segunda-feira, 4 de abril de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


O BARBEIRO

O florista foi ao barbeiro para cortar seu cabelo.

Após o corte perguntou ao barbeiro o valor do serviço e o barbeiro respondeu:

- Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço
comunitário essa semana.
O florista ficou feliz e foi embora.
No dia seguinte, ao abrir a barbearia,
havia um buquê com uma dúzia de rosas na porta e uma nota de
agradecimento do florista.

Mais tarde no mesmo dia veio um padeiro para cortar o cabelo. Após o
corte, ao pagar, o barbeiro disse:
- Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço
comunitário essa semana.
O padeiro ficou feliz e foi embora.
No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um cesto com pães e doces
na porta e uma nota de agradecimento do padeiro.

Naquele terceiro dia veio um deputado para um corte de cabelo.
Novamente, ao pedir para pagar, o barbeiro disse:
- Não posso aceitar seu dinheiro porque
estou prestando serviço comunitário essa semana.
O deputado ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, quando o
barbeiro veio abrir sua barbearia, havia uma dúzia de deputados
fazendo fila para cortar cabelo.
Essa é a diferença entre os cidadãos e os políticos.

3 - LIDAR COM ATREVIDOS



PLANO INCLINADO


video
NUNCA SE SABE


video

ELISABETH TAYLOR


video

CATALINA PESTANA



O poder e o queijo


A velha senhora está deprimida. Normalmente as depressões nela duram 48 horas. Mas já lá vão oito dias.

No passado fim-de-semana a velha senhora deprimiu. Habitualmente as suas depressões não duram mais do que 48 horas. Costumamos dizer-lhe mesmo que ela é uma «força da natureza». Passa pelos acontecimentos duros e agressivos sem deixar que eles dominem a sua forma risonha de estar no mundo. Tem o hábito de arregaçar as mangas para descobrir o lado bom das coisas.

Hoje continua deprimida e já passaram oito dias.

A causa próxima deste estado de alma foi desencadeada por demasiadas horas frente ao televisor.

Era o primeiro sábado de Sol, 19 de Março - dia em que a Lua também seria vista como aparentemente maior por estar mais próxima da Terra, depois de algumas dezenas de anos.

A velha senhora não gozou o Sol nem se levantou do sofá para espreitar a Lua. Mau sinal.

Depois de algumas insistências, foi abrindo o livro das suas reflexões/emoções que produziam aquele resultado.

Naquele sábado todos os seus canais noticiosos preferidos pareciam transmitir a actividade de ratos amestrados - saltitando entre aquilo que os pobres realizadores consideravam poder garantir maiores audiências.

O comício do CDS em Viseu, onde o presidente, perante o cheiro a queijo do poder, produzia milagres. Os amigos desavindos reconciliavam-se em cena. O chefe dizia para o provável parceiro do jogo ainda por disputar:

- Bem feita, não quiseste brincar comigo quando eu te convidei, agora vais ser obrigado a brincar, e vou ser eu a ditar as regras do jogo.

Os realizadores continuavam a tentar o equilíbrio instável. Sem deixarem terminar a frase de quem falava, mudavam o contexto e mudavam os protagonistas.

No Porto, o senhor primeiro-ministro, vestido de secretário geral do PS, usava toda a sua capacidade oratória para convencer os seus de que, embora a carta tivesse a data de 10 de Março, só tinha sido enviada a 11 de Março, à hora a que o senhor ministro das Finanças informava os jornalistas das medidas contidas no PEC 4.

A velha senhora limpou muito bem os óculos porque começava a ver todos os rostos deformados.

Sem transição perceptível, passava-se à Av. da Liberdade, onde a Intersindical, cujos militantes na sua maioria não têm fé, tinham feito um pacto com São Pedro - e procuravam ensinar à Geração à rasca como se organiza uma manifestação a sério.

Eram muitos, sabiam ao que vinham, alinhavam todos à esquerda, e a grande mancha colorida era perfeitamente enquadrada pelo notável serviço de ordem do PCP.

O professor Carvalho da Silva cometeu um erro grave que a velha senhora não entendeu. Fez aprovar uma moção com a convocatória de outra manifestação, para 1 de Abril, tendo por objectivo as reivindicações da juventude precária.

Parecia uma tentativa demasiado óbvia de manter a juventude no redil da CGTP - antes que ela perceba sozinha o que quer e com quem quer fazer o seu caminho. Era como se dissesse: «Vamos lá controlá-los, porque eles eram muitos e deixaram os nossos a gritar sozinhos as palavras de ordem da tribo».

Durante as longas horas em que estas medianas/medíocres lutas pelo poder se digladiavam, os canais noticiavam em rodapé coisas tão insignificantes como a catástrofe atómica, contra a qual os japoneses continuavam a travar uma luta de vida ou de morte; o início da intervenção militar na Líbia, contra a qual o coordenador do Bloco de Esquerda vociferava sozinho; as diatribes do coronel Kadhafi, que já ameaçara enforcar todos os que se lhe opusessem no país e que agora mentia (através do primeiro-ministro) ao secretário-geral das Nações Unidas, dizendo que aceitava o imediato cessar-fogo enquanto reorganizava as tropas para a mortandade final.

A velha senhora, que deve saber donde lhe vem aquela tristeza que não passa ao fim de 48 horas, disse-me: «Deixa. Tenho um amigo padre e outro psiquiatra. Quando eu começar a fazer disparates que provoquem escândalo nesta sociedade, chama aquele que te parecer estar menos deprimido».

Duas gargalhadas e uma bejeca devem ter efeito de antidepressivo.

Eu retorqui: «Acorda, mulher. Pelo menos durante 20 anos não vamos ouvir o Patrick Monteiro de Barros defender o nuclear».

IN "SOL"
28/03/11

D O A Ç Ã O


video


enviada por CARACOLETA


LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO
COMPLETA 70 ANOS


No final do século XIX em plena Revolução Industrial, começa haver nas empresas um grande problema de absentismo, provocado por um conjunto de doenças com grande carga social, uma delas o Cancro. Por todo o mundo ocidental criaram-se então estruturas de luta contra esta doença.

Em Portugal é criado o Instituto Português para o estudo do cancro com legislação criada por António Sérgio que respondeu assim ao apelo do grande homem da medicina professor Francisco Gentil, fundador do Instituto Português Oncologia. Em 1923 começa então o Instituto Português de Oncologia (Lisboa), na ocasião apenas sobre o ponto de vista de Lei escrita no papel porque na realidade o primeiro pavilhão foi só inaugurado em 1927 (Lisboa).

Em 1931 um conjunto de senhoras, entre elas Mécia Mouzinho de Albuquerque Condessa de Murça, criaram a chamada comissão iniciativa particular de luta contra o Cancro. E este grupo de senhoras durante dez anos, fizeram um trabalho notável e fundiram as ideias da prevenção do cancro e produção da saúde, organizaram peditórios, influenciaram imensa gente nesta luta tão grande onde ainda hoje estamos com esta actualidade.


Por proposta do Prof. Doutor Francisco Gentil, a 4 de Abril de 1941, é fundada legalmente (portaria n.º 9772) a Liga Portuguesa Contra o Cancro e que tem fundamentalmente o dois objectivos: a Humanização e a Solidariedade.

Tendo em atenção a vasta acção a ser implementada a nível nacional, nomeadamente em estimular o estudo científico do cancro e difundir os meios técnicos de combater este terrível flagelo social e auxiliar os trabalhos de investigação nos laboratórios do Instituto Português de Oncologia, tornou-se necessário a regulamentação e criação dos Núcleos Regionais, previstos nos seus Estatutos, o que veio a ser concretizado em 1965.

No seu início a Liga procurou suprir as carências do Estado em matéria de financiamento do tratamento do cancro, angariando fundos para custear tudo à que a doença dizia respeito - desde equipamento hospitalar à roupa de cama do hospital. Hoje a situação é diferente.

Com o passar dos anos os recurso humanos e financeiros mobilizados pela Liga foram-se centrando em iniciativas mais focalizadas no apoio ao doente e na investigação da doença e mais orientada para a prevenção do cancro. Desenvolveu-se um plano estruturado e continuado a nível comunitário, descentralizado, de ensino e sensibilização sobre os sinais de alerta e para a prevenção do cancro.

A crescente concentração dos recursos na atenção ao doente, à sua família, por um lado e na detecção precoce da doença, por outro, culminou num das mais importantes iniciativas da Liga: o Programa Nacional de Rastreio de Cancro da Mama, um contributo para salvar vidas, preservar famílias e fortalecer a sociedade. 

Ao longo destes anos, diversos organismos do Estado e da Sociedade Civil têm reconhecido o fundamental papel social da Liga Portuguesa Contra o Cancro. Em 1966 foi conferida à LPCC o título de Membro Honorário da Ordem de Benemerência pelo Senhor Presidente da República.

Foi declarada como Instituição de Utilidade Pública, por despacho de 85/04/17 do Senhor Primeiro-Ministro, publicado no Diário da República n.º 99, II Série, de 30 de Abril.

Mais recentemente, em 2006, foi-lhe conferido o título de Membro Honorário da Ordem Militar de Cristo, pelo Grão-Mestre das Ordens Honoríficas Portuguesas, o Senhor Presidente da República Portuguesa.

IN "SITE DA LIGA"
A - INVENTOS DA ANTIGUIDADE 
2- AGENTES SECRETOS


ALMORRÓIDA NA BANCADA


Figo defende Queiroz 
       no seu processo de despedimento

Luís Figo afirmou esta segunda-feira que nem sempre esteve de acordo com as decisões de Carlos Queiroz no comando da Selecção Nacional, mas fez duras críticas à forma como o técnico foi afastado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

"O professor é uma pessoa pela qual eu tenho respeito. Não estou de acordo com todas as decisões tomadas por ele em todo este processo no comando da Selecção Nacional, mas acho que as pessoas têm de ser directas e honestas quando procuram um selecionador novo e, também, quando o querem despedir", disse.

O ex-jogador da Selecção Nacional acrescentou que "quando necessitam de um treinador para dirigir a Selecção Nacional é o melhor do Mundo e, quando têm que o despedir, despedem-no da pior forma possível".

Campeão do Mundo de juniores sob a orientação de Carlos Queiroz, Luís Figo defendeu que, quando uma pessoa não serve os interesses de uma instituição, "tem de se ser directo no confronto e dizer que não serve e não procurar outras alternativas que possam denegrir a imagem de quem quer que seja".

"As pessoas são importantes quando são procuradas para um determinado cargo, mas também devem ser importantes pela forma como abandonam esse cargo", disse, convicto de que o afastamento de Carlos Queiroz da selecção foi um processo que em nada beneficiou as duas partes.

IN "CORREIO DA MANHÃ"
04/04/11

NR: Apesar de não perceber nada de futebol, não me escuso a ser treinadora de bancada de vez em quando e nesses arroubos de atrevimento, quando o Prof. Carlos Queiroz orientava a selecção nem sempre concordei com as suas opções.
Mas nunca o linchei nem sequer o insultei, porque é obrigatório respeitar quem trabalha e estar naquele lugar tem que se lhe diga.
Quando Deco, depois de regressar ao Brasil caíu na tentação de dizer baboseiras, um dos redactores deste blogue chamou a atenção para o facto, escrevendo que Portugal devia mais ao seleccionador do que a qualquer Deco e também a qualquer Scolari que mostrou muita parra e pouca uva, sem nos esquecermos da agressão cometida contra um jogador de outro País. Mas de agressões somos pródigos, (João Pinto com um murro no estômago dum árbitro argentino e Sá Pinto ao soco em Artur jorge e Liedson), estes tão notáveis que só lhes faltou receber uma medalha.
Agora Pepe!!! não é surpresa, mas quem lhe teria encomendado o sermão?
Processos sumários têm cabimento num governo de Socrates, não espanta pois o processo sumário de apresentação do PEC4.
Deste meu singelo teclado os meus respeitos a Carlos Queiroz que não endividou o País nem o colocou nesta pelintrice a que dão o nome "fino" de recessão ou falência.

marikonera
redactora

1 - JOVENS CANTORES ITALIANOS

2 - VIAGEM AO FUNDO DA TERRA





BELUGAS

video



Sistema informático 
para mulheres do Sec. XXI 

UPGRADE DE NAMORADO 5.0 PARA MARIDO 1.0 

Caro Apoio Técnico, 

No ano passado fiz um upgrade do NAMORADO 5.0 para o MARIDO 1.0 ,  (ou seja: casei!!!) e notei uma redução significativa de performance, principalmente nos aplicações FLORES e JÓIAS, que operavam sem falhas no NAMORADO 5.0 . 

Além disso, o MARIDO 1.0 desinstalou outros programas importantes como ROMANCE 9.5 e ATENÇÃO AO QUE EU DIGO 6.5 e instalou aplicações indesejáveis como JOGO DE FUTEBOL 5.0. 

Também não tenho conseguido rodar o programa CONVERSAÇÃO 8.0 e o AJUDAR EM CASA 2.5: o sistema simplesmente bloqueia. Tentei fazer correr o RECLAMAÇÕES 5.3 para corrigir esses problemas mas não consegui nada. O que faço? 

Ass.: Utilizadora desesperada. 

____________________________ 

RESPOSTA DO APOIO TÉCNICO
 

Cara Utilizadora desesperada, 

Primeiro, tenha em mente que o NAMORADO 5.0 é um pacote gratuito e de entretenimento, enquanto MARIDO 1.0 é um sistema operativo. 

Comece por fazer o download de Lágrimas 6.2 e depois digite o comando C:/EU PENSEI QUE ME AMAVAS para instalar o SENTIMENTO DE CULPA 3.0. Essa operação actualiza automaticamente as aplicações FLORES 3.5 e JÓIAS 2.0. 

Mas lembre-se que o uso em excesso dessas aplicações no Marido 1.0 pode activar alguns programas indesejáveis como SILÊNCIO TOTAL 6.1 , IR VER O FUTEBOL COM OS AMIGOS 7.0, que invariavelmente instala o CERVEJA 6.1. 

Este último é terrível, pois cria arquivos do tipo WAV da versão RESSONANDO ALTO 2.5. 

De qualquer forma, NUNCA instale SOGRA 1.0 ou reinstale qualquer versão de NAMORADO. Estas aplicações são incompatíveis e vão bloquear o MARIDO 1.0. 

Em resumo, MARIDO 1.0 é um óptimo sistema, mas ele tem limitações de memória e demora a correr certas aplicações. Para o perfeito funcionamento do sistema, sugerimos que a senhora adquira alguns programas adicionais. 
Recomendamos: 

JANTAR ROMÂNTICO3.0, LINGERIE 6.9 e KAMASUTRA 3.1!!! 

Muito cuidado : Algumas clientes instalam o FILHO 1.0
 para tentar dar estabilidade ao sistema e muitas vezes isso causa alguns efeitos contrários, sendo necessário, antes, uma verificação total no sistema para garantir espaço no disco e, principalmente, ter um SWAP adequado no MONEY 3.0. 

Boa Sorte. 

Atenciosamente. 

Apoio Técnico

5 - GUIA DOS CURIOSOS


CLIQUE NAS PÁGINAS PARA LER BEM



continua no dia 11/04/2011 à mesma hora

2 - OS AGRICULTORES






TENHA UM BOM DIA............


...não se iluda na campanha


COMPRE JORNAIS

não será facilitismo???
Licenças para comerciantes 
desaparecem a partir de Maio
O novo regime já foi publicado e entra em vigor dentro de um mês. Abrir um estabelecimento vai ser mais fácil.
Diminuir as burocracias e o controlo prévio e apostar numa fiscalização mais intensa, com coimas mais elevadas e novas penalizações que, no limite, poderão dar lugar ao encerramento dos estabelecimentos por um período até dois anos. São estas as linhas principais do novo regime do licenciamento zero, publicado na sexta-feira em Diário da República e que entra em vigor no próximo dia 2 de Maio.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

 5 mil tocam-lhe a si
Portugueses têm 50 mil milhões da dívida pública
Cerca de um terço da dívida soberana nacional está em mãos de investidores portugueses. Só as famílias têm mais de 10%
Os investidores portugueses, institucionais e particulares, estão entre os maiores credores do Estado português. Dados públicos do final do ano passado revelam quase 50 mil milhões de euros (49 055 milhões de euros) de investimento em dívida pública portuguesa.
O montante representa cerca de 32% do stock da dívida directa do Estado registada em Dezembro de 2010 e só inclui investimento de carteira da banca, seguros, fundos de pensões e de investimento, Segurança Social, aforradores particulares e o Banco de Portugal. Este peso reflecte o padrão de distribuição dos recentes leilões de dívida soberana em que compradores nacionais, segundo informação das Finanças, têm absorvido cerca de um terço dos montantes colocados. Mas se a participação nacional tem dado alguma almofada ao Estado para se conseguir ainda financiar, se bem que a juros cada vez mais altos, a verdade é que estes investidores estão vulneráveis enquanto credores de Portugal.
"i"

mais tachos à porta do "chumbo"
Governo nega ter feito 156 nomeações 
e promoções depois de demissão de Sócrates
O secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros disse no domingo que apenas uma nomeação foi feita após a demissão do primeiro-ministro, explicando que todas as 156 nomeações e promoções publicadas após essa data foram assinadas antes.
“É completamente falso” que tenham sido feitas 156 nomeações depois de 23 de Março, disse à Lusa o secretário de Estado João Tiago Silveira, negando que, apesar de demissionário, o Executivo de José Sócrates tenha contratado e promovido aqueles 156 funcionários.
Segundo a edição de domingo do Diário de Noticias, após o chumbo do PEC4 no Parlamento, foram publicadas em Diário da República 85 nomeações e 71 promoções, numa média recorde de 12 nomeações diárias, sendo o Ministério da Administração Interna o que contou com o maior número.
"PÚBLICO"

bem dito
"A luz devia ter sido desligada 
duas horitas mais cedo"
O FC Porto reagiu ontem em comunicado publicado no site oficial ao "apagão" que se verificou no Estádio da Luz após o apito final do clássico com o Benfica no qual o FC Porto se sagrou campeão nacional.
Reconhecendo que "a maioria dos benfiquistas não se reconhece" no comportamento levado a cabo pelo Benfica, mas sublinha que se a luz fosse apagada mais cedo... "sempre dava para escapar a mais um banho de bola".

Leia o comunicado na íntegra:

"O FC Porto é campeão nacional. Um campeão justo. Um campeão invicto em 25 jogos, com 16 pontos de vantagem sobre o segundo classificado. No jogo da consagração mostrou, como em todos os outros, que é de longe a melhor equipa da competição.
No desporto há que saber ganhar e há que saber perder. O que aconteceu hoje no Estádio da Luz, quando se apagaram as luzes e se accionou o sistema de rega, é o exemplo mais vivo do fair-play de alguma gente que gosta de parecer muito educada, mas a quem, mais tarde ou mais cedo, cai a máscara. Ela iria sempre cair, foi hoje como podia ser noutro dia qualquer.
Estamos certos de que a maioria dos benfiquistas não se reconhece neste comportamento, mas o FC Porto, sempre na vanguarda, deixa um conselho: a luz devia ter sido desligada duas horitas mais cedo, sempre dava para escapar a mais um banho de bola".
"RECORD"

socratex
Menos de 300 pedidos 
em dois anos de casamento 'simplex'
Casais portugueses preferem oficializar união na conservatória em vez da 'rede'.
Passaram dois anos desde o arranque do programa que permite aos noivos iniciar o processo de casamento civil pela Internet, mas esta opção ainda parece não cativar os portugueses. Em dois anos foram instaurados apenas 283 processos, dos quais 161 em 2010, a partir do sítio www.civilonline.mj.pt.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

escandaloso
Gasolina aumenta hoje 
para valor recorde acima de 1,60 euros
A gasolina disparou mais de 8,5% nos mercados internacionais na semana passada.
Os preços dos combustíveis seguem e somam, imparáveis. A partir de hoje, os portugueses serão confrontados com o preço mais elevado de sempre na gasolina. O gasóleo deverá permanecer inalterado.
Os preços praticados pelas gasolineiras têm por base a cotação média dos combustíveis nos mercados internacionais. Os dados da Bloomberg mostram que a gasolina disparou 8,61% na semana passada, o que não deixa margem para dúvidas: o preço deste combustível volta hoje a subir, atingindo um recorde histórico acima de 1,60 euros por litro. Nunca os portugueses pagaram tanto pelax gasolina e a tendência é de agravamento.
Já o preço do gasóleo deverá ficar inalterado, uma vez que, na última semana, a cotação registou uma subida ligeira de 0,44% nos mercados. O preço de referência do litro de gasóleo em Portugal está actualmente em 1,434 euros, enquanto o preço da gasolina ronda os 1,584 euros por litro. São os preços mais elevados de sempre.
"DIÁRIO ECONÓMICO"

some mais 60 mil até 2012
Menos 50 mil empregos nos últimos cinco anos
Só no último ano, assegura presidente da CCP, acabaram 40 mil postos de trabalho. Algarve, norte do Douro, Porto e Lisboa lideram.
O setor do comércio em Portugal, que emprega cerca de 750 mil pessoas, perdeu nos últimos cinco anos 50 mil empregos com a crise económica. Um ano depois de ter tomado posse como presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, João Vieira Lopes faz o retrato do setor do Comércio e dos Serviços, este último com 1800 postos de trabalho.
Segundo João Vieira Lopes, o número de empresas diminuiu, tendo a área do comércio perdido nos últimos cinco anos cerca de 50 mil postos de trabalho e só no último ano essa perda foi na ordem dos 40 mil. Algarve, zona norte do Douro, Lisboa e Porto são as zonas do País mais críticas. A crise e o fenómeno da concentração, explicou, contribuíram para este cenário, indiciando assim 'uma necessidade de regulação por parte Governo', há muito reivindicada pela CCP. 'Quatro milhões de metros quadrados de grandes superfícies e três milhões e meio de metros quadrados de centros comerciais é um exagero em termos europeus e não gerou mais emprego ao contrário do que se apregoa', frisou.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

onde estão a estabilidade política 
e a pacificação dos mercados 
que V. Exa prometeu????
Presidente da República avisa partidos 
para não prometerem o impossível
O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, alertou para a necessidade de uma campanha eleitoral "de verdade e de rigor", na mais recente mensagem colocada na sua página pessoal da rede social Facebook.
"Na campanha eleitoral que se irá iniciar em breve todos os partidos deverão ter bem presente a situação em que nos encontramos. A campanha eleitoral deve ser uma campanha de verdade e de rigor. Ninguém deve prometer aquilo que não poderá ser cumprido. Prometer o impossível -- ou esconder o inadiável -- seria tentar enganar os Portugueses e explorar o seu descontentamento", refere o chefe de Estado.
Na sua breve mensagem, Cavaco Silva começa por considerar quo o próximo governo "tem pela frente uma crise económica e financeira sem precedentes", e sublinha que as dificuldades do país são tão profundas que ninguém pode ter a ilusão que elas irão desaparecer de um dia para o outro".
Durante a tarde de sábado, o Presidente da República disse, na Batalha, que é errado falar-se no Fundo Monetário Internacional, aconselhando os jornalistas a escrever Fundo Europeu de Estabilização Financeira.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

aviário ao rubro
Batalha campal antecedeu o clássico
Arrepiante confronto entre adeptos encarnados e polícia, na Luz. Mais um capítulo vergonhoso na guerra entre Benfica e FC Porto. Dez detenções e quatro agentes feridos.
Nem a maior operação policial de sempre num jogo de futebol em Portugal - 800 agentes, várias dezenas de veículos e um helicóptero - foi capaz de impedir novo episódio lamentável na guerra cega entre adeptos de Benfica e FC Porto.
Os incidentes começaram com o apedrejamento de vários carros particulares de adeptos do FC Porto, em Telheiras, zona de concentração dos cerca de de 3500 apoiantes azuis e brancos, e conheceram o ponto alto já na chegada ao Estádio da Luz, depois de um percurso calmo.
Muitos adeptos do Benfica concentrados junto à zona comercial, no perímetro do recinto, arremessaram bolas de golfe, garrafas de vidro e pedras, investindo depois, já com os ânimos muito exaltados, contra as forças de segurança. Tudo serviu para atirar aos agentes, até mesas e cadeiras retiradas do interior da zona comercial, que foi encerrada por instantes.
Também voaram caixotes do lixo, com a situação a descontrolar-se durante vários minutos e os desacatos a atingirem proporções gravíssimas, numa batalha campal no mínimo arrepiante para quem assistiu, com várias balas de borracha a serem disparadas pela polícia.
Muitas viaturas estacionadas na zona ficaram danificadas e os adeptos que se encontravam no local e que nada tinham a ver com o motim procuraram fugir e proteger-se como puderam. Os confrontos prosseguiram durante mais algum tempo do outro lado da estrada, com muitas pedras a voarem.
"A BOLA"

o país também
Metro sem dinheiro
A Metro do Porto está sem dinheiro. Com um empréstimo à Banca de cerca de dois mil milhões de euros e com uma obrigação de 100 milhões de euros a ser paga ao BCP daqui a 15 dias, a empresa está numa situação "insustentável".
Ao CM, o presidente da Metro do Porto, Ricardo Fonseca, reconhece as dificuldades financeiras, mas afirma que "não está em causa a continuidade do serviço aos passageiros". "De modo algum", garante. O administrador da empresa explica que já foram investidos 2500 milhões de euros a fundo perdido, tendo recebido apenas 25% deste valor. "Sendo um projecto financiado maioritariamente por empréstimos bancários, que vencem juros, está aqui a origem da situação financeira actual da empresa", refere.
A solução a curto prazo para a Metro do Porto passará por renegociar com a Banca os empréstimos. "É uma questão que vai ser discutida pelos accionistas", sublinha Ricardo Fonseca. A administração da Metro do Porto deu conhecimento da situação financeira da empresa à Secretaria de Estado do Tesouro e Finanças, sem resposta. Em carta ao Ministério das Finanças, a empresa expõe a situação: "É insustentável continuar neste modelo."
"CORREIO DA MANHÃ"

15 - NÓS E OS ANIMAIS

11 - ESTÁ À VENDA MAS ONDE???




TRÊS COISAS X 3



JORNAIS DE HOJE


COMPRE JORNAIS











BOM DIA