segunda-feira, 13 de junho de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

1 - FILOSOFIAS




Joaquin Cortes y su flamenco



2- AZULEJO PORTUGUÊS




Os portugueses não inventaram o azulejo, mas usaram-no de forma original, para revestir paredes, pavimentos, bancos, lagos e fontes. Fizeram-no tão bem que estes pequenos quadrados de barro, a que o fogo dá vida, atingiram o estatuto de obras-primas.O Azulejo é uma das expressões mais fortes da Cultura em Portugal e uma das contribuições mais originais do génio dos portugueses para a Cultura Universal.
Aqui, o Azulejo ultrapassou largamente a mera função utilitária ou o seu destino de Arte Ornamental e atingiu o estatuto transcendente de Arte, enquanto intervenção poética na criação das arquitecturas e das cidades.

Gravado no Canal História dia 8/6/2009

MARCHA DO ALTO DO PINA
1º LUGAR 
2011


video

REPORTAGEM "SIC"


CAPTURANDO PORCOS SELVAGENS


video

RODRIGO TAVARES









Arteriotomia Nacional

"Os investimentos têm empurrado os portugueses 
para fora do país que neles investiu"


Num encontro privado esta semana, ouvi o Presidente da Câmara Municipal de Nova Iorque, Michael Bloomberg, afirmar que o impacto positivo da morte de Bin Laden nas taxas de popularidade de Barack Obama será temporário. "Aquilo que, na verdade, interessa às pessoas é emprego e habitação", sentenciou. A resposta pode ser trivial, mas não é ingénua.

Portugal tem assistido a um verdadeiro êxodo. Tal como descrito no Velho Testamento, os portugueses também têm atravessado o deserto em direção à Canaã do emprego. Quase todas as semanas sou contactado por algum amigo pedindo-me sugestões para deixar Portugal. E quase sempre o desabafo é o mesmo: desânimo e falta de oportunidades. Segundo os últimos dados, entre 1998 e 2008 registou-se a segunda maior vaga de saídas em 160 anos, logo a seguir ao êxodo dos anos 60.

Muitas destas pessoas são pobres. Mas pela primeira vez existe uma vaga de emigração qualificada. Um dos principais legados dos governos socialistas foi o forte investimento na qualificação profissional dos portugueses. As nossas escolas e universidades são muito melhores do que há uma década. Há mais institutos, acordos, programas e parcerias. Nunca tivemos tantos licenciados, mestres e doutores. De 1996 a 2010, o financiamento de bolsas de doutoramento e pós-doutoramento cresceu dez vezes. Foram investimentos semelhantes que conduziram a Suécia à liderança mundial nas áreas de inovação, ciência e tecnologia; ou a Coreia do Sul ao título de Tigre Asiático.

Mas as boas notícias acabam aqui. Ao contrário de outros países, em Portugal os investimentos têm empurrado os portugueses para fora do país que neles investiu. O problema não é a qualidade dos laboratórios nacionais, mas o teor das experiências que se fazem fora deles. A maioria destes jovens qualificados não se reconhece na classe política que os comanda. Existe um sentimento de que nossos líderes - a maioria sem experiência internacional e com insuficiente prática profissional fora dos partidos políticos - já não refletem o novo dinamismo da sociedade portuguesa. O elevado número da abstenção verificada nestas eleições espelha a falta de diálogo entre eleitos e eleitores. Ironicamente, para os portugueses, não votar tornou-se um exercício de cidadania. Cavou-se um fosso e surgiu um novo mar Vermelho. Somos hebreus e egípcios.

Estancar esta sangria é um dos principais desafios de Passos Coelho. Ainda que o novo governo esteja murado pelas políticas da troika, só conseguirá sobreviver se adotar uma postura de rutura - com caras e causas novas. Não é preciso ter um doutoramento para chegar a esta conclusão. Não é preciso saber falar línguas estrangeiras. Não é preciso ser viajado. É simples: basta saber escutar.

* Pós-doutorado em Relações Internacionais pela Universidade de Columbia, EUA. Formado em Negociação Internacional pela Universidade de Harvard.


IN "VISÃO"
08/06/11

TENHA UM BOM DIA....


...já acertaram a maneira 
                             de nos explorar


COMPRE JORNAIS


e responsáveis, existem???
Testes do pezinho em atraso levarão 
duas semanas para serem regularizados
Rui Vaz Osório, fundador do diagnóstico precoce em Portugal, disse à Lusa que os reagentes chegaram hoje de manhã ao laboratório do Porto e que “em princípio, o problema está resolvido”.
No entanto, reconhece que não será possível pôr em dia os milhares de análises que estão atrasadas num curto prazo.
“Nós trabalhamos habitualmente com 500 amostras diárias. Vamos acrescentar mais 100 ou 200 por dia, para acelerar, mas mesmo assim vai demorar pelo menos 15 dias até estar tudo em ordem e esperemos que pelo meio não haja nenhum doente prejudicado por causa disto, mas isso só vamos saber daqui a 15 dias”, afirmou.
Quanto à responsabilidade que imputa ao Instituto Ricardo Jorge (INSA) neste atraso, Rui Vaz Osório espera que tenha “servido de lição” e que daqui para a frente haja mais cuidado para que situações destas não se repitam.
Se assim for, o responsável afirma que já ficará satisfeito, uma vez que a possibilidade de reorganização do diagnóstico precoce dentro do INSA, que sempre defendeu, é uma esperança quase perdida.
No final da semana passada, a Associação Portuguesa de Fenilcetonúria e outras doenças Metabólicas (APOFEN) denunciou à Lusa que milhares de exames genéticos, alguns dos quais preventivos de doenças graves e até fatais, como o teste do pezinho, estavam por fazer, devido à falta de reagentes.
"PÚBLICO"

 troçar de quem trabalha
Falta de financiamento 
trava velejadores olímpicos
Os 15 velejadores portugueses que integram o Projeto Londres'2012 suspenderam esta segunda-feira a atividade devido à falta de condições financeiras e arriscam falhar os Jogos Olímpicos do próximo ano.
Num comunicado enviado à Agência Lusa, os atletas revelam que não têm recebido as verbas destinadas à preparação olímpica por parte da Federação Portuguesa de Vela (FPV) e que têm feito "um grande esforço financeiro" para estar presente em competições internacionais.
"As verbas destinadas à preparação olímpica dos velejadores, a que estes têm direito por obtenção de resultados de mérito desportivo, e formalmente contratualizadas, não estão a chegar aos atletas e por esse motivo torna-se impossível competir ao nível internacional", lê-se no comunicado.
A nota dos 15 velejadores adianta que a participação na sexta etapa do ISAF World Cup - Sail for Gold, que se realizou no último fim-de-semana em Weymouth (Inglaterra), local onde vai decorrer a prova olímpica em 2012, foi financiada pelos próprios.
"Os velejadores olímpicos fizeram um grande esforço financeiro para estarem presentes na regata Sail for Gold, pois consideraram que era de extrema importância competir no local onde irão ser disputadas as regatas olímpicas. Importa referir que Portugal era o único país em competição que não tinha qualquer treinador, à exceção de João Rodrigues e Rita Gonçalves, que fizeram questão de financiar a atividade dos seus treinadores", revelam os atletas.
"RECORD"

só com um polícia por condutor...
4 mortos e mais de 200 detidos 
com excesso de álcool
Mais de duas centenas de condutores foram detidos por excesso de álcool, no âmbito da "Operação Viagem Segura", que decorreu de quinta-feira a domingo, período durante o qual morreram quatro pessoas e 20 ficaram em estado grave.
De acordo com os dados do balanço final da Operação "Viagem Segura" da GNR, dos 22.578 condutores fiscalizados, 2.568 foram autuados por excesso de velocidade e 515 tinham excesso de álcool no sangue.
A GNR deteve ainda 326 condutores, dos quais 213 por conduzirem com uma taxa superior a 1,2 gr/l de álcool no sangue.
A brigada de trânsito autuou ainda 2.165 condutores por outros motivos, como uso de telemóvel durante a condução, falta de utilização de cintos de segurança e sistemas de retenção e falta de inspecção periódica obrigatória.
Neste mesmo período, das 00:00 de quinta-feira até às 24:00 de domingo, os dados da GNR relativamente à sinistralidade rodoviária dão conta de um total de 750 acidentes, dos quais resultaram quatro mortos, 20 feridos graves e 267 feridos ligeiros, disse à Lusa fonte da GNR.
Comparativamente ao mesmo período do ano passado, houve menos 263 acidentes, menos seis mortos, menos quatro feridos graves e menos 59 feridos ligeiros, adiantou a mesma fonte.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

quem avisa...
Roubini antecipa nova crise mundial em 2013
Uma "tempestade perfeita" pode ameaçar 
a retoma da economia mundial a partir de 2013. 
O alerta é de Nouriel Roubini.

Em entrevista à Bloomberg, na passada sexta-feira, Nouriel Roubini afirma que uma "tempestade perfeita" - crise orçamental nos Estados Unidos, abrandamento do crescimento da economia chinesa, reestruturação da dívida na Europa e estagnação económica no Japão - poderá ameaçar a retoma da economia global a partir de 2013.
Segundo o professor da Universidade de Nova Iorque, a probabilidade de tal acontecer é de um terço.
E deixa o alerta: "Já existem elementos de fragilidade. Todos os países estão a adiar a questão da elevada dívida pública e privada, e todos estes problemas poderão emergir em 2013, no máximo".
Roubini, o economista que ficou conhecido por antecipar a crise financeira dos EUA e a quem muitos conhecem como 'Dr. Doom', avisou há dois dias sobre uma possível revolta nos mercados de dívida caso os Estados Unidos não consigam controlar o défice orçamental.
Quanto à Europa, o economista norte-americano voltou a defender, no final de Maio, em entrevista a um jornal alemão, uma reestruturação da dívida grega, considerando que seria uma forma de reduzir o risco de contágio na zona euro. Porém, o assunto não é consensual na Europa, com a Alemanha a defender uma reestruturação da dívida com participação de privados e o Banco Central Europeu (BCE) a rejeitar esta solução.
"DIÁRIO ECONÓMICO"

importante
No litoral do Algarve
Praias com 30 postos de saúde
O «Plano de verão 2011» no Algarve arranca em julho com mais de 30 postos de saúde de praia espalhados pelos concelhos do litoral e prolonga-se até 15 de setembro, revelou, ontem, o presidente da Administração Regional de Saúde, Rui Lourenço. Segundo explicou, o programa é 'semelhante ao de 2010', ano em se investiu cerca de dois milhões de euros e em que foram colocados nas praias algarvias 32 postos de saúde, em colaboração com a Cruz Vermelha. O objetivo é dar resposta a situações clínicas que podem ser tratadas no local ou devidamente encaminhadas se necessário para uma instituição de saúde.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

vem da 1a maioria cavaquista
Portugal tem 220 mil agricultores 
pagos para não plantar
O presidente da República defendeu ontem uma "estratégia clara de revalorização do interior do país" e "oportunidades de sucesso" para os jovens agricultores. Há hoje em Portugal 220 mil agricultores que recebem subsídios da União Europeia para não produzir.
A preocupação do presidente com o défice alimentar português e com o despovoamento do interior, "um dos grandes problemas nacionais", levou-o a defender que seja criado "um programa de repovoamento agrário do interior, criando oportunidades de sucesso para jovens agricultores", durante as comemorações do 10 de Junho.
Mas a verdade é que, hoje, existem 220 mil agricultores (ao todo, há 400 mil em Portugal) a receber subsídios para não produzir. Trata-se de lavradores que se encontram no "regime de pagamento único", que apenas os obriga a manterem "agricultáveis" (isto é: em condições para voltarem a ter produção) os terrenos de onde arrancaram o que lá tinham. Destes 220 mil agricultores, há dois mil grandes produtores que recebem mais subsídios (250 milhões de euros) do que todos os outros juntos. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, entre 1999 e 2009, o país perdeu 25% das explorações agrícolas e 110 mil agricultores.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

alemanha amiga, a bactéria que o diga
Problema no consumo de legumes 
ultrapassado esta semana
As empresas de distribuição esperam ver "completamente ultrapassados" até ao fim desta semana os problemas ligados ao consumo de legumes e frutas em Portugal, disse esta segunda-feira o presidente da APED.
Em declarações à Lusa, o presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), Luís Reis, afirmou acreditar que, "neste momento, a situação está resolvida", depois de uma quebra no consumo de produtos hortícolas causada pelo surto da bactéria E.coli, que levou à morte de 35 pessoas na Europa.
De acordo com o responsável da APED, a situação está a regressar à "tranquilidade" e a expectativa "é de que, rapidamente, o consumo de frutas e legumes volte ao normal".
"A quebra foi significativa durante alguns dias, mas neste momento já há sinais de que se estão a recuperar os níveis de consumo normais", disse Luís Reis, salientando que as empresas de distribuição se encontram "perfeitamente tranquilas".
"CORREIO DA MANHÃ"

lamentável
Hiroshima retira candidatura às Olimpíadas de 2020
A cidade japonesa de Hiroshima retirou esta 
segunda-feira a candidatura aos 
Jogos Olímpicos de 2020

A organização alegou dificuldades financeiras para sair de cena à corrida de uma edição dos Jogos que seria dedicada ao desarmamento nuclear.
O presidente da Câmara de Hiroshima, Kazumi Matsui, lembrou que a cidade ainda tem para liquidar uma dívida elevada relacionada com a organização dos Jogos Asiáticos de 1994.
Os dirigentes japoneses equacionaram apresentar uma candidatura conjunta de Hiroshima e Nagasaki, as duas cidades destruídas pelas bombas atómicas lançadas pelos Estados Unidos sobre o Japão durante a II Guerra Mundial, mas perante as reticências do Comité Olímpico Internacional tal ideia foi abandonada.
Depois de Nagaski se ter retirado da corrida, foi agora a vez de Hiroshima sair de cena.
"A BOLA"

vai um lugarzinho ou um tachinho????
Cinco deputados pediram subsídio de reintegração 
e dois subvenção vitalícia
Cinco deputados que estiveram pelo menos 12 anos no Parlamento reclamaram o subsídio de reintegração e pelo menos dois pediram a subvenção vitalícia após a dissolução da Assembleia da República, noticia hoje a TSF.
Citando dados da secretaria-geral da Assembleia da República, a estação de rádio adianta que a identidade dos deputados não foi revelada, sendo que Vera Jardim confirmou que pediu a subvenção vitalícia.
Segundo a TSF, é possível que mais deputados venham também a pedir este subsídio, o que poderá levar a que a verba de 604 mil euros prevista no orçamento do Parlamento para estes subsídios venha a ser reforçada.
Osvaldo de Castro e Marques Júnior disseram à TSF que estão a avaliar esta possibilidade, tendo o chefe de gabinete de Jaime Gama indicado que o até aqui presidente da Assembleia da República não sabe se irá pedir a subvenção vitalícia.
Já Manuela Ferreira Leite, outra das deputadas que se prepara para abandonar a Assembleia da República, não quis dizer o que vai fazer a este respeito.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

garantias por baixo preço???
Moda low cost chega às seguradoras
A moda das seguradoras low cost veio para ficar. Se até aqui o que ditava o preço do seguro eram os anos de carta e os acidentes, as regras mudaram com a proliferação das companhias de baixo custo. A estratégia agressiva imposta por estas novas seguradoras provocou uma descida generalizada dos preços, mesmo entre as companhias tradicionais. Conclusão: a maioria viu-se obrigada a acompanhar esta redução de preços e a lançar promoções mais agressivas para manter e ganhar novos clientes.
A Seguro Directo e a Ok teleseguros! foram as primeiras a surgir no mercado, há mais de dez anos, e já apresentam algum peso no negócio total do sector. A Seguro Directo reconhece que existe uma crescente procura das seguradoras low cost, "nem que seja para a consulta e a comparação de preços", revela a directora coordenadora Sandra Moás. A responsável diz ainda que estas seguradoras "têm contribuído para o dinamismo e para a diversificação do mercado, uma vez que incitam a revisões tarifárias para se conseguir preços competitivos". Aliás, no entender da mesma, o consumidor procura o melhor equilíbrio no binómio preço/confiança. Uma opinião partilhada pela OK! teleseguros. A seguradora tem vindo a diversificar a sua oferta - através do lançamento de produtos adaptados a diferentes necessidades e segmentos, de que são exemplos os produtos OK! Mulher, OK! Família, OK! GPS - mas reconhece que ainda há mercado para crescer. "O peso das seguradoras focadas na exploração dos canais directos tem vindo progressivamente a aumentar, contudo, existe ainda um longo caminho a percorrer, dado os valores já atingidos em outros mercados europeus, pelo que subsiste ainda um grande terreno a explorar por todas as seguradoras", afirma o director de marketing, Sérgio Carvalho . Mas este conceito low cost foi-se alargando nos últimos anos e assistimos ao aparecimento de novas seguradoras. É o caso da Logo. Terminou 2010 com 20 milhões de euros em prémios e 115 mil clientes e acredita que a tendência é para continuar a crescer. Segundo a mesma, os consumidores vão continuar a "procurar produtos e serviços onde possam poupar, com ganhos de conveniência e acessibilidade, através das novas plataformas electrónicas". A fórmula é simples: "Garantir as mesmas coberturas, o mesmo nível de protecção contra os riscos, com a mesma qualidade, ou até superior", salienta o director-geral, José Pedro Inácio.
É também frequente assistirmos ao aparecimento de oferta de seguros "a preços baixos" associados a marcas já existentes. É o caso dos seguros Continente ou do Benfica.
"i"




AS MAMAS VALEM UMA VIDA




video




OBRIGADO CARACOLETA
D - INVENTOS DA ANTIGUIDADE

 
5 - A CIÊNCIA CONTIDA NA BÍBLIA





1 – GUITARRA PORTUGUESA

RICARDO PARREIRA



4 - CHINA MARAVILHOSA








4 – PONTES PERIGOSAS











JORNAIS DE HOJE



COMPRE JORNAIS









3 - PIRINÉUS SEM NEVE






23 - GUIA DOS CURIOSOS

clique 2x para ler
 


 
4 - STURGIS
clique para ampliar













OLÁ AMIGOS











Escreva-nos para "apxxdxdocorreio@gmail,com"

OBRIGADO