sexta-feira, 26 de novembro de 2010

NUDISTAS

ADULTOS »»»»»NOVAS OPORTUNIDADES


ESCOLA DE OLARIA

UM UNIVERSO ESPECIAL

PENALTY DO OUTRO MUNDO

O DOCE SABOR DE UMA MULHER

VALE TUDO


Um soldado chegou a correr a uma encruzilhada na estrada e encontrou uma freira.

Sem fôlego, ele pediu:
Por favor, irmã, posso esconder-me por baixo das suas saias por um momento, eu explico-lhe o motivo mais tarde.

Um instante após, dois soldados da Polícia do Exército chegam a correr e perguntam à freira:
Irmã, a senhora viu um soldado por aqui, a correr?

A freira respondeu:
Ele foi por ali!

Após os dois PE desaparecerem na curva, o soldado saiu debaixo do  hábito da Freira e disse:
Não lhe posso agradecer o suficiente, irmã, mas é que eu não quero ir  para o Iraque.

A irmã responde:
Acho que posso compreender inteiramente o seu temer.

O soldado então disse:
Espero que a senhora não me ache impertinente, ou rude, mas a senhora tem um belo par de pernas.

Ao que a freira disse:
Se você tivesse olhado um pouco mais para cima, teria visto um belo par de tomates.

É que eu também não quero ir para o Iraque !!!

PAULO PEREIRA




A banda

Ainda há poucos dias recebeu um prémio pelo seu livro "Leite Derramado", mas não é como escritor que assume a marca de génio: é como músico, cantor e compositor que Chico Buarque de Hollanda mais marcas tem deixado para a imortalidade numa carreira longa e assinalada pela contestação aos tempos de ditadura no Brasil. Precisamente "A Banda", tema de 1966, é uma das suas canções mais conhecidas, estando associada a tempos difíceis na sociedade brasileira - a ditadura militar, iniciada em 1964 com o golpe que derrubou o presidente João Goulart a 31 de Março para colocar no poder o marechal Castelo Branco e que só terminou em 1985 com a eleição de Tancredo Neves. Considerada a canção que revelou um talento excepcional como vencedora do Festival de Música Popular Brasileira, "A Banda"é brilhante pela aparente simplicidade, pela carga metafórica, pelos inteligentes jogos de linguagem que são, afinal, imagem de marca do genial Chico. A letra é, felizmente, património da memória colectiva da Humanidade e vale sempre a pena tê-la presente:

"A Banda"

Estava à toa na vida
O meu amor me chamou
Pra ver a banda passar
Cantando coisas de amor
A minha gente sofrida
Despediu-se da dor
Pra ver a banda passar
Cantando coisas de amor

O homem sério que contava dinheiro parou
O faroleiro que contava vantagem parou
A namorada que contava as estrelas parou
Para ver, ouvir e dar passagem
A moça triste que vivia calada sorriu
A rosa triste que vivia fechada se abriu
E a meninada toda se assanhou
Pra ver a banda passar
Cantando coisas de amor

Estava à toa na vida
O meu amor me chamou
Pra ver a banda passar
Cantando coisas de amor
A minha gente sofrida
Despediu-se da dor
Pra ver a banda passar
Cantando coisas de amor

O velho fraco se esqueceu do cansaço e pensou
Que ainda era moço pra sair no terraço e dançou
A moça feia debruçou na janela
Pensando que a banda tocava pra ela
A marcha alegre se espalhou na avenida e insistiu
A lua cheia que vivia escondida surgiu
Minha cidade toda se enfeitou
Pra ver a banda passar cantando coisas de amor

Mas para meu desencanto
O que era doce acabou
Tudo tomou seu lugar
Depois que a banda passou
E cada qual no seu canto
Em cada canto uma dor
Depois da banda passar
Cantando coisas de amor
Depois da banda passar
Cantando coisas de amor...

A selecção nacional que entrou na História pelo resultado mais volumoso frente a Espanha (4-0), derrota que poucas vezes aconteceu a campeões do Mundo, neste caso também campeões da Europa, teve algo de génio e de banda. Desde logo, o génio de Ronaldo, castigado de forma ignóbil por uma decisão de arbitragem incompreensível, responsável pela anulação de um dos melhores golos do futebol internacional dos últimos anos. Depois porque não foi só a banda da Armada a actuar para interpretar os hinos - foi a selecção que se tornou banda e interpretou, em campo, um dos melhores hinos ao futebol da sua existência. Moutinho, Meireles e Nani foram símbolos de garra e ambição, Martins foi ganhando passada larga, Postiga e Hugo Almeida materializaram o apetite goleador, Bosingwa à esquerda nunca se incomodou com a sua própria opinião de ser à direita que se sente à vontade, houve oportunidade para estrear Rui Patrício e Paulo Machado, em suma, a equipa foi quase perfeita durante muito tempo.

Voltemos a Chico e ao tema "A Banda" para estabelecer uma ponte com Paulo Bento que, como qualquer outro treinador, há-de perder, porque ninguém é invencível nem super-herói: numa entrevista onde fala sobre a canção, Chico Buarque lembra, entre sorrisos, que foi quase toda composta numa altura em que estava com fome, à espera do almoço. Também a selecção, que vai no terceiro jogo sob o comando do novo seleccionador, goleou a Espanha como se estivesse com fome, neste caso de futebol. Chico mostrou a canção aos seus amigos Gilberto Gil e Caetano Veloso, embora começasse por apresentar "Morena dos olhos d'água" e não esperava o sucesso que se lhe seguiu. Paulo Bento começou por centrar atenções na vitória, considerando impensável prever uma goleada destas face a um adversário da dimensão do campeão do Mundo e da Europa. Num caso como no outro, nasceram obras-primas.

IN "DIÁRIO ECONÓMICO"
18/11/10

S.O.S. »»»»»»»» MINEIRO


 Solidariedade...
Também sou mineiro... 
 Tirem-me daqui!




GRUPOS DE APOIO


No dia 5 de Março de 2010, o movimento de intervenção social Grupos de Apoio a Famílias ― que visa apoiar, durante um ano, com a quantia mensal de 250 euros, famílias que, residindo em qualquer ponto do país, passaram a encontrar-se em situação económica muitíssimo difícil, em virtude de despedimento, por fecho de fábricas ou outras empresas decorrente da presente crise ― iniciou a sua acção, com o apoio a 18 famílias.

Este movimento de solidariedade mereceu já o acolhimento de mais de duas centenas de pessoas.

A verificação do preenchimento das acima referidas circunstâncias relativas a cada família, que fundamentam a atribuição do apoio, é da responsabilidade do Padre Jardim Moreira, Presidente da Rede Europeia Anti Pobreza/Portugal.
A equipa coordenada pelo Padre Jardim Moreira verificará, ao 4.º e 8.º mês do decurso da acção, se a família continua a necessitar do referido apoio económico.

Para efectivar o apoio, são constituídos grupos.
Cada grupo, composto por dez pessoas, responsabiliza-se pelo apoio económico, durante um ano, a uma família concreta. Cada membro de um grupo contribui com 25 euros por mês.

Para a recepção dos donativos, o Prior da Paróquia de Santa Maria de Belém (Jerónimos), em Lisboa ― Cón. José Manuel dos Santos Ferreira ―, abriu uma conta específica para este movimento, sendo da sua responsabilidade a passagem dos correspondentes recibos e subsequente transferência para a família.

O nome da família a apoiar é confidencial, para respeitar o seu direito à intimidade e à privacidade.

A situação do "próximo" assume, presentemente, tal gravidade que, para quem tem emprego assegurado, este apoio ― cerca de 83 cêntimos por dia, durante um ano ― não constitui apenas uma questão de solidariedade. É uma exigência de justiça!

Em ordem à criação de uma rede social de apoio aos mais frágeis, quem aderir a esta acção trará consigo mais uma pessoa amiga. E todos seremos poucos...


Pode encontrar-se notícia desta acção de intervenção social em:
O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), a Associação Sindical dos Professores Licenciados (ASPL) e o Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) estão, igualmente, a divulgar estão acção de intervenção social nos respectivos sites. Também a Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) procedeu à divulgação deste movimento pelos seus Associados.

O número das pessoas já inscritas para integrarem os “grupos de apoio a famílias” constitui expressivo sinal da força do sentimento de solidariedade existente na sociedade civil.
A tal, certamente, também não será alheia a resposta positiva ao pedido que temos feito no sentido de cada pessoa "cativar" um amigo, em ordem a tornar possível a criação, em tempo útil, de uma verdadeira rede de solidariedade.

Na mesma linha, nos vários contactos encetados junto de diversas entidades ― nomeadamente, Sindicatos (ASJP, ASPL, SMMP, FNE, STE, etc.), Gulbenkian, CTT, Siemens, Lions Clubes‑Portugal, Delta Cafés, Impresa, Movimento Rotary/Portugal ― não temos pedido qualquer apoio monetário para esta acção, mas antes solicitado a divulgação do movimento, pelos associados/funcionários, bem como a sua motivação para integração nos "grupos de apoio a famílias". Temos, somente, sugerido às empresas que perspectivem a possibilidade de, no âmbito do seu mecenato, suportarem uma parcela do apoio individual (83 cêntimos/dia) de cada seu trabalhador que venha a aderir a esta acção de intervenção social.

Efectivamente, o desenvolvimento, na sociedade civil, de um forte sentimento de solidariedade para com os mais frágeis ― este ano, apoiando famílias, para o ano, idosos cuja pequena reforma não permite sequer satisfazer necessidades de saúde ― é tão importante quanto o apoio económico que pudéssemos receber de uma empresa.

Daí também o pedido e a insistência que fazemos no sentido de que cada pessoa traga mais um amigo.

Para inscrição, enviar um e-mail para jeronimos.familias@gmail.com, endereço criado especificamente para esta acção, indicando:
- nome; - morada; - telefone(s); - n.º fiscal;  - nome de pessoa amiga que, igualmente, queira integrar os "grupos de apoio a famílias", a qual deverá também inscrever-se nos mesmos moldes.


Contactos:
Tel. 91 737 77 51 / 21 301 81 33

2 - PLANETA TERRA »» CAVERNAS

PIANO ENCANTADO

UKBAI TESFAHUNEY

HÁ HORAS MUITO FELIZES

FILATELIA










Sócrates queria um selo com a sua foto para deixar para a posteridade o seu mandato no Governo deste país que está de tanga. Os selos são criados, impressos e vendidos. O nosso PM fica radiante! Mas em poucos dias ele fica furioso ao ouvir reclamações de que o selo não adere aos envelopes.

O Primeiro-ministro convoca os responsáveis e ordena que investiguem o assunto. Eles pesquisam as agências dos Correios de todo o país e relatam o problema.

O relatório diz:
"Não há nada de errado com a qualidade dos selos. O problema é que o povo está a cuspir no lado errado.

enviado por MARTINS

CONTABILIDADE É SIMPLES.... VOU ENSINAR

O que é Contabilidade?
 
PARA QUEM NÃO ENTENDE NADA DE CONTABILIDADE, VAMOS EXPLICAR MAIS OU
MENOS COMO FUNCIONA
 

A solteira é....................Crédito.
 
A casada é........................Débito.
 
A cunhada é...................... Provisão para Devedores Duvidosos.
 
A bonita é.......................Lançamento Certo.
 
A feia é.........................Estorno.
 
A feia e rica é..................Conta de Compensação.
 
A bonita e rica é................Lucro Certo.
 
A ex-namorada é..................Saldo de Exercícios Anteriores.
 
A namorada é......................Resultado de Exercício Futuro.
 
A noiva é........................Reserva Legal.
 
A esposa é........................ Capital Integralizado.
 
A vizinha é......................Ações de Outras Companhias.
 
A amante é........................Parceria
 
As que fazem operações plásticas...........Obras e Benfeitorias.
 
As restantes são.................Obras em Andamento.
 
As que dão bola são............ Incentivos Recebidos.
 
As que não são viúvas, casadas ou solteiras são........Contas a Classificar.
 
As que muito namoram e não se casam são...........Saldo à Disposição da Assembléia.
 
As que são surpreendidas em flagrante são..............Passivo a Descoberto.
 
A sogra pode ser classificada como
PREJUÍZO ACUMULADO

1 - BABY SITTER PARA QUÊ?






TENHA UM BOM DIA............


... e proteja-se do frio 
                  e dos políticos

compre jornais

O NOSSO DINHEIRO ELECTROCUTADO
Deco quer luz sem custos extras
A conta da luz poderia ficar 5% mais barata se o Governo concordasse em reduzir em 10% o peso dos custos de interesse geral que são cobrados mensalmente na factura da electricidade. O exercício é feito pela Deco, que ontem lançou uma petição para acabar com os extras nas tarifas da luz, já que 42% da factura nada tem a ver com o consumo de electricidade.
Pegando num exemplo concreto, numa factura média mensal de vinte euros a poupança poderia ser de um euro, com uma redução de 5%, em vez do aumento médio de 76 cêntimos (3,8%) previsto para o próximo ano.
"O preço final da electricidade é composto por três blocos – produção eléctrica (31% do custo final), custos inerentes ao transporte e distribuição da electricidade (27%) e custos de interesse geral", explicou ao Correio da Manhã Jorge Morgado.
O secretário-geral da Deco adiantou que estes custos são taxas que foram sendo criadas ao longo dos anos pelos governos para cobrir determinadas despesas e anexadas à conta da luz. No próximo ano estes extras representarão 2,5 mil milhões de euros.
Exemplo destes custos são as rendas pagas aos municípios pelos cabos subterrâneos – 240 milhões de euros no próximo ano – e os incentivos às energias renováveis e cogeração – 800 milhões de euros nas tarifas de 2011, mais do dobro dos 352 milhões pagos em 2008. Estão ainda incluídos aqui os custos pagos em Portugal Continental para que os Açores e a Madeira não tenham preços de energia eléctrica demasiado elevados.
Jorge Morgado não defende o fim dos incentivos, nem que as ilhas tenham de pagar a energia mais cara, mas sim que esses custos, ou parte dos mesmos, deixem de ser reflectidos na factura da electricidade.
"CORREIO DA MANHÃ"

NÃO NOS DÃO CRÉDITO
Estrangeiros voltam a afastar-se da bolsa
O investimento estrangeiro na praça portuguesa voltou a diminuir, em Outubro. O valor das ordens recuou para mínimos de 2005.
Os investidores estrangeiros voltaram a afastar-se da bolsa de Lisboa, em Outubro. Perante a turbulência no mercado accionista nacional, provocada pela crise da dívida soberana, o valor negociado em acções nacionais por parte dos não residentes recuou para o nível mais baixo desde pelo menos 2005.
Os dados da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) revelados ontem mostram que, no mês passado, o valor das ordens realizadas por investidores estrangeiros sobre títulos da bolsa portuguesa caiu 19% face ao mês anterior, para 1.388 milhões de euros.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

MUDAM AS MOSCAS...
Remodelação iminente. 
Crise pode fazer governo encolher
Um novo governo, a qualquer momento e eventualmente mais pequeno. É provável que Sócrates não repita o que fizeram Zapatero, há poucas semanas, e António Guterres, há muitos anos - que remodelaram os respectivos governos no dia da aprovação do Orçamento do Estado, com péssimos efeitos políticos no caso de Guterres. Mas já este fim-de-semana ou, mais provavelmente, no próximo, o país pode acordar com novos rostos em vários ministérios.
Durante a semana nada acontecerá: as deslocações oficiais do primeiro-ministro à Líbia e à Argentina dificultam a operação, que tem que ter agrément prévio do Presidente da República.
O ministro dos Negócios Estrangeiros está de saída. As suas já tensas relações com o primeiro-ministro - desde que, em Maio, defendeu a inscrição na Constituição dos limites do défice - agravaram-se com a entrevista ao "Expresso", onde sugeriu a sua própria remodelação, defendeu uma coligação governamental PS/PSD que não está nos planos de Sócrates, e manifestou, pela enésima vez, o seu cansaço com as funções.
Para substituir Luís Amado tem sido avançado por várias fontes o nome de Basílio Horta, o que o próprio, ontem contactado pelo i, desmente. No entanto, o i sabe que já houve contactos entre o primeiro-ministro e Basílio Horta. Actual presidente da AICEP (Agência para o Investimento), Basílio Horta poderia dar à pasta uma componente mais económica, juntando ao perfil diplomático uma aposta nas relações comerciais externas. Basílio Horta é neste momento também próximo de Cavaco Silva, sendo um dos apoiantes assumidos da recandidatura do Presidente, o que num cenário de instabilidade política é apontado como uma vantagem.
"i"

FRUTO DOS EMPRESÁRIOS QUE TEMOS
Trabalho temporário tende a reduzir emprego 
e produtividade do país
As reformas laborais que criaram uma dualidade entre os contratos fixos e os temporários poderão, a prazo, "reduzir o emprego total" e ter um efeito "significativo no abrandamento da produtividade", conclui o relatório anual da Comissão Europeia sobre o mercado laboral europeu em 2010, ontem divulgado.
Se, no início, o trabalho temporário teve efeitos positivos no emprego através de uma maior adaptabilidade das empresas, as teorias mais recentes mostram que esses ganhos no emprego "estão a ser gradualmente erodidos", refere o documento.
A análise é feita num dos três capítulos, dedicado aos jovens e à segmentação dos mercados laborais na União Europeia (UE). E integra-se num relatório que sugere medidas que promovam o emprego na conjuntura actual de retoma lenta da actividade, no quadro das metas da Estratégia Europa 2020. É nesse contexto que surgem as críticas aos efeitos estruturais de um mercado laboral segmentado, em expansão na UE.
Portugal em terceiro lugar
O relatório mostra que Portugal está entre os três países da UE com maior percentagem de trabalho temporário (com a Polónia e Espanha). O problema não é o peso dos empregos temporários no emprego juvenil (de 15 a 25 anos). Os valores de Portugal (53,5 por cento em 2009) estão acima da média europeia (40,2 por cento). O mesmo se passa com a Alemanha (57,2 por cento) ou com a Suécia (53,4 por cento).
Trata-se de uma forma de entrar no mercado. A crítica surge quando tende a perpetuar-se. Em Portugal, é temporário um em cada cinco trabalhadores de idade entre os 15 e 49, contra um em cada dez na UE, tal como acontece com a Alemanha e a Suécia. Na Polónia e Espanha é um em cada quatro. Nos trabalhadores entre 50 e 64 anos, a média europeia - Alemanha e Suécia inclusive - é a de que um em cada 20 empregos é temporário. Mas em Espanha e Portugal é cerca de dois em cada 20.
"PÚBLICO"

 VAMPIRAGEM
 Angolanos reforçam no BPI
O BPI anunciou hoje que a empresa detida por Isabel dos Santos, a Santoro, reforçou para 9,8% a sua posição na instituição.
O banco liderado por Fernando Ulrich anunciou, em comunicado enviado ao mercado, que a Santoro adquiriu 997.448 acções da instituição nos últimos três dias. A empresa angolana passa assim a deter 9,8% do capital do BPI.
A transacção foi comunicada pelo facto de estar ligada a um dirigente da instituição, Mário Leite da Silva, administrador do BPI, e presidente do conselho de administração da Santoro Finance.
A Santoro está no capital do BPI desde o final de 2008, altura em que adquiriu 9,7% do capital do banco, até então detido pelo BCP.
"DIÁRIO ECONÓMICO"

LAMPIÕES FUNDIDOS
Relações muito tensas entre direção e David Luiz
A revolta de David Luiz em não sair da Luz no último defeso não caiu bem junto dos dirigentes encarnados, particularmente a Luís Filipe Vieira. O presidente nunca escondeu o descontentamento com a atitude do central e tudo piorou quando o jogador recusou o aumento salarial que contemplava a extensão do vínculo contratual por mais uma temporada.
Desde essa altura, as relações entre presidente e um dos capitães de equipa terão ficado ainda mais tensas. O central brasileiro entende que foi injustiçado pela SAD benfiquista e Vieira vê na atitude do jogador uma demonstração de “ingratidão” face ao esforço que o clube fez ao longo dos anos para valorizar o agora internacional brasileiro.
"RECORD"

OU ÉS POR MIM OU NÃO MANDUCAS
Director da PSP deixa oficiais sem almoço
Cerca de uma centena de oficiais da PSP protestaram contra o atraso nas promoções e pelo reconhecimento de licenciaturas
A Associação Sindical de Oficiais de Polícia (ASOP) organizou ontem um protesto contra o atraso nas promoções nestas carreiras. Mas a acção não foi bem recebida pelo comando da PSP. Segundo disse ao DN o presidente da ASOP, subcomissário Hélder Andrade, "quando o grupo que tinha vindo de outras zonas do País quis ir à Direcção Nacional para almoçar, antes de descer para a Praça do Comércio, onde estava marcado o protesto, foi impedido pelo director nacional de entrar na cantina".
Hélder Andrade entende que "esta não é forma de tratar oficiais de uma força de segurança". Garante que "não havia qualquer outra intenção que não fosse a de almoçar a preço económico" e que "claro, se fosse possível, os oficiais gostariam também de ter cumprimentado o sr. director nacional e oferecer a sua ajuda a encontrar soluções para os problemas que atingem os oficiais da PSP. Mas nem um café nos deixaram tomar".
Refeições económicas à parte, o motivo de fundo que trouxe a centena de oficiais a Lisboa, a maior parte, comandantes de esquadras de todo o País, foi o "profundo desagrado com o atraso nas promoções" destes oficiais.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS" 

REVEJAM OS DEPUTADOS
Comissão reúne-se dia 2 de dezembro
A Comissão Parlamentar de Revisão Constitucional vai reunir-se pela segunda vez na próxima quinta-feira, decidiram os coordenadores dos vários partidos. Na sua primeira reunião, realizada no passado dia 4, a Comissão de Revisão Constitucional decidiu, com o protesto do PSD e a aprovação dos restantes partidos, só voltar a reunir-se na semana de 29 de novembro a 3 de dezembro, depois de terminado o debate orçamental. Ontem, os coordenadores reuniram-se e agendaram a próxima reunião para o dia 2 de dezembro, às 18h00.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

EITA DIPLOMATA MACHO, NÉ?
Consulado trava união de casal gay
Cônsul no Brasil impediu durante três meses que português casasse
Durante três meses, o Consulado de Portugal em Belo Horizonte, Brasil, recusou o casamento entre um cidadão português e o companheiro de nacionalidade brasileira. O desbloqueio só ocorreu ontem, com o cônsul a ser obrigado a ter de cumprir a lei portuguesa.
Alegando a necessidade de "verificação" da legislação do casamento entre pessoas do mesmo sexo, em vigor desde 5 de Junho deste ano, o Consulado de Portugal em Belo Horizonte, capital do estado brasileiro de Minas Gerais, impediu o cidadão português Daniel Santos de casar com o companheiro brasileiro Gustavo Franco.
Desde Agosto, o cônsul André de Mello Bandeira adiou consecutivamente o pedido do casal, que vive junto há quatro anos. Mesmo confrontado com pareceres e respostas do Ministério da Justiça e do Instituto dos Registos e Notariado (IRN) portugueses, Mello Bandeira apenas se terá comprometido a analisar o processo em Janeiro de 2011.
Contactada pelo JN, a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas adiantou, ontem, que "nas últimas horas a situação foi resolvida". Qual o motivo para a postura do cônsul? "Houve uma dificuldade de interpretação da lei que rege os casamentos entre pessoas do mesmo sexo e que acabou esclarecida", adiantou fonte próxima do secretário de Estado António Braga, recusando esclarecer se o comportamento de Mello Bandeira motivará averiguações.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

UM LUTADOR
Diogo Carvalho na final dos 400 estilos
O português Diogo Carvalho apurou-se, esta sexta-feira, para a final dos 400 estilos do 14º Campeonato da Europa de Eindoven em piscina curta. Diogo Carvalho terminou no sexto lugar, com o registo de 4.10,61 m.
Esta é já a segunda final para o nadador português, depois de quinta-feira ter ficado em sexto lugar na final de 200 estilos.
Já o ano passado, nos Europeus de Istambul em piscina curta, Diogo Carvalho conseguiu estar presente em três finais – 200 estilos, 400 estilos e 200 mariposa -, tornando-se assim no segundo português a entrar em três finais num campeonato europeu.
"A BOLA"

ATÉ QUANDO?????


Afinal como é?? Numca mais se resolve?

Estão à espera que fujam ou que morram??

Já nos custou 4 mil milhões....



QUANDO É QUE PRENDEM OS RESPONSÁVEIS DA "CRISE" 
COMO NA ISLÂNDIA ????!!!!????????

2 - MANIFESTAMENTE HOMENS

JORNAIS DE HOJE


compre jornais
(o FMI vem por aí adentro, informe-se)