sábado, 3 de março de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


COMER FRUTA FAZ BEM 


À  SAUDE





.

BILL GATES


'Todo mundo tem cliente.
Só traficante e analista de sistemas 
é que tem usuário'

.

O MAIOR ESPECTÁCULO DO MUNDO CANTA  EM PORTUGUÊS


RIO 2012




UNIÃO DA ILHA


.
 PARA PROTEGER OU REPRIMIR?

Veja só esta foto... é só ir aproximando, aproximando... descubra como a polícia consegue identificar, perfeitamente, uma pessoa em detalhes , na multidão, entre milhares delas...


Nada mais é secreto... Reconhecimento de um rosto na multidão. Essa é a multidão antes do tumulto . Coloque o cursor em qualquer parte da multidão e clique duas vezes. Mantenha o duplo clique e veja o que acontece.


 .

17-DANÇAS NATIVAS

DANÇA MEXICANA


LA CUCARACHA




.
.


PARADA GAY



AUSTRÁLIA 


SIDNEY









.
.

SURFÍSSIMO




.
 

MARISA DE ALMEIDA

(ex-namorada de Paco Bandeira)

"TEMO PELA MINHA VIDA"


IN "CORREIO DA MANHÃ" 

.

3 - ADOLESCÊNCIA





Uma excelente série espanhola que pode ajudar os adultos a explicar a vida a crescer, aos mais pequenos. 
Disfrute...
 
 
.
.

JOÃO PALMA


PGR defende Ministério Público que mais ninguém defende"


IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

.

ALMORRÓIDA IMPERIALISTA



Portugal tem muitas mulheres importantes, algumas são ricas, poucas são poderosas

Uma é as três coisas. Tem 36 anos e não é portuguesa. É a angolana Isabel dos Santos.

O "dinheiro dos angolanos" pesa sobre muitas consciências
Os angolanos são entronizados em Portugal

Dizem que detesta ser tratada como "a filha de José Eduardo dos Santos".
Pela maneira como está a afirmar-se em Portugal, um dia trataremos o Presidente de Angola como "o pai de Isabel dos Santos".
É a nova accionista da Zon.
E de muitas outras empresas. Uma atrás da outra, todas lhe estendem tapetes. Tapetes verdes, da cor do dinheiro.
A mulher mais rica de Portugal, segundo a "Exame", é Maria do Carmo Moniz Galvão Espírito Santo Silva, com uma fortuna de 731 milhões de euros.
Não tem metade do poder de Isabel dos Santos.
E tem apenas uma fracção do seu dinheiro: só na Galp, BPI, Zon e BESA, a empresária angolana tem quase dois mil milhões de euros. Fora o resto.
A lista dos dez mais ricos de Portugal está aliás cheia de pessoas que fazem negócios com a família dos Santos. Américo Amorim é sócio de Isabel na Galp e no Banco BIC.
Belmiro de Azevedo, segundo foi noticiado, quer ser parceiro de distribuição em Angola.
O Grupo Espírito Santo tem interesses imobiliários, nos diamantes, na banca.
Salvador Caetano tem concessões.
O Coronel Luís Silva acaba de fechar negócio para vender acções da Zon a Isabel dos Santos.
Zon onde João Pereira Coutinho e Joe Berardo são accionistas.

Da lista dos mais ricos, só a família Mello e Soares dos Santos estão "fora" da geografia.
O "dinheiro dos angolanos" pesa sobre muitas consciências.
Soares dos Santos foi o único a assumir publicamente o desdém pelos níveis de corrupção de Angola.

Isabel dos Santos é accionista da Zon e sócia da PT.
É accionista do BPI e sócia do BES.
É accionista da Galp e a Sonangol é parceira da EDP.
A empresária garante que não tem relações com as actividades do seu pai e da estatal Sonangol.
Identificando todos os interesses em causa, as relações de sociedades portuguesas alargam-se ainda à Caixa, Totta, BPN e Mota-Engil.

O que faz com que tantas empresas portuguesas implorem para fazer negócios com Isabel dos Santos?
E que Isabel "jogue" em equipas rivais, concorrentes confessos em Portugal, sem um pestanejo?
Só uma coisa consegue tanto unanimismo: o dinheiro.
A contrapartida de acesso ao crescente mercado angolano.
Os portugueses não abrem os braços a Isabel dos Santos, abrem-lhe as carteiras - vazias...!!!!
Isabel e José Eduardo construíram um poder tão ramificado em empresas portuguesas que só o Estado e Grupo Espírito Santo os ultrapassarão.
Tanta concentração de poder é mais ameaçadora do que uma nacionalidade.


FONTE : "JORNAL DE NEGÓCIOS"


.
.

LUÍS FILIPE VIEIRA


«Pedro Proença faz um grande favor ao Benfica se nunca mais apitar um jogo nosso»

IN " A BOLA"
.
.


 ALEXIS




              
 15 ANOS



.
 
CONTRA O TRÁFICO 
DE SERES HUMANOS

O tráfico de seres humanos é uma realidade com um impacto económico comparável ao do tráfico de armas e de droga. Estima-se que por ano sejam traficadas milhões de pessoas em todo o mundo.
Portugal não está imune a este fenómeno que acarreta consigo um conjunto de causas e consequências problemáticas: o crime organizado, a exploração sexual e laboral, as assimetrias endémicas entre os países mais desenvolvidos e os mais carenciados, questões de género e de direitos humanos, quebra de suportes familiares e comunitários.
Para lá da reconhecida abrangência do fenómeno, são identificados grupos que apresentam uma maior vulnerabilidade à situação de tráfico tais como as mulheres e as crianças. Para tanto contribui a crescente feminização da pobreza que propicia situações de exploração sexual e laboral. No caso das crianças, o fenómeno constitui o mais vil atentado ao direito a crescer livre e num ambiente protegido e acolhedor.lementos que definem o tráfico.

Acção Meio Objectivo  =TSH
Oferecer
Entregar
Aliciar
Aceitar
Transportar
Alojar
Acolher
Violência
Rapto
Ameaça grave
Ardil ou manobra fraudulenta;
Abuso de autoridade
Aproveitando-se de incapacidade psíquica ou de situação de especial vulnerabilidade
Exploração sexual
Exploração do trabalho Extracção de órgãos

 Por vezes, o TSH é confundido com o crime de auxílio à imigração ilegal. Próximos em alguns aspectos, não são o mesmo fenómeno.
  • Elementos que definem o auxílio à imigração ilegal (Art 183º da Lei 23/2007 de 4 de Julho – Lei de Estrangeiros)
1 – Quem favorecer ou facilitar, por qualquer forma, a entrada ou o trânsito ilegais de cidadão estrangeiro em território nacional é punido com pena de prisão até três anos.

2 – Quem favorecer ou facilitar, por qualquer forma, a entrada, a permanência ou o trânsito ilegais de cidadão estrangeiro em território nacional, com intenção lucrativa, é punido com pena de prisão de um a quatro anos.
3 – Se os factos forem praticados mediante transporte ou manutenção do cidadão estrangeiro em condições desumanas ou degradantes ou pondo em perigo a sua vida ou causando-lhe ofensa grave à integridade física ou a morte, o agente é punido com pena de prisão de dois a oito anos.
4 – A tentativa é punível.
5 – As penas aplicáveis às entidades referidas no n.º 1 do artigo 182.º são as de multa, cujos limites mínimo e máximo são elevados ao dobro, ou de interdição do exercício da actividade de um a cinco anos.

Não se limite a assistir. 

DENUNCIE


 Se:
Pretende apresentar queixa contra quem:
Ofereceu, entregou, aliciou, aceitou, transportou, alojou ou acolheu adulto para fins de exploração sexual, exploração do trabalho ou extracção de órgãos,
Como contra quem:
Aliciou, transportou, procedeu ao alojamento ou acolhimento de menor, ou o entregou, ofereceu ou aceitou para os mesmos fins
E ainda contra quem:
Mediante pagamento ou outra contrapartida ofereceu, entregou, solicitou ou aceitou menor, ou obteve ou prestou consentimento na sua adopção ou reteve, ocultou, danificou ou destruiu documentos de identificação ou de viagem de qualquer daquelas pessoas
Ou
Se
Foi aliciado/a ou pressinado/a para vir para Portugal ou ir para o estrangeiro
Se os seus documentos lhe foram retirados ou destruídos
Se é ou já foi vítima de: violência física e sexual (agressão, violação...), violência psicológica (coação, ameaça, imposição...), fraude ou engano
Se a sua liberdade já foi ou é limitada

Ligue Linha SOS Imigrante 808 257 257
Apresente queixa junto da polícia

.

NÃO DISCRIMINE




.

MARIA d'OLIVEIRA MARTINS


O caminho 
    para o crescimento económico


A OCDE chama a atenção para os mais desfavorecidos, para que as reformas não prejudiquem os mais pobres

A expressão “crescimento económico” tornou-se num soundbite omnipresente no discurso político e jornalístico. A ideia de crescimento económico é tão irresistível que nos chega a ser oferecida sem qualquer espécie de conteúdo, ou, o que é pior, como incompatível com o equilíbrio das contas públicas – como se esta não fosse uma necessidade, mas um mero capricho.
Para ter uma ideia concreta do que esperar do “crescimento económico”, é muito útil a leitura do Relatório da OCDE divulgado no final da semana passada Economic Policy Reforms 2012 – Going for Growth. Neste documento encontram-se descritas as medidas que podemos esperar e em que devemos apostar, tendo em vista um crescimento de longa duração baseado em elevada produtividade e utilização de trabalho.

Em concreto, quando a OCDE fala de medidas de crescimento refere-se essencialmente a reformas laborais, fiscais e relativas ao mercado de bens. No que toca ao mercado de trabalho, considera favorecedoras de crescimento as medidas que flexibilizem as regras laborais; aumentem a qualidade e a equidade na educação secundária; visem a formação de desempregados mantendo a sua actualização; promovam a integração das mulheres e dos imigrantes na vida activa; encorajem a permanência e o regresso ao mercado de trabalho; e fomentem uma mobilidade indispensável a um aproveitamento mais racional dos recursos disponíveis.

Tendo em vista uma fiscalidade para o crescimento, recomenda medidas que ao mesmo tempo aumentem a receita fiscal e aliviem a carga fiscal laboral, incentivando assim a poupança e o investimento (promovendo aumentos por exemplo sobre bens imóveis ou na tributação ambiental). No que toca ao mercado de bens, sugere uma aposta em sectores protegidos de forma a fazer crescer o emprego.

Uma nota para dizer que a OCDE chama a atenção para o cuidado com os mais desfavorecidos, para que as reformas não prejudiquem os mais pobres. Neste sentido, sugere, por exemplo, o fomento temporário do emprego de curta duração para aliviar o impacto de uma conjuntura de fraca actividade, impedindo que as famílias caiam na pobreza.

Ao contrário da opinião generalizada de que não estão a ser tomadas medidas que visem o crescimento económico, a OCDE anuncia que a “boa notícia é que os governos estão a actuar agora com mais força na frente estrutural do que fizeram antes ou no início da crise”. No caso português, a avaliação não o deixa ficar mal: a OCDE reconhece o esforço que tem sido feito, desde 2007, na implementação das medidas recomendadas, muitas delas com aprofundamento em curso para cumprimento do MoU, embora recomende mais atenção ao mercado de trabalho, ao subsídio de desemprego e à ampliação da base tributária.

Há porém um aspecto a considerar: é que quando a OCDE fala das medidas de crescimento económico não esquece que estas nunca podem deixar de ter em vista a promoção da sustentabilidade financeira. Ou seja, devem sempre vir acompanhadas de um esforço de redução da despesa pública, falando em concreto da necessidade de reestruturação do sector público e da redução da despesa fiscal e de um esforço de ponderação nos aumentos de receitas necessários. E em Portugal o crescimento económico tem sofrido com os efeitos do ajustamento financeiro (referindo-se às dificuldades de resposta na resolução do problema crescente do desemprego de longa duração, v. a nota do Departamento de Política Económica da OCDE – Persistence of High Unemployment: What Risks? What Policies?). Se, por um lado, não há dúvidas que depois desta crise Portugal terá instrumentos favorecedores de crescimento económico, por outro, enquanto ela não passar, os constrangimentos orçamentais são tão elevados que limitam a capacidade de contrariar a falta de crescimento.

Docente na Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa

IN "i"
01/03/12


.

VISITAS AO BLOGUE NUMA SEMANA


SEMANA DE 25 DE FEVEREIRO 19H00 
A 03 DE MARÇO 18h00


VISUALIZAÇÕES DE PÁGINAS POR PAÍS



Portugal
....................................................935
Brasil
 ........................................................361
Alemanha 
..................................................277
Rússia
........................................................172
EstadosUnidos
............................................115
França
.........................................................24
Ucrânia
........................................................16
ReinoUnido
....................................................9
Angola
...........................................................8
RepúblicaTcheca
............................................6
TOTAL......................................................1923
 .
 
4- Instintos Sexuais Humanos




Apresentado por Robert Winston.

Instinto Humano.
Por que 21 mil quilômetros de batom são vendidos por ano? O que cada um de nós fará mais de 3 mil vezes durante a vida? Por que 18 mil litros de loção pós-barba são usados todos os dias? Como queimaremos 250 mil calorias ao longo da vida? E o que 240 milhões de pessoas estarão fazendo hoje à noite? No fim, tudo se resume a uma coisa. O que é? Fazer sexo. Documentário da BBC/TLC Co, em português, apresentado pelo Discovery Channel.

.

 1 -MULHERES 
DE BARBA RIJA

Tem de tudo: desde assassinas, a traficantes de droga, às chamadas femme fatale (mulheres fatais) e até aquelas parteiras que faziam abortos clandestinos em condições desumanas e que, como consequência disso, mataram inúmeras mulheres. É um portefólio único, de mais de 2500 fotografias, que ilustra o submundo feminino dos anos 20 na Austrália.

A polícia de New South Wales, na Austrália, divulgou ao
Mail Online as fotografias de identificação destas mulheres, tiradas no momento em que elas foram presas. Estas fotografias foram tiradas entre 1910 e 1930.


Dorothy Mort. Tem um olhar inofensivo mas matou o namorado a sangue frio depois de ele ter tentado acabar com a relação. O crime aconteceu a 21 de Dezembro de 1921, quando ela tinha 32 anos. Dorothy ainda tentou suicidar-se mas não conseguiu ser bem sucedida e acabou por ser presa .


Clara Randall. Tentou enganar a polícia alegando que o seu apartamento tinha sido vandalizado e lhe tinham roubado várias jóias. Mais tarde descobriu-se que ela as tinha penhorado por dinheiro e que a história do assalto era falsa. Teve uma pena de 18 meses.  


Edith Ashton. Foi responsável pela morte de pelo menos duas mulheres durante abortos clandestinos. Também foi condenada por roubo. Tinha 37 anos.

Hazel McGuinness. Foi julgada ao mesmo tempo do que a mãe, Ada (na fotografia seguinte), e pelas mesmas razões. Mas foi libertada com uma caução.


Ada McGuinness. Ficou conhecida em Sidney como a "mulher mais terrível". Foi apanhada pela polícia com elevadas doses de cocaína. Era um das traficantes mais activas da cidade. Vivia numa casa com terraço em Hargreave Street.  

Fay Watson. Foi presa por posse de cocaína numa casa em Crown Street, Darlinghurst, e multada com um valor que hoje é irrisório, 10 libras.  



TEXTO: IN "SÁBADO" 
20/02/12


.


OS 10 MELHORES 
SINGLES DE 2011
(PARA A ROLLING STONE)


07 –  LADY GAGA

THE EDGY OF GLORY




POEMA????

There ain't no reason you and me should be alone tonight
Yeah baby, tonight yeah baby
But I got a reason that you-hoo should take me home tonight
I need a man that thinks it right when it's so wrong
Tonight yeah baby
Tonight yeah baby
Right on the limit's where we know we both belong tonight

It's hot to feel the rush
To brush the dangerous
I'm gonna run right to
To the edge with you
Where we can both fall far in love

I'm on the edge of glory
And I'm hangin' on a moment of truth
I'm on the edge of glory
And I'm hangin' on a moment with you

I'm on the edge
The edge, the edge, the edge
The edge, the edge, the edge
I'm on the edge of glory
And I'm hangin' on a moment with you
I'm on the edge with you

Another shot before we kiss the other side tonight
Yeah baby, tonight yeah baby
I'm on the edge of something final we call life tonight
Alright!
Alright!

Put on your shades 'cause I'll be dancing in the flames tonight
Yeah baby, tonight yeah baby
It isn't hell if everybody knows my name tonight
Alright!
Alright!

It's hot to feel the rush
To brush the dangerous
I'm gonna run right to
To the edge with you
Where we can both fall far in love

I'm on the edge of glory
And I'm hangin' on a moment of truth
I'm on the edge of glory
And I'm hangin' on a moment with you

I'm on the edge
The edge, the edge, the edge
The edge, the edge, the edge
I'm on the edge of glory
And I'm hangin' on a moment with you
I'm on the edge with you

I'm on the edge with you
I'm on the edge with you

I'm on the edge of glory
And I'm hangin' on a moment of truth
I'm on the edge of glory
And I'm hangin' on a moment with you

I'm on the edge
The edge, the edge, the edge
The edge, the edge, the edge
I'm on the edge of glory
And I'm hangin' on a moment with you
I'm on the edge with you

I'm on the edge with you
I'm on the edge with you
I'm on the edge with you

QUEREM A TRADUÇÃO?

Não há motivo para ficarmos sozinhos esta noite
Yeah baby, esta noite yeah baby
Mas tenho um motivo para você me levar pra casa esta noite
Preciso de um homem que pense certo quando é tão errado
Esta noite yeah baby
Esta noite yeah baby
Bem no limite é onde é o nosso lugar esta noite

É quente sentir a adrenalina
Para afastar o perigo
Eu vou correr direto para
Para o limite com você
Onde podemos nos apaixonar

Estou à beira da glória
E estou agarrando-me a um momento de verdade
Estou à beira da glória
E estou agarrando-me a um momento com você

Estou à beira
À beira, à beira, à beira
À beira, à beira, à beira
Estou à beira da glória
E estou agarrando-me a um momento com você
Estou no limite com você

Outra dose antes de beijarmos o outro lado esta noite
Yeah baby, esta noite yeah baby
Estou no limite de algo final a que chamamos de vida esta noite
Certo!
Certo!

Coloque seus óculos escuros porque dançarei nas chamas esta noite
Yeah baby, esta noite yeah baby
Não é o inferno se todo mundo souber meu nome esta noite
Certo!
Certo!

É quente sentir a adrenalina
Para afastar o perigo
Eu vou correr direto para
Para o limite com você
Onde podemos nos apaixonar

Estou à beira da glória
E estou agarrando-me a um momento de verdade
Estou à beira da glória
E estou agarrando-me a um momento com você

Estou à beira
À beira, à beira, à beira
À beira, à beira, à beira
Estou à beira da glória
E estou agarrando-me a um momento com você
Estou no limite com você

Estou no limite com você
Estou no limite com você

Estou à beira da glória
E estou agarrando-me a um momento de verdade
Estou à beira da glória
E estou agarrando-me a um momento com você

Estou à beira
À beira, à beira, à beira
À beira, à beira, à beira
Estou à beira da glória
E estou agarrando-me a um momento com você
Estou no limite com você

Estou no limite com você
Estou no limite com você
Estou no limite com você


.
 EPAGNEUL
         BRETON






Classificação F.C.I.:
Grupo 7 - Cães Apontadores Seção 1 - Cães Apontadores Continentais 1.2 - Tipo Spaniel
Padrão FCI nº 95 - 05 de maio de 2003.
País de origem: França
Nome no país de origem: Epagneul Breton
Utilização: Caça. Sujeito à prova de trabalho para campeonato internacional.

ORIGEM - Uma das razões, senão mesmo a principal, para que haja tanta polémica quanto à origem desta raça, prende- se com o seu nome, já que epagneul ou spaniel costuma designar uma possível fixação em território espanhol ou mesmo peninsular. Porém, no caso desta raça, o termo terá origem na palavra francesa espanir, que quer dizer agachar-se ou esconder-se, acções clássicas do Epagneul Breton quando se depara com caça. Este cão é tido como sendo descendente dos Cães de Oysel, célebres na Idade Média, altura em que eram treinados para a caça aos pássaros com rede. Já no século XIX terão sido cruzados com Setters, Pointers, Springers — deixados em França por caçadores da Bretanha — e ainda com cães de quinta bretões, que eram animais curtos, robustos e de aspecto rústico muito utilizados na caça à galinhola. Certo é que a raça nada tem em comum com os cães da Península Ibérica, pelo que é tida como sendo francesa, ainda que, para muitos, resulte do cruzamento do Setter branco e laranja com cães franceses.

IN "INSTINTO"

HISTÓRIA 1
Os cruzamentos, inicialmente acidentais, passaram a ser feitos com o claro propósito de criar um caçador rápido, de faro apurado e exímio na arte de apontar e parar a caça, à semelhança de um pointer (cão que aponta a presa), sendo mesmo o único spaniel do mundo que aponta a caça. Foi de tal forma bem conseguido este propósito que o Epagneul Breton ganhou fama e não apenas em França, onde hoje é a segunda raça mais popular. Ao público foi apresentado pela primeira vez em 1896, em Paris. Em Loudéac foi criado um clube da raça, já em 1907, e, um ano depois, adoptava-se o primeiro standard da raça, que seria revisto em 1938. Caçar é a sua vida e a sua paixão, estando particularmente vocacionado para a caça à lebre, narceja, perdiz, codorniz e galinhola.

MAIS HISTÓRIA: Um projeto do padrão da raça elaborado em Nantes, em 1907, foi apresentado e adotado por ocasião da primeira
assembléia do Clube, em Loudéac (ex Côtes du Nord, agora Côtes d’Armor), em 07 de junho de 1908. Foi o primeiro padrão do “Clube do Spaniel Bretão de Cauda Curta Natural”.

APARÊNCIA GERAL: é o menor dos cães de aponte. O Spaniel Bretão é um bracóide de cauda curta ou sem cauda. Harmoniosamente construído sobre uma sólida ossatura, sem ser pesado. O conjunto é compacto e atarracado, todavia, sem ser pesado, ficando suficientemente elegante. É um cão vigoroso, de olhar vivo e expressão inteligente. O aspecto de um “COBBY” (braquimórfico), pleno de energia, que conservou na sua evolução o modelo brevilíneo desejado e fixado pelos reformadores da raça.

PROPORÇÕES IMPORTANTES
• o crânio é mais longo do que o focinho, numa relação 3:2.
• a cabeça proporcionada ao corpo.
• a profundidade do peito é ligeiramente inferior à metade da altura do cão na cernelha.
• o comprimento escápulo-isquial (da ponta do ombro à pont do ísquio) é igual à altura na cernelha (estrutura inscrita em um quadrado).

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: adapta-se a qualquer situação sociável; expressão inteligente e atenta; equilibrado mentalmente. Cão de aponte polivalente, de qualquer caça e em qualquer terreno; Revela precocemente sua paixão pela caça. Notável na sua busca à caça, sua movimentação, seu faro no campo; espontâneo e seguro no aponte; recobra a caça e é fácil de ser treinado.

CABEÇA: apresenta relevos bem cinzelados. A pele é bem aderente.
REGIÃO CRANIANA: ligeiramente arredondada, vista de frente ou de perfil. Vistas de cima, as faces laterais são ligeiramente convexas. As linhas crânio-focinho são paralelas. A largura do crânio entre as arcadas zigomáticas é inferior ao seu comprimento. As arcadas superciliares não são proeminentes, mas formam uma curva ligeiramente arredondada. O sulco mediano assim como a crista sagital são pouco marcados. O stop é moderado. O occipital e as arcadas zigomáticas são mediamente marcados.
REGIÃO FACIAL
Trufa: larga, com narinas muito grandes, úmidas e bem abertas; de cor em harmonia com a pelagem, assim como as bordas das pálpebras e os orifícios naturais.
Focinho: retilíneo; as faces laterais são quase paralelas.
Lábios: não são pendentes, nem muito grandes, relativamente finos e bem aderentes. O lábio inferior discretamente escondido pelo superior, cujo contorno se encurva progressivamente até a comissura pouco aparente e bem fechada. Conjunto sem despigmentação.
Maxilares / Dentes: dentição bem implantada, completa e saudável. Mordedura em tesoura.
Bochechas: pouco carregadas, pele bem aderente.
Olhos: ligeiramente oblíquos. Quase ovais; expressão inteligente, doce e franca; não globulosos; pálpebras finas, bem aderentes e pigmentadas. A cor da íris em harmonia com a pelagem, de preferência escura. A expressão dos olhos, associada ao movimento
da base das orelhas para cima, dá origem à verdadeira “expressão bretã”.
Orelhas: inseridas altas, triangulares, relativamente largas, de preferência curtas (esticadas para a frente, a extremidade da orelha atinge o stop). Parcialmente cobertas de pelos ondulados, sobretudo na parte superior; a extremidade é coberta de pelos rasos. Sempre muito móveis quando o cão está atento ou em ação.
PESCOÇO: de comprimento médio e bem musculoso; troncudo, ligeiramente arqueado, jamais arredondado. Inserido suavemente nos ombros e sem barbelas.
TRONCO:
Linha superior: reta até o lombo e o começo da garupa.
Cernelha: suficientemente móvel e pouco marcada, sem ser carregada.
Dorso: reto, curto e rígido, bem ligado ao lombo.
Lombo: curto, largo, musculoso.
Garupa: ligeiramente inclinada, larga e musculosa.
Articulação Coxofemoral: ligeiramente inclinada, larga e musculosa.
Peito: descido até o nível da ponta do cotovelo; largo com costelas bem arqueadas, sem serem em barril. Esterno largo e pouco elevado para trás. As últimas costelas são longas e flexíveis.
Ventre: ligeiramente elevado.
Flancos: pouco elevados e curtos.
CAUDA: inserida alta, portada horizontalmente ou ligeiramente caída, quase sempre em movimento quando o cão está atento ou em ação. O Spaniel Bretão pode nascer anuro (sem rabo) ou com rabo curto. Quando a cauda é cortada, o comprimento ideal é de 3 a 6 cm. A cauda cortada não deve exceder 10 cm.

MEMBROS
ANTERIORES: bem equilibrados, robustos e articulações flexíveis.
Ombros: móveis, longos (30% da altura na cernelha), bem ajustados com músculos espessos. Sua obliqüidade é de um galopador, compreendida entre 55° e 60° com a horizontal. Os dois vértices das escápulas são separadas em 5 cm um do outro.
Braços: pesados, espessos e muito musculosos. Seus comprimentos são ligeiramente superiores aos dos ombros. O ângulo escápulo-umeral é de 115° a 120°.
Antebraços: musculosos e aprumados. Seu comprimento é ligeiramente superior ao do braço. Sua direção deverá ser próxima da vertical.
Cotovelos: juntos ao corpo, sem virar para dentro ou para fora.
Metacarpos: robustos, com uma certa flexibilidade; ligeiramente oblíquos (entre 15° e 20° sobre a vertical).
Patas anteriores: de preferência redondas, com dedos fechados, almofadas firmes e unhas curtas.
POSTERIORES: vistos por trás, bem equilibrados e paralelos.
Coxas: largas, com músculos espessos e salientes. Sua obliqüidade em relação à horizontal é de 70° a 75°.
Pernas: de comprimento levemente superior ao das coxas, com músculos secos e salientes. Largas, na sua parte superior, diminuindo progressivamente para a articulação do jarrete. O ângulo fêmuro-tibial aproxima-se de 130°.
Jarretes: secos, com tendões aparentes.
Metatarsos: robustos, vistos de perfil; sua direção é muito próxima da vertical.
Patas posteriores: mais compridas do que as anteriores, conservando as mesmas características.

MOVIMENTAÇÃO: as diferentes andaduras são fáceis, mas possantes, amplas e vivas. Os membros se deslocam bem em linha, sem oscilações verticais exageradas do corpo e sem balançar (rolling); a linha do dorso permanece firme. O canter (galope em 3 tempos), é a principal movimentação sobre o terreno, onde as passadas são rápidas e de amplitude média e os posteriores são extendidos totalmente.

PELE: fina, aderente e bem pigmentada.
PELAGEM
Pelo: deve ser fino, sem ser sedoso, assentado ou ligeiramente ondulado sobre o corpo. Jamais frisado. Raso sobre a cabeça e na parte anterior dos membros. A parte posterior dos membros é provida de um pelo abundante com franjas que diminuem progressivamente de comprimento até o carpo, o tarso e mesmo abaixo.

COR: branco e laranja, branco e preto, branco e fígado, salpicados com manchas brancas irregulares. Pelagem malhada ou ruão, algumas vezes mosqueado sobre o focinho, lábios e membros. Igualmente, no caso de pelagem tricolor com manchas fogo (do laranja ao fogo escuro), acima e nas laterais do focinho, acima dos olhos, nos membros, no peito e acima da raiz da cauda. A listra branca estreita da cabeça é desejada em todas as cores. A pelagem unicolor não é admitida.

TAMANHO
Machos: mínimo de 48cm - com uma tolerância de menos 1cm.
máximo de 51cm - com uma tolerância de mais 1cm.
ideal: de 49 a 50 cm.

Fêmeas: mínimo de 47cm - com uma tolerância de menos 1cm.
máximo de 50cm - com uma tolerância de mais 1cm.
ideal: de 48 a 49 cm.

NOTAS:
• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.


IN
- Confederação Brasileira de Cinofilia

.