sexta-feira, 29 de julho de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA



Dicas para fazer amor na terceira idade

1.Coloca os óculos e certifica-te de que a tua companhia está realmente na cama.

2. Coloca o despertador para tocar de 3 em 3 minutos, para o caso de adormeceres durante a performance.

3. Apaga as luzes todas.

4. Deixa o teu Celular programado para o número da " EMERGÊNCIA MÉDICA"

5. Escreve na palma da mão o nome da tua companhia na cama, isto para o caso de não te lembrares dele.

6. Usa o creme fixador da dentadura, para evitares que ela se perca em algum local mais delicado.

7. Coloca uma embalagem de um analgésico/Anti-inflamatório no criado mudo, isto para o caso de conseguires chegar ao fim da performance!

8. Faz o barulho que quiseres. Os teus vizinhos também são surdos...

9. Se conseguires, telefona a todos os teus amigos para contares a tua façanha.

10. Nunca, mas NUNCA, penses em repetir a dose. Aguentaste dessa vez mas o futuro é sempre incerto...


(Estas dicas foram escritas em letras grandes para te facilitar a leitura)


.

O Zé Black Castel









.m

O Mestre


clique 2xs para ler bem




,m


Tudo tem as suas vantagens...


.
Há uns dias, numa cidade de França, um cartaz, com uma jovem espectacular, na montra de um ginásio, dizia:
"ESTE VERÃO, QUERES SER SEREIA OU BALEIA?"

Dizem que uma mulher jovem-madura, cujas características físicas não interessam, respondeu à pergunta publicitária nestes termos:

"Estimados Senhores:
As baleias estão sempre rodeadas de amigos (golfinhos, leões-marinhos, humanos curiosos). Têm uma vida sexual muito activa, engravidam e têm baleiazinhas ternurentas, às quais amamentam.
Divertem-se à brava com os golfinhos, enchendo a barriga de camarões. Brincam e nadam, sulcando os mares, conhecendo lugares tão maravilhosos como a Patagónia, o mar de Barens ou os recifes de coral da Polinésia.
As baleias cantam muito bem e até gravam CD's. São impressionantes e praticamente não têm outros predadores além dos humanos. São queridas, defendidas e admiradas por quase toda a gente.

As sereias não existem. E, se existissem, fariam fila nas consultas dos psicanalistas, porque teriam um grave problema de personalidade, "mulher ou peixe?".
Não têm vida sexual, porque matam os homens que delas se aproximam, além disso, por onde? Por isso, também não têm filhos. São bonitas, é verdade, mas solitárias e tristes. Além disso, quem quereria aproximar-se de uma rapariga que cheira a peixaria?
Para mim está claro, quero ser baleia.

P.S.: Nesta época em que os meios de comunicação nos metem na cabeça a ideia de que apenas as magras são bonitas, prefiro desfrutar de um gelado com os meus filhos, de um bom jantar com um homem que me faça vibrar, de um café e bolos com os meus amigos.

Com o tempo ganhamos peso, porque ao acumular tanta informação na cabeça, quando já não cabe, espalha-se pelo resto do corpo, por isso não estamos gordas, somos tremendamente cultas. A partir de hoje, quando vir o meu rabo no espelho, pensarei, Meu Deus, que inteligente que sou..."

.
 
HOJE NO
" PÚBLICO"
 
Caso de fuga de informação
Director das "secretas" passou dados à Ongoing 
com autorização de Sócrates

Enquanto director do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED), Jorge Silva Carvalho transmitiu informações ao grupo Ongoing, para o qual foi contratado após ter saído das "secretas", com autorização do então primeiro-ministro, José Sócrates, em Novembro de 2010.

A comunicação de dados para empresas privadas pode acontecer em casos em que prevaleça o interesse estratégico do Estado. O SIED, tal como o SIS (Serviço de Informações de Segurança), depende directamente do chefe do Governo, que, de acordo com a lei-quadro do Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP), pode fixar instruções sobre as actividades a desenvolver pelos serviços. É também através de despacho do primeiro-ministro, auscultado previamente o Conselho de Fiscalização do SIRP (CFSIRP), que são definidas as condições em que os dados recolhidos pelo SIED e SIS podem ser fornecidos "aos órgãos e serviços" previstos na lei-quadro e na Lei de Segurança Interna.

De acordo com a notícia do Expresso, Silva Carvalho teria passado informações à Ongoing sobre dois empresários russos pouco antes de apresentar a demissão do SIED, e, já com o processo de exoneração em curso, terá ainda facultado dados sobre metais estratégicos. Ontem, ao Diário de Notícias, o antigo espião admitiu ter enviado informações ao grupo de Nuno Vasconcellos, embora não tenha precisado os assuntos. Assegurou, porém, que "tudo foi feito dentro da lei, registado, documentado, com autorização superior". E garantiu que a transmissão não violou o dever de sigilo ou o segredo de Estado.

Contudo, segundo o Expresso, Silva Carvalho, que trabalhou 21 anos nas "secretas" e que chegou a ser apontado como o sucessor de Júlio Pereira, secretário-geral do SIRP, mantém ligações no interior dos serviços. Sem apontar nomes, o semanário informa que em 20 e 21 de Dezembro (Silva Carvalho já não estava no SIED), os serviços terão recebido, do exterior, pedidos sobre a biografia e os antecedentes criminais de um empresário português com negócios em Moçambique. Alguns dias antes, continua o Expresso, os mesmos serviços foram solicitados a prestar dados sobre um empresário "que teria apresentado propostas de investimento".

O Expresso não especifica se os pedidos foram ou não feitos por Silva Carvalho, mas a eventual troca de informações configura uma situação que, de acordo com a lei, pode ser punida com pena de prisão até três anos, "se pena mais grave não lhe for aplicável". O artigo 28.º da lei-quadro determina que os agentes e funcionários são obrigados a guardar "rigoroso sigilo" sobre a "actividade de pesquisa, análise, classificação e conservação das informações". E define que o dever de sigilo "mantém-se para além do termo do exercício das suas funções, não podendo, em caso algum e por qualquer forma, ser quebrado por aqueles que deixaram de ser funcionários ou agentes" das "secretas". Em alternativa à pena de prisão, os prevaricadores podem ser demitidos das suas funções. No entanto, a mesma lei estabelece que o acesso dos quadros das "secretas" a dados recolhidos pelo SIED e pelo SIS tem de ser "regulado" por despacho do secretário-geral do SIRP.

A saída de Silva Carvalho da direcção do SIED não só apanhou de "surpresa" o CFSIRP, como também originou a proposta de introduzir na lei um impedimento temporário aos quadros que pretendam sair directamente para o sector empresarial. O ex-director do SIED entrou na Ongoing, como assessor do conselho de administração, em Janeiro deste ano, menos de dois meses depois de ter abandonado os serviços.

O PÚBLICO questionou, por correio electrónico, o SIRP, mas até ao fecho desta edição não obteve resposta. Perguntou também ao primeiro-ministro, através do seu assessor de imprensa, Rui Baptista, se tinha conhecimento de que o seu antecessor terá autorizado o envio de dados para a Ongoing e qual a posição perante a denúncia implícita, feita por Silva Carvalho, de que o Governo terá pedido informações sobre Bernardo Bairrão. Baptista lembrou que o primeiro-ministro pediu um inquérito a Júlio Pereira "com carácter de urgência". Marques Júnior, do CFSIRP, escusou-se a comentar a entrevista de Silva Carvalho.

O PÚBLICO tentou também contactar José Sócrates, mas não teve resposta.Notícia publicada na íntegra às 13h13


* Não fosse a comunicação social saberíamos muito pouco da opacidade conturbada de quem manda neste país, onde a justiça não funciona

.

1 - Pronúncia 
Os sons do português 






.

HOJE NO
" i"


Guerra aberta nas secretas
Silva Carvalho queixa-se de violação do seu email. 
O PSD suspeita que houve escutas ilegais. 
Há instabilidade nos serviços

No mundo das informações as coincidências não existem. O caso Bairrão e a polémica que envolve Jorge Silva Carvalho, o ex-director do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED), hoje assessor do conselho de administração da Ongoing, "parecem ser epifenómenos de uma guerra de poder pelo controlo dos serviços de informações" que envolve agentes políticos, ligações à maçonaria, escutas ilegais, violação de correspondência e "poderosas influências exteriores aos próprios serviços", diz ao i, sob anonimato, uma fonte das informações portuguesas.

A questão é tão sensível politicamente que o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, vai chamar a si todas as decisões sobre matéria de inteligência, das nomeações de chefias seniores à reestruturação do sistema.

O governo inscreveu no seu programa "a valorização do papel das informações, consagrando medidas de reforço de coordenação da sua actividade, que poderão passar pela implementação de um serviço único, com direcções separadas para a área interna e para a área externa, mas com serviços técnicos e de apoios conjuntos". A ideia do serviço único de informações, com a fusão do SIS (Serviço de Informações de Segurança) e do SIED (Serviço de Informações Estratégicas de Defesa) é, aliás, uma das causas da instabilidade que se vive hoje nos serviços.

"É visível o posicionamento táctico de pessoas e grupos, as aproximações e os afastamentos no interior dos departamentos, até porque haverá mudanças de chefias", confidencia uma outra fonte da comunidade de inteligência. "Mas uma boa parte desta instabilidade resulta de poderosas influências exteriores, que nada têm que ver com as pessoas que trabalham nos serviços de informações. Só há uma certeza: a incerteza é enorme", diz a mesma fonte.

O homem que ficar à frente do Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP), hoje ocupado por Júlio Pereira, terá imenso poder. E o nome que o governo escolher será o melhor indicador de quem vencerá "a guerra".

SIRP Dois nomes estiveram já em equação, soube o i: Jorge Silva Carvalho e Paulo Vizeu Pinheiro. O primeiro demitiu- -se em Novembro de 2010 nas vésperas da cimeira da NATO em Portugal. O segundo já foi director do então SIEDM, hoje SIED, e transitou de Bruxelas, onde estava com Durão Barroso, para o gabinete do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho. Cerca de 15 dias depois da demissão, Silva Carvalho ingressou na Ongoing por via do seu amigo e "irmão" maçon Nuno Vasconcellos - ambos pertencem à Loja Mozart 49 da Grande Loja Regular de Portugal, como publicou a revista "Sábado". Silva Carvalho foi visto a jantar com Pedro Passos Coelho ainda no ano passado, muito antes da campanha eleitoral que levaria o líder do PSD ao poder, e o assunto foi amplamente comentado nos serviços de informações.

Silva Carvalho foi sondado há poucas semanas pelo governo para suceder a Júlio Pereira como secretário-geral do SIRP. De resto, o "Correio da Manhã" noticiou, no domingo, esta sondagem e avançava que, depois de o "Expresso" ter publicado que Silva Carvalho terá passado informações sensíveis à Ongoing quando ainda estava no SIED, a hipótese terá sido descartada". O governo não desmentiu a notícia.

Entretanto, Silva Carvalho admitiu ontem, em entrevista ao "Diário de Notícias", que transmitiu informações à Ongoing mas desmentiu qualquer violação do segredo de Estado: "Tudo foi feito dentro da lei, registado, documentado, com autorização superior." Os seus advogados, Nuno Morais Sarmento e João Medeiros, entregaram ontem uma queixa-crime contra terceiros na Procuradoria-Geral da República, alegando violação de correspondência e privacidade. "Através de datas e destinatários conseguimos perceber que alguém acedeu, indevidamente, a uma conta pessoal de email, conheceu o conteúdo de correspondência privada e deu conhecimento disso, seja lá o que isso for, a outros", disse Morais Sarmento. Terá sido essa a informação divulgada. Logo no sábado em que a notícia foi publicada, o primeiro-ministro fez saber que pediu um inquérito nos serviços secretos sobre eventuais fugas de informação.

Escutas? "Jorge Silva Carvalho tem muitos defeitos - e tem imensos anticorpos nos serviços - mas a estupidez não é um deles", diz ao i fonte dos serviços. "Dificilmente faria uma borrada destas, passar informação confidencial dos serviços através do seu email pessoal. "Mas se houve violação do email pessoal de Silva Carvalho, esta queixa na PGR tem como objectivo chegar à pessoa ou pessoas que estão por trás do esquema e não ao "Expresso", diz um homem que trabalhou com o ex-director do SIED. Uma outra fonte, do serviço externo, indica que "existe a forte suspeita de que a violação do email de Silva Carvalho está relacionada com as escutas ilegais feitas a elementos da direcção do PSD durante a campanha eleitoral". Este caso deu origem a uma denúncia do PSD no Ministério Público e a procuradora distrital de Lisboa, Francisca van Dunen, abriu um inquérito, como o "Sol" noticiou a 8 de Julho. "A relação entre os dois casos não é coincidência", nota fonte das informações.

Silva Carvalho demitiu-se do SIED por discordar das alterações do serviço externo que, por pressão orçamental, fechou várias antenas no exterior. As que ficaram concentram-se nos BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China,) o que terá sido decido por Júlio Pereira, um homem de Macau que é maçon e irmão, na Loja Universalis (GOL), de Heitor Romana - escolhido para Moscovo. Romana é um histórico do SIS, lançou as informações em Macau e chegou director-adjunto do então SIEDM. Júlio Pereira nomeou-o para director de Recursos Humanos dos dois serviços de espionagem, como a Sábado publicou em Abril de 2009.

O governo está agora a avaliar se vale a pena manter antenas em Pequim e Moscovo, segundo informações recolhidas pelo i.


* Mas são estes os serviços que zelam pela segurança dos portugueses, com estas trampolinices???


.

JOÃO NOGUEIRA DIAS


O sistema

Naquela aldeia, a agricultura era a principal actividade. Havia terrenos de grandes dimensões, devidamente estruturados para a cultura de vários produtos. O clima era propício e o solo era muito fértil. Havia uma grande tradição de prática agrícola, naquela região, e as culturas eram pertença de famílias que já levavam muitos anos, naquela actividade.

Cada agricultor descendia de uma família que já tinha os seus produtos definidos, havia várias gerações. Por isso, o mais importante, a cada momento, era dar continuidade a produções que tinham muitos anos de existência e de sucesso.

Houve, também, tempos de discórdia, entre algumas das famílias. Quando as divergências se resolveram, houve necessidade de criar uma cooperativa, para que novas divergências não pudessem surgir e, também, para que a agricultura daquela região marcasse uma posição forte, numa região mais abrangente.

Em pouco tempo, a cooperativa lançou as bases para um futuro de prosperidade. Era encarada, em muitas regiões, como um exemplo a seguir. Cada agricultor, pelo simples facto de pertencer àquela cooperativa, sentia que a sua credibilidade aumentava, em várias áreas da actividade.

Mesmo no que dizia respeito à obtenção de crédito, para financiar a actividade agrícola, um agricultor conseguia boas condições, apenas por pertencer à cooperativa. A credibilidade de cada um era a mesma da cooperativa, ou seja, a melhor possível.

Havia um homem, conhecido como o “Avaliador”, cuja função era classificar os agricultores, mediante o risco que havia em emprestar dinheiro a cada um deles. Se as probabilidades de um empréstimo ter retorno fossem boas, a classificação do agricultor era boa, caso contrário, a classificação era má. Os agricultores bem classificados tinham boas taxas de juro, os outros tinham taxas pouco vantajosas. A actividade do Avaliador abrangia um vasto conjunto de aldeias e funcionava como referência.

A certa altura, a aldeia que tem sido descrita passou por tempos difíceis, marcados por uma retracção da actividade e da rentabilidade da agricultura, o que provocou a discórdia, na cooperativa. Os agricultores mais prósperos começaram a desentender-se, a liderança foi-se diluindo, entre várias personalidades sem carisma e, aos poucos, os agricultores que estavam mais atrasados n a produtividade começaram a ter dificuldades, muito por culpa de más decisões que foram tomando, nos tempos prósperos, em virtude da protecção da cooperativa.

Quando a cooperativa começou a dar sinais de fragilidade e o Avaliador se apercebeu de que alguns dos agricultores poderiam ficar para trás, sem apoio dos mais prósperos, começou a dar más classificações a esses agricultores. No início, era comum ouvir-se dizer que o importante era que os agricultores mal classificados recuperassem a credibilidade, para que as classificações aumentassem e, assim, se conseguissem melhores condições de crédito. As classificações não aumentaram e a cooperativa foi obrigada a apoiar os agricultores que estavam em dificuldades.

O Avaliador continuou a baixar as classificações desses agricultores e o discurso, relativamente à sua actividade, foi mudando. Passou a ser dito, com frequência, que o Avaliador já se tinha enganado anteriormente, ao dar nota máxima a agricultores que, mais tarde, faliram, e também que o Avaliador era parte interessada nas descidas das classificações dos agricultores, pelo que a sua imparcialidade foi colocada em causa. Ao mesmo tempo, dizia-se que, muitas vezes, as descidas das classificações aconteciam em alturas em que nada o faria prever. Aos poucos, o número de vozes que vociferavam contra o Avaliador foi aumentando, até que a cooperativa fez uma declaração na qual afirmava que deixaria de ter em conta as opiniões do Avaliador.

Enquanto procurava formas de iniciar a recuperação económica, naquela aldeia, a cooperativa decidiu criar um avaliador local, cujas opiniões serviriam de referência ao crédito. A sua credibilidade foi, de imediato, posta em causa, no exterior da aldeia. Ninguém se tinha lembrado do facto de ter sido sugerida a imparcialidade, como causa do descrédito do Avaliador.

Até que um dos mais velhos agricultores da aldeia, que defendia acerrimamente os valores da cooperativa, resolveu propor que os agricultores mostrassem espírito de entreajuda, pedindo todos os empréstimos que fossem necessários, em nome da cooperativa, resolvendo depois, em privado, as contas entre eles. Ninguém sabia se iria resultar, mas pelo menos diminuiriam as desconfianças e as interferências de quem nada fazia, senão emitir opiniões e previsões que se cumpriam a si mesmas. Era um bom princípio.

IN "CORREIO DO MINHO"
24/07/11

.

DOAÇÃO



video




OBRIGADO CARACOLETA

HOJE NO
" JORNAL DE NEGÓCIOS"


Obter crédito para comprar casa 
vai ser ainda mais difícil em 2012
Aumento das exigências de capital é uma das justificações para maior rigor nos critérios de concessão de financiamento.
Os bancos continuam a apertar as condições de acesso a financiamento, para a compra de habitação.
A tendência, que se arrasta há já vários trimestres, vai manter-se, alertam as instituições financeiras. Haverá "agravamentos significativos" este ano, mas também durante o próximo. Uma das justificações está no aumento dos requisitos de capital para o sector.


* A banca não teve rigor nenhum quando incentivou quando incentivou o crédito ao consumismo, ou convinha-lhe


.


Leonardo Boff 

4 - Sempre Um Papo







Leonardo Boff, pseudónimo de Genézio Darci Boff (Concórdia, 14 de dezembro1938), é um teólogo brasileiro, escritor e professor universitário, expoente da Teologia da Libertação no Brasil. Foi membro da Ordem dos Frades Menores, mais conhecidos como Franciscanos. É respeitado pela sua história de defesa pelas causas sociais e atualmente debate também questões ambientais.

.

ALMORRÓIDA "OFF SHORE"



Director do fisco da Madeira criou
empresa off-shore para 
esquema fraudulento do Nacional 


A Lenby - criada pelo presidente do Nacional, Rui Alves, e pelos vice-presidentes João Machado, Gris Teixeira e Sérgio Rebelo - é "uma das sociedades cuja conta bancária foi utilizada para a prossecução do plano criminoso engendrado" pelos dirigentes do clube madeirense acusados de fraude fiscal qualificada, fraude contra a Segurança Social e branqueamento, revela a acusação do Ministério Público.


O modus operandi adoptado pelos dirigentes do Nacional da Madeira teve "intentos criminosos", concluiu a unidade especial de investigação da Procuradoria-Geral da República, coordenadora do processo Apito Dourado. E, segundo a acusação do Ministério Público, tinha em vista "alcançar o resultado ilícito pretendido: o de evitar que parte dos rendimentos auferidos por jogadores e técnicos do clube fosse declarada à administração tributária, obviando a que esta liquidasse e arrecadasse as quantias que fossem, por força de tais rendimentos acrescidos, devidas a título de IRS e de contribuições para a Segurança Social".

Conforme resulta das declarações prestadas por funcionários, jogadores e técnicos nos autos, o "estratagema" era "conhecido e dominado" pelo presidente e sete vice-presidentes, incluindo Machado, todos constituídos arguidos.

Segundo o Ministério Público, o procedimento adoptado teve a finalidade de, por um lado, "evitar a cobrança do imposto sobre os rendimentos pagos aos jogadores e técnicos" e, por outro lado, através das movimentações feitas pela referida empresa Lenby e pela filial da Consulting and Management Services registada na Zona Franca da Madeira, "dissimular a sua verdadeira origem e natureza, a fim de evitar a consequente perseguição penal".

Estratagema de 2002

O estratagema montado no ano de 2002, altura em que João Machado era director regional do Orçamento e vice-presidente do Nacional da Madeira com o pelouro financeiro, implicou que o clube constituísse a sociedade off-shore que adquiria os direitos de utilização do nome e imagem dos jogadores em questão que, posteriormente, os venderia a S & T - Services & Trading Limited, que, por sua vez, os venderia ao CDN.

Em contrapartida, o clube pagaria a esta sociedade sediada no Reino Unido o montante global dos rendimentos respeitantes aos referidos contratos de utilização do nome e da imagem dos jogadores que, por sua vez, pagava à sociedade off-shore, encarregando-se esta última de pagar a cada um dos jogadores a quantia respeitante ao seu contrato. A S&T é, como lembra o MP, uma empresa fronting, ou seja, uma sociedade constituída no Reino Unido com o objectivo de diminuir a receita fiscal de outros países.

Na regularização tributária apresentada em 2004, com base no designado Plano Mateus, o Nacional surge como último titular/beneficiário da sociedade Lendy, apresentando como valores patrimoniais um depósito de 1,67 milhões de euros na conta da sucursal Financeira Exterior do Banif e acções de capital social da sociedade no valor de 1,8 milhões, num total de 3,5 milhões. Este montante, como frisa a acusação do MP, corresponde "exactamente ao valor das facturas da S&T contabilizadas" de 2002 a 2004, ou seja, "as quantias que foram entregues a cada um dos jogadores, através do descrito esquema financeiro, para pagar salários, de forma que as mesmas fossem ocultadas da administração tributária".

Governo apoia Machado

No comentário semanal na TVI, Alberto João Jardim, presidente do Governo Regional da Madeira, tentou na segunda-feira desmentir o envolvimento de João Machado, considerando "falsos" os factos que lhe são imputados na acusação do Ministério Público.

"Esse director regional nem era dirigente do clube em causa", afirmou o presidente do Governo madeirense.

Também o secretário regional das Finanças, Ventura Garcês, aproveitou a sua intervenção final, no debate do terceiro Orçamento rectificativo da Madeira (2011), para manifestar a confiança em João Borges Machado que, sob sua tutela, dirige a Direcção dos Assuntos Fiscais.

Perante os deputados, Ventura Garcês assegurou que aquele director regional já não era dirigente do Nacional da Madeira aquando dos acontecimentos que motivaram a acusação. "Tenho quase a certeza de que o dr. João Machado não será penalizado", adiantou o secretário regional das Finanças.

IN "PÚBLICO"
28/07/11


.


HOJE NO
" CORREIO DA MANHÃ"
 
Passos anuncia nomeações on-line 
mas site está incompleto
O primeiro-ministro sublinhou, esta sexta-feira, no Debate Quinzenal do Parlamento, que desde as 09h30 da manhã disponibilizou no site do Governo as nomeações realizadas pelo seu Executivo.

No entanto, a Oposição confrontou Passos Coelho com o facto de o portal ainda não a ter toda a informação anunciada.

Passos Coelho disse, em resposta: "Não conseguimos colocar toda a informação de todos os serviços, mas colocámos a maioria". O líder do Governo acrescentou que no fim-de-semana estará tudo disponível.

No capítulo de 'Nomeações' do Governo é possível ler-se a seguinte mensagem: "Nos despachos de nomeação e designação para os gabinetes encontram-se, em alguns casos, ainda em fase de elaboração, após o que serão publicados em Diário da República, constituindo-se nesse momento como título jurídico bastante para todos os efeitos. Os vencimentos são apresentados em valor bruto mensal."


* Listagem dos nomeados para os tachos é o que é

.

OS AZEITONAS





.


HOJE NA
" A BOLA"


«Sport TV nunca solicitou meios para transmissão do jogo da Liga Europa»
Paulo Sérgio, subdirector de informação e da área do desporto na RTP, refutou hoje qualquer polémica na questão da transmissão do jogo entre o Nacional e o Hacken.
Paulo Sérgio explicou que nem a Sport TV nem outro operador solicitou meios, que existem para serem utilizados, à RTP.
«Nunca, em nenhum momento, a Sport TV solicitou à RTP meios para a transmissão do jogo do Nacional», garantiu Paulo Sérgio, contrariando assim as informações de que a empresa pública teria negado ao operador televisivo por cabo o aluguer de um carro de exteriores que possibilitasse a transmissão do encontro de ontem com o Hacken, da Liga Europa.
«Que fique claro. Este assunto não faz sentido nenhum porque os meios estão lá, para serem alugados e utilizados», reiterou.


* Toda a gente sabe o que são "mal entendidos"


.
C










.

HOJE NO
" JORNAL DE NOTÍCIAS"


Portugal recebe 5 milhões 
por danos causados pela E.coli
Portugal receberá cinco milhões de euros em compensações da União Europeia, que somou 17 milhões suplementares aos 210 milhões já prometidos a alguns países europeus pelos danos causados pela epidemia da bactéria E.coli.

A verba suplementar permite à Comissão Europeia cobrir a totalidade dos pedidos de compensações, sublinha o Executivo, em comunicado. Dos 227 milhões de euros que Bruxelas atribuiu em compensações pela epidemia, Espanha recebe 70,97 milhões, a Polónia 46 milhões, Itália 34,6 milhões, a Holanda 27,18 milhões, a Alemanha 16 milhões, a Bélgica 3,6 milhões e França 1,6 milhões.

A Comissão garantiu aos comerciantes lesados compensações de pelo menos 50% dos preços dos legumes retirados do mercado, com base nos preços dos últimos quatro anos. Os que estiverem integrados em organizações de produtores (cerca de 35% dos produtores europeus) vão beneficiar de mecanismos de compensação suplementares, até 70% das perdas.

A bactéria E.coli matou 50 pessoas na Alemanha e uma na Suécia. Ignorando inicialmente a origem da epidemia, as autoridades alemãs tinham lançado um alerta sobre lotes de pepinos espanhóis e desaconselhou o consumo de pepinos, tomates e saladas.

Finalmente, a fonte da virulenta e mortífera bactéria foi identificada em sementes germinadas importadas do Egipto.


* Falta controlar a Angela Merke.coli


.

Prefiro a Praia



video


.

HOJE NO
" O PRIMEIRO DE JANEIRO"
Novo modelo de avaliação de professores
Proposta apresentada hoje aos sindicatos

Representantes de mais de uma dezena de sindicatos deslocam-se hoje ao Ministério da Educação para ficarem a conhecer a proposta de modelo de avaliação de professores, que lhes será apresentada pelo ministro Nuno Crato.
Os dirigentes das principais estruturas sindicais têm vindo a exigir a suspensão do processo atualmente em vigor, também defendida pelos partidos do Governo (PSD e CDS) quando estavam na oposição, mas que agora recuaram na decisão argumentando que têm uma nova proposta.
A ordem de trabalhos da reunião conjunta, que decorrerá às 15h00, inclui também a aprovação do calendário negocial que se vai seguir entre o Governo e os sindicatos para tentar chegar a acordo sobre o modelo de avaliação.
A FENPROF, maior estrutura sindical do setor, já emitiu um comunicado onde, com base na convocatória da reunião, conlui que o Governo se prepara para manter o atual modelo de avaliação, mudando apenas o regulamento, opção com a qual diz discordar. No mesmo documento, a Federação Nacional de Professores enumera as exigências que levará ao encontro: 'suspensão do atual modelo de avaliação, sendo garantido que, no próximo mês de setembro, não se iniciará o novo ciclo avaliativo do atual modelo; garantia de que não produzirá quaisquer efeitos discriminatórios à avaliação dos docentes realizada no ciclo 2009/2011, apenas se limitando à contagem do tempo de serviço para todos os professores e educadores; garantia de que o novo modelo de avaliação terá uma matriz formativa e fixação de um calendário negocial que não incluirá o mês de agosto, por se tratar de um período de férias'


* Oxalá...

.






.



HOJE NO
" DIÁRIO ECONÓMICO"






Top 100 do mundo das finanças 
tem representação portuguesa
Gabriel Bernardino está entre as 100 
personalidades mais influentes no mundo das finanças

Enquanto o mundo da economia e das finanças se debate com alterações e dificuldades constantes, que desde meados de 2007 reflectem a crise internacional que abalou os cinco continentes, Gabriel Bernardino tem razões para sorrir. O presidente da Autoridade Europeia dos Seguros e Pensões Complementares de Reforma (EIOPA) é o único português a marcar presença entre as 100 personalidades mais influentes no mundo das finanças, numa lista elaborada pela publicação ‘Financial News'. "É sempre agradável ver o reconhecimento do trabalho que se tem feito, e o trabalho das equipas que se tem liderado", admitiu Gabriel Bernardino em declarações ao Diário Económico. "Aconteceu-me no ISP - de cuja direcção fiz parte - e também aqui na autoridade europeia". No entanto, relativiza o facto de ser o único português a constar da lista do ‘Financial News': "Não tenho dúvidas nenhumas de que havia outros portugueses que podiam estar representados no grupo. O meu nome decerto que aparece porque estas novas entidades têm uma maior projecção[...] é uma questão do momento em si", afirmou. Bernardino assumiu a presidência da EIOPA em Janeiro deste ano, depois de ter feito carreira na regulação e supervisão do sector segurador e de fundos de pensões em Portugal.

Foi ‘distinguido' pelo ‘Financial News' na categoria dos ‘reguladores', ao lado de nomes como Mario Draghi, governador do BCE e Andrea Enria, ‘chairman' da Autoridade Bancária Europeia. "É fundamental para a Europa, neste contexto de crise, de se desenvolver uma regulação que contribua para a regulação financeira, e é isto que estou a tentar fazer ao liderar esta equipa", sublinhou.

A lista do ‘Financial News' aponta os ‘100 Mais' em dez diferentes categorias - dez personalidades por categoria - como mercado de capitais, gestão de fundos, regulação, ou executivos. Todos os nomes apresentados tinham que abranger os mercados Europeu, do Médio Oriente e africano, tendo os responsáveis dos bancos centrais e os líderes governamentais sido excluídos, explica o ‘Financial News'.


* Elevado prestígio
.

PARAPENTE 2013





Video da candidatura portuguesa ao Mundial de Parapente 2013.

.


HOJE NO
" DIÁRIO  DE NOTÍCIAS"
 

Vacinas Gripe A: 
9,7 milhões de euros para o 'lixo'
Vacinas pandémicas começam a perder a validade em Agosto. Doses que não foram usadas vão ser destruídas

As vacinas da gripe A que chegaram a Portugal para combater a pandemia de 2009 começam a perder a validade em Agosto. Dos dois milhões de doses pagos pelo Ministério da Saúde à farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK), apenas 700 mil foram usadas. Para as restantes, a única solução passa pela destruição. São cerca de 9,7 milhões de euros deitados ao "lixo" por 1,3 milhões de vacinas que continuam em stock.


* Sequelas da boa gestão dos Socráticos


.

3 - OURO AZUL






Documentário sobre as actuais e futuras Guerras Mundiais por Água. Mostra como a água mundialmente está sendo mal gerida, esgotada e poluída.A falta de água em muitos países do mundo devido a manipulação e corrupção por parte dos Governos, administrações locais e, claro, as corporações multinacionais de Água.As constantes lutas entre o povo e os altos poderes económicos e governamentais. As Guerras e revoluções diárias por uma fonte de vida de todos os seres humanos e seres vivos deste planeta.

.


HOJE NO
" RECORD"
 

Mourinho ouvido pela UEFA em Nyon
José Mourinho encontra-se, esta sexta-feira, em Nyon (Suíça) onde está a ser ouvido pelo Comité de Apelação da UEFA. O técnico português fez-se acompanhar do advogado belga Jean Louis Dupont, pelo diretor dos serviços jurídicos do Real Madrid, Javier López Farré, e por outro advogado dos merengues, Álvaro García Alamán.

A audiência terá começado por volta das 8 horas (em Portugal) e Mourinho chegou ao local cinco minutos antes do início da sessão.

O técnico do Real Madrid encontra-se a depor para tentar reduzir a suspensão de cinco jogos de que foi alvo. Esta sanção aconteceu depois de algumas declarações - consideradas “muito graves” pela UEFA - no final da partida da primeira-mão das meias-finais da Liga dos Campeões da temporada passada, frente ao Barcelona.

Os merengues perderam (0-2) com os rivais catalães, em pleno Santiago Bernabéu, e no final o português foi muito duro para com a arbitragem do alemão Wolfgang Stark. Para além da suspensão foi-lhe aplicada ainda uma multa de 50 mil euros.

No final da audiência Mourinho vai viajar para Madrid e, ainda hoje, o Comité de Apelação da UEFA vai comunicar a sua decisão à direção do clube blanco.


* Por vezes dizem que não se deve falar verdade

.



27 - FOTOMONTAGENS





 

 

26 - ALEIVOSIAS

 

 

18 - BICHEZAS










.

COMPRE JORNAIS