domingo, 12 de junho de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


3 FILHAS 3 MEDIDAS











BICICLISTAS



video



enviado por D.A.M.




ALMORRÓIDA MARCIANA


Identificadas zonas de Marte 
                   onde vida é mais provável


Uma equipa de cientistas portugueses identificou os lugares de Marte onde é mais provável que possa existir vida e, ao mesmo tempo, menos inóspitos para os astronautas que venham um dia a aterrar no "planeta vermelho".

O geólogo Ivo Alves, da Universidade de Coimbra, disse à agência Lusa que o trabalho da sua equipa permitiu identificar os locais de Marte onde existem campos magnéticos que protegem a superfície do planeta e quaisquer formas de vida que possa albergar.

Ivo Alves explicou que "há 3500 milhões de anos", Marte teve um campo magnético a protegê-lo das radiações cósmicas, tal como a Terra tem, permitindo assim que a vida se desenvolva e evolua.

Mas o núcleo de Marte deixou de girar, é hoje sólido e não produz um campo magnético global para todo o planeta. O que resta são campos magnéticos "cristalizados nas rochas" que garantem que "zonas com milhares de quilómetros quadrados" têm protecção das radiações cósmicas.

"Esses campos remanescentes podem ter preservado das radiações e permitido que houvesse evolução", referiu o cientista, explicando que é nessas zonas que será "mais interessante apontar esforços para encontrar vida".

Ao mesmo tempo, quando um dia aterrarem seres humanos em Marte, poderão nessas zonas encontrar maior protecção sem terem que a levar consigo da Terra.


Apesar de o clima de crise financeira não ser propício a aventuras extraterrestres, Ivo Alves afirmou que "já existe tecnologia na Europa para colocar um astronauta em Marte", um projecto que teria mais hipóteses numa colaboração de vários países com mais meios, como a França, a Alemanha e Itália.

"Ou então será um país como a China, que pode tirar uma grande fatia do seu orçamento" para ir à conquista de Marte, apontou.

De qualquer maneira, para já a tendência é usar "o mais rápido, o mais pequeno e o mais barato": sondas não tripuladas e robôs.

Foi justamente com dados transmitidos pela sonda Mars Odyssey que a equipa de Ivo Alves, que incluiu ainda um biólogo e um astrónomo, conseguiu fazer o mapa das zonas com maiores campos magnéticos.

No total, analisaram "23 milhões de registos" da sonda, que leu os níveis de radiação a cada momento. Depois, foi descobrir de que locais vinham as leituras.


As conclusões deste e de outros estudos vão ser apresentadas a partir de segunda-feira numa conferência internacional sobre a habitabilidade em Marte, que decorre em Lisboa, numa organização conjunta das agências espaciais europeia e americana e da Universidade de Coimbra.

Especialistas de todo o mundo vão debater os avanços mais recentes no estudo das condições do planeta Marte que os cientistas admitem poder albergar vida.

IN "LUSA/DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
12/06/11

POIS PUDERA


2 - Escravos da Superstição

Richard Dawkins



video


Escravos da superstição é um vídeo sobre como rituais irracionais de fé baseados em nenhuma evidência lucran bilhões de dólares por ano enganando as pessoas com falsas esperanças. O que resulta no esvaziamento de suas mentes e carteiras. Traduzido e legendado pela distribuidora La dignidad Rebelde, difusión libertaria.

ALMORRÓIDA OFTALMOLÓGICA



Operação às cataratas mais eficaz

Por:Ana Sofia Coelho

Ser operado às cataratas é hoje em dia mais rápido e eficaz do que submeter-se a outras cirurgias. As listas de espera são quase inexistentes devido ao acordo entre o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e os hospitais privados. No ano passado foram operados mais de 63 800 doentes nos hospitais públicos, privados e sociais. O limite máximo de tempo de espera é quatro meses.

Chama-se cataratas à perda de transparência do cristalino (uma lente que existe dentro do olho e que foca a imagem). Essa perda pode mudar a capacidade de focagem ao longe e ao perto e atinge normalmente pessoas com mais de 40 anos, pelo que é necessário trocar a lente intra-ocular por uma artificial. Actualmente, já é possível tirar a catarata e colocar, em simultâneo, uma lente que corrige a visão de longe e de perto, graças ao avanço da tecnologia, das técnicas e das lentes.

Se há 25 anos só se realizavam cirurgias às cataratas em casos extremos, como quando o doente já tinha perdido a visão num olho ou usava lentes de óculos com 12 dioptrias de graduação, agora são efectuadas praticamente a seguir ao diagnóstico. "A lista de espera, mesmo nos hospitais públicos, não é muito grande. Há é uma dificuldade de acesso à consulta", explica ao CM o presidente do Colégio de Oftalmologia da Ordem dos Médicos, Florindo Esperancinha. "No máximo de quatro meses, se a pessoa não for operada no público, recebe uma carta para ir a um hospital com acordo com o SNS. Já o acesso à consulta pode demorar, por exemplo, um ano e meio", adianta. Em 2010 foram operadas 62 460 pessoas no SNS e 1427 nos hospitais convencionados (privados e sociais). Dos 13 563 utentes inscritos para cirurgia no SNS, 43 estavam a aguardar cirurgia.

IN "CORREIO DA MANHÃ"
12/06/11

MIGUEL A. GANHÃO


Atrasos do sistema

Depois da "bronca" com as entregas do IRS via internet, que obrigaram à prorrogação do prazo, regressam os problemas, mas desta vez com os reembolsos do IVA.

Segundo fontes contactadas pelo CM, a prioridade foi dada ao reembolso dos contribuintes em IRS, o que congelou os reembolsos do IVA. Seja qual for o substituto de Azevedo Pereira à frente da Direcção Geral dos Impostos (DGCI), é fundamental que se reforce o investimento em informáticas na DGCI, que permita suportar as várias aplicações dos serviços do Fisco.

O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, já tinha autorizado a abertura de um concurso para a aquisição de novo hardware informático, mas os cortes orçamentais levaram à anulação daquele procedimento.

As aplicações do Fisco passam por um sistema central sem capacidade para processar a informação pedida pelos serviços.

Há clínicos a passar receitas de mesoterapia, para serem pagas como receitas médicas pelas seguradoras.

Tem-se falado que Sócrates poderá fazer companhia a Armando Vara no grupo de construção civil brasileiro Camargo Corrêa.

IN "CORREIO DA MANHÃ"
11/06/11


MAIS BARATO NÃO HÁ





BCOSMOS

3– ENCICLOPÉDIA GALÁCTICA

GÉNIO COREANO


Génio Coreano


video


Escavadora marinheira



LOIRA MAS POUCO


video


enviado por J. COUTO

LOIRA  MAS  MUITO


video


enviada por E. FRANÇA

Descobertas sobre
Plantas Medicinais


2 - OS  PALHEIROS
 






 

TENHA UM BOM DOMINGO

...ponha mais buracos no cinto


COMPRE JORNAIS E REVISTAS


força no taco
Golfe: Seleção em grande força
british amateur começa amanhã
Cinco dos melhores golfistas portugueses iniciam amanhã a sua participação na 116.ª edição do The Amateur Championship, um dos dois mais importantes torneios do Mundo para amadores, mais conhecido por British Amateur.
Um total de 288 jogadores de 35 países disputa em Hillside & Hesketh (Inglaterra) um evento que só tem paralelo no US Amateur.
O campeão recebe convites para o Open Championship (ou British Open) deste ano e o Masters de 2012, que atraem os melhores profissionais do Planeta.
"RECORD"

ainda as "novas oportunidades"
Há alunos a abandonar a escola 
para ajudar no orçamento familiar
Um pouco por todo o país há alunos a abandonar a escola por causa das dificuldades financeiras da família. Uns fazem-no para ajudar os pais, outros simplesmente porque deixaram de ter dinheiro para estudar.
No agrupamento de Escolas da Cruz de Pau, no Seixal, há mais mesas vazias nas salas de aula desde o final do segundo período.
«Este ano tenho recebido várias anulações de matrículas: dez, até agora. São de alunos do 9º ano ou com mais de 15 anos. Três delas tenho a certeza de que foram feitas por questões económicas, porque os alunos falaram comigo», conta à Lusa o director do agrupamento, Nuno Adeganha.
Os casos detectados aconteceram na escola do 2.º e 3.º ciclos, frequentada por cerca de 870 estudantes e «inserida num contexto económico frágil».
No entanto, sublinha Nuno Adeganha, os alunos que têm anulado as matrículas «não são dos bairros mais problemáticos. Pertencem à classe média baixa, são de famílias que de um momento para o outro deixaram de ter dinheiro para pagar coisas elementares. Dois dos casos são de famílias mono parentais, o outro é de uma família em que os pais ficaram desempregados», explica.
Na perspectiva do representante dos encarregados de educação do distrito, o cenário não é tão delicado como Nuno Adeganha o descreve. António Amaral, presidente da Federação Regional de Setúbal das Associações de Pais, afirma que «o abandono escolar está ao nível do ano passado» e considera que existem no distrito apenas casos «pontuais».
A Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE) discorda e diz que o fenómeno acontece um pouco por todo o país. Manuel Pereira, presidente da ANDE, lembra que algumas famílias em situação limite vêem nos filhos uma fonte de rendimento extra: «Sei que há miúdos que estão a apoiar as famílias», diz.
"SOL"

Lisboa é linda
Lisboa é a 23ª melhor cidade 
do mundo para viver
Ranking das melhores cidades do mundo para viver, de acordo com a revista "Monocle", coloca Lisboa na 23ª posição, atrás de Hamburgo.
A cidade de Lisboa ocupa o 23.º lugar na tabela das melhores cidades do mundo para habitar, de acordo com a revista "Monocle" .
Este ranking, feito com base em critérios como criminalidade, transportes, oportunidades de negócio e conectividade, só será conhecido completamente na próxima quarta-feira.
Contudo, na edição de hoje do "Financial Times" , Tyler Brûlé, diretor da "Monocle", revela já as cidades que estão no final da tabela:

25- Seattle
24- Montreal
23- Lisboa (Portugal)
22- Hamburgo
21- Quioto
20- Vancouver
19- Honolulu
18- Portland
17- Hong Kong
16- Fukuoka
15- Singapura
14- Barcelona
13- Auckland
12- Paris
11- Estocolmo
"EXPRESSO"

com valor
Cinco artistas portugueses 
na melhor feira de arte do mundo
A partir de quarta-feira, 15 de Junho, e até domingo, dia 19, duas galerias nacionais marcam presença na feira helvétic.
Daniel Malhão, João Louro, José Loureiro, Julião Sarmento e Rui Toscano. São estes os artistas portugueses que a partir de quarta-feira e até domingo mostram o seu trabalho naquela que é considerada a melhor feira de arte contemporânea do mundo, a Art Basel, em Basileia, na Suiça.
No total, são mais de 2500 os artistas representados, expostos nos stands de quase 300 galerias, provenientes de 35 países. Cristina Guerra e Pedro Cera são os dois representantes portugueses.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

para já "fecho éclair"
Nova vacina reduz o apetite 
e aumenta o gasto de calorias
Uma equipa de investigadores portugueses desenvolveu uma nova terapêutica para tratamento da obesidade 

A endocrinologista Mariana Monteiro, que lidera a equipa de investigadores do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) do Porto, explicou hoje à Agência Lusa que esta nova vacina terapêutica demonstrou que "através da supressão da atividade da hormona estimulante do apetite (grelina) em ratinhos, os animais diminuíram a ingestão de alimentos e aumentaram o gasto de calorias".
Contudo, salientou a investigadora, a transposição destes resultados para o domínio humano obriga à realização de muitos outros estudos, que deverão prolongar-se por vários anos.
"VISÃO"

enquanto houver portugueses....
2310 motorizadas 
batem recorde mundial com dez anos
Um recorde mundial com 10 anos foi batido, este sábado, em Fátima, com a concentração de 2310 motorizadas antigas, numa iniciativa da revista "SóClássicas".
O director da revista, Pedro Oliveira, afirmou-se "bastante" satisfeito com o recorde Guinness alcançado - o anterior foi estabelecido na Holanda com 1.237 motorizadas -, admitindo, contudo, que a organização estava à espera de chegar ao número redondo de 3 mil.
"Havia motos que não se puderam contabilizar porque o Guinness só aceita motorizadas e ciclomotores", disse.
Pedro Oliveira realçou o facto de Portugal ser agora detentor do recorde mundial, necessitando apenas da certificação pela organização do Guinness World Records.
Aos jornalistas, o responsável acrescentou que esta paixão pelas motorizadas clássicas encontra explicação no facto de muitos portugueses terem tido, durante anos, este como único meio de deslocação.
Pedro Oliveira adiantou que, na década de 80 o país passou por um momento em que ter motorizada "era sinal de ser pobre", mas agora está a "redescobrir" que "o antigo é muito giro", a que acresce o facto de que se trata de um meio de transporte que "se adapta bem à crise".
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

campeã
Ana Hormigo 
conquista primeiro lugar na Taça do Mundo
A judoca portuguesa Ana Hormigo ficou este sábado no primeiro lugar na sua categoria na Taça do Mundo de judo que decorre em Odivelas.
Hormigo venceu na categoria de -48 kg, batendo a italiana Valentina Moscatt por ippon, a 1.20m do final do tempo.
"A BOLA"

e bolos "recheados"???
Cadeias: 
Visitas só podem levar um quilo de comida
Acabaram-se os sacos cheios de produtos alimentares e de volumes de tabaco à entrada das cadeias. Se o Regulamento Geral dos Estabelecimentos Prisionais (RGEP) for levado à letra, a partir de hoje as visitas só podem levar um quilo de comida por semana. Quanto ao tabaco, terá de ser comprado na cantina ou através das máquinas automáticas.
Os guardas prisionais temem que as novas medidas provoquem um aumento da tensão nos estabelecimentos, pois até agora "não foram dadas informações às visitas" sobre as novas regras, disse ao Correio da Manhã um elemento do corpo penitenciário.
O tipo de alimentos que podem entrar nas prisões será determinado por despacho do Director-Geral dos Serviços Prisionais (DGSP). Mas uma coisa é já mais do que certa, de acordo com o RGEP: "Os alimentos são entregues em saco de plástico e embalados em material que não constitua risco para a segurança da cadeia." E não são admitidas embalagens de vidro, metal ou outras "que não permitam a visualização do seu interior ou a pesquisa e análise fácil do seu conteúdo sem meios especializados", determina o regulamento.
Ou seja, deixam de poder entrar as tradicionais latas de salsicha e de atum, até agora toleradas em alguns estabelecimentos prisionais.
Com estas alterações, há reclusos que deixam de poder contar com o abastecimento alimentício em dia de visitas, o que, por vezes, lhes servia como moeda de troca nos negócios entre detidos. Há inclusive quem defenda que estas limitações, além de gerarem descontentamento e possíveis acções de protesto, irão penalizar o orçamento da DGSP, "fazendo-a gastar mais dinheiro em alimentação".
"CORREIO DA MANHÃ"

no pacote...
FMI alvo de ataque informático
O Fundo Monetário Internacional (FMI), que detém vasta informação sensível sobre a situação financeira de muitos países, foi alvo de um "complexo" ataque informático recente, noticia este sábado o 'New York Times'.
O Fundo Monetário Internacional (FMI), que detém vasta informação sensível sobre a situação financeira de muitos países, foi alvo de um "complexo" ataque informático recente, noticiou este sábado o 'New York Times'..
Segundo o diário, o ataque informático foi revelado em informação interna do FMI circulada na quarta-feira e foi considerado "complexo" e de dimensões ainda desconhecidas. "Trata-se de uma falha (de segurança) muito grande", disse ao New York Times um dos funcionários do FMI, que referiu que o ataque ocorreu ao longo dos últimos meses. David Hawley, porta-voz do FMI, referiu que o incidente está a ser investigado, mas que a instituição internacional opera em pleno". O FMI coordena os programas de resgate de Portugal, Grécia e Irlanda, tendo também em sua posse informação sensível sobre outros países, bem como outros dados que podem afectar os mercados.
"SÁBADO"

para andar a "toque de caixa"
Acordo político entre PSD e CDS está fechado
O acordo político entre PSD e CDS-PP está fechado. Para o fim-de-semana ficam reservados apenas alguns acertos para que na segunda-feira já haja fumo branco. Segundo o i apurou, "a missão está cumprida" e faltam apenas "algumas afinações finais" para que o documento político, que teve como base o acordo de 2002 de Durão Barroso, fique concluído.
As negociações políticas, base para a convivência entre os dois partidos no governo e no Parlamento, ficam assim encerradas antes de conhecidos os resultados finais das eleições no dia 15 de Junho. Já as negociações para elaborar o programa de governo devem acabar no início da semana. Cavaco Silva pediu urgência na formação do novo executivo e, dias antes de chamar a Belém os líderes partidários para poder indigitar Passos Coelho como primeiro-ministro, já vai ter um sinal de entendimento. Cavaco tem audiências marcadas com os cinco partidos com assento parlamentar na terça e quarta feira.
Também para esses dois dias estão marcados encontros entre os chefes de gabinete de Passos Coelho e José Sócrates, para passagem de testemunho. Os dois líderes não têm encontro marcado na agenda. Passos já escolheu o novo chefe de gabinete, Feliciano Barreiras Duarte, que o representará na reunião com Guilherme Dray, chefe de gabinete de Sócrates. Barreiras Duarte é actualmente chefe de gabinete de Passos no PSD.
"i"

não tínhamos abolido a escravatura????
Portugal, século XXI: há escravos 
levados das Beiras para Espanha
Os novos "negreiros" são famílias que encaminham indigentes para explorações agrícolas espanholas. 
Dormem acorrentados, passam fome e não recebem

A imagem de pessoas agrilhoadas, espalhadas pelo chão, espancadas, doentes e famintas remete o imaginário para outros séculos, quando navios sulcavam o Atlântico carregados de negros que, já na América ou na Europa, haveriam de trabalhar como escravos até morrerem. Mas não é aos séculos XVI ou XVII que este relato se refere. Nesta história, não há um oceano pelo meio. Não se salta de continente para continente. Há apenas Portugal e Espanha. Não foi há 300 ou 400 anos. Acontece nos dias de hoje. Há escravos portugueses em Espanha.
São 12 os escravos desta história e quatro os "negreiros". É uma história de miséria, de maldade premeditada. O relato do abandono a que estão votados os mais desfavorecidos. Um retrato de uma zona do país que muitos não sabem existir e em que, porventura, não vão acreditar. Mas é dele que fala o acórdão de 7 de Abril deste ano lavrado no Tribunal do Fundão, que resultou na primeira condenação de sempre por escravatura sentenciada em Portugal.
Há nesta história um grupo de pessoas más. Uma família (os pais nascidos em Portugal, o filho em Espanha, onde todos residem) que mantém ligações à Beira Baixa. Que corre as cidades, vilas e aldeias em demanda de gente pobre. De "indigentes", diz a Judiciária, referindo-se a um leque de homens de "fracos conhecimentos cognitivos", com "hábitos alcoólicos" e "provenientes de famílias desestruturadas".
António José Fortunato Maria, vulgarmente conhecido por "Tó Zé Cigano", é o principal membro da família esclavagista. Enquanto os seus pais estão em Espanha, na zona de Valladolid, ele ciranda de carro à procura de quem levar para as herdades espanholas, que precisam de mão-de-obra.
"PÚBLICO"

LEITORA OU LEITOR DO CORAÇÃO............ 
DA PEIDA

Obrigado por nos visitarem e sabemos que nos visitam por o afecto que dedicam a cada um dos nossos pensionistas. 
- Sabemos muito bem que "a peida é um regalo..." é um nome chocante, foi por isso que o escolhemos.
- Sabemos de nomes bonitos que caluniam, o nosso nome chocante não;
- Sabemos de nomes bonitos que são ordinários e grosseiros, o nosso nome chocante não;
- Sabemos de nomes bonitos tendenciosos, o nosso nome chocante não;
- Sabemos de nomes bonitos acagaçados, o nosso nome chocante não;
- Sabemos de nomes bonitos intriguistas e cuscovilheiros, o nosso nome chocante não;
- Sabemos de nomes bonitos e ignorantes, o nosso nome chocante não.


E, para si
LEITORA OU LEITOR DO CORAÇÃO......................
DA PEIDA,
 
já pensou que é a/o única/o mamífero QUE SE SENTA SOBRE A PEIDA... se é uma tão grande comodidade, embora não faça bem à saúde, porque NÃO HÁ-DE SER UM REGALO? 
Espreite os outros mamíferos e veja se eles tiram partido da peida como nós.
Acha que era melhor sermos caluniadores, ordinários, grosseiros, tendenciosos, acagaçados, intriguistas e cuscovilheiros do que sermos uma  
" PEIDA QUE É UM REGALO"?

Então Assuma-nos!!!

Divulgue-nos, nós merecemos essa atitude da sua parte, a vergonha é um mau princípio e não tem de se envergonhar de nós, lembre-se que se não tivesse PEIDA a sua vida não seria um REGALO, além disso preferimos este termo a Cú, Rabo, Sim senhor, Traseiro, Cagueiro, etc., nomes bem mais prosaicos grosseiros e ridículos.

Envie os seus artigos para:
  apxxdxdocorreio@gmail.com serão publicados na íntegra.

ABJEIAÇOS
Todos os Pensionistas

18 - FOTOJORNALISMO

 





 

27- ILUSTRES PORTUGUESES DE SEMPRE »»» josé pinto peixoto

JOSÉ PINTO PEIXOTO -  (1922 - 1996)

José Pinto Peixoto nasceu em 9 de Novembro de 1922 na aldeia de Miuzela, no distrito da Guarda. Estudou no Liceu Gil Vicente, em Lisboa, e em 1944 terminou a licenciatura em ciências matemáticas na Faculdade de Ciências da capital (FCUL). Em 1945 realizou um estágio no Instituto Geofísico Infante D. Luís, vindo a ingressar, no ano seguinte, no recém-criado Serviço Meteorológico Nacional (SMN).

Entre 1946 e 1952, Pinto Peixoto dedicou-se exclusivamente à física e à meteorologia. Em 1952 concluiu a licenciatura em Ciências Geofísicas e ingressou na FCUL como Assistente Extraordinário. Manteve, no entanto, uma actividade paralela no SMN onde deu formação e criou a Divisão de Estudos. Em 1954 uma bolsa da Academia das Ciências permite-lhe rumar ao Massachussets Institute of Technology (MIT) – uma das mais importantes instituições científicas mundiais – para trabalhar na equipa de Victor Starr. Starr foi responsável pelos primeiros estudos sistemáticos da circulação global da atmosfera e reuniu em torno de si um grupo de eminentes cientistas: Edward Lorenz, Pinto Peixoto, Barry Saltzman e Abraham Oort.

Estátua em homenagem ao Prof. Dr. José Pinto Peixoto 

Peixoto regressou a Portugal em 1956, mas manteria até ao seu desaparecimento uma estreita colaboração com a equipa do MIT e de outros centros de investigação nos EUA. Logo em 1958 o Ano Geofísico Internacional gerou uma grande quantidade de dados globais – é fundado o actual sistema de observação contínua. Pinto Peixoto faz então, com esses novos dados, o estudo do ciclo da água à escala global, produzindo os primeiros mapas de transporte global de água pela circulação atmosférica.

Em 1962 Starr e Peixoto estendem mesmo as suas investigações para além da atmosfera e sugerem que certos processos físicos atmosféricos podem ser aplicados ao estudo da dinâmica das galáxias. Posteriormente, nas décadas de 1960 e 1970 são desenvolvidos os actuais modelos de circulação global, utilizados na previsão meteorológica, cujo sucesso muito deve ao trabalho científico de Starr, Peixoto e seus colaboradores.
Entre 1969 e 1973 foi vice-Reitor da Universidade de Lisboa, assumindo a direcção do Instituto Geofísico em 1970. Fundou em 1975, com Luís Mendes Victor, o Centro de Geofísica. Para além da sua actividade intensa na Universidade de Lisboa, Pinto Peixoto ajudou ainda a criar novas instituições de ensino superior; casos da Universidade da Beira Interior e Nova de Lisboa. Foi também presidente da classe de ciências da Academia das Ciências de Lisboa, entre 1980 e 1996.

A partir de 1980 dedica muito do seu esforço à elaboração de uma síntese do seu trabalho de investigação. Essa síntese, realizada em colaboração com Oort, seria publicada na revista Reviews of Modern Physics (1984) e estaria na origem do livro Physics of Climate, publicado em 1992 – ainda hoje uma obra de referência neste domínio.

Pinto Peixoto publicaria igualmente vários livros de divulgação, sobre temas ligados ao clima e ao ambiente. Quando morreu, em 6 de Dezembro de 1996, deixou publicados mais de 50 artigos de investigação. Hoje, permanece como o único cientista da FCUL a quem foi erigida uma estátua no seu complexo do Campo Grande.

Publicações

On the global balance of water vapour and the hidrology of deserts, Tellus, 10 (1958), 189-194.
Hemispheric water balance for the IGY, Tellus, 17 (1965), 463-472.
Pole to pole divergence of water vapour, Tellus, 22 (1970), 17-25.
Atmospheric vapour flux computations for hydrological proposes, World Meteorological Organization Rep. No. 357 (1973), 83.
The control of the water cycle, Scientific American, 228 (1973), 46-61.
Le cycle de l’eau et le climat, La Recherche, 21 (1990), 570-579.
Certain basic atmospheric processes and their counterparts in celestial mechanics, Geofisica Pura e Applicata, 51 (1962), 171-183.
Global angular momentum and energy balance requirements from observations, Advances in Geophysics, 25 (1983), 355-490.
The annual cycle of energetics of the atmosphere on a planetary scale, Journal of Geophysical Research, 79 (1974), 2705-2719.
The annual distribution of atmospheric energy on a planetary scale, Journal of Geophysical Research, 79 (1974), 2149-2159.
Entropy budget of the atmosphere, Journal of Geophysical Research, 96 (1991), 10981-10988.
The climatology of relative humidity in the atmosphere, Journal of Climate, 9 (1996), 3443-3463.
Physics of climate, Reviews of Modern Physics, 56 (1984), 3, 365-429.
Physics of climate, American Institute of Physics, New York, 1992.

IN "http://cvc.instituto-camoes.pt/ciencia/p57.html"




MEALHADA


DISTRITO DE AVEIRO





A Mealhada é uma cidade portuguesa, situada no limite Sul do Distrito de Aveiro, região Centro e, desde 2008, à sub-região do Baixo Mondego (antes pertencia à sub-região Baixo Vouga), com cerca de 4 043 habitantes.[2] É o principal centro urbano da sub-região vinícola da Bairrada.


É sede de um município com 111,14 km² de área e 22 215 habitantes (2008)[pertence ainda à Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego. O concelho é subdividido por oito freguesias (Antes, Barcouço, Casal Comba, Luso, Mealhada, Pampilhosa, Vacariça e Ventosa do Bairro) o que se traduz numa densidade populacional de 164,4 hab./km².
O município de Mealhada tem duas vilas (Luso, Pampilhosa) e uma cidade (Mealhada).

O Concelho de Mealhada é subdividido em oito freguesias:

  • Antes freguesia criada em 23 de Abril de 1964 por desmembramento da freguesia de Ventosa do Bairro.
  • Barcouço freguesia que pertencia anteriormente ao extinto concelho de Ançã (Cantanhede) e que foi integrado no concelho a 31 de Dezembro de 1853 por troca pela freguesia de Tamengos (Anadia).
  • Casal Comba freguesia integrada no concelho em 4 de Julho de 1837 por decreto de D. Maria II.
  • Luso freguesia criada em 1837 por desmembramento da freguesia de Vacariça.
  • Mealhada freguesia criada em 24 de Junho de 1944 por desmembramento da freguesia de Vacariça.
  • Pampilhosa freguesia integrada no concelho a 31 de Dezembro de 1853 desanexada do concelho de Coimbra.
  • Vacariça freguesia que era sede o concelho homónimo e que foi extinto aquando da criação do concelho da Mealhada.
  • Ventosa do Bairro freguesia integrada no concelho em 4 de Julho de 1837 por decreto de D. Maria II.

História

.

Época Romana

.

Da presença romana no concelho destacamos o achamento de um marco miliário (que remonta ao ano de 39 d.C.) durante a construção da linha do norte ainda no século XIX (1856 ou 1857) que indicaria a milha 12 da via romana de Olissipo (Lisboa) a Cale (Vila Nova de Gaia), que seguiria pelo lado oeste do rio Cértima. Este achado encontra-se hoje em dia no átrio do edifício da câmara municipal.
Marco Miliário.
Também desta época é a estação arqueológica da Cidade das Areias situada na Vimieira (Casal Comba) que já é referenciada desde o século I por Estrabão e conhecida nos nossos dias desde 1959, no qual se pensa poder ter sido uma oppidum Elbocoris, ou pequena fortificação romana. Achados neste local datam dos séculos I a IV. Também no lugar de Barcouço foram encontrados alguns vestígios romanos como moedas e olaria.[3] Ainda referenciado em livros e páginas da internet, também nesta zona existiria uma estação de muda de cavalos ou mutatio denominada de Ad Columbam, talvez um nome antecessor de (Casal) Comba e, para além da Via OlissipoCale, também duas ramificações, uma dirigindo-se para a costa e outra virada para nascente que seguiria partindo da actual localização da cidade de Mealhada para Bobadela via Norte do Buçaco provavelmente seguindo a linha de divisão dos actuais concelhos de Mealhada e Anadia.

 .

Época Pré-reconquista

.

Monumento aos 1000 anos da Vacariça

 Do período compreendido entre a queda de Roma as invasões bárbaras e acabando no domínio árabe, as terras pertencentes ao concelho pouco ou nada têm a relatar, apenas se discute a possibilidade da denominação da localidade de Barcouço ser de origem árabe pela junção de bárr-, que significa campo, e causon, relativo a arco, ficando assim o significado de Campo do Arco.

.

Da Idade Média até ao séc XIX 

.

Seguindo a linha temporal, com a conquista de Coimbra em 878 por Hermenegildo Guterres, nobre da corte de Afonso III de Leão, as terras em que se insere o concelho ficam seguras para a reocupação cristã, mas no fatídico anos de 987 regressa a mãos árabes sendo apenas reconquistadas para os cristão a 1064 por Fernando Magno de Leão e Castela. Assim, as tentativas de reocupação suspensas por 77 anos foram retomadas com a instalação de vários mosteiros na zona onde o futura concelho se iria inserir, sendo os mais importantes o Mosteiro do Lorvão (Penacova), que a par com a Sé de Coimbra foi um dos maiores motores da região na época, e o Mosteiro da Vacariça, que estendeu o seu património para além dos rios Mondego, a sul, e Douro, a norte, tendo sido proprietário do Mosteiro de Leça e de terras da Maia. Os registos dessa época chegaram até nós através do Livro Preto da Sé (Velha) de Coimbra, dos registos do Livro dos testamentos do Mosteiro do Lorvão. Assim é a partir desta época que grande parte dos nomes e localização de grande parte das terras do concelho começam a surgir, em cartas de doação e documentação relativa a tributos, assim como a grande importância que o já desaparecido Mosteiro da Vacariça teve nas terras a Sul do Douro e Norte do Mondego. Para dar alguns exemplos temos referências a Vale Covo em 967, provavelmente antiga designação de Rio Covo (Barcouço); Vimieira em 967, nome actual da antiga villa romana aí existente; Villa Verde em 972 e 974, pela descrição, provavelmente antepassada da Mealhada ou de alguma das povoações à volta pois a referência é dada às margens do rio Vacariça entre Barrô (Luso) e Vimieira (Casal Comba) assim não ficam descartadas a Póvoa e o ReconcoVacariça e o seu Mosteiro são referenciados em 1002, Ventosa em 981; Arinhos (Ventosa do Bairro), Antes, Luso e Várzeas (Luso) e Santa Cristina (Vacariça) em 1064; Barcouço em 1116; Pampilhosa em 1117; Pedrulha (Casal Comba) em 1123; Sernadelo (Mealhada) em 1140 mas apenas como local de cultivo, não como povoação; muitas outras referências foram feitas

Gentílico Mealhadense
Área 111,14 km²
População 22 215 hab. (2008[1])
Densidade populacional 200 hab./km²
N.º de freguesias 8
Presidente da
Câmara Municipal
Carlos Cabral
Fundação do município
(ou foral)
1514-foral; 1836-concelho
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Baixo Mondego
Distrito Aveiro
Antiga província Beira Litoral
Orago
Feriado municipal Quinta-feira de Ascensão
Código postal 3050
Endereço dos
Paços do Concelho
Largo do Municipio 3054-001 Mealhada
Sítio oficial http://www.cm-mealhada.pt
Endereço de
correio electrónico
gabpresidencia@cm-mealhada.pt

Fotomontagem da paisagem a partir do miradouro da Cruz Alta (Buçaco
desde Souselas até Pampilhosa.
Assim, e segundo estes documentos, as terras hoje pertencentes ao concelho foram propriedades destes mosteiros, da Sé de Coimbra e ainda de particulares.

Só a 12 de Setembro de 1514 Mealhada e Vacariça recebem foral por D. Manuel I, mas as terras do actual concelho permaneceram sob jurisdição do Bispo de Coimbra, assim o actual território pertenceu aos concelhos medievais de Coimbra (Pampilhosa), Vacariça (Vacariça, Mealhada e Luso) e Casal Comba e Ventosa (Ventosa e Antes).
Em 1628 estabelece-se no Buçaco uma comunidade de frades carmelitas, ali edificando o convento de Santa Cruz do Buçaco e inúmeras ermidas e capelas de penitência, que são hoje o património classificado do concelho. A Ordem dos Carmelitas Descalços ali permaneceu durante duzentos anos até à sua extinção em 1834.
.

Criação do Concelho e Organização Administrativa

.

No século XIX, com as grandes reformas liberais foi criado o actual concelho da Mealhada no reinado de D. Maria II.[5] Criado a 6 de Abril de 1836 era constituído pelas freguesias de Casal Comba, Ventosa, Tamengos e Aguim sendo que Mealhada foi sede de concelho e pertencia à freguesia de um concelho vizinho, o da Vacariça, que, na altura da sua extinção em 1837 detinha as freguesias de Vacariça, Luso e Vila Nova de Monsarros que passou a pertencer ao concelho de Anadia. Ainda em 31 de Dezembro 1853 passaram para o concelho as freguesias de Pampilhosa, desagregada do concelho de Coimbra, e a de Barcouço, vinda do extinto concelho de Ançã (Cantanhede), saindo por sua vez Aguim e Tamengos para o concelho de Anadia. Com o formato com que ainda hoje permanece o concelho veria a sede de concelho a elevar-se a freguesia em 24 de Junho de 1944, desanexada da freguesia de Vacariça e ainda a freguesia de Ventosa a dividir-se e a criar a freguesia da Antes a 23 de Abril de 1964 ficando assim administrativamente como até hoje.
Paços do Concelho

Ligado sempre a Coimbra, a atribuição entre os distritos de Aveiro e Coimbra foi conflituosa, sendo a Mealhada integrada no de Aveiro entre 1836 e 1842, ano em que mudou para Coimbra, mas a troca pelo concelho de Mira voltaria a pôr o concelho de volta no distrito de Aveiro em 1855, onde ainda permanece, configurando-lhe o aspecto de “península” embrenhada no distrito de Coimbra.
Luso foi elevada a Vila em 6 de Novembro de 1937.
Pampilhosa foi elevada a Vila em 9 de Junho de 1985.
Mealhada foi elevada a Cidade em 26 de Agosto de 2003.

WIKIPÉDIA


Cultura

Com cerca de 21700 habitantes residentes, o concelho da Mealhada possui algumas boas estruturas culturais onde se destaca um excelente Cine Teatro, um museu de História Militar, um velho Casino, vilas e construções do inicio do século dignas de registo e um património classificado coincidente com o antigo Convento de Santa Cruz do Buçaco.
Palace Hotel do Bussaco - Mealhada.


Alguma arqueologia industrial, restos do que foi um importante entroncamento ferroviário quando os expressos marcaram o tempo romântico das primeiras velocidades, referências históricas a um velho e importante Mosteiro como foi o da Vacariça e mostras etnográficas espalhadas um pouco pelas freguesias fazem parte duma herança cultural nem sempre muito visível mas profundamente enraizada na tradição popular.
O associativismo é uma palavra com sentido no concelho e muitas são as colectividades que dão corpo e movimento a uma área que mexe permanentemente.
Duas associações filarmónicas e oito agrupamentos folclóricos são reflexo desta vitalidade. Concertos, festivais, núcleos museológicos, escolas de música, são facetas desta tradicional participação do tecido humano municipal na vida colectiva e manifestando a expressão e a alegria dum povo que bebeu a sua cultura entre a urbe de Coimbra, a dois passos, as encostas do Buçaco, com a sua Romaria da Ascensão e a terra da Bairrada que se espraia pelas margens do rio Cértima até á Pateira de Fermentelos.

Cine-Teatro Messias
Uma associação de Carnaval com diversos grupos participantes, um grupo coral, um grupo de teatro amador, um grupo ambiental, são, entre outras, algumas referências no município actual, onde se podem visitar frequentemente, quer na sede do concelho, quer em algumas freguesias como o Luso ou Pampilhosa, exposições sobre os mais variados temas.


TERMAS DO LUSO


Costa Simões, Francisco Dinis e Assis Leão






































Das bucólicas tardes de verão que fizeram no principio do século o romantismo das termas resta a saudade, mas as nascentes, ainda que direccionadas para outras áreas do turismo e do lazer em simultâneo com algumas funções curativas que lhes restam, continuam a fazer brotar das entranhas, águas diversas, preparadas no laboratório natural dos aquíferos para beber ou para banhos, consoante as virtudes curativas de cada uma delas.

Falar das Termas do Luso, da sua história e da evolução das suas águas, é remontar ao longínquo ano de 1726 e aí, dum aquilégio medicinal da autoria do Dr. Francisco da Fonseca Henriques retirar a primeira notícia conhecida da existência de hum olho de agoa quente, a que chamam o Banho, localizado no lugar de Luso. Quarenta e nove anos depois, em 1775, é o médico José António de Morais, da Lameira de S. Pedro, que redescobre as virtudes terapêuticas da água, curando duma moléstia, diz a história, a Rainha D. Maria I. Já as virtudes da água tinham curado a plebe na pessoa duma tal Ana de Anadia, sarada pelo milagre dos banhos duns tubérculos existentes na pele.
Em 1838, a Câmara Municipal da Mealhada mandou edificar ao redor da nascente uma casa de alvenaria e em 1850, Costa Simões pressionou o Governo Civil de Coimbra que aprovou a primeira planta do edifício dos Banhos do Luso, com o qual a Câmara da Mealhada pediu autorização à Corte para contrair um empréstimo de mil reis para executar a obra. Na altura, visitou a Mata do Buçaco a Rainha D. Maria II que duou 100$000 reis para as novas instalações.

Finalmente a 25 de Agosto de 1852, por iniciativa de António Augusto da Costa Simões, Francisco António Diniz e Alexandre Assis Leão, foi fundada a Sociedade para o Melhoramento dos Banhos de Luso que deu lugar á actual concessionária.

Nestas linhas simples e rectilíneas duma história breve, se encadeiam mil e outras história onde o factor humano tem um papel preponderante, onde se misturam drama e jubilo, a alegria e a tristeza e a vida nativa de vocação hoteleira que foi viveiro e alforge da industria nacional.

O Turismo, esse grande vector económico dos dias que correm, começou praticamente aqui e noutras termas semelhantes a par duma hotelaria de prestígio que teve berço e nascença através de homens como o suiço Paulo Bergamim ou o português Alexandre Almeida, pioneiros duma industria que nasceu em Portugal pela mão inovadora de apostadores em novos desafios que fizeram da travessia do século passado a sua nave de experimentação, base do Portugal turísticos dos nossos dias.

O Estoril, Lisboa e mais tarde o Algarve, recolheram e prosperaram com o esforço e saber de gentes das terras da Mealhada, mestres de experiência feita, do bem fazer, do bem servir, fruto da delicadeza das termas e da qualidade dos serviços que foi apanágio desses tempos pioneiros.

Os clubes de ténis, os Grémios, as salas de leitura, os casinos, os teatros, foram extensões de investimentos dirigidos, em muitos casos, á frequência das termas, numa belle époque plena de servilismo por um lado, e de lições, por outro.
Dos escombros de muitas imagens que ficaram, resta a saudade por um lado, e por outro renascem os desafios que exigem a reactivação e a recuperação destes espaços idílicos, agora direccionados para outras gentes e outras necessidades, catapultados pelo marketing e pelo rigor económico, mas sempre na procura das pessoas e das suas exigências.
Por isso se pensa hoje nas Termas do Luso de amanhã. Não no remanso investidor duma família clássica, mas na valorização constante dum investimento atractivo, compensatório, numa perspectiva de empresa e de remuneração das acções.
Termas clássicas, termas á base de água, tratamentos de pele, curas de emagrecimento, combate ao stress, simplesmente repouso ou esse grande palavrão chamado SPA, o que serão as termas amanhã ?


MATA DO BUÇACO


O lado verde da vida tem na Mata Nacional do Buçaco um dos seus mais fascinantes recantos.
A Floresta do Buçaco é um bosque espesso, muitas vezes secular, onde as árvores têm porte gigantesco e são ricas em essências, perfumes e fulgor. Cedros, abetos, sequóias, tílias, ulmeiros, loureiros, faias, rodoendros, fetos gigantes, acácias e freixos, provenientes da América, da Austrália, dos Himalaias ou de tantos outros locais do Mundo, plantadas e cuidadas por gerações de monges Carmelitas Descalços que viveram, em clausura e contemplação por mais de 200 anos, entre 1630 e 1834, neste magnífico altar da Natureza, sagrado e protegido por bula do Papa Urbano VIII de 1634.
Pela floresta, ao correr dos caminhos, há uma transparência de luz e frescura de sabor místico quase divino, há ermidas que evocam os Passos da Via Sacra, capelas votivas, alguns tugúrios, outrora refúgios dos frades em meditação, pequenos lagos e muitas fontes.

Há essa maravilha que se chama o Vale dos Fetos e aquele sítio idílico que é a Fonte Fria, ou no cimo da colina sagrada, o miradouro da Cruz Alta, com admirável panorama da floresta a guardar no seu coração o Convento das Carmelitas e o sumptuoso Palace Hotel do Buçaco, outrora residência de reis e que nos nossos dias recebe Homens de Estado e quem, na busca da tranquilidade, tem o gosto de se acolher num dos mais belos hotéis românticos da velha Europa.

GASTRONOMIA

O Leitão Assado à Bairrada


Uma delícia única. Um manjar digno dos deuses !!!!
Amarelo e apaladado por séculos de tradição, o leitão da Mealhada é a maior riqueza gastronómica do concelho.
Com o peso em vivo a oscilar entre os 6 e os 10 quilos, um mês, mês e meio de idade, o leitão sai do leite materno para se transformar numa iguaria impar que chama á fileira da estrada nacional 1, que percorre o concelho de norte a sul, milhares de veneráveis apreciadores.
Temperado á boa maneira da tradição, enfiado no espeto durante duas horas em forno a lenha pelas mãos de especialistas nas voltas e mais voltas da sua confecção, amarelo como ouro na sua pintura a calor lento, o leitão é verdadeiramente um manjar divino, apreciado pelos inúmeros adoradores na verdadeira sala de jantar de Portugal, a Mealhada.
Acompanhado pelo não menos saboroso pão da Mealhada, de fabrico tradicional e pelos bons vinhos dos produtores locais…

( Receita Conventual de 1743, compilada por António de Macedo Mengo )


Pelado e aberto por uma ilharga, se lhe tirem as tripas e a fressura... e também picarão toucinho e umas cabeças de alho, cravo inteiro e pizado, pimenta inteira e pizada, cuminhos, sal, folha de louro, um pouco de vinho e algum vinagre. Mexa-se tudo isto muito bem, e se metta dentro do leitão, de sorte que não leva môlho; e cosendo a abertura, espetarão o leitão em espeto de pau, e o untarão com manteiga de porco.

Isto feito, ponha-se a assar, que será devagar, e emquanto se for assando se tirará fóra algumas vezes para tomar ar e côr. E, quando começar a levantar empollas na pelle, se lhe irá dando com um panninho molhado com água e sal.

Quando estiver assado, o que commummente leva duas horas, terá então os couros bem córados e vidrentos; e logo se porá na ponta de um espeto um pedaço de toucinho, que assando-o se irá pingando com elle o leitão. E depois de bem pingado irá á mesa, servindo-se com laranja, pimenta e sal.
  
Rota do Vinho da Bairrada

Situada no coração duma Bairrada vinhateira de grande qualidade, ao que alia uma riqueza gastronómica impar, a Mealhada faz parte dessa jovem instituição que se chama Rota do Vinho da Bairrada e honra-se de ver aberto o seu primeiro posto informativo nas instalações da antiga Destilaria da Junta Nacional do Vinho, um imóvel recuperado para ser palco previlegiado da promoção dos seus produtos.

Outros lugares são no entanto de visita obrigatória para os ‘chamados’ adoradores do vinho, e esses locais são precisamente as vinhas, as caves ou as adegas dos seus primeiros aderentes, os verdadeiros santuários onde se cria e faz a volumetria do néctar final.

Assim, é sempre de aconselhar uma passagem pelas Caves Messias no coração da vila da Mealhada, ou pela renovada Quinta do Valdoeiro, na freguesia da Vacariça, vinhedos que se estendem entre as povoações do Travasso e Quinta do Valongo, ou ainda pela Adega Cooperativa da Mealhada e pelo antigo solar da Quinta do Carvalhinho, em Ventosa do Bairro, para ali tomar o gosto e o aroma com que se ama o vinho da Bairrada no berço dos aderentes do concelho.

Em plena Rota, haverá porventura sensação melhor que viajar pela candura da terra fértil, pela sombra dos pinhais frondosos, pela secularidade da mata do Buçaco que se abre em paisagens de suaves declives e vastos horizontes? Tudo nos sugere que deixemos o mundo correr e façamos uma pausa para desfrutar a natureza que aqui tão amplamente se manifesta... Aqui, onde o tempo, a riqueza e a diversidade geológica dos solos bairradinos, dão azo a que se produza uma tão grande variedade de vinhos, distintos entre si e os demais.

Sejam eles tranquilos ou espumantes, todos acompanham famosamente a culinária tradicional e merecem ser bebidos na região, para aí lhes tomar o gosto e conhecer a nobreza da personalidade.

IN "SITE DO MUNICÍPIO DA MEALHADA"