segunda-feira, 25 de outubro de 2010

ADULTOS - DILEMA PENIANO

MERIDIANO DE GREENWICH


Ainda dizem mal dos professores ...



Vejam como uma professora actual de Geografia ensina com métodos tridimensionais e motiva os alunos a nunca mais se esquecerem onde fica o Meridiano de Greenwich...
Depois ainda falam em incompetência ! ...
Vejam o que eles fazem pelo sucesso escolar ! ...
Se no nosso tempo fosse assim... podem ter a certeza que ainda hoje sabíamos e  conhecíamos não só todos os meridianos como também os paralelos.




enviado por ANTÓNIO CUNHA

ALICE VIEIRA


Descobri o simplex

Tenho mais medo de entrar numa repartição de Finanças ou da Segurança Social do que no consultório do dentista. Por isso, quando entrei na Segurança Social para pedir um documento a provar que não devo nada a ninguém, até tremia. Tirei a senha e, oh alegria!, era a senha 35 e já iam na 14, não devia demorar muito.
Nem valia a pena sentar-me, fiquei encostada à parede a olhar para os que iam chegando, e tirando senhas, e suspirando.
Quando, hora e meia depois, ainda se continuava na senha 14, comecei a não achar graça.
Reparo então - tenho pouca prática destas coisas - numas senhas com a designação de "prioritárias". Pergunto quais as prioridades que abrangem - mas ninguém me sabe responder.
De repente, num ecrã em que passa muita informação a correr, com toda a gente a sorrir muito, a dizerem-nos - a nós, que já ali estamos há horas - como tudo agora é fácil e rápido, descubro que basta uma pessoa ter mais de 65 anos para usufruir dessa benesse.
Tiro outra senha, desta vez a 20, quando já estavam a chamar a 10. Óptimo, agora é que era.
O pior é que se estava na hora do almoço - e ,durante mais de uma hora, nenhuma senha mexeu.
Palavra que temi um levantamento popular. Uma senhora começou a fazer um comício às massas, "devíamos era ir com panelas a São Bento!", mas como a maior parte não estava a perceber o que faziam ali as panelas, ela lá explicou que era uma coisa que tinha acontecido no Chile, mas na sua cabeça as coisas deviam andar um pouco baralhadas porque, dali a momentos, já era a Argentina e as mães da Praça de Maio, e nós que éramos todos uns bananas, que amochávamos tudo. Desiste de esperar e vai embora, ela e mais alguns, e por isso, ao fim de seis horas de ali estar, chamam-me para me informarem que o que eu quero não é com eles.
Deve ser a isto que o nosso primeiro chama o "simplex".

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
22/10/10

28 - LAPIDAR


ALMORRÓIDA VIOLENTA


Gangue executa em Loures 
antigo segurança à pancada

Um antigo segurança foi morto, em Loures, num cenário de extrema violência, em que foram utilizadas armas brancas, cacetes, pedras, garrafas, murros e pontapés. Os agressores, entre 10 a 15, que poderão ser do gangue "Caixa Baixa", agiram por ajuste de contas.
O crime ocorreu cerca das 22,30 horas de anteontem, em Santo António dos Cavaleiros, Loures, pouco depois de a vítima ter deixado uma festa local organizada pelo Bloco de Esquerda, nas instalações da associação de moradores.
Fábio Silvestre, de 29 anos, estava à espera de uma jovem, Isaura, de 24 anos, com quem ia reatar o namoro. "Tínhamo-nos zangado há dois dias, mas íamos fazer as pazes", contou Isaura ao JN. Ela e uma amiga, Ana, de 32 anos, iam ter com o Fábio, "para jantar". Porém, em vez das mulheres, quem encontrou foi uma massa de gente, que estava escondida numa zona mais escura, perto da associação.
"A primeira pancada que lhe deram foi com um cacetete na cabeça. Abriram-lhe logo a testa", recordou João Lopes, que tinha estado com o Fábio na festa partidária.
Mas as rivalidades eram antigas entre Fábio - antigo segurança de discotecas - e o gangue. "Há três semanas, o Fábio e um primo, o Zé Manuel, foram perseguidos e atacados à pedrada quando estavam no Café Progresso, contou um amigo. A montra do estabelecimento ficou em estilhaços e Zé Manuel ficou com ferimentos na cara.
O incidente ocorreu no passado dia 8 de Outubro. "Ele contou-me o que ocorreu, sim, falava muito comigo, embora eu esteja separado da mãe", recorda Arnaldo Silvestre, de 55 anos. "Mas falou-me mais em jeito de brincadeira... o meu filho não tinha medo de nada, de nenhum deles, já vê, tinha 1,85 m de altura e 90 quilos de peso".
Ainda na sexta-feira, pai e filho tinham estado juntos - "o Fábio foi ter comigo ao restaurante onde trabalho", diz -, mas o pai não lhe notou qualquer receio. "Estava normal".
Antecedentes de rivalidades não são conhecidos em concreto, mas em Santo António dos Cavaleiros há algum tempo que era visível a tensão entre o antigo segurança e amigos e um grupo de jovens a residir também na zona, que faziam ameaças sucessivas ao Fábio. "São uns putos do gangue "Caixa Baixa"", um grupo de jovens criminosos transversal a vários bairros de Lisboa e da Margem Sul do Tejo.

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
25/10/10

NR: Não somos muito dados a noticiar crimes destes, apenas o fazemos por se notar um grande clima de insegurança nas ruas do país, a que as autoridades não põem cobro.

ALDEIA MÁRTIR

video

BAILE POPULAR - ROSA ALBARDEIRA

ALMORRÓIDA EDUARDINA




Vem  publicado na 2.ª Série do Diário da República um despacho do extraordinário João Duque, através do qual Eduardo Catroga é contratado para professor catedrático, o que parece que não lhe ocupará muito tempo ["a tempo parcial 0 %"], isto é erro de impressão, e, já que estamos com a mão na massa, o contrato produz "efeitos a partir de 1 de Setembro de 2008".
NR: CLARO QUE ESTE SENHOR TEM DE NEGOCIAR COM O PS PARA VIABILIZAR O ORÇAMENTO. É O CHEFE DA "BRIGADA LARANJA"!!!!!
- OH PROF: DOUTOR JOÃO DUQUE, OS SEUS COMENTÁRIOS NA TELEVISÃO NÃO O SUPUNHAM CAPAZ DESTA ALARVIDADE DE TÃO SÉRIO E SÓBRIO QUE O SENHOR PARECE........
enviado por MARTINS

J E R U S A L É M

video

LIBERDADE DE IMPRENSA 2010

Liberdade de imprensa 2010
Moçambique só bate Angola na CPLP

- a Repórteres Sem Fronteiras coloca o país em 98º lugar,uma posição que representa uma queda de 15 lugares comparativamente com a posição de 2009

(Maputo) Moçambique está a registar uma queda vertiginosa no ranking mundial sobre liberdade de imprensa. No seu relatório de 2010, a Repórteres Sem Fronteiras coloca Moçambique no lugar 98, com 26.50 pontos numa lista com um total de 175 países. Esta posição representa uma queda de 15 lugares se compararmos com a posição conseguida no ano passado, onde com 19 pontos o país esta posicionado no lugar 83. Em 2008, recorde-se, o país tinha conseguido manter o 90º lugar atribuído em 2007.

Entre os 200 países analisados, Cabo Verde é, por seu lado, o país de língua oficial portuguesa que mais respeita a liberdade de imprensa, ocupando o vigésimo sexto lugar. Seguem-se Portugal (40), Brasil (58), Guiné Bissau (67), Timor Leste (94) e Moçambique (98) e Angola (104).
Portanto, no grupo dos falantes do português, Moçambique está simplesmente melhor posicionado em relação a Angola. A Namíbia posiciona-se como o melhor país africano para o exercício do jornalismo, em vigésimo segundo lugar.

Os dez primeiros países onde é bom ser jornalista, segundo a Repórteres Sem Fronteiras, são a Finlândia, Islândia, Irlanda, Noruega, Holanda, Suécia, Suiça, Áustria, Nova Zelândia e Estónia.
A Eritreia (178º), Coreia do Norte (177º), Turcomesitão (176º), Irão (175º), Mianmar (174º), Síria (173º), Sudão (172º), China (171º), Iémen (170º)e o Rwanda (160º) são os piores.
Entre as maiores quedas no ranking, destaca-se a das Filipinas, pelo massacre de cerca de 30 jornalistas. No primeiro semestre deste não, recorde-se, a organização Repórteres Sem Fronteiras identificou 40 políticos internacionais, funcionários de vários governos, milícias e organizações criminosas que classifica como “predadores” da liberdade de imprensa por atacarem directamente os jornalistas.
Entre os 40 predadores da Liberdade de Imprensa apresentados na lista estão o primeiro ministro russo, Vladimir Putin, o presidente do Zimbabué, Robert Mugabe, o líder líbio Muammar Gaddafi, o presidente do Irão, a organização separatista basca ETA e o presidente cubano, Raul Castro.(Redacção)

IN "mediaFAX"
22/10/10
MOÇAMBIQUE

Georgian Dance Kazbeguri

MATRAQUILHOS

ALMORRÓIDA DE CANUDO


Mais de 110 cursos estão em risco de fechar

Há 200 ofertas com menos 20 colocados, mas 88 não correm perigo

Um total de 112 cursos continuavam sem atingir o mínimo de 20 colocados após a 3.ª fase de acesso ao superior, arriscando assim perder o financiamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) em 2011.

Nestas contas não entram mais 70 formações - em regime de pós--laboral ou à distância -, nas mesmas condições, mas para as quais não há mínimos obrigatórios, apesar de esta questão estar a ser discutida entre as instituições e a Direcção-Geral do Ensino Superior.

Há ainda outros 18 cursos livres da eliminação por terem sido autorizados a abrir menos de 20 vagas este ano lectivo, ao abrigo de um regime de excepção previsto na lei. Porém, entre estes, também há várias ofertas - como o curso de Dança do Técnico de Lisboa (zero colocações) ou Tradução de Chinês, no Politécnico de Leiria (um colocado), com futuro incerto.

Os números - apurados pelo DN - resultam do cruzamento entre as vagas abertas na 1.ª fase de acesso, em Junho, e os lugares que se encontravam efectivamente ocupados na 3.ª fase, cujas candidaturas terminaram no dia 14 .

No final das duas primeiras fases de candidatura, de acordo com números divulgados na altura pelo ministério, tinham sido colocados 49 432 novos alunos através do regime geral de acesso. Após a 3.ª, pelas contas do DN, o número subiu para perto de 51 mil. Mas nesta entraram já lugares não ocupados noutros regimes de acesso. Actualmente, restam ainda 4887 lugares por preencher (ver texto nesta página).

Esta entrada de vagas de outros regimes conduz a situações curiosas, com cursos que acabam mesmo com um saldo negativo de lugares preenchidos. Ou seja: não só deixaram por ocupar todos os lugares criados na 1.ª fase, como também as vagas suplementares que foram recolocadas a concurso neste mês. São os casos de Engenharia de Madeiras, do Politécnico de Viseu, e da Engenharia Civil, da Universidade de Évora.

A grande maioria dos cursos em risco - 90 - são dos institutos. Porém, em declarações, ao DN, Sobrinho Teixeira, presidente do Conselho Coordenador dos Politécnicos (CCSISP), defendeu não haver motivo para alarme, lembrando que estes lugares podem ainda ser ocupados por alunos provenientes dos contingentes para maiores de 23 anos ou dos cursos de especialização (CET).

"Estou convencido de que, depois da entrada desses novos públicos, restarão uns 20 cursos nos politécnicos com menos de 20 colocados", antecipou. Mais preocupante é a ocupação do pós-laboral. "Não me parece fazer sentido que estas vagas sejam colocadas no concurso nacional. Os trabalhadores acabam por disputar os lugares com públicos mais novos, o que pode ser desencorajador", disse Sobrinho Teixeira.

O ministério defendeu também "ser ainda cedo para afirmar" quantos cursos estão ameaçados, porque o total de colocados pode ainda subir graças aos adultos.

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
25/10/10

RECÉM CASADOS



Chegam uns recém casados a um hotel e a inocente rapariga diz ao marido:
- Amor, eu não sei nada destas coisas, então vais ter de me ensinar.

Minha vida, a partir deste momento, à 'tua coisita' vamos chamar-lhe a prisão e a 'este' vamos chamar o prisioneiro, vamos meter o prisioneiro na prisão.

Depois da primeira, o tipo atira-se de barriga para cima na cama, mas a rapariga entusiasmada diz ao marido:
- 'Amor, o prisioneiro está fora da prisão'.

O esposo não muito entusiasmado diz: Vamos metê-lo na prisão outra vez. E seguem com a segunda....

Mas a rapariga é bastante gulosa e diz-lhe:
- Amorzinho, o prisioneiro está fora outra vez!!

Levanta-se o tipo como pode, com as pernas tremendo como um recém nascido, e vai para a terceira..... Ao terminar atira-se na cama, exausto. Mas a rapariga volta a dizer:
- 'Querido, o prisioneiro voltou a sair!!!

Responde-lhe o esposo, desesperado: !!!!
- Não chateies, merda: também não é prisão perpétua ...!!!

CASAL ALENTEJANO


CONFISSÕES DE UM CASAL ALENTEJANO

Justina, no leito de morte, decidiu confessar ao seu António:
-"Toino, sabis? O nosso filho más velho nã é tê filho?
O António, muito tranquilo, responde-lhe:
-Dêxa lá Justina, nã há nenhum problema... !
Justina, muito intrigada com toda a calma do seu António, suplica-lhe:
-Escuta lá Toino!!! Vê se intendes! Estou a dezêr-te que o tê filho não é teu! Homem de Deus!!
E o António muito serenamente responde-lhe:
-Pois, pois... eu entendi, Justina.

-Ai, Jisus!! Por que raios então tu não estás zangado e ficas tãn tranquilo?!?!
Finalmente, o António responde:
-Pois... sabes Justina, que este filho tambêm não é tê filho!!!?
Justina indignada rebate:
-Como não é mêu, homem de Deus?
-Sê carreguê o infeliz na minha barriga durante nove meses?!
António responde:
-Justina, lembras-te quando tu estavas na maternidade me pediste para trocar o menino, queli estava todo cagado?
-Pois bem... eu troquê-o por um limpinho que estava ao lado.

TENHA UM BOM DIA............


...embora não deva encontrar motivos para tal

compre jornais
UM BOM EXEMPLO
Legislar pela vida
Kevin Widemond faleceu há um ano. Despertada consciência para morte súbita. Desfibrilhadores no dicionário dos portugueses.
Faleceu há um ano Kevin Widemond e, desde então, a Ovarense procurou consciencializar a comunidade desportiva e a sociedade para o fenómeno da morte súbita e a forma de evitar tragédias como aquela que a equipa assistiu em Leiria, ao intervalo de um jogo de basquetebol, no balneário.
Longe se estaria de prever que um basquetebolista norte-americano pudesse fazer tanto pela modalidade em Portugal.
«Não retirando a mágoa pela perda de uma vida, há coisas positivas que derivam de uma situação negativa», testemunha Braga da Cruz, administrador do emblema de Ovar, no balanço das iniciativas desenvolvidas no último ano.
Os resultados podem ficar aquém das expectativas, mas fica a consciência de que foram ultrapassadas bastantes barreiras e que foi cumprida a obrigação social de alertar para o tema.
Pelo menos, não há atleta português da Liga de basquetebol que não saiba o que é um desfibrilhador automático externo (DAE) e que não reconheça no ecocardiograma o seu maior aliado, o que, por si só, já constitui uma vitória.
O primeiro passo interpretado pela equipa da Ovarense foi a petição pública - à qual se associaram jogadores de outros emblemas e cidadãos, registando um total de oito mil assinaturas -, entregue na Assembleia da República (AR).
Nunca uma iniciativa com origem no meio basquetebolístico tinha atingido tais proporções.
"A BOLA"

O CORPO É QUE PAGA
40 mil fracturas de ossos todos os anos
Uma pequena queda, pegar numa criança ao colo ou até mesmo um abraço mais apertado, actos tão simples e comuns para a maioria das pessoas, podem ser fatais para quem sofre de osteoporose.
A doença afecta entre 700 e 800 mil portugueses, sobretudo mulheres pós-menopausa e ambos os sexos com mais de 60 anos. As estimativas apontam para a ocorrência de 40 mil fracturas osteoporóticas por ano, sendo as mais comuns nas vértebras, na anca e no punho. A fractura do colo do fémur, mais conhecida por fractura da anca, é uma das complicações mais graves da osteoporose. De acordo com as estatísticas, uma em cada cinco vítimas morre no espaço de um ano e cerca de metade perde algum tipo de capacidade funcional ou motora. Anualmente, ocorrem mais de 8500 fracturas da anca. Números assustadores que demonstram a incidência na sociedade desta patologia silenciosa, que só se manifesta após a primeira fractura. Mas aí já a doença está numa fase muito avançada: a perda de quantidade de osso é significativa e a sua qualidade e resistência estão bastante afectadas. Todos, independentemente do sexo e idade, podem entrar nestas estatísticas.
"CORREIO DA MANHÃ"

ARBITRARIEDADE LEVOU MUITOS À FALÊNCIA
Hipers obrigados a pagar a horas 
a partir de 23 de Janeiro
Lei que obriga super e hipermercados a pagarem a tempo e horas aos seus pequenos e médios fornecedores de bens alimentares entra em vigor em Janeiro.
Entra em vigor a 23 de Janeiro a Lei que vai obrigar os super e hipermercados da pagarem a tempo e horas aos seus fornecedores de bens alimentares. Todas as transacções comerciais que se realizem a partir dessa data terão de ser pagas no prazo máximo de 30 ou de 60 dias.
As regras hoje publicadas em Diário da República destinam-se aquelas empresas que tenham mais de 50 trabalhadores com um volume de negócios anual superior a dez milhões de euros. Estas grandes superfícies ficam obrigadas a pagar aos seus fornecedores de bens alimentares no prazo de 30 dias se os bens tiverem um carácter perecível e até 60 dias nos restantes casos.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

OS POBRES PAGAM A CRISE
Sector público gasta milhões: 
comunicação, carros e viagens
As empresas públicas e reguladores gastaram mais de 15 milhões de euros em publicidade, promoção, eventos, viagens e automóveis nos últimos dois anos.
O número resulta de um levantamento feito pelo jornal i no site onde entidades públicas devem divulgar todos os ajustes directos e tem por base as transacções comunicadas por nove empresas: Metropolitano de Lisboa, CP, Refer, ANA, NAV, Parque Expo, Epal, RTP e Estradas de Portugal, e três reguladores: Banco de Portugal, Comissão de Mercado de Valores Mobiliários e Anacom. Se juntarmos as despesas destas entidades com pareceres, projectos, estudos e consultorias jurídicas, teremos de acrescentar uma fatia adicional da ordem dos 14 milhões de euros.
No Verão, o CDS pediu informação sobre quanto gastam as empresas públicas em publicidade, marketing e patrocínios. Não obteve resposta. Para o ministério das Finanças, a informação pedida "não era estratégica, nem relevante". "Não nos parece profícuo que as empresas passem a reportar informação relevante e demasiado pormenorizada", acrescentava a resposta do ministério das Finanças. Para o ministério tutelado por Teixeira dos Santos, este tipo de despesa não "é susceptível de influenciar o equilíbrio financeiro das empresas".
Ordem para cortar esta posição foi assumida há um mês, antes de a proposta de Orçamento de Estado avançar cortes radicais nas empresas públicas. O Estado quer poupar 1600 milhões de euros nos custos operacionais. E depois da redução dos salários, a diminuição dos serviços e fornecimentos externos é o capítulo que pode fazer a diferença. Isto se o governo não voltar a abrir excepções para as empresas mais lucrativas.
Sem a exaustividade pedidos pelo CDS é possível ter uma ideia dos gastos de empresas públicas e reguladores não só nas áreas de comunicação, eventos, publicidade, mas também em viagens, hotéis e na compra ou aluguer de automóveis, despesas que tendem a ser mais contestadas pela opinião pública. Estes contratos não têm um valor individual elevado, pelo que são na sua maioria adjudicados por ajuste directo. E estas adjudicações têm de ser divulgadas na internet. no site www.base.gov.pt. O teor da informação é da responsabilidade das empresas que adjudicam.
"i"

UM EXEMPLO
Ronaldo é totalista no Real Madrid
O técnico do Real Madrid, José Mourinho, já afirmou várias vezes que Cristiano Ronaldo é "intocável porque trabalha como ninguém". O facto é que o internacional espanhol alinhou em todos os minutos (990') da liga espanhola, a par do capitão Iker Casillas.
Os jogadores que se seguem com mais minutos nas pernas são Xabi Alonso (982'), Marcelo (969') e Higuaín (927').
No ano anterior, o madeirense apenas jogou 520' minutos em oito jornadas disputadas. Sob os comandos de Pellegrini, Ronaldo foi duas vezes substituído, alinhou durante 25 minutos frente ao Espanyol, e falhou duas partidas devido a lesão.
Além de ser totalista, Ronaldo está certeiro com as redes: leva 43 golos em 46 jogos oficiais pela equipa merengue. O último grande goleador em Madrid foi o outro Ronaldo, o Fenómeno.
"RECORD"

MAS PORTUGAL É MELHOR EM QUÊ???
Relatório europeu diz que Portugal 
é dos piores a fechar casos pendentes nos tribunais
A remuneração dos juízes em fim de carreira 
é 4,2 vezes superior à média salarial nacional, 
revela documento do Conselho da Europa.
Anualmente, o número de processos abertos e os que são resolvidos é praticamente igual (taxa de resolução de 99,1 por cento), mas o peso dos casos antigos que se arrastam nos tribunais é grande. Neste último indicador, entre todos os membros do Conselho da Europa, Portugal tem o segundo pior "tempo de disposição" - o indicador da capacidade de encerramento de casos pendentes, medido pela estimativa de número de dias necessários para resolver todos os casos existentes.
Estas conclusões constam do quarto relatório da Comissão Europeia para a Eficácia da Justiça (CEPEJ), um organismo do Conselho da Europa, que é divulgado em Ljubljana, na Eslovénia, hoje, nas celebrações do Dia Europeu da Justiça Civil.
Este documento, que avalia a evolução dos sistemas de Justiça europeus entre 2006 e 2008, é feito a partir de mais de dois milhões de dados recolhidos em 45 países do Conselho da Europa. De fora ficaram a Alemanha e o Liechtenstein, por falta de dados.
Jean-Paul Jean, magistrado e presidente do grupo de trabalho para a avaliação dos sistemas judiciais, explicou que, para Portugal, um dos factores para a divergência aparente entre tempo de disposição e taxa de resolução é "o grande peso de casos muito antigos, sobretudo em torno de heranças e conflitos de direitos reais, por exemplo de imobiliário, que estão por resolver durante anos".
Portugal regista também uma grande discrepância entre o número de casos recebidos por procurador (406,2) e o número de casos concluídos (56,3). Para aquele responsável, "esta diferença não surpreende e é a mesma que noutros países".
"PÚBLICO"

O DINHEIRO NÃO CHEGA P'RA TUDO
Há câmaras que levam 900 dias 
a pagar a fornecedores
Tempo fixado actualmente é de 60 dias, mas o objectivo é reduzir o prazo para 30 dias
Pelo menos 161 dos 308 municípios portugueses não cumprem a lei dos prazos de pagamento, fixada em 60 dias. A Direcção-Geral das Autarquias Locais publica a lista dos municípios com prazo médio de pagamento superior a 90 dias, e, no final do segundo trimestre deste ano, eram 161 as câmaras inscritas, com prazos a variar entre os 92 dias de Castro Daire e Vila Viçosa e os 901 de Castanheira de Pêra. Mas Povoação, na Madeira, leva em média 713 dias a liquidar as suas facturas e Mondim de Basto 654 dias. Situação complicada, se atendermos a que o Governo pretende reduzir, em 2011, os prazos de pagamento da administração central e local para 30 dias.
Significativo é, também, o facto de apenas 14 das câmaras que integram a lista pagarem a menos de 100 dias, sendo que 95 levam até 200 dias a liquidar as dívidas, 34 pagam até 300 e dez ficam abaixo da fasquia dos 400 dias. Por fim, há três que demoram, em média, mais de 400 dias a regularizar as contas e duas ultrapassam os 500.
Mas, mesmo entre os piores pagadores, há casos de recuperação. Alfândega da Fé, que no terceiro trimestre de 2009 tinha um prazo médio de pagamento de 919 dias, agora está com 504. Aveiro, em contrapartida, baixou dos 515 dias para 453 entre o primeiro e o segundo trimestres deste ano, mas, até Setembro de 2009, mantinha prazos entre 30 e 45 dias.
O DN tentou ouvir o autarca de Castanheira de Pêra sobre as dificuldades na liquidação das suas contas, mas Fernando Lopes não se mostrou disponível. Já entre os melhores pagadores, Luís Caldeirinha Roma, presidente da Câmara de Vila Viçosa, diz ter a "noção de que a falta de cumprimento nos prazos de pagamento causa distorções na concorrência", pelo que faz "todos os possíveis para não causar mais problemas às empresas, numa fase em que as condições do mercado já são tão difíceis". "Tentamos fazer o melhor, apesar dos efeitos dos vários programas de estabilidade e crescimento (PEC) nas receitas dos municípios, para não repercutir mais dificuldades nas empresas", sublinha o autarca.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

BEM QUE PRECISAM
Ação sobre segurança para idosos
O Destacamento da Covilhã da GNR, em parceira com o Espaço das Idades, vai realizar ações de sensibilização sobre segurança para idosos amanhã e nos dias 2 e 9 de novembro. Os idosos vão sair a pé, acompanhados por agentes da GNR, até ao respetivo quartel, a pouco metros. Haverá uma visita guiada às instalações, seguida da ação de sensibilização.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

SÓ O SALÁRIO É QUE DESCE
Preços do leite básico e da carne vão aumentar
Para 2011, os portugueses podem contar com prováveis aumentos do leite básico e da carne. Além dos produtos cujo valor do IVA vai ser alterado de 6 e 13 para 23%, aqueles que já estão à taxa máxima (21%) passarão a somar mais dois pontos. Nada escapa.
Nos diferentes sectores, a expectativa é só uma: "que na aprovação do Orçamento de Estado de 2011 sejam incluídas medidas que evitem o agravamento do IVA". Sem essa expectativa, uns admitem que os preços irão subir, outros, como o presidente da Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Carlos Santos, dizem mesmo "que é impossível aumentar o pão, mesmo com os cereais a subirem desde Julho, porque o consumo está a cair cada vez mais e vamos ver muitas pessoas a passarem fome".
Para os produtos que o Governo não decidiu aplicar uma nova taxa de IVA, como o leite básico, que se irá manter a 6%, não é líquido que este não suba o preço, como explicou, ao JN, o presidente da Associação de Lacticínios, Pedro Pimentel.
"As margens que as empresas conseguiam obter com os produtos enriquecidos permitiam manter a preços muito baixos os produtos básicos, mas com a diminuição dessa margem será difícil manter os mesmos padrões".
Além disso, acrescentou, "uma medida destas vai travar a inovação no sector".
Subida natural na carne
A carne também poderá custar mais no próximo ano, mas por razões diferentes. As associações de bovinicultores, suinicultores e avicultores falam do aumento dos custos de produção no último ano que não tem sido reflectido no preço ao consumidor.
"É natural que suba o preço para fazer face a uma parte da subida dos custos", adiantou Pedro Espadinha.
Para Manuel Limas, responsável pela associação dos avicultores, os preços também deverão aumentar, uma vez que "o sector já está a atravessar dificuldades financeiras".
Do lado dos representantes dos suinicultores, Luís Dias diz que "a resistência financeira está a acabar", lembrando que Portugal já importa 50% do que consome e há anos que não há projectos para novas explorações".
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Casalzinho no sofá

videomc

SOLUÇÃO PARA PORTUGAL


Governo contrata indiano que está há 70 anos 
sem comer nem beber para ensinar desempregados 
a alimentarem-se da luz solar


Aos 80 anos, Prahlad Jani - ou Mataji, como é conhecido - sobreviveu os últimos 70 anos sem comer nem beber, praticando um tipo especial de ioga que, segundo o octogenário, utiliza o Sol como alimento.
Soubemos que o ministério do trabalho já contratou este mestre da meditação para dar palestras a desempregados e fala-se também em palestras para funcionários públicos.
Fonte do gabinete da ministra Helena André explicou: " todos sabem o momento de crise que atravessamos. Não há perspectivas de melhoria e temos que preparar as pessoas para sobrevirem com muito pouco.
Portugal é um país com muitos dias de Sol por ano e se este homem conseguir ensinar os nossos desempregados a sobreviverem só com a luz solar é a solução para o nosso problema.
Dentro de meses esperamos já deixar de pagar subsídios de desemprego, vamos apenas distribuir espelhos para que os desempregados possam apanhar o dobro da luz solar e encherem o bandulho. "

JORNAIS DE HOJE


compre jornais









S.O.S. - AJUDA DE BERÇO

A "AJUDA DE BERÇO" está com problemas de tesouraria.
Em 13 anos esta instituição acolheu perto de 200 bebés que foram assistidas nas duas pequenas casas onde exerce a sua actividade de assistência.


AJUDE A "AJUDA DE BERÇO" informe-se como
- 21 362 81 74
- 21 362 82 76
- 21 362 82 77
- ajudadeberco@ajudadeberco.pt
- http://www.ajudadeberco.pt/ab/?page_id=24