sábado, 19 de março de 2011

- UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


PRELIMINAR
FEITO EM SESSENTA SEGUNDOS




16 RAPARIGAS
1 BICICLETA

4 - PORTUGAL EM IMAGENS



ESTA FOTO É DO TAMARIZ - ESTORIL







JOÃO QUADROS



Línguas de perguntador


Quando eu era criança, costumava perguntar à minha avó: "o que é o almoço?". A resposta era, invariavelmente: "línguas de perguntador". Durante muitos anos pensei que éramos abastecidos pelo talho da PIDE.

Vem isto a propósito (de forma um nadinha forçada) da pergunta 36 do Questionário Individual do CENSOS 2011: "Às zero horas do dia 21 de Março estava presente no alojamento? Assinale 'Sim' no caso de não ter estado presente às zero horas mas regressou ao alojamento até às 12 horas desse dia". Mas o que é isto?! Porque é que eu de repente me sinto o Renato Seabra? Onde é que eu estava a tal hora?! Se querem que eu responda a uma pergunta destas pelo menos vistam uma gabardina e façam cara de mau. "Regressou ao alojamento até às 12 horas"?!! O Censos está a perguntar se eu dormi em casa?! Tenho que ter cuidado para ver se não há marcas da bâton no meu Questionário de Família porque o Instituto Nacional de Estatística é um ciumento do piorio.

E porque é que os funcionários do Censos andam vestidos de colete amarelo/laranja?! Quando tocaram à porta, eu abri, vi uma senhora de colete amarelo e pensei - "tou tramado! Ela vai pedir-me para eu preencher o Censos e para lhe dar uma ajuda a mudar um pneu".

Foi pena ter sido assim, de um momento para o outro, sem 24 horas de aviso, porque eu gostava de ter feito como faço quando vou ao médico e gostava de ter limpo a casa e de ter dado banho à família antes que eles chegassem.

O questionário é assim-assim. O que me parece mal é que no final não exista pontuação. Sempre servia para saber quem é o melhor do prédio. E era uma boa oportunidade de ficar a saber, sem concursos parvos na televisão, se afinal a família Costa é melhor que a família Lopes, etc. E sinto falta da pergunta sobre signos.

Quanto ao conteúdo. Eu, pelo facto de ser casado e viver com a minha mulher e dois filhos, fui considerado "Família Clássica", que depressão! Se eu soubesse, tinha mentido e tinha dito que tinha o cunhado e o avô em casa. Só para, em vez da família clássica, poder ter uma família de "sitcom".

A pergunta 3 do Questionário de Alojamento Familiar foi a única que me fez corar. " O alojamento tem retrete?" - Não gosto de falar destas coisas. Sou muito pouco escatológico e muito reservado nestas áreas. Respondi à pergunta mas tive que acender e apagar fósforos enquanto respondia.

A pergunta 36 do Questionário Individual, apesar de ser a única não obrigatória, irritou-me: "Indique qual é a sua religião". Andei para cima e para baixo e nem um quadradinho para a religião Maya! Fiquei chateado e peguei na família clássica e fomos sacrificar uma virgem.

O grande momento do Questionário Individual, pelo menos para mim que aprecio o humor do INE, é, quando a meio do dito, surge a pergunta 15 "Sabe ler e escrever?". Agora?! Eu respondi. Não. Mas sou muito bom a dar palpites.

Resumindo. Experimentem fazer o questionário, só para variar do "sudoku", e quando derem de caras com uma pergunta complicada, façam como eu, qualquer que seja a pergunta que me fazem, quando não sei a resposta respondo sempre: "Os Maias". E já acertei três vezes, sem querer. E se forem ver o meu censos na pergunta 23, "qual foi a sua principal fonte de rendimento nos últimos 12 meses?", a resposta é: "Os Maias". Fiz-me engraçado, mas na prática, ainda arrisco que me queiram cobrar o IMI do Ramalhete.


Sem Censo em 2011
1. O Presidente da República, Cavaco Silva, disse: "Importa que os jovens deste tempo se empenhem em missões e causas essenciais ao futuro do País com a mesma coragem, o mesmo desprendimento e a mesma determinação com que os jovens de há 50 anos assumiram a sua participação na guerra do Ultramar." - Imaginem se tem sido o Aníbal a adaptar o "Conta-me Como Foi"?!! É o chamado "colonialismo activo", ou, sobressalto militar. Ou, ainda por outras palavras: Ngana zanbi! O Mwata Cavaco está malaiko!
2. O Presidente da Autoridade de Regulação Nuclear, disse: "O depósito de combustível nuclear do reactor 4 da central japonesa de Fukushima não tem água e está a originar níveis extremamente elevados de radiação" - Este terramoto é para as centrais nucleares o que o filme "Tubarão" foi para praias. Mas também não faz grande coisa pelas praias. Corrijam-me, se estou enganado. Mas pôr uma dúzia de centrais nucleares em cima do Ring of Fire, não é a mesma coisa que levar uma cristaleira a dar uma volta numa montanha russa e não querer que se parta nada? E se os japoneses passarem a ter duas cabeças, como é que calculam o rendimento "per capita"?!

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
18/03/11

5 - ILLUMINATIS »»» A NOVA ORDEM MUNDIAL

PABLO ALBORÁN

6 - CALÇADA PORTUGUESA





ALDEIA DE SORTELHA
BEIRA ALTA


video

enviado por D.A.M.

VISITAS EM 24 HORAS AO BLOGUE


18 de Mar de 2011 17:00 – 19 de Mar de 2011 16:00


Visualizações de páginas por país
Portugal
............................................51
Estados Unidos
..................................17
Brasil
................................................15
França
................................................5
Suíça
..................................................2
Taiwan
................................................2
Hungria
...............................................1
Malásia
...............................................1

TOTAL... 94


FAMOSAS SEM  MAQUILHAGEM



JORNAIS DE HOJE E SEMANÁRIOS


COMPRE JORNAIS E REVISTAS













6 - MICRO MONSTROS DO DIA A DIA


Coloured scanning electron micrograph of a meal (or flour) mite (Acarus siro). It has long hairs extending from its body and large powerful front legs. This species is a common pest of granaries, mills and kitchens, feeding particularly on grains and cereals
ácaro da farinha  (Acarus siro).  
Têem longos pêlos, que saem do corpo, e grandes e fortes pernas dianteiras. Esta espécie é uma praga comum dos celeiros, lagares e cozinhas, alimentando principalmente de grãos e cereais
4 - NÃO HÁ MULHERES FEIAS

4 - PLANETA TERRA »»» SELVAS

CÃO PODENGO PORTUGUÊS










 ESTALÃO
PODENGO PORTUGUÊS
ORIGEM: Portugal
UTILIZAÇÃO: Cão de caça, vigia e companhia.
CLASSIFICAÇÃO F.C.I.:  Grupo 5, Spitz e tipo primitivo.
Secção 7 Tipo primitivo, cães de caça.  Sem prova de trabalho.
                                    

BREVE RESUMO HISTÓRICO: Cão do tipo primitivo, tem a sua origem provável nos antigos cães trazidos pelos Fenícios e Romanos para a Península Ibérica na antiguidade clássica, sofrendo posterior influência com a introdução de efectivos caninos que acompanharam os mouros nas invasões no séc.VIII. Adapta-se ao território e clima nacionais, originando o que é hoje o podengo português. Evoluiu morfologicamente ao longo dos séculos, em razão da funcionalidade, tendo sido seleccionada a variedade pequena, a partir do séc. XV, como cão rateiro nas caravelas dos descobrimentos. 
 
ASPECTO GERAL: Cabeça piramidal quadrangular, com orelhas erectas, cauda em foice, bem proporcionado, com bom esqueleto e bem musculado; dotado de muita vivacidade e inteligência; sóbrio e rústico. Possui três tamanhos, nas variedades de pêlo Liso e Cerdoso.
 
PROPORÇÕES IMPORTANTES: Podengo Grande e Médio Cão sub-mediolíneo, quase quadrado, de média ou de grande corpulência, conforme o tamanho seja médio ou grande, com uma relação – comprimento do corpo/altura ao garrote: 11/10 e altura do peito/altura ao garrote: 1/2.
Podengo Pequeno Cão sub-longilíneo, de pequena corpulência, com o comprimento do corpo maior que a altura, com uma relação – comprimento do corpo/altura ao garrote: 6/5 e altura do peito/altura ao garrote: 1/2.
Em todas as variedades o comprimento do chanfro é mais curto do que o comprimento do crânio. 
 
COMPORTAMENTO / CARÁCTER: 
Podengo Médio e Grande – No Médio é aproveitada a natural vocação como cão de caça ao coelho, caçando em matilha ou isoladamente, sendo, também, conhecido por coelheiro; o Grande é utilizado para a caça maior.
Podengo PequenoÉ utilizado para procurar o coelho nas covas e entre as rochas.
Em todas as variedades é também utilizado, como cão de vigia e de companhia.
 
CABEÇA: Seca e em forma de tronco de pirâmide quadrangular, com base larga e extremidade bastante afilada.
 
REGIÃO CRANIANA: 
Crânio: Plano; perfil quase recto; arcadas supraciliares salientes; sulco frontal pouco pronunciado; espaço inter-auricular horizontal com protuberância occipital saliente. 
Chanfradura Nasal (Stop): Pouco acentuada; os eixos longitudinais superiores crânio-faciais são divergentes.
 
REGIÃO FACIAL:
Trufa: Adelgaçada e truncada obliquamente, é proeminente na ponta; de cor mais carregada do que a da pelagem.
Chanfro: De forma encurvada, de perfil recto; mais curto do que o crânio; mais largo na base do que na ponta;
Lábios: Encostados, finos; firmes, rasgados a direito e bem pigmentados.
Mandíbulas/dentes: Normais em tesoura, com dentes brancos e sólidos; regular oposição das duas maxilas e dentição completa nos Grandes.
Faces: Secas e oblíquas.
Olhos: Expressão de olhar muito viva; olhos pouco salientes nas órbitas; da cor do mel à da castanha, consoante a pelagem; oblíquos e pequenos; pálpebras com pigmentação mais carregada do que a cor da pelagem.
Orelhas: Inserção oblíqua e média; direitas, com grande mobilidade; verticais ou pouco inclinadas para diante, quando atentos; pontiagudas, largas na base, de forma triangular; finas, com altura apreciável e maior do que a base.
 
PESCOÇO: Ligação harmoniosa com a cabeça e com o tronco; direito; comprido; proporcionado, forte e bem musculado; ausência de barbela.
 
TRONCO: 
Linha superior: Direita, horizontal.
Garrote: Discreto em relação ao pescoço e dorso.
Dorso: Direito e comprido.
Rim: Direito; largo e musculado.
Garupa: Direita ou pouco descaída; de comprimento médio; larga e musculada.
Peito: Descido até ao codilho; de largura média; comprido, com esterno inclinado para trás e para cima; costelas pouco arqueadas e oblíquas; peitoral pouco saliente e musculado, não muito largo; 
Linha inferior e ventre: Ligeiramente subida; ventre e flancos secos, ligeiramente arregaçados.
 
CAUDA: Inserção mais alta do que baixa; forte, grossa e pontiaguda; de comprimento médio; em repouso caindo entre as nádegas, até a altura dos curvilhões e ligeiramente arqueada, em acção, levanta-se, horizontalmente, ligeiramente arqueada, ou verticalmente, em foice, mas nunca enrolada; franjada na sua parte ventral.
 
MEMBROS:
 
MEMBROS ANTERIORES: Bem aprumados de frente e de lado; bem musculados e secos; 
Espáduas: Compridas; oblíquas; fortes e bem musculadas; ângulo da espádua aberto, com aproximadamente 110º. 
Codilhos: Paralelos ao plano médio do corpo.
Antebraços: Verticais; compridos e musculados.
Carpos: Secos e não salientes.
Metacarpos: Curtos; fortes; pouco oblíquos.
Mãos: Arredondadas; dedos compridos, fortes e unidos com curvatura fechada; unhas curtas e fortes, de preferência escuras, palmas resistentes e duras.
 
MEMBROS POSTERIORES: Bem aprumados de trás e de lado; bem musculados e secos; paralelos ao plano médio do corpo.
Coxas: Compridas; largura média; musculadas; 
Joelhos: Com ângulo fémuro-tibial de aproximadamente 135º;
Pernas: Oblíquas; compridas; secas, fortes, musculadas.
Jarretes: Altura média; secos; fortes; ângulo do jarrete aberto com aproximadamente 135º;
Metatarsos: Fortes; curtos; oblíquos; Sem presunhos.
Pés: Arredondados; dedos compridos, fortes e unidos, com curvatura fechada; unhas curtas e fortes, de preferência escuras, palmas resistentes e duras.
 
ANDAMENTOS: Trote ligeiro, movimentos fáceis e ágeis. 
PELE: Mucosas, de preferência pigmentadas de negro ou sempre de mais escuro do que a pelagem; pele fina e tensa.

MANTO:
Pêlo: De pêlo curto ou pêlo comprido; de grossura média; pêlo liso quando curto ou pêlo áspero (cerdoso) quando comprido; o pêlo curto é mais denso do que o comprido; na variedade de pêlo comprido e áspero, o pêlo no chanfro é comprido (barbaças); sem sub-pêlo.
Cores: Admitidas - amarelo, fulvo, com as variedades claro, comum e escuro; unicolores ou malhadas de branco ou branco malhadas;
São ainda admitidas no Podengo Pequeno mas não preferenciais: preto, castanho, nas suas tonalidades; unicolores ou malhadas de branco ou branco malhadas;
 
ALTURA E PESO:
Altura ao garrote: 

De 20 a 30 cm nos Pequenos
De 40 a 55 cm, nos Médios 
De 55 a 70 cm, nos Grandes
Peso: 
De 4 a 6 Kg, nos Pequenos
De 16 a 20 Kg, nos Médios
De 20 a 30 Kg, nos Grandes

Nota: Os machos devem sempre apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos no escroto. 

IN "CLUBE PORTUGUÊS DE CANICULTURA"

9 - PROVÉRBIOS COLORIDOS

 

 CLIQUE PARA AMPLIAR 
 

2 - BÉBÉS E PRONTO
 

BOM DIA