terça-feira, 14 de dezembro de 2010

HEREDITARIEDADE

ALMORRÓIDA CHAVIANA

Quatrocentos portugueses sequestrados
na Venezuela em 2010

Pelo menos 400 portugueses foram sequestrados ao longo de 2010 na Venezuela, revelaram à Agência Lusa fontes policiais, que insistiram na necessidade de haver mais confiança nas autoridades e denunciar as ocorrências.

"Tem havido uma série de sequestros sobretudo nas últimas semanas, ao longo de todo o ano terão sido mais de 400 casos com portugueses", disse a fonte à Lusa.

"É possível sair bem [destes casos] negociando com os raptores. É importante que a comunidade lusa tenha mais confiança na polícia e faça a denúncia assim que surgir uma situação irregular", apelou.

Sobre o caso do jovem madeirense José Dennis Gomes Gomes, de 24 anos, assassinado na quinta-feira no estado de Arágua, depois de a família pagar o resgate de 35.000 euros, explicou que se trata de uma situação "invulgar, que choca, mas que tem que ser vista num contexto global", com investigações exaustivas.

"Houve alguma circunstância, que levou ao fatídico fim, talvez o jovem tenha identificado um dos raptores, mas qualquer declaração neste momento seria pura especulação", frisou.

Contactados telefonicamente pela Agência Lusa, vários portugueses na Venezuela explicaram que vivem constantemente "em alerta" pela insegurança que se regista no país.

Alguns deles frisaram que lamentam a situação mas não quiseram avançar com opiniões sobre se a comunidade portuguesa está mais exposta do que outras, argumentando ser "um assunto delicado que afecta a todos" os que vivem na Venezuela.

Além dos apelos da polícia venezuelana, também representantes das autoridades portuguesas têm apelado à comunidade lusa para denunciar as diferentes situações de sequestro.

Portugal tem na Venezuela um oficial de ligação que tem promovido diálogos instrutivos com a comunidade lusa e inclusive distribuído panfletos com indicações sobre precauções a tomar a fim de evitar sequestros.

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
14/12/10

OS 5 HOMENS MAIS LINDOS DO MUNDO MUÇULMANo



1.  Neto do Rei Faisál - Arábia Saudita

2. Hrithik Roshan, ator - India


3. Imran Abbas, ator - Paquistão

4. Tarkan, cantor - Turquia

5. Principe Fazza - Dubai

6.. Kenenisa - Etiopia


DISSE QUE ERAM só 5.....
POR QUE  CONTINUOU ???

MULTIPLICIDADE



.

4 - SEGURANÇA DOS PNEUS

MÁRIO RAMIRES




 O ilhéu

Carlos César devia seguir o exemplo do ministro Teixeira dos Santos: cumprir os cortes salariais, sem compensações injustificáveis, e... manter-se bem calado.
Teixeira dos Santos parece ter decretado poupança obrigatória também nas palavras desde o célebre encontro em casa de Eduardo Catroga - a que acabou por ter de se sujeitar para conseguir o acordo para a viabilização do Orçamento do Estado para 2011. Com efeito, desde então (e tirando a obrigatória participação na discussão parlamentar do OE) não faz uma declaração pública. Mas nem por isso deixa de tentar fazer passar a mensagem de austeridade que se impõe. Ou por decreto (na ordem de contenção absoluta ao Ministério da Justiça) ou por comunicado (no esclarecimento sobre a não excepção dos Açores nos cortes salariais).
Neste caso, num texto de dois parágrafos apenas, o seu Ministério das Finanças esclareceu que «a Lei do Orçamento de Estado para 2011 aprovada pela Assembleia daRepública determina um corte médio de 5% nos salários superiores a 1500 euros mensais» e esse «corte abrange todos os trabalhadores em funções públicas, trabalhadores em empresas públicas e entidades públicas empresariais, bem como os titulares de cargos e pessoal de diversos órgãos e entidades enumerados naquela lei», pelo que, conclui, «a lei é muito clara ao determinar que todos os subsectores da Administração Pública, incluindo portanto as Regiões Autónomas, estão, sem excepção, obrigados a proceder àquele corte salarial».
Tanto assim que, no tempo em que Teixeira dos Santos falava em público, chegou mesmo a aconselhar o sector privado a seguir o exemplo do Estado e a proceder também a idênticos cortes salariais.
Claro que o ministro não tem poder para impor aos privados a regra do corte salarial de 5% ou de interferir nos seus critérios de fixação de vencimentos mais do que ao salário mínimo diz respeito.
Como é claro que o estatuto de autonomia constitucionalmente reconhecido às regiões dos Açores e da Madeira implica privilégios legislativos que o Governo da República tem de respeitar.
Acontece que a Assembleia Legislativa dos Açores, por iniciativa do Governo de Carlos César, decidiu aprovar um diploma que estatui compensações para os funcionários regionais cujos salários estejam entre os 1500 e os 2000 euros.
Formalmente, não se trata de uma excepção - os cortes são aplicados como à generalidade dos funcionários da República -, mas, na prática, as medidas compensatórias decretadas anulam os seus efeitos. Uma habilidade jurídica inqualificável.
Bem pode o Governo da República aprovar resoluções que proibam excepções ou compensações excepcionais - como fez ontem o Conselho de Ministros -, ou o Presidente da República invocar princípios constitucionais de equidade, ou distintas personalidades, dos mais diferentes quadrantes, como Vítor Bento ou Vital Moreira (v. Público, edições de segunda-feira e de terça-feira, respectivamente) censurarem a des-solidariedade e a insustentabilidade política da decisão de César. O estatuto da autonomia dá-lhe fundamentos bastantes para os contrariar.
Vítor Bento e Vital Moreira têm total razão. O Presidente da República - mesmo que sem argumentos constitucionalmente relevantes - também. E o Governo da República igualmente.
Mas César leva a sua avante.
Permite-se, inclusivamente, responder-lhes com descabido topete, a roçar a insolência - como o fez em relação a Cavaco Silva, acusando o Presidente candidato a novo mandato em Belém de, com as suas críticas a uma medida de puro populismo regional, não estar a fazer mais do que uma tentativa de «caça ao voto».
Já não é a primeira vez que César ganha notoriedade no Continente com os seus ataques de autonomismo agúdo.
O último foi na polémica questão do Estatuto dos Açores, em que contou com total apoio do PS de Sócrates (e Cavaco era quem tinha a razão).
Mas, desta vez, nem no Governo da República nem no partido que tem a ambição de um dia liderar, encontrou apoios.
Mais lhe valera ter seguido o exemplo de Teixeira dos Santos e ter ficado calado - ninguém que não é solidário deve esperar a solidariedade dos outros.
E os privilégios da insularidade de que César se fez valer têm, para ele, esse custo maior: o Continente não lhe perdoará.

IN "SOL"
10/12/10

S.O.S. - AJUDA DE BERÇO

A "AJUDA DE BERÇO" está com problemas de tesouraria.
Em 13 anos esta instituição acolheu perto de 200 bebés que foram assistidas nas duas pequenas casas onde exerce a sua actividade de assistência.


AJUDE A "AJUDA DE BERÇO" informe-se como
- 21 362 81 74
- 21 362 82 76
- 21 362 82 77
- ajudadeberco@ajudadeberco.pt
- http://www.ajudadeberco.pt

CORRIDA DE CANOA


Esta á a canoa em que José Socrates e a sua tripulação 
correm para nenhures

MARIA BETHANIA

MEGALOMANIAS HOTELEIRAS


clique para ampliar




















À ESPERA DA PIZZA



O vídeo de uma rapariga norte-americana furiosa porque nunca mais lhe entregavam a pizza que pediu num restaurante de fast-food, no campus de uma universidade de Baton Rouge, na Louisiana, está a fazer sucesso na Internet.

A rapariga foi filmada enquanto insultava os funcionários do estabelecimento e no final, sem paciência, acabou por atirar com um pacote de batatas fritas na direcção de um jovem cliente que também se exaltou.

De acordo com a polícia, ninguém apresentou queixa do incidente mas, caso isso venha a acontecer, a jovem pode vir a ser presa ou ser sancionada disciplinarmente pela universidade.

Texto: IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS" 
14/12/10

1 - PORQUE UM FILHO PRECISA DUM PAI





RECÉM CASADOS ESCOLHEM CARRO


CLASSIFICAÇÂO

PONTARIA EH EH EH

TENHA UM BOM DIA............




...que o futuro é obscuro


COMPRE JORNAIS

QUEREM DINHEIRO SEM PRESTAR SERVIÇO
Oficiais da PSP acusam câmaras 
de Lisboa e Porto de quererem dinheiro das multas
O Sindicato Nacional de Oficiais de Polícia (SNOP) classificou ontem de "escândalo nacional" a possibilidade de o controlo do trânsito em Lisboa e no Porto deixar de ser assegurado pelas Divisões de Trânsito da PSP e passar a ser efectuado pelas respectivas polícias municipais.
Num comunicado assinado pelo presidente do SNOP, António Resende da Silva, o sindicato lembra que o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, acusou a PSP de não se coordenar com a Polícia Municipal quando, recentemente, terá sido o próprio autarca a declinar responsabilidades na organização da Cimeira da NATO. "As motivações, se escondidas, parecem ficar claras. Porque mal-grado para algumas pessoas, nunca a PSP fará caça à multa, perseguindo os cidadãos para, quem sabe, resolver os problemas financeiros de qualquer câmara municipal", refere ainda aquela estrutura sindical, insinuando desse modo que a eventual transferência dos serviços de fiscalização do trânsito mais não é do que uma tentativa por parte dos municípios para obterem receitas.

"Tapem buracos"

"Se as câmaras de Lisboa e Porto quiserem exercer as competências de trânsito poderão começar por tapar os buracos existentes em diversas artérias, limpar os colectores, melhorar a sinalização e a iluminação, pôr os radares a funcionar e pôr a Polícia Municipal a fiscalizar o estacionamento", diz ainda o comunicado.
O SNOP tece depois considerações quanto ao facto de as polícias municipais serem constituídas por pessoal oriundo da PSP, considerando que tal situação decorre de naquelas o ordenado ser superior. Ao mesmo tempo os municípios são acusados de ficar com um efectivo para cuja formação não contribuíram.
Por fim, o sindicato dos oficiais da PSP esclarece que, ao contrário do que tem vindo a ser dito, a percentagem camarária para as multas de trânsito não é de 30 por cento mas sim de 55 por cento, montante que, dizem os sindicalistas, está fixado desde Outubro de 2008.
"PÚBLICO"

É PRECISO JUSTIÇA
Queiroz ouvido no TAS a 19 de janeiro
Recurso do antigo selecionador analisado
O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) vai ouvir Carlos Queiroz a 19 de janeiro de 2011 e pode deliberar sobre o recurso apresentado pelo ex-selecionador da suspensão de seis meses aplicada pela Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP).
"O início da audiência do julgamento está marcado para as 9H30", revelou esta terça-feira à agência Lusa o advogado do antigo técnico da seleção das quinas, Rui Patrício, que está na expectativa de que o TAS possa tomar, nesse mesmo dia, uma decisão favorável aos interesses do seu cliente.
No entanto, segundo Rui Patrício, não é um "dado adquirido" que da audiência do julgamento saia uma decisão, podendo esta ser tomada algum tempo depois.
O TAS já deu provimento à solicitação de Carlos Queiroz para que fosse suspensa a execução da pena até à decisão final do tribunal, por forma a que não ficasse impedido de exercer a sua atividade profissional durante esse período.
"RECORD"

 A CULPA É DE QUEM ESTIMULA O CONSUMO DESNECESSÁRIO
Quase 100 pessoas por dia 
deixam de pagar os seus créditos
Crédito ao consumo é o mais afectado. Este segmento representa 91% do total de devedores em incumprimento.
A cada dia que passa 95 pessoas deixam de conseguir pagar o seu crédito à banca. Os números de 2010 espelham os efeitos da crise, que se fazem sentir principalmente nas classes mais baixas e na maioria dos casos, por situações de desemprego. Dos 25.535 novos devedores em incumprimento de que há registo até Setembro, 16.200 não conseguem pagar créditos inferiores 25.000 euros, e 6.300 devedores não conseguem saldar dívidas inferiores a 1.000 euros.
"A crise está instalada, as pessoas têm o seu nível de rendimento diminuído ou até cortado, por situações de desemprego. O número de desempregados aumentou consideravelmente este ano", comenta António Júlio de Almeida, presidente da Sefin. De Dezembro de 2009 até Setembro, 46.100 pessoas perderam o emprego. O número total de devedores em incumprimento à banca é hoje de 633.499 pessoas, o que equivale a um rácio de 13,8% do total do número de pessoas com crédito contratado.
"DIÁRIO ECONÓMICO"

QUE PAÍS É ESTE????
Abandonadas 173 crianças 
até aos cinco anos em 2009
Ministério Público abriu inquérito ao caso dos dois recém-nascidos abandonados em sacos na rua nos últimos quatro dias.
No ano passado foram abandonadas 173 crianças com menos de cinco anos em Portugal. Bebés como o João Vasco, que foi deixado num saco numa rua em Cascais na sexta-feira e está internado no Hospital de Cascais, mas também os que as mães entregaram para adopção logo na maternidade. No entanto, a grande maioria dos casos seguidos pelas comissões não são de recém-nascidos, mas de crianças entregues a si próprias pelos pais.
O Ministério Público abriu ontem a investigação ao caso de João Vasco, deixado à porta de um prédio em Cascais com apenas algumas horas de vida e ao de outro recém-nascido, encontrado morto no domingo num saco de supermercado junto à ribeira do Jamor, em Oeiras.
A autópsia ao bebé deveria ter sido feita ontem, mas, ao que o DN apurou, a ordem do Ministério Público só chegou ao final da tarde. Por isso, os exames forenses devem realizar-se hoje (ver texto ao lado). Já no caso de João Vasco - nome escolhido para o bebé pela equipa do Hospital de Cascais e que reúne o nome do médico do INEM que o tratou [João] e o da mascote da unidade de Cascais [Vasco] - serão colhidas amostras de ADN.
Em Portugal são raros os casos de bebés tão pequenos encontrados na rua. "Os abandonos de recém-nascidos assim na via pública são raros", afirmou ao DN Armando Leandro, presidente da Comissão Nacional de Protecção das Crianças e Jovens em Risco (CNCJR).
Quando as mães decidem encaminhar o bebé para a adopção logo após o parto, o caso pode ser sinalizado pelas comissões como abandono, mas já não é crime.
Isto porque, explicou ao DN fonte da CNCJR, nessas situações há uma demissão das responsabilidades parentais, mas a criança, que fica no hospital, não é deixada em perigo. É imediatamente encaminhada para os serviços da Segurança Social, enquanto aguarda que o tribunal decrete a adopção ou outra medida de acolhimento.
No total, em 2009 foram acompanhados 535 casos de abandono, sendo que é entre os zero e os cinco anos que se registam mais crianças, precisamente na idade em que são mais dependentes e frágeis.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
 
PEGAR O BOI PELOS CORNOS
Maria José Morgado
Política 'miserabilista', do Governo
A procuradora Maria José Morgado alertou ontem que o funcionamento dos tribunais, do Ministério Público e das polícias ficará em risco caso se mantenha a atual 'política miserabilista', do Governo para a área da justiça. 'Se mantivermos esta política miserabilista de natureza bipolar em relação à justiça está posto em causa o funcionamento normal da máquina judiciária: tribunais, Ministério Público e polícias', afirmou a diretora do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

NO DESESPERO
Preços aumentaram 2,3% em Novembro
A taxa de inflação aumentou 2,3% em Novembro, face ao mesmo mês de 2009, mantendo o valor registado em Outubro deste ano, anunciou o Instituto Nacional de Estatística.
De acordo com o INE, excluindo a energia e os bens alimentares não transformados, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) foi de 1,1%, mais 0,2% do que a observada no mês anterior para o mesmo agregado.
A variação mensal do IPC foi de 0,2% (valor que compara com os 0,4% observados em Outubro e 0,2% de Novembro de 2009), enquanto a variação média dos últimos 12 meses situou-se nos 1,2% (0,9% em Outubro).
"Entre as contribuições positivas para a taxa de variação homóloga do IPC, destacam-se as registadas nas classes dos transportes, habitação, água, electricidade, gás e outros combustíveis e produtos alimentares bebidas não alcoólicas", refere o INE.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

GANHA-SE PRESTÍGIO
Apuramento olímpico para Londres-12 em Setúbal
A Federação Portuguesa de Natação ganhou, esta manhã, no Dubai, onde amanhã começa o X Mundial de piscina curta, a organização da prova que dará o apuramento final para os Jogos de Londres 2012 na disciplina de águas abertas, de 10 km. Evento que, desta forma, decorrerá na baia de Setúbal, a 9 de Junho de 2012, onde habitualmente se disputa a etapa lusitana da Taça do Mundo.
«Esta é uma vitória da natação portuguesa e por isso esperamos estar à altura da responsabilidade e honra que os concederam», referiu Paulo Frischknecht pouco depois de saber a boa novidade. Isto porque o presidente da FPN não esteve no momento da apresentação final e votação das candidaturas para a qualificação olímpica pois, como havia referido na véspera a outros dirigentes e responsáveis de várias federações que se encontravam na piscina do Mundial, queria «ganhar sem o meu voto». Aliás, como membro do Bureau da FINA, o líder da federação nacional tem hoje um dia bastante ocupado de sucessivas reuniões e recepções oficiais.
Ao contrário do que aconteceu para Pequim 2008, quando Arseniy Lavrentyev e Daniela Inácio carimbaram o visto para a olimpíada chinesa que acolheu pela primeira vez as águas abertas nos Jogos, a próxima qualificação não decorrerá no local da competição em Londres pois, pelo menos no que diz respeito à parte de modalidades sob a égide da FINA, não há o desejo de efectuar quaisquer competições a poucos meses do início dos Jogos.
«Esperamos igualmente que com este esforço possamos abrir caminho para a qualificação dos nossos atletas para os Jogos. Têm agora todas as condições para o fazerem. Este esforço é para eles», afirmou ainda Frischknecht.
"A BOLA"

ATENUAR A DOR
Saúde: Morfina mais acessível 
para doentes em cuidados paliativos
O Governo quer tornar mais rápido o acesso à morfina pelos doentes em cuidados paliativos fora do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Segundo Inês Guerreiro, a coordenadora da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, é importante que a oferta de opióides injectáveis, como a morfina não seja feita apenas no SNS.
Esta é uma das propostas que esta terça-feira serão apresentadas no Porto, com a presença da Ministra da Saúde Ana Jorge. Outra iniciativa está relacionada com os institutos de oncologia de Lisboa e Coimbra que vão passar a ser centros de referenciação de formação profissional nesta área de cuidados.
O Plano de Acção de Cuidados Paliativos para 2010/13 prevê um modelo organizativo dos recursos estruturais e humanos de cuidados paliativos segundo as necessidades dos doentes, num processo de continuidade de prestação de cuidados que "dê respostas a todos" estes doentes.
"CORREIO DA MANHÃ"

QUEM TEM ANDADO A DESTRUIR O SECTOR PRODUTIVO???
Vieira da Silva: "Economia não tem 
escala suficiente para aumentar a competitividade"
Vieira da Silva salienta que “porém as PME, em particular, as do ramo de serviços, têm uma capacidade de internacionalização que antes estava reservada a empresas de maior dimensão.”
“De qualquer forma, nos últimos anos houve uma mudança estrutural nas exportações portuguesas relacionado com o aumento do peso de sectores com mais intensidade tecnológica”, adiantou o responsável durante a conferência “Portugal Global” organizada pelo Jornal de Negócios.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

A POLÍTICA NO CRIME OU O CRIME DA POLÍTICA???
Polícia britânica encontrou provas 
contra os McCann. Ex-inspector reage
A polícia britânica ajudou a reunir provas para a constituição do casal McCann como arguidos no desaparecimento da filha Madeleine. O diário britânico Guardian revelou novos telegramas do Wikileaks, onde se relata um encontro entre o embaixador americano em Lisboa, Al Hoffman e o embaixador britânico Wykeman Ellis, durante o qual o diplomata britânico informou Al Hoffman de que a polícia do Reino Unido ajudou a desenvolver as provas contra os pais de Maddie, que levaram à constituição de arguidos de Gerry e Kate McCann. O encontro entre os dois embaixadores em Lisboa decorreu em Setembro de 2007, depois de Kate e Gerry terem sido formalmente constituídos arguidos.
O embaixador britânico assegurou ao diplomata americano que as polícias de Portugal e do Reino Unido estava a trabalhar em cooperação. Para o Guardian, as declarações do embaixador britânico em Lisboa vêm contrariar a percepção pública segundo a qual era a polícia portuguesa a forçar as suspeitas sobre o casal McCann, na investigação sobre o desaparecimento da filha.
O caso Maddie também é discutido noutro telegrama da embaixada americana, que refere uma reunião informal dos ministros da Justiça e Segurança da União Europeia. O vice presidente da Comissão Europeia Franco Frattini utilizou o exemplo do desaparecimento de Madeleine para expor a sua intenção de desenvolver um sistema de alerta europeu para crianças desaparecidas. Frattini afirmou que a União Europeia deveria copiar o modelo americano sobre crianças desaparecidas.
O antigo inspector da Polícia Judiciária, Gonçalo Amaral, afirmou que houve uma intervenção política no caso Maddie e, por isso, pediu ao Ministério Público para reabrir o processo.
"i"

F L O R E S

1 - FOTOS BIZARRAS


clique para ampliar