segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

1 - JOSÉ VILHENA




LÁZARO, ALEVANTA-TE E ANDA

video

AVC - Acidente Vascular Cerebral

FLUIDO EM 4D

ALMORRÓIDA PUTINITA


Mundial 2018
Putin encontrou-se secretamente 
com membros da FIFA

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, realizou encontros secretos com um terço dos membros da comissão executiva da FIFA durante a campanha para a organização do Mundial de 2018, revelou um ex-dirigente da Federação de Futebol da Rússia.

“Mantivemos isso em segredo e só agora posso revelar”, disse Viatcheslav Koloskov ao diário Sport-Ekspress, sem revelar os nomes dos dirigentes da FIFA, nem os lugares dos encontros.

Koloskov considerou também que, para a vitória russa, contribuiu o “trabalho diário” do Presidente Dmitri Medvedev, que abordava este tema nos encontros com dirigentes de outros países.

Segundo adiantou, um dos factores que contribuíram para a vitória da Rússia foi a política da FIFA no sentido de alargar a geografia da realização do Campeonato do Mundo de Futebol.

Koloskov, que foi membro da comissão executiva da FIFA durante muitos anos, considera que a candidatura ibérica pouco fez para vencer.

“Quando eu me encontrava com alguém da comissão executiva, nenhum dos membros se recordava de ter conversado com espanhóis e portugueses”, notou.

“Mas o problema é deles. Os espanhóis e os portugueses talvez tenham confiado no prestígio de Angel Villar e no título de campeões do mundo. Mas isso é pouco. Além do mais, a situação de conluio com o Qatar também teve um efeito negativo”, sublinhou. 

IN "PÚBLICO"
06/12/10

O NOSSO PLANETA É MARAVILHOSO

video

ÁUREA SAMPAIO







Péssimos sinais

PS e PSD pariram o monstro e agora juntaram-se, 
mais uma vez, para o salvar

Chiuuuuuuuuuuuuuu! Cuidado, agora é preciso ter muito cuidadinho com o que se diz pois "os mercados" estão à escuta. Supostamente, "os mercados" são nossos amigos e até deve ser por isso que o Presidente da República nos aconselha a não dizermos mal deles, mas cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém. A regra é termos tento na língua, pois "os mercados" podem ouvir e zangar-se connosco. E quando eles se zangam, não há escapatória: saltam-nos para cima e abocanham tudo, a riqueza que temos e a que não temos. Vejam a Grécia, vejam a Irlanda! É por isso que quem é muito íntimo dos "mercados" dá conselhos sábios. Eis os mais importantes: Não devemos expor as nossas mazelas em público, nem revelar dúvidas sobre a execução orçamental. Também é crucial desfazer qualquer equívoco em relação à capacidade dos nossos governantes para nos levarem a bom porto e fundamental não sugerir que a desorçamentação esconde a realidade do défice. É obrigatório mostrarmo-nos, no mínimo, compreensivos perante as medidas do Governo, mas é absolutamente proibida qualquer referência a um eventual pedido de ajuda ao Fundo Europeu de Estabilização Financeira. Em nome do interesse nacional, será proscrito todo aquele que pronunciar a sigla FMI e condenado à condição de pária quem admitir sequer a hipótese de vir a trabalhar com semelhante instituição em nome desse mesmo interesse nacional.

Como o leitor já percebeu, estas regras não existem... mas a insanidade que perpassa na mente de alguns responsáveis políticos e não só, faz com que seja legítimo pensar que, por eles, podiam bem existir. Se já se sentia uma incomodidade difusa pela cada vez mais constante invocação do interesse nacional sempre que se ouviam críticas ou dúvidas sobre a forma como o Governo está a conduzir esta complexa situação, os recentes comentários de Augusto Santos Silva à entrevista de Passos Coelho ao Expresso revelam bem como são perigosos os caminhos dos governantes, quando eles perdem a adesão à realidade. Dizer que o líder do principal partido da oposição "enfraquece a posição nacional" por afirmar o óbvio, isto é, que está disposto a trabalhar com o FMI se tal for necessário, é persistir no erro que nos conduziu à situação em que estamos. Aqui chegados, já não há margem para aquele discurso do tipo "se formos pé ante pé, sem levantar muitas ondas, pode ser que consigamos ultrapassar a tormenta de mansinho". Do que precisamos agora é de ter um plano B e, eventualmente, um C e até um D, em vez de escondermos a cabeça como a avestruz.

O que pode afetar os mercados não é falarmos abertamente dos nossos problemas ou das diferentes soluções que cada um propõe para os resolver. O que os afeta são péssimos sinais como, por exemplo, aquele de abrir exceções quanto aos cortes de vencimentos nas empresas públicas, provando à saciedade o imenso poder do Estado paralelo que a força do Bloco Central se entreteve a consolidar, ao longo dos últimos quinze/vinte anos. PS e PSD pariram, juntinhos, o monstro e, agora, quando se impunha golpeá-lo com determinação, juntaram-se, mais uma vez, para o salvar. É a estes dois partidos que se quer entregar a resolução do imbróglio? É bom que os mercados escutem, para depois não dizerem que não foram avisados.

IN "VISÃO"
01/12/10

VAMOS AJUDAR


Ajude com carinho se puder, pois basta pelo menos divulgar esta informação pelos seus  contactos, pois este logo terá passado por uns milhares de pessoas e, quem sabe, conseguimos ajudar?






Ana Patrícia Ribeiro Fernandes, de 4 anos, reside em Murça Trás-os-Montes, está neste momento internada no IPO do Porto e precisa urgentemente de encontrar um doador de medula.

Para tipagem de doador dirijam-se ao Hospital Pulido Valente ou ao Centro de Histocompatibilidade do Porto no Hospital de S.João de segunda a quinta das 8h ás 16h e sextas das 8h ás 15h.

Vamos tentar ajudar a encontrar um doador compatível. Se não puder ser doador basta passar esta mensagem ao maior número de pessoas possível.
Obrigada/o!

GRUPOS DE APOIO


No dia 5 de Março de 2010, o movimento de intervenção social Grupos de Apoio a Famílias ― que visa apoiar, durante um ano, com a quantia mensal de 250 euros, famílias que, residindo em qualquer ponto do país, passaram a encontrar-se em situação económica muitíssimo difícil, em virtude de despedimento, por fecho de fábricas ou outras empresas decorrente da presente crise ― iniciou a sua acção, com o apoio a 18 famílias.

Este movimento de solidariedade mereceu já o acolhimento de mais de duas centenas de pessoas.

A verificação do preenchimento das acima referidas circunstâncias relativas a cada família, que fundamentam a atribuição do apoio, é da responsabilidade do Padre Jardim Moreira, Presidente da Rede Europeia Anti Pobreza/Portugal.
A equipa coordenada pelo Padre Jardim Moreira verificará, ao 4.º e 8.º mês do decurso da acção, se a família continua a necessitar do referido apoio económico.

Para efectivar o apoio, são constituídos grupos.
Cada grupo, composto por dez pessoas, responsabiliza-se pelo apoio económico, durante um ano, a uma família concreta. Cada membro de um grupo contribui com 25 euros por mês.

Para a recepção dos donativos, o Prior da Paróquia de Santa Maria de Belém (Jerónimos), em Lisboa ― Cón. José Manuel dos Santos Ferreira ―, abriu uma conta específica para este movimento, sendo da sua responsabilidade a passagem dos correspondentes recibos e subsequente transferência para a família.

O nome da família a apoiar é confidencial, para respeitar o seu direito à intimidade e à privacidade.

A situação do "próximo" assume, presentemente, tal gravidade que, para quem tem emprego assegurado, este apoio ― cerca de 83 cêntimos por dia, durante um ano ― não constitui apenas uma questão de solidariedade. É uma exigência de justiça!

Em ordem à criação de uma rede social de apoio aos mais frágeis, quem aderir a esta acção trará consigo mais uma pessoa amiga. E todos seremos poucos...


Pode encontrar-se notícia desta acção de intervenção social em:
O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), a Associação Sindical dos Professores Licenciados (ASPL) e o Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) estão, igualmente, a divulgar estão acção de intervenção social nos respectivos sites. Também a Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) procedeu à divulgação deste movimento pelos seus Associados.

O número das pessoas já inscritas para integrarem os “grupos de apoio a famílias” constitui expressivo sinal da força do sentimento de solidariedade existente na sociedade civil.
A tal, certamente, também não será alheia a resposta positiva ao pedido que temos feito no sentido de cada pessoa "cativar" um amigo, em ordem a tornar possível a criação, em tempo útil, de uma verdadeira rede de solidariedade.

Na mesma linha, nos vários contactos encetados junto de diversas entidades ― nomeadamente, Sindicatos (ASJP, ASPL, SMMP, FNE, STE, etc.), Gulbenkian, CTT, Siemens, Lions Clubes‑Portugal, Delta Cafés, Impresa, Movimento Rotary/Portugal ― não temos pedido qualquer apoio monetário para esta acção, mas antes solicitado a divulgação do movimento, pelos associados/funcionários, bem como a sua motivação para integração nos "grupos de apoio a famílias". Temos, somente, sugerido às empresas que perspectivem a possibilidade de, no âmbito do seu mecenato, suportarem uma parcela do apoio individual (83 cêntimos/dia) de cada seu trabalhador que venha a aderir a esta acção de intervenção social.

Efectivamente, o desenvolvimento, na sociedade civil, de um forte sentimento de solidariedade para com os mais frágeis ― este ano, apoiando famílias, para o ano, idosos cuja pequena reforma não permite sequer satisfazer necessidades de saúde ― é tão importante quanto o apoio económico que pudéssemos receber de uma empresa.

Daí também o pedido e a insistência que fazemos no sentido de que cada pessoa traga mais um amigo.

Para inscrição, enviar um e-mail para jeronimos.familias@gmail.com, endereço criado especificamente para esta acção, indicando:
- nome; - morada; - telefone(s); - n.º fiscal;  - nome de pessoa amiga que, igualmente, queira integrar os "grupos de apoio a famílias", a qual deverá também inscrever-se nos mesmos moldes.


Contactos:
Tel. 91 737 77 51 / 21 301 81 33

ESTRADAS INENARRÁVEIS

video

ALMORRÓIDAS DE COMPADRES


Empresas públicas contratam mais 
em época de eleições

Investigador português em Londres estudou 
contratações nas empresas públicas 
relacionadas com eleições.

Um economista investigador português na Universidade Queen Mary de Londres, Pedro S. Martins, terminou em Novembro um estudo onde concluiu que as contratações das empresas públicas em Portugal "aumentam significativamente nos meses imediatamente antes e imediatamente depois das eleições legislativas".

Intitulado, em inglês, cronyism - expressão que pode ser traduzida por "nepotismo", "compadrio" ou "favorecimento de amigos" -, o estudo foi feito para o IZA, Instituto de Estudos do Trabalho, em Bona, Alemanha.

O investigador afirma, nas conclusões, que embora haja muita produção "anedótica" sobre "o compadrio nas nomeações para os sectores públicos", este é "o primeiro estudo que fornece evidência empírica sistemática sobre esse fenómeno". Baseou-se nos "Quadros de Pessoal" do Ministério do Trabalho, "um census anual particularmente rico de todas as empresas que operam em Portugal e que empregam pelo menos um trabalhador".

De alto a baixo

Pedro S. Martins estudou o período de 1980 a 2008, estabelecendo firmas do sector privado como grupo de controlo comparativo, e concluiu: "As nomeações do sector público aumentam significativamente ao longo dos meses imediatamente antes de um novo governo tomar posse. Também aumentam consideravelmente logo após as eleições, mas somente se o novo governo é de uma cor política diferente da do seu antecessor."

O investigador definiu como empresa pública aquela onde o Estado detém 50% ou mais do poder accionista. Os dados apontam para um "aumento significativo em contratações", que pode ir dos 10% aos 20%, no trimestre seguinte à entrada em funções de um Governo. Esse aumento, segundo as conclusões do estudo, começa porém a ocorrer antes das eleições - ou seja, antes de um Governo abandonar o poder. E o compadrio não se resume às posições de topo na hierarquia das empresas públicas: está espalhado por toda ela.

PS e PSD iguais

Ora isto, acrescentou, traduz um problema de compadrio e de "má utilização de recursos públicos, má utilização essa "politicamente conduzida". São "resultados que ajudam a explicar não apenas a diferença de performance entre o privado e o sector público, e os ganhos decorrentes da privatização, mas também a relutância contra a privatização ainda pode ser observada em muitos países, incluído o estudado neste trabalho".

Segundo Pedro S. Martins, não há diferenças "significativas" nos comportamentos entre os dois partidos que têm dividido entre si a liderança dos sucessivos governos, PS e PSD.

Quem entra e quem sai

As diferenças "significativas" existem, isso sim, na reacção das empresas públicas aos ciclos eleitorais (aumento de contratações, tanto antes das eleições como depois, sobretudo se há mudança na cor do Governo), por contraste com a inexistência desses picos de contratações nas empresas privadas quando estas, por exemplo, mudam de liderança.

No esquema do compadrio face a ciclos eleitorais, o investigador verificou que as contratações começam meses antes das eleições, visando deixar boys nas empresas já suficientemente seguros para que depois sejam imunes a uma eventual mudança do poder - e à consequente nova vaga de contratações.

Dito de outra forma: as contratações tanto são atribuíveis a quem vai deixar o poder como a quem entra - e com isso os quadros das empresas vão alargando, perdendo rentabilidade.

IN"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
06/12/10

MADONA

SNOOKER É PARA TODOS

video

DIA INTERNACIONAL DO HOMEM

video

UM DOS MAIS RAROS FENÓMENOS ATMOSFÉRICOS


A FOTOGRAFIA FOI FEITA NO IDAHO / FRONTEIRA COM WASHINGTON

O ACONTECIMENTO DUROU CERCA DE UMA HORA

As nuvens têm de ser cirros,  estarem a pelo menos 20 pés de altitude, contendo a quantidade precisa de cristais de gelo e  os raios solares a incidirem com uma temperatura de 58º C.


L E N Ç Ó I S

video

ALMORRÓIDA MUITO AÉREA


Queda de peças de avião provoca danos em Almada

Pequenos pedaços metálicos de um avião da companhia angolana TAAG, que sobrevoou Almada durante a manhã, caíram em alguns pontos da cidade sem causar feridos, disse fonte dos bombeiros voluntários locais, adiantando que o aparelho já aterrou no aeroporto de Lisboa.

O comandante dos bombeiros voluntários de Almada, Vítor Espírito Santo, confirmou à agência Lusa que se tratam de "pequenos destroços metálicos, com cerca de cinco por 15 centímetros, pertencentes a um avião", que caíram "pelo menos em quatro pontos da cidade de Almada".

Os bombeiros não têm registo de feridos e quanto a estragos sabe-se apenas que um veículo foi atingido.

"Até ver, nada mais do que um veículo atingido. Aguardamos agora para avaliar a situação de um desses pedaços do avião", adiantou.

O comandante acrescentou ainda já ter recebido a informação de que o avião aterrou em Lisboa.

IN "CORREIO DA MANHÃ"
06/12/10

SNIFAR ÉMUITO MAU








TENHA UM BOM DIA............



...e treine-se para sobreviver

COMPRE JORNAIS

É SÓ MAIS UM TEMPO QUE O PAÍS FECHA
Cortes podem encerrar colégios
"Para o meu filho e para a minha filha decido eu." Foi com este slogan que mais de 3000 pais e professores de alunos de colégios católicos portugueses protestaram, ontem, em Calvão, Vagos, contra as medidas anunciadas pelo Governo, que visam uma redução do orçamento de mais de 30 por cento para as escolas com contratos de associação.
As instituições alegam que muitas pessoas vão ser despedidas e milhares de crianças impossibilitadas de frequentar aquelas escolas. Alguns colégios admitem mesmo fechar as portas, caso as medidas sejam aprovadas pela Assembleia da República.
"Vai ser difícil efectuar o pagamento dos salários e prestar o apoio necessário aos alunos necessitados", garantiu ao CM Rosa Maria, presidente da Associação de Pais do Colégio de Calvão.
O colégio de Mogofores, em Anadia, é um dos que já anunciaram poder fechar portas devido aos cortes previstos pelo Governo.
"Estes são colégios de proximidade e, com os cortes no orçamento, todo o apoio que é prestado a crianças desfavorecidas está em causa", acrescentou Rosa Maria, revoltada com a situação.
Nos 93 colégios portugueses que têm um contrato de associação com o Estado, nenhum aluno paga para estudar. Os pais garantem que as escolas não são de "elite", mas que têm um projecto educativo diferente. "Há quem coma aqui a única refeição do dia", garante a professora Gládys Nascimento.
"CORREIO DA MANHÃ"

FALAR MENOS, ESTUDAR MAIS
Jovens vão pagar muito mais 
por chamadas móveis
Os operadores móveis vão aumentar, em igual valor, as mensalidades dos tarifários concebidos para o segmento jovem. O Moche, o TAG, o Yorn e o Extreme vão aumentar para alguns consumidores muito acima da taxa de inflação.
A partir de 1 de Janeiro de 2011 a mensalidade (ou o carregamento para 30 dias) passa para 12,5 euros nestes tarifários da TMN, Vodafone e Optimus. Neste momento um mês custa 9,9 euros
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

ALGUÉM SE ADMIRA DO DESAPARECIMENTO DE DOCUMENTOS COMPROMETEDORES...
Lista com nomes de clientes VIP 
de rede de prostituição desaparece da PSP
A lista de clientes VIP do site “Momentos de prazer", supostamente gerido pelo repórter de imagem da RTP, Carlos Pinota, desapareceram da PSP, informa o Correio da Manhã.
No início da investigação, a PSP fez um inventário dos bens retirados aos suspeitos de pertencerem a uma rede de prostituição, que não coincide agora com o material entregue no DIAP.
Das instalações da Polícia de Segurança Pública terão desaparecido pen-drives, o que levou à emissão de uma certidão para investigar o desaparecimento.
A pessoa que estiver envolvida no desaparecimento destas provas incorre em crimes que variam entre desaparecimento, favorecimento pessoal ou prevaricação
"i"

CIDADES MAIS INSEGURAS
Candidaturas à entrada na PSP 
caíram para um terço nos dois últimos concursos 
Os dois últimos concursos para admissão de candidatos a agentes da PSP, em 2008 e 2009, tiveram uma procura de apenas cerca de um terço face a concursos anteriores. Em cada um deles apresentaram-se apenas cerca de 4000 candidatos, quando antes chegavam aos 12.000. E nem o facto de, recentemente, a idade de admissão ter baixado dos 21 para os 19 anos chegou para inverter a tendência. Já ninguém quer ser polícia.
Ordenados muito baixos e fracas perspectivas de fazer carreira podem explicar o facto de cada vez haver menos gente a querer ingressar na PSP", diz o presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP), Paulo Rodrigues. "Trabalhar na PSP deixou de ser atractivo", adianta por sua vez o presidente do Sindicato Unificado da Polícia (SUP), Peixoto Rodrigues.
"Mesmo com o desemprego a aumentar, a verdade é que há cada vez menos gente a querer ingressar na polícia. Porquê? Primeiro, porque quem chega à PSP acaba por ser colocado em comandos muito distantes das zonas de origem. Depois, porque as regras para a aposentação e para o acesso aos serviços de saúde foram alteradas e, em igualdade de circunstâncias financeiras, as pessoas acabam sempre por preferir outras alternativas, nomeadamente a GNR", adianta ainda o presidente do SUP.
Paulo Rodrigues tem a mesma opinião relativamente à colocação dos agentes que acabam o curso, na Escola Prática de Polícia, em Torres Novas. "Acontece, quase sempre, os novos polícias serem colocados em Lisboa, muitas vezes muito longe das famílias e até da sua casa. Chegar ao comando da zona onde antes se residia, sobretudo se se é do interior, pode demorar anos. Ao isolamento há também que acrescentar o aumento das despesas, que acaba por ser muito significativo para quem ganha pouco."
"PÚBLICO"

DETERMINAÇÃO
João Neto impõe-se no Ponto de Ouro
O Nacional individual, realizado ontem no Estádio Universitário de Lisboa, prometia muito, mas acabou por defraudar algumas expectativas. Para além de nem todos defenderem os títulos de 2009, as desistências de Joana Ramos (-52 kg) e do olímpico Guilherme Bentes (-90 kg) acabaram por desiludir. Valeram como pontos mais altos a reaparição de Telma Monteiro e o duelo entre atletas olímpicos na categoria de -81 kg, em que João Neto (Académica) superou por ippon João Pina (Sporting), num combate entre os campeões europeus de 2008 e 2010.
Foi um embate de grande nível, no qual Pina, que atua normalmente nos -73 kg, entrou com muita determinação e pontuou yuko, mas Neto foi crescendo e empatou a contenda ainda nos 5 minutos regulamentares.
"RECORD"

NÃO É PRESSÃO, É COMPRESSÃO
Portugal está hoje 
sob pressão dos ministros europeus
O ministro belga das Finanças diz que Bruxelas vai ter “mais informação sobre Portugal”.
Portugal estará hoje debaixo de foco na reunião dos ministros das finanças da zona euro em Bruxelas. O ministro Fernando Teixeira dos Santos será chamado a concretizar a promessa de aprofundar as reformas estruturais, nomeadamente com novas medidas do mercado de trabalho e do produto, e ao mesmo tempo, tentará sacudir as expectativas dos mercados e mesmo de alguns ministros europeus de que o país está à beira de pedir ajuda internacional.
O ministro belga das finanças, actual presidente do Ecofin, Didier Reynders, defende que a reunião de hoje e amanhã em Bruxelas serve para "ter mais informação sobre a situação de Portugal" mas fala do país como se estivesse prestes a cair. "Temos de resolver o problema do contágio vindo da Grécia, Irlanda e talvez agora Portugal", disse este fim-de-semana. Depois da solução irlandesa "precisamos agora de encontrar um remédio para Portugal para ver se [a ajuda] é necessária ou não, mas [sobretudo] afastar o contágio. Vamos acompanhar isto nas próximas semanas e meses".
Juergen Michels, economista do Citigroup disse à Reuters que "é muito provável que [Portugal] tenha de pedir um resgate, talvez antes mesmo do Natal em função da evolução dos mercados nos próximos dias". Este e outros analistas contactados pela agência falam de uma ajuda de 45 a 60 mil milhões de euros a três anos. Só em 2011, Portugal tem de angariar 9,5 mil milhões de euros para refinanciar a sua dívida e 10,5 mil milhões para colmatar o défice anual. A próxima ‘ida' substancial aos mercados está prevista para Abril.
"DIÁRIO ECONÓMICO"

QUE PAIS SÃO ESTES???
Crise faz aumentar casos 
de crianças negligenciadas
Comissões de menores e tribunais estão a registar mais casos. Só em Lisboa subiram 42,5%, e no Barreiro passaram de 144 para 292.
João ia para a escola sem livros e sem dinheiro para as refeições. O caso obrigou a mãe a ir a tribunal, onde esta admitiu não poder pagar as despesas porque estava desempregada e se tinha esquecido de tratar dos papéis da acção social escolar do filho.
Tal como o João, as dificuldades financeiras das famílias estão a levar às comissões de protecção de crianças e jovens em risco (CPCJ) e aos tribunais de menores mais casos de crianças mal nutridas, que faltam à escola, que ficam sozinhas em casa ou que são vítimas de violência doméstica.
Só no Tribunal de Menores do Barreiro o aumento é de 103%, e no de Lisboa chega aos 45,2%. Para as situações de perigo, em que é mesmo necessário retirar a criança, também há menos soluções porque as instituições estão a ficar sem capacidade de resposta.
"Em 2009, abrimos 252 processos de promoção e protecção. Este ano, até final de Novembro, já foram abertos 366", disse ao DN Celso Manata, procurador do Tribunal de Menores de Lisboa. Estes processos podem ser abertos por vários motivos (e também pelas CPCJ), mas a negligência e os maus tratos são os mais comuns.
No Tribunal de Menores do Barreiro o aumento é ainda mais acentuado. O juiz António Fialho revela ao DN que "até dia 1 de Dezembro foram abertos 292 processos", enquanto no mesmo período de 2009 foram 144. A maioria por "absentismo e abandono escolar, maus tratos e negligência".
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

 E NÃO É QUE É VERDADE!!!
Defensor Moura
AD 'levou Portugal à bancarrota',
O candidato à Presidência Defensor Moura criticou ontem os que apontam uma nova AD como a única solução para a 'salvação', do país, lembrando que os dois primeiros governos PSD-CDS levaram Portugal à bancarrota. 'Não se deve desenterrar mitos falsos para tentar soluções que não são eficazes. A AD, ou uma junção do PSD com o CDS, nunca deu esses resultados tão bons como estão a querer dizer que deu', disse Defensor Moura. 'Foi preciso fazer um Bloco Central para chamar o FMI para resolver o problema', sublinhou.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

EM PORTUGAL O MAIS PREVÍSIVEL É O IMPREVÍSIVEL
Sistema fiscal imprevisível 
afasta empresas estrangeiras
As empresas consideram que o maior obstáculo à competitividade é o sistema fiscal português que está sempre a mudar, levando muitas a pensarem em deslocalizar-se, concluiu um estudo da consultora Deloitte.
O facto de o sistema fiscal "estar sempre a mudar e não haver uma estratégia em relação àquilo que Portugal quer ser", constitui o maior obstáculo à competitividade das empresas, afirmou hoje, segunda-feira, à agência Lusa o 'partner' da consultora Deloitte, Miguel Leónidas Rocha.
A Deloitte elabora anualmente o Observatório da Competitividade Fiscal, um estudo em que questiona mil empresas sobre aspectos específicos do Orçamento do Estado, além de diversas matérias com interesse para as mesmas.
"A Holanda é um país em que o sistema fiscal é estável, privilegiando o comércio internacional e a localização de 'holding'. O Luxemburgo escolheu captar activos e fundos de investimento. A estratégia em Portugal num dia é para um lado e no outro dia é para outro", garantiu o especialista, lamentando que esta situação leva a que "muitas empresas" pensem em deslocalizar-se e colocar as 'holdings' noutros países.
Por outro lado, os empresários queixam-se que em Portugal "não há um regime de justiça tributário" e a morosidade nos processos é muita.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

FANFARRONICES
BENFICA
Só final da Liga Europa garante lucro previsto
A equipa ficou arredada dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões com a derrota em Telavive (0-3) mas os objectivos financeiros ainda estão ao alcance, desde que a equipa chegue longe, muito longe, na Liga Europa.
A SAD projectou um ganho mínimo de 15 milhões de euros nas competições europeias para a corrente época, de acordo com declarações do administrador executivo da SAD, Domingos Soares de Oliveira (falou numa receita entre os 15 e os 20 milhões de euros), mas para o clube atingir essa fasquia será necessário que a sua equipa de futebol chegue pelo menos à final.
"A BOLA"

VAMOS AJUDAR


Ajude com carinho se puder, pois basta pelo menos divulgar esta informação pelos seus  contactos, pois este logo terá passado por uns milhares de pessoas e, quem sabe, conseguimos ajudar?






Ana Patrícia Ribeiro Fernandes, de 4 anos, reside em Murça Trás-os-Montes, está neste momento internada no IPO do Porto e precisa urgentemente de encontrar um doador de medula.

Para tipagem de doador dirijam-se ao Hospital Pulido Valente ou ao Centro de Histocompatibilidade do Porto no Hospital de S.João de segunda a quinta das 8h ás 16h e sextas das 8h ás 15h.

Vamos tentar ajudar a encontrar um doador compatível. Se não puder ser doador basta passar esta mensagem ao maior número de pessoas possível.
Obrigada/o!

3 - LINDA HUBER - DESENHOS






1- ORA TOMA

JORNAIS DE HOJE


compre jornais