quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

4 - UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

O PORTEIRO DO PROSTÍBULO

O Porteiro do Prostíbulo

Não havia no povoado pior ofício do que 'porteiro do prostíbulo'.
Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem?
O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem escrever, não tinha nenhuma outra atividade ou ofício.
Um dia, entrou como gerente do puteiro um jovem cheio de ideias, criativo e empreendedor, que decidiu modernizar o estabelecimento.
Fez mudanças e chamou os funcionários para as novas instruções.
Ao porteiro disse:
- A partir de hoje, o senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários e reclamações sobre os serviços.
- Eu adoraria fazer isso, senhor. - Balbuciou - Mas eu não sei ler nem escrever!
- Ah! Quanto eu sinto! Mas se é assim, já não poderá seguir trabalhando aqui.
- Mas senhor, não pode me despedir, eu trabalhei nisto a minha vida inteira, não sei fazer outra coisa. - Olhe, eu compreendo, mas não posso fazer nada pelo senhor. Vamos dar-lhe uma boa indenização e espero que encontre algo que fazer. Eu sinto muito e que tenha sorte.
Sem mais nem menos, deu meia volta e foi embora. O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. Que fazer?
Lembrou que no prostíbulo, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava, com cuidado e carinho.
Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um emprego.
Mas só contava com alguns pregos enferrujados e um alicate mal conservado.
Usaria o dinheiro da indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa.
Como o povoado não tinha casa de ferragens, deveria viajar dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra.
E assim o fez.
No seu regresso, um vizinho bateu à sua porta:
- Venho perguntar se você tem um martelo para me emprestar.
- Sim, acabo de comprá-lo, mas eu preciso dele para trabalhar ... já que..
- Bom, mas eu o devolverei amanhã bem cedo.
- Se é assim, está bom.
Na manhã seguinte, como havia prometido, o vizinho bateu à porta e disse:
- Olha, eu ainda preciso do martelo. Porque você não o vende para mim?
- Não, eu preciso dele para trabalhar e além do mais, a casa de ferragens mais próxima está a dois dias de viagem sobre a mula.
- Façamos um trato - disse o vizinho.
Eu pagarei os dias de ida e volta mais o preço do martelo, já que você está sem trabalho no momento. Que lhe parece?
Realmente, isto lhe daria trabalho por mais dois dias.... aceitou.
Voltou a montar na sua mula e viajou.
No seu regresso, outro vizinho o esperava na porta de sua casa.
- Olá, vizinho. Você vendeu um martelo a nosso amigo.
Eu necessito de algumas ferramentas, estou disposto a pagar-lhe seus dias de viagem, mais um pequeno lucro para que você as compre para mim, pois não disponho de tempo para viajar para fazer compras.
Que lhe parece?
O ex-porteiro abriu sua caixa de ferramentas e seu vizinho escolheu um alicate, uma chave de fenda, um martelo e uma talhadeira. Pagou e foi embora. E nosso amigo guardou as palavras que escutara: 'não disponho de tempo para viajar para fazer compras'.
Se isto fosse certo, muita gente poderia necessitar que ele viajasse para trazer as ferramentas.
Na viagem seguinte, arriscou um pouco mais de dinheiro trazendo mais ferramentas do que as que havia vendido.
De fato, poderia economizar algum tempo em viagens.
A notícia começou a se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viagem, faziam encomendas.
Agora, como vendedor de ferramentas, uma vez por semana viajava e trazia o que precisavam seus clientes.
Com o tempo, alugou um galpão para estocar as ferramentas e alguns meses depois, comprou uma vitrine e um balcão e transformou o galpão na primeira loja de ferragens do povoado.
Todos estavam contentes e compravam dele.
Já não viajava, os fabricantes lhe enviavam seus pedidos.
Ele era um bom cliente.
Com o tempo, as pessoas dos povoados vizinhos preferiam comprar na sua loja de ferragens, a ter de gastar dias em viagens.
Um dia ele lembrou de um amigo seu que era torneiro e ferreiro e pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos.
E logo, por que não, as chaves de fendas, os alicates, as talhadeiras, etc ...
E após foram os pregos e os parafusos...
Em poucos anos, nosso amigo se transformou, com seu trabalho, em um rico e próspero fabricante de ferramentas.
Um dia decidiu doar uma escola ao povoado.
Nela, além de ler e escrever, as crianças aprenderiam algum ofício.
No dia da inauguração da escola, o prefeito lhe entregou as chaves da cidade, o abraçou e lhe disse: - É com grande orgulho e gratidão que lhe pedimos que nos conceda a honra de colocar a sua assinatura na primeira página do livro de atas desta nova escola.
- A honra seria minha - disse o homem. Seria a coisa que mais me daria prazer, assinar o livro, mas eu não sei ler nem escrever, sou analfabeto.
- O Senhor?!?! - Disse o prefeito sem acreditar.
O senhor construiu um império industrial sem saber ler nem escrever? Estou abismado. Eu pergunto:
- O que teria sido do senhor se soubesse ler e escrever?
- Isso eu posso responder. - Disse o homem com calma.
Se eu soubesse ler e escrever... ainda seria o
PORTEIRO DO PROSTÍBULO!!!

Geralmente as mudanças são 
vistas como adversidades.

É MUITA ÁGUA

video

PESADELO

O Pesadelo

 Tive um pesadelo, acordo, olho-me no espelho e descubro que sou vesgo.
Procuro freneticamente nos bolsos, para ver minha fotografia no  Bilhete de Identidade, para ver se sou realmente aquele.
Acho um passaporte e descubro.... Sou espanhol...
Não pode ser, meu Deus!!!
Sento-me inconsolável numa cadeira. Mas não é possível! É uma cadeira  de rodas, o que significa que, além de ser vesgo e espanhol, sou também deficiente físico!

É impossível, digo para mim mesmo, que eu seja vesgo, espanhol e deficiente físico...

- 'Amoooooor!', grita uma voz atrás de mim. É o meu namorado... Porra!
Sou também maricas...!
- "Foi você que usou a minha seringa"?
Ó Deus! Vesgo, espanhol, deficiente físico, maricas e se calhar seropositivo!
Desesperado, começo a gritar, a chorar, a arrancar os cabelos E...
Nãooo!!!!! Sou careca!
Toca o telefone. É meu irmão, que diz: Já arranjaste trabalho?
Que merda, descubro que também sou desempregado!!!
Tento explicar ao meu irmão que é difícil encontrar trabalho quando se é vesgo, espanhol, deficiente físico, maricas, viciado, talvez seropositivo, careca, mas não consigo, porque....
Porque sou gago!!!!

Transtornado, desligo o telefone, com a única mão que tenho, e com lágrimas nos olhos, vou até a janela olhar a paisagem.

Milhões de barracas ao meu redor...
Sinto uma punhalada no pace-maker: além de vesgo, espanhol, deficiente físico, maricas, viciado, talvez seropositivo,  careca, órfão, gago, desempregado, e cardíaco, vivo também numa barraca...

Começo a ficar indisposto e a sentir um calafrio dirijo-me 

ao guarda-fato para apanhar um casaco, e para minha surpresa, quando abro a gaveta encontro uma camisa do ... BENFICA!!!
Aí já é sacanagem...
Entro em desespero, pois além de vesgo, espanhol, deficiente físico, maricas, viciado, talvez seropositivo, careca, órfão, gago, desempregado, maneta, cardíaco, vivo também numa barraca.... e sou adepto do
 BENFICA?!?
P..a que pariu!!!! Haverá pior???

Nesse momento, o meu namorado regressa e diz:
- Amooooooor, vamos, senão chegaremos atrasados ao Conselho Nacional do PS.
 
Desmaiei.....


enviado por MARTINS

ALMORRÓIDA TRAPACEIRA


Rede de corrupção envolve 
GNR, Brisa e empresários
Revelados radares secretos na A1. 
Chantagem em fiscalização de camiões

por NUNO MIGUEL MAIA

Dois militares da extinta Brigada de Trânsito da GNR, vários empresários do sector dos transportes e dois responsáveis da Brisa são suspeitos de um esquema de corrupção, envolvendo fiscalização e os radares de controlo de velocidade da auto-estrada Porto-Lisboa.

Treze arguidos e seis empresas foram acusados pelo Ministério Público (MP), através do Departamento de Investigação e Acção Penal de Aveiro, e ficam hoje a saber se irão a julgamento, após anúncio da decisão instrutória.

Em causa está, principalmente, a actuação de dois elementos da Brigada de Trânsito de Santa Maria da Feira - um cabo e um soldado - que terão gerado um estratagema para, pelo menos desde o início de 2008 e final de 2009, tirarem proveito pessoal no âmbito das suas tarefas públicas.

Nomeadamente, para não passar multas a condutores e empresas infractoras do Código da Estrada, terão recebido dinheiro, em notas, e terão sido presenteados com lautos almoços e jantares, que chegaram a custar 400 euros.

A investigação da PJ do Porto apurou, ainda, que o cabo da GNR, possivelmente durante pelo menos três anos, não gastou um cêntimo para abastecer de gasóleo o seu BMW 560: fazia-o, de graça, numa bomba privada de uma empresa de metais e sucatas, em Gaia.

O envolvimento de um gestor do centro operacional da Brisa em Santa Maria da Feira, bem como outro elemento da concessionária da auto-estrada A1, surgiu pelo facto de a mulher do cabo exercer funções numa portagem.

O militar da GNR pretendia um bom horário de trabalho para ela e chegou ao ponto de aceder a fornecer informação sigilosa - a exacta localização dos radares de controlo de velocidade na auto--estrada. Noutra ocasião, chegou a avisar, por telefone, que fechou os olhos a uma infracção rodoviária do gestor da Brisa.

Mas, segundo a acusação do MP, o principal método de fazer dinheiro passava pela abordagem de camiões, nas vias rápidas da zona da Feira até Estarreja. Os motoristas eram mandados parar e eram-lhes exigidos os tacógrafos. Em muitas ocasiões foram detectadas irregularidades, em que as multas poderiam chegar a 15 mil euros.

Os militares questionavam, então, se os "patrões" eram "porreiros". E pediam os respectivos contactos, para perguntar como queriam "resolver" os problemas. Houve casos em que os tacógrafos ficaram retidos enquanto não se concretizavam os contactos. E não eram feitos autos de contra--ordenação, o que foi entendido pelos empresários como "pressão" para pagar.

Os arguidos foram acusados por ilícitos de corrupção, abuso de poder e prevaricação, num total de 19 situações. Incluindo os "patrões" que aceitaram pagar refeições, oferecer combustível ou mesmo entregar dinheiro vivo.

Aos militares da GNR foram, ainda, instaurados processos disciplinares, a cargo da Inspecção Geral da Administração Interna.

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
06/01/11

03 - ANOREXIA

FERNANDO SOBRAL





 Feliz ano novo?

Os portugueses sempre tiveram muitas razões para entregar o optimismo nas mãos do Destino e para se sentirem pessimistas.
O Governo, com as suas medidas sobre, por exemplo, o complexo universo dos recibos verdes, está a contribuir para uma sociedade mais triste. O problema é que em Portugal, mas não só, começa a estar instalada uma cultura negativa: os bancos estão a fechar as torneiras do crédito, as empresas estão a contratar menos, os consumidores estão a retrair-se, o Estado inventa sucessivos impostos sobre quem sempre pagou. Se Portugal sempre foi um País triste, começa a andar de lenço à mão para poder estancar as lágrimas com rapidez. A cultura positiva atrai a criatividade e, por isso, quando se quer definir uma sociedade a régua e esquadro, ela submerge. Neste início de 2011 era necessário um País prudente e sensato, mas com fôlego para a criatividade. Mas com uma dívida soberana suspensa no ar como um abutre esfomeado, o receio pode transformar Portugal no sítio do luto eterno. O optimismo de gel de José Sócrates chocou com a realidade. O pessimismo virginal de quem durante anos foi responsável pelo estado do País, e já não se lembra do que fez, é trágico. Não há feliz ano novo à vista, mas grande parte da classe política nacional é responsável por isso. Mesmo a que afasta as gotas de chuva do seu passado. A cultura negativa junta-se à cultura da negação. Em Portugal ninguém é culpado de nada. Exceptuando quem, em nome da flexibilidade, foi obrigado pelo poder político, desde há anos, a utilizar recibos verdes. E agora vai ter de fazer contas à vida.

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
03/01/11

6 - RECEITAS


CLIQUE 2XS PARA PODER LER

Se quiser saber o início da 1ª receita consulte o 
nº 5 - RECEITAS editado em 30/12/10


Se quiser saber o início da 1ª receita consulte o

nº 4 - RECEITAS editado em 16/12/10

PIRAMIDES DE GIZÉ

DALIDA

ALMORRÓIDA GUERRILHEIRA


Exército confirma desaparecimento 
de armas nos Comandos


O Estado-maior do Exército confirmou hoje a ocorrência de um "incidente com material de guerra" no quartel do Centro de Tropas Comandos, em Belas (Sintra), mas sem adiantar pormenores por o processo estar em segredo de justiça.

Num esclarecimento enviado à agência Lusa, o Estado-maior do Exército (EME) confirma que "houve um incidente com material de guerra na unidade da Carregueira".

O "Correio da Manhã" noticiou hoje que desapareceram 10 armas de guerra, entre pistolas e metralhadoras, e que 350 militares estão proibidos de saírem do quartel da Carregueira. Entre as armas desaparecidas no final do ano, encontram-se metralhadoras G3, HK e MP5, metralhadoras UZI e pistolas Walther P38.

O comando do Centro de Tropas Comandos, que não quis prestar declaração por estarem ainda a decorrer investigações pela Polícia Judiciária Militar no quartel. O EME esclareceu que o comando do Centro de Tropas Comandos, ao ter conhecimento da situação, "de imediato informou a Polícia Judiciária Militar" e que "paralelamente a unidade diligenciou as suas próprias averiguações" internas.

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
06/01/11

CARRO INDIANO


This is the same company which-a few months back-invented a car that costs only $2500 new. BUT it's not available in the USA. Why is it that a gasless vehicle that eliminates the reason to buy oil from foreign countries hasn't nipped the minds of US manufacturers? How bad can this be for anybody, anywhere in the world -- except for foreign oil?


The Compressed Air Car, developed by Motor Development International (MDI) Founder Guy Negre, might be the best thing to happen to the motor engine, and people all over the world.

The $12,700 CityCAT, one of the planned Air Car models, reaches 68 mph, goes for a range of 125 miles. It will take only a few minutes for the CityCAT to refuel at gas stations equipped with custom air compressor u nits. MDI says it should cost only around $2 to fill the car up with 340 liters of air!

The Air Car will be starting production soon, thanks to India's TATA Motors.

Forget corn! That's a joke.

There's fuel, user friendly, pocketbook friendly fuel! What can be better than air?











Now If We will just DEMAND this technology in the USA, we can tell Saudi Arabia, Venezuela & dirty foreign oil to take a hike!
 
I resent it, but can see why jobs are going to India & why we are importing people from India to do jobs that Americans CAN'T.

But I can't see why we have the most unfriendly energy congress in US history, or why they waste time fussing & fighting while we suffer

BIG BANG BIG BOOM


BIG BANG BIG BOOM - the new wall-painted animation by BLU from blu on Vimeo.



an unscientific point of view on the beginning and evolution of life ... and how it could probably end.

I U R D »» EM MOÇAMBIQUE



CLIQUE 2XS PARA PODER LER





1 - NO FEMININO








FORA DE PRAZO??? PRESTE ATENÇÂO


CLIQUE 2XS PARA PODER LER

TENHA UM BOM DIA............


... e mantenha-se informado 
                    senão.......mais se "lixa"


COMPRE JORNAIS

NÃO É SUSTO, É MUITO MEDO
Nunca a falta de dinheiro assustou tanto as famílias
O ano de 2011 pode bem ser o mais difícil de sempre para muitas famílias portuguesas. Pelo menos a julgar pelos números divulgados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), segundo os quais as perspectivas para a situação financeira dos consumidores atingiram, em Dezembro, o valor mais baixo desde que o INE começou a compilar dados (em 1997).
O indicador da "situação financeira do agregado familiar", calculado através de respostas dadas pelos próprios inquiridos, acentuou, assim, a queda que já se verificava desde Outubro - mês em que foi apresentado o Orçamento do Estado -, "anulando" as melhorias registadas durante o terceiro trimestre e apresentando o ritmo de degradação mais rápido de que há memória.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

ENGENHARIA FINANCEIRA
Recibos verdes. 
Quem ganha mil euros passa a receber apenas 578
O novo código contributivo está a por os jovens que ganham a recibo verde à beira de um ataque de nervos. Quem ganhe 1000 euros mensais, passa a ter de entregar 21,5% à cabeça aos cofres do Estado por conta do IRS, e 29,6% à Segurança Social.
Contas feitas, significa que a partir deste mês, quem ganhe aquele valor através de recibo verde leva para casa qualquer coisa como 578 euros, ao invés dos anteriores 621 euros. A diferença entre o que se descontava e o que se vai descontar, vai sendo cada vez maior à medida que os valores recebidos crescem, pelo que as penalizações vão ser relevantes para os precários.
A argumentação do governo é diferente. Alega que as próprias empresas vão ser penalizadas pelo facto de terem trabalhadores a recibos verdes. As novas regras referem que as entidades empregadoras passam a ter de pagar 5% para a segurança social sobre estes recibos, desde que estes excedam 80% do que o trabalhador ganha.
Mas fontes contactadas pelo i dizem que esta é uma falsa questão e que na prática o regime vai sobretudo penalizar os precários, porque são eles quem leva a maior talhada nas remunerações ilíquidas: um aumento de taxa que é de cinco pontos percentuais.
Por outro lado, os verdadeiros recibos verdes, que trabalham para vários clientes, como os profissionais liberais, têm habitualmente contabilidade organizada, o que lhes permite abater várias despesas ao rendimento total ilíquido, o que diminui o que pagam em sede de imposto sobre o rendimento.
"i"

A LARANJA MECÂNICA
Fiscal das contas públicas 
certificou irregularidades no BPP
O presidente do grupo de trabalho para criar a comissão encarregue de fiscalizar as contas públicas, António Pinto Barbosa, certificou durante cerca de dez anos as contas do Banco Privado Português, que foi intervencionado no final de 2008 pelo Banco de Portugal, para evitar a sua insolvência imediata.
Esta iniciativa revelou um conjunto de irregularidades e de ilicitudes nas contas da instituição - estavam fora do balanço mais de 1,2 mil milhões de euros - o que levou o BdP, a CMVM e o Ministério Público a iniciarem investigações em curso.
A indicação do economista Pinto Barbosa para liderar o órgão que vai fiscalizar as contas públicas do país partiu do PSD e está a provocar polémica na medida em que não detectou, enquanto presidente do Conselho Fiscal do BPP, quaisquer irregularidades nas contas do banco. Pinto Barbosa sairia da instituição quando João Rendeiro foi obrigado pelo Banco de Portugal a rescindir.
"PÚBLICO"

O PODER DA DROGA
Interpol no rasto do Galgo
Ramificações da rede de tráfico de droga afetam Portugal
O recente envolvimento da Interpol na Operação Galgo pode acrescentar brevemente novas pistas e outros rostos à investigação que foi desencadeada pela Guarda Civil espanhola há um mês. Uma vasta operação de desmantelamento de uma rede de doping levou à detenção de 14 pessoas, entre as quais algumas das figuras mais conhecidas do atletismo espanhol. Sucederam-se os interrogatórios, a rusga a casa das atletas, como sucedeu à campeã Marta Domínguez, e a apreensão de diverso material.
No meio de todo este processo ficou a conhecer-se quem são os mentores da organização: os técnicos Manuel Pascua Piqueras e Maria José Martinéz, o treinador César Pérez, o agente José Alonso Valero e os médicos Eufemiano Fuentes e sua irmã Yolanda e Alberto Léon, ex-ciclista e que funcionava como o elemento operacional no terreno.
"RECORD"

LEI DA FÍSICA DOS MATERIAIS: A MADEIRA NÃO É TRANSPARENTE!!! 
Zona Franca da Madeira quer impedir 
Finanças de divulgar receitas fiscais
A Madeira interpôs providência cautelar para impedir divulgação dos dados. Finanças já contestaram.
O braço de ferro entre o Ministério das Finanças e o Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM) continua. Agora o motivo da discórdia é a publicação no Portal das Finanças das receitas fiscais, arrecadadas com as empresas sediadas na Zona Franca da Madeira (ZFM). A questão já chegou, entretanto, aos tribunais.
A Sociedade de Desenvolvimento da Madeira (SDM) - concessionária do centro de negócios - não aprova a publicação das receitas fiscais, que indicam que as empresas situadas na zona franca custam mais aos cofres do Estado do que rendem, e colocou mesmo uma providência cautelar contra o Ministério das Finanças para impedir a divulgação dos dados. O organismo de Teixeira dos Santos já respondeu invocando a necessidade de transparência da informação. O Ministério das Finanças deduziu oposição ao pedido de providência cautelar, "com o fito de garantir a disponibilização pública e transparente de informação agregada relativa à Zona Franca da Madeira e demais benefícios fiscais", referiu fonte oficial.
O episódio surge depois de o organismo liderado por Teixeira dos Santos ter deixado cair as negociações com a Comissão Europeia que permitiriam alargar os benefícios fiscais dados à ZFM e de o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Sérgio Vasques, ter dito, durante a discussão do Orçamento do Estado para 2011 no Parlamento, que não haveria mais benefícios fiscais para a Madeira.
"DIÁRIO ECONÓMICO" 

 A DONA BRANCA DO PODER
BPN perdeu 200 milhões de euros 
em depósitos em 15 dias
O BPN perdeu cerca de 200 milhões de euros em depósitos nos últimos quinze dias, após o banco se ter tornado o centro das atenções das eleições presidenciais e do Parlamento.
Esta é a segunda vaga de 'fuga' de depósitos no BPN desde que foi nacionalizado em Novembro de 2008, depois de ter passado de um total de depósitos de clientes de 4,5 mil milhões de euros em 2008 para os actuais 3 mil milhões de euros, disse à agência Lusa fonte da instituição. No passado, segundo a mesma fonte, grande parte destes depósitos foram 'transferidos' para a Caixa Geral de Depósitos (CGD), sendo que atualmente, em termos de tabela de remuneração de depósitos, o BPN está a oferecer mais 0,25% do que o banco estatal.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

NA PEDINCHA
Juros sobem para 3,686 por cento
Lisboa paga caro para colocar 500 milhões no mercado

Portugal colocou 500 milhões de euros em dívida pública a seis meses no mercado. Costa Pina mostrou-se otimista. Analistas temem.
O secretário de Estado do Tesouro, Costa Pina, considerou, ontem, que a colocação de 500 milhões de euros em dívida pública a seis meses com juro abaixo do negociado no mercado secundário demonstra a confiança dos investidores nas medidas do Governo de consolidação orçamental.
Pouco depois de serem conhecidos os resultados da primeira emissão do ano de dívida pública, Costa Pina salientou 'o nível de procura registado', que superou em 2,6 vezes a oferta. Segundo o governante, este foi mesmo 'superior à média da procura em 2010, que foi cerca de 2,4 vezes',
Para o responsável pela pasta do Tesouro e Finanças, estes valores refletem 'decisões dos investidores tomadas de forma racional', e, sobretudo, o reconhecimento 'de forma positiva', das medidas tomadas pelo Governo para consolidar as finanças públicas e reduzir o défice orçamental, para 4,6 por cento em 2011.
No entanto, duas analistas britânicas consideram que a taxa de juro de 3,686 por cento registada no leilão de dívida pública foi 'alta', e será 'difícil', a Portugal manter o financiamento da dívida a este nível.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

E O POVÃO A PAGAR
Estado financia hemodiálise 
30% acima do custo real
Um estudo recente da Administração Central dos Sistemas de Saúde (ACSS), em parceria com a consultora Deloitte, "Hemodiálise - Análise ao preço compreensivo", avaliou os custos da hemodiálise nos hospitais S. João (HSJ, Porto) e da Universidade de Coimbra (HUC).
E concluiu que os 78,30 euros que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) paga por doente por dia aos hospitais públicos que oferecem este tratamento equivalem, respectivamente, a 126% e 139% do custo real, que é de 62,02 euros no HSJ e de 56,30 nos HUC. Custo esse que engloba medicamentos, equipamentos, material de consumo clínico, hoteleiro e administrativo, recursos humanos e custos de estrutura. Ou seja, está, em média, 32% acima do dinheiro gasto. Os relatores recomendam o ajustamento dos preços, que terão também ficado inflacionados com a descida dos gastos com fármacos devido à generalização dos genéricos.
Aos centros privados de diálise, para onde são referenciados cerca de 85 % dos doentes, o SNS pagava, até 31 de Dezembro, 547,94 euros por doente hemodialisado por semana. Tudo somado, resulta numa factura de cerca de 250 milhões por ano, a que se somam os subsídios de transporte, que atiram a conta para perto dos 370 milhões de euros.
A necessidade de efectuar cortes nas despesas juntou-se aos resultados do relatório da ACSS, que é citado no despacho 19109/2010, de 27 de Dezembro, como uma das bases para a decisão de reduzir o reembolso do Estado aos centros privados de diálise. Isto, apesar de, segundo fontes do sector, o documento apontar valores exagerados.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

O BOLSO »» A GRANDE PRIORIDADE
Associação de Treinadores fala 
em «inversão de prioridades»
A exemplo do que já fizeram outros sócios ordinários da FPF, a Associação Nacional dos Treinadores de Futebol (ANTF) acaba de tomar posição sobre as eleições na Federação, agendadas para 5 de Fevereiro.
«A realização de eleições na actual conjuntura é considerada uma total inversão de prioridades, uma vez que em primeiro lugar será necessário adequar os Estatutos da FPF à legislação em vigor, sem o que ficariam os seus novos corpos sociais em situação melindrosa, independentemente das condições da sua eleição», lê-se no segundo dos quatro pontos de um comunicado, em que no último parágrafo a ANTF esclarece que «tomará orientação sobre as novas eleições na próxima reunião de Direcção, na qual definirá a sua posição definitiva sobre a matéria».
"A BOLA"

NÃO ERA UMA AUTARCA EXEMPLAR????
Fátima Felgueiras implica advogado
Fátima Felgueiras responsabilizou, ontem, no Tribunal de Felgueiras, o advogado Artur Marques pelo pagamento de 16 mil euros, efectuado pela câmara, a um causídico brasileiro, contratado para evitar a extradição da ex-autarca para Portugal, aquando da sua fuga para o Brasil, em 2003.
"Nunca contratei Paulo Ramalho para me representar no Brasil. O meu advogado sempre foi Artur Marques. Se ele apresentou recibos à câmara com despesas do Brasil, isso é com ele", disse Fátima Felgueiras. Contactado pelo CM, Artur Marques limitou-se a dizer que "não desmentia". O juiz, Ricardo Peixoto, confrontou a arguida com um recibo do advogado brasileiro passado em nome de Felgueiras, que a ex-presidente não soube justificar.
A ex-autarca e o antigo número dois da autarquia, João Garção, são acusados de participação económica em negócio e abuso de poder, por terem autorizado pagamentos da câmara a advogados e negado pedidos semelhantes de Horácio Costa, ex-braço direito de Fátima, que desencadeou o caso ‘Saco Azul’. "Nunca tivemos dualidade de critérios. Por lei, os apoios são destinados a eleitos e Horácio Costa não o era a altura dos factos do ‘Saco Azul", justificou Felgueiras.
"CORREIO DA MANHÃ"

J A N E I R O

2 - NEM TUDO O QUE PARECE É!!!

2 - REFLEXÃO

OS NOSSOS VOTOS

A
todos
aqueles
que gostam
de dormir mas
que se levantam
sempre de bom humor.
Aos que se saúdam com um
beijo. Aos que trabalham muito
e se divertem mais ainda. Aos que
conduzem com pressa mas não buzinam
nos semáforos. Aos que chegam atrasados, mas
não inventam desculpas. Aos que apagam a televisão
para uma boa cavaqueira. Aos que são duplamente felizes,
fazendo só metade. Aos que se levantam cedo para ajudarem um Amigo. Aos que vivem com o entusiasmo de uma criança e a sabedoria de um adulto. Aos que vêem tudo preto só quando está tudo escuro.

  UM FELIZ 2011

JORNAIS DE HOJE


COMPRE JORNAIS










BOM DIA