quinta-feira, 2 de junho de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


ALEMÃES
UM POVO MUITO ESTRANHO


video

Amit Sood

Construindo um museu de museus na web



Imaginem que podiam ver obras de arte nos maiores museus do mundo sem saírem da vossa cadeira. Motivado pela sua paixão pela arte, Amit Sood conta a história de como desenvolveu o "Art Project" para que as pessoas pudessem fazê-lo.

1 - PACÍFICAMENTE





AS  PIRAMIDES  DE  GIZÉ

ALMORRÓIDA COMISSÁRIA



Comissão Europeia gastou milhões 
em festas e jactos privados

Ao mesmo tempo que pedia aos 27 para reduzirem custos por causa da crise, a Comissão Europeia gastou oito milhões de euros em jactos privados, festas "cocktail" e férias em resorts de luxo em locais exóticos. Durão Barroso gastou 28 mil euros em quatro noites em Nova Iorque.

As estadias na Papua Nova Guiné, Gana ou Vietname, para onde até levaram as suas famílias, chegaram a incluircomitivas de 44 pessoas. Já Durão Barroso, para passar quatro noites em Nova Iorque, em 2009, com os seus oito assistentes, pagou 28 mil euros.
Estes dados foram divulgados pelo jornal britânico “Daily Telegraph”, que cita uma investigação do Bureau of Investigative Journalism, uma iniciativa sem fins lucrativos que se dedica a promover a investigação jornalística. De acordo com os dados recolhidos, só em viagens de avião privadas para os comissários foram gastos 7,5 milhões de euros, entre 2006 e 2010.

Só em festas de luxo foram gastos 300 mil euros, incluindo uma em Amesterdão – que custou 75 mil euros – que foi descrita como “cheia de maravilhas como nenhuma outra”. Para estes eventos eram contratadas orquestras de topo, e ofereciam-se aos oradores de vários eventos jóias da prestigiada marca Tiffany. Em algumas deslocações, os comissários eram ainda transportados em limusinas, o que teve um custo de 110 mil euros.

Durão Barroso fez um gasto de 28 mil euros no hotel New York Península em Setembro de 2009, onde as suites custam 780€ por noite, aquando da participação na Cimeira da ONU para as Mudanças Climáticas. O limite para a estadia em Nova Iorque está definido, nos regulamentos da Comissão, em 275€ por noite. Contactada, a Comissão considerou que o valor é razoável porque os preços foram inflacionados pela Cimeira.

O jornal afirma que a divulgação dos dados causou uma onda de críticas no Reino Unido, e vários ministros de David Cameron terão reagido “furiosamente” aos gastos extravagantes. O ministro britânico para a Europa, David Lidington, disse que “é bastante evidente que a Comissão Europeia pode poupar antes de vir pedir aos governos mais dinheiro”.

A Comissão Europeia decidiu aumentar em 4,9% o seu orçamento para 2012 face ao actual, o que só no Reino Unido vai significar um aumento de três mil milhões de euros em impostos.

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
02/06/11


CARO ELEITOR DIPLOMADO



(clique para ampliar)

NUNO MOREIRA



A "Troika"... um retrocesso 
   na Prevenção da Corrupção 
                          nas Autarquias?


Desde data relativamente recente a prevenção do risco de corrupção nos municípios mereceu particular atenção, concretamente, a partir da criação em Portugal do Conselho de Prevenção de Corrupção (CPC).

O CPC, entidade administrativa independente que funciona junto do Tribunal de Contas, tem como fim desenvolver, nos termos da lei, uma actividade de âmbito nacional no domínio da prevenção da corrupção e infracções conexas (artigo 1º da Lei nº 54/2008). Este Conselho, aprovou uma Recomendação, em 1 de Julho de 2009, sobre "Planos de gestão de riscos de corrupção e infracções conexas", a qual refere que "Os órgãos máximos das entidades gestoras de dinheiros, valores ou patrimónios públicos, seja qual for a sua natureza, devem, no prazo de 90 dias, elaborar planos de gestão de riscos e infracções conexas."

Tais planos devem conter, nomeadamente, os seguintes elementos:

a) Identificação, relativamente a cada área ou departamento, dos riscos de corrupção e infracções conexas;

b) Com base na identificação dos riscos, identificação das medidas adoptadas que previnam a sua ocorrência (por exemplo, mecanismos de controlo interno, segregação de funções, definição prévia de critérios gerais e abstractos, designadamente na concessão de benefícios públicos e no recurso a especialistas externos, nomeação de júris diferenciados para cada concurso, programação de acções de formação adequada, etc.);

c) Definição e identificação dos vários responsáveis envolvidos na gestão do plano, sob a direcção do órgão dirigente máximo;
d) Elaboração anual de um relatório sobre a execução do plano.

No caso concreto dos municípios, a própria Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), elaborou, subsequentemente, um Plano-Tipo de auxílio à elaboração dos referidos planos.

Os serviços públicos são estruturas em que, naturalmente, também se verificam riscos de gestão de todo o tipo, e, particularmente, riscos de corrupção e infracções conexas. Como sabemos, a corrupção constitui-se como um obstáculo fundamental ao normal funcionamento das instituições, produzindo efeitos, essencialmente, na qualidade da democracia e do desenvolvimento económico e social.

Pela listagem actualizada com regularidade pelo CPC, das entidades que cumpriram com a recomendação, independentemente do momento em que o fizeram (cumprimento ou não do prazo inicial dado), constatamos que actualmente os municípios responderam na sua grande maioria a esta missiva, tendo enviado e/ou disponibilizado na internet o documento (Plano de Prevenção da Corrupção) entretanto elaborado.

Compreende-se facilmente que, desde logo por razões políticas e atendendo ao objectivo muito sensível dos referidos "planos" (a prevenção da Corrupção), os responsáveis autárquicos sentiram-se incentivados a incluir o seu município naquela listagem do CPC, no sentido de sinalizar, publicamente, a sua preocupação com a prevenção da Corrupção. Até porque, muitos deles, encontram-se já em final de mandato e perceberam rapidamente que seria útil terminá-lo, associados a medidas desta natureza.

1. Mas será que as autarquias cumpridoras elaboraram planos de prevenção de corrupção adaptados às suas próprias especificidades e realidade organizacional?

2. Será que as intenções e medidas que constam dos planos elaborados já saíram do papel?

Respondendo à primeira questão, pela análise de alguns destes planos, de norte a sul do país, podemos facilmente constatar que não. Houve uma tendência generalizada para os aproximar (apenas) do plano-tipo da ANMP, abstraindo-se muitas vezes da própria realidade. Por outro lado, houve ainda um inequívoco receio de identificar alguns riscos e, em especial, de os graduar, quando aplicável, como "frequentes" ou "muito frequentes"; foi habitual a identificação de riscos de corrupção "pouco frequentes", normalmente, completamente mitigados pelas medidas propostas.

No que respeita à segunda questão, e apesar do referido na primeira, seria injusto afirmar que os diversos autarcas não têm tentado implementar efectivamente algumas medidas.

Contudo, em especial nos municípios de pequena e média dimensão, os respectivos autarcas têm sentido limitações internas que decorrem essencialmente de uma deficiente implementação prévia de Sistemas de Controlo Interno adequados, bem como, de um patamar organizacional não coerente com as necessidades de implementação do plano elaborado.

Sendo o risco de Corrupção dos mais difíceis de mitigar, é também verdade que é através de um adequado e efectivo Sistema de Controlo Interno, que se poderá atingir um bom nível de mitigação deste risco. Temos hoje em dia algumas referências /frameworks internacionais, as quais não deixam de constituir as melhores práticas internacionais nesta área do Controlo Interno, onde as nossas Organizações (públicas e privadas) se podem suportar para, elas próprias, implementarem um adequado Sistema de Controlo Interno.

Por outro lado, temos que estar conscientes que um adequado Sistema de Controlo Interno pode implicar formação adicional, reestruturação de serviços e processos, melhoria de sistemas contabilísticos, informáticos, etc., algumas vezes, com recurso a consultores externos.

Ou seja, exigirá necessariamente mais recursos financeiros e humanos.

E, certamente, não será agora, com o memorando de entendimento da Troika, que os municípios conseguirão obter recursos adicionais, antes pelo contrário. Pelas medidas anunciadas pelo FMI/BCE/UE já sabemos que estes serão cada vez mais reduzidos, nomeadamente:

* Redução de funcionários, estimando a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) que será necessário a redução de cerca de 2600 funcionários;
* Redução das transferências para as Autoridades Locais e Regionais em, pelo menos 175 milhões de euros, tendo em vista a contribuição deste subsector para a consolidação orçamental.

Tendo presente que a obrigatoriedade de Sistemas de Controlo Interno por parte das Autarquias já existe desde 1999, com a aprovação do Plano Oficial de Contabilidade das Autarquias Locais (POCAL), é de lamentar que nunca tenha sido adequadamente valorizada a importância da sua implementação efectiva e abrangente. Algo que poderia ter vindo a ser feito de uma forma gradual, com a necessária repartição de recursos ao logo da última década, no sentido de colocar agora o poder local num nível organizacional facilitador da implementação deste tipo de sistemas de controlo, cumulativamente, mitigadores do risco de corrupção.

É de lamentar que só muito mais tarde, em período de franca austeridade se comece a perseguir algo que, em verdade, poderá agora estar desde logo comprometido.

Depois de um claro avanço com a criação do CPC em Portugal, não tendo as autarquias, atempadamente e desde a aprovação do POCAL, implementado Sistemas de Controlo Interno adequados, muito provavelmente estaremos agora num evitável impasse na Prevenção da Corrupção, em especial, no poder local.

Obviamente, a culpa não é da Troika....é nossa! Foi necessário termos sido confrontados agora com uma limitação efectiva de recursos, para tomarmos consciência que deveríamos ter avançado (muito) mais cedo para um nível organizacional mais evoluído nos nossos municípios, nomeadamente, que nos permitisse, presente e futuramente, uma maior eficácia na prevenção da Corrupção.

IN "VISÃO"
26/05/11

 Para avivar a memória  a quem, por norma, não anota!!!


 EIS A LISTA 
:

Fernando Nogueira:
 

Antes -Ministro da  Presidência, Justiça e Defesa

Agora - Presidente do  BCP Angola
 

-------------------------------------------------------------

José de Oliveira e Costa:
(O TAL QUE ESTEVE NA GAIOLA)

Antes  -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais (que perdoou as dívidas dos amigos) "é do PSD e amigo do sr Presidente da República"

Agora  - EX-Presidente do Banco Português de Negócios  (BPN)


--------------------------------------------------------------------------------

Rui  Machete:
  (AGORA NINGUÉM O OUVE)

Antes - Ministro dos Assuntos  Sociais

Agora - Presidente do Conselho Superior do  BPN; (o banco falido, é só gamanço)

Presidente do Conselho Executivo da  FLAD 

------------------------------------------------------------------------------

Armando Vara:
(AQUELE A QUEM O SUCATEIRO DAVA CAIXAS DE ROBALOS)

Antes - Ministro adjunto do   Primeiro Ministro

Agora - Ex Vice-Presidente do  BCP
  (demissionário a seu pedido, antes que levasse um chuto no sim-senhor. Mantém outros "tachos"



----------------------------------------------------------------------------------------------

Paulo Teixeira Pinto:
  (o tal que antes de trabalhar já estava reformado)

Antes - Secretário  de Estado da Presidência do Conselho de  Ministros
Agora - Presidente do BCP (Ex. - Depois de  3 anos de 'trabalho', 

Saiu com 10 milhões de  indemnização !!! e mais 35.000EUR x 15 meses por ano até  morrer...)
-----------------------------------------------------------------------------------

António Vitorino:
 

Antes -Ministro  da Presidência e da Defesa

Agora -Vice-Presidente da  PT Internacional; 

Presidente da Assembleia Geral do  Santander Totta

----------------------------------------------------------------------------

Celeste Cardona:
(a tal que só aceitava o lugar na Biblioteca do Porto se tivesse carro e motorista às ordens - mas o vencimento era muito curto)  

Antes -  Ministra da Justiça

Agora - Vogal do CA da  CGD
  (QUE MARAVILHA - ORDENADO PRINCIPESCO - O ZÉ PAGA)
------------------------------------------------------------------------------

José Silveira Godinho:
 

Antes - Secretário  de Estado das Finanças

Agora - Administrador do  BES
(VIVA O LUXO)
--------------------------------------------------------------------------------

João de Deus Pinheiro:
(aquele que agora nem se vê)

Antes - Ministro da  Educação e Negócios Estrangeiros

Agora - Vogal do CA  do Banco Privado Português (O TAL QUE DEU O BERRO).
 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Elias da  Costa:
 

Antes - Secretário de Estado da Construção e  Habitação -

Agora - Vogal do CA do  BES (POIS CLARO, AGORA É BANQUEIRO)


--------------------------------------------------------------------------------------------------

Ferreira do Amaral:
(O ESPERTALHÃO, QUE PREPAROU O TERRENO)

Antes - Ministro das  Obras Públicas (que entregou todas as pontes a jusante  de Vila Franca de Xira à Lusoponte)

Agora -  Presidente da Lusoponte, com quem se tem de renegociar o  contrato (POIS CLARO, À TRIPA FORRA).
 

ENGRAÇADO: Porque é que só são nomes ligados ao PS, PSD e CDS???
Apenas coincidências........eh eh eh

AOS TRABALHADORES POR 
CONTA DE OUTREM 
EM PORTUGAL

"ACORDO COM A TRÓIKA"
VAI ACONTECER EM JULHO

* PODE SER DESPEDIDO POR INADAPTAÇÃO AO TRABALHO (MESMO QUE ANDE HÁ VINTE ANOS A FAZÊ-LO)

* POR CADA 100 EUROS DE INDEMINIZAÇÃO PASSA A  RECEBER 33 EUROS 

* O SUBSÍDIO DE DESEMPREGO É PAGO APENAS POR UM ANO


Assinaram PS, PSD e CDS, ainda vai votar neles???


8– SEGREDOS OBSCUROS

ALMORRÓIDA CAMPESINA



Agricultores portugueses 
são os mais velhos da Europa


É homem, tem 63 anos e a quarta classe. Este é o retrato-tipo do agricultor português, o que torna Portugal no país europeu com agricultores mais velhos e com menor número de jovens a trabalhar nos campos: apenas 2,5% têm menos de 35 anos.

O último recenseamento agrícola do Instituto Nacional de Estatística (INE), publicado este ano, dá conta do envelhecimento acelerado: quase metade dos agricultores portugueses (48%) tinha, em 2009, mais de 65 anos.

Na União Europeia (UE), os agricultores mais velhos representam apenas 34% do total e os mais novos rondam os 7%, de acordo com o Conselho Europeu de Jovens Agricultores.

Em 2009, a população agrícola familiar, onde se inclui o produtor agrícola e a sua família, totalizava 793 mil pessoas, ou seja, 7% de portugueses.

Mas entre 1999 e 2009, a população rural "envelheceu consideravelmente", diz o INE. A média de idades passou de 46 para 52 anos e as faixas etárias mais jovens perderam importância: actualmente apenas um terço da população rural tem menos de 45 anos, o que representa um decréscimo de 11%.

O Algarve é a região com população mais envelhecida, com uma média de idades de 58 anos, enquanto os Açores se situam no extremo oposto, com uma média de 42 anos.

A nível dos produtores agrícolas, a média de idades ronda os 63 anos, mais 11 anos do que a da população agrícola em geral.

Apenas quatro em dez pessoas da população agrícola familiar frequentaram o primeiro ciclo e 22% não possuem qualquer nível de instrução. Apesar de tudo, o INE destaca "melhorias significativas, pois a taxa de analfabetismo baixou 7% face a 1999 e a frequência do ensino secundário e superior aumentou 3%.

Cada elemento da população agrícola familiar trabalha em média 15 horas por semana, mas o tempo de trabalho do produtor agrícola é superior chegando às 22 horas por semana.

O agregado familiar é constituído por menos de três indivíduos e o rendimento provém maioritariamente de pensões e reformas.

O envelhecimento reflecte-se também no desinteresse pela actividade. Em dez anos, Portugal perdeu um quarto das suas explorações agrícolas. Em 2009 existiam 305 mil explorações agrícolas, menos 111 mil do que em 1999.

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
02/06/11

Passos Coelho em Contradições II






Haverá quem queira entregar a gestão do País a alguém que confunde um telefonema com um encontro pessoal na Residência Oficial do Primeiro -Ministro?

QUIM BARREIROS


Passos Coelho em Contradições I





Um discurso em Portugal. 
Outro em Bruxelas. 
Contradições ao mais alto ou baixo nivel????

5 - ESCULTURAS DE GELO EM HARBIN











PISCINA EM BERLIM


video

7 – MODELOS A DORMIR




5 - A M I G O S






4 - TERRA >>> UM OÁSIS CÓSMICO
 





 

TENHA UM BOM DIA....



... os políticos não precisam 
                          de fazer greve, 
                                      têm tudo!!!



COMPRE JORNAIS

andam a aldrabar
Governo prometeu "corte significativo" 
da TSU ao FMI
O governo português comprometeu-se com o Fundo Monetário Internacional (FMI) a fazer um "corte significativo" das contribuições das empresas para a Segurança Social (taxa social única), confirma a carta de intenções enviada por Portugal ao FMI, divulgada ontem. Este compromisso aparece pela primeira vez com a assinatura de dois altos responsáveis portugueses - o ministro das Finanças e o governador do Banco de Portugal - e contraria as garantias de um corte "pequeno" e "gradual" dadas por José Sócrates durante a campanha eleitoral.
"Um objectivo crítico do nosso programa é melhorar a competitividade", asseguram o governo e o Banco de Portugal ao FMI, numa passagem realçada a negrito. "Isto vai envolver uma redução significativa [''major reduction''] nas contribuições sociais dos empregadores", garante Portugal pela mão do ministro das Finanças e do governador do BdP.
Este compromisso aparece num anexo à carta, o Memorando de Política Económica e Financeira, documento que reúne os principais objectivos e políticas económicas acordadas com o FMI. A expressão "major reduction" constava na versão preliminar (3 de Maio) do Memorando, tendo sido retirada nas versões posteriores. Uma versão mais vaga daria ao próximo governo uma eventual margem para negociar a magnitude da medida que foi uma imposição do FMI e não da União Europeia (como admitiu esta semana Maria João Rodrigues, conselheira da Comissão Europeia).
"i"

justo
Estagiários passam a ter subsídio de 419 euros
Os estágios profissionais com duração superior a três meses passarão a ser obrigatoriamente remunerados e a descontar para a Segurança Social. Os estágios não remunerados passam a ser proibidos.
A medida está prevista no diploma hoje publicado, que entra em vigor na próxima segunda-feira para a generalidade dos estagiários e em Setembro para os estágios obrigatórios para aceder a determinadas profissões. Tanto uns como outros passarão a ter direito a um subsídio de estágio no valor mínimo de 419,22 euros (correspondente ao indexante dos apoios sociais), a subsídio de refeição e a seguro.
Além disso, todos os estágios não podem ter uma duração superior a 12 meses nos casos normais e a 18 meses quando está em causa o acesso a determinada profissão e têm que ser sujeitos a um contrato escrito. Os estagiários têm que obrigatoriamente ter um orientador na empresa e entidade e passam a descontar para a Segurança Social. Os descontos já tinham sido estabelecidos em legislação anterior relativa aos estágios profissionais subsidiados pelo Estado e agora é estendida a todos os estágios, frisou à Lusa o secretário de Estado do Emprego, Valter Lemos.
"PÚBLICO"

força
Favoritas mesmo sem Jessica
Apesar de não poder contar com Jessica Augusto, de luto por morte do pai, a Seleção Nacional feminina tem boas possibilidades de voltar a ganhar a Taça da Europa de 10.000 m que se realiza sábado em Oslo. Com Dulce Félix e Sara Moreira(na foto) a lutarem pela vitória individual, a Seleção terá de contar depois, para a luta coletiva, com uma das três restantes atletas – Filomena Costa, Doroteia Peixoto ou Mónica Silva –, qualquer delas gastando normalmente mais dois minutos que as melhores (a classificação é feita pela soma dos três melhores tempos de cada equipa).
Estão inscritas 38 atletas mas apenas cinco países com um mínimo de três elementos: para além de Portugal, Bielorrússia, Espanha, Itália e Turquia. Além de Dulce e Sara, há mais três atletas com menos de 32 minutos como recorde pessoal: a francesa Christelle Daunay, a alemã Sabrina Mockenhaupt e a húngara Kriztina Papp. Mas não são menos candidatas a turca Alemitu Bekele, campeã europeia de 5.000 m, e a britânica Helen Clitheroe, recente campeã europeia de 3.000 m em pista coberta, com 37 anos.
"RECORD"

será feminismo???
30 raparigas em prisões de menores
Número de jovens internadas em centros educativos subiu 30% num ano, mais do que de 2008 para 2010.
O número de raparigas em centros educativos subiu para 30 no primeiro semestre deste ano, o que representa um aumento de 30% em relação a todo o ano de 2010, em que se encontravam 23 raparigas nas oito "prisões" do País criadas para menores com idades até aos 16 anos quando cometeram crimes.
Os dados de 2011 foram avançados ao DN pelas direcções-gerais da Reinserção Social e da Política da Justiça.
O número de raparigas internadas cresceu mais num ano do que entre 2008 e 2010, em que o aumento de internados do sexo feminino foi de 15% (de 20 para 23 raparigas). A maioria das jovens está acusada de furto e roubo e crimes contra o património. A seguir, estão os crimes contra pessoas - agressões físicas, que são 24% dos casos, segundo avançou ao DN o subdirector-geral da Reinserção Social, Luís Couto.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

alarmismo serve os alemães
Consumo de legumes em Portugal 
cai 90% em sete dias
Para além dos pepinos também o consumo de tomate baixou 20%, após as notícias sobre alegados problemas com os pepinos espanhóis.
Portugal já registou uma quebra acentuada no consumo de legumes crus, em especial de pepino durante a última semana. Segundo Manuel Évora, presidente da Portugal Fresh, o consumo de pepinos e curgetes caiu 90% e a quebra em outros produtos hortícolas, como a alface e o tomate, rondou os 20%.
Esta quebra de consumo vem no seguimento da morte de 17 pessoas - 16 na Alemanha e uma na Suécia - e do contagio de 1.500, provocado pela epidemia da bactéria ‘E.Coli' que já levou a países como a Áustria, a Bélgica e a Rússia a fechar a porta a vários produtos espanhóis.
No entanto, em Portugal ainda não foi detectado nenhum contágio e a Direcção Geral de Saúde garante não ter conhecimento de qualquer caso deste género. Ainda assim, o organismo considerou que o Síndrome Hemolítico Urémico constitui um alerta de saúde pública, tendo já deixado orientações aos hospitais para a detecção precoce e tratamento de eventuais casos que possam ocorrer em território nacional. Entretanto, os especialistas do Instituto Ricardo Jorge já começaram a analisar várias amostras de pepinos produzidos em Portugal para detectar a presença da bactéria.
"DIÁRIO ECONÓMICO"

esclareçam, é urgente
Cidadãos com carta sobre a Casa Sol
Um grupo de cidadãos em defesa da Casa Sol entregou, ontem, na Presidência da República, uma carta-aberta em que alerta para 'o grave problema que se viveu, vive e viverá', naquela instituição que acolhe crianças seropositivas. Cerca de 15 pessoas manifestaram-se no Palácio de Belém, empunhando cartazes com frases como 'Exigimos Justiça rápida e justa', e 'Não aos maus-tratos de quem já sofre muito', relembrando denúncias de maus tratos na instituição. A instituição refutou, depois da manifestação, todas as acusações.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

cuidado redobrado
Dez concelhos com risco elevado de incêndio
Dez concelhos de Portugal continental estão, esta quinta-feira, com risco elevado de incêndio, o terceiro mais grave de uma escala de cinco, segundo o Instituto de Meteorologia.
Os distritos de Bragança e Porto têm três concelhos com alerta elevado, o distrito da Guarda tem dois e os distritos de Castelo Branco e Santarém, um.
O risco de incêndio determinado pelo Instituto de Meteorologia engloba cinco níveis, variando entre "reduzido" e "máximo".
O seu cálculo é feito com base nos valores observados às 13 horas, na temperatura do ar, na humidade relativa, na velocidade do vento e na quantidade de precipitação ocorrida nas últimas 24 horas.
De acordo com a informação disponibilizada pelo site da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), na quarta-feira registaram-se 77 incêndios florestais, os quais foram combatidos por 624 bombeiros, apoiados por 169 veículos.
As temperaturas máximas previstas são de 28 graus Celsius no Porto e Lisboa, 19º em Ponta Delgada, 27º em Faro e 24º no Funchal.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

que arbitre bem
Árbitro turco no Portugal-Noruega
O árbitro turco Cuneyt Cakir foi nomeado pela UEFA para dirigir o encontro entre Portugal e Noruega do próximo sábado (21 horas), na Luz, referente ao Grupo H de apuramento para o Euro-2012.
Cakir, agente de seguros de 44 anos, já dirigiu três encontros com equipas portuguesas: no ano passado, apitou a vitória (4-3) do Nacional da Madeira sobre o Zenit do play-off da Liga Europa; no Euro-2007 de sub-19 dirigiu o empate (1-1) entre Portugal e Espanha; e esteve na vitória (2-1) do FC Porto sobre o IFK Gotemburgo da fase de grupos da Liga dos Campeões, há 14 anos.
"A BOLA"

crise???
Mariscada reforça espírito de grupo
Uma mariscada num luxuoso restaurante em Peniche foi a ementa do almoço de ontem da selecção portuguesa de futebol, que está concentrada em Óbidos a preparar o jogo de sábado no Estádio da Luz (21h00) com a Noruega, decisivo para a qualificação do Euro’2012.
A semana de estágio tem sido descontraída, de forma a tirar a pressão de cima dos jogadores perante um jogo que pode levar a selecção nacional ao primeiro lugar do grupo H. O staff do hotel impediu que o autocarro fosse seguido. A cancela do parque de estacionamento da unidade hoteleira não foi levantada durante mais de cinco minutos. Uma viatura da GNR esteve depois imobilizada no meio da estrada outros cinco minutos.
"CORREIO DA MANHÃ"

a pepineira alemã...
Portugal pede indemnizações a Bruxelas 
por prejuízos com os pepinos
A epidemia provocada pela bactéria E.coli na Alemanha, e que já matou 17 pessoas naquele país, foi associada pelas autoridades alemãs aos pepinos espanhóis. Uma teoria que já foi considerada errada pelos mesmos responsáveis.
Este factor levou a que os consumidores deixassem de comprar pepinos espanhóis e portugueses. Espanha anunciou ontem que ia avançar com um pedido de indemnização à União Europeia devido aos prejuízos causados por isto.
O ministro da Agricultura português, António Serrano, revelou hoje à TSF estar preocupado com os prejuízos causados a Portugal e diz que também vai avançar com um pedido de indemnização.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Uns sacrificados





Imaginem os portugueses 
que também  
 fomos tocados 
pela crise económica, pelo que agora:





- Já só comemos queijo podre...



... carne seca...



- e bebemos vinho velho...  


- os nossos carros nem tejadilho têm ...




- e as banheiras estão ao ar livre!



Mas  lutamos pela crise...
                          ...dos outros


enviado por TÉTÉ
9 - FILOSOFIA PARA A VELHICE


2 - ILUSÕES FANTÁSTICAS
 
 clique para ampliar

 

JORNAIS DE HOJE


COMPRE JORNAIS