quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


De MOÇAMBIQUE
clique 2xs para ler bem









.
KIKA
7.De onde vem o espirro?



Aprenda  a ensinar desta maneira engraçada

.

3.DE UM SÉCULO AO OUTRO





































 .





HOJE NO
"i"

HP quer trazer centro de excelência 
para Portugal

O diretor-geral da HP, Manuel Lopes da Costa, revelou hoje que a empresa pretende trazer um centro de excelência de processamento de cartões para Portugal, que pode criar 300 empregos.

Manuel Lopes da Costa, disse, num encontro com jornalistas, que este projeto da multinacional HP poderá criar 300 postos de trabalho.

Para além de Portugal, adiantou o responsável, estão a concorrer a este centro de excelência dentro da multinacional países como Espanha e Roménia, sendo que a decisão de localização deverá ser anunciada dentro de seis meses.


* Uma boa notícia mas a concorrência é de alto risco.

.

A TERCEIRA IDADE



video



.

CHEFE VITOR SOBRAL


Punheta de Bacalhau




Ingredientes

800kg de barriga de bacalhau seco
250g de cebola laminada
3 dentes de alho picado
1 dl de azeite virgem extra
Vinagre de vinho branco q.b
Sal marinho tradicional q.b
Pimenta de moinho q.b
Salsa picada q.b

IN "SÁBADO"
 
.

HOJE NO
"PÚBLICO"

Insolvências disparam 65% em 2011
para quase 11 mil processos

Os processos de falência judicial continuam a aumentar em Portugal, afectando especialmente os sectores dos serviços e da construção.


De acordo com dados divulgados hoje pela Crédito y Caución, com base na publicação das insolvências em Diário da República, houve um total de 10.796 processos em 2011, o que significa um aumento homólogo de 65%.

O sector dos serviços foi o mais afectado, registando um total de 1796 falências judiciais, seguindo-se a construção (733) e a indústria têxtil (404).

As insolvências têm vindo a aumentar em Portugal nos últimos anos. Já em 2010, ano em que se registou um total de 6534 processos, tinha havido uma subida de 31%.

O Governo aprovou recentemente as alterações à lei que regulamenta as falências judiciais, sendo que foi criado um mecanismo que poderá aumentar o número de casos de recuperação de empresas insolventes, nomeadamente através da negociação das dívidas fora dos tribunais.


* Fruto da inacção, da incompetência e da prosápia governativa dos ministros  deste país, de todos.


.
VAMOS DANÇAR
MERENGUE




.

 MAGIA TERAPEUTICA






.

HOJE NO
"A BOLA"

Nélson Évora vai ser operado 
e falha Jogos Olímpicos

O campeão olímpico do triplo salto em Pequim-2008 tem uma fratura na tíbia direita e será operado nos próximos dias. Falhará, assim, os Jogos Olímpicos de Londres, em agosto.

Esta manhã, o atleta foi observado no Hospital Garcia de Orta, em Almada, acompanhado do Dr. Ricardo Antunes, pertencente ao Departamento Médico do Benfica e também ao da Federação Portuguesa de Atletismo, na sequência da lesão contraída durante um dos saltos do aquecimento para as provas de observação que decorriam, ao final da tarde de ontem, na Nave do Jamor.

Pouco antes de saber que teria de ser operado, o atleta, através de um comunicado, fez saber que o tempo de recuperação o impedirá de marcar presença nos Jogos Olímpicos.

«Estou a ser observado e vou continuar a fazer exames para avaliarmos, eu, o meu treinador e o Departamento Médico do meu clube, quais as melhores opções para ultrapassar a situação. O estalo que se ouviu ontem no pavilhão foi uma reincidência da lesão que tinha contraído anteriormente, no entanto não é tão grave como se pensava. É verdade que, por uma questão de tempo de recuperação, está fora de questão participar nos próximos Jogos Olímpicos. Mas que ninguém conclua com isto que estou acabado», afirmou Nélson Évora, prometendo mais vitórias no futuro:

«Sou campeão olímpico e, aos 27 anos, sinto ter ainda muito por que competir pela frente. Estou forte mentalmente e, agora, a minha prioridade é tratar-me para voltar bem. Aproveito esta oportunidade para agradecer o apoio de todas as pessoas que têm demonstrado preocupação coma minha situação. O Sport Lisboa e Benfica e a Federação Portuguesa de Atletismo estão a prestar-me todo o apoio necessário para que, dentro de algum tempo, eu e o meu treinador, o Prof. João Ganço, possamos traçar objectivos para um novo ciclo olímpico. Quero dar mais alegrias aos portugueses. Obrigado a todos!»

Na unidade hospitalar está o presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, Fernando Mota, que deu conta do sentimento de amargura que quer o campeão olímpico do triplo salto, quer o seu treinador, João Ganço, estão a experienciar.

«Muita amargura... É isso que nos preocupa e é por isso estamos aqui», afirmou Fernado Mota à Rádio Renascença.

Recorde-se que o atleta do Benfica esteve afastado das competições durante mais de um ano após uma cirurgia à tíbia da perna direita, realizada a 4 de fevereiro de 2010, devido a fratura de esforço.


* Uma infelicidade, resta-nos desejar-lhe sucesso noutras competições após recuperação da cirurgia.

.

ISABEL STILWELL

É verdade 
  que os corações 
                 se partem

Nem sempre sabemos porque é que sabemos, nem porque é que os nossos antepassados já sabiam, mas a verdade é que a nossa sabedoria acaba por vir a ser confirmada um dia, por um estudo qualquer, que custou milhões de dólares numa universidade distante. Dizer que alguém “morreu de desgosto”, ou que “nos partiram o coração” pode passar por uma tirada de telenovela, ou na melhor das hipóteses, por uma metáfora que explica o desalento que constatamos ou sentimos, mas nada mais. Até ontem.

O boletim da American Heart Association, publicou um estudo que envolveu duas mil pessoas que sofreram de um ataque de coração clinicamente comprovado, das quais 270 haviam sofrido uma morte de alguém muito próximo, nos dias ou semanas anteriores. A investigadora Elisabeth Mostofsky, que liderou a investigação, concluiu que a probabilidade de sofrer um ataque de coração aumenta 21 vezes no dia seguinte ao incidente, e seis vezes na semana que lhe sucede, mantendo-se alto pelo período de um ano. Descobriu ainda que as mulheres mais velhas são as mais susceptíveis, embora a idade não seja um factor determinante: há pessoas novas cujo coração também se parte!

A forma como o desgosto provoca o ataque de coração varia de pessoa para pessoa. Nalgumas é o stress insuportável que altera o equilíbrio hormonal e químico, levando a que a tensão arterial suba ou se formem, ou soltem, coágulos, por vezes deixando à vista problemas que ainda não tinham sido diagnosticados. Noutros pode ser a mudança no estilo de vida, como, por exemplo, quando a pessoa deixa de comer ou de fazer exercício. A dor da perda pode, também, levar a que não se tomem os medicamentos . Moral da história: nem o próprio, nem a família, nem os médicos devem desvalorizar os sintomas, como se fizessem parte do luto. Porque é verdade, os corações partem-se mesmo.


IN "DESTAK"
16/01/12

.

ALMORRÓIDA PROVADORA



12 bons vinhos 
a menos de 10 euros

Por Rui Falcão

Eis uma dúzia de vinhos que ajudam a superar os lamentos de crise de um "annus horribilis", 
sem que com isso se criem desequilíbrios orçamentais. Há produtores exímios em oferecer bons vinhos com preço abaixo da barreira psicológica dos 10€. E até vinhos de belíssima qualidade a 5€ ou menos.

Com maior ou menor exultação, com festejos mais expansivos ou comemorações mais contidas, a verdade é que já entrámos em 2012, o ano consagrado como maldito, que todos se empenham em acautelar como annus horribilis, o ano que concentrará todas as desgraças e desventuras nacionais. Os avisos sucedem-se, dentro e fora de fronteiras, reduzindo a confiança e as expectativas, limitando-nos a fé à simples esperança de que o ano que agora começou... seja realmente o pior ano de sempre.

Sentimos uma espécie de medo colectivo, um torpor grupal que nos inibe no momento das grandes decisões, adiando muitas das resoluções a que nos tínhamos proposto no passado, obrigando ao adiar de despesas estreitando os orçamentos familiares. Uma apreensão que se estende aos vários sectores da economia, das empresas às famílias, dos serviços à indústria, dos funcionários públicos aos profissionais liberais, minorando a disponibilidade emocional para todos os gastos considerados como não essenciais... entre os quais se inclui o vinho.

Por isso, o ano ameaçador de 2012 será também um ano de gastos mais comedidos no vinho, impelindo as famílias a procurar vinhos mais equilibrados no preço, vinhos com boas a excelentes relações qualidade/preço que ajudem a superar os lamentos da crise, sem que com isso se criem desequilíbrios ou deficits orçamentais. Uma condição que é cada vez mais respeitada pelos produtores nacionais, exímios em oferecer bons vinhos a preços mais do que justos, abaixo da barreira psicológica dos 10€, conseguindo mesmo alguns deles propor vinhos de belíssima qualidade a preços inferiores a 5€.

Entre eles conta-se João Portugal Ramos, uma das figuras de proa da enologia nacional, com a edição 2010 do alentejano Loios, um tinto de cor vermelha viva e brilhante, repleto de fruta acessível, num estilo fácil e claro que oferece uma frescura notável, de corpo directo mas tremendamente sedutor. Ainda na categoria dos vinhos com preço de venda inferior a 5€, vale a pena deixar-se seduzir pelo atraente Vinhas Boas 2009, um tinto do Dão da autoria de Nuno Cancela de Abreu que se mostra bem-parecido, alegre, perfumado pela fruta delicada, atestado de groselha, morango e mirtilos, um tinto franco e muito agradável.

No mesmo patamar de preço anuncia-se o Casa Santos Lima Sauvignon Blanc 2010, um branco de Lisboa que revela cor amarela palha muito clara. O nariz expõe os sinais peculiares da casta francesa, irradiando apontamentos aromáticos de relva acabada de cortar, groselhas verdes, espargos brancos e um pouco de melão, perfil que a boca confirma por inteiro. Fresco, exótico, perfumado, primaveril, é muito fácil gostar deste Sauvignon Blanc. Também branco, também da colheita 2010 e também proposto a menos de 5€, o Casal da Coelheira branco 2010, da região do Tejo, mostra-se um branco supinamente fresco e mineral, floral e silvestre, muito discretamente vegetal, denunciando um tipo de frescor pouco comum nos vinhos brancos nacionais. Seco e quase mastigável, termina teso e severo embora harmonioso.

Mas é seguramente no disputado segmento entre os 5€ e os 10€ que abundam as melhores relações qualidade/preço do mercado. Entre as muitas dezenas de escolhas possíveis destaca-se o Quinta dos Roques 2008, muito provavelmente o melhor Quinta dos Roques clássico de sempre, sério e amplo, vivo e seguro, tenso e poderoso, um tinto que nesta colheita alcançou um patamar qualitativo que raramente os vinhos deste segmento de preço conseguem aspirar. Muito interessante está o singular e tentador Terras d'Alter Alfrocheiro 2009, um tinto estreme de uma casta que raramente se vê sozinha no Alentejo. Aprimorado nas notas de ginja, morango e groselha, fino e delicado, é muito fácil gostar deste Alfrocheiro alentejano de perfil tão harmonioso e sensível.

O que não deve perder sob nenhuma perspectiva são o Julia Kemper e o Quinta do Cerrado Encruzado, dois belíssimos brancos do Dão, ambos da colheita 2010 onde a casta Encruzado é rainha.

O primeiro resulta de um lote equitativo entre as castas Encruzado e Malvasia Fina, assomando grandioso e rigoroso, desafogado e fino nos aromas, amplo e gigante na estrutura. Um branco de corpo imponente e alma cheia, subtil embora possante, suave mas poderoso, imponente no final de boca.

O segundo, um vinho estreme da casta Encruzado, emerge encorpado e aromaticamente austero, como de resto é a praxis da casta, amplo e poderoso, cheio e volumoso na boca, com um final de boca destemido. Um belíssimo branco que seria interessante poder ver na companhia retemperadora da casta Malvasia Fina!

E sempre que se fala em boas relações qualidade/preço é impossível não terminar com a região de Setúbal, uma das regiões que melhor exprime o conceito e que o leva mais a peito. A abundância de candidatos é lendária, alternando entre os vinhos da Adega Cooperativa de Pegões, Ermelinda Freitas, Bacalhôa e José Maria da Fonseca, entre muitos outros pretendentes ao trono. Por vezes a escolha não é fácil face à abundância de propostas. Como escolher, por exemplo, entre a potência desmedida do Ermelinda Freitas Touriga Nacional 2009 e a suavidade do Adega de Pegões Touriga Nacional do mesmo ano? Se o primeiro prima pelo vigor e pujança, pelos taninos sólidos e pela garra da acidez, num tinto brutal, frutado, encorpado, que fará as delícias dos amantes de vinhos poderosos, o segundo prima pelos aromas florais de violetas e pelas notas citrinas, bem como no jasmim do fundo do copo e na cereja preta. Suave e delicado, termina ligeiramente doce e reconfortante.

Tempo ainda para um surpreendente Bacalhôa JP branco 2010, proposto a menos de 3€, um vinho a quem o perfume inebriante da casta Moscatel brinda uma formosura inesperada que a boca logo confirma com o viço da acidez, sem deixar que os aromas terpénicos do Moscatel o tornem enjoativo.

Para terminar, o DSF Colecção Privada Moscatel Roxo rosé 2010, um rosado de cor salmonada muito clara, um vinho rosado da casta Moscatel Roxa com aromas intensos à casta, floral e perfumado, exuberante e espampanante, muito diferente dos restantes vinhos rosados do mundo. Termina seco, o que o torna apetitoso para a mesa.

IN "PÚBLICO"
16.01.2012

.

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ""

Optimus com multa 
de 7,5 milhões de euros

A Optimus recebeu uma multa da Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD) que pode ir até 7,5 milhões de euros. É o resultado da auditoria ordenada às operadoras de telecomunicações – em que a TMN foi ilibada – na sequência do ‘caso das escutas das secretas’ ao jornalista Nuno Simas, que envolveu o ex-director do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED), Jorge Silva Carvalho.

O CM sabe que a notificação da CNPD à operadora de telemóveis contém três contra-ordenações, cada uma no valor de 2,5 milhões de euros, todas relacionadas com a violação das disposições legais em matéria de protecção de dados dos seus clientes. Uma das deficiências mais graves que a CNPD encontrou, durante a auditoria à Optimus, tem a ver com a ausência de ‘logs’ – ou seja, de sistemas informáticos que são uma espécie de impressão digital, permitindo identificar quem são os colaboradores da operadora que tiveram acesso (e a que dados) dos registos telefónicos dos clientes. Ao contrário do que sucedeu com a TMN, a CNPD não divulgou publicamente o relatório da investigação à Optimus, tendo-a notificado, directamente, das conclusões da sua investigação.

Fonte oficial da Optimus disse ser lamentável que se saiba "pela comunicação social o teor da decisão da CPND". Disse ainda desconhecer o relatório da decisão e que "tomará uma posição firme sobre este tema, quando dele tiver conhecimento".


* A Família Azevedo tem muito dinheiro para contratar excelentes advogados, especialistas em encontrar "saídas" para escapar à multa.
Se estiver interessado vá ao site da TVI 24, programa "Olhos nos olhos" e ouça o que o Dr Paulo Morais afirma sobre a redacção das leis, em escritórios de advogados.


.


5 . PARQUES NATURAIS PORTUGUESES

PARQUE NACIONAL SERRA DA ESTRELA








Serra da Estrela from Chandrasuomi Telescope on Vimeo.





2005 foi o pior ano de sempre, em matéria de incêndios, 
para o Parque Natural da Serra da Estrela.

Localizado na Serra da Estrela, o Parque Natural da Serra da Estrela cobre uma parte significativa desta montanha, que é a mais alta de Portugal Continental (1993 metros). Fica no centro interior de Portugal essencialmente no distrito da Guarda (85%) e também no distrito de Castelo Branco(15%). Marcado por maciços rochosos de granito, xisto e xistograuvaquicos e vestígios de antigos glaciares, a elevada altitude e localização do parque natural tornam-no um dos locais do país com maior precipitação.
Com valores naturais relevantes, incluindo algumas espécies de flora únicas no país, na faunalobo (Canis lupus), o javali, a lontra, a raposa (Vulpes vulpes), a lagartixa-de-montanha (Lacerta monticola monticola), a geneta (Genetta genetta) e o coelho-bravo-europeu (Oryctolagus cuniculus). destaca-se o
A importância desta área faz com que seja Reserva Biogenética. Em 2000, foi designada uma área de 88 291 hectares como Sítio de Interesse Comunitário e passou a integrar a Rede Natura 2000.
Entre as diversas actividades que tem para oferecer, o parque tem percursos pedestres assinalados e um cento de interpretação.

A região do Parque possui um clima temperado de montanha, com verões frescos, invernos muito frios e ocorrência de nevadas, que podem ser intensas, entre os meses de outubro e maio. A sensação térmica diminui drasticamente com a ocorrência de ventos fortes, comuns nesta área. Alguma queda de neve é registada, às vezes, em meses de verão, como agosto. Relativamente à pluviometria, a região possui grande diversidade, sendo o núcleo central da Serra uma das zonas com maior pluviosidade em Portugal continental(> 2000 m) , e na periferia possui um regime de muito menor pluviosidade (>800 mm).
É comum encontrar-se, em pleno inverno, temperaturas relativamente amenas na Cova da Beira e, ao mesmo tempo, um frio intenso (com neve e temperaturas negativas) nas proximidades da Torre, a 21 km de distância. A cidade que mais se aproxima da climatologia sentida no topo da Serra é a Guarda. Ainda assim, a área urbana da Guarda situa-se, em média, a 1000 metros de altitude, enquanto a Torre beira aos 2000 metros. Junto à Torre, situada no distrito da Guarda, dentro do município de Seia, dentro dos limites da freguesia de Loriga, está localizada a Estância de Esqui Vodafone, a única estância natural de esqui do país.

in "wikipédia"

.
HOJE NO
"DIÁRIO  ECONÓMICO"

Satisfação com democracia atingiu
. "mínimo de sempre"

A satisfação com a democracia atingiu o "mínimo histórico de sempre" em Portugal, segundo um estudo do Instituto de Ciências Sociais.

Para um dos autores do estudo, o investigador António Costa Pinto, estas são as três conclusões mais relevantes do primeiro "Barómetro da Qualidade da Democracia", que será hoje apresentado em Lisboa.

O estudo revela que 64,6% dos inquiridos estão insatisfeitos com a maneira como funciona a democracia em Portugal, quando em 2009, e segundo um estudo da SEDES, eram 51%.

Por outro lado, em 1999, dados do World Values Survey mostravam que 81% dos portugueses consideravam a democracia um sistema muito bom ou bom, enquanto que segundo este barómetro do ICS, "apenas 55,5% consideram que a democracia é preferível a qualquer outra forma de Governo", o que constitui, segundo escrevem os autores, um "mínimo histórico de sempre".

Para António Costa Pinto, este "declínio sustentado no apoio à democracia" é "mais importante" do que a existência de 15% de inquiridos "suscetíveis de apoiarem, em certas circunstâncias, um regime autoritário".

"As democracias coexistem com segmentos da sociedade que expressam valores autoritários e isso não representa em geral grande problema, a não ser que seja canalizado politicamente", o que não acontece em Portugal, onde os partidos populistas ou extremistas não têm

"sucesso eleitoral" e onde "o desencanto e até o sentimento antipartidario ou antissistema se expressa mais pela abstenção".

Outro aspeto que Costa Pinto sublinha é a importância dos movimentos sociais independentes dos partidos como instituições ou entidades que os portugueses veem mais próximas das suas preocupações.

Assim, 47,6% dos inquiridos dizem não se sentir representados pelos partidos. Por outro lado, os autores do estudo sublinham que "depois do Presidente da República (21,7%)", são "os movimentos sociais de protesto (11,9%) que melhor voz dão às preocupações dos portugueses, à frente dos partidos (10,3%), sindicatos (9,5%), igreja (7,3%) e autarcas (2,7%)".

O surgimento dos movimentos sociais neste grupo é, segundo Costa Pinto, "um dado novo, a correlacionar não só com a conjuntura atual, como também com a natureza independente, apartidária, dos movimentos sociais, ou seja, quanto mais autónomo dos partidos é percecionado um movimento social, maior identificação".

"O forte sentimento antipartidário é uma marca que se começa a consolidar na sociedade portuguesa", sublinha o investigador, que destaca ainda "o elemento de continuidade" relativo à confiança no Presidente da República e uma "nota mais interessante": "Num sistema político que vê as autarquias como as instituições mais próximas das populações, estas estão muito abaixo nesta escala de identificação dos portugueses das instituições que lhe estão mais próximas e que correspondem melhor as suas preocupações e interesses".

Por fim, Costa Pinto destaca uma conclusão relacionada com o momento atual: "Mais de 50% dos portugueses associam estas medidas de austeridade, de diminuição de bens sociais", ao "constrangimento internacional", ou seja, "estão a associar efetivamente estas medidas de austeridade e a falta de alternativa para elas não tanto à decisão autónoma dos governantes mas ao compromisso que Portugal assinou" internacionalmente.

O investigador sublinha ainda que para os portugueses a austeridade e a diminuição de benefícios sociais são um elemento muito importante na associação que fazem à democracia, "por vezes mais do que algumas dimensões exclusivamente politicas e de liberdades fundamentais".

Este estudo, feito com o apoio da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e a Fundação Calouste Gulbenkian, passará a realizar-se a cada dois anos. As conclusões baseiam-se numa amostra representativa da população com 18 ou mais anos residente em Portugal Continental e constituída por 1207 inquiridos.


* Os políticos portugueses são tão perigosos que se numa manhã de nevoeiro aparecer outro D. Salazar ainda voltamos à ditadura.


.

OS 50 MELHORES DE 2011
(PARA A ROLLING STONE)


16 – R.E.M
COLAPSE INTO NOW
IT HAPPENED TODAY



LISTA DE FAIXAS
  1. "Discoverer"
  2. "All the Best"
  3. "Überlin"
  4. "Oh My Heart"
  5. "It Happened Today" (com Eddie Vedder e Joel Gibb)
  6. "Every Day Is Yours to Win"
  7. "Mine Smell Like Honey"
  8. "Walk It Back"
  9. "Alligator Aviator Autopilot Antimatter" (com Peaches e Lenny Kaye)
  10. "That Someone Is You"
  11. "Me, Marlon Brando, Marlon Brando and I"
  12. "Blue" (com Patti Smith)
MÚSICOS
R.E.M.


Additional musicians




Additional musicians



  • Joel Gibb – vocals on "It Happened Today"
  • Lenny Kaye – guitar solo on "Alligator_Aviator_Autopilot_Antimatter", guitar solo on "Blue"
  • Jacknife Lee – production, mixing, keyboards, guitar
  • Leroy Jones – trumpet on "Discoverer", "It Happened Today", and "Oh My Heart"
  • Kirk M. Joseph, Sr. – sousaphone on "Discoverer", "It Happened Today", and "Oh My Heart"
  • Scott McCaughey – guitar, keyboards, backing vocals, accordion
  • Peaches – vocals on "Alligator_Aviator_Autopilot_Antimatter"
  • Bill Rieflin – drums, bouzouki, keyboards, guitar
  • Patti Smith – vocals on "Blue" and "Discoverer"
  • Eddie Vedder – vocals on "It Happened Today"

 WIKIPÉDIA
.

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Medicamentos vendidos 
com preço diferente

A Associação Nacional de Farmácias denunciou, ontem, que as farmácias estão a vender medicamentos a um preço diferente daquele que está marcado na embalagem, por imposição do Infarmed, o que está a gerar 'grande confusão', entre os utentes.
Numa audição da comissão parlamentar de saúde sobre a situação de falência das farmácias, o presidente da ANF, João Cordeiro, afirmou que o preço dos medicamentos em vigor não é o que está marcado na embalagem, mas sim o administrativamente aprovado, que é inferior. Segundo João Cordeiro, a Assembleia da Republica aprovou a redução em seis por cento do preço dos medicamentos e 'o Infarmed decidiu que o preço na embalagem é o máximo administrativamente aprovado, que não tem em linha de conta a redução de 6 por cento decidida pelo Governo',
O presidente considera 'inacreditável e inaceitável', que o preço marcado não seja o que as pessoas têm que pagar e seja mais caro do que o real valor do medicamento. Para o responsável, esta situação deveria ter sido resolvida de uma forma 'muito simples', que era a alteração do preço nas embalagens, entendimento que o Infarmed não teve.
Por outro lado, segundo um estudo da ANF apresentado na Comissão de Saúde, em dezembro do ano passado havia 795 farmácias com fornecimentos suspensos por dívidas, o que traduz um aumento de mais de 200 por cento no período de dois anos, segundo. João Cordeiro considerou 'urgente o Ministério da Saúde olhar para estes números', sublinhando que 'a situação é muito grave',
A ANF vai propor, ainda, que o preço dos medicamentos seja definido por concurso público por principio ativo.


* E o TUGA paga...


.

.

 
1.GALÁXIAS DISTANTES





Documentario sobre as cetenas de milhares de milhão 
de galáxias espalhadas pelo Universo.

.


HOJE NO
"DIÁRIO  DE NOTÍCIAS"

Só 40% das novas nomeações 
têm ligação a PSD ou CDS

Das 196 novas escolhas para empresas, direções-gerais e equiparados, 74 são da cor política do Governo.

De um total de 1016 nomeações para administração direta e indireta do Estado e sector empresarial, o Governo garante que apenas 196 são novas. Entre estes estreantes, o DN apurou que pelo menos 74 (cerca de 40%) dos escolhidos têm ligações ao PSD ou ao CDS. Ex-chefes de gabinete, autarcas, assessores ou dirigentes partidários foram nomeados para direções-gerais e regionais, bem como para empresas.

Governo defende-se dizendo que esta é uma fase de transição. Em breve, lei obrigará a existência de concursos públicos para estes lugares, que terão de ocorrer até 2013. Ou seja: nomeados estão a prazo. O ex-vice-presidente da Câmara do Porto Paulo Morais considera as escolhas para a EDP o caso mais dramático, apelidando escolhidos de "superboys". Mas diz ser "impossível fazer pior do que Sócrates".


* Não deixa de ser uma pouca vergonha no país da partidocracia.

.
.

2-CHAVENAS 
E
  COLHERES










..


HOJE NO
"RECORD"

Open da Austrália: Gil na terceira ronda
Com vitória sobre Marcel Granollers

O tenista português Frederico Gil qualificou-se esta quinta-feira para a terceira ronda da variante de singulares do Open da Austrália ao vencer Marcel Granollers.

Gil ganhou o primeiro set por 6-3, perdeu o segundo por 4-6 e venceu os restantes dois por 6-4 e 6-3 respetivamente ao tenista espanhol, 26.º cabeça-de-série do torneio.

Na primeira ronda, na terça-feira, o português havia ganho a Ivan Dodig por 2-6, 6-1 e 4-1, beneficiando do abandono do tenista croata.

* Parabens, tornou-se o primeiro portugês a passar à terceira ronda num torneio do Grand Slam, auto estima em cima e mais sucessos.


.
.

 4- CONCHAS  MARINHAS

.









..


HOJE NO
"JORNAL  DE NOTÍCIAS"

Gestores impedidos de acumular cargo com actividades médicas no SNS

Os gestores públicos não podem, a partir desta quinta-feira, acumular esta função com o exercício de actividades médicas no Serviço Nacional de Saúde, segundo o novo Estatuto do Gestor Público.

O novo Estatuto, publicado na quarta-feira em Diário da República, mantém o regime de exclusividade do cargo mas revoga a excepção até agora dada "às actividades médicas dos membros executivos dos estabelecimentos do Serviço Nacional de Saúde, independentemente da sua natureza jurídica".

Com o exercício das funções executivas são apenas permitidas cinco excepções: actividades exercidas por inerência; participação em conselhos consultivos, comissões de fiscalização ou outros organismos colegiais; docência em estabelecimentos de ensino superior público ou de interesse público; criação artística e literária; realização de conferências, palestras, acções de formação de curta duração.

No novo Estatuto do Gestor Público, a nomeação passa a ser feita mediante resolução do Conselho de Ministros, devidamente fundamentada e publicada, sob proposta dos membros do Governo responsáveis pela área das finanças e pelo respectivo sector de actividade.

O contrato de gestão a que estão obrigados os gestores públicos abrangidos pelo novo regime deve prever expressamente, segundo o diploma, a demissão quando a avaliação de desempenho seja negativa, designadamente, por incumprimento devido a motivos individualmente imputáveis dos objectivos referidos nas orientações fixadas pelo governo.


* Achamos bem esta intenção de clarificar, mas achamos absolutamente negro o facto de advogados serem deputados e trabalharem no sector privado em escritórios que têm relações laborais com organismos públicos, incluindo o Parlamento. 
Marinho e Pinto já denunciou este facto por diversas vezes.


.
2 - OASIS
.






....


HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Malparado no crédito ao consumo 
chega aos 10%

Um em cada dez euros de empréstimos para a aquisição de bens de consumo pode não ser recuperado pelos bancos, relevam os dados estatísticos ontem disponibilizados pelo Banco de Portugal.

O crédito ao consumo é a categoria onde o peso do malparado é maior, atingindo os 9,94% no final de Novembro. O nível de incumprimento é também elevado nos empréstimos a particulares para outros fins, chegando aos 9,79%.

O pagamento da prestação da casa continua a ser o último crédito que os portugueses deixam de pagar. O peso do malparado aumentou ligeiramente, mas fica muito longe das restantes classes: 1,89%. Ao todo as famílias têm 4.777 milhões de euros em empréstimos em atraso, 3,4% do total.

As empresas continuam a registar níveis de incumprimento superiores aos particulares. O nível dos incobráveis atingiu os 6,55% em Novembro.

Outra tendência que se mantém é o corte no crédito concedido. Os bancos emprestaram um total de 4,3 mil milhões de euros (menos 12,5% que no período homólogo), com as empresas a absorverem a maior "fatia". Os empréstimos aos particulares sofreram uma redução drástica.

O total de novos empréstimos para as famílias foi de 678 milhões de euros, um valor que não tem precedentes desde que há dados (Janeiro de 2003). Este montante corresponde a uma quebra de 48,91% face ao mesmo período de 2010, com todos os segmentos de financiamento a contribuíram para esta evolução. É no crédito à habitação que a travagem é mais acentuada: foram concedidos 230 milhões de euros, uma redução de 68,36%.

Cristina Casalinho, economista-chefe do Banco de Portugal, considera que a quebra nos empréstimos "deve subsistir até o ajustamento externo e a necessidade de aumento da poupança o justificarem". "O condicionamento que a concessão de crédito actualmente vive implica que os bancos privilegiem actividades orientadas para a exportação e redução de importações: porque reduzem o desequilíbrio externo, melhoram as perspectivas de crescimento a prazo e representam menor risco de crédito".

(Artigo publicado inicialmente a 9 de Janeiro e republicado hoje, devido à divulgação do Boletim Estatistico do Banco de Portugal)


* Malparada anda a vida dos portugueses que não vêem na classe política alguém que lhes fale com verdade.

.