sábado, 21 de maio de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

Eles estavam operando um paciente. Quando de repente entra um médico na sala de operações e grita:
-Parem tudo! Parem o transplante. Há uma rejeição!
- Uma rejeição? - Do rim doutor? pergunta um dos médicos.
- .. NÃO! Do cheque !.... O cheque não tem fundos!
.


O BÊBADO E A AGULHA




1 – O DINHEIRO COMO DÍVIDA






Dinheiro como Dívida é um filme documental animado por Paul Grignon sobre os sistemas monetários praticados pelos serviços bancários modernos. O filme demonstra visualmente o processo da criação de dinheiro por corporações privadas (bancos), ilustra o contexto histórico deste sistema e avisa da sua insustentabilidade subsequente.




7 -Para que não caia no 
esquecimento










Sismo na Nova Zelândia em Setembro de 2010

13 - PORTUGAL EM IMAGENS


 coimbra- portugal dos pequeninos

 coimbra - universidade

 figueira da foz


oliveira do hospital

penela

MÁRIO RAMIRES

 .
Varanda do Chiado









A foice da regionalização


A redução do número de municípios e o ponto final na regionalização são virtudes do acordo com a troika. Com um senão: o provável adiamento da renovação dos autarcas.

ENTRE os inevitáveis sacrifícios inscritos no Memorando de Entendimento a que o Governo (PS) e os dois partidos da Oposição no arco da governabilidade (PSD e CDS) se vincularam perante a troika, há uns que o serão mais do que os outros.

O fim dos governadores civis, por exemplo, sacrificará, por junto e sem prejuízo do respeito por quem empenhadamente cumpriu bem as funções, um reduzido número de homens e mulheres ligados ao partido no Governo, a quem cabe a respectiva nomeação.

O Governo Civil é, há demasiado tempo, um mero lugar de colocação das terceiras, quartas ou quintas linhas dos aparelhos partidários, em jeito de prémio de consolação, de prateleira bronzeada (porque nem chega a dourada) ou de compensação por serviços militantemente prestados.

São, tipicamente, jobs for the boys.

As competências são facilmente transferíveis para outras entidades da Administração Central e/ou Local. E os orçamentos são quase ridículos.

Quer isto dizer que apoupança para o Estado que resultará da extinção dos governadores civis não será, do ponto de vista meramente financeiro, grande coisa. Mas já não assim do ponto de vista simbólico – tem um significado real e importante acabar com cargos e gastos absolutamente dispensáveis, sobretudo porque sem impacto negativo nos serviços prestados à população.

Muitomais significativo, a todos os níveis, incluindo o financeiro, é o compromisso que o Estado português (leia-se também PS, PSD e CDS) assumiu de reduzir o número de Municípios (308) e de Freguesias (4.259) em que estão divididos os 18 Distritos do país.

Há que reconhecer que são câmaras e juntas a mais. Sobretudo porque – salvaguardando o devido respeito pelas honrosas excepções – umas e outras são em regra mal geridas (com défices gigantescos) e, para além de serem focos de corrupção generalizada, transformaram-se em agências de emprego e de colocação de aparelhos partidários e caciques locais, com milhares e milhares de fazedores de nada, entre assessores, adjuntos e técnicos de coisa nenhuma. Que muito contribuem para os superlativos encargos do Estado.

A reforma administrativa do Estado já devia ter sido feita há muito.

Mas tem vindo a ser sucessivamente adiada.

À afirmação da vontade política de reformar propalada pelas cúpulas partidárias, sempre se impuseram os interesses menores, mas poderosos, dos aparelhos e dos caciques locais.

Mais um ano e acabou. Por muito que as associações de municípios e de freguesias estrebuchem, vai mesmo ter de haver uma redução – e espera-se que considerável – de municípios e de freguesias. A bem do Estado e... das populações locais – principalmente do desertificado Interior do país.

A rede de estradas (e auto-estradas) é das poucas reformas que verdadeiramente foram bem concretizadas nas últimas décadas. Mas nem por isso os distritos do Interior conseguiram promover a fixação de populações e, sobretudo, de investimento.

Portugal precisa de novas centralidades, de novos pólos industriais, de recuperar a produção agrícola, de desenvolver as redes de distribuição e de exportação. Os municípios demasiado pequenos – em população, em área geográfica ou em recursos financeiros – não têm capacidade para implementar políticas de atracção de pessoas, individuais ou colectivas, e de captação de investimento.

Esse é, aliás, um dos argumentos dos defensores da regionalização – entre os quais se contam os autarcas.

Ora, outra virtude do acordo com a troika é precisamente a certidão de óbito definitivamente passada à regionalização.

Portugal não precisa de mais burocracia, de mais uma classe política intermédia e de mais um grau nos centros de decisão.

Precisa, sim, de uma verdadeira descentralização.

A alternativa à regionalização sempre foi o reforço do municipalismo, que passa por ter municípios fortes e com capacidade de decisão.

A fusão e concentração de câmaras (e a extinção de inúteis juntas de freguesia) é o caminho. E o compromisso com a troika, nesse capítulo, é tudo menos um sacrifício.

Pena é que, em consequência, possa ser sacrificada a lei das inelegibilidades dos autarcas, que finalmente produziria os seus efeitos nas eleições de 2013.

A fusão de municípios, na maior parte dos casos, não deixará de aproveitar aos dinossauros do municipalismo para reivindicarem o direito de, assim, poderem continuar no poder e adiar, outra vez, a renovação que se impunha.

IN "SOL"
16/05/11


"Carta ao meu "amigo" Zé Socras

 

Zé, meu compincha que tão bem me entendes e compreendes,
Escrevo-te esta carta porque estou revoltada e quero protestar contra as injustiças deste povo em relação a ti e ao teu magnífico governo. Escrevo-te para manifestar a minha solidariedade para contigo, génio incompreendido, como, de resto, o são todas as grandes mentes. Tu, que procuras o bem do teu país, tu que lutas pelo desenvolvimento tecnológico, pela educação, pela saúde, pela economia, pelo trabalho... E, apesar de todos os teus abnegados e heróicos esforços, ninguém te compreende!
Cerca de 300.000 pessoas, um pouco por todo o país, tudo a protestar contra o estado das coisas, contra a falta de oportunidades... Eles não entendem o que tu já tens feito pelo bem deles!
Tu, que levaste para a frente as Novas Oportunidades para que qualquer analfabeto possa aumentar a sua auto estima dizendo que tem o 9º ano sem ter que ir às aulas;
Tu, que criaste programas de estágio para que os licenciados e mestres possam adiar uns meses o desespero do desemprego e, entretanto, serem explorados a baixo custo com imensas regalias... para as empresas;
Tu, que proporcionaste aos alunos a possibilidade de transitarem de ano sem qualquer esforço, criando dificuldades aos malvados dos professores que os queiram reter caso não tenham tido aproveitamento;
Tu, que deste a volta àquela insustentável segurança social que não dava lucros nenhuns, como era o seu objectivo, garantindo, agora, que todos possam ter reformas menores e menos protecção na doença e no desemprego;
Tu, que cortaste os salários aos funcionários públicos, mas que tiveste a decência de salvaguardar os vencimentos dos administradores e dos teus amiguinhos;
Tu, que criaste mais dívida para que todos possamos sonhar com uma viagem de TGV, apesar de não termos dinheiro para os bilhetes e enquanto os trabalhadores da CP vêem as suas condições de trabalho a piorar;
Tu, que poupas dinheiro e decides não fazer um metro em cidades insignificantes como Coimbra, que não te metes em despesas com transportes públicos, tu que ainda por cima só tens 20 motoristas por tua conta e uns poucos por conta dos teus amiguinhos;
Tu, que organizas festas e viagens para mostrar o que de "melhor" por cá se faz, sem olhares a custos...
Tu, que és tão bonzinho, que nos compreendes tão bem, que és tão solidário para com os jovens, para com os trabalhadores, para com os pensionistas... Ninguém te compreende... Pedes justificados e pertinentes sacrifícios à população, discursas sobre o quanto nos entendes e lamentas o que passamos, pois não tens quaisquer responsabilidades sobre o estado das coisas! A culpa é da Ângela, do Nicolau e dos outros meninos maus da Europa. Tu não tens culpa!
Não tens culpa de te preocupares com as despesas excepto com as que dizem respeito a ti e aos teus amigos!
Não tens culpa de quereres luxos na educação, saúde, tecnologia e transportes (de que importa se ainda nem o básico está assegurado?)!
Não tens culpa de desconheceres o que é viver com um salário mínimo ou médio tendo comida, escola, gasolina, água, gás, luz, medicamentos, e outras despesas que tais, para pagar.
Não tens culpa que os professores se sintam mais reclusos que educadores e fontes de conhecimento por causa dum modelozinho de avaliação inofensivo.
Não tens culpa que os pais dos meninos não tenham dinheiro para lhes pagarem os estudos e os sustentarem quando eles não arranjam emprego.
Enfim... Às vezes sinto que vivemos num mundo ao contrário...
Eu, chamo-me Alice e vivo em Portugal, um país que não me dá oportunidades de crescimento, que desaproveita todo o investimento que eu, os meus pais e o estado fizeram no meu desenvolvimento pessoal e académico.
Tu és o Zé e vives no País das Maravilhas, um país em que tudo é como devia ser, graças a ti, mas as pessoas que o habitam são burras e não percebem o bem que lhes fazes.
Não me alongarei muito mais nesta carta, pois já deves ter percebido que estou do teu lado e que te compreendo totalmente! Sugiro-te que saias de Portugal... Por muito que te custe abandonar a pátria pela qual tanto te tens sacrificado, julgo que terás um futuro melhor, em que sejas mais bem tratado, fora deste país cujo povo não te entende nem dá valor ao que tens feito. Vai por exemplo para o Pólo Norte ou para a Gronelândia... Dizem que lá há muito espaço para construíres aeroportos, pontes, linhas de alta velocidade e auto-estradas!
Um beijinho e desejos de boa viagem,
Alice"
Artigo escrito por Alice Morgado
Retirado do Blogue "FANTÁSTICO, MELGA!14 de Mar de 2011
3 – A ORIGEM DA VIDA


Sabedoria Milenar





Pergunta:
MESTRE, PORQUE ANTES DO SEXO, CADA UM AJUDA O OUTRO A FICAR NU E DEPOIS DO SEXO, CADA UM SE VESTE SOZINHO ????!!! 
Resposta:
PEQUENO GAFANHOTO, NA VIDA NINGUÉM TE AJUDA DEPOIS QUE VOCÊ ESTÁ F_D_D_!!!

ALMORRÓIDA NA PENÚRIA


Finanças não pagam despesas

Os trabalhadores dos impostos foram surpreendidos este mês com um ordenado sem os valores correspondentes às ajudas de custo e às deslocações. Ao que apurou o Correio da Manhã, não foram dados quaisquer esclarecimentos aos trabalhadores.

A falta de verba, e a impossibilidade de transferência entre rubricas, deverá estar na base do não pagamento destas despesas aos trabalhadores, adiantou ao CM fonte próxima do Ministério das Finanças. Estas transferências, que eram habituais até ao ano passado, estão proibidas desde o início de Janeiro.

No entanto, esclareceu a mesma fonte, os pagamentos podem ainda vir a ser efectuados nos próximos dias, uma vez que nada está escrito quanto ao facto de o pagamento ter de ser efectuado com o ordenado. Questionado pelo CM, o Ministério das Finanças não deu qualquer explicação para a falta de verba.

Entretanto, os serviços da DGCI estão a enviar uma carta aos contribuintes informando-os da possibilidade de beneficiarem de isenção de IMI caso, simultaneamente, o rendimento bruto anual não seja superior a 13 300 euros e o valor patrimonial do imóvel não exceda 66 500 euros. Os interessados poderão contactar os serviços das Finanças requerendo isenção até 30 de Junho.

IN "CORREIO DA MANHÃ"
21/05/11

6 - INSTRUMENTISTAS BRASILEIROS
 
CHORO DAS TRES





Com cerca de seis anos de existência, o Choro das 3, grupo da cidade de Porto Feliz no interior de São Paulo, é composto pelas irmãs Corina, Lia e Elisa. Neste show divulgam o primeiro cd "Meu Brasil brasileiro" (2008), inteiramente gravado, produzido e mixado por elas. Trabalho que apresenta clássicos do gênero e preserva o clima informal das rodas de choro. As irmãs fazem homenagem ao flautista e compositor Benedito Lacerda.

1 - ARTE NOVA









1 - NOVO LÉXICO NACIONAL

NOVAS PROFISSÕES



Ø Especialista de Fluxos de Distribuição - (paquete)



Ø Supervisora Geral de Bem-Estar, Higiene e Saúde - (mulher da limpeza)


Ø Coordenador de Fluxos de Entradas e Saídas - (porteiro)


Ø Coordenador de Movimentações e Vigilância Nocturna - (segurança)


Ø Distribuidor de Recursos Humanos - (motorista de autocarro)


Ø Especialista em Logística de Combustíveis - (empregado da bomba de gasolina)


Ø Assessor de Engenharia Civil - (trolha)


Ø Consultor Especialista em Logística Alimentar - (empregado de mesa)


Ø Técnico de Limpeza e Saneamento de Vias Públicas - (varredor)


Ø Técnica Conselheira de Assuntos Gerais - (cartomante/taróloga)


Ø Técnica em Terapia Masculina - (prostituta)


Ø Técnica Especialista em Terapia Masculina - (prostituta de luxo)


Ø Especialista em Logística de Produtos Químico-Farmacêuticos - (traficante de droga)


Ø Técnico de Marketing Direccionado - (vigarista)


Ø Coordenador de Fluxos de Artigos - (receptador de objectos roubados)


Ø Técnico Superior de Recolha de Artigos Pessoais - (carteirista)


Ø Técnico de Redistribuição de Rendimentos - (ladrão)


Ø Técnico Superior Especialista de Assuntos Específicos Não Especializados - (político)


Ø José Sócrates - (engenheiro)


PATAGÓNIA




video

16- MICRO MONSTROS DO DIA A DIA


Coloured scanning electron micrograph of a dog flea (Ctenocephalides canis)
 pulga de cão (Ctenocephalides canis)

A pulga de cão (Ctenocephalides canis) é a espécie de pulga (Siphonaptera) que se alimenta principalmente do sangue dos cães, são  encontradas na europa, e podem transmitir Dipylidium caninum.
Podem sobreviver sem comida por vários meses, no entanto as fêmeas têem de ingerir sangue antes de produzirem ovos. Podem pôr cerca de 4000 ovos no pêlo do hospedeiro. O ciclo, de ovo a adulto, demora de duas a três semanas, dependendo da temperatura.

9 - HOMENS, SEGUNDO ELAS






AS MAMAS VALEM UMA VIDA




video




OBRIGADO CARACOLETA

JORNAIS DE HOJE E SEMANÁRIOS


COMPRE JORNAIS E REVISTAS
















C - INVENTOS DA ANTIGUIDADE
2 - MÁQUINAS



PINSCHER MINIATURA






CARACTERÍSTICAS

 Classificação:Padrão FCI Grupo: 2 Seção: 1

HISTÓRIA

O Pinscher Miniatura é uma raça alemã originalmente utilizada para caçar ratos e outros pequenos roedores e que hoje é sobretudo utilizada como companhia.

Ao contrário do que se pensa, a raça não é uma versão miniaturada do Doberman. Esta teoria surgiu nos Estados Unidos da América e, ancorada na semelhança entre as duas raças, foi ganhando cada vez mais adeptos. De facto, nesse país, o Doberman foi introduzido mais cedo do que o Pinscher Miniatura, mas na verdade, o Pinscher Miniatura surgiu décadas antes do Doberman. O Doberman foi criado por volta dos anos oitenta do século XIX, enquanto que os primeiros registos fidedignos do Pinscher Miniatura datam do início desse mesmo século. Outras teorias vão ainda mais longe ao sustentarem que a raça foi representada em pinturas dos séculos anteriores.


Quando a ascendência do Pinscher Miniatura foi mais aprofundada, descobriu-se então que a raça descende de vários terriers existentes na Alemanha, incluindo o German Pinscher. Outras raças podem ter sido introduzidas no sangue do Pinscher Miniatura, tais como o Galguinho Italiano ou o Baixote.


O Pinscher Miniatura foi desde sempre uma raça popular, mesmo quando ainda não estava oficialmente reconhecida por nenhum dos grandes clubes de raças. Em 1925, quando o estalão foi elaborado, havia já mais de 1300 registos da raça. Depois da I Guerra Mundial, a raça sofreu um revés em termos de popularidade na sua Terra Natal, mas ao mesmo tempo, os Estados Unidos da América renderam-se ao Pinscher Miniatura, assegurando assim o seu lugar como o rei das raças de companhia.

TEMPERAMENTO
O Pinscher Miniatura é um cão alegre, confiante e irrequieto.
Tende a desafiar outros cães, ignorando a sua pequena estatura. Pode dar-se bem com outros animais, desde que tenha tido uma educação e socialização adequadas. Algo teimoso, necessita de um dono firme.
Convive bem com crianças bem comportadas, mas não tolera abusos, por isso deve ser sempre vigiado com os mais pequenos.
Curioso e atento, é um bom cão de alerta que não hesita em fazer-se ouvir quando estranhos se aproximam. Por vezes os seus alertas podem resultar em queixas dos vizinhos.
Em Alemão, pinscher quer dizer mordida, que deriva do hábito dos cachorros de pular e morder ferozmente sua caça. Originários do cruzamento de English Black and Tan Terrier, German Pinscher, Dachshund e Italian Greyhound, os cãezinhos dessa raça são considerados cães de guarda, estando classificados pela Federação Internacional de Cinofilia (FCI) no mesmo grupo de outros animais, como o Rottweiler, o Dobermann, o Mastife, o Boxer e o Dogue Alemão.
O Miniatura Pinscher tem características bastante peculiares: personalidade forte, muita energia, apego ao dono, entre outras que o torna perfeito como cão doméstico. Os cuidados com o tratamento desses cachorros não exigem muito esforço por parte dos seus donos. Pelo contrário, para que o pêlo desses animais permaneça sedoso e com brilho intenso, por exemplo, uma escovadinha esporádica dá conta do recado. Além disso, os banhos freqüentes não são muito recomendáveis. Às vezes uma toalha molhada com água morna substitui muito bem as lavagens.
Por ser um animalzinho extremamente perspicaz, e tendo em vista sua tendência a investigador, é extremamente importante tomar cuidado com objetos pequenos soltos pela casa. É muito comum esses cãezinhos ingerirem os objetos que encontrarem pela frente.
Os problemas de saúde que geralmente atingem essa raça são: dentição dupla (os dentes de leite não caem), luxação de patela (deslocamento do joelho) e problemas na cabeça do fêmur.
Ao contrário da maioria dos cães domésticos, os animais dessa raça são exímios cães de guarda. Entretanto, isso não os faz perder o gosto pelas brincadeiras. Também adoram aprender truques.
São cães possessivos e com presença de espírito, curiosos, mas desconfiados com estranhos. E por serem sensíveis e delicados, não devem ser deixados sozinhos com crianças pequenas, porque alguma brincadeira mais bruta pode machucá-los seriamente. Contudo, são excelentes companhias para crianças maiores e adolescentes.
Apesar de terem a fama de histéricos, se bem educados serão uma excelente companhia. Entretanto, os donos desses animais devem estar cientes de que eles não são cães de companhia, pois, caso o contrário, poderão mimar excessivamente o animal tornando-o insuportável. Portanto, o tratamento adequado que deve ser dado aos Miniatura Pinscher é o de um cão de guarda.
Teimosos, orgulhosos e independentes, esses animais não se sentem intimidados quando em contato com animais maiores, muito pelo contrário, enfrentam-os sem o menor receio. Por isso, é indispensável que o dono desse pequeno feroz, seja uma pessoa preparada para enfrentar um cachorrinho invocado Por serem naturalmente dominantes, muitos enfrentam os próprios donos quando contrariados.
Quanto à capacidade de aprendizado, normalmente serão precisas de 15 a 20 repetições antes que esses animais obedeçam de forma imediata. Depois que eles aprendem e adquirem o hábito do novo comportamento, eles geralmente retêm os comandos com uma certa facilidade. Outra característica destes cães é que eles costumam responder logo no primeiro comando. O que os diferencia dos melhores cães em obediência, todavia, é o fato de que eles tendem a demorar um pouquinho mais de tempo entre o comando e a resposta, além disso eles tendem a apresentar um maior grau de dificuldade em se concentrar no comando quando o dono se distancia fisicamente deles. No entanto, dedicação, paciência e persistência são peças-chave para um maior grau de obediência desta raça. 

PROPORÇÕES IMPORTANTES
Tamanho: de 25 a 30 cm na cernelha pelos padrões da FCI (Federação Internacional de Cinofilia).
Peso: o peso médio fica entre 4 e 7 quilos.
Aparência: corpo bem balanceado; movimentos vivos e energéticos. Vigoroso e alerta.
Pelagem e cor: pêlos curtos e densos, suavemente assentada, lustrosa e sem falhas. Cores sólidas, em várias tonalidades, do castanho ao vermelho cervo ou black-and-tam (preto com marcas castanhas). Nos cães pretos e castanho é desejável marcas castanhas bem nítidas localizadas nas faces, no focinho, acima dos olhos, sob o queixo, na garganta, dois triângulos no peito na altura do externo, nas patas, e sob a cauda.
Cabeça: forte e alongada. A testa deve ser achatada e sem rugas. A mordedura deve ser em tesoura. Os olhos devem ser escuros, ovais e de tamanho médio. As orelhas podem ser cortadas ou não.
Olhos cheios, ligeiramente ovais,, escuros e brilhantes, mesmo para um verdadeiro preto, incluindo pálpebras, com excepção dos chocolates, cujas sobrancelhas devem ser da mesma cor. 
Orelhas de inserção alta, de pé desde a base até a ponta. 
Crânio parece plano, afilando-se para a frente para o focinho.  
Focinho forte, e proporcional à cabeça como um todo.
Nariz preto, apenas com excepção dos chocolates, que devem ter um nariz de cor própria. 
Lábios e bochechas  pequenos, firmes e estreitamente aderentes ao outro. 
Pescoço proporcional à cabeça e ao corpo, ligeiramente arqueado, curvo, que se misturam com os ombros, musculoso e sem sugestão de barbela ou papada. Voltar ou ligeiramente inclinada para a parte traseira, tanto quando em pé e de trote.  

Corpo  compactos, ligeiramente em forma de cunha, muscular.  
Antepeito bem desenvolvido. Bem arqueadas costelas.  Ventre moderadamente esgalgado para denotar graça de forma estrutural.  
Garupa  ao nível com a linha superior. 
Cauda inserida alta, mantida ereta, ancorada em proporção ao tamanho do cão.

MEMBROS

ANTERIORES
Ombros inclinados limpos e com angulação moderada .
Os cotovelos junto ao corpo. Ossos fortes bem desenvolvidos e as  pequenas articulações dos pés resistentes. 
Metacarpos fortes. 
Pés pequenos, dedos fortes, bem arqueados e fechados com almofadas profundas.  Unhas grossas, sem corte.

POSTERIORES 
Bem musculados nyu conjunto amplo e suficiente para suster um corpo devidamente equilibrado. 
Pernas são retas e paralelas. 
Coxas bem musculadas.  
Joelhos bem definidos.  
Jarretes curtos, bem separados.
Pés pequenos felinos, dedos fortes, bem arqueados e fechados com almofadas profundas, grossas e rombudas.
 
PELE
Smooth, hard and short, straight and lustrous, closely adhering to and uniformly covering the body. Lisa, dura e pelos curtos, retos e brilhantes, aderindo uniformemente ao corpo.
Cor
Vermelha clara chamado veado vermelho (vermelho com mistura de pêlos pretos).
Preta com marcações bem definidas vermelho-ferrugem nas bochechas, lábios, mandíbula, garganta, manchas gêmeas acima dos olhos e no peito, parte inferior das pernas, parte interna das pernas traseiras e ventilação região, porção inferior dos jarretes e os pés. Riscas de lápis preto nos dedos. 
Chocolate com marcas vermelho-ferrugem a mesma especificada para os negros, com exceção listras lápis castanhas  nos pés.
 
Marcha  
Os menbros anteriores e posteriores deslocam-se paralelamente, com pés virados para a frente..
A ação "hackney" é uma marcha alta pisando,  fácil e leve em que a perna  se move para a frente  do corpo e  curva o pé na altura do pulso.

Saúde e Higiene 

O Pinscher Miniatura é uma raça saudável. Algumas preocupações médicas comuns são o síndrome de Legg-Calvé-Perthes, problemas visuais, hipotiroidismo, problemas cardíacos, entre outros. Também tem tendência para desenvolver dupla dentiçao, por isso estejam atentos à muda de dentição.

Devido ao curto tamanho do pêlo, a manutenção da pelagem é fácil, sendo necessárias apenas escovagens regulares para retirar os pêlos soltos. O banho deve ser evitado, uma vez que remove a oleosidade natural e protectora da pele.
 Informação retirada de:
* Portal S. Francisco
* American Kennel Club
* Arca de Noé

NR: Por não termos encontrado durante a pesquisa o Estalão da raça devidamente definido, optámos por substitui-lo por Características.

 

18 - PROVÉRBIOS COLORIDOS


11- BEBÉS E PRONTO



BOM  DIA