terça-feira, 19 de outubro de 2010

5 - ERA DIGITAL

OBESIDADE MENTAL


A Obesidade Mental - Andrew Oitke

O prof. Andrew Oitke publicou o seu polémico livro «Mental Obesity», que revolucionou os campos da educação, jornalismo e relações sociais em geral.
Nessa obra, o catedrático de Antropologia em Harvard introduziu o conceito em epígrafe para descrever o que considerava o pior problema da sociedade moderna.

«Há apenas algumas décadas, a Humanidade tomou consciência dos perigos do excesso de gordura física por uma alimentação desregrada.
Está na altura de se notar que os nossos abusos no campo da informação e conhecimento estão a criar problemas tão ou mais sérios que esses.»
Segundo o autor, «a nossa sociedade está mais atafulhada de preconceitos que de proteínas, mais intoxicada de lugares-comuns que de hidratos de carbono.
As pessoas viciaram-se em estereótipos, juízos apressados, pensamentos tacanhos, condenações precipitadas.
Todos têm opinião sobre tudo, mas não conhecem nada.
Os cozinheiros desta magna "fast food" intelectual são os jornalistas e comentadores, os editores da informação e filósofos, os romancistas e realizadores de cinema.
Os telejornais e telenovelas são os hamburgers do espírito, as revistas e romances são os donuts da imaginação.»
O problema central está na família e na escola.
«Qualquer pai responsável sabe que os seus filhos ficarão doentes se comerem apenas doces e chocolate.
Não se entende, então, como é que tantos educadores aceitam que a dieta mental das crianças seja composta por desenhos animados, videojogos e telenovelas.
Com uma «alimentação intelectual» tão carregada de adrenalina, romance, violência e emoção, é normal que esses jovens nunca consigam depois uma vida saudável e equilibrada.»
Um dos capítulos mais polémicos e contundentes da obra, intitulado "Os Abutres", afirma:
«O jornalista alimenta-se hoje quase exclusivamente de cadáveres de reputações, de detritos de escândalos, de restos mortais das realizações humanas.
A imprensa deixou há muito de informar, para apenas seduzir, agredir e manipular.»
O texto descreve como os repórteres se desinteressam da realidade fervilhante, para se centrarem apenas no lado polémico e chocante.
«Só a parte morta e apodrecida da realidade é que chega aos jornais.»
Outros casos referidos criaram uma celeuma que perdura.
«O conhecimento das pessoas aumentou, mas é feito de banalidades.
Todos sabem que Kennedy foi assassinado, mas não sabem quem foi Kennedy.
Todos dizem que a Capela Sistina tem tecto, mas ninguém suspeita para que é que ela serve.
Todos acham que Saddam é mau e Mandella é bom, mas nem desconfiam porquê.
Todos conhecem que Pitágoras tem um teorema, mas ignoram o que é um cateto».
As conclusões do tratado, já clássico, são arrasadoras.
«Não admira que, no meio da prosperidade e abundância, as grandes realizações do espírito humano estejam em decadência.
A família é contestada, a tradição esquecida, a religião abandonada, a cultura banalizou-se, o folclore entrou em queda, a arte é fútil, paradoxal ou doentia.
Floresce a pornografia, o cabotinismo, a imitação, a sensaboria, o egoísmo.
Não se trata de uma decadência, uma «idade das trevas» ou o fim da civilização, como tantos apregoam.
É só uma questão de obesidade.
O homem moderno está adiposo no raciocínio, gostos e sentimentos.
O mundo não precisa de reformas, desenvolvimento, progressos.
Precisa sobretudo de dieta mental.»

PAULO PINTO MASCARENHAS







O novo Homo Sócrates 

Beber vinho é dar de comer a um milhão de portugueses. A frase é atribuída a Salazar, mas parece ter servido de lema ao Orçamento do Estado para 2011. Com o aumento brutal do IVA sobre alguns bens alimentares essenciais, o português da classe média vai deixar de poder dar leite com chocolate e iogurtes aos filhos. O vinho sai mais barato. Estamos prestes a regressar às velhas sopas de cavalo cansado do antigamente. 

A receita podia ser do Partido Socialista: numa tigela, coloque o vinho, acrescentando, de seguida, o mel e a gema de ovo. Misture tudo muito bem. Por fim, coloque o pão devidamente esfarelado. Há quem aconselhe a tradicional broa de milho. 

Tudo indica que o primeiro-ministro não se quer despedir do cargo sem antes criar um ‘homem novo’ em Portugal. As leis e a subida dos impostos servem essa suprema finalidade. O Homo Sócrates já está em construção: com a subida do IVA de 6% para 23%, vai deixar não só de beber leite achocolatado, como todo o tipo de leite enriquecido, vitaminado ou aromatizado. 

Sumos e néctares de fruta, Coca-Cola ou Pepsi, não fazem parte do menu do Homo Sócrates, nem da sua prole. Bebem água, ou vinho, de preferência, mesmo que seja de pacote, porque tem uma taxa de promoção. 

O Homo Sócrates só vai ler revistas especializadas, de heráldica ou filatelia, porque as generalistas recebem o aumento máximo de IVA. Publicações desportivas entram no lote indesejável. Deve ainda evitar os fogos, porque o preço dos extintores não os permite apagar. 

Finalmente, os ginásios estão proibidos. O Homo Sócrates deve fazer como o seu criador: correr na rua, correr sem parar. De preferência, para bem longe de Portugal. 

IN "CORREIO DA MANHÃ" 
16/10/10

22 - LAPIDAR

FABRICA DE CALÇADO NA ÍNDIA

video

ADELAIDE FERREIRA 1991



Hoje em dia será do conhecimento de poucos, mas Adelaide Ferreira - um ícone do soul\pop português e também actriz - começou por cantar Hard Rock. O concerto de onde é extraído este tema ocorreu a 14 de Julho de 1991 no Estádio do Barreirense e contou com a participação de grupos como Afterdeath e Tarantula. "Diz Sim à Vida" foi uma iniciativa recorrente de uma campanha anti-droga.

ALMORRÓIDA EXUBERANTE















Homem 'sem rosto' do Rossio 
remove tumor de 5,5 quilos

José Mestre, conhecido há vários anos no Rossio e Restauradores como o ‘homem sem rosto’, foi operado em Chicago, tendo-lhe sido removido um tumor de 40 centímetros e 5,5 quilos, noticiou a estação televisiva ABC.
O tumor, que cobria a maior parte do rosto e punha em risco a vida de José Mestre, foi retirado depois de três meses de preparação em Chicago, nos Estados Unidos, tendo sido necessárias quatro cirurgias.
"Finalmente teve uma hipótese de levar uma vida mais ou menos normal porque, antes disto, [José Mestre] sentia que, apesar de nunca o ter pedido, era o centro das atenções em todo o lado", afirmou o seu tradutor à ABC.
A história começou no ano passado quando, em julho, José Mestre, então com 53 anos, foi convidado pelo canal de televisão Discovery para filmar em Londres um documentário sobre o seu problema.
O programa, intitulado ‘O homem sem cara’, foi apresentado no início de Dezembro mostrando o rosto deformado do homem que costumava andar pela zona do Rossio, tendo o canal contactado dois médicos famosos nos hospitais de St. Bartholomew e de Broomfield para pedir opinião.
Ian Hutchison, o médico do St. Bartholomew consultado, ofereceu-se de imediato para fazer-lhe uma cirurgia inovadora, e de graça, para devolver a José Mestre o rosto que desde criança se vinha a deformar prometendo uma melhoria da qualidade de vida já que lhe possibilitaria respirar melhor, falar, comer e ver.
A maior dificuldade foi conseguir o acordo do próprio José Mestre que, como testemunha de Jeová, mostrou reservas em fazer a cirurgia.
No entanto, o facto de, nos últimos meses, o tumor lhe ter provocado cegueira de um dos olhos, além de ter coberto por completo a boca e a língua, levou a sua irmã a insistir na operação.
"Se não fosse feito nada, ele morria", explicou à ABC a irmã, Edite Abreu, garantindo que "agora, ele tem uma nova vida".
José Mestre, que foi submetido a duas cirurgias perigosas nos últimos dias para reconstruir o seu rosto, está ainda a recuperar, envolto em gaze, mas já consegue deslocar-se sozinho e falar com dificuldade.
"Nenhum médico o queria operar, por isso, para ele, desde a primeira cirurgia que esta história tem um final feliz, porque ele nunca acreditou que chegasse aqui vivo", disse o tradutor à estação televisiva.
"Este foi provavelmente o maior tumor jamais retirado e, por isso, foi muito difícil fazê-lo sem deformar o rosto", explicou Ramsen Azizi, um dos cirurgiões que está a tratar do caso.
José Mestre saiu do hospital na segunda-feira à tarde e voltará a Portugal daqui a poucas semanas, refere a ABC, acrescentando que a família continuará a ser apoiada médica e financeiramente pelo hospital.

IN "CORREIO DA MANHÃ"
19/10/10

PASSEIO DE BARCO

video

enviado por E. FRANÇA

MOMENTOS DA VIDA DE UM BANCÁRIO



" Bom dia. Quero saber se o meu obstrato já chigou?"

"queria o nibel da conta"

"queria um carneiro de cheques"

" a minha retrete já veio?"

"dou o meu abalo ao suscritor"

"Quero dissolver esta conta"

"Desculpe, a partir de que valor é que a conta fica negativa?"

"A sua colega que está na máquina multibanco ficou-me com as notas!"

"A máquina comeu o meu cartão Securitas!"

"O multibanco enganou-se. Posso falar com a sra que está para ali a falar dentro da máquina?"

"Queria fazer umas perguntas sobre aquele cartão "nespresso"

"estou muito nervosa, o meu cartão foi extraviolado..."

"Bom dia. Tou a chegar agora da França e venho aqui para ver se os seus chiffres batem com os meus..."

"Porque é que os cartões agora têm um chispe?"

enviado por CAMY

ALMORRÓIDA MAFIOSA


Máfia de Leste coagia menores a assaltos com agressões e fome


O grupo conhecido como "Máfia de Leste", suspeito de ter praticado pelo menos 239 assaltos a residências por todo o país, coagia menores e mulheres à prática de crimes. Sob ameaça de lhes bater e negar comida. Quem o garante é o coordenador da investigação.

As palavras de Cláudio Moutinho, chefe de uma brigada da Divisão de Investigação Criminal da PSP-Porto, foram proferidas na segunda sessão do julgamento que decorre nas Varas Criminais do Porto. No banco dos réus estão seis arguidos (dois homens, os líderes, e quatro mulheres; todos de nacionalidade que se presume croata, sem certezas), em prisão preventiva; os demais 15 acusados pelo Ministério Público do Porto (todos estrangeiros) estão em fuga, por não terem sido postos em prisão preventiva.
"As operacionais tinham de assaltar as casas e depois, numa relação tipo vassalagem, tinham de entregar o ouro. Eram coagidas e tratadas como escravas", explicou Cláudio Moutinho, explicando que o cenário foi descrito por uma das jovens apanhadas.

"Pôs a hipótese de colaborar com a investigação mas voltou atrás, por receio. Mas ficámos a saber que havia objectivos de quantidade de assaltos, como de produção em fábrica. Se não fossem cumpridos, eram aplicados castigos", descreveu aos juízes.

O chefe da PSP foi mais longe e contou que, em casos em que as autoridades interceptaram as operacionais suspeitas em mais do que uma ocasião, na segunda vez elas já "apareciam com hematomas e marcas de agressão". Várias crianças detidas foram colocadas em casas de acolhimento, à ordem do Tribunal de Menores, mas acabaram por fugir.

Segundo o chefe da PSP, as dificuldades da investigação prenderam-se com a extrema facilidade de mobilidade do grupo, que, em pouco tempo, estabeleceu-se na Póvoa de Varzim, Espinho e Vilamoura (Algarve), - cidades onde existem casinos e onde os líderes, designados Ratko e Dejan (embora existam dúvidas sobre as suas verdadeiras identidades) foram detectados a jogar. Há também indicações de que a "célula" actuou na Costa da Caparica.

Mas também os próprios investigados sabiam despistar a vigilância policial, quer através da utilização de manobras de contra-vigilância, quer através da referência à idade (menos de 16 anos, documentados com papéis falsos), quando eram apanhados em flagrante a sair de prédios com objectos furtados. "Conheciam bem a nossa legislação".

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
19/10/10

1 - PEIXES DOS CORAIS






FAVAS A MAIS


Um peregrino a caminho de Fátima pernoita na casa duma viúva.
A meio da noite ela vai ter com ele toda nua!
Ele com medo de pecar, foge e vai confessar-se.
O padre diz-lhe que vá para casa e que coma 5 kg de favas.
- Sr. Padre, eu não sou um cavalo!
- Mas és burro! Primeiro comias a viúva e depois é que te confessavas...!!!


enviado por C. DIOGO

NORUEGA ...do melhor

video

NR: A NORUEGA é um lindo País com um povo muito sério.
O sonho de um norueguês rico é ter uma cabana de madeira num local onde só se pode ir a pé ou de sky.
Não são consumistas e os políticos têm um elevado sentido de missão, por isso têm a melhor qualidade de vida do mundo.
Apenas um senão, comida do pior, bora lá vamos invadi-los com a nossa gastronomia, uma das melhores do mundo.

TENHA UM BOM DIA............

...e faça tudo para ficar calmo

compre jornais

não esquece, omite
Administradores hospitalares alertam 
que Orçamento esquece as dívidas do SNS
Para o presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares o Orçamento do Estado para 2011, no que diz respeito à área da Saúde, faz “um bom enfoque” na melhoria das questões de gestão e eficiência, mas é bastante “vago” e “foca-se em questões conjunturais e não estruturais”. Pedro Lopes acredita o corte de 12,8 por cento na despesa consolidada (dos 9818 para os 8563 milhões de euros) – o maior de todos os sectores – “não terá impacto imediato na prestação de cuidados”. No entanto mostra-se “preocupado” por o documento olhar para o novo ano sem ter em consideração as dívidas acumuladas pelo Serviço Nacional de Saúde.
“No passado o pagamento da despesa corrente foi feita através de um fundo e o valor voltou a acumular-se e o Orçamento do Estado nada diz no sentido de não voltarem a existir estes lapsos”, lamenta Pedro Lopes. Sobre os efeitos nos cuidados de saúde para os cidadãos, salienta que não sentirão “muito”, já que a maioria da poupança está a ser feita no sector do medicamento – “o que não vai poder acontecer eternamente”. E congratula-se com a maior exigência anunciada na cobrança das taxas moderadoras e na gestão das unidades de saúde, mas alerta: “A questão da avaliação dos profissionais está sempre lá mas depois nunca avança e o documento é vago e não quantifica as poupanças e objectivos pretendidos”.
Já Adalberto Campos Fernandes, que deixou este ano a presidência do conselho de administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte (Hospital de Santa Maria e Pulido Valente) depois de ter conseguido deixar a maior unidade hospitalar do país com resultados positivos, destaca que os 12,8 por cento de cortes previstos até estão abaixo dos 15 por cento da “zona de desperdício” que se prevê existir. À semelhança de Pedro Lopes, aponta como falha ao documento não prever o “stock de dívidas” e diz que “deveria afrontar com clareza todos os interessados para colocar os prazos de pagamento a níveis aceitáveis”. O também médico considera que “o Orçamento podia ter ido mais longe no esforço de racionalização das estruturas e na concentração de serviços. O Ministério da Saúde tem muita margem ao nível dos serviços centrais e regionais”.
"PÚBLICO"

somos todos ceguinhos
Estado paga 'às cegas' 60 milhões a advogados oficiosos
O Estado está a pagar aos advogados oficiosos sem confirmar que o serviço foi de facto realizado. Alguns trabalhos são pagos a dobrar. São mais de 60 milhões por ano.
O Estado gasta com advogados oficiosos cerca de 60 milhões de euros por ano por serviços prestados no âmbito do apoio judiciário. Mas, parte daquele dinheiro é pago às "cegas", sem a mínima prova de que o trabalho tenha sido efectivamente prestado. E, por vezes, as remunerações são atribuídas em duplicado. José Sócrates admitiu no programa do Governo para a presente legislatura alterar o sistema de acesso ao direito com a "redefinição" da figura do defensor público. Mas a promessa permanece na gaveta, estimando-se que ela poderia significar uma poupança nos honorários superior a 50%. Mas, muito advogados ficariam sem trabalho.
"Estão a ser pagas importâncias incorrectamente peticionadas pelos participantes no sistema de acesso ao direito." A denúncia surge no relatório da comissão de acompanhamento do sistema de acesso ao direito, a que o DN teve acesso. A situação é possibilitada, explica-se no documento, pela "inexistência de procedimentos ou mecanismos que permitam a confirmação dos serviços prestados pelo profissionais forenses inscritos no Sistema de Acesso ao Direito, enquanto realizam diligências cujos custos são suportados pelo Instituto de Gestão Financeira e de Infra-Estruturas da Justiça (IGFIJ)".
Mas foi a atitude honesta de alguns advogados que levou à descoberta de algumas falcatruas. Segundo o relatório, o IGFIJ recebeu "inúmeros" pedidos de anulação/rectificação de pedidos de pagamentos, pois alguns serviços previstos acabariam por não se realizar. Mas, esses pedidos chegaram ao IGFIJ já depois de a Ordem dos Advogados, através do Sistema de Informação Nacional da Ordem dos Advogados (SINOA), ter solicitado ao mesmo instituto o pagamento ao advogado como se o serviço tivesse sido prestado. "Ora a circunstância de não haver um mecanismo que permita, com segurança, confirmar a informação veiculada pelo SINOA ao IGFIJ, para efeito de pagamento, tem levado, inevitavelmente, a que sejam efectuados pagamentos indevidos, situação que - como se compreenderá - não se coaduna com as regras de gestão às quais está sujeita uma entidade como o IGFIJ", lê-se no relatório.
Mas, no IGFIJ, além de "pagamentos indevidos", também se fazem "pagamentos duplos". A situação ocorre porque antes de 2008 cabia aos tribunais emitir para o IGFIJ uma nota de honorários a pagar ao advogado oficiosos interveniente num determinado processo. Depois da publicação da Portaria 210/2008, de 29 de Fevereiro, o próprio advogado passou a inserir o pedido de pagamento no sistema informático da OA, sendo o SINOA a solicitar a liquidação.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

desde o tempo em que foi ministra
Portugal 'não tem dinheiro para pagar '
A antiga líder do PSD Manuela Ferreira Leite reafirmou ontem, em Badajoz (Espanha), ser contra a construção da linha ferroviária de alta velocidade (TGV) entre Lisboa e Madrid.
'Não tenho nada contra o TGV, nem contra Espanha, como é óbvio, mas não posso deixar de defender os interesses de Portugal. O nosso País, neste momento, não tem dinheiro para pagar e, se não tem dinheiro, não tem crédito para o poder fazer e, penso eu, não se deve comprometer com algo que é extremamente prejudicial à política económica, neste momento', afirmou a deputada social-democrata.
No «Fórum Ágora, o Debate Peninsular», principal fórum de reflexão das relações entre Portugal e Espanha, que começou ontem em Badajoz, a ex-líder do PSD reafirmou a sua oposição ao projeto conjunto de alta velocidade entre Portugal e Espanha.
'Reafirmo, até com mais firmeza que há alguns meses, que é impensável que Portugal possa enveredar, neste momento, num projeto para o qual não tem dinheiro', declarou.
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

 mais dois milhões que as vão cancelar
Um milhão de portugueses 
não tem conta bancária
Há cerca de um milhão de portugueses que não têm conta bancária e dos que têm, metade não faz qualquer poupança. O motivo para ambas as situações é o mesmo: falta de dinheiro, segundo revelam os primeiros resultados do inquérito sobre literacia financeira do BdP.
Os termos "spread" e TAEG são conhecidos e referidos por muitos portugueses. Mas serão importantes na hora de contrair um empréstimo? Os resultados preliminares do inquérito à literacia financeira conduzido pelo Banco de Portugal (BdP), mostram claramente que não. São 41% os portugueses que dizem desconhecer o spread do seu empréstimo da casa e a mesma percentagem sublinha que foi o valor da prestação mensal do crédito o factor principal para a escolha do banco onde pedir o dinheiro. Apenas 4% reconhecem que a TAE (que inclui comissões, juros e seguros obrigatórios) foi relevante para a escolha do banco.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

a uefa até sanciona golos com a mão
Vítor Pereira: «Nomeações da UEFA 
são reconhecimento da competência dos árbitros»
O presidente da Comissão de Arbitragem da Liga, Vítor Pereira, vê nas nomeações de Pedro Proença para o Real Madrid-Milan e de Olegário Benquerença para o Ajax-Auxerre, um sinal de «reconhecimento do profissionalismo e da competência dos árbitros portugueses».
«É também um incentivo para que todos procuremos, a cada dia, ser melhor. É evidente que estamos satisfeitos. Temos a noção de que UEFA e a FIFA têm acompanhado os nossos modelos de formação e a forma como temos procurado desenvolver os árbitros jovens», disse Vítor Pereira, em declarações à Antena 1, realçando que «o trabalho de fundo» que está em curso em Portugal no campo da arbitragem «demora o seu tempo», mas não abala «a esperança que quanto mais se avançar no processo, mais sucesso» será possível atingir.
"A BOLA"

são bem necessários
200 psicólogos contratados
As escolas que tiveram psicólogo no último ano lectivo vão receber a indicação, durante esta semana, para a renovação dos contratos com estes profissionais. A garantia foi dada ontem pelo Ministério da Educação, após uma reunião com Telmo Baptista, bastonário da Ordem dos Psicólogos (OP).
Em causa estão 200 psicólogos cujos contratos terminaram no final do ano lectivo passado. "É importante que os profissionais continuem nas escolas, pois trabalham nos projectos de inclusão, nas necessidades educativas especiais, entre outras áreas", realçou Telmo Baptista ao CM.
O bastonário alertou Isabel Alçada para a urgência de portaria que permita aos psicólogos darem aulas de Psicologia. "É um problema com mais de 25 anos, e não é lógico que a um psicólogo não seja reconhecida habilitação para a docência." Outra proposta apresentada pela OP é a exigência de identificação de quem pratica actos psicológicos em contexto escolar. "Há muitas pessoas a exercer, não apenas nas escolas, que não são psicólogos. Tem de se exigir cédula, vinhetas, algo que identifique o profissional", explicou.
Segundo o bastonário, a OP detectou 64 profissionais não inscritos. Em alguns casos, foi apresentada queixa no Ministério Público. "Se houver uma queixa e o profissional não estiver inscrito, é um problema do foro criminal, é um caso de usurpação de título."
"CORREIO DA MANHÃ"

atrazos e erros pouco inocentes
Atrasos e erros em concessões obrigam 
Estado a pagar 587 milhões à banca
Reequilíbrios financeiros acordados em 2006 e 2008, por obras efectuadas anos antes na Concessão Norte e na Scut Interior Norte, revertem para o BES, CGD e Credip.
O Governo vai pagar 587 milhões de euros no próximo ano à Caixa Geral de Depósitos, Banco Espírito Santo e Credip (detido pelo banco público e pela Parpública), no âmbito de reequilíbrios financeiros acordados em 2006 e 2008 com os sindicatos financiadores da Concessão Norte e da Scut Interior Norte.
Estes reequilíbrios financeiros dizem respeito a situações anteriores a 2005, que geraram perdas de receita nessas concessões por motivos de atrasos, erros dos projectos, como sobreposições de traçados, e expropriações. O Estado assumiu perante os bancos financiadores a responsabilidade e vai liquidar directamente, no próximo ano, os reequilíbrios acordados.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

a soma das parcelas pequenas é que nos trama
Estado vai gastar mais seis milhões 
em publicidade e seminários em 2011
O Orçamento do Estado para 2011 prevê que os ministérios gastem quase 23 milhões de euros em seminários, publicidade e exposições, mais seis milhões que este ano, segundo a edição de hoje do Diário de Notícias. Uma notícia que surge depois de o governo ter anunciado contenção para reduzir a despesa pública.
Trata-se de um crescimento de 46% no caso dos seminários e de quase 30% na publicidade do Estado. O aumento desta despesa deve-se, sobretudo, ao peso do orçamento da Presidência do Conselho de Ministros, mais de 500%.
De acordo com as declarações de uma fonte da Presidência do Conselho de Ministros ao DN, este “acréscimo deve-se às acções de divulgação e sensibilização dos cidadãos para participarem nos censos 2011”.
Espera-se ainda que o governo aumente em cerca de 30% a despesa com “artigos honoríficos e de decoração”, num total de 301 mil euros.
"i"

 qual verdade, não há informação com fartura???
Rui e Mário Costa reiteram inocência
Os ciclistas Rui Costa (Caísse d'Epargne) e o irmão Mário Costa (Barbot-Siper) reiteraram esta segunda-feira a sua inocência em relação às acusações de doping e mostraram-se confiantes em "que a verdade possa vir ao de cima".
Tanto o campeão português de contrarrelógio em elites, como o seu irmão, terceiro na mesma prova, acusaram, após a prova, disputada a 25 de junho, em Santa Maria da Feira, a utilização do estimulante metilhexanamida, que entrou na lista de substâncias proibidas em 2010.
De acordo com o comunicado, assinado por ambos, este controlo ficou a dever-se à toma "sob conselho de um nutricionista" de "um suplemento alimentar à base de arginina que estava contaminado com aquela substância", ignorando que contivesse "qualquer substância proibida".
"RECORD"

ALMORRÓIDA OFFSHORE

 "Sol" é detido por "offshore" com sede no Panamá


Segundo a base de dados da ERC, a Pineview Overseas detém 95% da Newshold, que tem 97% do semanário dirigido por José António Saraiva.
A sociedade detentora da "Newshold" - empresa com uma participação de 96,96% no semanário "Sol" - é uma "offshore" com sede no Panamá.

De acordo com o "Portal da Transparência da Propriedade dos Meios de Comunicação Social", da autoria e colocado ontem em linha pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), a "Newshold" é participada, em 95%, pela Pineview Overseas. Esta sociedade tem sede na cidade do Panamá, na República do Panamá.

Segundo a OCDE, o Panamá está classificado como um paraíso fiscal e, neste momento, encontra-se na lista "cinzenta" dos países que se comprometeram a prestar informações sobre os beneficiários das empresas. O Panamá tem sete acordos assinados, segundo a lista da OCDE, publicada a 14 de Outubro. No entanto, ainda não implementou totalmente o compromisso de divulgar informações sobre os beneficiários últimos das sociedades registadas no país.

No portal da ERC, Edgardo E. Diaz e Maria Vallarino aparecem como administradores da Pineview Overseas.

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
19/10/10

Mas que brinquedo....!

video

enviado por ANTÓNIO CUNHA

RECANTOS DE LISBOA

video

enviado por C. SANTOS

JORNAIS DE HOJE


compre jornais