terça-feira, 17 de maio de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


Assunto: Chegar tarde

O casal está na cama, com todo o entusiasmo, quando toca o telefone e ela vai atender.
- Quem era? - Pergunta ele quando ela volta.
- O meu marido. Avisou que vai chegar tarde porque está no escritório a fazer serão contigo.


TIRE O PIMBELHO 
DA BOCA



A cerveja torna 
as mulheres bonitas



(ANÚNCIO BANIDO)
ATENDIMENTO PERSONALIZADO


video


enviado por MALAY

 
3 - FASCINAÇÃO NOCTURNA
 




 




AS MAMAS VALEM UMA VIDA




video




OBRIGADO CARACOLETA

REINO MACRO


macro kingdom from clemento on Vimeo.


PLANKING
"a prancha que mata"






Morreu por uma fotografia na Net


Um jovem australiano de 20 anos morreu quando estava a ser fotografado a equilibrar-se sobre uma varanda de um sétimo andar, em Brisbane, e caiu. A fotografia destinava-se a ser divulgada no Facebook de um movimento que já ultrapassou os 120 mil fãs na Austrália - o 'planking'.

Os seguidores deste movimento explicam, através das várias plataformas existentes na Internet, que o 'planking' consiste em alguém deitar-se em locais públicos com a cara voltada para baixo, os braços ao longo do corpo e os dedos dos pés a apontar para o chão. Quanto mais bizarro for o local em que as pessoas se colocam nesta posição, mais bem conseguida é a imagem.

Importante: o corpo deve estar equilibrado e rígido, como se fosse uma prancha. Daí surge a designação 'planking', que, numa tradução livre, significa "empranchar".

Era precisamente isto que o jovem australiano, Acton Beale, estava a fazer sobre um parapeito com cerca de cinco centímetros de largura, na varanda de um sétimo andar, enquanto um amigo o tentava fotografar.

A polícia australiana confirmou as circunstâncias da morte de Acton Beale e disse temer que outras mortes semelhantes possam suceder dada a crescente popularidade do 'planking' no país e apelou a que não arrisquem a vida para conseguir uma fotografia.

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"

MANUELA MOURA GUEDES



Os Agarrados

À medida que se percebe que o programa de Passos Coelho é para mexer mais a sério na economia do país, mais as sondagens dão votos a Sócrates. Parece incompreensível.

E mais ainda que aumentem os adeptos de um homem que levou o país à falência, que é conhecido, até lá fora, por mentiroso e que só tem para dar PECs avulsos. Um terço da população quer viver instalado no estado socrático. Estes seis anos e meio de poder criaram uma teia, uma rede de dependências entre lugares e negócios para boys, simpatizantes e os que não são mas têm de ser. É a face oculta das empresas públicas, municipais e até privadas, fundações, institutos... fruto de uma estratégia política que tornou os portugueses ‘agarrados’.

Toda essa gente e famílias tremem só ao pensar que o cargo, o emprego, o negócio, o subsídio vão acabar... ainda não perceberam que, com ou sem Sócrates, nada será como dantes, porque a ajuda externa obriga a pôr fim a tudo isso. Os ‘agarrados’ ainda acham que o homem que tirou o curso ao domingo também pode dar a volta ao FMI e à Europa.Enganam-se! O episódio da taxa social única é um exemplo. Passos abre o jogo, Sócrates não. Por uma vez, o exemplo vem dos políticos, ao dizerem que não governam com este homem!

IN "CORREIO DA MANHÃ"
13/05/11

21 - IPSIS VERBIS


MARIA JOSÉ MORGADO

"Existem 14 mil entidades, 900 fundações 
e 1000 empresas do Estado central e local, 
com sobreposição de funções 
e desperdício de dinheiros públicos"


in " jornadas de Direito Penal da Universidade Autónoma de Lisboa (UAL)"

NR: Esta senhora é um perigo para os políticos

Strauss-Kahn




4 - O DIA DA TERRA

ALMORRÓIDA ESCLARECIDA


Maria José Morgado defende que a melhor prevenção da corrupção é a repressão

A magistrada Maria José Morgado classificou esta segunda-feira a corrupção ao nível das funções do Estado como a "mais gravosa e danosa" para a sociedade e defendeu que no combate à criminalidade económico-financeira "a melhor prevenção é a repressão".

"Se criarmos um espaço com risco o infractor sabe que tem que ter cuidado e tem alguma contenção. Se não houver risco, vale tudo e perdemos o domínio da situação", disse a directora do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, nas jornadas de Direito Penal da Universidade Autónoma de Lisboa (UAL).

Insistindo na ideia de que a "melhor prevenção é a repressão", como lhe disse uma vez "alguém da polícia" - afirmou -, Maria José Morgado alertou que Portugal "ainda não consagrou um sistema de justiça penal que funcione com risco para o infractor", observando que "é o medo que guarda a vinha", porque o Ministério Público (MP) "não pode ir a todas" e se se perde a capacidade dissuasora "perde-se tudo".

Quanto à corrupção ao nível das funções do Estado, alertou para o perigo de esta se tornar uma "corrupção sistémica", não só difícil de detectar, como de punir também.

Como área sensível em que a corrupção pode alastar, Maria José Morgado assinalou o sector empresarial do Estado, em que existem 14 mil entidades, 900 fundações e mil empresas do Estado central e local, com "sobreposição de funções e desperdício de dinheiros públicos" que, até há pouco tempo, escapavam ao controlo do Orçamento do Estado.

Outras ideias fortes deixadas pela magistrada nestas jornadas presenciadas por alunos e professores de Direito está a de que o modelo de investigação criminal em Portugal está "completamente desajustado", que o estatuto do MP é "demasiado rígido" para enfrentar certos fenómenos criminais e que há um "défice de organização e especialização judiciária".

Quanto às alterações penais, congratulou-se pela criação do novo tipo de crime de recebimento indevido de vantagem e defendeu a necessidade de haver a criminalização do enriquecimento ilícito como forma de responder aos novos desafios da criminalidade económico-financeira.

Mostrou-se ainda favorável à criação de um novo crime de gestão danosa que penalize os decisores políticos e administrativos quando dessas ações ou actos resultem danos para o erário público.

Maria José Morgado falou ainda dos crimes urbanísticos e criticou os sucessivos pacotes anti-corrupção que, na sua opinião, só geram problemas e confusão, facilitando a "desresponsabilização judicial", fomentando a "dispersão legislativa" e criando "má jurisprudência".

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
16/05/11

2 - INSTRUMENTISTAS BRASILEIROS

MARCELO BATISTA


QUANDO CHEGA O CARUNCHO




 CLIQUE PARA AMPLIAR




























Adaptação de “Compreendendo Melhor Como Viver a Terceira Idade, na Opinião da Terceira Idade”, do Dr. Conceil Corrêa da Silva.
5 - ARQUITECTOS DO OUTRO MUNDO





15 - SALVAR O PLANETA

A MODÉSTA CASINHA DE MOUBARAK

video
A chegada da sogra



video

TENHA UM BOM DIA


...prepare-se 
    para a música eleiçoeira...


COMPRE JORNAIS

subiu o número 
     dos reformados, 
     emigrados e abandonados
Número de inscritos nos centros de emprego 
caiu 5% em Abril
O número de desempregados inscritos nos centros de emprego caiu 5% em Abril em termos homólogos, pelo quarto mês consecutivo, e 1,8% face a Março, segundo dados divulgados terça-feira pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional.
Os inscritos nos centros de emprego em Abril totalizavam 541.974 desempregados, de acordo com os números do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).
Abril foi o quarto mês seguido com quedas mensais face ao período homólogo, depois de em Janeiro o número de inscritos ter caído 0,5%, 1% em Fevereiro e 3,5 em Março.
Na separação entre géneros, a maior queda em termos homólogos ocorreu nos homens, com uma redução de 5,5%, enquanto o número de mulheres inscritas diminuiu 4,7%.
A nível de idade, o número de menores de 25 anos inscritos caiu 11%. O desemprego nos adultos inscritos também baixou, mas mais ligeiramente, em 4,2%.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

na hora da despedida, 
     uns tachos para quem entra
Criação de Tribunal Arbitral de Desporto 
em marcha
A Comissão para a Justiça Desportiva, criada pela Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto, apresentou hoje ao Conselho Nacional de Desporto uma proposta para a criação de um Tribunal Arbitral de Desporto.
Segundo o secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias, esta instituição servirá para «pegar nas grandes questões que se colocam frequentemente no desporto português, que são muito discutidas porque não se sabe de quem é a competência em tribunal. Muitas vezes não se sabe para onde se deve recorrer e não se encontra consenso sobre quais são os tribunais competentes para lidar com este ou com aquele tema», explicou.
A proposta apresentada ficará agora nas mãos do Conselho Nacional de Desporto que mais tarde, quando novo governo for eleito, a apresentará para aprovação na Assembleia da República.
Laurentino Dias sublinhou ainda que «o desejo e o propósito deste tribunal é fazer com que a justiça desportiva seja mais rápida, mais eficaz e mais clara».
"A BOLA"
 .
estiveram a mais quantos anos???
Estradas de Portugal 
desfaz-se de 522 viaturas
A Estradas de Portugal (EP) vai entregar ao Estado 10 milhões de euros em dividendos e 41 milhões de euros a título de imposto sobre rendimento, após lucros de 102 milhões de euros em 2010, divulgou esta segunda-feira a empresa. Entre 2007 e 2010 entidade que gere estradas reduziu a frota automóvel em 522 unidades.
"Consolidando o ciclo de modernização da estrutura empresarial iniciado em 2007, a EP conseguiu uma redução substancial dos seus custos operacionais, tendo registado uma diminuição dos custos com pessoal de 23 por cento (de 54,7 para 41,9 milhões de euros) e uma redução da frota de 921 para 399 viaturas, entre 2007 e 2010", refere a empresa.
Na passada semana, o administrador da EP, Rui Dinis, lembrou, que a empresa tem uma dívida de 1.990 milhões de euros, que é "uma dívida acumulada destes anos todos em que, como qualquer empresa com este nível de investimentos, tem de ter para poder desenvolver as suas actividades".
"CORREIO DA MANHÃ"

a "troika" mandou!!!
Governo recruta juízes 
para resolver casos pendentes
O Governo já começou a trabalhar numa das medidas impostas pela troika. No dia 11 de Maio, o Conselho Superior dos Tribunais Administrativos e Fiscais (CSTAF) deliberou a constituição de uma “equipa temporária de juízes” para resolver todas as pendências com valor superior a um milhão de euros, uma decisão que já foi comunicada ao Ministério da Justiça, avança hoje o “Diário de Notícias”.
O CSTAF vai agora fazer um “levantamento exaustivo” dos processos fiscais e depois disso avança-se com esta medida que dará prioridade aos processos com valor superior a um milhão de euros pendentes no Tribunal Administrativo (STA), no Tribunal Central Administrativo e nos Tribunais Administrativos e Fiscais.
De lembrar que uma das vinte medidas da troika com "tolerância zero" é precisamente, até ao final de Junho, fazer uma auditoria a todas as pendências em tribunal. Três meses depois é o limite para apresentar novas medidas para resolver os atrasos na Justiça.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

a saúde está doente
Doentes temem "efeito dominó" 
no corte de medicação
A associação de doentes Associação Todos com a Esclerose Múltipla (TEM) denunciou às autoridades de saúde a mudança da medicação para doentes com esta patologia no Hospital de São João, no Porto. Paulo Pereira, presidente da TEM, disse ao i temer "o efeito dominó" de uma decisão que parece ter como único fundamento o facto de um medicamento ser mais barato do que o inicialmente dado aos doentes.
O responsável explicou ao i que em causa está a substituição do interferão beta-1 a subcutâneo (Rebif) pelo interferão beta-1 a instramuscular (Avonex). A associação recebeu a denúncia na sexta-feira por parte de um doente que na última consulta recebeu apenas uma receita do medicamento habitual para 30 dias e não para vários meses, como era habitual até aqui. No dossiê que remeteu no domingo à Ordem dos Médicos, à Entidade Reguladora da Saúde, ao Ministério da Saúde e ao Centro Hospitalar de S. João, a TEM sublinha que teve conhecimento de que a decisão de substituir a medicação - porque o segundo medicamento sofreu um abatimento no preço - foi decidida pela administração, sem aprovação dos médicos que seguem estes doentes.
Ontem, à Lusa, fonte da administração do S. João garantiu que o hospital está a fornecer todos os princípios activos disponíveis no mercado. Paulo Pereira admite que os cerca de 90 doentes estejam a receber a medicação habitual, como foi também o caso do doente que denunciou a situação à associação. A informação que têm, contudo, é que a farmácia hospitalar recebeu ordem para esgotar o stock e para não repetir a encomenda.
"i"

filhos e enteados
Oficiais da PSP ameaçam 
director nacional com pedido de demissão
Actualmente os critérios de promoção são distintos relativamente aos oficiais de carreira e aos que são provenientes do Instituto da PSP, com os primeiros a passarem muitos mais anos até conseguirem as respectivas promoções.
“Queremos [ASOP] que os subcomissários possam ser promovidos a comissários ao fim de três anos. É, por exemplo, o que acontece na GNR, força policial congénere, onde os tenentes passam a capitães ao fim de três anos”, disse ao PÚBLICO o presidente da ASOP, Hélder Andrade.
As declarações deste responsável aconteceram depois de uma delegação sindical se ter reunido com o director nacional da PSP, superintendente-chefe Guedes da Silva, para debater o assunto. “O senhor director nacional não deu qualquer mostra de vir a resolver o problema. Se dentro de dias não tivermos uma resposta positiva para os assuntos apresentados, só nos resta dizer que o próximo Governo, logo que tomar posse, deverá tomar medidas urgentes no seio da PSP, no sentido de trazer pessoas de fora que resolvam os problemas internos, uma vez que quem está neste momento à frente da Polícia não os consegue solucionar”, acrescentou.
“Não se pode admitir que o director nacional não lute de forma intransigente para que todos os subcomissários com mais de três anos no posto não sejam promovidos a comissários”, disse Hélder Andrade.
"PÚBLICO"

o manel dos cornos vai a todas 
               mas Portugal perde 1 000 000
Ryder Cup'2018:
Candidatura custou um milhão de euros
A candidatura portuguesa à organização da Ryder Cup 2018 custou um milhão de euros, dos quais 300 mil euros ao erário público, segundo o presidente da Federação Portuguesa de Golfe (FPG), Manuel Agrellos.
Os números foram avançados em 2010, quando foram conhecidos os contornos da candidatura portuguesa, tendo o responsável máximo da FPG realçado então o efeito positivo que uma eventual vitória portuguesa trará à modalidade em Portugal.
A comissão de honra da candidatura foi liderada pelo ex-Presidente da República Jorge Sampaio, mas o responsável executivo do projeto foi o ex-ministro da Economia Manuel Pinho, que estará hoje terça-feira em Wentworth, Inglaterra, quando for conhecido o país organizador.
A delegação portuguesa será composta por 11 elementos, entre os quais estão o presidente e secretário-geral da FPG, Manuel Agrellos e Miguel Franco de Sousa, bem como o presidente do Grupo Espírito Santo, promotor do campo da candidatura, a construir na Comporta, Manuel Fernando Espírito Santo.
A Ryder Cup é uma competição bienal que opõe as seleções da Europa e dos Estados Unidos, sendo considerado o terceiro evento desportivo mundial mais mediático.
"RECORD"

e até parecem gente séria
Banco dos ricos investigado 
por lavagem de dinheiro
A sucursal do banco luxemburguês Edmond Rothschild, situada num palacete no Príncipe Real, em Lisboa, foi ontem alvo de buscas policiais, por suspeita de branqueamento de capitais e fraude fiscal.
Uma equipa de magistrados do Ministério Público, elementos da Polícia Judiciária e técnicos do Banco de Portugal, acompanhada pelo juiz Carlos Alexandre, entrou na dependência de manhã e permaneceu durante todo o dia, tendo tomado de imediato o controlo do sistema informático.
O DN apurou que a investigação se iniciou depois de terem sido detectados lucros muito elevados por parte de alguns clientes, os quais não se reflectiam depois nas suas declarações fiscais. Os clientes deste banco são expressamente convidados pela instituição, que essencialmente faz a gestão de fortunas e administração de activos.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

"xicos espertos"
Fisco elimina mais de 33 mil 
empresas fantasma da base de dados
O fim das empresas não implica que deixem de pagar as obrigações fiscais que eventualmente tenham.

No ano passado, o Fisco retirou da sua base de dados mais de 33.384 contribuintes, na sua maioria empresas que já não entregavam as declarações de rendimentos há vários anos e que se envolveram comprovadamente em esquemas fraudulentos ou que poderiam vir a ser utilizadas para isso. O número consta do Relatório de Actividades da Direcção Geral dos Impostos (DGCI) de 2010 publicado ontem pelo organismo liderado por Azevedo Pereira.
Segundo o documento, os serviços fizeram no ano passado um saneamento das suas bases de dados, tendo-se detectado incoerências no registo de contribuintes. Numa fase seguinte, procedeu-se então à eliminação dos contribuintes em causa.
Os contribuintes têm 30 dias a contar da data da cessação para comunicarem às Finanças o fim da sua actividade. Mas a lei prevê que a administração fiscal pode declarar de forma unilateral a cessação da actividade "quando for manifesto que esta não está a ser exercida nem há intenção de a exercer" ou sempre que o contribuinte tenha declarado uma actividade sem que tenha uma estrutura empresarial adequada e em condições de a exercer. Assim, além dos contribuintes que simplesmente se esquecem de declarar a cessação de actividade, estes dados incluem também casos de empresas formadas com fins fraudulentos. Há que ter em atenção que esta cessação oficiosa não dispensa os contribuintes das sua obrigações tributárias e declarativas, pelo que, no limite pode estar sujeito a multas e até ao cálculo da matéria colectável por métodos indirectos.
"DIÁRIO ECONÓMICO"


os recibos serão laranjas ou rosas 
                                            quiçá azuis...
BE propõe 'contrato pelo emprego'
O líder do Bloco de Esquerda propôs ontem um 'contrato pelo emprego', que defende, entre outras medidas, a integração de falsos recibos verdes, com o objectivo de contrariar o 'extremismo ideológico', das políticas previstas no resgate financeiro a Portugal.
Além da integração dos trabalhadores a falsos recibos verdes nas respectivas empresas – identificados como tal pelos organismos do Estado – num prazo máximo de 30 dias, Francisco Louçã defende que 'a recusa das empresas incorra num crime de desobediência civil e punida por tal',
Uma medida que, para o coordenador do Bloco, é uma 'resposta ágil', ao 'flagelo', do trabalho precário.
'É um contrato pelo emprego contra a chantagem do desemprego', comentou Louçã.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"
10 - VISLUMBRE NO CAMPO




16 - RESPOSTAS DE MADRE TERESA DE CALCUTÁ


12 - CÓDIGOS DOS ÍNDIOS


JORNAIS DE HOJE


COMPRE  JORNAIS











BOM   DIA