sexta-feira, 21 de outubro de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


CIRCO CUBANO





.


De MOÇAMBIQUE
clique 2xs para ler bem







IN "CANALMOZ"
21/10/11

-

HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"
.
Lixo hospitalar português usado 
em vestuário no Brasil

Um operário brasileiro do município de São João da Boa Vista, em São Paulo, denunciou a loja onde comprou as suas bermudas, depois de reparar que o tecido do bolso possuía o logótipo de um hospital de Almada, Portugal.


"Desconhecemos a utilização do tecido lá [em Portugal], no que foi usado, que doente o usou", afirmou António Carlos Zanelli, quinta-feira, em declarações à emissora EpTV, filiada na Rede Globo, de São Paulo.

Pelas imagens, verifica-se que o logótipo que aparece no tecido é o mesmo que se vê em lençóis do Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Acredita-se que o fabricante das bermudas seja uma empresa do Estado de Pernambuco, da mesma região onde a Polícia Federal brasileira apreendeu, na semana passada, 15 toneladas de lixo hospitalar norte-americano.

Nos últimos dias, quatro lojas foram fechadas por venderem lençóis hospitalares, no município de Santa Cruz do Capibaribe, a cerca de 200 quilómetros de Recife, capital do estado de Pernambuco.

Na quinta-feira, uma nova carga, de 800 quilos, que continha lençóis, fronhas e casacos usados, foi apreendida em Ilhéus, na Bahia. As informações iniciais apontam para que este material seja proveniente de hospitais brasileiros.

A vigilância sanitária determina que roupas de cama utilizadas em leitos de hospitais têm de passar por um tratamento especial no momento em que deixam de ser utilizadas e não podem ser reaproveitadas.

Agentes da polícia federal norte-americana (FBI) chegaram quinta-feira ao Recife para participar nas investigações.


* No directo sem reciclar, brasuca sofre...

.


Um infantilmente parvo


video



.
 
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Empresa angolana compra Tobis 
por 7 milhões de euros

A produtora de cinema portuguesa foi adquirida por uma empresa angolana por sete milhões de euros, soube o Negócios.
A Tobis, que actualmente tem um passivo de cerca de oito milhões de euros, foi comprada por uma empresa angolana por sete milhões de euros.

O negócio foi fechado ontem, precisamente, um dia antes da assembleia-geral da empresa. A reunião de accionistas, que entretanto foi suspensa, estava agendada desde o início de Outubro, altura em que o conselho de administração da Tobis se demitiu.

No início deste mês o conselho de administração da Tobis anunciou aos trabalhadores que estava demissionária e que iria manter-se interinamente à frente da empresa até hoje.

Os trabalhadores da Tobis, que ainda não receberam os salários de Setembro, agendaram para hoje uma concentração em frente às instalações da empresa. Com a suspensão da assembleia-geral rumaram às instalações do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), maior accionista da empresa.

Contactado pelo Negócios, Tiago Silva, delegado sindical da Tobis, confirmou que os trabalhadores da empresa foram recebidos pelo ICA, que lhes transmitiu "que o processo de venda da empresa continuava a decorrer". O ICA adiou, assim, a assembleia geral da empresa em 15 dias para 7 de Novembro.


* Péssima notícia se percebermos que quase todos os negócios de Angola no exterior tem o dedo dos esclavagistas da "Famiglia Santos" e seus apaniguados.


.


2 - GRAMÁTICA DA 
LÍNGUA PORTUGUESA



Esta série é editada às sextas-feiras pelas 21H00

.

HOJE NO
"DESTAK"


Receita do IVA cresce 9,1% 
até Setembro para 9,9 mil M€

A receita do IVA nos primeiros nove meses do ano excedeu a obtida no mesmo período do ano anterior em 9,1 por cento (824,8 milhões de euros), revelam os dados divulgados quinta-feira pela Direcção-Geral do Orçamento.


Na síntese de execução orçamental até setembro, a informação indica que o imposto sobre o valor acrescentado (IVA) foi o que deu o maior contributo para o crescimento das receitas fiscais e o que mais receita proporcionou ao Estado, com 9.872,9 milhões de euros.

Nos impostos indiretos, com exceção do IVA, apenas o Imposto Único de Circulação (IUC) apresenta uma significativa subida em termos percentuais, 13,4 por cento, sendo que a receita representa apenas um ganho superior em 15,1 milhões de euros, finalizando os primeiros nove meses do ano nos 127,4 milhões de euros.

Já os restantes apresentaram quedas em termos percentuais, caso dos impostos sobre os veículos e sobre as bebidas alcoólicas, por exemplo.

No caso dos impostos diretos, as receitas do IRS cresceram 126,2 milhões de euros, para 6.334,7 milhões de euros (um aumento de dois por cento) e as do IRC 484,5 milhões de euros para 3992,1 milhões de euros (um crescimento de 13,8 por cento). As receitas de origem não discriminada, ou “outras”, cresceram para 47,7 milhões de euros, de um valor quase residual de 9,9 milhões de euros (um aumento de 381,8 por cento).

A receita não fiscal também apresentou uma subida de 88,8 milhões de euros face aos primeiros nove meses de 2010, ou 3,2 por cento, atingindo os 2.863,9 milhões de euros até setembro.

No total, a receita efetiva apresentou um crescimento de 5,1 por cento, mais 1.364,5 milhões de euros que em igual período de 2010, para os 27.896,7 milhões de euros.


* Receita do saque


.

CARLOS FIOLHAIS

 
 
O pintor Salvador Dalí disse um dia: ‘A única diferença entre mim e um génio é que eu não sou um génio’. Pois, em 1906, dois anos após Dalí vir ao mundo, nascia em Catânia, na Sicília, um físico que em nada se distinguia de um génio. Chamava-se Ettore Majorana e, se não deixou mais obra, isso deve-se em parte à brevidade da sua vida.

Como diz uma placa na casa natal: ‘O seu génio tímido e solitário escrutinou e iluminou os segredos do Universo como o brilho de um meteoro precocemente desaparecido de entre nós, em Março de 1938, deixando-nos o mistério do seu pensamento’.

O seu tutor, o italiano Enrico Fermi, um dos maiores físicos do século XX, colocou-o nos píncaros da ciência, ao lado de Galileu e Newton, e, portanto, acima dele próprio. Majorana era um prodígio no cálculo mental e Fermi, numa disputa para ver quem fazia mais depressa contas complicadas, nem ajudado por uma régua de cálculo o conseguiu bater. O professor ficava irritadíssimo quando via o discípulo garatujar num maço de cigarros uma nova ideia científica, expressa em belas equações, e, no fim de fumar, deitar o maço ao lixo. 

A Majorana bastava o prazer solitário da descoberta, não sendo necessário o reconhecimento dos pares. Fermi e os seus outros alunos eram extrovertidos, discutiam muito, competiam entre si para serem os primeiros. Mas o siciliano preferia a contemplação, o recolhimento e o silêncio. Ele era o único que conhecia o mistério da sua mente.

O físico português João Magueijo, professor no Imperial College de Londres, acaba de publicar, em português, na Gradiva, uma biografia do enigmático sábio: O Grande Inquisidor. O autor revela-se, nesse livro, fascinado pela vida e pensamento de Majorana e tenta penetrar no mistério. Tenta compreender o génio, criativo e extravagante. Porquê Grande Inquisidor? Pois a famosa escola de Fermi foi fundada, na Roma de Mussolini, por um senador, em geral ausente, a quem chamavam Deus. Fermi era o Papa, o representante de Deus na Terra.
 E Majorana só podia ser Inquisidor pois se comprazia em pôr tudo e todos em causa. Apesar de resistir à publicação, a sua originalidade ficou bem patente numa teoria quântica relativista alternativa à do inglês Dirac, num modelo das forças nucleares paralelo ao do alemão Heisenberg e na proposta de um neutrino diferente do que foi concebido pelo austríaco Pauli e baptizado por Fermi. Todos estes foram grandes nomes da física moderna e com todos eles Majorana pediu meças.

A lenda de Majorana ganhou proporções maiores quando ele desapareceu, sem deixar rasto, depois de ter deixado uma nota de despedida à família: ‘Recordem-me, se puderem, nos vossos corações, e perdoem-me’. Ter-se-á deitado ao mar num navio entre Palermo e Nápoles, mas não se sabe ao certo. 


IN "SOL"
21/10/11

.

FAÇA CIRCULAR EM PORTUGAL

Pelos cortes salariais e dos 13º e 14º meses
EXIGA AOS POLÍTICOS

Retirar TODOS os subsídios, abonos ou subvenções

Limitar o salário dos cargos políticos ao valor de 25 salários mínimos (+/- 12.500 ?)

Apenas poderão auferir UM salário



ENVIE E ENTUPA OS SITES DE PARTIDOS E SERVIÇOS PÚBLICOS

INDIGNE-SE
.


2 – Um por dia p’ra não vomitar
(clique na imagem para ler bem)








 ATÉ AO PRÓXIMO
.


HOJE NO
"i"

Distribuição:
Mais famílias com dificuldade 
para cobrir despesas sociais
Já são 22% os lares mais atingidos pela crise. 
Esse número aumentou em 122 mil face a 2010


Segundo o estudo da Kantar Worldpanel sobre o impacto da actual crise no consumidor português, 22% dos lares portugueses são os mais afectados pela crise. Em 2010, mais 122 mil famílias juntaram-se às 800 mil que admitem ter dificuldade em cobrir as suas necessidades essenciais.
Para os mais pessimistas deste grupo, a crise vai durar mais de três anos, pelo que já começaram a adaptar o seu comportamento de compra. Neste sentido, os mesmos consumidores já levam almoço para o trabalho, mudaram a loja onde habitualmente faziam compras para procurar melhores preços e passaram a comprar outras marcas.
O peso dos supermercados Lidl e Minipreço tem-se tornado cada vez maior para os consumidores mais preocupados, tendo vindo a aumentar as compras de fruta, carnes e cereais, deixando os pequenos prazeres fora da cesta básica de alimentação. A preocupação com a crise abrange particularmente as famílias com mais de 4 pessoas, as pessoas entre os 35 e os 49 anos e os que têm um rendimento muito abaixo da média.
Contudo, não só as pessoas com rendimentos mais baixos são as mais comedidas, já que a preocupação começa a alastrar à classe média, mudando esta também os seus hábitos de compras. Aos aumentos sucessivos do preço dos combustíveis tem-se seguido uma retracção no volume do abastecimento. A classe média reduziu o volume médio por abastecimento em quase 8% em comparação com o ano passado. Do mesmo modo, 61% do volume do mercado são feitos com descontos, promoções ou nos híperes, resultado da fuga do consumidor aos preços de referência. Assim, as ofertas “low cost” dos hipermercados já obtêm uma quota de 31,5% em volume. Já o abastecimento particular em Espanha representa 4,6% do volume total nacional.
Nos países mais afectados pela crise, como Portugal, Grécia, Espanha, Irlanda e Espanha, a quota dedicada à marca de distribuição tem aumentado e há mais refeições dentro do lar, assim como um peso maior da alimentação nas compras. A diferença: em Portugal compra-se o mesmo, gasta-se menos por cada acto de compra e vai-se mais vezes ao supermercado.
No estudo conclui-se ainda que é cedo para inferir quais as consequências das recentes medidas do Orçamento do Estado para 2012, mas o aumento do IVA no chamado grande consumo pode representar, em média, um acréscimo de até 17 euros anuais por lar.


* Numa só palavra: CRISE


.

 
2 - JERUSALÉM 
NA ÉPOCA DE CRISTO




NR: Se puder abstraia-se das considerações religiosas, respeitáveis para quem tem fé, e concentre-se na parte historica.

.


HOJE NO
"PÚBLICO"

Ministro recebe subsídio apesar de passar a semana em casa própria na capital

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, recebe todos os meses cerca de 1400 euros por subsídio de alojamento apesar de ter um apartamento seu na área de Lisboa onde reside durante toda a semana. A assessoria de imprensa do Ministério da Administração Interna (MAI) afirma que o subsídio é legal, uma vez que o governante tem a sua residência permanente em Braga.


São nove os governantes a quem foi atribuído, por despacho de 29 de Setembro do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, com o aval do ministro das Finanças, subsídio de alojamento por não terem “residência permanente na cidade de Lisboa ou numa área circundante de 100 km”. Mas Miguel Macedo é o único que na declaração de rendimentos que entregou ao Tribunal Constitucional apresenta duas moradas, uma em Braga, de onde é natural e por onde foi eleito, e a outra em Algés, nos arredores de Lisboa, onde tem casa própria e reside durante os dias da semana, confirmou a assessoria de imprensa. O seu rendimento bruto é de 4.240 euros.

A prática é legal, apesar de ser polémica e já ter sido suscitado dúvidas ao longo dos tempos, havendo um parecer do Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República de 1990 que se debruça sobre o que significa, afinal, ter “residência permanente”. O parecer conclui que Lisboa é, no caso dos titulares de cargos de Governo que não viviam na capital, “uma residência ocasional”, sendo a residência permanente “o local da residência habitual, estável e duradoura de qualquer pessoa, ou seja a casa em que a mesma vive com estabilidade e em que tem instalada e organizada a sua economia doméstica, envolvendo, assim, necessariamente, fixidez e continuidade”. A capital é, segundo o parecer, “apenas onde exercem funções governativas, que por natureza são temporárias em sociedades democráticas”. O parecer conclui ainda que ter casa própria na capital não é impedimento para recepção deste subsídio.

O diploma que fixa o subsídio é já de 1980 e justifica a concessão “com os encargos que resultam para os interessados, agravados pela rarefação de habitações passíveis de arrendamento na cidade”. O despacho de Setembro fixa o valor atribuído no “montante de 75% do valor das ajudas de custo estabelecidas para as remunerações base superiores ao nível remuneratório 18”, que estão definidas em 62,75 euros diários. Feitas as contas, este valor cifra-se em cerca de 1400 euros mensais.

O subsídio de alojamento foi também atribuído ao ministro da Defesa, Aguiar-Branco, a Juvenal Peneda (adjunto do ministro da Administração Interna), aos secretários de Estado Paulo Júlio, Cecília Meireles, Daniel Campelo e Marco António Costa e à subsecretária de Estado adjunta Vânia Barros, que dão moradas na região Norte e Centro. Segundo o jornal Sol, no anterior Executivo o apoio era dado a 13 governantes, entre estes também havia três secretários de Estado com casa própria em Lisboa.


* Uma coisa é legalidade outra é seriedade!!!

.
PETER  FRAMPTON
Show me The Way




.


HOJE NO
"A BOLA"

«Não vou alterar o ADN de Cristiano» - Mourinho

José Mourinho comentou, esta sexta-feira, as assistências para golo de Cristiano Ronac)onnos últimos jogos do Real Madrid, nos quais o internacional português ficou em branco.

«Sempre disse que Cristiano não é um jogador egoísta. Tem um ADN próprio e que não se pode alterar, eu não o farei. A equipa está a jogar bem, está em boa forma, os avançados estão a fazer golos e é normal que Cristiano se sinta mais confortável», argumentou Mourinho, na conferência de Imprensa de projecção do jogo com o Málaga.

A propósito do clube andaluz, o treinador aproveitou para colocar água na fervura na polémica suscitada por declarações que proferiu o ano passado, descartando a possibilidade de um dia vir a treinar o Málaga.



«Aquilo que disse pode ser interpretado de muitas maneiras. Respeito o Málaga e todos os clubes, mas digo que depois de treinar o Real Madrid será muito difícil treinar outra equipa espanhola. O Málaga tem muito em comum com a história do Real Madrid, como Juanito, que despertava paixões. Hoje tem Fernando Hierro. Os adeptos dos dois clubes têm uma boa relação. Se alguém quiser interpretar de forma negativa, nada posso fazer», referiu.


* Se Mourinho souber alterar algum ADN que altere o dos políticos portugueses!

.
3 - Ben Heine

Veja do que ele é capaz, 
com algumas fotos, papéis e grafite








.


ONTEM NO
"CORREIO DA MANHÃ"
 ,
RTP paga a políticos 
para comentarem em programas
Quarenta e nove personalidades públicas 
têm avenças semanais na RTP e RDP.

Marinho Pinto e Carvalho da Silva fazem parte da lista de 49 personalidades públicas com avenças semanais na RTP e na RDP. O líder da CGTP ainda não assinou o contrato com o canal do Estado, mas a verba que foi acordada é de 600 euros por cada programa, transmitido uma vez por semana - 2400 euros por mês. Esta é a mesma remuneração que recebe o bastonário da Ordem dos Advogados, Marinho Pinto, e também o presidente da Câmara de Santarém, Moita Flores, pelo programa ‘Justiça Cega', todas as segundas--feiras na RTP Informação.

O CM teve acesso à lista de parceiros sociais, juízes e políticos a quem o ministro dos Assuntos Parlamentares mandou cortar as avenças na televisão e na rádio do Estado. Em declarações ao CM, Miguel Relvas garante que "o Governo deu indicações concretas ao Conselho de Administração da RTP e da RDP para eliminar de imediato as avenças aos titulares de cargos públicos, sejam deputados, juízes, parceiros sociais ou gestores de empresas públicas". A lista é extensa e inclui diversos nomes como o juiz Rui Rangel ou o último ministro das Obras Públicas do Governo de José Sócrates. António Mendonça recebe por semana 600 euros, pela sua participação no ‘Mais Valias'. É neste programa de economia que também participa Carvalho da Silva, da CGTP, todas as quartas-feiras na RTP.

Mas não é só na RTP que entram políticos e outras figuras com cargos públicos. O próximo presidente da ERC, Carlos Magno, recebe uma avença mensal de 1900 euros pelo programa ‘Contraditório' na Antena 1, onde as avenças também vão acabar: "A RTP e a RDP não podem ficar à margem do esforço financeiro que está a ser exigido a todos os portugueses neste momento de emergência nacional". Por isso mesmo, acrescenta: "Terá de haver uma profunda alteração."

NUNO SANTOS CONFIRMA PAGAMENTOS

O director de Informação da RTP, Nuno Santos, confirma ao CM que "as avenças são pagas por programa" - semanais em quase todos os casos. As aparições oficiais das personalidades públicas noutros programas já não são pagas. Santos não comenta se já recebeu alguma instrução do Conselho de Administração para acabar com as avenças.

ACELERAR VENDA DE UM CANAL

Miguel Relvas diz ao CM que "o Governo está determinado na reestruturação da RTP e pretende acelerar o processo de alienação de uma licença de emissão de um canal generalista até ao final do último trimestre de 2012". Mais: "É impraticável, no presente contexto de emergência nacional, custos de radiodifusão da ordem dos 40 milhões de euros".

POLÍTICOS DIZEM QUE MANTÊM PRESENÇA

O eurodeputado do PSD, Paulo Rangel, diz ao CM que "todo o trabalho deve ser pago, ainda que simbolicamente". Mais: "O comentário político regular é trabalho, não é inerência." Ainda assim, Paulo Rangel frisa compreender a medida e garante que, mesmo sem avença, continuará a comentar.

Por seu lado, Bagão Félix afirma que não se quer pronunciar sobre a medida porque não a conhece. Mas lembra: "Gostaria de acrescentar que não tenho cargos políticos." Carlos Magno, dado como próximo presidente da ERC, recusa falar "sobre o futuro" e, portanto, não quer comentar nada. Também o juiz Rui Rangel prefere não falar sobre a avença semanal: "Não confirmo, nem desminto".

Moita Flores diz que nunca lhe pagaram nada para ir à televisão pública: "A única vez que recebi alguma coisa foi quando fazia os ‘Casos de Polícia'".

Já o deputado do PSD Miguel Frasquilho garante que não deixará de ser "comentador da RTP". A maioria dos políticos contactados preferem não comentar o assunto.

CORTAR 300 CARGOS NA TELEVISÃO DO ESTADO

O estudo preliminar apresentado pelo Conselho de Administração da RTP ao ministério tutelado por Miguel Relvas aponta para a necessidade de reduzir o número de cargos de chefia e do número de efectivos. As estimativas indicam o corte de cerca de 300 postos de trabalho entre cargos dirigentes e não dirigentes.


* Não estamos preocupados com o valor destas avenças. A acção de "comentar" constitui trabalho e portanto deve ser remunerado e muitos dos intervenientes são poélmicos e de grande nível pelo que não ficamos escandalizados. Assusta-nos é o número  de grupos da "sueca" a falar de desporto, uma verdadeira inutilidade, mas como dá dinheiro em chamadas de valor acrescentado...
Se por acaso a RTP me quiser para comentadora cobrarei mais do que o normal, porque de borla só aqui, na peida!!!

.

O TEMPO


O TEMPO






.


HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"
 .
Milionários controlam 39% 
da riqueza mundial

Em 12 meses, o crescimento da fortuna dos mais ricos foi duas vezes superior ao aumento da riqueza mundial como um todo.

Os manifestantes do "Occupy Wall Street" têm mais um motivo para protestar: os milionários no mundo controlam 38,5% da riqueza mundial, segundo o estudo "Global Wealth Report" divulgado pelo Credit Suisse e citado pelo jornal americano The Wall Street Journal.

De acordo com o estudo, 29,7 milhões de pessoas (o que representa menos de 1% da população mundial) com rendimentos familiares de 1 milhão de dólares detêm cerca de 89 biliões de dólares ou 38,5% da riqueza mundial, mais que os 35,6% registados no ano passado.

Entre 2010 e 2011, a riqueza dos milionários aumentou 29%, em 20 biliões de dólares. Isto significa que a fortuna dos mais ricos cresceu duas vezes mais rápido do que a riqueza mundial como um todo (actualmente estimada em 231 biliões de dólares).

A pesquisa do Credit Suisse revela também que os Estados Unidos foram o maior gerador de riqueza entre as diversas nações do mundo nos últimos 18 meses, adicionando 4,6 biliões de dólares para o total da riqueza mundial. A China foi a segunda, colaborando com 4 biliões de dólares, seguida pelo Japão (3,8 biliões de dólares), Brasil (1,87 bilião de dólares) e Austrália (1,85 bilião de dólares).

O estudo mostra ainda que actualmente há 84.700 pessoas no mundo que detêm 50 milhões de dólares ou mais - com 35.400 deste total a viver nos Estados Unidos. Há ainda 29 mil pessoas cuja fortuna supera os 100 milhões de dólares ou mais; e 2.700 que sozinhas detêm 500 milhões de dólares ou mais.


* E os pobres cada vez mais pobres


.

7 - OOPS !!!!!!!!!!











.



HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"


Aprovada criação de CEIE

O Governo aprovou a criação do Conselho Estratégico de Internacionalização da Economia (CEIE), que será presidido pelo primeiro-ministro e contará com a participação de Álvaro Santos Pereira, Vítor Gaspar e Paulo Portas. O CEIE contará ainda com a participação de quatro representantes do setor privado. O CEIE terá por missão 'a avaliação das políticas públicas e das iniciativas privadas, e a respetiva aprovação, em matéria de internacionalização da economia, da promoção e captação de investimento estrangeiro'.


* Acabou-se a moda das "fundações" e "institutos" agora o que está a dar bué são os "conselhos".


.

NÚPCIAS


video

.


HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"


A psiquiatria é uma fraude?

A psiquiatria está em crise e há mesmo quem ponha em causa a sua seriedade. Este é o tema principal do próximo Quociente de Inteligência, o caderno cultural do Diário de Notícias

Problemas com credibilidade científica, abuso a receitar medicamentos em vez de tentar a cura através do diálogo com os doentes;uma influência negativa da indústria farmacêutica sobre os médicos psiquiátricas são alguns dos problemas graves desta área da medicina.

Quatro livros estudam estes problemas e são analisados num trabalho que traduzimos da New York Review of Books: The Emperor's New Drugs: Exploding the Antidepressant Myth de Irving Kirsch; Anatomy of an Epidemic: Magic Bullets, Psychiatric Drugs, and the Astonishing Rise of Mental Illness in America de Robert Whitaker; Unhinged: The Trouble with Psychiatry-A Doctor's Revelations About a Profession in Crisis, de Daniel Carlat e Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Fourth Edition da American Psychiatric Association

Conheça este e outros temas da edição do próximo sábado do Quociente de Inteligência (exclusivo em versão impressa e e-paper).


* Vamos estar atentos

.
BUCKINGHAM  PALACE

video

O Palácio de Buckingham é a residência oficial do monarca britânico em Londres, Inglaterra.Somado ao facto de ser a residência de rainha Isabel II, o Palácio de Buckingham é o local de entretenimento real, base de todas as visitas oficiais de chefes de estado ao Reino Unido, e uma grande atração turística. Tem sido um ponto de religação para o povo britânico em momentos de grande alegria e de crise. No entanto, não é admirado por todos, pois foi votado como o quarto prédio mais feio de Londres em Março de 2005.
O palácio, originalmente conhecido como Casa de Buckingham (o edifício que forma o coração do actual palácio) foi uma grande casa citadina construída pelo Duque de Buckingham, em 1703, e adquirida pelo rei Jorge III, em 1762, como uma residêndia privada, conhecida como "A Casa da Rainha" ("The Queen's House"). Foi reformada e aumentada ao longo de 75 anos, principalmente pelos arquitectos John Nash e Edward Blore, formando três alas em volta de um pátio central. O Palácio de Buckingham tornou-se a residência oficial da monarquia com a ascensão da Rainha Vitória em 1837. As reformas mais significativas foram feitas na Era Vitoriana, com a adicção de uma grande ala em direcção a Leste e com a remoção de antigas entradas. A fachada Leste foi refeita em 1913 junto ao Memorial de Vitória, criando a actual fachada pública do palácio, incluindo o famoso balcão.
O desenho de interiores original, do início do século XIX, muito do qual ainda sobrevive, inclui o uso predominante de mármores de imitação brilhantemente coloridos e lápis azul e cor-de-rosa, segundo a recomendação de Sir Charles Long. O rei Eduardo VII dirigiu uma grande redecoração no estilo Belle Époque, com um esquema de cores creme e azul. Várias pequenas salas de recepção são mobiliadas no estilo chinoiserie, com mobiliários e equipamentos trazidos do Royal Pavilion em Brighton e da Carlton House, depois da morte do rei Jorge IV. Os jardins públicos do palácio são os maiores jardins privados de Londres, projectados originalmente por Capability Brown, mas redesenhado por William Townsend AiltonKew Gardens e por John Nash. O grande lago artificial foi finalizado em 1828 e é abastecido pelas águas do lago Serpentine do Hyde Park. do
As Salas de Estado formam o núcleo do palácio em funções e são usadas correntemente pela rainha Isabel II e membros da família real para entretenimento oficial e de estado. O Palácio de Buckingham é um dos mais conhecidos edifícios do mundo e é visitado por mais de 50.000 pessoas anualmente, como convidados de banquetes, almoços, jantares, recepções e festas de jardim reais.

,


HOJE NO
"RECORD"

Domingos já de olho 
na série de 10 vitórias

A herança de 10 vitórias consecutivas conseguida pela última vez no Sporting por Paulo Bento, em 2005/2006, é a nova meta a ultrapassar por Domingos Paciência. O êxito na receção ao Gil Vicente, na segunda-feira, deixará a equipa leonina a um passo de igualar o feito que, a acontecer, será na visita ao Feirense, na 9.ª jornada da Liga.

Com a série iniciada na Luz (3-1) vai fazer 6 anos em janeiro, esta tem em comum 5 “folhas limpas” (jogos sem sofrer golos), embora os dois triunfos arrancados a ferros no início (3-2 ao P. Ferreira e ao Rio Ave) impliquem mais 2 golos sofridos no total. Quanto aos marcados, Domingos leva ligeira vantagem sobre Bento: 18 contra 17 (nos primeiros 8 encontros; depois a equipa do atual selecionador chegou aos 20).


* Será que Domingos disse que está de olho na série de dez vitórias ou é uma notícia fabricada para entreter leitor? Porque este tipo de séries não tem assim tanta importância. Vale é constituir equipa quase do zero, desencantar desempenhos de suplentes à altura. Domingos, a nosso ver não tem que ganhar nada este ano, tem é de consolidar o futuro. O Sporting, eu sou sportinguista, era já na época de Bento o exemplo de instabilidade que os "experts" seguintes confirmaram! Dêem tempo ao técnico.

.
Mosteiro Suspenso

video


(Veja em tela cheia)

.
8 - FILOSOFIA DE BUTECO



4 - PRAIAS DE AREIA COLORIDA
 









 

JORNAIS DE HOJE



COMPRE JORNAIS














.