, nada de confusões na atribuição do apoio.

.
.

DAS CANÇÕES MAIS OFENSIVAS DE SEMPRE

08 – 2 LIVE CREW

ME SO HORNY




LETRA

[What'll we get for ten dollars?]
[Every 'ting you want]
[Everything?]
[Every 'ting]
[Ooh! Don't do that, baby! Ahh!]
[Hold on this! Oh, sock it to me! Aaahh!]
[Ooohh!]

Chorus (repeated during breakdowns):
[Ahh! Me so horny!]
[Me love you long time!]

Verse 1: Brother Marquis
Sittin' at home with my dick on hard
So I got the black book for a freak to call
Picked up the telephone, then dialed the 7 digits
Said, "Yo, this Marquis, baby! Are you down with it?"
I arrived at her house, knocked on the door
Not having no idea of what the night had in store
I'm like a dog in heat, a freak without warning
I have an appetite for sex, 'cause me so horny

Chorus

Verse 2: Fresh Kid Ice
Girls always ask me why I fuck so much
I say "What's wrong, baby doll, with a quick nut?"
'Cause you're the one, and you shouldn't be mad
I won't tell your mama if you don't tell your dad
I know he'll be disgusted when he sees your pussy busted
Won't your mama be so mad if she knew I got that ass?
I'm a freak in heat, a dog without warning
My appetite is sex, 'cause me so horny

Chorus

Verse 3: Brother Marquis
You can say I'm desperate, even call me perverted
But you say I'm a dog when I leave you fucked and deserted
I'll play with your heart just like it's a game
I'll be blowing your mind while you're blowing my brains
I'm just like that man they call Georgie Puddin' Pie
I fuck all the girls and I make 'em cry
I'm like a dog in heat, a freak without warning
I have an appetite for sex, 'cause me so horny.

Chorus

Breakdown(4x):
[Ahh! Hold on this! Oh, sock it to me!]

Chorus

Verse 4: Fresh Kid Ice
It's true, you were a virgin until you met me
I was the first to make you hot and wetty-wetty
You tell your parents that we're goin' out
Never to the movies, just straight to my house
You said it yourself, you like it like I do
Put your lips on my dick, and suck my asshole too
I'm a freak in heat, a dog without warning
My appetite is sex, 'cause me so horny

Chorus

Breakdown (repeated till end of track):
[Fuckie suckie]
[Me fuckie suckie]

A TRADUÇÃOZINHA

[O que nós conseguimos com 10 dolares?]
[Tudo o que vocês quiserem]
[Tudo?]
[TUDO]
[Ooh! Não faça isso , baby! Ahh!]
[Segure nisso! Oh, enfia em mim! Aaahh!]
[Ooohh!]
Eu estou tão excitado

(Refrão)
[Ahh! Eu tão excitado!]
[Eu te amo pra sempre!]

Verse 1: Brother Marquis

Sentado em casa com meu pau duro
Então eu pego o livro preto para ligar pra um doido
Pego o telefone, e digito os 7 digitos
digo, Yo esse é o Marquis, baby! Você topa isso?
Eu chego a sua casa, bato na porta
sem ter idéia do que a noite prepara
Eu sou como um cachorro no calor, louco sem aviso
Eu tenho um apetite pro sexo , porque eu estou tão excitado

(Refrão)

Verse 2: Fresh Kid Ice
Mulheres sempre me perguntam porque eu f.do muito
eu digo " O que há de errado boneca com uma rapidinha?"
Porque você é unica, e não deveria estar brava
Eu não vou dizer pra sua mãe se você não dizer pro seu pai
Eu sei que ele vai ficar com nojo quando vir sua vagina arrombada
Sua mãe não vai estar tão p.ta se ela souber que eu peguei essa bunda ?
Eu sou um louco no calor, um cachorro sem aviso
Meu apetite é sexo, porque eu estou tão excitado

Verse 3: Brother Marquis
Você não pode dizer que eu sou desesperado,ou me chamar de pervertido
Mas você pode dizer que sou um cachorro quando te deixo f.d.d.
Eu vou jogar com seu coração como se fosse um jogo
Vou explodir sua mente enquanto você espreme meu cerebro
Eu sou como aquele homem que chamam Georgie Puddin' Pie
Eu f.do todas a garotas e as faço chorar
Eu sou como cachorro no calor, um louco sem aviso
Eu tenho um apetite por sexo, porque eu estou tão excitado.

(Refrão)

Verse 4: Fresh Kid Ice
É verdade, você era virgem até me conhecer
Eu era o primeiro a fazer você gostosa e atraente
Você fala pro seus pais que vamos sair
Nunca pro cinema, mas direto pra minha casa
Você mesma disse , que gosta quanto eu gosto
ponha seus labios no meu pau , e lambe meu cu também
Eu sou um louco no calor, um cachorro sem aviso
Meu apetite é o sexo, porque eu estou tão excitado

(Refrão)


NR: Ninguém desta redacção compôs esta canções, mas a verdade é que elas estão editadas em disco e se calhar hà muito boa gente que  as trauteia e não sabe o que canta...

.
.
.

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Pressões para apoiar Freeport

O ex-director da Reserva Natural do Estuário do Tejo (RNET) José Vasconcelos revelou ontem, no Tribunal do Barreiro, ter sido pressionado por José Manuel Marques – consultor na Câmara de Alcochete e antigo vice-presidente do Instituto de Conservação da Natureza (ICN) – para apoiar o projecto do Freeport.

O testemunho foi dado durante o julgamento de Charles Smith e Manuel Pedro, acusados de tentativa de extorsão de 23,3 milhões de euros para garantir o licenciamento do outlet de Alcochete. José Vasconcelos explicou que as "pressões eram contínuas", que a situação era "muito difícil de gerir" e que José Manuel Marques, que chegou a ser constituído arguido mas não foi acusado, agia "como se fosse o patrão da iniciativa".

Durante a quinta audiência, foi ouvido também José Manuel Silva Ginja, técnico oficial de contas da Smith & Pedro que, segundo a defesa, seria o misterioso ‘pinóquio’ – Charles Smith referiu num e-mail que uma parte das 80 mil libras pagas pelo Freeport era para dar ao ‘pinóquio’. Confrontado pelo Ministério Público com esta alcunha, José Ginja garantiu não saber de quem se tratava. O julgamento teve início a 8 de Março e prossegue esta manhã.

FAVORES PODEM SER PAGOS

"Os favores podem ser pagos com presentes ou cheques". A frase é do antigo director da Lusoponte João Filipe Rebelo Pinto, que revelou ontem em tribunal ter recebido dos sócios da Smith & Pedro um relógio da marca Burberrys. Segundo o próprio, esta prenda pode ter sido "uma gentileza" para pagarem o favor de ter organizado uma reunião com o advogado Augusto Ferreira do Amaral, ligado à venda dos terrenos ao grupo Freeport. Questionado sobre se tinha recebido dinheiro, João Pinto disse não se lembrar. Augusto Ferreira do Amaral, irmão do antigo ministro das Obras Públicas Joaquim Ferreira do Amaral, e Mário Cristina de Sousa, ex-ministro da Economia, são ouvidos hoje como testemunhas.


* "Os favores podem ser pagos com presentes ou cheques", não há nenhum português que não entenda, todos os dias a comunicação social é fértil em revelar vigarices do poder político/financeiro, que de outra maneira não seriam do conhecimento público.
Uma perguntinha, Isaltino de Morais já foi preso, poque espera a juíza????

.
.


QUE FRÁGIL 
TERCEIRA IDADE




.
.

HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Mentir no IRS vai passar a dar prisão

Proposta do Governo para alteração do Código Penal prevê penas de cadeia para quem prestar falsas declarações ao Fisco.

Mentir sobre a identidade ou a situação fiscal passa a dar direito a prisão. Quem prestar falsas declarações às Finanças ou a agentes da autoridade arrisca uma pena até um ano, segundo as alterações aos códigos Penal e do Processo Penal que o Ministério da Justiça já enviou para discussão pública. A pena pode chegar mesmo aos dois anos se o contribuinte mentir sobre o seu estado civil na assinatura de uma escritura.

Na prática, em todas as manobras que enganam o Fisco e pretendem obter benefícios do Estado a que não se tem direito ou impedindo-o de exercer a sua acção, passam a ser abrangidas por esta possibilidade, segundo a proposta de alterações que é revelada pelo 'Diário de Notícias' e pelo jornal 'Público' nas suas edições desta terça-feira.

Em concreto, se por exemplo declarar que é divorciado, sem o ser, se disser que é apenas funcionário, mas o facto é que é o gerente de uma empresa, ou que tem um filho que na verdade não é seu só para ter benefícios fiscais, arrisca-se a ser punido. Estas práticas passarão a ser consideradas crime.

Mentir sobre a identidade do condutor que foi apanhado em excesso de velocidade por um radar, por exemplo, ou indicar uma morada falsa, dificultando, desse modo, o recebimento de notificações judiciais ou fiscais, são comportamentos que entram igualmente no leque de casos susceptíveis de punição.

A proposta do ministério de Paula Teixeira da Cruz confirma ainda as intenções da ministra da Justiça em fazer alterações às prescrições, suspendendo os prazos logo a seguir à condenação. A intenção é evitar recursos sucessivos por parte dos arguidos com o intuito de não cumprirem pena imediata.


* A ideia é muito boa, mas quem fôr rico e mentir,contrata um advogado para contestar e dizer que não foi cometida uma mentira mas sim uma "inverdade", e assim o caso muda de figura.

.
.


AVEIRO À NOITE
















 NR: Damos hoje início a uma inserção semanal de fotos nocturnas das capitais de distrito do país. Se entender possuir fotografias bonitas e quiser colaborar connosco, então envie as suas melhores fotos para "apxxdxdocorreio@gmail.com" que na altura própria as publicaremos.
Obrigada

.
.
.

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

No local de trabalho
Casos de assédio duplicam no último ano

Os casos de assédio moral e sexual no local de trabalho quase duplicaram no último ano, segundo a Autoridade para as Condições do Trabalho, que em 2011 registou 140 crimes. 'Os números que temos indicam que estão a ser registados mais fenómenos de assédio moral e sexual e de inocupação dos postos de trabalho', assumiu o inspetor geral do trabalho, José Forte. Ainda segundo estes dados, as mulheres são as principais vítimas de assédio sexual e moral e é da área de Lisboa e do Porto que chegam a maioria das queixas.


* Quanto maior fôr a crise maior é esta imbecilidade patronal.


.
.






7 - FOTÓGRAFOS CHINESES

ORNITÓLOGOS












.

HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

111 mortos na estrada 
desde o início do ano

Cento e onze pessoas morreram nas estradas portuguesas desde o início do ano, menos 32 do que em igual período de 2011, com 143 vítimas, informou hoje a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

Segundo a mesma fonte, entre 01 de janeiro e 15 de março de 2012, o período analisado, foram contabilizados 381 feridos graves, contra os 423 do ano passado.

Os dados recolhidos pela Polícia de Segurança Pública (PSP) e pela Guarda Nacional Republicana (GNR) indicam que o número de feridos ligeiros se fixou em 6.711, menos 903 do que no mesmo período de 2011.

De acordo com os números da ANSR, entre 01 e 15 de março morreram 10 pessoas, nove registadas pela GNR e uma pela PSP, e foram contabilizados 44 feridos graves, 28 pela GNR e 16 pela PSP.

A ANSR revela igualmente que o número de mortos na estrada no último ano, de 16 de março de 2011 a 15 de março de 2012, foi 656, menos 85 do que no período homólogo anterior.

A autoridade especifica que a informação estatística, elaborada com base nos mapas de acidentes e de vítimas referentes ao continente e enviados diariamente pelas entidades fiscalizadoras, tem um carácter provisório.

Segundo a ANSR, o conceito de "morto ou vítima mortal" utilizado neste âmbito abrange, apenas, as vítimas cujo óbito ocorre no local do acidente ou durante o transporte até à unidade de saúde.


* Não estão contabilizados aqueles que preferem ir morrer ao hospital depois do acidente. Mesmo assim é um morto e meio por dia, uma carnificina.


.
.



10 - SISTEMA CARDIOVASCULAR



h
.


HOJE NO
"RECORD"

Tiago Aperta: «Trabalho foi premiado»
Feliz pelo recorde nacional no dardo

Tiago Aperta mostrou-se satisfeito e altamente motivado na sequência da excelente participação na Taça da Europa de lançamentos, no Montenegro, em que ficou a apenas 3 centímetros do pódio e estabeleceu novo recorde nacional no dardo (75,55 metros).
“Foi muito importante para demonstrar que Portugal começa a ter alguém a aparecer nos lançamentos”, disse o jovem atleta, 19 anos, em declarações à Benfica TV. Para Aperta, o superar da marca, que já lhe pertencia em mais de um metro e meio é o coroar de uma época de crescimento: “Estou muito contente. Fui premiado pelo trabalho que tenho feito desde o início do ano. Agora é continuar!”


* Em Portugal há muito atleta a trabalhar e bem, será que o país reconhece ou prefere as banalidades do "jet que não tem categoria para ser 7"??

.
.


BOM
 ALMOÇO



.
.
 
HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Governo diz que dívida total 
dos municípios andará nos 
12 mil milhões 
de euros

O ministro dos Assuntos Parlamentares disse, quinta-feira à noite, que a dívida global dos municípios e empresas municipais "andará nos 12 mil milhões de euros" e que a de curto prazo, ainda em apuramento, "nunca será inferior a 3 mil milhões" de euros.

"A dívida dos municípios, na totalidade de municípios e empresas municipais, andará nos 12 mil milhões de euros. A dívida de curto prazo dos municípios, que está a ser apurada, nunca será inferior a 3000 milhões. Estamos a falar de números muito elevados", disse Miguel Relvas, numa aula aberta no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), em Lisboa.

Aos jornalistas, antes da conferência, Miguel Relvas recordou que o Governo está a fazer "um balanço sobre a situação económica e financeira dos municípios", admitindo que a "situação é delicada", mas sem avançar valores.

"É um valor mais elevado do que desejaria", admitiu.

Miguel Relvas disse ainda esperar que a contabilização das dívidas fique finalizada até ao final desta semana.

Em finais de janeiro, o ministro considerava ser "muito preocupante" a dívida de curto prazo dos 38 municípios mais endividados, que ascendia a 1500 milhões de euros, segundo a Associação Nacional de Municípios Portugueses.

"É muito preocupante, até porque, na globalidade, a dívida ascende a 8.000 milhões de euros", advertiu então Miguel Relvas, que hoje apresentou novos números para a dívida 50 por cento superiores (mais 4000 milhões).

Em finais de fevereiro, uma carta com as assinaturas dos ministros das Finanças e dos Assuntos Parlamentares exigia aos 308 presidentes de câmara do continente, da Madeira e dos Açores que detalhassem à Inspeção-Geral de Finanças, até 15 de março, o montante que os municípios têm em dívida.

Na semana passada, o presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses, Fernando Ruas, admitiu que o valor das dívidas que os municípios irão fornecer à Inspeção-Geral de Finanças é essencial para a definição de medidas futuras.


* Muitos municípios criaram empresas fantasmas que arrecadaram fundos estrturais os quais se evaporaram e uma grande parcela da dívida é composta por este tipo de verbas "voláteis". Outra parte da dívida tem a ver com o "combinanço" com os patos bravos que tomaram conta das obras públicas municipais. Ainda uma outra parte tem a ver com centenas de administradores de empresas municipais, não executivos. que não tendo salário fixo auferem remuneração choruda de presença, nas reuniões dos conselhos de administração, têm direito a automóvel de topo, cartão de crédito, telefone, para fazerem nenhum a não ser assinar o ponto. Acrescem ainda as viagens que fazem, a maioria a fingir que trabalham, com tudo pago. Estas parcela todas somadinhas são uma nota preta, com o governo a ser conivente pois não põe termo a este forró.
Falta dizer que os administradores não são regidos  pelas leis gerais do trabalho, mas por uma que, por exemplo, lhes permite ter o número de dias de férias que lhes der na gana, enquanto os retiram aos trabalhadores por conta de outrem.

.