quarta-feira, 27 de outubro de 2010

1 - LOIRA LOUCA

clique para ampliar

4 - NATUREZA LIBIDINOSA

ALMORRÓIDA AMEDRONTADA


Portugal tem 28 mil prostitutas

Metade das 28 mil prostitutas e pessoas ligadas à indústria do sexo em Portugal são de nacionalidade portuguesa.

As restantes 14 mil são imigrantes brasileiras, romenas, búlgaras e nigerianas. O tráfico de seres humanos é um dos principais fornecedores de mão--de-obra escrava para o mercado sexual. Só em 2009, três Organizações Não Governamentais (ONG) identificaram em Portugal mais de 60 casos de vítimas de tráfico que não foram reportados às autoridades por receio das vítimas. Segundo o Observatório de Tráfico de Seres Humanos, de 2008 a Setembro deste ano, as autoridades confirmaram 58 casos em 383 sinalizados.

"Dos 60 casos detectados pelas ONG, 15 são referentes a tráfico interno, ou seja, de pessoas traficadas em Portugal. Na maioria dos casos são mulheres para exploração sexual", afirma ao CM Cláudia Pedra, coordenadora executiva do Instituto de Estudos Estratégicos e Internacionais, sublinhando que os casos não reportados às autoridades são indicativos de uma realidade gravíssima e investigada de uma forma pouco aprofundada.

A mobilidade é um dos maiores problemas na detecção e identificação destas situações. "Por norma, estas pessoas não passam mais de três meses no mesmo local", acrescenta Cláudia Pedra.

Durante o work-shop ‘Tráfico de Seres Humanos, Estratégias Nacionais e Locais’, realizado ontem em Lisboa, foram também discutidos indicadores utilizados para o cálculo de vítimas de tráfico de seres humanos. Além da prostituição e indústria do sexo, há que ter em conta os pedidos de asilo e os números relacionados com a imigração. Desde o início do ano, Portugal registou 130 pedidos de asilo, quase tantos como os 139 verificados em 2009. No que diz respeito à imigração, no ano passado terão entrado em Portugal cerca de 550 mil pessoas, das quais 100 mil de forma irregular.

As estimativas das Nações Unidas apontam para mais de 2,5 milhões de pessoas vítimas de tráfico em todo o Mundo. Na Europa, esse número será de 600 mil por ano.

IN "CORREIO DA MANHÃ"
27/10/10

ALBERTO GONÇALVES

ALBERTO GONÇALVES

Adeus, Mocidade Portuguesa

Em época de proclamado aperto nas contas públicas, a reacção de quem de direito é a esperada: espatifar as contas públicas tanto quanto possível. Pela parte que lhe toca, a administração local subiu o endividamento em 23% (dados de 2009), façanha que o dr. Fernando Ruas garante não só não ser "preocupante" como totalmente legal e "um acto de gestão igual a outro qualquer". Por acaso, salvo raríssimas excepções, não há memória de "actos de gestão" autárquicos, legais ou ilegais, que conduzam à diminuição do défice. Mas esse peculiar estilo de restrição orçamental não é exclusivo dos chefes paroquiais.
No Estado em geral, a despesa subiu 2% nos primeiros nove meses do ano, se comparada a idêntico período do ano passado. O ministro das Finanças explicou que isso é bom, já que o crescimento homólogo entre Janeiro e Setembro foi menor do que o crescimento homólogo registado entre Janeiro e Julho. Em português: o descontrolo continua, mas é um peda- cinho menor do que chegou a ser.
Como se consegue? Como consegue manter-se, com relativo crédito, um discurso de austeridade e uma prática exactamente oposta? Não é fácil. Ou se calhar até é. Primeiro, precisa-se de talento, o peculiar tipo de talento que ergue os governantes indígenas aos lugares que merecidamente ocupam. Depois basta uma parcela significativa do eleitorado pronta a acreditar nas mais extravagantes patranhas.
Veja-se, a propósito do Orçamento, o exemplo dos organismos estatais. A proposta do PS prevê a extinção de 50 entidades do género e os devotos aplaudem o empenho do Governo na causa da poupança. Não importa que os 50 referidos abrigos das clientelas constituam uma fracção microscópica das incontáveis fundações, institutos, serviços, agências, empresas municipais e tortumelos similares. Nem importa que a supressão de umas siglas se limite a transferir as clientelas de um gabinete para o gabinete ao lado. Sobretudo não importa que alguns dos organismos a encerrar em 2011 nem sequer existam ou, de acordo com decretos anteriores, não devessem existir.
A história saiu aqui no DN, que detectou, por alto, nove divertidos casos assim. Um deles é o dos Serviços Sociais do Ministério da Justiça, teoricamente abolidos em 2008. Outro é o do Hospital Condes de Castro Guimarães, fechado desde Fevereiro. Outro ainda é o do Observatório das Políticas Locais da Educação, que supostamente deixou de observar durante o corrente ano. O meu preferido é a Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (?), infelizmente falecida em Maio passado.
Isto apenas dá razão aos que criticam o Governo por ter sido pouco ambicioso nos cortes. Se o objectivo era acabar com instituições imaginárias ou extintas, não custava nada anunciar o fim de cinco mil em vez de 50, incluindo a Mocidade Portuguesa, a Liga de Amigos da URSS e o Centro de Contemplação Aplicada das Lontras do Baixo Vouga (CCALBV). O País ficaria rendido a tamanho exercício de contenção, e o PS saltaria nas sondagens dos 35% para os 45%. No mínimo.

Terça-feira, 19 de Outubro

A crise dentro da crise
É apreciável a resistência dos que, numa luta sem tréguas contra a realidade, continuam a discutir a nossa crise como se a nossa crise resultasse do capitalismo "selvagem", da "desregulação" (sic) dos mercados, dos especuladores, do "egoísmo" da sra. Merkel, da União Europeia, dos EUA, do FMI, da banca, das agências de rating e, se não estou em erro, do Grupo de Cantares de Manhouce.
Nas cabecinhas voltadas à esquerda, aliás maioritárias, as monstruosas entidades acima conspiram para arrasar Portugal e o seu encantador "Estado social". Presumo que será escusado explicar-lhes que foi o "Estado social", ou o arremedo inevitavelmente corrupto que por cá se construiu, o responsável pelo buraco em que nos metemos. Em Julho de 2009, um bando de economistas dessa curiosa escola produziu um abaixo-assinado a subscrever a "aposta" do Governo no "investimento" público. E isso numa altura em que toda a gente que queria perceber já tinha percebido que é na arbitrariedade com que uns poucos consomem o dinheiro de todos que reside o maior drama nacional. A crise é a crise do "Estado social".
Agora, ainda que numa escala pequenina e burlesca, temos também a crise dos seus defensores. Embora se mantenha nas causas, a unanimidade que existia quanto ao remédio sumiu. De um lado, estão os "lealistas", no sentido de que são leais ao eng. Sócrates e às suas cambalhotas. Batem-se hoje pela contenção da despesa, virtual que seja, com o empenho com que há meses se batiam pelo seu aumento. E juram a urgência em controlar o défice com a convicção usada em Fevereiro último para legitimar o défice enquanto - não se riam, por favor - instrumento de ajuda à economia.
Do lado oposto, estão os comunistas, facção PCP ou facção BE. Os comunistas assumiram a ruptura definitiva com o eng. Sócrates a pretexto dos sucessivos planos de austeridade. Para eles, o défice ou é irrelevante ou é relevante na medida em que permita depenar os "ricos" e insultar banqueiros e offshores. O fundamental, repetem, são os direitos dos trabalhadores, ainda que, na prática, a situação da maioria dos trabalhadores se agrave em função dos privilégios concedidos a uns tantos.
Em suma, uns destruíram a economia através do oportunismo, outros, caso mandassem, destruiriam a economia por convicção. É pena assistir à cisão dos que entre nós lutam pelo "Estado social". Vale que a fúria com que enfrentam a realidade é sempre una e indivisível, e a derrota é sempre certa. O que não deveria valer é sermos sempre nós a patrocinar os despojos. 

Quinta-feira, 21 de Outubro

Interesses nacionais
O alegado inventor de Pedro Passos Coelho parece finalmente em ruptura com a sua invenção. Para o dr. Ângelo Correia, negociar o Orçamento com o PS é inútil dado que o PS que realmente manda, leia-se o eng. Sócrates e aquele senhor Silva Pereira, nunca negociará nada. O pressuposto faz algum sentido. Já as conclusões que o dr. Ângelo Correia retira do pressuposto não fazem sentido nenhum.
Se bem percebo, o raciocínio é o seguinte. O dr. Ângelo Correia acha que o Orçamento é uma calamidade e, ainda por cima, uma calamidade irrecuperável. Logo, o dr. Ângelo Correia acha que o Orçamento tem de ser aprovado com a abstenção do PSD e sem condições, incluindo as condições meigas, quase irrisórias, que o dr. Passos Coelho decidiu colocar. De facto, não percebo. Quando um restaurante é péssimo, as pessoas mudam de restaurante. Não tentam corrigir o cozinheiro, aliás imune a ensinamentos, e, sobretudo, não arriscam repetir o prato. O país já repetiu o prato indigesto demasiadas vezes. O dr. Ângelo Correia quer que o País teime na indigestão.
O absurdo disto não detém o dr. Ângelo Correia. De acordo com o também presidente da Câmara de Comércio Luso-Árabe, a viabilização do Orçamento recomenda-se por dois motivos. O primeiro é que a sua rejeição "criaria uma crise financeira aguda" (por contraponto à crise em curso ou à crise que advirá da respectiva aprovação?). O segundo, e brilhante, argumento é o de que "o PSD não deve fazer aquilo que o PS quer". Por outras palavras, ao abster-se, o PSD "irá dar aos portugueses a possibilidade de o PS ser confrontado consigo mesmo" e, prossegue o também cônsul honorário da Jordânia, "o PSD sabe que o PS não é capaz de governar nesta situação".
Bem, por esta altura julgo que já é lendária a incapacidade de o PS governar em qualquer situação. O mistério é o dr. Ângelo Correia ambicionar que governe. E um mistério ainda maior é o dr. Ângelo Correia não estar sozinho na ambição.
Anda por aí uma extraordinária quantidade de gente a presumir que o eng. Sócrates aspira a sair do poder e a presumir que o castigamos obrigando-o a continuar. A ideia é a de que o Orçamento será a Via Crúcis do primeiro-ministro e o seu fim político. Belíssimas intenções, não fossem realizadas a expensas de uma economia agonizante, que dificilmente suportará a brutalidade da experiência.
Assim, trata-se apenas de prolongar a tortura colectiva para efeitos estratégicos. Não importa se a estratégia serve os objectivos do dr. Ângelo Correia, do PSD em geral, do prof. Cavaco ou, se calhar, do próprio PS. Importa que não serve os objectivos de mais ninguém, embora venha enfeitada com os laçarotes da "responsabilidade" e do "interesse nacional". Interessante.

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
24/10/10

2 - INVERNO ~DOENÇAS RESPIRATÓRIAS



continua na próxima quarta à mesma hora

SÉRGIO GODINHO - É TÃO BOM

ALMORRÓIDA FRUTA CORES

Feira do Livro Gay, Bissexual e Transgénero
abre hoje em Lisboa

A feira, a decorrer no Centro da Associação ILGA Portugal - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero, terá também espaço para a divulgação de outros géneros e autores, desde que integrados num mesmo objectivo de igualdade e de respeito pelos direitos humanos.

Segundo a organização, a feira terá também uma secção de livros manuseados, doados à ILGA Portugal para o efeito, e uma secção de livros novos, com uma selecção de obras clássicas e de títulos recentes no mercado, incluindo literatura, romance, poesia, teatro, estudos e ensaios, literatura infanto-juvenil.

Nesta segunda edição da iniciativa, refere a ILGA, vão estar presentes escritores como Possidónio Cachapa, Nuno Nodin, Deanna Barroqueiro e Marisa Medeiros, entre outros, para conversar com o público sobre as suas obras.

No primeiro dia da feira será também inaugurada uma exposição de fotografias, de António Frazão, sob o título "Leituras".

IN "PÚBLICO"
27/10/10

AEROPORTO ALCOCHETE - MAQUETAS











5 - ENGENHÊROS


enviado por D.A.M.

FERRARI E PORSHE


clique para ampliar

ALMORRÓIDA SUCATEIRA 2


Ana Paula Vitorino implica Mário Lino 
no 'Face Oculta'

Ex-secretária de Estado revelou ao 
Ministério Público que ex-ministro lhe disse 
que Manuel Godinho era "amigo do PS"

Foi um trunfo de última hora para o procurador do Ministério Público de Aveiro que está a investigar o processo "Face Oculta": Ana Paula Vitorino, antiga secretária de Estado dos Transportes, revelou que o ex-ministro das Obras Públicas, Mário Lino, a tentou sensibilizar para os problemas que existiam entre o empresário Manuel Godinho - o único arguido em prisão preventiva - e a Refer. De acordo com informações recolhidas pelo DN, Ana Paula Vitorino terá contado ao MP que Mário Lino tentou convencê-la a intervir, dizendo- -lhe que Manuel Godinho era amigo do PS.

As declarações de Ana Paula Vitorino, que prestou depoimento na qualidade de testemunha, assentaram que nem uma luva na tese da acusação, sobretudo no que diz respeito às ligações políticas e às suspeitas de tráfico de influências que terão sido movidas para beneficiar Manuel Godinho. Refira-se que as escutas telefónicas que constam do processo, e já reveladas publicamente, indiciam que Manuel Godinho terá tentado junto de Armando Vara, ex-administrador do BCP, e de Lopes Barreira, consultor, mover influência para obter mais contratos de recolha de lixo junto de empresas públicas.

Contactada ontem pelo DN, Ana Paula Vitorino recusou prestar qualquer esclarecimento sobre as suas declarações no processo "Face Oculta": "Não faço qualquer comentário sobre processos em segredo de justiça. Até me recuso a ouvir o que quer que seja", declarou.

Por sua vez, Mário Lino, ex-ministro dos Transportes e Obras Públicas, também não quis comentar nada: "Sobre esse assunto não faço declarações, porque é um processo em segredo de justiça. Desconheço quaisquer declarações que tenham sido prestadas pela Ana Paula Vitorino no âmbito desse processo."

Suspeitas na Refer

No que diz respeito à Refer, havia ainda outra questão: um processo judicial em curso que opunha aquela empresa pública a uma das sociedades de Manuel Godinho.

Era também na Refer, segundo o Ministério Público de Aveiro, que trabalhavam três peças da "rede tentacular" do empresário das sucatas: Carlos Vasconcelos, Manuel Guiomar e José Valentim - todos constituídos arguidos no processo "Face Oculta".


IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
27/10/10

ERRO DE AVALIAÇÃO


clique para ampliar

M O Í N H O S

video

TENHA UM BOM DIA............


...e candidate-se a qualquer coisinha, faça-se notícia

compre jornais

SÃO CIDADÃOS À PARTE...
Bancários
Sindicato pondera avançar com greve
O Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários admitiu que pondera avançar para uma greve caso o setor seja abrangido pelos cortes previstos no OE2011.
'Há um grave lapso do Governo ao misturar a função pública com o sector público empresarial. São duas questões distintas e qualquer mistura é altamente explosiva', afirmou o presidente do sindicato, Afonso Diz. Em causa está a atualização salarial dos trabalhadores do BPN em 1 por cento previstos para 2010, mas que o banco não cumpriu. Atualmente, o receio do sindicato é que, apesar da inexistência deste aumento, os trabalhadores do setor bancário (1700, no caso do BPN) sofram cortes salariais de 5 por cento no próximo ano, sendo assim equiparados aos funcionários públicos. Perante esta possibilidade, Afonso Diz garantiu que, 'se acontecer, é óbvio que haverá uma greve'.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

É SÓ SACAR...
Advogados suspeitos de lesar BPN 
em 100 milhões de euros
Três detenções, uma dezena de arguidos e 30 buscas. É a contabilidade da investida feita pelas autoridades, ontem, num inquérito do caso BPN que procura responsabilizar os autores da delapidação do património do banco em cerca de 100 milhões de euros.
Luís Duque, ex-presidente da SAD do Sporting e vereador da Câmara de Sintra com o pelouro das Obras Municipais, é o suspeito mais conhecido, entre os que foram surpreendidos pelos inspectores da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária, que trabalham no inquérito, dirigido pelo procurador Rosário Teixeira, do Departamento Central de Investigação e Acção Penal. A PJ efectuou buscas e constituiu arguidos em Lisboa, Porto, Penafiel, Viseu e Algarve, numa investigação por indícios de burla.
De acordo com informações recolhidas pelo JN, entre os três detidos estão um advogado e uma advogada, de Portimão e Loulé, e ambos ligados a um grupo encabeçado pela "Futurbelas S. A." - empresa conhecida por ligações a um empreendimento que nunca saiu do papel ("Belas Club Residence"), em Belas, Sintra.
Um terceiro detido - também ligado a negócios do BPN - é conhecido por ser representante em Portugal de uma marca de automóveis desportivos de luxo. Foi interceptado junto do aeródromo de Tires, após um passeio de avião.
Os três deverão ser presentes ao Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa ainda hoje, para determinação de medidas de coacção.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

QUEM DEFENDE QUEM???
«Deviam ser defendidos os clubes 
e não as televisões» - Paulo Sérgio
O treinador do Sporting, Paulo Sérgio, reiterou as críticas à calendarização da Liga e fez questão de salientar que nunca pretendeu acusar o FC Porto de estar a ser beneficiado, através de comunicado publicado no site oficial dos leões.
Paulo Sérgio voltou a mostrar-ser insatisfeito por a turma de Alvalade ter menos tempo para recuperar dos encontros para as competições europeias do que Benfica, FC Porto e SC Braga, mas deixou uma indirecta a Villas Boas: «não queiram mudar o sentido das minhas afirmações».
O técnico defendeu, também, que o interesse dos clubes deve estar em primeiro lugar e não o das transmissões televisivas, até porque, segundo Paulo Sérgio, é a dimensão dos clubes e as boas campanhas a nível interno e além fronteiras que providenciam ainda mais retorno financeiro para as televisões.
"A BOLA"

À ESPERA DE GODOT!!
Farmácias à espera da unidose
Apenas duas farmácias – nos hospitais de Santa Maria (Lisboa) e São João (Porto) – pediram à Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) licença para vender medicamentos por dose individualizada (unidose). Os dois estabelecimentos esperam iniciar em breve a nova forma de negócio, logo que seja feita a fiscalização pela Autoridade Nacional do Medicamento.
Paulo Diogo, director técnico da farmácia do Hospital de Santa Maria, diz ao CM já ter reunidas as condições técnicas para aviar as receitas médicas com o número de comprimidos necessários ao tratamento do doente. "Sexta-feira recebi a resposta do Infarmed ao meu pedido de venda por unidose. Agora, aguardo que os médicos comecem a prescrever as receitas."
O farmacêutico diz ter gasto 10 mil euros na compra do equipamento para o reembalamento e contratou um farmacêutico e um técnico de farmácia para a função exclusiva da venda individualizada e "salvaguardar a questão da segurança dessa venda".
"CORREIO DA MANHÃ"

QUEM ACHA QUE O GOVERNO GARANTE ALGUMA COISA PARA ALÉM DE AUMENTAR O DÉFICE???
Produzir energia em casa vai ter tarifa 
garantida durante 15 anos
No próximo ano cada megawatt hora produzido será pago a 400 euros, mas os registos do ano seguinte já terão uma remuneração 5% inferior
O programa "Renováveis na Hora", que desde Fevereiro está parado, já tem condições para voltar a funcionar e entregar as licenças aos novos produtores sem mais atrasos. O decreto-lei que actualiza as regras da microprodução de electricidade em Portugal foi ontem publicado.
E para os consumidores que desejem ter um painel solar ou uma mini-eólica em casa chega uma garantia: a electricidade que vão vender à rede terá uma remuneração fixa e garantida durante 15 anos.
Conforme o Negócios já havia noticiado, o novo enquadramento jurídico traz aos microprodutores uma tarifa de venda da electricidade mais baixa, mas um período de garantia mais extenso, o que resultará num tempo de amortização do investimento maior do que vinha sendo normal nos últimos anos de aplicação do "Renováveis
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

SERÃO PRIMAS DONAS???
Magistrados. Mais anos de serviço e menos subsídios
Mais tempo de serviço e reformas mais baixas, redução dos valores pagos a magistrados em regime de acumulação, alteração do chamado subsídio de residência e mudanças no regime fiscal. Justificadas pelo cenário de crise, são abrangentes as alterações que o governo propõe para juízes e procuradores, inscritas num diploma autónomo - só ontem entregue às estruturas representativas - que ultrapassa os limites do Orçamento. A proposta terá ainda de ser submetida ao parlamento.
Até agora os magistrados podiam reformar-se com 36 anos de serviço e 60 de idade, mas esses tempos vão progressivamente ajustar-se aos previstos no regime geral da função pública. Até 2014, o tempo de serviço aumenta progressivamente até 40 anos e também a fórmula de cálculo é alterada, passando a ter em conta os montantes deduzidos de contribuições para a Caixa Geral de Aposentações.
Os subsídios de compensação (residência) e de fixação, para magistrados colocados nas ilhas, terminam e são substituídos pelo suplemento de disponibilidade. O diploma não especifica o valor do suplemento, a fixar pelo ministro da Justiça, com parecer prévio das Finanças. Mas sublinha que será tributado, em sede de IRS, na parte que exceda o valor do Indexante de Apoios Sociais (de 419,22 euros).
"i"

UM LUTADOR
Rui Silva volta a apostar forte no corta-mato
A mês e meio do Europeu de corta-mato, este ano em Albufeira (Açoteias), a 12 de dezembro, são bem diferentes as perspetivas das duas seleções portuguesas relativamente às últimas épocas.
A feminina, que no ano passado brilhou, ganhando com larga vantagem e um recorde de pontos (apenas 25, com as quatro atletas pontuadas nos 10 primeiros lugares), está em risco de ficar desmembrada ou, pelo menos, de não se apresentar nas melhores condições. Na masculina contam-se cerca de dezena e meia de atletas com pretensões a entrar na equipa (de seis elementos), devendo as duas provas de seleção (Oeiras a 13 de Novembro e Torres Vedras a 28) ser muito disputadas.
Jessica Augusto e Rui Silva parecem ser, de momento, os atletas em melhores condições, embora o sportinguista ainda mantenha reservas quanto a esta aposta.
"RECORD"

O FISCO FISCA O FISCO, O QUE É ISTO???

Governo pagou por um projecto de diploma 
de arbitragem que propõe justiça fiscal à parte
O Ministério das Finanças pagou 42 mil euros a um escritório de advogados por um projecto de diploma sobre arbitragem fiscal que, caso fosse promulgado, limitaria a acção da administração fiscal e autonomizaria o contencioso judicial de primeira instância, por pressupor que é difícil melhorar o funcionamento do Fisco ou dos tribunais tributários.
O projecto, que espera a promulgação, está agora a ser alvo de alterações significativas, não se sabendo ainda qual a versão final a ser apresentada pelo executivo.
O Governo justificou esta encomenda por se tratar de um tema de "elevada complexidade técnica e necessidade de trazer ao texto experiência da advocacia em matéria de contencioso tributário". O processo iniciou-se em 2010 com a audição informal de juristas. E a escolha recaiu sobre Gonçalo Leite de Campos, advogado do escritório Sérvulo & Associados e filho de Diogo Leite de Campos, jurista que é actualmente vice-presidente do PSD e um dos defensores públicos da arbitragem.
Na base do projecto estão vícios de funcionamento da DGCI e dos tribunais, assumidos oficialmente. A actuação do Fisco não é transparente, demora a solver reclamações e não uniformiza comportamentos para casos iguais. Em geral, os contribuintes preferem pagar mesmo tendo razão. Nos tribunais, os casos avolumam-se.
Mas a discussão sobre a arbitragem fiscal tem, ao longo do tempo, estado rodeada de cautelas por receios de "desjudicialização" dos processos. Desta feita, o Governo, assumiu rapidamente a ideia de "autonomização" de processos contenciosos e a sua passagem para uma arbitragem de matérias de facto e de direito. Um mecanismo que não existe em parte alguma do mundo. Só o pedido de autorização legislativa, feito no OE de 2010, já tinha levado magistrados do Supremo Tribunal Administrativo a falar de "privatização da Justiça em favor de grupos económicos".
"PÚBLICO"

MAIS UMA FACADA PREVÍSIVEL
Preço dos transportes vai subir 
com corte de compensações
Governo vai gastar no próximo ano menos 76 milhões de euros para manter reduzidas as tarifas nos transportes públicos. A principal associação do sector já antecipa aumentos que podem ser superiores aos 2,2% previstos para a inflação em 2011, embora as reuniões com o Governo ainda não tenham começado
A redução de 76,4 milhões de euros nas indemnizações compensatórias a ser pagas pelo Estado às operadoras de transportes públicos em 2011 poderá levar a um aumento nos preços dos bilhetes e dos passes. Os novos tarifários só deverão começar a ser analisados pelo Governo no fim de Novembro, mas, face ao corte nas indemnizações compensatórias - anunciado aquando da apresentação do PEC III e inscrito agora nas contas da proposta de Orçamento -, a Associação Nacional de Transportadores Rodoviários Pesados de Passageiros (Antrop), a principal associação do sector, já admite que poderão mesmo verificar-se aumentos superiores ao valor previsto para a inflação no próximo ano (2,2%).
De acordo com a proposta de Orçamento, o Estado conta gastar no próximo ano 516,5 milhões de euros com indemnizações compensatórias e subsídios para as empresas de transporte, menos 12,9% do que os 593,2 milhões de euros pagos este ano. Entre outras medidas, a redução das indemnizações prende-se com corte que o Governo prevê efectuar em 2011 em instrumentos como os passes sociais, nomeadamente o 4_18 e sub_23. Estas indemnizações têm como objectivo "compensar" os operadores pelo facto de cobrarem aos clientes um valor inferior ao real custo do serviço.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

O SABER....


....NÃO OCUPA LUGAR


PROVÉRBIOS DA ERA DIGITAL


1. A pressa é inimiga da conexão.

2. Amigos, amigos, passwords à parte.

3. Antes só do que em chats de merda

4. A arquivo dado não se olha o formato.

5. Diz-me que forum frequentas dir-te-ei quem és.

6. Para bom entendedor uma pass basta.

7. Não adianta chorar sobre arquivo apagado.

8. Em briga de e-namorados não se mete o rato

9. Em terra off-line, quem tem um 486 é rei.

10. Hacker que ladra não morde.

11. Mais vale um arquivo no HD do que dois a baixar.

12. Rato sujo limpa-se em casa.

13. Melhor prevenir do que formatar.

14. O barato sai caro. E lento.

15. Quando a esmola é demais, o santo desconfia que tem vírus em anexo.

16. Quando um não quer, dois não teclam...

17. Quem ama um 486, Pentium 5 lhe parece.

18. Quem clica seus males multiplica.

19. Quem com vírus infecta, com vírus será infectado.

20. Quem envia o que quer, recebe o que não quer.

21. Quem não tem banda larga caça com modem.

22. Quem nunca errou que aperte a primeira tecla.

23. Quem semeia e-mails colhe spams.

24. Quem tem dedo vai a Roma.com

25. Um é pouco, dois é bom, três é chat ou lista virtual.

26. Vão-se os arquivos, ficam os back-ups.

27. Diz-me que computador tens e dir-te-ei quem és.

28. Há dois tipos de pessoas na informática. Os que perderam o HD e os que ainda vão perdê-lo...

29. Uma impressora disse para outra: Essa folha é sua ou é impressão minha.

30. Aluno de informática não cola, faz backup.

31. O problema do computador é o USB (User Super Burro).

32. Na informática nada se perde, nada se cria.. Tudo se copia... E depois cola-se.


enviado por C. DIOGO

CASAMENTO

JORNAIS DE HOJE


compre jornais









S. O. S. - "AJUDA DE BERÇO"

A "AJUDA DE BERÇO" está com problemas de tesouraria.
Em 13 anos esta instituição acolheu perto de 200 bebés que foram assistidas nas duas pequenas casas onde exerce a sua actividade de assistência.


AJUDE A "AJUDA DE BERÇO" informe-se como
- 21 362 81 74
- 21 362 82 76
- 21 362 82 77
- ajudadeberco@ajudadeberco.pt
- http://www.ajudadeberco.pt/ab/?page_id=24