terça-feira, 30 de agosto de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


 “O cú do morto”


Na faculdade de medicina o professor de Anatomia diz aos alunos:
- Quem quiser ser médico tem que aprender duas coisas importantes:

        1º - Ter muita atenção.
        2º - Nem um pouco de nojo.

Por isso, vamos fazer um teste.

Destaparam um cadáver e o professor enfiou o dedo no cú do morto;
lambeu o dedo e mandou todos fazerem o mesmo.
Todos se entreolharam com cara de nojo, mas lá fizeram o mesmo.
Depois que todos lamberam o dedo, o professor disse:
- Óptimo! Nojo, vocês não têm. Agora só vos falta a atenção. Pelos
vistos ninguém reparou que eu enfiei um dedo....... e lambi o outro.
 
.

IRENE



A tripulação da Estação Orbital Internacional capturou as imagens da tempestade tropical Irene em 28 Agosto às 16H09.
An Expedition 28 crew member aboard the International Space Station captured this video of Tropical Storm Irene on August 28 at 4:09 p.m.


.
.

Jeremy Gilley

um dia de paz




Esta é uma ideia louca: persuadir o mundo de tratar de viver em paz por um dia, cada 21 de Setembro.  Nesta palestra enérgica e honesta Jeremy Gilley conta a historia de como esta aloucada ideia se converteu em realidade... o suficientemente real como para ajudar  milhões de crianças em regiões em guerra.

NR: Lamentamos não haver legendagem em português.
.

ACREDITE SE QUISER




Doença
 
Vinho       
 
Dose  Diária   
 
Alergias
 
Médoc
 
 1  copo   
 
Anemia              
 
Graves
 
 4  copos   
 
Arteriosclerose 
 
Moscato 
 
 4  copos  
 
Bronquite 
 
Borgonha ou Bordô 
(+ açúcar e canela)     

 
 3  taças  
 
Constipação 
 
Anjou blanc ou Vouvray
 
 4  copos  
 
Afecções coronárias
 
Champanhe seco 
 
 4  copos
 
Diarréia
 
Beaujolais nouveau
 
 4  copos   
 
Febre
 
Champanhe seco 
 
 1 garrafa 
 
Coração 
 
Borgonha, Santenay rouge
 
 2  copos  
 
Gota
 
Sancerre, Pouilly Fumé
 
 4  copos
 
Hipertensão 
 
Alsace, Sancerre
 
 4  copos
 
Transtornos damenopausa
 
Saint Emilion
 
 4  copos
 
Depressão  nervosa
 
Médoc
 
 4  copos
 
Obesidade 
 
Bourgogne
 
 4  copos
 
Obesidade severa 
 
Rosé de Provence
 
 1  garrafa  
 
Reumatismo
 
Champanhe
 
 4  copos
 
Emagrecimento anormal
 
Côte de Beaune
 
 4  copos  
 
Fígado  preguiçoso 
 
Champagne seco    
 
 4  copos     
 
Transtornos  renaisCálculos renais
 
Gros Plant Chardonnay
 
 4  copos 2  copos
 
 

RICARDO ARAÚJO PEREIRA







Aqueles bonecos azuis

A mesma multinacional que nos impede de chamar estrumpfes a uns bonecos cujo nome original se assemelha imenso a estrumpfes, permite que os espanhóis continuem a dar-lhes a ignóbil designação de pitufos.

O tempo, esse grande escultor, bem podia estar quieto. Que esculpa o que está informe ainda se admite, mas que se ponha a cinzelar o que já havia sido esculpido parece exagero. Nada do que conhecemos na infância persiste. A casa onde crescemos parece muito mais pequena se a visitamos agora. Certos refrigerantes são hoje indiscerníveis de WC Pato. Acertar com uma peça de fruta demasiado madura na testa de um idoso vai deixando de ter graça à medida a que vamos ficando idosos. São as mais lindas memórias da meninice que vão perdendo o sentido e o sabor. Eu, que fico aborrecido se me mudam de sítio as chaves do carro, gostaria que o tempo fizesse o favor de parar de me mexer na infância.

Quando não é o tempo são as multinacionais. Que, em geral, são um pouco mais poderosas que o tempo. Uma delas resolveu agora decretar que os bonecos a que sempre chamámos estrumpfes passem a chamar-se smurfs. Eu não sei se uma rosa teria igual beleza e o mesmo cheiro se não se chamasse rosa, mas tenho a certeza de que os estrumpfes são menos estrumpfes se se chamarem smurfs. A multinacional argumenta que quis uniformizar o nome dos bonecos dentro de cada língua. No Brasil eram smurfs, cá eram estrumpfes. Para que a multinacional não tenha de gastar dinheiro a mudar o rótulo dos produtos que manda para ambos os países, foi tudo corrido a smurfs. É uma espécie de acordo ortográfico especificamente aplicado aos estrumpfes. Um acordo estrumpfáfico.

Uma injustiça e um escândalo, digo eu. Os proprietários dos estrumpfes pensaram que, em tempos de crise económico-financeira, a sua decisão passaria em claro, mas enganaram-se: eu nunca deixei que o essencial me desviasse a atenção daquilo que é verdadeiramente acessório. E milhares de pessoas que, tal como eu, têm pouco que fazer, não deixarão de fazer ouvir a sua indignação. A mesma multinacional que nos impede de chamar estrumpfes a uns bonecos cujo nome original se assemelha imenso a estrumpfes, permite que os espanhóis continuem a dar-lhes a ignóbil designação de pitufos. Pitufos, notem bem! Mais: na Catalunha, os pitufos chamam-se barrufets. Barrufets! Os estrumpfes, que são obrigados a ter o mesmo nome em Portugal e no Brasil, em Espanha podem ter dois nomes diferentes. E nomes tão estúpidos como pitufos e barrufets. Não, multinacionais: não me vergarão. Nem vocês nem o tempo. Os estrumpfes serão sempre estrupmfes! E o Capri Sonne não sabe a abrasivo sanitário de eficácia comprovada na remoção do calcário da sanita. Aquilo é laranja. Laranja!


IN "VISÃO"
25/08/11

.

EM ANGOLA HÁ HUMOR... DO MELHOR



video


.


Namorando na piscina...



video

.


LEONA LEWIS




.


Ginecologista tira dúvídas 

sobre métodos contraceptivos





Nunca é demais aprender com quem sabe

.


HOJE NO
" PÚBLICO"
 
Governo bonifica transportes a famílias com rendimentos individuais inferiores 
a 544 euros
O Ministério da Economia divulgou hoje a criação do "Passe Social+", com que, a partir do dia 1 de Setembro, passa a apoiar os agregados familiares de menores rendimentos. O título de transporte será disponibilizado após comprovativo de rendimentos, e abrangerá vários títulos das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto

Uma família que viva em Lisboa, e cujo rendimento médio mensal por sujeito passivo não ultrapasse os 544 euros (isto é, 1,3 vezes o Indexante de Apoios Sociais IAS) passa a pagar 24,2 euros por um passe que custa, para os restantes utentes, 33,85 euros - no caso do passe Carris/Metro Urbano. No caso do Porto, um beneficiário do “Passe Social+” pagará 27,40 por um passe mensal do Andante Z3, enquanto os restantes utentes pagarão 36,50 euros pelo mesmo título de transporte.

Segundo a informação divulgada pelo Ministério da Economia, a partir da próxima quinta feira, "os passageiros elegíveis para beneficiar do «Passe Social+» poderão requerer a sua adesão a este título, válido por um período de 12 meses e renovável anualmente".

Numa primeira fase, acrescenta o ministério, a comprovação de elegibilidade (que deverá ser efectuada apenas no momento da adesão ou renovação do título) "será realizada através da declaração de rendimentos, em moldes semelhantes aos que são já utilizados há quase três décadas para os Passes Reformados/Pensionistas". "Numa segunda fase, a implementar até ao fim do ano, bastará obter um comprovativo no sítio de internet da DGCI, que permitirá, de forma mais simplificada, a adesão ao «Passe Social+»", garante o Governo.

A adesão ao «Passe Social+» estará disponível "apenas em bilheteiras específicas para o efeito, a divulgar pelos respectivos operadores de transporte público de passageiros".

Esta medida insere-se no âmbito do Plano de Emergência Social, com que o governo se comprometeu, segundo o Ministério da Economia, pelo esforço "na promoção da justiça e protecção social aos agregados de menores rendimentos".


* Depois das facadas no peito o sr. ministro passa a mão pelo lombo, "com papas e bolos se enganam os tolos".

.

14 – Imaginária é a ponte entre 
hoje e amanhã






.

15 – ARTE URBANA




.


BOM  DIA