terça-feira, 22 de março de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


A professora pergunta ao Joãozinho:
Quantos ovos uma galinha põe por dia?
Não sei, professora.
E com ironia ela diz: Apanhei-te.
Ele também faz uma pergunta:
Professora, quantas tetas tem uma porca?
Não sei.
Viu, você me pega pelos ovos, eu te pego pelas tetas!!!

 

MAS  QUE  SEXO















WAEL GHONIM
POR DENTRO DO EGIPTO






Clique em subtittles para escolher a legendagem

ALMORRÓIDA ECOLOGISTA


Dia Mundial da Água. 
A pegada hídrica aumentou no planeta

Hoje celebra-se o recurso água. 
Portugal está entre os países 
que mais água gastam por habitante

Hoje comemora-se o Dia Mundial da Água, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) e que este ano tem o tema "Responder ao desafio urbano". O objectivo passa por calcular quanto vale, em consumo de água, a folha de papel que segura nas mãos neste momento. Ou a chávena de café que bebemos ao pequeno-almoço, a carne que consumimos, ou a roupa que vestimos. Em 2011, o objectivo deste dia é alertar para as consequências do crescimento das cidades e da industrialização e para as incertezas provocadas pelas mudanças climáticas.

A chamada de atenção é para os governos, para as organizações e as instituições, mas é também para as comunidades e para o indivíduo. Uma chávena de café num restaurante envolve um gasto de água na ordem dos 140 litros, se incluirmos a sua produção. Um quilo de carne exige 16 mil litros de água e uma simples T-shirt de algodão exige um consumo de 2 mil litros de água.

O recurso é escasso e a pegada hídrica aumenta de dia para dia. Portugal encontra-se entre os países que se apresentam com a pegada hídrica mais elevada por habitante, ocupando o sexto lugar entre um total de 140, diz o "Relatório Planeta Vivo 2008", da WWF - World Wild Fund for Nature, que tem os EUA à cabeça. Ao lado de Portugal estão quatro países da região mediterrânica - Grécia, Itália, Espanha e Chipre. O documento demonstra que o uso insustentável da água é um problema crescente e "o declínio dos ecossistemas hídricos é mais acentuado que o declínio da biodiversidade marítima e terrestre". Os responsáveis? O aumento das captações de água para a agricultura e o abastecimento urbano, as políticas de gestão da água e a perda de habitats devido à urbanização e à construção de infra-estruturas. Ao contrário do que possa parecer, a ideia não é proibir a produção de café, de alimentos ou de vestuário, sublinha Luís Silva, um dos responsáveis pela WWF Portugal.

"De que forma a economia sustentável pode ser mais competitiva?" Luís Silva acha que a questão é o ponto de partida para que a pegada hídrica comece a regredir. Por outro lado, "o Plano Nacional da Água, que devia ter sido terminado em 2010, ainda está atrasado", explica Francisco Ferreira, da Quercus, acrescentando que "não foi implementada nenhuma medida".

Esta é uma das razões para a ONU trazer o tema para debaixo de fogo. A ideia é responder ao desafio urbano, incentivar os governos e cada pessoa a participar activamente na procura de uma solução para o desafio da gestão da água. Há um ano, Ban-ki-moon dizia que "a água é o elo que une todos os seres vivos do planeta e está directamente ligada aos objectivos da ONU". Hoje, a importância da água doce e da sustentabilidade vai estar no centro do dia.

Uma folha de papel vale 10 litros de água. Neste momento,(ao folhear um jornal) entre os seus dedos, tem 480 litros de água. E ainda falta contar com a tinta.

IN "i"
22/03/11

POESIA »»» FERNANDO PEIXOTO


CLIQUE 2XS PARA PODER LER


Por que tenho vontade de Urinar quando entro na Piscina?


Não é sacanagem.
Ao entrar na água, a pressão externa sobre o corpo aumenta.
"Os líquidos componentes do plasma que estão fora dos vasos são "empurrados" para dentro deles", com o aumento do volume de sangue nos vasos - chamado volemia - vem a vontade de urinar.
É como beber água.
Por falar em água, é verdade que torneira aberta e Chuveiro despertam a vontade.
"É psicológico, chamamos de reflexo da micção".

SOLANGE COSME

Censos: sem bom-senso ou sem vergonha?


Assim num instante caí do meu pedestal de cidadã portuguesa orgulhosa de ir figurar nas estatísticas do meu país.
Quando no sábado durante a tarde recebi, à porta da minha casa, o senhor dos Censos senti-me na obrigação de cumprir este dever cívico sem pestanejar.
Pedi-lhe por favor que me deixasse a senha ao que o senhor, amavelmente, acedeu e deixou-me também o impresso sobre o "Alojamento Familiar". Tudo bem até aqui. Esse sentimento reforçou-se na 2º feira enquanto ouvia na rádio que o INE não iria aplicar coimas sobre quem não respondesse ao inquérito (muito bem!) e que, por sua vez, apelava antes ao sentido de cidadania dos portugueses para que o preenchessem e com honestidade.
Foi este sentido de cidadania que me levou a, antes do tempo, procurar na internet uma cópia do questionário que irei preencher amanhã. E foi aqui que o meu sentido de cidadania foi por água abaixo.
Como podem ver na fotografia ao lado, na questão número 32, a pessoa que responde ao questionário é informada que - e passo a citar - "Se trabalha a "recibos verdes" mas tem um local de trabalho fixo dentro de uma empresa, subordinação hierárquica efectiva e um horário de trabalho definido deve assinalar a opção "Trabalhador por conta de outrém".
(Pausa, que estou a respirar fundo)
E - assim num instante - caí do meu pedestal de Cidadã Portuguesa orgulhosa de ir figurar nas estatísticas do meu país: Estão a brincar ou eu tenho o impresso errado? Pois... parece que não tenho o impresso errado...
Basicamente o que os senhores dos Censos 2011 dizem na questão número 32 é algo do género "se trabalhar de forma ILEGAL e é explorado pela sua entidade patronal que o obriga a cumprir horário, que o obriga a ter um local de trabalho definido por esta, que até o obriga a ter uma subordinação hierárquica, mas à qual depois passa um recibozinho verde no final do mês... guarde isso para si e diga-nos que trabalha por conta de ontrém" provavelmente deveriam também acrescentar a explicação: "é que nós queremos divulgar os regultados deste Censo e isso ficava assim... um bocadinho mal".
Claro que imagino o confuso inquirido a questionar-se a si próprio, "mas se eu coloco aqui que trabalho por conta de outrém entro para as estatísticas como alguém que tem subsídio de férias, de Natal, direito a baixa e desemprego, indeminização se for despedido, e outras regalias refererentes à situação... isto é a honestidade que pedem?"
Agora percebo porque é que retiraram a multa às pessoas que respondessem com base em principios falsos: é que teriam de multar todas as pessoas que trabalham neste país a recibos verdes, mas que são exploradas por um empresário sem escrúpulos!
Felizmente, devo dizer que não faço parte deste grupo que trabalha unicamente a recibos verdes, mas se o fosse recusar-me-ia a responder a esta questão.
Senhores do Censo, por favor, tenham vergonha! Isto faz-me lembrar algo que aconteceu há alguns anos quando o motorista da Carris perguntava a uma criança quantos anos tinha para lhe poder - ou não - cobrar bilhete e ao que a criança responde inocentemente: lá fora tenho 7, mas aqui tenho 5.
As coisas são como são, não é o que dá mais jeito, e isto era suposto ser um retrato do nosso país! Talvez ainda o seja, mas pelas razões erradas.

IN "EXPRESSO"
19/03/11
OS HOMENS DA LUTA



11 - 9/11 LOOSE CHANGE

ALMORRÓIDA ESPERTALHOSA



“Políticos jogam com prescrição”

A prescrição de processos-crime de corrupção é mais frequente em casos que envolvem verbas avultadas e actores políticos. A conclusão é do estudo ‘Corrupção Fora de Prazo: Prescrição de Crimes na Justiça Portuguesa’, da Associação Cívica Transparência e Integridade, (TIAC), que defende uma política de "tolerância zero" face à impunidade de "agentes com influência".

"A prescrição faz sentido, o que não faz sentido é que esta seja utilizada como um processo de fuga às responsabilidades", afirmou ao CM Paulo Morais, da TIAC. Segundo este investigador, "os períodos de prescrição são um obstáculo ao combate à corrupção, em particular num país como Portugal em que a justiça é lenta". "Prazos de prescrição curtos a par de uma justiça lenta provocam um efeito perverso", acrescentou.

O relatório da TIAC socorre-se de alguns casos como o saco azul que envolveu Fátima Felgueiras, o das contas na suíça de Isaltino Morais, e o caso Freeport para exemplificar situações em que o prazo de prescrição permitiu o arquivamento de alguns crimes. Aliás, o documento é claro: "A prescrição de processos-crime de corrupção não só demonstra a máxima ineficiência do sistema judicial e judiciário em prosseguir com a punição dos agentes deste crime, como transmite a ideia da sua fácil manipulação por certos arguidos dotados de maior influência política ou económica". E Paulo Morais reforça: "Os actores políticos são aqueles que têm conseguido jogar melhor com um conjunto de manobras dilatórias, muito provavelmente por serem mais conhecedores do sistema".

Entre as fraquezas da legislação e organização judiciária portuguesas, a TIAC identificou a "inadequação do actual sistema de organização e gestão da justiça"; "falta de meios humanos e materiais"; "falta de recursos humanos especializados, tanto no que se refere a magistrados como a inspectores da Polícia Judiciária" ou "a falta de um quadro legal de protecção de denunciantes".

IN "CORREIO DA MANHÃ"
22/03/11

ZÉLIA DUNCAN


Estratosfera

clique para ampliar



















3 - VIVENDO NUM PRECIPÍCIO







7 - SALVAR O PLANETA

TEIMOSIA NA PORTAGEM




7 - GABRIEL GARCIA MARQUEZ & PABLO PICASSO


Gabriel Garcia Marquéz  /  Pablo Picasso

TENHA UM BOM DIA............


...e não deixam de nos mentir....

COMPRE JORNAIS



de pior a pior
Passos Coelho não tem medo de ir 
a eleições que considera "inevitáveis"
O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, garantiu esta noite não ter “receio” de ir a eleições que considera “inevitáveis”, assinalando que o partido não irá exercer um mandato “com receio de perder” o seguinte.
“Não tenho nenhum receito de perder estas eleições. São inevitáveis. Não exerceremos um mandato com receio de perder as seguintes”, salientou Pedro Passos Coelho no final de uma assembleia distrital do PSD/Porto, em Ermesinde. Já à entrada havia dito aos jornalistas que Portugal tem de “avançar”, “dar um passo em frente” e que, perante a actual conjuntura, “o pior que poderia acontecer [ao país] era prolongar uma situação de descredibilização e desconfiança”.
Ainda assim, defendeu que deve ser dada uma “oportunidade” ao Governo socialista para “retirar as consequências políticas da forma como apresentou” as novas medidas de austeridade, “mas também da forma como tem gerido toda esta situação económica e financeira do país”.
"PÚBLICO"

portugueses, civilizados e pacíficos
Carro de Vieira atingido por pedras
O carro onde Luís Filipe Vieira seguia, rumo ao Porto, depois do embate com o Paços de Ferreira, referente à 24.ª jornada da Liga, foi atingido por um saco de pedras, que feriu o presidente encarnado.
O veículo seguia pela autoestrada que une Paços de Ferreira ao Porto quando foi atingido, gerando-se a confusão.
Vieira foi assistido no local, aguardando-se agora mais desenvolvimentos sobre esta história.
"RECORD"

sobe o desespero
Pensões baixas só sobem em 2012, 
desemprego nos 11,2%
O Governo volta atrás na previsão de crescimento e para 2011, prevê mais desemprego, congela os aumentos nas pensões mais baixas até 2012 e corta 15% dos cargos dirigentes na função pública, de acordo com o PEC hoje entregue no Parlamento.
O Governo reviu a projecção de crescimento da economia em 2011 e aponta agora para uma queda de 0,9% do Produto Interno Bruto (PIB), depois de ter inscrito no Orçamento do Estado uma previsão de crescimento de 0,2%. O executivo admite ainda uma subida dos preços superior ao previsto, com a inflação nos 2,7%.
Segundo o documento do Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC 4) hoje entregue na Assembleia da República, tão contestado pelos partidos da oposição, entre as medidas complementares de contenção orçamental estão o corte dos benefícios fiscais nos novos créditos à habitação e redução de 991 cargos dirigentes na função pública, o que corresponde a 15% dos cargos existentes. O Governo pretende ainda rever as listas anexas ao Código do IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado), prevendo gerar um "ganho de receitas" de 0,1% do PIB em 2012 e 0,3% em 2013. Esta revisão recai sobre os produtos com taxa reduzida e intermédia.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

os políticos nunca se "lixam"
Parlamento abre já amanhã a crise política
PS não se opõe que votação 
dos projectos se faça amanhã.
O Parlamento abre amanhã a já esperada crise política, com a aprovação pela oposição dos projectos de resolução contra as medidas do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) que Sócrates queria levar no dia seguinte a Bruxelas. Na conferência de líderes extraordinária desta manhã, Bloco de Esquerda, CDS e PCP vão pedir que a votação dos seus projectos de resolução se realize logo após o debate do PEC - isto é, amanhã - e a bancada socialista não vai opor-se. "O PS não inviabilizará nenhuma votação", garantiu ao Diário Económico a vice-presidente do grupo parlamentar Ana Catarina Mendes.
"DIÁRIO ECONÓMICO"


nós por cá...aldrabados
Eurogrupo quer respeito pelos compromissos
PEC já está aprovado
O presidente do Eurogrupo defendeu não ver 'nenhuma razão', para alterações ao pacote de medidas suplementares de consolidação orçamental apresentadas pelo Governo, recordando que o mesmo já foi aprovado. Jean-Claude Juncker, ao ser questionado sobre a possibilidade de o PEC vir ainda a ser alterado, lembrou que este foi aprovado há duas semanas e avalizado por Bruxelas e Banco Central Europeu. 'Não gostaria de interferir num debate de política interna em Portugal, mas aprovámos o programa de ajustamento tal como nos foi proposto pelo Governo português, que foi avalizado pela Comissão Europeia e pelo BCE, pelo que não vejo nenhuma razão para que possa ser alterado o programa tal como ele nos foi comunicado e aprovado por ocasião da nossa ultima reunião', sublinhou. Presente também na conferência de imprensa, o comissário europeu dos Assuntos Económicos, Olli Rehn, limitou-se a acrescentar que corrobora 'por completo o que foi dito pelo Jean-Claude Juncker', O presidente do Eurogrupo lembrou ainda que é preciso cumprir os compromissos assumidos. 'É evidente que há compromissos que foram assumidos por Portugal e não podemos afastar-nos de compromissos assumidos', frisou.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

com a corda no pescoço
Novos créditos à habitação 
não serão dedutíveis no IRS
A despesa com juros e amortização dos novos créditos à habitação deixarão de poder ser abatidos no IRS, uma medida inscrita no quadro do incentivo à redução do endividamento das famílias. O crédito à habitação representa mais de 75% do endividamento bancário das famílias.
Para os empréstimos já existentes, a possibilidade mantém-se, mas severamente restringida para todos os escalões de rendimentos, menos os dois mais baixos (até 7410 euros anuais).
É que o Governo retoma uma das medidas que já tinha tentado inscrever no Orçamento de Estado para este ano, mas que acabou por cair por pressão do PSD, que o impos como condição para aprovar o documento: a forte limitação do valor que se pode deduzir no IRS, por exemplo, com despesas de saúde e educação.
As medidas constam no PEC IV entregue há pouco no Parlamento e que deverá ser levado a votos na quarta-feira.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"


ao trabalho
Concentração é hoje em Óbidos
A Selecção Nacional concentra-se, hoje em Óbidos e começa a preparação para os dois particulares com as selecções do Chile, sábado, em Leiria, e com a Finlândia, na próxima terça-feira, em Aveiro. O primeiro treino está agendado para amanhã de manhã.
O avançado Cristiano Ronaldo e o defesa Ricardo Carvalho estão lesionados e vão falhar as duas partidas, mas devem apresentar-se para serem observados pelo departamento médico da FPF. A Cristiano Ronaldo, por exemplo, foi colocado um tempo de paragem de duas semanas. Mas só depois é que os dois futebolistas do Real Madrid poderão ser dispensados.
"A BOLA"

desejamos muito sucesso
Carlos Anjos: Preside a Comissão
O inspector-chefe da Polícia Judiciária, Carlos Anjos, é hoje empossado presidente da Comissão de Protecção às Vítimas de Crimes, às 17h00, no Ministério da Justiça.
"CORREIO DA MANHÃ"

querem esconder as mordomias
Tribunal não aceita pedido de sigilo 
dos gestores da REN
O Tribunal Constitucional (TC) indeferiu os pedidos de não divulgação das declarações de rendimentos e património apresentados por administradores da REN, considerando não existir motivo para que aquela informação não seja pública.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

lutando pelo pão
Efeitos da greve na CP 
começam a fazer-se sentir hoje à noite
Os efeitos da nova vaga de greves nas empresas de transportes começam hoje a fazer-se sentir, com os serviços da CP a serem afetados pela paralisação dos maquinistas já a partir desta noite.
Os maquinistas da CP estarão em greve na quarta-feira, entre as 05:00 e as 09:00, mas a CP anunciou que prevê "a supressão da maior parte dos comboios dos serviços urbanos de Lisboa a partir das 21:30" de hoje, bem como a supressão de todos os comboios programados nos serviços Regional e urbanos do Porto a partir das 22:00.
Na quarta-feira, a paralisação deverá levar à supressão de todos dos comboios até às 10:00.
A CP afirma ser "expetável que a circulação atinja a normalidade até cerca das 13:00 de quarta-feira, à exceção dos serviços urbanos de Lisboa, em que os primeiros comboios da Linha dos Sado se realizarão cerca das 09:30, da Linha de Cascais cerca das 13:30, da Linha de Sintra cerca das 14:30 e da Linha da Azambuja cerca das 15:00".
Na quinta-feira, param os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa (entre as 05:30 e as 12:00).
O Metropolitano de Lisboa já informou que, devido à greve parcial, o serviço só será normalizado a partir das 11:00 e que não está prevista a prestação de serviços mínimos.
Os trabalhadores da Transtejo e da Soflusa paralisam três horas por turno na quarta-feira.
Na sexta-feira, estão em greve durante todo o dia os trabalhadores da Refer -- Rede Ferroviária Nacional, da CP e da CP Carga e na Carris os motoristas iniciam uma greve ao trabalho extraordinário, que terminará a 08 de abril.
Na CP e na CP Carga os trabalhadores vão manter a greve ao trabalho extraordinário, que começou a 17 de fevereiro, até ao final de abril.
Nas comunicações, os trabalhadores dos CTT continuam em greve ao trabalho extraordinário até ao final de março.
"i"

2 -- VISLUMBRE NO CAMPO






8 - RESPOSTAS DE MADRE TERESA DE CALCUTÁ

4 - CÓDIGOS DOS INDIOS

CLIQUE PARA AMPLIAR


JORNAIS DE HOJE


COMPRE JORNAIS