sexta-feira, 16 de março de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA



Dentro de poucos anos, o primeiro dia de aulas em Portugal:

A professora faz a chamada:


"Mustafá El-Ekhseri"......................Presente!
"Obamba Moluni"........................... Presente!
"Achmed El-Cabul"........................ Presente!
"Evo Menchú"............................... Presente!
"Yao Ming Chao"........................... Presente!
"Al Ber Tomar Tinsdi-As"...................Ninguém responde

"Al Ber Tomar Tinsdi-As", volta a repetir a professora, algo chateada.

 
........... Ninguém responde

"Pela última vez: Al Ber Tomar Tinsdi-As", diz a professora bastante exaltada.

De repente levanta-se um miúdo e diz:

 
"Devo ser eu professora, mas pronuncia-se: Alberto Martins Dias.


.
O MAIOR ESPECTÁCULO DO MUNDO CANTA  EM PORTUGUÊS


RIO 2012

Clipe da União da Ilha





Comissão de Frente



Mestre-Sala e Porta-Bandeira




.
.

VÍTIMAS DO ZEDU




.
.....


HOJE NO
"i"

 Governo gastou 160 mil euros por mês em viagens até final de 2011
 Nos primeiros 231 dias de governação, executivo realizou 246 viagens. Quase metade foram para Bruxelas

 “We’ll always have Brussels.” Esta bem pode ser a frase final de qualquer governo ou governante em final de mandato. É o destino de eleição – ainda que não por escolha própria – dos principais decisores políticos do país, seja para o beija--mão seja para participar em dezenas de reuniões ministeriais. Esta predilecção forçada por Bruxelas é bem notória no relatório dos primeiros meses das viagens realizadas pelo executivo de Pedro Passos Coelho. Foram 92 as vezes em 213 dias que a capital belga foi visitada por secretários de Estado ou ministros deste governo. Um ritmo que significa que, dia sim dia não, há uma visita do executivo a Bruxelas. O rei das visitas a esta cidade é, claro está, o ministro das Finanças – ou um dos seus secretários de Estado – que, entre Junho e Dezembro de 2011, por 29 vezes visitou aquela cidade: mais de quatro vezes por mês, ou uma vez por semana. Culpa, provavelmente, das cimeiras sempre-decisivas-que-nunca-o-são. Segundo um apanhado feito pelo gabinete do primeiro-ministro – que só foi elaborado após muita insistência dos deputados do Partido Socialista e obrigou inclusivamente à intervenção da presidente da Assembleia da República [ver texto ao lado] –, o governo gastou, entre Junho e Dezembro do ano passado, 1 125 829 euros em deslocações ao exterior e despesas daí decorrentes, fruto de mais de 240 viagens realizadas por ministros ou secretários de Estado. Um ritmo de 160 mil euros e 34 viagens/mês. O gabinete do primeiro-ministro, com um total de 17 viagens realizadas durante os meses em questão, foi o que mais gastou para se deslocar a Madrid, Varsóvia, Bruxelas, São Tomé e Príncipe, Brasília, Paraguai ou Luanda, entre outros destinos. Passos Coelho precisou de quase 368 mil euros para financiar estas deslocações – ou 21,6 mil euros por visita –, valor bem acima das verbas gastas por outros gabinetes. Apesar de o maior orçamento até ao momento ser de Passos Coelho, é o ministério de Paulo Portas que lidera no total de deslocações: foram 58 viagens em sete meses e um gasto total de 291,4 mil euros – pouco mais de 5 mil euros/deslocação. Taco-a-taco pelo segundo lugar estão Vítor Gaspar e Assunção Cristas, tanto no total de viagens como nos gastos por deslocação, por culpa das repetidas visitas que ambos fazem a Bruxelas. As Finanças realizaram 42 deslocações e gastaram quase 67 mil euros, enquanto a Agricultura gastou 66 mil euros para 40 viagens – mais de 20 das quais à Bélgica [ver em baixo os valores gastos por cada ministério ou secretaria de Estado]. Económica Vs. Executiva Em relação à forma de deslocação dos ministérios, a classe económica foi a escolha predominante da maioria dos gabinetes, à excepção do primeiro-ministro e de Paulo Portas que, nas viagens em que tal informação foi detalhada, recorreram sempre ao Falcon F50 da Força Aérea. Já nas Finanças, a austeridade é mesmo uma ordem. A opção pela classe económica dominou quase todas as 42 viagens realizadas – mesmo as de longo curso como a Washington, para a reunião anual do Banco Mundial –, havendo, contudo, duas deslocações em que não é especificada a classe. Já na Economia, a escolha foi outra: as cinco viagens de longo curso, de um total de 19 feitas pelo ministério, foram todas com direito a lugar na executiva. 


* O que espanta não é o valor da despesa, mas a verdadeira subserviência em relação a Bruxelas que faz o governo lá ir dia sim dia não, ajoelhar ante a oligarquia europeia. Vergonhosamente lacaios!!! 


 .


 .

TIM MARTINS

MARTELO ORTEGA


.

HOJE NO
"A BOLA"

 «Alguns clubes são casinos gigantes» 
- Platini 

 Michel Platini, presidente da UEFA, diz que as receitas e as perdas milionárias fazem de alguns clubes europeus verdadeiros «casinos gigantes». Platini, que falava no encerramento da 12.ª Conferência do Conselho da Europa de ministros do Desporto, referiu que os clube do ‘Velho Continente’ «ganham mais dinheiro que nunca», ao mesmo tempo que acumulam perdas milionárias, assemelhando-se-se, assim, em «casinos gigantes». O líder do organismo que tutela o futebol europeu quer fazer valer o ‘fair play’ financeiro instituído em 2009, sublinhando que «há limites que não devem ser ultrapassados». «A situação tornou-se insustentável. Por isso estamos a agir», indicou.



* Tem razão no que diz mas não coincide com a "verdade desportiva" a que é permissivo. Faltou-lhe dizer que além da "roleta" também se "trafica" mão de obra. 

 .

.


1.3-A IGREJA CATÓLICA

CONSTRUTORA DA CIVILIZAÇÃO






Série da EWTN apresentada por Thomas E. Woods, autor do livro Como a Igreja Católica Construiu a Civilização Ocidental.

NR: Há muito que somos zurzidos por muitos amigos e alguns visitadores, pela nossa atitude agreste, alguns dizem agressiva, em relação à igreja católica, nos vários comentários que por vezes dirigimos à estrutura ou a alguns dos seus intépretes.
Lá nos vamos defendendo destas "vis" acusações referindo que só zurzimos em quem se põe a geito...
Mas, como apreciamos a imparcialidade decidimos editar uma série longa em defesa acérrima da igreja católica, não para nos redimirmos ou ganharmos o céu mas por respeito aos nossos amigos e visitadores que professam esta religião.
A Redacção

.


 
HOJE NO
"PÚBLICO"

Adolescentes do Alentejo e Algarve 
com mais comportamentos de risco 

São os mais tristes, os mais irritados, dos que menos fazem exercício físico diário, dos que menos gostam da escola. São apenas exemplos de uma tendência que se repete: são os adolescentes alentejanos e algarvios os que tendem a apresentar mais comportamentos de risco, referem dados do estudo português sobre comportamentos em saúde de jovens em idade escolar (Health Behaviour in School-Aged Children), que é feito no âmbito da Organização Mundial de Saúde e em que participam mais 43 países.

 À excepção da melhor comunicação com os amigos e menos lesões sofridas, é a sul do Tejo que estão os resultados mais negativos, admite Margarida Gaspar de Matos, a coordenadora do estudo que inquiriu uma amostra representativa da população nacional (e regional) de 5050 adolescentes portugueses dos 6.º, 8.º e 10.º anos de escolaridade, com uma média de idades de 14 anos. Antes de mais, as boas notícias: comparando os dados deste estudo, cujo inquérito é de 2010, mas que já tinha sido feito em 1998, 2002 e 2006, constata-se que a saúde dos adolescentes tem vindo a melhorar desde 2002, o que se traduz na diminuição do consumo de tabaco, na sexualidade mais responsável, na diminuição da violência, no bem-estar físico e psicológico, na satisfação com a vida e na saúde oral. Mas as respostas dos inquiridos de 2010 vistas à lupa dão conta de diferenças dentro do país que, defende a coordenadora, têm que ser tidas em linha de conta. Desde logo, no Alentejo há 11,3% de miúdos que dizem estar tristes ou deprimidos e 9,4% de algarvios que dão a mesma resposta. Em Lisboa esse valor é de 8,8%, no Norte de 8,2% e, no Centro, de 6,4%. O Alentejo e o Algarve são as duas regiões onde foram registados maiores índices de obesidade - 3,6% destes jovens estarão nesta situação, contra uma média nacional de 3,4% (era de 2,3% em 1998). No consumo de substâncias, é no Alentejo que mais os adolescentes dizem ter ficado embriagados mais de dez vezes na vida (6,1%) e 5,8% reportam mesmo o consumo semanal de bebidas destiladas. No resto do país, estes números ficam em torno dos 2 a 3%. É também naquela região que há mais jovens (31,6%) a dizer que não gostam da escola (a média nacional é de 23,5%). O estudo sinaliza o problema, mas não estudou as causas da concentração destes resultados nas duas regiões. Mas Margarida Gaspar de Matos, que é psicóloga, deixa algumas pistas. "Estas são regiões em que há menos jovens, estão mais espalhados e isolados", o que potencia efeitos de grupo. "Se há um grupo que adere [a um dado comportamento], é mais fácil criar uma moda de grupo - há menos espaço para a diferença". As diferenças regionais encontradas são uma chamada de atenção para o facto de as medidas nesta área terem que ser pensadas localmente, o que passa pela "autonomia das escolas e a valorização das autarquias". "Uma boa solução para o Norte pode não ser uma boa solução para o Sul." Há especificidades nas várias regiões. "O Norte tem, em geral, melhores resultados", mas, apesar de ter menos jovens que iniciaram relações sexuais (19,3% face aos 21,8% de média nacional), os que a iniciaram são os que menos dizem usar preservativo (79,1% face aos 82,5% em termos nacionais) e, por isso, estão em maior risco. Educação Sexual traz ganhos O Centro está melhor na prática de actividade física e pior na higiene oral e em Lisboa e Vale do Tejo há índices de obesidade menor, mas "há maior violência interpessoal". Por exemplo, são 7,3% os jovens desta região que dizem ter estado envolvidos em lutas no último ano, o valor mais alto no país, e 4,5% os que dizem ter provocado alguém na escola nos últimos dois meses anteriores ao inquérito (a média do país fica-se pelos 2,7%). Em termos nacionais, Margarida Gaspar de Matos, que dirige a equipa de investigadores da Faculdade de Motricidade Humana e Centro de Malária e Doenças Tropicais, em Lisboa, sublinha que os adolescentes que mais tiveram Educação Sexual tendem a ser os que iniciam a sua vida sexual mais tarde e os que menos têm relações sexuais desprotegidas. "A Educação Sexual só tem vantagens", conclui. A maioria (65,9%) diz que os seus professores abordaram estes conteúdos nas aulas. Dos alunos de 8.º e 10.º ano inquiridos, são 23,5% os que já iniciaram a sua vida sexual nunca tendo tido Educação Sexual, um número superior aos 20% de alunos da mesma idade que dizem tê-lo feito tendo tido contacto com aqueles conteúdos. Há uma diferença de três pontos percentuais no uso do preservativo entre os que tiveram Educação Sexual e os que não tiveram: 96% no primeiro caso e 93,1% na segunda situação. Os alunos que tiveram Educação Sexual revelam também menos comportamentos discriminatórios face a pessoas infectadas com VIH/sida. 


* O País depende das gerações mais novas que soubermos educar, não há dinheiro que substitua a educação, a cívica e a académica.


 .

FILIPE LUÍS






  

A ditadura das Finanças
Um novo poder ressuscita o
. Ministério das Finanças de... 1928!

Por baixo do manto diáfano da troika, estende-se um novo poder, que ressuscita, mais de 80 anos depois, a política do Ministério das Finanças empossado em 1928. A polémica em torno da gestão das verbas dos fundos europeus do QREN veio precisar as quatro regras de ouro do Governo:
a) Que cada ministério se compromete a limitar e a organizar os seus serviços dentro da verba global que lhes seja atribuída pelo Ministério das Finanças;
b) Que as medidas tomadas pelos vários ministérios, com repercussão direta nas receitas ou despesas do Estado, serão previamente discutidas e ajustadas com o Ministério das Finanças;
c) Que o Ministério das Finanças pode opor o seu "veto" a todos os aumentos de despesa corrente ou ordinária, e às despesas de fomento para que se não realizem as operações de crédito indispensáveis;
d) Que o Ministério das Finanças se compromete a colaborar com os diferentes ministérios nas medidas relativas a reduções de despesas ou arrecadação de receitas, para que se possam organizar, tanto quanto possível, segundo critérios uniformes.
Estas quatro alíneas são uma invenção de Passos Coelho? Não. Elas foram proferidas, palavra por palavra, há 84 anos (a 27 de abril próximo) por um remoto antecessor de Gaspar. Um tal António de Oliveira Salazar, na sua tomada de posse como ministro das Finanças. E as condições de Salazar parecem-nos bem atuais.
É verdade que Salazar pôs em ordem as Finanças - o que, à partida, pode animar o seu homólogo do século XXI. Mais: tal como Salazar sucedia a um ministro das Finanças desajeitado, Sinel de Cordes, Gaspar sucede a um ministro infeliz, Teixeira dos Santos - ambos, para o bem e para o mal, considerados responsáveis por pesadas heranças. No entanto, convém que o nosso simpático "ditador" das Finanças atual tenha presente que as coincidências acabam aqui. Nem os regimes, nem os protagonistas - nada! Nada tem a ver com a realidade de 1928. Em primeiro lugar, porque Gaspar não tem a facilidade de, escudado por uma ditadura militar, poder impor, por decreto, as suas medidas. Em segundo lugar, porque Salazar só conseguiu trabalhar mantendo condições de miséria e total ausência de estado social, de que os portugueses há muito se desabituaram. É caso para dizer: "Assim, também eu!" Com efeito, enquanto os portugueses de então nada tinham a perder, os atuais compatriotas do ministro das Finanças conheceram o outro lado: a imprensa livre, o estado social, o consumismo, a cidadania europeia e o euro.
Assim, o desafio de Vítor Gaspar é o de repetir as passadas do seu antigo antecessor mas, desta vez, em democracia e com sensibilidade social. Uma quadratura do círculo que não tem outro remédio senão aceitar.
Entretanto, bem pode Álvaro Santos Pereira, ministro da Economia, lamber, em silêncio, as feridas de uma desautorização pública que durou quase uma semana. Pode até contar com a solidariedade de um certo PSD, assustado com o crescente poder do ministro das Finanças. Que Vítor Gaspar, ainda incólume, todo-poderoso, espaldado no apoio de Berlim, de Bruxelas e da troika, vai ruminando com os seus botões, como Salazar apregoava no seu primeiro discurso de Estado: "Sei muito bem o que quero e para onde vou"



IN "VISÃO"
08/03/12

.
.

NOVAS OFERTINIDADES







.

ALMORRÓIDA JUSTICEIRA




Juíz britânico
Vale e Azevedo é "desonesto" 
e atacou tribunais portugueses
 com "aprumo descarado"

O juiz britânico que hoje decretou a extradição de João Vale e Azevedo para Portugal considerou sem qualquer fundamento as insinuações de motivação política da justiça portuguesa, qualificando o ex-presidente do Benfica de "desonesto".

O magistrado referiu, na sentença, que durante o julgamento foram feitas "acusações muito graves de vingança para silenciar um bastião de honrosa galante virtude futebolística que enfrenta a corrupção geral".

Vale e Azevedo, numa das audiências, acusou os juízes portugueses de falta de independência e de terem tomado decisões tendenciosas a seu respeito por ser uma figura pública.

Porém, o juiz Purdy concluiu, a propósito do testemunho do ex-presidente do Benfica, que "não há suporte para qualquer argumento, antes pelo contrário", pois muitos dos casos que foram julgados em Portugal envolveram amigos de família e não assuntos ligados ao futebol.

Na sua opinião, a verdade é menos "simpática", ou seja, "um homem de ambição desonesta que abusou da sua posição profissional e eleita para o seu benefício e que foi chamado a prestar contas".

"Tendo-o visto testemunhar, considero que ele continua desonesto", afirmou o juiz, a propósito da forma como Azevedo "fabricou ataques ao caso português com aprumo descarado".

O juiz rejeitou também outros argumentos apresentados pela defesa, nomeadamente de que já teria passado demasiado tempo desde os casos iniciais ou que Vale e Azevedo teria direito a liberdade condicional, pelo que não deveria ser novamente preso.

Também não deu valor aos testemunho de dois juízes aposentados compulsivamente, José Costa Pimenta e Carlos Fraga, que apontavam para a disfunção dos tribunais portugueses no tratamento dos casos de Azevedo.

"Dois juízes afastados, com óbvias agendas pessoais, não podem ocultar os sinais esmagadores de exaustivos procedimentos legais", comentou.

Foi assim que o juiz do tribunal de Magistrados de Westminster sustentou a decisão de aprovar a extradição para Portugal de João Vale e Azevedo, o qual tem agora sete dias para recorrer para o Tribunal Superior [High Court], equivalente ao Supremo Tribunal em Portugal.

Caso Azevedo não concretize esta possibilidade, a lei diz que a extradição tem de ocorrer nos 17 dias seguintes.

Juiz manda extraditar ex-presidente do Benfica, 
Vale e Azevedo

O juiz do Tribunal de Magistrados de Westmister decidiu hoje extraditar João Vale e Azevedo, mas o ex-presidente do Benfica já disse que ia recorrer da decisão para o Tribunal Superior [High Court].

Vale e Azevedo era objeto de um pedido de extradição baseado num mandado de detenção europeu emitido pela 4.ª Vara Criminal de Lisboa, depois de fixado o cúmulo jurídico em cinco anos e meio, na sequência de uma sucessão de recursos para o Supremo Tribunal de Justiça em 2010 e para o Tribunal Constitucional (TC) este ano.

O cúmulo jurídico foi estabelecido a 25 de maio de 2009 no âmbito dos processos Ovchinnikov/Euroárea (seis anos de prisão em cúmulo), Dantas da Cunha (sete anos e seis meses) e Ribafria (cinco anos).



IN "i"
16/03/12


.
.


HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Julgamento da 
Universidade Independente 
Testemunhas confirmam uso 
de conta pessoal de Luís Arouca
 para fins profissionais

Foram ouvidas esta quinta-feira duas testemunhas no Tribunal de Monsanto, em Lisboa, no Julgamento da Universidade Independente, no qual 23 arguidos estão a ser acusados de crimes económicos. António Lousão, antigo director dos serviços administrativos da Universidade Independente e Maria da Conceição Cardoso, que pertenceu à direcção da universidade, foram interrogados sobre a conta pessoal do ex-reitor Luís Arouca, que estaria a ser utilizada para fins profissionais. António Lousão confirmou que houve um período de tempo em que as contas bancárias da UnI estavam inactivas e que Luís Arouca terá utilizado uma conta pessoal com fins profissionais. ”Eu conferia esta conta”, afirmou António Lousão, que acrescentou não ter conhecimento que Luís Arouca “utilizasse dinheiro para uso próprio”. Maria da Conceição Cardoso recordou uma conversa com António Lousão, onde conversaram que “as receitas estavam a ser depositadas na conta do professor Luís Arouca”. As testemunhas foram confrontadas com vários cheques e cartas, que assumiram ter as suas assinaturas. As próximas sessões estão marcadas para o próximo dia 29, quinta-feira. 


* Polítiquices, Vigarices e Pulhíces. 


 .
.


I - GALÁPAGOS

3 - NASCIDO DO FOGO





O lugar que inspirou a teoria da evolução de Darwin. As ilhas Galapagos são um laboratório vivo, um cinturão geológico que gerou e viu morrer inúmeras espécies de plantas e animais. As ilhas ocidentais ascendem no mar dando mais chances a vida enquanto as ilhas orientais afundam garantindo a morte de vários seres e plantas. Entre os dois existem as ilhas centrais, fertéis e imponentes elas dão abrigo a um sem número de seres vivos. Em nenhum outro lugar na terra encontramos o ciclo da via e da morte tão aparente quanto aqui. Veja os ciclos se desdobrando perante seu olhos nesta fantástica filmagem feita em alta definição HD pela BBC e o National Geographic Channel.

.
.


HOJE NO
"DIÁRIO  ECONÓMICO"


Mesa dos portugueses perde qualidade
O consumo de leite caiu no final de 2011. O de marisco também.

A estrutura de custos das famílias portuguesas não se tem alterado substancialmente nos últimos anos: os gastos em bens alimentares fixaram-se nos 18,9% dos gastos totais - quando, no ano anterior, pesavam 18,5% (nunca chegaram, desde 2006, a baixar dos 18,1%). Já a aquisição de bens duradouros (automóveis, mobiliário, equipamento audiovisual, fotográfico e informático e equipamentos domésticos, entre outros) sofreu um corte sensível ao longo de 2011, ano em que o seu peso se fixou nos 7,9% da despesa total, contra os 9,6% do ano anterior - de onde resulta uma quebra de quase de 18%. Por outro lado, a despesa com bens correntes não alimentares e serviços (vestuário e calçado, despesas com electricidade, água, luz e combustíveis, produtos farmacêuticos, artigos de uso pessoal, livros e jornais, entre outros) manteve-se em níveis semelhantes, tendo passado de um peso de 71,9% em 2010 para 73,2% em 2011. Mas se a estrutura de custos não foi substancialmente alterada - a sua rigidez é, no mínimo, tão grande quanto a de um Orçamento de Estado - os dados coligidos pela Fundação Francisco Manuel dos Santos apontam para algumas conclusões mais ou menos óbvias. A primeira é que a mesa dos portugueses está um pouco mais pobre. O indicador mais claro é que tem a ver com o consumo de leite: no quarto trimestre de 2011, a variação homóloga (face ao mesmo período do ano anterior), foi negativa em 4,5%, querendo isso dizer que os portugueses consumiram menos leite nos três últimos meses de 2011 que em Outubro, Novembro e Dezembro de 2010. Já o consumo de carne não sofreu uma variação negativa: aumentou 4,8% no quarto trimestre de 2011 - mas tinha aumentado 12% no quarto trimestre de 2010 face a 2009. Por outro lado, verifica-se que o consumo de bovino (a carne mais cara) aumentou muito pouco (mais 0,8%), enquanto que o suíno (a mais barata) subiu bem mais: 9,1%. No peixe, o movimento é mais ou menos o mesmo: o consumo geral aumentou 9,4% no quarto trimestre de 2011 face a 2010; mas o consumo de marisco caiu 5,8% e o de bacalhau aumentou apenas 1,4%. A mesa continua farta, mas a qualidade está a diminuir. 


* Aguardemos pelos dados do primeiro trimestre de 2012 para verificar o trambolhão!


 .
.

AS CANÇÕES MAIS
OFENSIVAS DE SEMPRE


05 – ANTI-NOWHERE LEAGUE

SO WHAT



LETRA

So fucking what!
Well I've been to Hastings
And I've been to Brighton
I've been to Eastbourne too
So what, so what
Well I've been here
And I've been there
And I've been every fucking where
So what, so what
So what, so what you boring little cunt
Well who cares, who cares what you do
Who cares, who cares about you
You, you, you
Well I've sucked sweets
And I've sucked rock
And I've even sucked an old man's cock
So what, so what
Well I've fucked a sheep
And I've fucked a goat
I've had my cock right down its throat
So what, so what
So what, so what you boring little cunt
Well who cares, who cares what you do
Who cares, who cares about you
You, you, you, you
Well I've drunk that
And I've drunk this
And I've spewed up on a pint of piss
So what, so what
And I've had scag
I've had speed
I've jacked up until I bleed
So what, so what
So what, so what you boring little cunt
Well who cares, who cares what you do
Who cares, who cares about you
You, you, you, you
Well I've had crabs
And I've had lice
And I've had the pox and that ain't nice
So what, so what
Well I've fucked this
And I've fucked that
And I've even fucked a schoolgirl's crack
So what, so what
So what, so what you boring little cunt
Who cares, who cares about you
Who cares, who cares about you
You, you, you, you...


FONTE: FLAVORPILL/BLITZ


.


Frustração sexual atira moscas 
para o álcool

Cientistas norte-americanos descobriram que, tal como muitos humanos, também as moscas macho se refugiam no álcool quando rejeitadas pelas fêmeas. Ao contrário, as moscas sexualmente satisfeitas abstêm-se de beber.
As moscas cujas investidas tenham sido desprezadas pelas fêmeas têm maior probabilidade de virem a embriagar-se do que as bem sucedidas sexualmente.
Esta é a primeira descoberta da forma como uma interação social influencia o comportamento futuro das moscas do vinagre. "É uma ligação fantástica", considera o neurologista Troy Zars, da Universidade do Missouri, nos EUA.

A experiência decorreu no laboratório de San Francisco da Universidade da Califórnia, nos EUA, e partiu da suspeita dos investigadores de que deveria haver algum mecanismo cerebral que ligasse situações como a rejeição sexual com estados psicológicos como a depressão do sistema cerebral que responde à gratificação.

Os resultados da experiência foram publicados na revista Science.

Os cientistas organizaram dois grupos de moscas macho para as submeterem a duas experiências sexuais distintas. Um dos grupos teve sessões de uma hora de rejeição por parte das fêmeas com as quais foram emparelhados, três vezes por dia, durante quatro dias. "O comportamento de corte dos machos foi suprimido mesmo junto das fêmeas que estavam recetivas", descreve Shohat-Ophrir no artigo da revista Science.

O outro grupo teve "sessões de seis horas de emparelhamento com jovens moscas virgens e recetivas, numa proporção de uma a cinco, durante quatro dias".

A seguir, foi colocado à disposição dos machos sexualmente insatisfeitos um alimento normal e outro ao qual foi juntado 15% de álcool. As moscas rejeitadas sexualmente escolheram preferencialmente a comida com álcool, enquanto as do outro grupo rejeitaram os alimentos com etanol.

O comportamento de cada um dos grupos reflete o que se passa no cérebro, explicam os cientistas que descobriram uma pequena molécula - o neuropéptido F - responsável pelas diferentes atitudes e regulador da busca por gratificação.

Os machos com êxito junto das fêmeas têm uma grande quantidade da molécula no cérebro, enquanto os rejeitados têm níveis inferiores, pelo que procuram uma gratificação alternativa, consumindo álcool até a um estado de intoxicação.

A existência de uma molécula semelhante nos humanos abre a possibilidade, acreditam os investigadores, de tratar adições através de medicação que atue ao nível do neuropéptido. Os cientistas lembram que esta molécula surge diminuída em pessoas com depressões ou com problemas pós-traumáticos, o que as predispõem para o álcool.

A aplicação da recente descoberta nas moscas do vinagre a um tratamento para humanos ainda demorará, advertem os cientistas, tanto mais que a molécula em causa também influencia a alimentação, a ansiedade e o sono.



IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
16/03/12


.
.




HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

 Homenagem em Pretória 
 «Ordem da Liberdade» para João Silva 

O repórter fotográfico português João Silva recebeu, ontem, na Embaixada de Portugal em Pretória, na África do Sul, a medalha da «Ordem da Liberdade», atribuída pelo Presidente da República, Cavaco Silva. Filho de emigrantes portugueses na África do Sul, João Silva é fotojornalista no The New York Times e perdeu as duas pernas em trabalho no Afeganistão em outubro de 2010. 'Esta condecoração é o reconhecimento por parte de Portugal de uma carreira de qualidade, de excelência', disse o embaixador João Ramos Pinto. 



* Um português de quem nos devemos orgulhar, o que não acontece com nenhum dos políticos em exercício. 

.

.


 A DESPEDIDA



  



A manada de elefantes despede-se de Lola,  elefante bébé morta, no Zoo de Hellabrun em Munique, em Janeiro deste ano. A cria de três meses morreu durante um exame cardiológico antes de ser submetida a uma cirurgia para corrigir uma anomalia no coração. O corpo de Lola foi levado para junto da manada para que a mãe, Panang se pudesse despedir dela em paz.


 .
.



HOJE NO
"DIÁRIO  DE NOTÍCIAS"

 Alimentação saudável 
Desenhos portugueses estudados 
para perceber efeitos nas crianças 

Crianças portuguesas, holandesas e húngaras vão participar num estudo internacional que pretende avaliar o impacto nos seus hábitos alimentares de uma nova série de animação 100% portuguesa: os Nutri Ventures

Teo, Lena, Ben e Nina são os heróis destes desenhos animados, que serão apresentados sábado no Cinema S. Jorge, em Lisboa. Por detrás de cada aventura dos Nutri Ventures há sempre o mesmo objetivo: mostrar a importância de uma alimentação saudável. Para garantir que as mensagens nutricionais são "as mais indicadas", todas as falas dos heróis e vilões da animação foram lidas e revistas por especialistas da Associação Portuguesa de Nutricionistas, disse à Lusa Rui Lima Miranda, um dos sócios fundadores da empresa Nutri Ventures. A série, com um orçamento total de 7,5 milhões de euros, vai começar a ser transmitida em breve pela RTP2 e, no final do ano, começará a ser vista também pelas crianças brasileiras, húngaras, polacas e isrealitas. A empresa que produz a série está ainda em negociações para conseguir que os quatro heróis cheguem, ainda este ano, ao Reino Unido, Itália, México e China. Para já, o trabalho português conseguiu chamar a atenção da Organização Mundial de Saúde (OMS): "Quando nos foi apresentado o projeto vimo-lo com bastante interesse não só pelos aspetos tecnológicos, mas particularmente pela mensagem e, uma vez que vai ser transmitida em muitos países, achámos que era importante medir o seu impacto. Por isso, sugerimos a realização de um estudo e ajudámos a estabelecer contactos com organismos com grande capacidade de investigação na área da promoção de saúde", contou à Lusa o coordenador do programa de nutrição, atividade física e obesidade da OMS, João Breda. Os responsáveis da Nutri Ventures aceitaram pôr a série à prova e, segundo Rui Lima Miranda, os testes serão feitos a partir do segundo semestre deste ano em três países: Portugal, Holanda e Hungria. De acordo com o responsável da OMS, "os investigadores deverão estudar o impacto em termos de consumo alimentar e de atividade física das crianças, mas também em termos de conhecimento, perceções e das atitudes das crianças". O excesso de peso afeta uma em cada quatro crianças europeias e "até agora ninguém estava a conseguir atraí-las" para a importância da alimentação saudável, disse Rodrigo Carvalho, o outro sócio fundador da Nutri Ventures. A série criada por Rodrigo e Rui tem como vilão um louco que decide ser dono do mundo, destruindo todos os alimentos e criando uma barra altamente calórica que se come apenas uma vez por dia. No entanto, antes da destruição, um grupo de nutricionistas consegue esconder todos os alimentos, que dão super-poderes às crianças. "Não podemos esperar que a série vá mudar o panorama da obesidade na Europa, mas pode ter um efeito interessante e, por muito reduzido que seja, será sempre um contributo positivo", disse João Breda, lembrando que é preciso uma conjugação de políticas nacionais e locais que permitam que as crianças e suas famílias tenham acesso a uma alimentação saudável. O pré-lançamento dos Nutri Ventures está marcado para sábado, na abertura do Monstrinha, a secção infantil do Festival Monstra. Entre abril e maio será lançado na RTP2 e, a partir de setembro na RTP2, no Canal Panda e noutros países. 


* Genialidade portuguesa!!!

 
Infelizmente não há o trailer em português, 
nem sequer legendado.


 .
.
FALSA REALIDADE
ESTERÓIDES





Este vídeo tem por objetivo alertar principalmente os jovens que entram nas academias e desejam ter um resultado muito rápido, onde a única forma de encontrar o que desejam é por meio dos Esteróides Anabolizantes. No entanto, apesar dos ótimos resultados que conseguem, com uma grande capacidade física e um corpo musculado, logo vem os efeitos de riscos para a saúde que posteriormente pode causar danos irreversíveis no organismo.


.
.


HOJE NO
"RECORD"

 Euforia na chegada dos heróis
 de Manchester. Cerca de 2 mil 
adeptos foram ao aeroporto 

A chegada do Sporting a Lisboa, após a qualificação para os quartos-de-final da Liga Europa em Manchester, foi caracterizada pela enorme euforia de cerca de 2 mil adeptos que fizeram questão de receberem os "heróis" que eliminaram os milionários do City, no aeroporto da Portela. Os adeptos tiveram que esperar largas horas para poderem saudar os "seus" jogadores, já que o avião que transportou a comitiva leonina só aterrou em Lisboa às 3H49. Com vários cânticos de agradecimento, o público leonino brindou com muita euforia os jogadores que, dentro do autocarro do clube, saudaram os adeptos. "O Dzeko já nos conhece" foi um dos cânticos preferidos pelos adeptos, fazendo alusão à frase do avançado bósnio do City que, nas vésperas de defrontar o Sporting, afirmou que não conhecia os jogadores dos leões. Os jogadores leoninos abandonaram o aeroporto pela saída de Figo Maduro e só depois deslocaram-se ao local de chegadas onde marcavam presença os adeptos sportinguistas, que puderam festejar assim o êxito europeu com seus craques. Com algum aparato policial, rebentaram alguns petardos no local. 


 * Considerações: 
- Como portuguesa estou feliz por um pequeno sucesso do Sporting com base no trabalho feito por Domingos. 
- Sou de opinião que um indíviduo que agride um selecçionador nacional e um jogador do Sporting, não tem craveira para ser treinador sequer, duma equipa de matraquilhos. 
- Os adeptos que foram esperar os jogadores ao aeroporto às tantas da madrugada, são todos ricos, estão desempregados e não precisam de procurar emprego no dia seguinte, auferem de algum subsídio estatal ou quê? Vão trabalhar malandros.


 .
.


28 - OOPS !!!!!!!!!!










v
.



HOJE NO
"JORNAL  DE NOTÍCIAS"

 Portugal está a negociar antecipação
 de ajudas com União Europeia 

Portugal está a negociar com a União Europeia a antecipação das ajudas aos agricultores, para os auxiliar a enfrentar a perda de rendimento provocada pela seca prolongada, anunciou, na quinta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros. "Para que o plano de ajuda aos agricultores funcione completamente não bastam decisões nacionais, como dar ajudas ao setor agropecuário, criar uma linha de crédito bonificada, evitar que tenham de cumprir já as suas obrigações fiscais quando os agricultores estão a passar um pior momento, ou reduzir as contribuições para a Segurança Social", disse Paulo Portas. O ministro dos Negócios estrangeiros acrescentou: "É preciso que a União Europeia cumpra a sua parte e Portugal está a negociar com a União Europeia a antecipação de ajudas, que no fundo são uma antecipação de rendimento, que nestas circunstâncias se justifica". Paulo portas falava aos jornalistas em Arrifana, Aveiro, à entrada para uma reunião partidária, destinada a explicar aos militantes do CDS-PP as políticas que têm sido seguidas pelo Governo. Para o líder do CDS-PP, o Governo de coligação com o PSD "fez bem em apresentar um plano consistente, estudado e eficiente para ajudar os agricultores a enfrentar a seca, a mais dura e severa de que há memória". Paulo Portas considera que, "mesmo na austeridade a que está obrigado, porque o país estava à beira da falência e teve de pedir dinheiro para sobreviver, tem de haver espaço para [o Governo] ajudar o povo do campo, cujo rendimento está a ser devorado todos os dias" pela seca. "O Governo fê-lo com medidas práticas, diretas e ajustadas, mesmo num ciclo de enorme constrangimento orçamental", disse, rebatendo as críticas do PS de que as medidas são tardias, lembrando que, na seca de 2005, os socialistas demoraram mais a apresentar um conjunto de medidas. Paulo Portas aproveitou a presença dos jornalistas para anunciar que, enquanto ministro, vai programar cerca de uma dezena de visitas políticas coincidentes com missões empresariais, para apoiar o incremento das exportações. "Passarei o dia de amanhã [sexta-feira] com a administração da AICEP a ajustar mais de 10 missões empresariais que vamos fazer coincidir com visitas políticas, para ajudar as empresas, os produtos e as marcas portuguesas a venderem lá fora e conquistarem mercados", revelou. Paulo Portas aproveitou para "homenagear" o comportamento das empresas exportadoras portuguesas, que "estão a ajudar tremendamente o país nesta fase difícil" e "no pior momento da recessão" fizeram as exportações portuguesas crescer 13 por cento em janeiro, sobretudo parta mercados não europeus. "Antigamente dizia-se que a diplomacia era a continuação da guerra por outros meios. Hoje é a continuação da economia por outros meios e o meu primeiro dever é apoiar as exportações dos produtos e marcas portuguesas, facilitando e desburocratizando e, na medida do possível, fazendo coincidir visitas políticas e empresarias. E é isso que vamos fazer", concluiu.


 * É uma negociação de improviso, quem tutela a agricultura deveria saber que iríamos ter um prolongado período de seca desde Outubro do ano passado e se não se informou com os serviços de metereologia foi por desleixo. O pedido de ajuda à UE devia ter acontecido há mais de cinco meses e teria poupado os agricultores portuguees a prejuízos irrecuperáveis. 
Mas a fé da sra. ministra era inabalável, foi pena que não tivesse bailado a dança da chuva.
Agora anda o dr. Portas a tentar mascarar a asneira.


 .
.




BONITO DE MAIS

PARA SE COMER











m
.. 



HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"


Quase metade da redução de pessoal
 no Estado resulta do fim 
de contratos a prazo 

Afinal, há 538 mil empregos na Administração Central, se forem considerados todos os dos EPE.

 Os serviços do Estado estão a apostar na dispensa de contratados a prazo. Os dados ontem divulgados pela Direcção-geral da Administração e do Emprego Público mostram que a destruição de emprego na Administração Central foi muito mais expressiva entre contratados a prazo do que entre funcionários com vínculo estável: o número de contratados a prazo caiu 8% a 9% no ano passado, enquanto o de trabalhadores com vínculo público recuou entre 2,9% e 3,6%, consoante o universo considerado. 


* Parecia que a redução do número de funcionários públicos resultava de uma redistribuição racional e melhor gestão de recursos humanos, afinal é apenas uma razia nos contratados a prazo. 


.
.


2 - SEGREDOS DA ÁREA 51




Esta é uma megaprodução que mostra por dentro e em detalhes "segredos" nunca antes revelados sobre o resgate de UFOs acidentados e levados à base militar mais secreta do mundo, a Área 51. Este é o documentário mais completo, profundo, informativo e elogiado sobre o tema, derivado do famoso Dreamland. 
Serão vistos fatos inéditos e imagens estarrecedoras sobre o local onde os ufólogos e cientistas norte-americanos acusam seu governo de levar e esconder inclusive UFOs abatidos por aviões de caça e os "seres capturados". 
Este documentário recebeu inúmeros prêmios pelo modo de mostrar, com grande convicção profissional, um tema tão conturbado.
CABE-LHE ACREDITAR OU NÃO!!!
 A seqüência dos vídeos também podem ser assistidas na comunidade do Orkut:
Cientistas Fora da Lei.  


v


.

HOJE NO
"DESTAK"

Cimeira bilateral discutirá 
possível facilitação de visto 
de trabalho para portugueses 

 O governo português vai solicitar ao Brasil, na Cimeira bilateral marcada para setembro, maior celeridade na concessão de vistos de trabalho para portugueses, informou hoje o novo cônsul-geral de Portugal no Rio de Janeiro, Nuno Bello. "Está a ser preparada a Cimeira Portugal-Brasil, que vai ter lugar em setembro deste ano, e este [visto de trabalho para portugueses] é um dos temas que está no dossier a ser negociado", afirmou Nuno Bello em declarações à Agência Lusa, ao recordar que o atual governo resolveu recentemente uma questão similar em Angola. De acordo com o novo cônsul, o governo de Portugal está ciente da dificuldade que alguns portugueses estão a enfrentar na hora de conseguir o visto de trabalho no Brasil. 


* Brasil, o bem amado.

 .
.



ARTE NA SOMBRA











m