domingo, 30 de janeiro de 2011

28 - UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

QUE SUSPENSÃO!!!!

EXÍMIOS NO DAKAR

video

WESTERN SPAGHETTI

UMA FORMA SUAVE DE COLHER MEDULA ÓSSEA




CLIQUE NO SUB TITLE PARA LEGENDAR EM PORTUGUÊS
 
Daniel Kraft faz uma demonstração do seu Marrow Miner (Mineiro de Medula), um novo dispositivo que rapidamente colhe medula óssea com um mínimo de dor para o doador. Salienta também a ideia de que as células estaminais adultas que se encontram na medula óssea podem ser usadas para tratar muitas condições terminais, desde a Doença de Parkinson até doenças cardíacas.

BAPTISTA BASTOS

 
 
 
 
 
 
Algumas coisas 
  que julgo saber sobre 
              a última eleição
 
 
 
Os jogos estão feitos e não há nada mais inútil do que chorar no leite derramado.

O dr. Cavaco ganhou, fez um discurso rancoroso e, agora, temos de esperar o andar da procissão - que ainda vai no adro. Pessoalmente, não estou nada interessado com as "relações institucionais" que o eleito terá com Sócrates. Mas não deixo de anotar algumas deficiências morais praticadas por algumas figuras. Por exemplo, o apoio entusiástico de Freitas do Amaral ao dr. Cavaco deixou-me estarrecido. Freitas fora ignorado quando perdeu as eleições a favor de Soares. Era apoiado pelo dr. Cavaco e pelo PSD e, como se devem recordar, as coisas estiveram muito pretas para o candidato de Esquerda.

Foi então que Cunhal determinou que o PCP devia votar em Soares, "um sapo que se engolia" (dizia-se na altura) para se salvar a democracia em perigo. Era verdade. A onda revanchista atingia alturas impressionantes. E os perdedores em Abril esfregavam as mãos e afiavam as facas para proceder à vingança. Freitas, que andava com um sobretudo verde, muito "sui generis", e muito copiado pelos seus apaniguados, foi derrotado.

Aconteceu um porém: o dr. Cavaco recusou-se a que o PSD pagasse os custos da campanha, que ascendiam a uns largos milhares de contos. Freitas do Amaral chamou a si a responsabilidade de cumprir o compromisso. Trabalhou, afincadamente, em pareceres, aconselhamentos, consultas. De tal forma que (disse-se na altura) teve um enfarte no miocárdio, devido aos excessos de trabalho. Ouvi-o a dizer uma bojardas contra Manuel Alegre e contristei-me. Não havia necessidade. O homem é de cariz muito superior àquele outro que defendia. Que desejava Freitas? Não me atrevo a fazer juízos morais, nem a alvitrar que ele devia ser vingativo. Mas, na verdade, há neste caso uma evanescência moral, absolutamente incompreensível num homem como Freitas. É verdade que ele já fora ministro de Sócrates e fora escarmentado por Paulo Portas, que até removeu o seu retrato da sede do CDS. No entanto…

Se a nova alteração optativa de Freitas do Amaral me desgostou, o mesmo não aconteceu a Correia de Campos. Esta criatura, que deu os primeiros golpes do Serviço Nacional de Saúde, que acabou com o subsistema de Saúde dos jornalistas (que existia desde 1947) e, por decorrência, deixou a nobre Casa da Imprensa em situação extremamente delicada, não teve pejo em infamar Manuel Alegre, declarando o apoio ao dr. Cavaco, "por ser estável e sabedor."

Correia de Campos, socialista nos dias ímpares, e pessoa de semblante sinistro, permite-nos, com estes actos e julgamentos, aferir das amolgadelas da sua personalidade. É daqueles indivíduos que trepou à política para favorecer quê e quem? A sociedade pública não o será, certamente.

Se o PS fez de conta que amparou a candidatura de Manuel Alegre, o PS está gravemente enfermo. Claro que os anos passaram e as décadas são outras. O próprio Mário Soares tinha cuidadosamente colocado o "socialismo na gaveta" e caíra nos braços do CDS, a fim de salvar a pátria. A pátria, e os sonhos embalados, nunca mais foram os mesmos.

O PS e o PSD, de tão semelhantes, deviam, na realidade unir-se e formar um grande partido de Direita, deixando à Esquerda o cuidado de fazer o que muito bem entendessem. Assim, as coisas continuarão a deteriorar-se, os portugueses a manifestar, cada vez mais, o seu desinteresse pela política, e o País definhar-se-á sem glória nem grandeza.

As eleições foram significativas de que os campos políticos estão longe de se recompor ou de se renovar. Por impossibilidade própria e ideológica. Nenhum partido se reforma "por dentro" e esta conclusão não é só aplicável ao PCP. É a todos. Não se sabe muito bem o que pensa Pedro Passos Coelho, a não ser que não está desesperado par tomar, por agora, o poder. O poder ser-lhe-á entregue pelo dr. Cavaco, quando a hora chegar. Porém, o recém-eleito também hesita. Não só abomina Sócrates como detesta Passos. Aliás, o dr. Cavaco não gosta de muita gente. As tropelias que tem feito, ao longo destes anos de poder, são de molde a olharmos o homem com receio e apreensão.

Por outro lado, Sócrates, que não é para graças, e aprendeu a mover-se nos maquiavélicos meandros desta política rasteira, já anunciou a sua recandidatura a secretário-geral do PS. Vai ganhar. Vai ganhar e essa circunstância é limitadora das ambições de Passos. Já se sabe que este nunca terá maioria absoluta no Parlamento. Os inimigos tenazes que o cercam, no próprio partido, possuem um poder inaudito e já começam a mostrar as garras.
A ver vamos no que dá esta pequena farsa à Gervásio Lobato.

APOSTILA - Devo confessar que tenho simpatia por Maria João Avillez. Tem mérito, mas, rigorosamente, nunca para comentadora. Ela não percebe nada do que se passa em derredor, e diz umas coisas tão vagas como pasmosas. Também não aninha, nos seus gostos, o prazer da língua portuguesa. Continua a dizer "inverosímel" por "inverosímil", numa insistência pesarosa e incorrigível. Chega a ser de mais, porque o dislate dura há anos. 

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
28/01/11

5 - A VIDA SECRETA DAS PLANTAS

TENHA UM BOM FIM DE SEMANA


...o assalto ao seu bolso continua


COMPRE JORNAIS

AINDA NÃO DISSE QUE QUER SER PRESIDENTE DO PARLAMENTO
Capucho esclarece notícias sobre 
possível suspensão do seu mandato
O presidente da Câmara de Cascais, António Capucho, vai hoje esclarecer as notícias avançadas na quinta-feira sobre a suspensão do seu mandato por motivos de saúde, numa cerimónia onde também será feito o balanço da sua governação.
Alguns órgãos de comunicação avançaram na quinta-feira que António Capucho vai suspender o seu mandato por razões de saúde, uma notícia que foi confirmada, no mesmo dia, pelo líder do PSD, Pedro Passos Coelho.
"O doutor António Capucho anunciou que ia suspender por um ano a sua actividade como presidente da Câmara de Cascais. Creio que há razões de saúde que estão muito envolvidas com essa sua decisão e que eu não posso senão respeitar", disse o presidente social-democrata na quinta-feira aos jornalistas.
"SOL"

 REPENSAR O TACHO
"Chumbo" dos estatutos leva Madaíl 
a repensar recandidatura
O presidente da Federação Portuguesa de Futebol admitiu hoje recuar na decisão de se recandidatar à presidência do organismo, justificando-se com o facto de as propostas para os novos estatutos terem sido votadas e "chumbadas".
"Não há novos estatutos, portanto voltamos à primeira forma", disse Gilberto Madail, à saída da Assembleia Geral extraordinária da entidade reguladora do futebol português, em que foram votadas e "chumbadas" as propostas para alteração dos estatutos da FPF.
O presidente da FPF havia dito, quinta feira, que seria candidato à presidência da FPF, caso os novos estatutos fossem aprovados.
"EXPRESSO"

POR CAUSA DOS BOYS DO PS E DO PSD
Empresas públicas com "prejuízos crónicos" 
devem ser identificadas
O líder do PSD pediu este domingo, em Ílhavo, que o Governo identifique as empresas públicas que dão "prejuízos crónicos" e devem por isso encerrar, para que deixem de concorrer negativamente com empresas privadas no acesso ao crédito. .
"Nós queremos saber, no contexto das empresas públicas que dão prejuízo crónicos e que têm boas alternativas no mercado privado, quais são as que o Governo entende que devem encerrar", disse Pedro Passos Coelho no encerramento das Jornadas do Poder Local promovidas pela JSD. O líder dos sociais-democratas frisou que não se trata de uma lista das empresas que o Estado deva alienar, porque, "nestes casos, elas não têm grande valor, o grande valor que terão para o Estado é a poupança que se pode fazer fechando-as". Explicando que dessa informação depende "que mais empresas possam sobreviver em Portugal", Pedro Passos Coelho propôs também que o Governo identifique "quais as empresas públicas que se justificam pelo serviço público prestado e para o qual não há oferta privada". Referindo-se ao casos das "empresas de transportes públicos urbanos, de Lisboa e Porto", que beneficiam do subsídio do Estado na venda de passes sociais, o social-democrata critica que esse preço financiado seja decidido sem a apresentação da declaração de rendimentos do utente. "Beneficia dos passes sociais quem precisa disso e quem não precisa", disse, adiantando: "Isto tem de acabar". Pedro Passos Coelho fez ainda um terceiro pedido, para que o Governo explique como e em que condições vai retomar o processo de privatização de empresas públicas, no âmbito do plano de privatizações que anunciou no Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC). Para o líder do PSD, essas medidas são necessárias para apurar se em 2011 se vai estar "apenas a resistir à crise ou a aproveitar para semear condições de mudança na sociedade portuguesa".
"SÁBADO"

 JUSTIÇA NA POBREZA
Caso submarinos/contrapartidas
O Tribunal Central de Instrução Criminal decidiu levar a julgamento todos os nove arguidos do caso submarinos/contrapartidas, acusados 
de burla agravada e falsificação

No debate instrutório, o Ministério Público (MP) manteve a acusação na íntegra e a defesa pediu a anulação da mesma, alegando, entre outros motivos, a falta de isenção da peritagem feita pela empresa INTELI.
Em causa está o relacionamento amoroso entre o presidente da INTELI, Rui Felizardo, e uma das magistradas do Ministério Público (Carla Dias) que assessorou a investigação, que decorreu no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).
Segundo o despacho de pronúncia, a que a agência Lusa teve acesso, o Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) entende estar "suficientemente indiciada a participação dos arguidos, sendo mais forte a probabilidade de, uma vez provados em julgamento os factos que lhes são imputados, serem os mesmos condenados".
Os arguidos estão todos acusados, em co-autoria, de falsificação de documentos e burla qualificada.

Sem dinheiro para traduções

Perante um despacho com cerca de mil páginas e com a necessidade de o traduzir para alemão (três dos arguídos são alemães), coloca-se, agora, um problema que o próprio juiz acredita que "pode atrasar o processo".
O responsável pelo processo admitiu que "o Tribunal está sem verba" para pagar a tradução do despacho, tendo já solicitado às entidades competentes a disponibilize o dinheiro para pagar a necessária tradução.
"VISÃO"

O IRREAL MADRID
«Posso regressar mais cedo a Inglaterra» - Mourinho
O jornal inglês “Daily Mirror” publica este domingo declarações de José Mourinho a dar conta do seu possível regresso a Inglaterra mais cedo do que o próprio esperava.
«Sempre disse que um dia vou regressar a Inglaterra e talvez isso aconteça mais cedo que eu esperava», são as palavras atribuídas ao actual treinador do Real Madrid.
O mesmo jornal revela ainda que Liverpool e Manchester City são os clubes em alerta com as palavras de José Mourinho, mas também fala da possibilidade de «um regresso emocional» ao Chelsea, além de poder substituir Alex Fergusson no Manchester United.
"A BOLA"

A FEBRE AMARELA
Portugal perde 3,6 milhões/dia
As exportações portuguesas para a China aumentaram 67,9 por cento em 2010, somando 571 milhões de euros, anunciou ontem fonte diplomática portuguesa, citando a Administração Geral das Alfândegas chinesas. Contudo, o desequilíbrio na balança comercial com a China cresceu a um ritmo de 3,6 milhões de euros por dia em 2010.
"Estamos num óptimo momento das nossas relações comerciais. Entre os 27 países da União Europeia, Portugal foi um dos cinco cujas exportações para a China mais cresceram", disse a fonte.
As exportações chinesas para o país também aumentaram (38,9 por cento), para 1907 milhões de euros, indicou a mesma fonte. Mesmo assim, o fosso na balança comercial luso-chinesa é de 1, 3 mil milhões de euros, ou seja, 3,6 milhões de euros por dia.
"CORREIO DA MANHÃ"

 CHAMAM ESTADO AO NOSSO BOLSO
TGV. Renegociação do contrato custou 
mais 77 milhões ao Estado
Os encargos para o Estado do contrato de construção do primeiro troço do TGV (comboio de alta velocidade), entre Poceirão/Caia, da Linha Lisboa/Madrid, vão subir cerca de 5%, ou o correspondente a 77 milhões de euros. Essa é diferença do VAL (valor acrescentado líquido) entre o contrato inicial, assinado em Maio de 2010 e a versão reformulada publicada ontem em Diário da República.
O contrato de Maio tinha um VAL (indicador que mede o custo para o concedente) de 1473 milhões de euros. Na versão mais recente, o VAL sobe para 1.550 milhões de euros, segundo dados da RAV (Rede de Alta Velocidade). Este acréscimo de custos para o Estado resulta da transferência de riscos para o consórcio privado que venceu o concurso, sobretudo ao nível do financiamento para adaptar o contrato às dúvidas levantadas pelo Tribunal de Contas.
No novo contrato, o aval do Estado dado a um empréstimo de 300 milhões de euros do Banco Europeu de Investimentos (BEI) é substituído por uma garantia do sindicato bancário o que eleva os custos do financiamento. O mesmo efeito teve a fixação da taxa de juro para os 34 anos deste empréstimo. As duas medidas limitam o risco do Estado, explicou ao i, Carlos Fernandes. O administrador da RAVE sublinha contudo que este VAL está abaixo da proposta final apresentada a concurso em Junho de 2009.
Já o preço contratual, calculado com outros pressupostos de inflação, baixa 23 milhões para 1.668 milhões de euros. O novo contrato aguarda a assinatura para ser reenviado ao Tribunal de Contas para visto. As obras ainda não arrancaram.
"i"

 CORTA E COSE
Segurança Social prepara-se para cortar 
mais de 83 mil prestações sociais
O anúncio foi feito pelo Ministério do Trabalho, que confirmou já ter analisado a prova de rendimentos feita por um milhão de beneficiários. Os agregados familiares foram chamados a fazer prova dos seus rendimentos junto dos serviços da Segurança Social até Janeiro, conforme previsto no diploma de condição de recursos que entrou em vigor a 1 de Agosto e que define o novo conceito de agregado familiar e as novas naturezas de rendimentos.
Em comunicado, citado pela TSF, o Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social anunciou que se registaram 1.021.675 provas de condição de recursos. Destas provas resulta que 823.000 beneficiários terão as prestações reavaliadas. As restantes correspondem a beneficiários que cessaram a sua prestação porque conseguiram emprego ou por cessação dos escalões mais elevados de abono de família.
Segundo a nota do Ministério, estima-se ainda que durante o próximo mês de Fevereiro sejam suspensas 83.500 prestações sociais. A larga maioria corresponde a prestações de abono de família de beneficiários que não fizeram o pedido de palavra passe necessário junto da Segurança Social até ao dia 31 de Dezembro.
Na prova de rendimentos, os beneficiários tiveram de comprovar, por exemplo, o património mobiliário do agregado não excede os 100 mil euros ou disponibilizando os extractos até à data ou permitindo que os serviços consultassem as instituições financeiras.
"PÚBLICO"

É PRECISO SER LUSO-...
Yahima Ramirez conquista bronze
A luso-cubana Yahima Ramirez conquistou este domingo a medalha de bronze na Taça do Mundo de Sófia, lugar que lhe permite amealhar mais alguns pontos no ranking mundial e consolidar a sua posição na corrida pelo apuramento para os Jogos Olímpicos de Londres em 2012.
Depois de ter lutado no Masters de Baku, a judoca da Casa do Povo de Rio Maior começou por vencer na Bulgária a turca Nazmiye Yilmaz e a ucraniana Victoria Turks, ambas por ippon, na categoria de -78 kg.
Nas meias-finais, Yahima não resistiu à germânica Luise Malzahn, que venceu a portuguesa por wasari, mas na luta pelo bronze impôs-se à alemã Maike Heinz, por yuko.
Na véspera, Ana Hormigo e Leandra Freitas (-48 kg), e Ana Cachola (-63 kg), em Sófia, e Sergiu Oleinic (-66 kg), em Tbilissi, foram precocemente eliminados
"RECORD"

PROSTITUIÇÃO ENCAPOTADA
Mil 'casamentos de conveniência' 
estão em tribunal
Lei da imigração criminaliza uniões falsas desde 2007. Desmanteladas redes de paquistaneses e de indianos.
Mil "casamentos de conveniência" estão a ser julgados ou aguardam julgamento nos tribunais. Envolvem portuguesas que casaram com indianos e paquistaneses para estes obterem o visto e poderem circular na Europa. A prática é crime em Portugal desde 2007 e já levou as redes a procurar outros destinos, como a Holanda, onde não é exigido o casamento formal.
Os arguidos daqueles processos incluem os cabecilhas, pessoas colocadas em lugares-chave, como serviços da Segurança Social e conservatórias, proprietários de empresas (algumas fictícias), testemunhas do Registo Civil e intérpretes. As noivas irão a tribunal para testemunhar, já que, admitem os investigadores, "não têm a noção da dimensão do crime que estão a cometer".
Os estrangeiros que casaram com portuguesas através das redes pagaram entre 11 mil e 20 mil euros. Todos os recrutados ganhavam dinheiro: as noivas obtinham mil a três mil euros, pagos em tranches (a última após o casamento), os intérpretes e as testemunhas 500 euros por casamento.
Os cabecilhas vivem em Portugal há vários anos, alguns são comerciantes e têm uma boa rede de contactos nos países de origem e na Europa. Os noivos são indostânicos irregulares, embora existam casos de imigrantes de outras regiões. As noivas são recrutadas entre as camadas mais desfavorecidas da população portuguesa.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

ERA PREVISIVEL
Tensão social aumenta agressividade na escola
Pais e professores são unânimes: o agravamento das condições sócio-económicas das famílias está a contribuir para o aumento da agressividade nas crianças e jovens. Mas consideram que a punição por si só não é solução para acabar com a violência nas escolas.
A intenção do Governo de criminalizar a violência escolar não é consensualmente acolhida por pais e professores, mas num ponto estão de acordo: penalizar unicamente não é suficiente para um criar um clima de paz no espaço escolar.
Hoje, domingo, assinala-se o Dia da Não Violência na Escola.
Albino Almeida, presidente da Confap (Confederação Nacional das Associações de Pais) considera que criminalizar a violência escolar, mesmo que a lei seja aplicada apenas aos maiores de 16 anos, é "uma confissão de fraqueza inaceitável". Isto porque, segundo Maria José Viseu, da CNIPE(Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação), "quando se chega a uma situação de extrema violência, é porque tudo o resto falhou".
Embora os dados de 2010 ainda não tenham sido divulgados, a superintendente Paula Peneda, directora do Gabinete Coordenador da Segurança Escolar do Ministério da Educação, diz que "desde há três anos, os números têm vindo a diminuir". "Felizmente, não temos casos extremos de violência, como homicídios", sublinha.
Mas pais e professores dizem estar a assistir a um incremento da agressividade por parte das crianças e jovens, "mas também de algumas famílias", adianta Manuel Grilo, da Fenprof (Federação Nacional dos Professores).
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

DALIDA - HAVA NAGUILA



NR: QUE FIQUE BEM CLARO QUE NENHUM DOS REDACTORES DESTE BLOGUE É PRÓ-SEMITA OU ANTI-SEMITA. A XENOFOBIA NÃO TEM LUGAR NESTAS PÁGINAS

ENSINAR A COMER


Meet the Super Sprowtz. from Super Sprowtz on Vimeo.

APROVEITE ESTA IDEIA



Os seus sapatos ainda têm muito para andar!

Vamos participar? E ainda ganhamos espaço lá em casa... 
Sapatos, botas, ténis, chinelos, sandálias... Todos eles fazem parte das nossas vidas, até que um dia nos deixam de servir, gastam-se ou deixamos de usá-los.
Neste sentido, e para evitar que deixe de "dar corda" aos seus sapatos, a empresa de reparação de calçado Botaminuto lançou a campanha solidária "Sapatos com Histórias", que convida as pessoas a desfazerem-se dos sapatos que já não usam e deixá-los em qualquer loja desta cadeia. Depois de arranjado, todo o calçado é encaminhado para instituições de solidariedade social e ajuda a aquecer os pés frios de Norte a Sul do país.
Até 15 de Fevereiro, participe nesta iniciativa e entregue os seus sapatos usados, de adulto ou criança, no ponto de recolha mais perto de si. Poderá ainda partilhar a história do seu par de sapatos nas redes sociais!
É tempo de ajudar...dê os seus sapatos a quem não os tem!


CLIQUE EM "SAPATOS COM HISTÓRIAS" PARA VER PONTO DE ENTREGA

Sabia que este é o 4ºano consecutivo que a Botaminuto promove esta campanha e que, em 2010, conseguiu angariar 9000 pares de sapatos?

STREET WASCHER

BARRAGEM DO ALQUEVA

7 - ILUSÃO DE ÓPTICA

2 - CAMAFEUS





BOAS PERGUNTAS


1. Como é que se escreve zero em algarismos Romanos??

2.Porque é que os Flintstones comemoravam o Natal se eles viviam numa época antes de Cristo??

3. Porque é que os filmes de batalha espaciais têm explosões tão barulhentas se o som não se propaga no vácuo??

4. Se depois do banho estamos limpos porque é que lavamos a toalha???

5. Se Deus está em todo lugar, porque é que as pessoas olham para cima para falar com ele??

6. Se os homens são todos iguais, porque é que as mulheres escolhem tanto??

7.Porque é que a palavra 'Grande' é menor do que a palavra 'Pequeno'??

8. Porque é que 'Separado' se escreve tudo junto e 'Tudo junto' se escreve separado??

9. Se o vinho é liquido, como pode existir vinho seco??

10. Porque é que as luas dos outros planetas têm nome mas a nossa se chama só lua??

11. Por que as pessoas apertam o comando da televisão com mais força quando a pilha está fraca??

12.O instituto que emite os certificados de qualidade ISO 9002 tem qualidade certificada por quem??

13. Quando inventaram o relógio como sabiam que horas eram para poder acertá- lo???

14.Se a ciência consegue desvendar até os mistérios do DNA, porque é que ninguém descobriu ainda a fórmula da Coca-Cola???

15. Como foi que a placa 'É Proibido Pisar a Relva' foi lá colocada???

16. Porque é que quando alguém nos pede que ajudemos a procurar um objecto perdido temos a mania de perguntar: 'Onde é que o perdeste??

17. Porque é que há pessoas que acordam os outros para perguntar se estavam a dormir??

enviado por D.A.M.

3 - QUANDO UM PINCEL FOTOGRAFA


CLIQUE PARA AMPLIAR





8 - ILUSTRES PORTUGUESES DE SEMPRE »»» joão garcia




João Silva Abranches Garcia (Lisboa, 11 de Junho de 1967) é um montanhista português. Tornou-se o décimo alpinista do mundo a ascender às 14 montanhas com mais de 8000 metros existentes no planeta, todas sem recurso a oxigénio artificial e sem carregadores de altitude, quando em 17 de Abril de 2010 atingiu o cume do Annapurna (8091 metros), a última dessas 14 montanhas que lhe faltava. Contudo, a que lhe trouxe mais fama foi a ascensão ao Monte Everest (8848 metros), tendo sido o primeiro português a alcançar o seu cume, no dia 18 de Maio de 1999.

Nascido na capital portuguesa, João Garcia iniciou sua prática de montanhismo quando em 1983, então com 16 anos, deslocou-se de bicicleta durante quatro dias à Serra da Estrela e aí com o Clube de Montanhismo da Guarda (CMG) começou a praticar a escalada em rocha. No ano seguinte, iniciou-se na prática de escalada em neve e gelo. Em 1985 acompanhou o CMG numa expedição aos Alpes, tendo ascendido (entre outras montanhas), pela primeira vez ao Monte Branco (4807 m). Nos anos seguintes ascendeu a inúmeros cumes dos Alpes.

Simultaneamente foi atleta de competição de triatlo, desporto que lhe possibilitava adquirir a preparação física necessária para o montanhismo. Em 1990 foi seleccionado para uma comissão de serviço de três anos no Quartel Supremo das Forças Aliadas na Bélgica.

Em 1993 iniciou a sua actividade como himalaísta, integrando uma expedição internacional polaca (liderado por Krzysztof Wielicki à montanha Cho Oyu (8201 m) no Tibete. A ascensão coroada de sucesso foi realizada por uma nova via e sem uso de oxigénio artificial. A partir daí ascendeu a inúmeros cumes dos Himalaias, entre os quais as restantes treze das 14 montanhas com mais de 8000 metros.

João Garcia iniciou em 2006 com a ascensão ao Kanchenjunga (8586 m), no Nepal, o projecto "À conquista dos Picos do Mundo", onde o alpinista escalou (sempre sem recurso a oxigénio), entre 2006 e 2010, dez das 14 montanhas com mais de 8000 metros, totalizando assim em 17 de Abril de 2010 as 14 montanhas com mais de 8000 metros. Em 22 de Maio de 2006 João Garcia atinge com o alpinista equatoriano Iván Vallejo o cume do Kanchenjunga. No mesmo ano, 2006, João Garcia liderou uma expedição 100% portuguesa ao Shishapangma (8046 m), que integrou, para além de João Garcia, os alpinistas Bruno Carvalho, Hélder Santos, Rui Rosado, e Ana Santos. O jornalista Aurélio Faria acompanhou grande parte da expedição, como tem sido habitual nos últimos anos. O cume foi atingido no dia 31 de Outubro, por João Garcia, Bruno Carvalho e Rui Rosado. Durante a descida, Bruno Carvalho faleceu após uma queda. A 20 de Julho de 2007, João Garcia completou com sucesso mais uma etapa do projecto "À conquista dos Picos do Mundo", atingindo o cume do K2 integrado num grupo de várias expedições que uniram esforços para realizar a Ascensão. O K2, devido à instabilidade climática e à dureza da própria subida, é possivelmente o maior desafio da carreira de qualquer alpinista, chegando mesmo a existir anos em que não se regista qualquer ascensão com sucesso. Em 2008, em menos de dois meses alcança dois cumes de altitudes superiores a 8 mil metros. A 19 de Maio atinge o cume do Makalu (8463m), no Nepal, em solitário, e a 17 de Julho atinge o cume do Broad Peak (8047m), na fronteira China-Paquistão, ambos sem o uso de oxigénio artificial. No dia 28 de Abril de 2009 atingiu, às 11 horas locais, o cume do Manaslu (8163 m), sem recurso a oxigénio, após cinco semanas de adiamentos devido às más condições atmosféricas, mais agrestes do que seria de esperar, o que levou a que muitos outros alpinistas, tenham desistido nesse período das suas tentativas de chegar ao cume. No dia 10 de Julho de 2009 atingiu, às 13 horas locais, o cume do Nanga Parbat (8125 m), no Paquistão, sem recurso a oxigénio e sem carregadores de altitude[1]. No dia 17 de Abril de 2010 atingiu, às 13h30 horas locais, o cume do Annapurna (8091 m), sem recurso a oxigénio [2], completando assim com total sucesso o projecto "À conquista dos Picos do Mundo" e tornando-se o 10º alpinista do mundo a ascender às 14 montanhas com mais de 8000 metros existentes no planeta, todas sem recurso a oxigénio artificial e sem carregadores de altitude.

Das 14 montanhas existentes no mundo com uma altitude superior a 8000 m (todas elas são localizadas na cordilheira dos Himalaias, no continente Asiático, entre a Índia, China, Nepal, Paquistão e Tibete), todos os seus cumes apenas foram alcançados, até ao momento, por 19 alpinistas. Desses, 10 alpinistas escalaram todas as montanhas sem recurso a oxigénio artificial, entre os quais João Garcia. Menos de 100 pessoas escalaram o Evereste sem recurso a oxigénio artificial, uma das quais também João Garcia.
NR:Poder-se-há estranhar destacar este atleta em "ILUSTRES PORTUGUESES DE SEMPRE", a verdade é que ele é ilustre, não pelos holofotes que procura mas pela tenacidade e cu ragem que evidencia.Integrar o grupo de dez alpinistas que escalaram as 14 montanhas do planeta com mais de 8 000 metros não é façanha que se esconda, fica o nosso grande respeito.

3 - FIGURAS DO ESTADO NOVO »»» bissaya barreto


Fernando Baeta Bissaya Barreto Rosa (Castanheira de Pêra, 29 de Outubro de 1886Lisboa, 16 de Setembro de 1974), mais conhecido por Bissaya Barreto, foi um professor de Medicina da Universidade de Coimbra e político. Entre outras funções, foi deputado à Assembleia Nacional Constituinte (1911), dirigente do Partido Republicano Evolucionista e depois da União Liberal Republicana. Após o golpe de Estado de 28 de Maio de 1926 aderiu à União Nacional, de que foi um destacado dirigente.

Biografia

Bissaya Barreto fez os seus estudos primários e liceais em Coimbra.

Matriculado na Universidade de Coimbra, fez parte da geração de estudantes da Greve Académica de 1907. Frequentava, na altura, o 1.º ano da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e foi um dos 160 alunos (chamados intransigentes) que não renovaram a matrícula para fazer exame.

Na Faculdade de Medicina acaba a licenciatura em 1913, formando-se, anos antes, em Filosofia e Matemática, com excelentes notas.

Sendo ainda aluno universitário, lecciona, no Colégio de Coimbra, a disciplina de Ciências Físicas e Biológicas, colaborando na altura com o professor Sidónio Pais, que porventura o terá influenciado.

Em Coimbra, enquanto estudante, foi um republicano convicto. Pertenceu, quando frequentava o 4.º ano de Medicina, ao comité civil da organização carbonária autónoma de Coimbra, "Carbonária Portugália", em Janeiro de 1910. Ao mesmo tempo, faz parte, em Coimbra, da loja maçónica Revolta (aliás, como todos os do comité de estudantes da Carbonária Portugália) com o nome simbólico de Saint-Just, tendo atingido o 5.º grau do Rito Francês.[1]

Participou, como delegado, no Congresso do Partido Republicano, realizado em Coimbra.

Colega de Oliveira Salazar na Universidade, acompanhou-o depois na tertúlia do Centro Académico de Democracia Cristã (CADC), e pode dizer-se, tal era a admiração pessoal que tinha por ele, que foi Salazarista antes do Salazarismo. O ditador, mais tarde, agradeceu-lhe a atenção dedicada.

Concluída a licenciatura em Medicina, Bissaya-Barreto opta pela vida política, sendo eleito pelo círculo eleitoral da Figueira da Foz, para a Assembleia Constituinte de 1911. Em Lisboa, frequenta a Escola Médica e as aulas do professor e cirurgião cabeça, ao mesmo tempo que ocupa o seu lugar no parlamento. Após 3 anos regressa a Coimbra, onde faz provas para professor agregado da Faculdade de Medicina, regendo depois a cadeira de "Técnica Cirúrgica" e exerce clínica. Como cirurgião, percorre a província, operando em Vila Real, Guarda, Santa Comba Dão, Mealhada, Castanheira de Pêra, Figueira da Foz.

Bissaya-Barreto que fez parte (1932) da Comissão Central da União Nacional, juntamente com Manuel Rodrigues, Armindo Monteiro, Lopes Mateus, e sob chefia de Salazar, foi, ainda, Presidente da Junta de Província da Beira Litoral, procurador à Câmara Corporativa e, ao longo do tempo, desenvolveu uma importante acção no campo social e da saúde pública.

Impulsionou sanatórios, leprosarias, casas da criança, refúgios para idosos, institutos maternais, bairros económicos, campos de férias, colónias balneares, estando à frente da campanha de luta contra a tuberculose, a lepra e a loucura. À sua iniciativa se devem os Sanatórios de Celas e dos Covões, actualmente Hospital Pediátrico de Coimbra e Hospital Geral, respectivamente. Também a criação da Maternidade Bissaya Barreto, o Hospital Sobral Cid, o Hospital Psiquiátrico do Lorvão, o Hospital Rovisco Pais (que foi uma moderna leprosaria) o Hospital da Figueira da Foz, entre outras instituições que ainda se encontram em funcionamento.

Criou a Escola Normal Social e o Portugal dos Pequenitos.

Em 26 de Novembro de 1958, criou uma Fundação, em Coimbra, que tem o seu nome, com sede na casa onde viveu.

Após o 25 de Abril foi exonerado de todos os seus cargos, morrendo em Lisboa a 16 de Setembro de 1974.

Actualmente, a Fundação Bissaya Barreto tem em funcionamento um Centro de Documentação com diveros documentos, fotografias e bibliografia sobre a sua vida e a sua obra.

 Obras

*O sol em cirurgia. Coimbra, Imprensa da Universidade, 1915

  O ensino da técnica operatória e patologia cirúrgica em Coimbra (1920-1921). Coimbra, 1922.

Subsídios para a história. 7 volumes. Coimbra, Junta da Província da Beira Litoral, Coimbra, 1946-1964.

2.º volume: Notes sur quelques etablissements d'assistance de la Province de Beira Litoral.

3.º volume: Hôpital Rovisco Pais et oeuvre d'assistance sociale aux familles des lépreux.

4.º volume: Coimbra precisa de ter um hospital-faculdade. Coimbra precisa de ter um hospital-cidade. 1959.

5.º volume: A política da lepra em Portugal. 1960.

6.º volume: Lembranças e comentários. 1961.

7.º volume: Coisas que aconteceram. 1964.

O problema hospitalar de Coimbra. Coimbra, Coimbra Editora, 1965

Coimbra precisa dum hospital-cidade. Coimbra, Coimbra Editora, 1965[3]:

Coimbra e os seus hospitais. Coimbra, Coimbra Editora, 1967.

Uma obra social realizada em Coimbra. Coimbra, 1970 (?)

WIKIPÉDIA

5 - O PAPEL MOEDA PORTUGUÊS DESDE 1779








JERONIMOS

BOM DOMINGO