sábado, 16 de outubro de 2010

PIOR QUE MINA

ENCHIDOS DE ALMORRÓIDAS ÀS TACHADAS

Institutos públicos: extinções, reorganizações e reestruturações


O próximo Orçamento do Estado dá conta de que o Governo vai avançar já no próximo ano com a extinção, reorganização ou reestruturação de 50 institutos públicos, de maneira a racionalizar as estruturas orgânicas da administração do Estado.

“No contexto do referido objectivo de ajustamento orçamental muito exigente, considera-se prioritária a redução de estruturas orgânicas na Administração directa e indirecta, a par de uma profunda reorganização e racionalização do Sector Empresarial do Estado”, refere o Governo no relatório entregue esta manhã na Assembleia da República, acrescentando: “Este esforço traduz-se numa redução significativa do número de cargos dirigentes, tanto de nível superior, como de nível intermédio, implicando, na sua generalidade, que os serviços e organismos sejam objecto de reestruturação”.

Veja a lista proposta pelo Governo para os institutos públicos:

1. É extinta, sendo objecto de fusão, a Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas, sendo as suas atribuições integradas na Biblioteca Nacional de Portugal.

2. É externalizado o Estádio Universitário de Lisboa, I.P., deixando de integrar a Administração Central.

3. É reorganizada a rede de serviços de acção social do Ensino Superior, de forma a optimizar a oferta coordenada e integrada de sérvios ao nível regional e nacional.

4. É extinto, sendo objecto de fusão, o Gabinete Coordenador do Sistema de Informação, sendo as suas atribuições integradas no Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação.

5. É extinta, sendo objecto de fusão, a Comissão para a Optimização dos Recursos Educativos, sendo as suas atribuições integradas no Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação.

6. É extinto, sendo objecto de fusão, o Observatório das Políticas Locais da Educação, sendo as suas atribuições integradas no Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação.

7. É extinto, sendo objecto de fusão, o Gabinete de Gestão Financeira do Ministério da Educação, sendo as suas atribuições integradas na Secretaria-Geral do Ministério da Educação.

8. É extinto, sendo objecto de fusão, o Gabinete de Avaliação Educacional, sendo as suas atribuições integradas na Direcção-Geral da Inovação e Desenvolvimento Curricular.

9. Racionalização das redes diplomática e consular.

10. É extinto o Instituto de Informática do Ministério das Finanças e da Administração Pública, sendo as suas atribuições transferidas para a Secretaria-Geral deste Ministério e para a GERAP – Empresa de Gestão Partilhada de Recursos da Administração Pública, E.P.E.

11. Reestruturação do sistema de supervisão financeira, com a redução de três para duas autoridades de supervisão financeira.

12. São objecto de fusão a Direcção-Geral dos Impostos e a Direcção-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo.

13. São objecto de fusão a Agência Nacional de Compras Públicas, E.P.E., e a Empresa de Gestão Partilhada de Recursos da Administração Pública, E.P.E.

14. É extinto o Hospital Condes Castro de Guimarães. 15. São agrupados, no Grupo Hospitalar do Centro de Lisboa, a Centro Hospital de Lisboa Central, E.P.E., a Hospital Curry Cabral, E.P.E. e a Maternidade Alfredo da Costa.

16. São agrupados, no Centro Hospital e Universitário de Coimbra, a Hospitais da Universidade de Coimbra, E.P.E., a Centro Hospitalar de Coimbra, E.P.E., e o Centro Hospitalar Psiquiátrico de Coimbra.

17. São agrupados, no Centro Hospitalar de Aveiro, a Hospital Infante D. Pedro, E.P.E., o Hospital Distrital de Águeda e o Hospital do Visconde de Salreu.

18. São agrupados o Hospital de São João e o Hospital de Nª Sra. Conceição.

19. É extinta a estrutura de missão Parcerias Saúde.

20. É extinto, sendo objecto de fusão, o Observatório do Emprego, sendo as suas atribuições integradas no Centro de Relações Laborais.

21. É extinto, sendo objecto de fusão, o Conselho Nacional da Formação Profissional, sendo as suas atribuições integradas no Centro de Relações Laborais.

22. É extinto, sendo objecto de fusão, o Conselho Nacional de Higiene e Segurança no Trabalho, sendo as suas atribuições integradas no Centro de Relações Laborais.

23. É extinta a Comissão de Gestão do Programa de Apoio Integrado a Idosos.

24. É extinta a Caixa de Previdência dos Trabalhadores da EPAL.

25. É extinta a Caixa de Previdência e Abono de Família dos Jornalistas.

26. É extinta a Caixa de Reformas e Aposentações do Banco Nacional Ultramarino.

27. É extinta a estrutura de missão do Programa para a Inclusão e Cidadania (PIEC), sendo as suas atribuições integradas no Instituto de Segurança Social, I.P..

28. É extinto o Gabinete para o Desenvolvimento do Sistema Logístico Nacional.

29. É extinto o Gabinete do Metro Sul do Tejo.

30. É extinta, sendo objecto de fusão, a Teatro Nacional D. Maria II, E.P.E., que passa a integrar a OPART – Organismo de Produção Artística, E.P.E., conservando a respectiva identidade.

31. É extinta, sendo objecto de fusão, a Teatro Nacional de S. João, E.P.E., que passa a integrar a OPART – Organismo de Produção Artística, E.P.E., conservando a respectiva identidade.

32. É extinta, sendo objecto de fusão, a Comissão de Planeamento de Emergência das Comunicações, sendo as suas atribuições integradas na ICP – Autoridade Nacional de Comunicações.

33. É extinta, sendo objecto de fusão, a Comissão de Planeamento de Emergência do Transporte Aéreo, sendo as suas atribuições integradas no Instituto Nacional de Aviação Civil.

34. É extinta, sendo objecto de fusão, a Comissão de Planeamento de Emergência do Transporte Marítimo, sendo as suas atribuições integradas no Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos.
35. É extinta, sendo objecto de fusão, a Comissão de Planeamento de Emergência dos Transportes Terrestres, sendo as suas atribuições integradas no Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres.

36. São objecto de fusão as Direcções Regionais de Economia com as Comissões Coordenadoras e Desenvolvimento Regional.

37. É extinto, sendo objecto de fusão, o Secretariado Técnico da Comissão das Alterações Climáticas, sendo as suas atribuições integradas no Departamento de Prospectiva, Política Climática e Relações Internacionais.

38. É extinto, sendo objecto de fusão, o Gabinete Coordenador do Programa Finisterra, sendo as suas atribuições integradas no Instituto da Água.

39. É extinta, sendo objecto de fusão, a Inspecção-Geral dos Jogos sendo as suas atribuições integradas na Autoridade de Segurança Alimentar e Económica.

40. São reestruturados os serviços desconcentrados da Direcção-Geral de Veterinária, sendo as suas atribuições integradas nas Direcções Regionais de Agricultura e Desenvolvimento Rural.

41. São reestruturados os serviços desconcentrados da Autoridade Florestal Nacional, sendo as suas atribuições integradas nas Direcções Regionais de Agricultura e Desenvolvimento Rural.

42. É extinta a Gestalqueva, S.A.

43. É extinta a Fundação INA.

44. São objecto de fusão a Direcção-Geral dos Serviços Prisionais e a Direcção-Geral da Reinserção Social.

45. É extinto, sendo objecto de fusão, o Gabinete de Resolução Alternativa de Litígios, sendo as suas atribuições integradas na Direcção-Geral de Administração da Justiça.

46. Racionalização da rede nacional de conservatórias.

47. São extintos os Serviços Sociais do Ministério da Justiça, sendo as suas atribuições integradas na Direcção-Geral de Protecção Social aos Funcionários e Agentes da Administração Pública (ADSE) e nos Serviços Sociais da Administração Pública.

48. Extinção da estrutura de missão para o SIRESP – UN-SIRESP.

49. É extinta, sem qualquer tipo de transferência de atribuições, a Estrutura de Missão Lojas do Cidadão.

50. É extinta, sendo objecto de fusão, a Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental, sendo as suas atribuições integradas na Estrutura de Missão para os Assuntos do Mar.

IN "i"
16/10/10

NA GRÉCIA NÃO HÁ VIA VERDE


Portagens na Grécia - Outros meios de pagamento?!?




Se andarem de carro na Grécia e tiverem que passar nalguma portagem, tenham muito cuidado com o meio de pagamento que vão escolher...

Paguem em dinheiro, usem os E-Pass ou os Smart Pass, mas nunca por nunca se deixem convencer a usar os Other Means Of Payment (outros meios de pagamento).

enviado por J. COUTO

ALMORRÓIDA DESESPERADA


600 mil idosos com fome ou mal alimentados

30,7% dos mais velhos têm baixo peso e são poucos os que tomam suplementos.

Maria (nome fictício) tem 81 anos e vive sozinha. Sem família para a ajudar, a reforma que recebe não chega para poder comprar os suplementos alimentares de que precisa para compensar o que não come. Sofre de desnutrição. Tem 1,60 m e pesa apenas 48 quilos, quando devia ter 63. Além do impacto destas carências na sua qualidade de vida, corre ainda riscos acrescidos de saúde. Cerca de 600 mil idosos em Portugal estão abaixo do peso que deviam ter, revela um estudo que é apresentado hoje, Dia Mundial da Alimentação.

"O isolamento social leva a este tipo de situações. Quanto mais sozinhos estão, menos comem e mais dependentes se tornam. Se não tiverem uma alimentação adequada, os tratamentos são mais lentos e não têm o mesmo alcance. Há um aumento de mortalidade e de morbilidade", diz Graça Raimundo, presidente da Associação Portuguesa de Dietistas.

Em Portugal, 30,7% dos idosos, ou seja, cerca de 600 mil pessoas, estão desnutridos e apenas 21% tomam suplementos alimentares para compensar esta falta de nutrientes. Esta é uma das conclusões do estudo NutriAction, que mostra que são muitos os que comem apenas um quarto da refeição que deviam ter no prato. O acesso aos suplementos é mais difícil no interior do País, "zona com menos informação e mais pobre".

"Essa quantidade de comida não cobre as necessidades nutricionais que têm. Há idosos a passar fome porque não ingerem tudo o que precisam. Além das dificuldades económicas em alguns casos, noutros o apetite não corresponde às necessidades", reforça, lembrando que a "desnutrição se traduz em debilidade física e psíquica".

A situação torna- -se ainda mais grave nos que estão doentes. Carla (nome fictício) sofre de uma doença grave que a impede de engolir normalmente. Apesar de só ter 67 anos, precisa de suplementos alimentares. Enquanto esteve internada teve acesso a uma alimentação enriquecida, mas após a alta a família foi confrontada com a enorme despesa que isso significava. Acabaram por deixar de ter dinheiro para comprar os suplementos nas farmácias, que não são comparticipados pelo Estado.

Em 2008, 53% dos idosos que precisavam tinham acesso a suplementos. O número caiu para 27% no ano passado e este ano continuou a baixar para os 21%. "A diminuição do consumo deve-se em grande parte à crise económica. Os suplementos têm custos que algumas pessoas não conseguem suportar", diz Graça Raimundo.

Uma conclusão reforçada por Vítor Cavaco, que fez o tratamento estatístico do estudo. "Mais de 50% destas pessoas têm doenças associadas e quando é preciso optar nas farmácias, levam o necessário", explica, salientando que o trabalho mostra que quanto mais velho mais problemas de nutrição se tem.

As situações mais graves de desnutrição são, curiosamente, encontradas nos hospitais. Não só porque os mais doentes aí estão internados mas porque esta ainda não é uma prioridade na área hospitalar. "É preciso criar grupos multidisciplinares que estudem as necessidades nutricionais dos doentes, elaborem planos alimentares e acompanhar a situação", diz Graça Raimundo. Vítor Cavaco acrescenta que ainda são poucos os dietistas e nutricionistas nos serviços de saúde.

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
16/10/10

HENRIQUE SANTOS


Os carros eléctricos 
agravam o défice português?

Independentemente das características de quem está do outro lado (idade, género, formação académica e profissional, experiência de vida,...), reparo que, não raras vezes, tenho de simplificar o discurso, no sentido do meu interlocutor melhor compreender a mensagem. Mas a culpa é minha!

Não utilizo, nem pouco mais ou menos, um discurso demasiado elaborado. Grosso modo é aquele que uso nesta crónica, e com o qual tento que o maior número de pessoas consiga compreender / interiorizar a ideia fundamental. Diferente será a forma como o faço, e que, admito, pode levar a interpretações diversas, até porque a subjectividade inerente e o discurso metafórico a isso se prestam (quando tal acontece, é porque pretendo despertar a discussão).

Numa das crónicas anteriores que escrevi, e na qual tentava, de alguma forma, destacar o problema da nossa falta de formação/educação em assuntos relacionados com a economia (como em muitas áreas, porque é demasiado tecnicista o discurso usado), fiquei ainda mais consciente da necessidade de simplificar "as coisas" como muitas vezes advogo, ao ponto de ficarem "nitidamente-claras". E a simplificação, mesmo que possa ser linguística, tem maior relação com a clarificação dos conceitos.

A maioria de nós, ainda que o assumindo como dogma, não percebe qual a razão de sucessivamente receber apelos à racionalização no consumo de energia, e diminuir o consumo da nossa factura de electricidade (de cada um), como forma de fazer diminuir o défice de Portugal face ao exterior (chamemos-lhe assim). Então, "se eu tenho dinheiro para pagar, qual é problema? Mas tudo bem, se querem que eu não gaste dinheiro e se de facto posso pagar menos, aceito como uma verdade absoluta esse desígnio" (friso que a electricidade é meramente um exemplo).

A explicação para esses apelos de racionalização do consumo (e reparem que coloquei "racionalização" e não "diminuição" - defeito de formação à vista), reside no facto de, infelizmente, Portugal não ser capaz de produzir para si próprio energia eléctrica suficiente para as suas necessidades, ao ponto de ter de a adquirir ao exterior. E isso, directamente implica a saída do nosso "dinheiro" para um país terceiro que a produz... Assim, existirá uma parte da factura que pagamos, que será usada para liquidar dívidas a fornecedores do exterior de Portugal.

Quando falamos em electricidade, há ainda outra informação que importa destacar, e que rapidamente se explica. A electricidade não é inócua ao ambiente como se pretende fazer crer (há a componente da produção), isto é, a produção que a sustenta, não é, nem pouco mais ou menos, realizada em exclusivo com recurso a fontes de energia renováveis e/ou não poluentes. Pretende-se sim, é que a electricidade seja, cada vez mais, produzida a partir de fontes de energia renováveis e não poluentes. Para perceber o que acabo de dizer, basta qualquer um de nós visualizar a factura de electricidade e analisar o mapa de contribuições, isto é, a percentagem das fontes de energia primárias utilizadas na produção de electricidade adquirida pelo fornecedor (já repararam se a energia nuclear aparece na factura com alguma contribuição?), bem como as emissões de CO2 correspondentes à energia consumida, dados estes indicados na nossa factura de electricidade. Depois deste discurso, perguntar-me-ão: "Então e os carros eléctricos?, bem,... sem referir como e onde são produzidos,..., quer dizer que afinal?,..." A minha resposta é simples: "Não, não quer dizer nada, creio que já consegue tirar as suas próprias conclusões e de forma sustentada. No entanto o meu conselho continua no sentido da poupança do consumo de energia (eléctrica ou qualquer outra), tendo sempre por pano de fundo a comparação entre todas as fontes de energia."

É pois importante perceber que a economia não é uma ciência que cabe a um restrito número de intelectuais, que, por obrigação ou não, nós há-de guiar ao longo da vida (também darão o seu contributo é certo, e têm, naturalmente, o seu imprescindível papel). Cabe-nos a nós ser sobriamente capazes de tomar as nossas decisões de forma sustentada e esclarecida.

Tal como sabemos que, na maioria das vezes com um chá nos passa uma indisposição, e que se ela persistir vamos ao médico, também na economia temos de ter conhecimento suficiente que nos permita tomar uma decisão consciente, esclarecida e sustentada, e quando algo for mais profundo, aí sim, devemos, tal como na medicina, ter a destreza e capacidade de recorrer a quem seja mais especializado.

Será esta aquela fraude que, inconscientemente, fazemos quando tomamos as nossas "decisões de racionalização económica" no dia-a-dia? Fica a questão.

IN "VISÃO"
14/10/10

19 - LAPIDAR

TIVESSE UM BOM SÁBADO............


... e tente relaxar

compre jornais

É MUITO PATUÁ...

14.909.595
era o número de assinaturas de telemóvel em 2008, para uma população residente de 10.627.250 pessoas. Cada português tem, em média, mais que um telemóvel
"PÚBLICO"

O JANTAR PROLONGOU-SE...
Governo entrega Orçamento incompleto
O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, entregou ontem às 23h30 a proposta do Orçamento do Estado para 2011 no Parlamento, mas o documento apenas continha a proposta de lei e os anexos.
Ficou em falta o relatório do orçamento, que contém as perspectivas macroeconómicas e orçamentais, que devem ser entregues hoje às 10h.
Segundo o Jornal de Negócios, é a primeira vez desde 1988 que um Governo falha a entrega do Orçamento do Estado completo na data prevista, mas já houve episódios semelhantes.
Há dois anos, quando foi apresentado o Orçamento do Estado para 2009, a 'pen' com o orçamento entregue na Assembleia da República gerou confusão. Os deputados receberam apenas o articulado do orçamento, faltando os mapas e o relatório, que só chegaram depois.
"SOL"
PARA JÁ
Só a Venezuela e a Grécia são piores do que nós
Entre 2010 e 2015, o produto interno bruto (PIB) português deverá crescer apenas 0,9% ao ano, segundo as previsões do Fundo Monetário Internacional(FMI). Números que ainda não têm em consideração os efeitos do último pacote de austeridade mas que colocam já Portugal com o terceiro ritmo de crescimento mais baixo do mundo neste período. Num conjunto de 183 países analisados, apenas consegue ultrapassar a Grécia (0,2%) e a Venezuela (0,7%).
Um cenário que só vem complicar as contas do Governo, que pretende reduzir o défice para menos de 3% até 2013. O FMI avisa mesmo que Portugal éuma das dez economias avançadas que necessitarão de fazer um maior esforço de consolidação orçamental.
"EXPRESSO"

 APROVEITEM...
Farmácias com mais tempo para escoar 
stocks sem novos preços
As farmácias e os distribuidores têm mais um mês para escoar os fármacos comparticipados que têm em stock sem aplicarem a nova portaria que, desde sexta-feira, estabelece uma redução de 6% no preço.
Em comunicado, o Infarmed alega que, por estar a decorrer a campanha de vacinação contra a gripe sazonal, "os medicamentos existentes nos distribuidores por grosso ou nas farmácias às 00:00 horas de 14 de Outubro de 2010, podem ser colocados nas farmácias e dispensados por estas ao público até às 00:00 horas de 14 de Novembro de 2010, sem aplicação da dedução prevista nos números 1 a 3 da Portaria n.º 1041-A/2010, de 7 de Outubro, quando a dedução em causa seja superior a 0,18 euros".
O Infarmed considera que, para garantir "o abastecimento regular e contínuo do mercado, é necessário um período mais alargado do escoamento pelas farmácias para os medicamentos que em 14 de Outubro de 2010 já se encontravam no mesmo circuito", lê-se no comunicado ontem emitido.
"Em algumas situações pode haver um aumento do custo para o cidadão, mas noutras situações, se houver um estudo criterioso por parte dos médicos na escolha dos medicamentos de qualidade usando os genéricos, o doente sente muito pouco efeito", garantiu, ontem, a ministra da Saúde, Ana Jorge.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

 VAMOS DE MULETAS...
Ministra da Saúde defende aumento da idade da reforma
Ana Jorge propôs hoje uma reflexão sobre o aumento da idade da reforma justificado pelo crescimento da longevidade e da vida activa.
"Se nós aumentamos a longevidade por que não aumentar a idade da reforma, dado que somos mais activos. Hoje, os 70 anos é o limite de trabalho activo na área pública e o direito à reforma é mais cedo, está nos 62,5 anos” – afirmou a ministra da Saúde.
“Eu diria que aos 60 anos temos ainda muita capacidade e vontade de trabalhar. Isto merece uma reflexão", acrescentou a governante durante a sua intervenção num seminário sobre envelhecimento, em Lisboa.
Ana Jorge enalteceu o contributo do Serviço Nacional de Saúde para este aumento da esperança média de vida com qualidade. Disse ainda que agora é necessário criar condições para que a população mais velha continue activa.
"CORREIO DA MANHÃ"

É FACADA ATRÁS DE FACADA
Orçamento prevê corte de 1,9 por cento no Desporto
O sector do Desporto terá em 2011 um orçamento reduzido em 1,9 por cento, face à estimativa de execução para este ano. A proposta do Governo prevê 72,8 milhões para o Instituto do Desporto de Portugal, menos do que os 74,3 milhões deste ano.
O OE e o Plano de Investimento e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC) contribuem com 13,6 milhões. Os restantes 58,7 provêm de receitas próprias, incluindo as dos jogos sociais, segundo o documento, que a TSF cita.
Os projectos de investimento do PIDDAC incluem 4,2 milhões de euros para o Projecto Olímpico Londres2012 e 2,1 milhões para o Alto Rendimento. Há ainda a destacar, para 2011, o Programa Nacional de Marcha e Corrida.
No Desporto, «as orientações estratégicas e as principais medidas a desenvolver assumem carácter de continuidade», lê-se na proposta, entregue pelo Executivo no Parlamento.
"A BOLA"

ADMINISTRAÇÃO  CARECA
Estradas provocaram derrapagem de 500 milhões 
nas contas do Estado em 2010
O sector rodoviário foi responsável por uma derrapagem de 500 milhões nas contas públicas este ano. Esta foi uma das situações apontadas pelo ministro das Finanças para explicar a necessidade de avançar com as medidas adicionais de corte do défice público.
Segundo Teixeira dos Santos os 500 milhões de euros em falta no quadro da Estradas de Portugal devem-se a vários factores. O atraso na cobrança de portagens em três Scut, prevista inicialmente para a primeira metade do ano, custou 100 milhões de euros em perda de receita. O cancelamento do concurso da concessão da Auto-estradas do Centro implicou uma perda de 200 milhões de euros de receita que seria paga à cabeça pela concessionária. A esta factura juntam-se investimentos adicionais, não especificados, de 200 milhões de euros realizados pela Estradas de Portugal.
"i"

PROFISSIONAIS SÉRIOS
Obikwelu treina-se com... Nelson Évora
Francis Obikwelu tem estado a treinar-se no grupo de trabalho de João Ganço, no Estádio Nacional, na companhia, entre outros, de Nelson Évora. O velocista do Sporting, que resolveu prolongar a carreira até aos Jogos Olímpicos de Londres’2012, recomeçou os treinos recentemente e, com alguma surpresa, passou a ter como treinador o homem que levou Nelson Évora ao título olímpico.
“Precisava de treinar multissaltos, algo que não fazia há alguns anos, integrei-me no grupo, senti-me bem e continuei”, explica o vice-campeão olímpico de 100 m em Atenas’2004, 4.º classificado no recente Europeu de Barcelona (a um e dois milésimos das medalhas de bronze e prata, respetivamente).
O regresso a Madrid para trabalhar com os seus antigos treinadores espanhóis, está posto de parte. “Nunca pensei nisso. Admito, sim, ir lá fazer um ou outro estágio de uma ou duas semanas, nada mais”, explica Obikwelu, que diz ter os seus crónicos problemas no joelho controlados.
"RECORD"


 SEM VERGONHA NENHUMA

Deputado implica secretário de Estado no caso do convite
Vítor Baptista admite envolvimento de Paulo Campos. MP analisa o caso.
Vítor Baptista, o deputado do PS que denunciou publicamente uma suposta tentativa de aliciamento feita pelo chefe do Gabinete de José Sócrates, no Largo do Rato, admitiu, ontem em declarações ao DN, o envolvimento de Paulo Campos, secretário de Estado dos Transportes, na proposta que lhe terá sido feita para desistir das eleições à Federação do PS/Coimbra.
Vítor Baptista reafirmou o conteúdo da carta que enviou aos seus camaradas da bancada do PS, na qual revela que André Figueiredo lhe terá proposto um cargo numa empresa pública (CP, Refer ou Metro), com um salário de 15 mil euros/mês, em troca da sua desistência na recandidatura à liderança da Federação Distrital de Coimbra.
Questionado sobre o possível envolvimento no caso de Paulo Campos na oferta para desistir do PS/Coimbra em troca de um lugar de gestor público, respondeu: "Em política, o que parece é. E Paulo Campos festejou com a outra candidatura [de Mário Ruivo, oficialmente vencedor]."
Entretanto, ao que o DN apurou, o DIAP de Lisboa já está a analisar a carta, revelada quinta-feira pelo DN online, de Vítor Baptista - intitulada "Na calada a noite" - aos colegas do grupo parlamentar . Segundo informações recolhidas, pode estar em causa um crime de tráfico de influência, já que se está perante uma eventual promessa de utilização de uma influência para obter uma contrapartida. André Figueiredo negou tudo, declarando que irá processar Baptista.
O deputado diz que o chefe do Gabinete de Sócrates no PS foi agente uma "chapelada" eleitoral que lhe ditou a derrota (oficialmente por 46 votos) nas eleições para a liderança da distrital de Coimbra dos socialistas. Essas eleições foram impugnadas. A direcção nacional poderá avocar o caso.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

SACOS DE PLÁSTICO.....DEFENDA-SE

BOSS AC

O ESPÍRITO DA COISA

 
Estou muito grato...
À minha mulher,

Por dizer que teremos ao jantar só cachorro-quente, porque
ela está em casa comigo e não em algum outro lugar, não sei onde!

 
2-AO MEU MARIDO,

ESPARRAMADO COMO UM PURÉ DE BATATA, A LER NO SOFÁ,
porque
ele está comigo e não a tomar uns copos em algum bar...

 
À ADOLESCENTE CÁ DE CASA,

QUE ESTÁ RECLAMANDO POR TER QUE LAVAR A LOUÇA, porque isso
significa que está em casa, e não deambulando pelas ruas...



PELAS
BRONCAS DO CHEFE,
POIS
ISTO SIGNIFICA QUE ESTOU EMPREGADO...
.

 
PELA BAGUNÇADA EM QUE FICOU A CASA DEPOIS DA FESTA
, PORQUE
ISSO SIGNIFICA QUE ESTIVE RODEADO DE AMIGOS...

 
PELAS ROUPAS QUE ME ESTÃO A FICAR "JUSTAS",
porque estou de saúde e tenho o suficiente para comer...


 
PELA MINHA SOMBRA QUE ME ACOMPANHA,

PORQUE ISSO SIGNIFICA QUE ANDO FORA E AO SOL...


 
PELA RELVA QUE PRECISA SER CORTADA, PELAS JANELAS QUE PRECISAM SER LIMPAS, E PELAS PERSIANAS AVARIADAS,
PORQUE  ...
ISSO SIGNIFICA QUE TENHO UMA CASA...
 
POR TODAS AS QUEIXAS QUE FAÇO CONTRA O GOVERNO,
porque isso significa que temos liberdade de expressão...


 
PELO LUGAR QUE SÓ CONSEGUI NO FIM DO PARQUE DE ESTACIONAMENTO, porque
tenho carro e posso caminhar...

 
PELA CONTA MONSTRUOSA DE ENERGIA QUE PAGO
, PORQUE
ISSO SIGNIFICA QUE TENHO CONFORTO EM CASA...

 PELA SENHORA DESAFINADA QUE CANTA ATRÁS DE MIM NA IGREJA,
PORQUE ISSO SIGNIFICA QUE TENHO OUVIDO...


 
PELA PILHA DE ROUPAS PARA LAVAR E PASSAR

PORQUE ISSO SIGNIFICA QUE TENHO FAMÍLIA...


 PELOS MÚSCULOS DORIDOS E A FADIGA AO FINAL DO DIA,
PORQUE ISSO SIGNIFICA QUE FUI CAPAZ DE TER UM DIA PREENCHIDO..
.


 
PELO DESPERTADOR QUE DE MANHÃ ME ABORRECE,
PORQUE  ISSO SIGNIFICA QUE CONTINUO VIVO...



ESTOU GRATO PELOS
CROMOS DOS MEUS COLEGAS DE TRABALHO,
PORQUE TORNAM O DIA MAIS DIVERT
O ...


OBRIGADO HELAÇO PELA LIÇÃO

PERÚ - OS INCAS


NR: Há legendas pouco nítidas e o som não é dos melhores, factos a que somos alheios mas pelos quais pedimos desculpa

1 - Só para quem gosta de cerveja

ef

AIDS


SENIOR CITIZENS
ARE THE NATION'S LEADING CARRIERS OF AIDS!



HEARING AIDS

BAND AIDS

ROLL AIDS

WALKING AIDS

MEDICAL AIDS

GOVERNMENT AIDS

MOST OF ALL,

MONETARY AID TO THEIR KIDS!

NEM SÓ PARA OMOLETES!!!!!!!!!!!!!!!

SERVEM OS OVOS!!!












JORNAIS DE HOJE


COMPRE JORNAIS

clique para ampliar








G E N I A L





No país onde o Ministro da Saúde diz que sexo
é o melhor remédio para hipertensão,
já tem gente usando a masturbação como genérico.

enviado por J. COUTO

4 - RESSACA A PRECEITO


clique para ampliar


enviado por J. MILHAZES