quinta-feira, 16 de junho de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


O BURACO NEGRO



Connosco vai de carrinho


2 -SE A MODA PEGA








VISITA AO TAJ MAHAL










Para quem já esteve neste sumptuoso túmulo de amor não ficou indiferente à ínfima miséria que se disfruta à saída do parque onde o monumento está encarcerado.
Toda a beleza do mármore translúcido e dos milhões de pedras preciosas nele incrustradas ficam soterradas sob a avalanche de mendigos que nos abordam e que têm pouco mais de 1 euro por dia para sobreviver.
Mas por todas razões é uma visita inesquecível!!!

ULISSES PEREIRA



Reflexões avulsas


Ao longo dos cerca de 20 anos que acompanho os mercados, vou reflectindo sobre eles, sobre as atitudes dos investidores.
Regras é algo que me soa mal, mas vou tentar deixar aqui algumas reflexões sobre os mercados. Ideias soltas, sem ligação. Algumas vão além do mercado. Mas todas me ajudam a negociar melhor.

• As melhores acções vão sempre parecer sobrevalorizadas para a maior parte dos investidores.

• Ansiedade é fruto da diferença entre onde estamos e onde desejaríamos estar.

• Um investimento de longo prazo nunca deve ser resultado de um "trade" de curto prazo falhado.

• O tempo é a mercadoria mais preciosa.

• A reacção às notícias é muito mais importante do que as notícias em si.

• Trabalhemos para viver e não vivamos para trabalhar

• A única diferença entre intervenção e manipulação é a comunicação.

• A única diferença entre uma lição e um erro é a capacidade de aprendermos depois de o cometermos.

• A disciplina tem que se impor ao "feeling".

• Adaptemo-nos, mas não nos conformemos.

• Devemos escolher a estrada mais alta. Tem menos tráfego e melhores vistas.

• Negociar no mercado é muito mais uma arte do que uma ciência.

• Não é vergonha admitir que negociar é difícil. O que é vergonha é não se ter consciência disso.

• O dinheiro vai e vem. As outras coisas da vida, muitas vezes, não voltam.

• Há que ser paciente com os negócios ganhadores e extremamente impaciente com os negócios perdedores.

• Não conseguimos triunfar no mercado se não tivermos uma atitude ganhadora.

• Os bons "traders" sabem como realizar mais valias, mas os "traders" de excelência sabem como assumir uma perda.

• A emoção é inimiga do "trader".

• Não nos devemos focar nas coisas que não podemos mudar. O mercado é assim e, para triunfarmos, temos que o aceitar tal como ele é.

• A esperança não deve nunca ser veículo do investimento.

• Sejamos humildes, senão o mercado irá encarregar-se de o fazer por nós.

• A capacidade de não negociar é tão - ou mais - importante como a capacidade de o fazer.

• Não podemos ficar sempre a pensar nos nossos erros ou nas nossas grandes vitórias. Retiremos rapidamente as ilações importantes e olhemos para a frente.

• Não devemos pensar demais. Pensar e ser racional é algo fundamental para o sucesso nos mercados, mas pensar demais pode tornar as análises demasiado complexas, o que lhe retira eficácia. Simplicidade é, para mim, um dos segredos do sucesso.

• Os mercados podem permanecer irracionais mais tempo do que nós termos capital…

• Os líderes que emergem de uma crise raramente são os mesmos que existiam quando ela se iniciou.

• Entender a psicologia das massas é mais importante do que perceber os fundamentais macro-económicos.

• Novos máximos são para ser comprados e novos mínimos para serem vendidos.

• Ninguém sabe o que o mercado vai fazer amanhã. Ninguém.




IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
14/06/11 
1 - SABORES  E  CHEIROS

RISOTO CAIPIRA

INGREDIENTES

2 xícara(s) (chá) de arroz
4 xícara(s) (chá) de água
1 colher(es) (sopa) de óleo de soja Sadia
quanto baste de sal
1 1/4 unidade(s) de cebola picada(s)
500 gr de lingüiça calabresa defumada Sadia picada(s)
2 unidade(s) de tomate picado(s), sem pele(s), sem sementes
1 unidade(s) de pimenta vermelha picada(s)
2 colher(es) (sopa) de margarina Qualy Sadia
3 colher(es) (sopa) de Queijo Ralado

CONFECÇÃO

Coloque o arroz, a água, o óleo, o sal e 1/4 da cebola em um refratário e leve ao microondas por 18 a 20 minutos na potência alta. Retire do microondas, afofe com um garfo e tampe. Coloque em outro refratário a lingüiça, os tomates, o pimentão, a cebola e a margarina. Tampe e leve ao microondas por 8 a 10 minutos na potência alta. Mexa na metade do tempo. Retire, misture com o arroz reservado. Polvilhe o queijo ralado e retorne ao microondas por 5 minutos na potência alta.

Coloque num prato, polvilhado de queijo, com as rodelas de lingüiça misturadas no arroz. Decore e sirva.

francisco george: 
director geral de saúde
Não hesito em comprar sapatos de marca portuguesa





IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
16/06/11

33 - IPSIS VERBIS



MARINHO E  PINTO

"as pessoas que utilizam métodos fraudulentos para acederem à magistratura não serão seguramente 
magistrados honestos"

"Isto é, de facto, um dos pontos 
mais graves da nossa Justiça",

"falece-lhes a legitimidade moral para poderem ser magistrados e julgarem e condenarem outros cidadãos"

"Quando se começa a prevaricar nos primeiros passos 
da carreira, imagine-se o que eles farão 
quando forem magistrados"

"quando estes auditores de Justiça começam logo com fraudes é de esperar e temer o pior no futuro" 

(sobre o copianço dos formandos do CEJ) 

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
16/06/11 
 

10– SEGREDOS OBSCUROS



ALMORRÓIDA CORRUPTÍVEL


Crise financeira é uma 
"oportunidade para a corrupção" 
garante investigador

O contexto da crise financeira que atinge a Europa é uma "oportunidade para a corrupção", porque exige processos rápidos "e há a tentação de atalhar caminhos, deixando o rigor para trás", afirma o investigador Luís de Sousa.

O responsável da Transparência e Integridade, uma das entidades que vai participar no projeto "Sistema Nacional de Integridade", iniciativa europeia que vai realizar, até final do ano, o mais completo diagnóstico sobre corrupção jamais feito na Europa, afirma que as crises são momentos de aproveitamento para fenómenos de corrupção.

O trabalho europeu vai concluir, até ao final do ano, um diagnóstico da situação da corrupção na Europa, partindo da sociedade civil.

"Não foi nenhum governo que se lembrou de iniciar este estudo, foi a sociedade civil a dar um passo em frente, vamos ver o que funciona e o que não funciona", explica o investigador.

Os investigadores já iniciaram o trabalho de recolha de informação e dizem que para já têm obtido toda a colaboração das entidades, sem se cingirem à recolha de material documental, pois vão também entrevistar responsáveis da administração pública e políticos, os que estão e os que hão-de vir.

Na análise da documentação deteta-se logo uma situação, a palavra "corrupção" quase não aparece nos documentos oficiais, algo que Luís de Sousa explica com uma cultura enraizada em Portugal.

São 13 os pilares para os quais a equipa de investigadores vai fazer avaliações com indicadores vários, embora cada um desses pilares tenha contextualizações diferentes nos vários países: Assembleia da República, Governo, tribunais, administração pública, Ministério Público e investigação criminal, Comissão Nacional de Eleições, Provedor de Justiça, Tribunal de Contas, organismos especializados no combate à corrupção, partidos políticos, comunicação social, sociedade civil e setor privado.

Em relação aos partidos, o problema é o financiamento. Luís de Sousa diz mesmo que, na sequência de contactos que manteve com vários responsáveis partidários, o mais certo é que a atual lei acabe por ser revogada e se parta para um novo trabalho legislativo com base na anterior lei.

"Alguns mandatários financeiros dos partidos com quem falei assumiram que esta lei foi um retrocesso, que abriu novos alçapões, argumentam que havia um grande esforço de disciplinar o financiamento, mas que, com esta lei, criaram-se alçapões para novas oportunidades e agora refugiam-se no legislador", afirma o investigador.

Luís Sousa revelou também, aos jornalistas, na ocasião da apresentação do projeto, que nos últimos três anos tem tido contactos ao nível diplomático em que se manifesta a preocupação quanto à corrupção em Portugal.

O investigador não tem dúvidas quanto às razões desta preocupação: [Os diplomatas]"são pressionados para se informarem sobre o fenómeno da corrupção, para depois informarem os seus naturais, sobre o nível de risco para os seus negócios".

Diz ainda que nos últimos anos se intensificou o tema da corrupção nas conversas e que "os decisores políticos deviam perceber que lá fora as pessoas querem ter informação".


IN "LUSA/i"
16/06/11

4 – GUITARRA PORTUGUESA

PEDRO CALDEIRA CABRAL





Pedro Caldeira Cabral interpreta o Fado Valsa de Luís Carlos da Silva, "Petroline" (1859-1934). Gravação ao vivo no Theater 't Speelhuis, Helmond (Holanda)

Carregado por em 12 de Fev de 2010
7 - ESCULTURAS DE GELO EM HARBIN













EM TODAS AS FAMÍLIAS EXISTE:

» um mau


 » um travesso



 »um bom



 » e um feio




enviado por H.P.C.
1 - BALÕES










2 - OS MELHORES DA PUBLICIDADE





6 - TERRA  UM OÁSIS CÓSMICO




TENHA UM BOM DIA............



...ainda faz 
       buracos no cinto??? sortudo!!!!


COMPRE JORNAIS


foi um excelente paralamentar
Manuel Alegre telefonou a Vieira 
para lamentar a saída de Nuno
As palavras saem com dor da boca do poeta. Manuel Alegre, ex-candidato à presidência da República, é também um adepto fervoroso do Benfica, que segue de perto, mesmo com os afazeres políticos dos últimos tempos. E vive activamente o dia a dia do clube e... a saída do capitão.
«Liguei hoje [ontem] ao meu amigo Luís Filipe Vieira a dizer que foi um erro. Tenho grande estima pelo presidente do Benfica, que salvou o clube, mas nesta situação do Nuno Gomes penso que não foi encontrada a melhor solução», explicou Manuel Alegre, que entende que o ponta-de-lança devia ter sido convidado a renovar.
«É um erro não ter acontecido e vamos sentir a sua falta. É um jogador com valor para jogar no Benfica e em qualquer clube em Portugal. E é também um símbolo do Benfica. No banco ou como titular, Nuno Gomes pode ser muito útil», disse, sem esquecer a decisão do treinador: «Mesmo que a sua saída não tenha sido uma decisão do presidente entendo que se poderia ter resolvido a questão de outra maneira.»
"A BOLA"

uma verdadeira amizade...
Bruxelas lucra 107,5 milhões com Portugal
Os países da Zona Euro foram ontem ao mercado angariar dinheiro para Portugal. Pelos cinco mil milhões de euros que obteve nos mercados pagou uma taxa de juro de 3,49 por cento. Portugal vai pagar um juro de 5,64 por cento para receber esta ajuda financeira. A diferença entre os juros significa que Bruxelas lucrará anualmente mais 107,5 milhões de euros por ano com Portugal só nesta ajuda.
O Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF) pagou um juro de 3,49 por cento neste leilão mas Portugal tem de pagar um prémio de 215 pontos base sobre a taxa de angariação de juros. Ao pagar 5,64 por cento por esta ajuda, Portugal está a entregar a Bruxelas 282 milhões de euros quando a Zona Euro só paga aos mercados 174,5 milhões de euros. O lucro desta ajuda financeira para os cofres da Zona Euro é de 107,5 milhões de euros.’
"CORREIO DA MANHÃ"

os alicercerces aldrabosos
Construtoras já não precisam de experiência 
para subir de alvará
O acesso às actividades de construção e imobiliário passa a ser mais simples com a alteração da lei que regula os alvarás e títulos de registo necessários para operar nestes sectores. As alterações, que resultam da transposição de uma directiva europeia, irão permitir, segundo o diploma publicado em Diário da República ter "menos burocracia, procedimentos mais rápidos e acesso mais fácil ao exercício de actividades" para tornar o mercado mais competitivo.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

a justiça é cega ou fecha os olhos???
Futuros magistrados 
apanhados no copianço 
vão ter nota 10
Luís Eloy, diretor-adjunto do Centro de Estudos Judiciários (CEJ), defendeu hoje que a atribuição de nota positiva (10) aos futuros magistrados que copiaram num teste de Investigação Criminal e Gestão de Inquérito (ICGI) foi a melhor opção face às alternativas.
Luís Eloy falava a propósito da notícia hoje avançada de que um copianço generalizado num teste do curso de auditores de Justiça do CEJ levou à anulação do teste, mas que a direção da Escola de Magistrados, presidida pela desembargadora Ana Geraldes, decidiu atribuir nota 10 a todos os futuros magistrados - juízes e magistrados do Ministério Público.
O responsável da Escola de Magistrados explicou que perante o sucedido havia duas hipóteses: o CEJ alhear-se da situação ou o CEJ sancionar o comportamento dos auditores de Justiça que foi reportado à direção.
"Optamos por esta última hipótese", disse Luís Elóy, recusando a ideia que atribuir nota 10 a todos os alunos tenha sido uma decisão demasiadamente benevolente para formandos que futuramente irão desempenhar funções em que a moral e a ética são valores essenciais.
Luís Elóy admitiu que a opção tomada teve também em conta os "timings existentes", revelando que seria "impossível recalendarizar o teste" de forma a haver "uma repetição" da prova.
Segundo disse, foi em virtude desta "dupla situação" que a direção do CEJ entendeu por unanimidade que a "melhor posição a tomar" seria a colocação da nota de 10 valores a todos os auditores de Justiça.
Luís Elói alegou que a atribuição de nota 10 é um "sancionamento ainda que psicológico" para os futuros magistrados porque se trata de uma nota em regra inferior à que obtêm nas disciplinas ministradas pelo CEJ.
Em defesa da opção tomada alegou ainda que o copianço ocorrido foi uma situação "pontual" e que entre os 140 auditores de Justiça houve quem não tivesse copiado, pelo uma sanção mais pesada seria injusta para estes últimos, que também ficaram com nota 10.
Entretanto, a Associação Sindical dos Juízes Portugueses qualificou o episódio de "escusado e lamentável".
Também o bastonário da Ordem dos Advogados, Marinho Pinto, considerou que estes futuros magistrados "deveriam ser excluídos" da profissão.
"i"

"mundo desenvolvido"???
Portugal é o quarto país do mundo 
desenvolvido com maior taxa de desemprego
Enquanto o desemprego na zona euro se manteve estável até Abril, nos 9,9 por cento, e o valor registado entre as 34 economias da OCDE baixou para os 8,1 por cento (44,1 milhões de pessoas), Portugal sofreu um aumento do número de desempregados que agravou a taxa em Março e Abril para os 12,6 por cento.
A média dos quatro primeiros meses de 2011 está ligeiramente abaixo deste valor, nos 12,4 por cento, o que, comparando com o valor médio calculado no final do ano passado, coloca Portugal no segundo lugar dos países que mais agravaram a sua taxa de desemprego até Abril. E a tendência deverá acentuar-se, de acordo com as anteriores previsões da OCDE, que pontam para um agravamento da taxa para 13 por cento no último trimestre do próximo ano e para lá de 2012.
Desta contagem excluem-se alguns países cujos dados não contam das estatísticas hoje reveladas pela OCDE, como são o caso da Grécia, Islândia, Reino Unido ou Suíça.
Em termos reais, Espanha continua no topo da lista dos países-membros com maior nível de desemprego, mantendo em Abril a sua taxa nos 20,7 por cento, seguida da Irlanda, que se manteve com o valor inalterado nos 14,7 por cento, e da Eslováquia, que baixou a taxa para os 13,9 por cento.
E se a tendência de baixa é evidente no universo dos 34 da OCDE, Abril foi o primeiro mês desde 2007 em que a descida foi sentida na maioria dos países-membros, com apenas os Estados Unidos, o Japão, o Luxemburgo, o México e a Eslovénia a registarem uma subida.
O aumento registado na maior economia global foi de 0,1 pontos percentuais face a Março (para os 9,1 por cento), em contraciclo com a trajectória do conjunto dos 34, cuja quebra foi também de 0,1 pontos percentuais.
"PÚBLICO"

granda tenda
Kadhafi compra mil bilhetes para Londres'12
Numa altura em que a organização dos Jogos Olímpicos de Londres do próximo ano enfrenta duras críticas por milhares de pessoas não terem conseguido comprar bilhetes, o "Daily Telegraph" anuncia que mil ingressos foram parar às mãos de... Muammar Kadhafi.
Segundo o jornal britânico, a compra dos bilhetes foi coordenada pela família do dirigente líbio e responde a uma "obrigação" da organização dos Jogos de vender bilhetes aos 205 membros do Comité Olímpico Internacional.
O "Daily Telegraph" avança ainda que Kadhafi deverá dividir os bilhetes com membros do governo ou vendê-los com preços 20 por cento acima do custo real.
"RECORD"

a última pera
MAI desvia 6 milhões do combate a fogos para a PSP
A PSP vai receber uma "injecção" financeira de seis milhões de euros para fazer face a despesas urgentes de funcionamento. A verba foi "desviada" do orçamento, cativado, da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) e estaria destinada ao combate aos incêndios florestais.
A decisão de Rui Pereira, recebida com enorme satisfação na PSP, está, no entanto, a causar um enorme mal-estar na GNR e na Protecção Civil, que este ano viu o seu orçamento de combate a incêndios reduzido em 23 por cento e uma diminuição de 15 meios aéreos.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

e levam 12 mil milhões
Banca aumenta comissões e preço dos serviços
A banca não vai diminuir o número de colaboradores.
Numa altura em que o desafio mais premente do sistema financeiro português é a focagem na rota do ganho de rentabilidade - em paralelo com as obrigações sobre capitais próprios decorrentes do acordo de resgate assinado com o FMI - o presidente da Associação Portuguesa de Bancos prevê o aumento das comissões e do preço dos serviços prestados pelos bancos. "A banca portuguesa é uma das mais baratas", recordou, para de seguida explicar porquê: "as taxas de juros praticadas até ao momento em que se tornou óbvio que Portugal ia entrar no Euro" chegavam para todas operações de financiamento dos bancos.
Já só fazem parte da (pouco grata) memória as operações de ‘floating' - que permitiam ‘fazer desaparecer' por alguns dias o dinheiro a circular no sistema inter-bancário, o que (numa altura em que as taxas eram de dois dígitos) permitia assinaláveis ganhos aos bancos. Nesse quadro, o sistema nunca se preocupou em fazer-se pagar pelos serviços prestados aos clientes, nem em assumir uma política de comissionamento eficaz para os seus cofres.
"DIÁRIO ECONÓMICO"

políticos, aprendam!!!
Autoeuropa e trabalhadores
Criado um novo fundo de pensões
A Autoeuropa e os trabalhadores ultimaram, ontem, um acordo para a criação de um fundo de pensões que vai assegurar um complemento de reforma a cerca de 2800 trabalhadores. 'Fechámos o acordo segunda-feira e ultimámos os últimos pormenores para a criação do fundo de pensões que servirá de adicional à pensão de reforma', revelou António Chora.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

estado caloteiro
Tarefas do Censos 2011 ainda estão por pagar
As tarefas dos 23 mil recenseadores envolvidos na operação Censos 2011 acabaram há cerca de dois meses, mas de norte a sul do país há quem se queixe de ainda não ter sido pago pelo trabalho.
Maria João Araújo tirou três dias de férias para conseguir recolher todos os inquéritos dentro do prazo. Maria Araújo era uma das recenseadoras da freguesia de Mina, na Amadora, e o trabalho nem sempre foi fácil, mas a 15 de abril entregou tudo preenchido.
Hoje, passados dois meses, garante que ainda não foi paga pelo trabalho: "Liguei para o Instituto Nacional de Estatística (INE) e eles disseram-me apenas para esperar que um dia tinha uma surpresa. Eles devem achar que isto tem graça, mas não acho graça nenhuma", critica Maria Araújo, uma dos 23 mil recenseadores que no início do ano percorreu milhares de habitações no âmbito da operação Censos 2010.
A agência Lusa contactou o INE, que explica que "os pagamentos aos recenseadores são feitos pelas câmaras municipais", razão pela qual o instituto não consegue ter uma percepção do número de pessoas que ainda não receberam.
No entanto, na Internet surgem denúncias recentes feitas por recenseadores de vários pontos do país. "No concelho de Chaves ninguém recebeu um cêntimo. É uma vergonha", é um dos muitos comentários num dos fóruns em que a discussão é o atraso de pagamento dos recenseadores.
"No dia 13 de Junho continuam por receber os coordenadores de freguesia do concelho de Mirandela, quase dois meses e meio do encerramento das operações", lê-se em outro comentário.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

EXEMPLAR DE CÃO CRIADO 
NO MEIO DE GANGSTERS




enviado por A.M.D.

10 - FILOSOFIA PARA A VELHICE




4 - ILUSÕES FANTÁSTICAS



JORNAIS DE HOJE


COMPRE JORNAIS











BOM  DIA