sexta-feira, 5 de agosto de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

  
O poder do beijo


Vinha pela estrada uma caravana de motociclistas fortes, bigodudos em suas poderosas motos, quando de repente eles vêem uma garota a ponto de saltar de uma ponte a um rio.

 Eles param e o líder deles particularmente corpulento e de aspecto rude, salta, se dirige a ela e pergunta:
 Que diabos vc está fazendo??

Vou me suicidar-- Responde suavemente a delicada garota com a voz cadenciada e ameaçando pular.
 
O motociclista pensa por alguns segundos e finalmente diz:
Bom, antes de saltar por que não me dá um beijo?

Ela acena com a cabeça, bota de lado os cabelos compridos encaracolados e dá  um beijo longo e apaixonado na boca do motociclista parrudão.

Depois desta intensa experiência, a gangue de  motoqueiros aplaude, o líder recupera o fôlego, alisa a barba e admite:

Este foi o melhor beijo que me deram na vida. É um talento que se perderá caso você se suicide. Por que quer morrer?
 
Meus pais não gostam que eu me vista de mulher!!!...



DOMINÓ



Viver com Alzheimer


Os médicos ainda não conseguiram descobrir uma cura para a doença de Alzheimer mas de uma coisa têm a certeza: os familiares que assistem à evolução dos sintomas e tratam do doente sofrem muito mais do que a pessoa afectada.
Angel Serrano, oriundo da localidade de Talavera de la Reina, a uma hora de Madrid (Espanha), foi afectado por esta doença degenerativa que leva à perda de memória, desorientação, alteração de comportamento e finalmente a total dependência de outras pessoas.

O quotidiano e evolução do seu estado de saúde foram acompanhados pelo fotógrafo irlandês Kenneth O'Halloran - que recentemente conquistou a terceira posição na categoria Retratos dos prémios World Press Photo 2011.

A família de Angel Serrano - a mulher, Dioni, e os filhos, Carlos e Cristina - rapidamente detectou a doença quando se começaram a manifestar as primeiras perdas de memória. A irmã de Angel também tinha sido diagnosticada com Alzheimer, assim como o pai de ambos. Pai e filho acabaram por falecer com a mesma idade: 56 anos. Um número bastante invulgar, já que os pacientes diagnosticados com este tipo de problema costumam ter mais de 65 anos.

Na fase terminal (os últimos dois anos), Angel ficou completamente dependente. Deixou de falar, andar e tomar banho sozinho. Parou de comer uma semana antes de morrer, a 15 de Outubro de 2004.

O trabalho fotográfico de O'Halloran foi agora divulgado pela revista 'Time' e as imagens impressionantes, algumas vezes até chocantes, pretendem mostrar a realidade de uma das doenças mais preocupantes da actualidade.
Familiares transportam Angel com a ajuda de uma toalha
Carlos com o pai
Cristina alimenta o pai na companhia dos primos mais pequenos
Reunião familiar
Angel e o filho, Carlos, partilham um momento a dois
Carlos com o pai no hospital já na fase terminal
IN "SÁBADO"
08/02/11


ESTE COMPRIMIDO AZUL FAZ MILAGRES


OCTÁVIO TEIXEIRA


BPN: negócios das arábias

Para a nacionalização do BPN alegou-se o risco sistémico da sua falência e a garantia dos depositantes.
Para a nacionalização do BPN alegou-se o risco sistémico da sua falência e a garantia dos depositantes. Alegações falaciosas. Quinze dias antes o ministro das Finanças tinha declarado (e dessa vez bem) que o BPN não representava um risco para o sistema, dada a sua reduzida dimensão. Quanto aos depósitos já então fora anunciada a elevação da garantia de todos os depósitos bancários para 50 ou 100 mil euros, os que poderiam suscitar a preocupação do Estado. Para além da falácia da argumentação, e contra muitas opiniões, foi nacionalizado o BPN, mas não a empresa sua proprietária (Sociedade Lusa de Negócios) que detinha um património suficiente para tapar o buraco do Banco. De facto o que se passou com o BPN não foi uma nacionalização mas uma socialização dos prejuízos e salvação dos seus accionistas.

Agora, o actual Governo reprivatiza a la carte o BPN, só o bife de lombo, pagando 510 milhões (o novo aumento de capital deduzido do preço de venda) para que o BIC possa, alegremente e sem riscos, aumentar o seu peso no sistema bancário. Assumindo desde já um prejuízo para o erário público, para os contribuintes, de 2.400 milhões. Mas os custos serão mais avultados. Os activos considerados "lixo" já transferidos para o Estado serão acrescidos dos activos "quase lixo" ou apenas com risco que não interessem ao adquirente. Suportará os custos do despedimento de 800(!) trabalhadores. E ainda nada sabemos sobre os milhares de milhões, garantidos pelo Estado, que a CGD já injectou no BPN…

Quer a "nacionalização" quer a "venda" do BPN são negócios das arábias. Mas não para os contribuintes. Esses estão condenados a pagar os dislates e favores governativos com aumentos brutais dos impostos, dos transportes, do gás e do que mais se verá.


Economista e ex-deputado do PCP

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
03/07/11


HOJE NO
" JORNAL  DE NOTÍCIAS"


Programa de Emergência Social 
vai vigorar até 2014 e apostar 
no trabalho social
O Programa de Emergência Social vai custar 400 milhões de euros no primeiro ano, vigorará até Dezembro de 2014 e será sujeito a avaliações semestrais, anunciou o ministro da Solidariedade e da Segurança Social. O Governo quer ainda incentivar a prestação de trabalho social por parte das pessoas em idade activa que recebam subsídios do Estado.

Pedro Mota Soares falava nas instalações da Santa Casa da Misericórdia da Amadora, na cerimónia de apresentação do Programa de Emergência Social (PES), um programa que prevê, entre várias medidas, a criação de um mercado social de arrendamento para famílias excluídas da habitação social e o aumento em 10% do subsídio de desemprego a casais com filhos em que ambos estão desempregados.

"Não vamos gastar em burocracia, vamos investir nas pessoas. Não vamos criar novas estruturas, vamos rentabilizar as que temos", disse o ministro, adiantando que o programa "não é retórico", mas sim "focado e de soluções para grupos de risco".

O Governo pretende ainda incentivar a prestação de trabalho social por parte das pessoas em idade activa que recebam subsídios do Estado. "Vamos incentivar a prestação de trabalho socialmente necessário para os beneficiários de algumas prestações sociais, como o Rendimento Social de Inserção, para que possam prestar uma actividade socialmente útil em entidades públicas ou do sector social, garantindo assim a manutenção de hábitos de trabalho, o que terá um efeito multiplicador ao nível das instituições", defendeu Pedro Mota Soares.

O ministro afirmou que "as prestações sociais atribuídas a adultos em idade activa devem fomentar sempre a procura activa de trabalho" e as prestações sociais não se devem tornar uma "forma de assistência permanente".

"A sociedade portuguesa quer respostas efectivas aos mais pobres e acima de tudo quer garantir a todos a oportunidade baseada no valor do trabalho e não quer que o dinheiro dos seus impostos seja permeável à fraude e ao abuso", justificou.


* Chega de viver sem trabalhar num país à beira mar

.

Beethoven "Für Elise" 

Valentina Lisitsa with Seoul Philharmonic





n

3 – ANÚNCIO DE MOTEL


As ilhas Diomedes no horizonte

Dois continentes, dois países
Duas culturas, dois regimes


Há um lugar no mundo em que os territórios dos Estados Unidos e da Rússia estão a menos de 4 km de distância, mas qualquer percurso entre eles terá uma diferença de 24 horas...

Localização das ilhas Diomedes, perdidas entre 2 continentes
 
Estamos falando das desconhecidas e isoladas Ilhas Diomedes, no Estreito de Bering, a inóspita porção marítima que separa o Alasca do extremo leste da Ásia, por onde provavelmente os primeiros habitantes da América atravessaram para estas terras

Na Pequena Diomedes, seus habitantes espremem-se 
na íngreme encosta território norte-americano.

As duas Ilhas, conhecidas como Grande Diomedes e Pequena Diomedes são separadas por uma faixa de água de apenas 4 km, que fica congelada durante boa parte do ano, permitindo a passagem a pé entre elas. O curioso é saber que Grande Diomedes é o ponto mais a leste na Rússia, e Pequena Diomedes é o ponto mais a oeste dos Estados Unidos.
Guerra Fria, um período para ser esquecido

Durante o período da Guerra Fria, os nativos que habitavam as ilhas antes da colonização russa ou americana não podiam circular entre as ilhas, nem trocar qualquer tipo de informação, na área que ficou conhecida como "Cortina de Gelo"

O povoado de Pequena Diomedes, com apenas 170 habitantes

Após o final da 2a Guerra, todos os nativos da ilha russa de Grande Diomedes foram transferidos para o continente, e o arquipélago manteve um pequeno povoado apenas na ilha norte americana de Pequena Diomedes, que até hoje possui cerca de 170 habitantes, num dos locais mais isolados do planeta
 
Detalhe de Pequena Diomedes. Não parece nada agradável

O que torna o lugar ainda mais curioso é que exatamente entre as duas ilhas passa a "Linha Internacional de Data", criando um fuso horário de nada menos que 24 horas numa distância que de tão pequena chega a ser visual.

A Linha Internacional de Data passa exatamente entre as ilhas

Em 1987, um evento emblemático levou as pequenas ilhas às manchetes do mundo inteiro. A nadadora americana Lynne Cox atravessou os pouco mais de 3.700 metros que separam as ilhas irmãs, num gesto de aproximação entre as super potências que se esforçavam para estreitar os laços a tanto tempo separados.


Lynne Cox, um gesto caloroso em  águas a 4° C

Hoje, em tempos de paz, há vários projetos para criar monumentos que simbolizariam a paz entre os dois países. Num recente concurso , um projeto chamado de "Ponte da Memória", ligando as duas ilhas,  ficou entre os campeões, no que seria a primeira ligação entre América e Ásia depois de dezenas de milhares de anos.

Projeto para Ponte entre as ilhas, conhecida como "Ponte da Memória"


Detalhe do Projeto. Uma fantástica obra de engenharia para poucos conhecerem

Humberto Eco, no seu romance "A Ilha do dia anterior" explora muito bem as idiossincrasias de viver em Diomede...

Humberto Eco escreveu sobre o tempo


"Meia-noite de sexta-feira, aqui no navio, é meia-noite de quinta-feira na ilha. Se da América para a Ásia viajas, perdes um dia; se, no sentido contrário viajas, ganhas um dia: eis o motivo por que o [navio] Daphne percorreu o caminho da Ásia, e vós, estúpidos, o caminho da América. Tu és agora um dia mais velho do que eu! Não é engraçado?"

enviado por M. Coutinho 


.

This Too Shall Pass - Rube Goldberg Machine version - Official



m
3 - CADA FOTO UMA HISTÓRIA

  ESCREVA-A

BOM  DIA

B