terça-feira, 3 de janeiro de 2012

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.







.


QUEM  É QUE NUNCA TEVE VONTADE 
DE RESPONDER EXACTAMENTE ASSIM ?????
 
3 - Quando está a chover e percebem que vais encarar a chuva, perguntam:
- Vais sair com esta chuva?
- Não, vou sair com a próxima. 

.

3 – OBÓVIO






























.


JULGAR É FÁCIL





.


FAMÍLIA, FILHOS 

E DROGAS




Excelente animação apelando ao esforço da família para proteger convenientemente as suas crianças e adolescentes dos vampiros da droga, a defesa começa em casa, divulgue sff.


.


HOJE NO
"PÚBLICO"
Lei publicada hoje em Diário da República
Governo dá um mês às fundações 
para responder a inquérito

As fundações, nacionais ou estrangeiras, que actuem em Portugal dispõem de 30 dias, a partir de quarta-feira, para responderem a um censo criado pelo Governo e que servirá para avaliar o respectivo custo/benefício e viabilidade financeira destes organismos. O resultado deverá ser conhecido no prazo de três meses e a decisão sobre a manutenção ou extinção dessas fundações será tomada até Abril.

A informação consta de uma lei publicada hoje em Diário da República, que especifica que a avaliação pretende ajudar a “decidir sobre a sua manutenção ou extinção, sobre a continuação, redução ou cessação dos apoios financeiros concedidos, bem como sobre a manutenção ou cancelamento do estatuto de utilidade pública”.

A lei esclarece que “apoio financeiro” é “todo e qualquer tipo de subvenção, subsídio, benefício, auxílio, ajuda, patrocínio, indemnização, compensação, prestação, garantia, concessão, cessão, pagamento, doação, participação ou vantagem financeira e qualquer outro apoio independentemente da sua natureza, designação e modalidade, temporário ou definitivo", que sejam concedidos pela administração directa ou indirecta do Estado, Regiões Autónomas, autarquias locais, outras pessoas colectivas da administração autónoma e demais pessoas colectivas públicas, provenientes de verbas do Orçamento do Estado, de receitas próprias daqueles ou de quaisquer outras.

Assim, as fundações, entre as quais se incluem também as Instituições Particulares de Solidariedade Social, têm 30 dias para responderem a um questionário disponibilizado no Portal do Governo e para entregarem a documentação solicitada, como os relatórios de actividades dos últimos anos, auditorias externas, composição dos órgãos sociais e respectiva remuneração e benefícios, bem como dos funcionários. O incumprimento deste prazo “determina obrigatoriamente a retenção de 10% na dotação orçamental ou na transferência do Orçamento do Estado para a entidade pública em falta, no mês ou nos meses seguintes ao incumprimento, até que a situação tenha sido devidamente sanada”.

A lei foi aprovada em Outubro de 2011 na Assembleia da República e promulgada em Novembro, mas só agora foram concretizados os parâmetros necessários para se efectuar o anunciado censo. De acordo com o articulado, “compete ao Ministério das Finanças proceder à avaliação do custo/benefício e viabilidade respectivas, com base no questionário, documentação e informação disponibilizados pelas fundações e pelas entidades públicas”. No caso das instituições de solidariedade, o trabalho será feito em parceria com o Ministério da Solidariedade e da Segurança Social e, no caso do ensino superior, em conjunto com o Ministério da Educação e Ciência.

Passado o prazo de resposta, a avaliação feita às mesmas será publicada no máximo em dois meses. Depois, o Ministério das Finanças emite decisão final, num prazo máximo de um mês, em conjunto com a respectiva tutela sectorial. A decisão poderá também passar pela manutenção ou cancelamento do estatuto de utilidade pública da fundação. A lei esclarece, ainda, que no prazo de 30 dias o Governo deve, ainda, apresentar “uma proposta de lei que defina o regime jurídico das fundações portuguesas e das fundações estrangeiras que desenvolvam os seus fins em território nacional”.

Estado desconhece número de fundações
Na altura do debate e da aprovação da lei, ainda em Setembro, o secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, Luís Marques Guedes, explicou que a medida fazia parte de um objectivo já anunciado pelo Governo de reduzir o Estado paralelo em Portugal. Porém, na altura Marques Guedes adiantou que o objectivo do Executivo era ter os questionários já devidamente preenchidos até ao final do ano passado – o que acabou por não acontecer.

Um relatório do Tribunal de Contas de 2011 dava conta que o Estado não sabia quantas fundações existem no país. Segundo o relatório, no Ficheiro Central de Pessoas Colectivas estavam inscritas 817 fundações, mas o próprio Instituto dos Registos e Notariados admitiu aos auditores que “a antiguidade desta base de dados origina que nela constem entidades indevidamente identificadas ou inscritas, inexistindo em relação às mais antigas documentação de suporte que permita a sua correcção oficiosa”.


* Só num Estado corrupto, a responsabilidade ainda não é deste governo, é que a inexistência dum cadastro actualizado é possível. A proliferação das fundações foi uma maneira ardilosa de "arranjar" emprego para afilhados partidários, tal como as Parcerias Público Privadas em que se há lucro recebe a parte privada, se há prejuír paga o Estado.
Viva Portugal a república do regabofe!

.

Linha da Frente | «Sexo e a Verdade» Parte 3





"Sexo e a Verdade" é um reportagem que retrata a nova realidade da prostituição em Portugal. As mulheres que se prostituem falam em concorrência cada vez maior e em preços cada vez menores.A equipa do Linha da Frente esteve na rua e em apartamentos repletos de mulheres, com quem conversou, sem rodeios, sobre o que está a acontecer no mundo da prostituição. Falou-se de direitos e de mágoa, por se sentirem exploradas. Falou-se de falta de coragem para mudar, mas também de uma opção de vida como qualquer outra."Sexo e a Verdade" é uma reportagem da jornalista Mafalda Gameiro, com imagem de Carlos Oliveira e edição de imagem de Vanessa Brizído. A produção é de Amélia Gomes Ferreira.




NR: Se não teve oportunidade de ver na RTP este magnífico trabalho de jornalismo, não o perca agora
.
Os episódios anteriores foram inseridos nas terças-feira passadas à mesma hora.


.

ISTO FUNCIONA?





.


HOJE NO
"A BOLA"

Dakar: Mais um piloto em estado crítico

A edição de 2012 do Rali Dakar está a ser fértil em acidentes graves. Desta feita é o francês Sebastien Coue que está em estado crítico depois de ter sido encontrado inconsciente na etapa de segunda-feira.

Segundo o hospital argentino onde está internado, o piloto esteve sujeito a temperaturas de mais de 40 graus antes de ser encontrado desmaiado numa zona de dunas.

«Ele entrou em estado crítico. Não sabemos quanto tempo esteve exposto ao sol. Neste momento, está nos cuidados intensivos», afirmou o diretor do hospital.

Nesta edição do Dakar já morreu o motociclista argentino Jorge Martinez Boero enquanto o francês Bruno da Costa também ficou gravemente ferido após colisão com uma vaca.


* ALTO RISCO

.
.

POR CIMA DOS
AÇORES 




.

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Obesidade: Programa para incentivar consumo de fruta nas escolas

A Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI) inicia esta terça-feira nas escolas um programa educativo para incentivar o consumo de fruta no lanche escolar nos jardins-de-infância e escolas do primeiro ciclo.

O programa 'Heróis da fruta - lanche escolar saudável' começou num colégio do concelho da Amadora, um dos 516 jardins de infância e escolas do primeiro ciclo que adeririam à iniciativa de intervenção escolar de âmbito nacional.

O projecto, que vai decorrer ao longo de seis semanas, até 10 de Fevereiro, pretende incentivar as crianças até aos 10 anos a dar importância ao consumo diário de fruta e a adoptar definitivamente este hábito alimentar.

Segundo a Comissão Europeia, Portugal está entre os países da Europa com maior número de crianças com excesso de peso: 32% das crianças entre os 6 e os 8 anos têm excesso de peso e 14% são obesas. O sexo feminino apresenta valores superiores às do sexo masculino.

O último estudo do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) sobre obesidade infantil revela também que mais de 90% das crianças portuguesas come 'fast-food', doces e bebe refrigerantes, pelo menos quatro vezes por semana, menos de um por cento das crianças bebe água todos os dias e só dois por cento consome fruta fresca diariamente.


*- 90% das crianças portuguesas come fast-food, doces e refrigerantes quatro vezes por semana
- Menos de 1% bebe água todos os dias
- Só 2% come fruta fresca diáriamente
ESTES PAIS ANDAM A MATAR OS FILHOS, PRENDAM-NOS!

.

NINA KHRUSHCHEVA




O regresso 
         do presidente "botóxico"


Quando um czar é ridicularizado, em vez de ser tratado com profundo respeito, é hora de pensar em abandonar o cargo ou preparar-se para um golpe palaciano. O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, que pretende encenar um regresso glorioso ao Kremlin como presidente nas eleições agendadas para Março de 2012, deveria reflectir nesta escolha.
Este ano começou com uma vigorosa (de acordo com os padrões russos) petição online exigindo que Putin seguisse a primeira opção. Mais tarde todo o país se riu dele, quando, durante a habitual visita ao patriótico campo de verão gerido pela Nashi (movimento de jovens pró Putin), demonstrou a sua destreza física ao subir uma parede de escalada e depois perceber que não conseguia descer.

Agora os russos perguntam o que aconteceu à face do seu líder. Com uma pela mais lisa surgiram rumores de que Putin pode ter aplicado botox ou mesmo ter recorrido à cirurgia plástica. As piadas não se fizeram esperar. Recentemente, durante um mergulho em Krasnodar, no sul da Rússia, Putin recuperou, miraculosamente, duas antigas urnas gregas. Os risos dos russos tornaram-se homéricos quando o porta-voz de Putin, Dmitry Peskov, revelou, inexplicavelmente, que as urnas tinham sido ali colocadas para dar a Putin um sentimento de importância.

Se eu não acreditasse na incompetência do estado russo, poderia suspeitar que existe uma conspiração para desacreditar Putin. Mas uma coisa é certa: Putin foi desacreditado. Após um recente combate de artes marciais entre os Estados Unidos e a Rússia, Putin, um apaixonado pelo judo, subiu ao ringue para felicitar o vencedor russo, membro do partido Rússia Unida. A audiência gritou: "Putin, vai para casa" até ele ir. A multidão parece dizer aos políticos para se afastarem dos desportos - e a Putin para sair da política.

Putin pensa que as suas proezas são essenciais para governar. Ele beijou golfinhos e bebés, salvou tigres e jornalistas, surgiu a cavalo de trono nu e a pé no deserto da Sibéria. Mas Putin, o artista, não tolera uma crítica negativa. Embaraçado pelo fiasco no combate de artes marciais, cancelou todas as aparições públicas não planeadas.

De facto, desde o incidente, Putin só compareceu em um evento - o Congresso da Rússia Unida - onde 600 delegados votaram, de forma unânime, a sua nomeação para candidato presidencial às eleições de 2012. Mas as eleições parlamentares de 4 de Dezembro, onde a Rússia Unida teve apenas 50% (normalmente o partido costuma ter cerca de 70%), tiveram que ser ferozmente controladas por um forte contingente policial. Os observadores foram assediados e obstruídos e os sites de monitorização foram encerrados ou atacados pelo governo. A missão de observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa registou que "a maioria dos partidos expressou uma falta de confiança na justiça do processo eleitoral".

A extravagante vaidade de Putin destruiu, em grande parte, a imagem de homem forte que Putin levou 12 anos a construir. As proezas e os liftings narcisistas - que deram resultado com o seu amigo Silvio Berlusconi (até deixarem de dar) - não inspiram medo ou respeito entre os russos, para quem um líder com mão-de-ferro sempre foi a escolha preferida. A imagem do homem duro da política perdeu-se para sempre. É sempre difícil assumir uma aparência despótica quando nem sequer se consegue mexer as sobrancelhas.

De facto, os russos interromperam Putin não porque ele transformou a Rússia numa república das bananas industrial, onde as exportações de petróleo e outras matérias-primas sustentam um estado quase autoritário mas porque ele já não desempenha o seu papel de forma convincente. No entanto, a origem do descontentamento com Putin é irrelevante. O desejo de liberdade tem que começar em algum lado. Desde que os russos sintam que têm poder para enfrentar o regime, mesmo que apenas com risos e desprezo, há esperança na mudança. E agora que os resultados eleitorais motivaram os maiores protestos desde o colapso da União Soviética, a esperança está a crescer. Quando um czar perde a sua imagem de omnipotência, perde também a sua autoridade.

Após o longo melodrama de Putin, as opções do Kremlin para uma sequela são bastante limitadas. Todos esperam que o actual presidente, o fantoche Dmitry Medvedev, troque de papel com Putin após as eleições de Março. Mas à espera está o antigo ministro das Finanças Alexei Kudrin, que pode substituir Medvedev caso a Rússia precise de um factótum sincero sobre as reformas económicas. A reputação de calma e competência de Krudin pode permitir a Putin obter mais algum tempo no poder.

Mas aos olhos de Putin, este cenário é muito pouco provável. O antigo e futuro presidente garante que já tornou a Rússia mais forte e que, à medida que a instabilidade financeira alastra em grande parte do mundo desenvolvido, o país tornou-se numa ilha de estabilidade invejada por muitos. Talvez, mas é difícil ser um líder heróico e, ao mesmo tempo, o alvo de piadas populares.

Putin é muitas vezes comparado a Estaline, mas nos nossos dias, e à medida que se aproxima o 20º aniversário do colapso da União Soviética, ele parece cada vez mais Leonid Brejnev - o símbolo de um sistema político que há muito atingiu o prazo limite. Só lhe falta a papada.


Nina Khrushcheva, autora de "Imagining Nabokov: Russia Between Art and Politics, é professora de assuntos internacionais na The New School e membro do Instituto de Política Mundial em Nova Iorque.

* IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
29/12/11

.

À SÉRIA



Hoje, são outras as seriedades, muito mais caras
.


HOJE NO
"DIÁRIO  ECONÓMICO"

Governo reforça poder dos juízes e 
abre guerra com Ministério Público

Juiz ganha poder para decidir coacção mais grave e Ministério Público opõe-se. Advogados dizem que medida é inconstitucional. A reforma penal já arrancou.

Em vésperas de mais uma cerimónia de abertura do ano judicial - que se realizada dia 31 deste mês - uma nova ‘guerra' estalou entre as magistraturas, com o Ministério Público (MP) a criticar o reforço de poderes que o Governo quer dar aos juízes. Em causa está uma alteração ao Código de Processo Penal (CPP) que o Ministério da Justiça acaba de aprovar e que dá ao juiz de instrução poderes para, em fase de inquérito, aplicar uma medida de coacção mais grave do que a que foi proposta pelos magistrados do MP. Os juízes voltam, assim, a entrar num terreno que desde o Governo PS tinha voltado a ser exclusivo dos procuradores (a investigação) e poderão decidir que um arguido fica em prisão preventiva mesmo que o MP tenha requerido a obrigação de apresentação semanal numa esquadra. Esta decisão é tomada muitas vezes como forma de manter o arguido em liberdade e vigiar a sua actividade.

Mas Paula Teixeira da Cruz quer que outros factores - que não apenas a investigação - entrem em jogo e dá aos magistrados judiciais a possibilidade de aplicarem uma medida de coacção mais grave sempre que houver perigo de fuga do arguido, perigo de continuação da actividade criminosa ou risco de perturbação grave da ordem ou tranquilidade pública. A ministra entende que nestes casos "o Ministério Público não detém, quanto à ponderação destes valores e necessidade da sua protecção, posição de privilégio", como se lê na exposição dos motivos do diploma, a que o Diário Económico teve acesso. O MP manterá apenas o poder exclusivo de decidir a medida de coacção quando esta "assentar no fundamento de perigo para a perturbação do decurso do inquérito", nomeadamente fuga de provas.


* Uma futura república de juízes...

.
.


A-Génios da Ciência
7 - ALBERT EINSTEIN







.


HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Criar estratégia para internacionalização

O Ministério da Agricultura 'desafiou', a Portugal Foods para, em conjunto com as outras entidades e associações empresariais da fileira agroalimentar, estabelecerem as bases de uma estratégia nacional para a internacionalização do sector agroalimentar português.
Em comunicado, o Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (MAMAOT), anunciou que os trabalhos vão iniciar-se 'de imediato, tendo como objetivo unir o maior número possível de empresas agroalimentares exportadoras em torno de uma estratégia comum de internacionalização',
A estratégia para a internacionalização irá, segundo o MAMAOT, 'definir os objetivos sectoriais a atingir no médio prazo (3 a 5 anos), desejavelmente por produto e por mercado, bem como os eixos de desenvolvimento a implementar e meios necessários à sua prossecução',
Segundo o Ministério liderado por Assunção Cristas, os trabalhos 'decorrerão sob a coordenação operacional da Portugal Foods, de acordo com uma metodologia pré-estabelecida, envolverão todos os agentes económicos do sector agroalimentar que a ela queiram aderir, e deverá estar concluído até final do primeiro trimestre de 2012'.


* O MAMAOT cheio de pica...

.

OS 50 MELHORES DE 2011
(PARA A ROLLING STONE)


2 -JAY-Z 
and KAYNE WEST
NIGGAS IN PARIS





(De segunda a sábado o desfile do nº1 ao 6, um por dia a esta hora)
.


HOJE NO
"DIÁRIO  DE NOTÍCIAS"

Mais gente sob o efeito de álcool 
na estrada

A Polícia de Segurança Pública (PSP) efetuou 1.098 detenções durante a operação "Festas Seguras 2011", em que 463 foram por condução sob o efeito de álcool, divulgou hoje esta força de segurança.

A PSP deteve "mais 11" pessoas do que em 2011 por condução sob o efeito do álcool, durante os 25 dias da Operação e em termos comparativos com o ano anterior, divulgou a polícia.

A polícia informou que das 2.604 operações a nível nacional, das quais 1.292 tiveram principal enfoque no trânsito, resultaram 197 pessoas detidas por falta de carta de condução, 19 por posse de arma ilegal, 57 por roubos ou furtos, 84 por tráfico de droga e 148 por existirem mandados de detenção.

Em comunicado, a PSP referiu que foram fiscalizadas 83.795 viaturas em que detetaram 13.320 infrações, das quais 4.210 referem-se a excesso de velocidade.

A força de segurança destaca ainda que dos 15.872 condutores testados em relação à condução sob o efeito do álcool, 771 deles apresentavam uma taxa igual ou superior a 0,5 grama por litro de sangue, apesar de terem registado "menos acidentes rodoviários", no período da passagem de ano.

Em termos de sinistralidade, no período dos 25 dias de operação que terminou a 02 de janeiro, a PSP verificou menos 1.062 acidentes rodoviários com menos seis mortos e cerca de 150 feridos.


* Bêbedos ao volante só com prisão.

.


O MAIS ANTIGO



VEJA EM TELA CHEIA
.

HOJE NO
"RECORD"

Triunfo histórico de Elisabete Jacinto
Vitória nos camiões

Elisabete Jacinto nem queria acreditar, quando terminou a especial cronometrada, que apenas dois buggys tinham completado a prova e poucos minutos antes de o seu MAN TGS cruzar a linha de chegada do 5.º sector seletivo SS do Africa Eco Race 2012.

A piloto do Team Oleoban/MAN Portugal gastou 3h54m57s para percorrer os 367 quilómetros da especial que ligou As Sakn a Dahkla, venceu mais uma vez entre os camiões e terminou na terceira posição absoluta de uma etapa que teve Jean Louis Schlesser como vencedor.

Elisabete chegou mesmo a ser segunda ao longo de grande parte da etapa e a poucos quilómetros do final tinha apenas um minuto de desvantagem para o líder.

Entre os camiões ganhou 12m49s ao Tatra do checo Tomas Tomecek uma vantagem que não foi contudo suficiente para regressar ao comando da prova.

“É uma etapa em que o grande mérito é do meu navegador. Um percurso era muito rápido. Fizemos uma média perto dos 100 km/h numa pista que não deixava rastos. O Zé nunca se enganou e dos quatro carros que partiram à nossa frente e ficaram para trás, só um é que o passei na pista. Os outros devem ter tido erros de navegação. O René Metge bem tinha avisado. Eu pelo meu lado cumpri. Tirei do camião tudo o que ele podia dar e viemos de facto muito depressa”, salientou no final da etapa Elisabete Jacinto.


* Com muita garra e trabalho

.
.


5. As dez Cidades 
mais Antigas


b


m
Tiro é uma antiga cidade fenícia no Líbano na costa do Mar Mediterrâneo, a cerca de 30 quilómetros de Sídon. A cidade moderna continua a chamar-se hoje de Sour, sendo que o seu nome significa "rocha".

História
O comércio de todo o mundo estava reunido nos armazéns de Tiro. Os mercadores desta cidade foram os primeiros a aventurar-se a navegar através das águas mediterrânicas, fundando colónias na costa e ilhas vizinhas do Mar Egeu, na Grécia, na costa do norte de África, em Cartago, na Sicília e na Córsega, na Península Ibérica e mesmo para além dos pilares de Hércules em Gadeira (Cádis. No tempo de David, foi forjada uma aliança entre os Hebreus e o povo de Tiro, que foram governados durante muito tempo pelos seus reis nativos.

Tiro estava dividida em duas partes distintas: uma fortaleza rochosa, chamada "Antiga Tiro", e a cidade, construída numa pequena e rochosa ilha a cerca de 700 metros da costa. Estrategicamente, era um local muito bem posicionado. Foi cercada durante cinco anos por Shalmaneser III, que contava com o auxílio dos Fenícios do continente. Em 586 a.C. foi cercada por Nabucodonosor durante treze anos, aparentemente sem sucesso. Caiu depois sob o jugo de Alexandre, o Grande depois de um cerco de sete meses. Tiro continuou a manter muita da sua importância comercial até à era Cristã.

Foi aqui que se fundou uma igreja logo após a morte de Santo Estêvão, e São Paulo, ao regressar da sua terceira jornada missionária, passou uma semana em diálogo com os discípulos daquela cidade.
Porto de pesca em Tiro

Após a Primeira Cruzada, foi capturada, tornando-se uma das cidades mais importantes do Reino de Jerusalém. Fazia parte do domínio real, embora houvesse colónias autónomas para as cidades mercantes da Itália. De resto, e enquanto Jerusalém não foi conquistada por Saladino em 1187, Tiro manteve-se uma cidade importante para o Cristianismo, acolhendo arcebispos e formando Patriarcas. As cruzadas capturaram a cidade no século XIII, mas em 1291 foi retomada pelos Mamelucos.

A cidade de Tiro foi particularmente conhecida pela produção de um tipo de tinta púrpura bastante raro. Esta cor era reservada, em muitas culturas dos tempos antigos, para a realeza ou nobreza.

WIKIPÉDIA


HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Estado paga a padres de Fátima milhões perdidos em especulação no BPN
Vítimas de burla de 3,5 milhões por gestor que gastou dinheiro na Bolsa

Durante um ano, uma instituição religiosa de Fátima entregou 3,5 milhões de euros a um gestor do BPN que prometia juros superiores aos dos depósitos a prazo. Só que, afinal, o dinheiro foi desviado e perdido na Bolsa. O Estado vai agora pagar tudo. 

 A condenação do BPN foi decidida pelos juízes do Supremo Tribunal de Justiça, numa acção cível. Estes consideram que o Instituto Missionário da Consolata tem direito a receber tudo aquilo que entregou ao gestor bancário Leonel Gordo, de 46 anos, entre 2004 e 2005, em cheques mas também em dinheiro vivo, para investimentos especulativos e de alto risco.


* Não é o Estado que paga somos nós!!!
Para além de gestores de almas, também um grande negócio, os Consolatenses preferem investir na terra do que no céu.Assim, o dinheiro de oferendas e doações foi direitinho para os especuladores do BPN, colmeia ideal de polícos, homens de negócios, e, já agora religiosos de Portugal.
Pede-se mais contenção verbal nas suas homilias ao sr Cardeal Patriarca, não esteja tanto ao lado dos pobres enquanto não disser com clareza quais os negócios em que instituições da igreja estão envolvidos. É que  ainda não nos esquecemos do arcebispo Marcinkus o chamado "Banqueiro de Deus".


.


SERVIÇOS CAMARÁRIOS





.


HOJE NO
"DESTAK"

Universitários preferem actividades artísticas e culturais

Cerca de 88% dos estudantes universitários portugueses participam em actividades extracurriculares e destes 64% tem preferência pelas actividades artísticas e culturais, um valor que se encontra acima da média da comunidade estudantil ibero-americana e que coloca Portugal na liderança desta tendência.


Já o desporto ocupa a segunda posição do ranking, sendo a escolha natural de 44% dos universitários portugueses no que respeita a ocupações extracurriculares. As actividades políticas são as que têm menor preferência, com uma participação apenas na ordem dos 18% no nosso país.

Estas são algumas das conclusões de um estudo realizado pela Universia junto da comunidade ibero-americana de estudantes, que acrescenta que 46% das instituições de ensino portuguesas estão equipadas com infraestruturas voltadas para as actividades socioculturais e 42% oferecem espaços dedicados ao desporto, actividade que ocupa o segundo lugar na preferência dos alunos.

O estudo realizado pelo Universia conclui ainda que 36% dos universitários portugueses utilizam as bibliotecas para requisitar livros e 37% apenas para estudar. No que respeita às áreas que os estudantes consideram necessitar de melhoria, o aumento de bolsas de estudos lidera (49%) seguido pelo aumento e melhoria das infraestruturas (39%).


* Universitários deste país, pragamatismo acima de tudo, "Matricular num Partido, é o Futuro Garantido", deixem-se de lirismos culturais.


.
.
2 - APARELHO CIRCULATÓRIO

n


   Uma extraordinária e clara explicação acerca deste complexo aparelho 

.


HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Portugal é o único país onde a 
austeridade exigiu mais
aos mais ao pobres

Estudo da Comissão analisa medidas tomadas entre 2009 e 2011 pelos seis países mais afectados pela crise

Entre os seis países da União Europeia mais afectados pela crise, Portugal é o único onde as medidas de austeridade exigiram um esforço financeiro aos pobres superior ao que foi pedido aos ricos, revela um estudo recente publicado pela Comissão Europeia. Na comparação com Grécia, Estónia, Irlanda, Reino Unido e Espanha, Portugal é também o País que regista um dos maiores aumentos de risco de pobreza devido às medidas de consolidação orçamental adoptadas durante a crise, ultrapassando a barreira dos 20% da população em risco.


* Um governo p'ró povo

.
.

BOM ALMOÇO
 .
 .

ONTEM NO
"i"
19:38 
Jerónimo Martins passa totalidade do capital para subsidiária na Holanda

A Jerónimo Martins, dona dos supermercados Pingo Doce, anunciou hoje que a sociedade Francisco Manuel dos Santos vendeu a totalidade do capital que detinha no grupo à sua subsidiária na Holanda, mas mantém os direitos de voto.

Em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo informa que "no passado dia 30 de dezembro de 2011 a sociedade Francisco Manuel dos Santos SGPS vendeu à sociedade Francisco Manuel dos Santos B.V. (subsidiária), que comprou àquela, 353.260.814 ações da sociedade aberta Jerónimo Martins SGPS, representativas de 56,136 por cento do capital social e 56,213 por cento dos respetivos direitos de voto".

Assim, a sociedade Francisco Manuel dos Santos SGPS "deixou de ser titular de qualquer ação da sociedade aberta Jerónimo Martins SGPS".

No comunicado, a Jerónimo Martins informa que a sociedade Francisco Manuel dos Santos SGPS domina a subsidiária holandesa "por poder exercer os correspondentes direitos de voto nos termos do acordo parassocial",

Deste modo, os direitos de voto inerentes às ações da Jerónimo Martins SGPS, objeto da compra e venda anteriormente mencionada permanecem imputados à Francisco Manuel dos Santos SGPS SA”.


* Já ouviram falar em fuga de capitais?

.

O tempo que se perde perdendo tempo

Semáforo de peões





A maioria dos semáforos das cidades portuguesas 
são esta perigosa neura



.


6 - TELESCÓPIO HUBBLE

AS 10 MELHORES FOTOS



Em 5º, a Nebulosa Ampulheta, distante 8.000 anos luz, que tem um estrangulamento no meio, por causa dos ventos que modelam a nebulosa, serem mais fracos na sua parte central.

.
PINTURAS  E  POESIAS

.



m

JORNAIS DE HOJE


COMPRE JORNAIS

















































 .
.

BOM DIA
 .
.