quinta-feira, 7 de outubro de 2010

EVIDÊNCIA

REDACÇÃO

"As rãs"

Eu gosto muito de rãs. As rãs arrotam a noite toda. As rãs são mais pequenas que as vacas e mais grandes que um p-intelho. As rãs não têm pintelhos.

As rãs põem ovos pela paxaxa que depois dão rãzinhas pequenas. Se as rãs tivessem p-intelhos na p-axaxa arranhavam os ovinhos que são muito pequenininhos e as rãzinhas que estão lá dentro iam morrer porque entrava água pelas arranhadelas e elas morriam afogadas e porque quando são pequenas não têm patas não sabem nadar.

Eu também ainda não tenho p-intelhos mas já sei nadar. Também ainda não tenho p-axaxa mas um dia vou ter muitas.

As rãs são as mulheres dos sapos. Os sapos não têm unhas por isso não podem coçar os tomates.

É por isso que eles andam com as pernas abertas a arrastar os tomates que é para os coçar. E quando se picam nos tomates os sapos dão saltos.

As rãs também dão muitos saltos, por isso têm a paxaxa sempre aos saltos. Eu gosto muito de rãs. E gosto muito de sapos.

PRÉMIO NOBEL DA FÍSICA 2010

BUCKY BALLS INTERAGEM COM UM TAPETE DE GRAFENO


BUCKY BALLS - são moléculas constituídas por 60 átomos de carbono agrupadas em séries de forma hexagonal, semelhantes à forma de uma bola de futebol

1 - TANGO

ALMORRÓIDA ESTUPEFACTA


Misericórdias lançam ultimato à Conferência Episcopal Portuguesa

Está declarada a guerra entre a União das Misericórdias e a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP). Em causa está um decreto, tornado público a 24 de Setembro, e que sublinha a tutela dos bispos sobre estas instituições, em matérias como a gestão de património e a escolha dos corpos sociais. E da reunião extraordinária do Conselho Nacional da União das Misericórdias Portuguesas saiu ontem um ultimato: se o decreto não for retirado, não há margem para diálogo. E o assunto deverá ser colocado "a todas as Misericórdias do Mundo."

O porta-voz da CEP Manuel Morujão diz que o momento é precisamente de diálogo e desvaloriza as declarações dos dirigentes da União das Misericórdias, que ontem chegaram a pôr em cima da mesa a hipótese de "cortar relações" com a Igreja. "Este decreto vem simplesmente pôr preto no branco aquela que sempre foi a tutela da Igreja sobre as misericórdias", defendeu Manuel Morujão ao i, sublinhando que o novo decreto geral decorre das directivas do Vaticano, que se mantêm inalteradas desde 1983, tendo sido aprovadas pela última vez em 2008. Também João Seabra, especialista em direito canónico, sublinha que, do ponto de vista da lei, sempre foram "associações públicas de fiéis", sujeitas à tutela eclesiástica.

A leitura consensual do lado da Igreja é contestada pelo Conselho Nacional da União das Misericórdias Portuguesas. Num comunicado enviado ontem às redacções lê-se que o "conselho nacional lamenta, chocado" que a CEP queira considerar os "bens materiais das misericórdias como bens eclesiásticos." Sublinha-se ainda que esta alteração é "um assunto de Estado" e que o decreto "pretende cortar, de forma abrupta, unilateral e autoritária, com a autonomia de gestão" das cerca de 400 instituições no país.

IN "i"
07/10/10

CARLOS COELHO




O IVA das marcas

Esta semana, de volta a Lisboa, escrevo-vos um texto que me foi imposto pela vontade de me manifestar contra o aumento do IVA, medida funcional que visa o aumento das receitas de curto prazo. Na gestão de uma marca, esta opção significaria agir contra o mercado, aliviando a pressão da despesa através da imposição de um preço de venda mais elevado. Assim sendo e sem nenhuma contrapartida, o consumidor imediatamente reagiria reduzindo o consumo dessa marca ou passando a consumir uma marca concorrente.

Numa marca, o preço é um dos aspectos mais sensíveis da relação com os consumidores. É sensível não por ser o único, mas porque se espera que as marcas sejam cada vez mais eficientes, oferecendo cada vez maior valor acrescentado por cada vez menos euros. As marcas que não inovam, que não são criativas e que procuram sobreviver através de aumentos de preços são marcas de valor depreciado que aos poucos acabam por morrer.

É neste ponto que gostaria de deixar uma pequena reflexão, descomprometida da matemática específica da economia. Não seria mais justo e eficiente para uma economia moderna, em vez de aumentar, reduzir o IVA (imposto sobre o valor acrescentado) e, para compensar, criar o IVD (imposto sobre o valor depreciado)? Deste modo talvez fosse possível dar o sinal que se pretende, taxando a ineficiência e despenalizando as marcas que realmente acrescentam valor à nossa economia.

Criador de marcas
Presidente da Ivity Brand Corp

IN "i"
04/10/10

11 - LAPIDAR

Vargas Llosa "comovido" com Nobel da Literatura

O peruano Mario Vargas Llhosa, de 74 anos, foi distinguido, hoje, quinta-feira, com o prémio Nobel da Literatura. A Academia Sueca justifica o prémio pela escrita que faz a "cartografia das estruturas do poder".

Mario Vargas Llosa afirmou hoje, quinta-feira, sentir-se "muito comovido e entusiasmado" pelo Prémio Nobel da Literatura, segundo noticiou a agência de noticias peruana Andina.

As primeiras declarações do escritor foram feitas em Nova Iorque onde é professor na Universidade de Princeton, precisou a agência.

Vargas Llosa foi reconhecido por uma escrita que faz a "cartografia das estruturas do poder", justificou hoje a Academia Sueca.

O organismo elogiou ainda um autor cuja obra revela "imagens mordazes da resistência, revolta e dos fracassos do indivíduo".

O prémio literário tem um valor monetário de cerca de um milhão de euros.

Em 2009, o prémio foi atribuído à escritora alemã de origem romena Herta Müller.

Vargas Llosa é autor de obras como "A tia Júlia e o escrevedor", "Conversa na catedral", "A guerra do fim do mundo", "Elogio da madrasta" e o livro de memórias "Como peixe na água".

É a 11.ª vez que o Nobel da Literatura é atribuído a um autor em língua espanhola, com Vargas Llosa a juntar-se a uma galeria de laureados como Camilo Jose Cela (1989), Gabriel Garcia Marquez (1982), Pablo Neruda (1971) e Gabriela Mistral (1945).

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
07/10/10

OS LIVROS

video

veja em ecrã total

enviado por D.A.M.

RÁDIO MACAU

SE QUISERMOS PODEMOS SER SOLIDÁRIOS



Crianças precisam de casa


As duas filhas de Maria Borges, a mulher que morreu num incêndio em S. Romão, Seia, depois de salvar as crianças das chamas, estão a viver noutros edifícios pertencentes à Casa Santa Isabel.
O incêndio deflagrou na madrugada de domingo e dele resultou a morte da monitora, de 41 anos, e de uma filha, de 7 anos. As sobreviventes, de 4 e 10 anos, estão a ter acompanhamento psicológico.
Quatro dias após a tragédia, os responsáveis pela comunidade terapêutica desenvolvem esforços para angariar dinheiro para financiar a reconstrução da casa. "Apesar da crise, temos contado com a solidariedade de muitas pessoas. Estas crianças precisam da ajuda de todos", disse ontem ao Correio da Manhã Fernanda Wessling, da direcção da Casa Santa Isabel, que alberga um total de 45 pessoas com necessidades especiais, sobretudo crianças oriundas de famílias carenciadas e desestruturadas.

Os trabalhos de remoção dos destroços e a elaboração do pro-jecto de reconstrução do edifício, para ser entregue à Segurança Social, começaram ontem. "Mais do que nunca, precisamos de ajuda, porque as crianças desalojadas vivem agora apertadinhas. Vamos reconstruir a casa com a ajuda e o carinho das pessoas", diz Fernanda Wessling. Quem pretender dar donativos pode fazê-lo para o NIB 0045 4083 4023 9507835 11.

Maria Borges e a filha foram cremadas anteontem na Figueira da Foz. 

"CORREIO DA MANHÃ"
07/10/10

NR: Para ajudar basta contactar a Casa Santa Isabel em Seia ou para o NIB indicado no texto MEXA-SE

FAÇA A RUPTURA


Filme institucional Australiano, comparando a comida "fast-food" ao consumo de droga


HOJE....


HOJE É O DIA INTERNACIONAL
DO TRABALHO DECENTE

CONHECE ALGUM???

ALMORRÓIDA ACOSTUMADA


Benfica apoiará uma candidatura de Fernando Seara à presidência da FPF


O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, disse hoje que o clube não indicou ninguém para a presidência da Federação Portuguesa de Futebol, mas apoiará uma eventual candidatura de Fernando Seara.

"O Benfica não indicou ninguém. Aquilo que penso que poderá vir a suceder é Fernando Seara candidatar-se", disse o dirigente, em entrevista à Antena 1, quando questionado directamente em relação ao presidente da Câmara Municipal de Sintra.

Perante essa possibilidade, Vieira revelou que Fernando Seara terá de certeza o "apoio do Benfica", mas também de outros clubes, referindo tratar-se de uma pessoa "seríssima e consensual", que está "muito dentro do desporto nacional e do futebol".

Vieira reiterou que Seara é uma "opção bastante válida" e "que poderá ser importante para o futebol português no futuro", deixando ainda um forte elogio ao actual presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Gilberto Madail.

"Caso se confirme que Gilberto Madail não se irá recandidatar, não queria deixar de dizer que fez um trabalho fantástico na federação, basta ver o que foi no passado e o que foi o presente", disse.

As eleições para os órgãos sociais da FPF foram pedidas por Gilberto Madaíl e, apesar de não terem ainda data marcada, deverão ocorrer em janeiro.

Na entrevista, Luís Filipe Vieira, não deixou também de comentar a chegada de Paulo Bento à selecção, referindo estar convicto que o antigo jogador do Benfica e Sporting irá fazer "um grande trabalho".


IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
07/10/10

NR: É para fazer o mesmo que FAZ na Câmara de Sintra, 
ABSOLUTAMENTE NADA!!!

FLORES HUMANAS I


clique para ampliar









enviado por Zita

ALMORRÓIDA CONFUSA



Infarmed: comparticipação de antiepiléptico 
"obedeceu a todos os parâmetros exigidos

 A Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) garantiu, num comunicado enviado ao PÚBLICO, que o pedido de comparticipação do medicamento antiepiléptico de terceira geração da farmacêutica Bial, o Zebenix, “obedeceu a todos os parâmetros de avaliação exigidos, tendo sido demonstradas as mais-valias que justificam a sua comparticipação, de acordo com os procedimentos em vigor e disponíveis para consulta no Infarmed”.
Na nota informativa, o regulador do sector assegurou, ainda, que as declarações que colocam em causa a inovação e o preço do medicamento são “erróneas”, acrescentando que “o referido medicamento recebeu autorização de introdução no mercado por procedimento centralizado pela Agência Europeia do Medicamento para todos os países da comunidade europeia, em Abril de 2009”.
Ontem, na comissão parlamentar de Saúde, o presidente da Associação Nacional de Farmácias fez várias críticas à actual política da tutela e defendeu mesmo a extinção do Infarmed. João Cordeiro acusou o regulador de ter favorecido este medicamento português à base de acetato de elicarbazepina e afirmou que o fármaco da Bial não só “não é inovador” como não é comparticipado por mais nenhum país.
Uma informação que foi desmentida também ontem pelo laboratório detentor do primeiro medicamento de patente português, que assegurou que este é já comercializado em nove países e comparticipado em cinco. “Decorrem entretanto os processos de pedido de comparticipação em todos os restantes países europeus onde existem regimes de reembolso”, afirmou a Bial, em comunicado.

IN "PÚBLICO"
07/10/10

PARTICIPAÇÃO DE SINISTRO


clique para ampliar

T R I P É

video

TENHA UM BOM DIA............


e aguente-se que as notícias são pesadas

compre jornais


claro
Sindicado admite inconstitucionalidade
A frente sindical admitiu pedir a inconstitucionalidade da redução de salários anunciada pelo Governo caso esta seja sancionada pela Assembleia da República.
'Vamos suscitar a inconstitucionalidade da redução de salários visto que o que foi anunciado foi a redução permanente dos salários e isto é inaceitável e viola o princípio de confiança', afirmou o presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), Bettencourt Picanço.
O responsável do STE acusou o Governo de ter 'dois pesos e duas medidas', para a administração pública, salientando que as remunerações dos administradores de empresas públicas aumentaram 11 por cento em 2009.
Bettencourt Picanço criticou, numa conferência de imprensa da Frente Sindical, estrutura encabeçada pela STE, o 'ataque', aos trabalhadores da administração Pública, a quem, disse, o Governo faz 'pagar os erros da governação', e considerou as medidas de austeridade anunciadas na passada quarta feira como 'um desastre para o país',
O dirigente do STE sugeriu medidas de poupança alternativas, que não passem pela redução salarial, entre as quais um corte de 10 por cento na despesa com o consumo intermédio (que integra aquisições de bens e serviços e Parcerias Público Privadas, por exemplo) que 'não cessa de aumentar', e que deverá ficar acima dos 4,6 por cento do PIB previstos para 2010.
Bettencourt Picanço criticou ainda o aumento da despesa com as empresas públicas. 'Não entendemos como é que, em 82 empresas públicas, na maior parte deficitárias, haja aumentos de custos com pessoal crescentes no primeiro semestre de 2010', sublinhou.
"PRIMEIRO DE JANEIRO"

assim poupa nas detenções


PSP vai cortar no telefone, água, luz e deslocações
A PSP vai reduzir as despesas com cortes nas chamadas telefónicas, consumo de água e luz, correio postal e deslocações ao estrangeiro e no país.
Numa ordem de serviço, a que agência Lusa teve acesso e com data de quarta feira, a Direcção Nacional da PSP estabelece várias medidas para aumentar a receita e diminuir a despesa.
De acordo com o documento, a PSP vai reduzir em 10 por cento os consumos de electricidade e água e diminuir em 20 por cento o consumo de papel, 'tonners', correio postal e utilização de fax, devendo passar a utilizar-se o correio electrónico e videoconferência.
A ordem de serviço refere que se deve terminar com a impressão dos recibos de vencimento do efectivo, uma vez que estão acessíveis a partir do portal social da PSP.
Os comandantes dos comandos regionais, metropolitanos, distritais e da Unidade Especial de Polícia, os directores dos estabelecimentos de ensino, directores de departamentos e chefes de gabinete da Direcção Nacional devem igualmente implementar medidas para reduzir em 20 por cento os custos das chamadas telefónicas, "intensificando-se a utilização das comunicações fixo-móvel e móvel-fixo, por meio dos interfaces GSM existentes nas centrais telefónicas da PSP".
Neste contexto, é "desactivado o serviço roaming (voz e dados) aos utilizadores de telemóveis na PSP, de acordo com o princípio da necessidade", indica a ordem de serviço, assinada pelo director nacional adjunto, Guilherme Guedes da Silva.
A Polícia de Segurança Pública (PSP) vai reduzir em 10 por cento os custos associados às deslocações em Portugal, "exceptuando as viagens de âmbito operacional e de formação", e diminuir em 50 por cento as despesas associadas às deslocações ao estrangeiro.
Para reduzir a despesa, a PSP vai ainda adoptar medidas tendentes à redução do consumo de combustível, incrementando, para tal, a manutenção primária da frota automóvel de forma a detectar atempadamente potenciais anomalias.
Segundo o documento, o gabinete de informação e relações públicas da PSP vai produzir folhetos para sensibilizar todo o dispositivo para necessidade de racionalizar os recursos existentes.
"JORNA DE NOTÍCIAS"

vão pagar mais e comprar menos
Doentes pagam mais 300 milhões
Efeitos da redução das ajudas do SNS começam já a fazer sentir-se nos últimos três meses do ano, com os portugueses a pagarem mais 76 milhões.
Medicamentos para as dores ou anti-inflamatórios vão ser mais caros.
"CORREIO DA MANHÃ"

tem piada e má memória
«Não marcam penalties contra o 
FC Porto nem a nosso favor»
Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, irónico para Villas Boas. Erros de Xistra em Guimarães, sim... em prejuízo do Vitória.
Coberto de razão ao criticar a arbitragem do albicastrense Carlos Xistra no embate de segunda-feira, na cidade-berço estava André Villas Boas. Esta a opinião de Luís Filipe Vieira, que, em entrevista à Antena 1, que hoje irá para o ar na íntegra pelas 10 horas, usou de ironia para concordar com o técnico portista a propósito do V. Guimarães-FC Porto, ao mesmo tempo que aproveitou para questionar a razão de um facto desta Liga: o não assinalar de grandes penalidades desfavoráveis aos dragões e favoráveis à águia.
«Tem toda a razão o sr. Villas Boas ao criticar a arbitragem. Houve erros gravíssimos, nomeadamente um penalty que ficou por marcar, a favor do V. Guimarães. Aliás, o V. Guimarães tem razões de queixa mais do que suficientes da arbitragem, é natural que estejam insatisfeitos. Aliás, neste Campeonato já toda a gente se apercebeu que, contra o FC Porto não se marcam penalties e a favor do Benfica também não! É algo que parece que está instalado na arbitragem. Agora não sei quem é que informou o Sr. Villas Boas sobre esse mesmo penalty. O que não tenho dúvidas é que passou por uma situação ridícula e caricata», afirmou o presidente do Benfica, numa entrevista de meia-hora ao jornalista Nuno Matos, e da qual A BOLA teve acesso a alguns trechos.
"A BOLA"

está speedada!!!

Despesa pública cresce ao 
ritmo mais rápido da Europa
As despesas de funcionamento do Estado português aumentaram para um nível recorde no segundo trimestre. Puxada pela compra do submarino "Tridente", a rubrica de consumo público cresceu 6,2% em Portugal, o valor mais alto de toda a Europa a 27, e que contrasta com os cortes abruptos registados na Grécia e na Irlanda.
Os dados avançados pelo Eurostat medem o contributo do Estado para a produção, avaliando-o através dos custos em que incorre, na sua maioria, salários dos funcionários públicos e consumos intermédios (bens e serviços). Ou seja, esta rubrica capta, sobretudo, as despesas de funcionamento dos serviços públicos, não levando em conta as transferências sociais (à excepção de transferências sociais em espécie), o investimento e juros da dívida pública.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

vai doer muito

Portugal terá das maiores subidas 
do mundo na taxa de desemprego
A austeridade nas contas públicas e a ineficiência do tecido produtivo vão empurrar a taxa de desemprego portuguesa para os 11% da população activa, um recorde nacional que encerrará algo ainda pior: esse valor resulta de um dos maiores aumentos previstos a nível mundial na taxa de desemprego em 2013, ano em que termina o programa de consolidação orçamental. Estas projecções, ontem divulgadas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), ainda não incluem os novas medidas de corte no défice, logo o cenário deve ser ainda mais recessivo.
Segundo os cálculos do FMI, inscritas no relatório semestral do "World Economic Outlook", entre 2009 e 2013 o país terá o segundo maior agravamento mundial na taxa de desemprego. No capítulo do crescimento, o resultado da "mudança de vida" que alguns reclamam é este: em 2011 Portugal arrisca nova recessão (-0,05% em 2011) e deverá ter o segundo pior desempenho económico do mundo; em 2012, será o mais fraco a nível global.
Mas a situação deverá ser mais grave. Em conferência de imprensa, um dos directores-adjuntos da organização sedeada em Washington, Jorg Decressin, avisou que as previsões ainda não incluem as novas medidas de austeridade. Portugal "deverá sofrer um contracção de cerca de 1,4%", incluindo as medidas de corte como a redução de salários na função pública, o congelamento das pensões, o aumento generalizado de impostos, a pausa dos investimentos por tempo indeterminado. Uma contracção maior significa maior destruição de empregos e um desemprego superior ao agora previsto. O governo, através do ministro da Economia, José Vieira da Silva, preferiu centrar a discussão no crescimento deste ano, sublinhando que "as estimativas de todas as organizações para 2010 falharam significativamente" e que afinal Portugal pode crescer mais que o esperado: de facto, o FMI prevê que a economia cresça 1,1%; o governo aposta em 0,7%.
O pior pode ser mesmo 2011, como já deram a entender a Standard & Poor''s e a Economist Intelligence Unit. O diagnóstico do FMI é sombrio para a maioria dos parceiros económicos de Portugal, como Espanha, mas no caso da economia portuguesa pode ser mesmo alarmante. O Fundo congratula-se com o facto de o governo ter tomado as medidas de austeridade certas para esvaziar o modelo assente no crédito fácil, fazendo assim cair consumo e investimento público e forçando, para tal, uma desvalorização salarial em larga escala, mesmo no privado. A actualização do salário mínimo, por exemplo, não deverá acontecer como combinado.
"i"

só revela o peso que temos na União Europeia
Só um candidato tem condições para ser juiz
Ministro da Justiça e bastonário dos Advogados indignados. Para subcomissão só um candidato tem currículo para ser juiz do TEDH.
A subcomissão do Conselho da Europa (CE) vetou os três nomes apresentados por Portugal para o lugar de juiz do do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem porque "apenas um dos três candidatos reunia condições para o cargo". Foi isso mesmo que um deputado de Chipre - após os protestos do português Mendes Bota - disse na Assembleia do CE : "Quando há apenas um bom candidato devemos enviar a lista para trás. Se permitirmos que a lista fique, isso significa que estamos a deixar ao Governo fazer a escolha, e não à Assembleia."
Não foi, no entanto, especificado publicamente quais os candidatos cujos currículos foram questionados. A recusa dos nomes de Anabela Rodrigues, João da Silva Miguel e Paulo Pinto de Albuquerque provocou uma onda de indignação junto da delegação portuguesa e das entidades judiciárias em Portugal.
O ministro da Justiça classificou mesmo de "incompreensível e inaceitável" a decisão da câmara. Alberto Costa lembrou as qualificações dos candidatos referindo que foram escolhidos por "um júri independente, integrado por representantes do Conselho Superior da Magistratura, do Conselho Superior dos Tribunais Administrativos e Fiscais, do Conselho Superior do Ministério Público e da Ordem dos Advogados".
Aliás, também o bastonário Marinho e Pinto, disse, em declarações à RTP, estar "perplexo" Marinho e Pinto acrescentou ainda: "Se diz que só um tem qualidade, então que escolhesse esse. Sem necessidade de vir publicamente a humilhar todos. Custa-me a aceitar esses métodos."
O DN contactou Paulo Pinto de Albuquerque, que se recusou a comentar o assunto, uma vez que "o processo ainda está em aberto". Já o vice-presidente da delegação portuguesa, Mota Amaral, disse ao DN que só se pode tratar de um "mal-entendido", uma vez que todos os candidatos apresentados por Portugal são "qualificados".
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

à rasca de dinheiro
SAD comunica à CMVM trespasse da Academia
A Sporting SAD comunicou esta quarta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a celebração do contrato de trespasse da Academia de Alcochete, o que implica um investimento global de 23,6 milhões de euros.
Em comunicado enviado à CMVM, o Conselho de Administração da Sporting SAD refere que "o contrato de trespasse produz efeitos imediatos" e ressalva que a "mais-valia que a Sporting SAD venha a realizar com a transmissão a terceiro" da academia reverterá para o clube.
Assinala a Sporting SAD que tal é admitido "caso se verifique no futuro uma valorização anormal e imprevista da academia", por "alterações das circunstâncias legais e urbanísticas do imóvel".
A passagem da Academia de Alcochete do clube para a Sporting SAD foi aprovada a 9 de setembro pela Assembleia Geral de acionistas no âmbito do plano de reestruturação.
"RECORD" 

haverá filhos e enteados?
Cortes salariais vão estender-se 
aos trabalhadores da Caixa Geral de Depósitos
Os trabalhadores da Caixa Geral de Depósitos (CGD) com ordenados ilíquidos acima dos 1500 euros também serão abrangidos pelo corte salarial decretado pelo Governo para o próximo ano. A confirmação é dada pelo Ministério das Finanças e apanhou desprevenidos os sindicatos do sector, que esperavam uma actuação semelhante à adoptada este ano quando o banco público ficou excluído do congelamento salarial destinado a toda a função pública.
"A redução salarial anunciada abrange quer o sector público administrativo, quer o sector público empresarial, sendo que o disposto a este respeito na lei do Orçamento do Estado prevalecerá sobre todas as disposições legais ou contratuais em contrário", garantiu ontem fonte oficial do Ministério das Finanças, quando questionada sobre se a redução entre 3,5 e 10 por cento dos salários mais elevados afectará todas as empresas públicas, incluindo a CGD.
Mas nem sempre o banco público, que empregava no ano passado mais de 21 mil trabalhadores, tem tido um tratamento igual ao dos restantes organismos do sector público empresarial. Ainda este ano, o Ministério das Finanças deixou a CGD de fora do congelamento salarial com o argumento de que a empresa actua "em regime concorrencial, o que a distingue das demais empresas que integram o sector empresarial do Estado"
"PÚBLICO"

FOTOS SOBERBAS III


clique para ampliar

Sonho de um careca...

video


enviado por MARTINS

JORNAIS DE HOJE E SEMANÁRIO










NÃO É BEM O MESMO


O médico e o mecânico

Um mecânico está desmontando o cabeçote de um motor quando ele vê na oficina um cirurgião cardiologista muito conhecido.
Ele está olhando o mecânico trabalhar.

Então o mecânico pára e pergunta:
"- Ei, doutor, posso lhe fazer uma pergunta?"
O cirurgião, um tanto surpreso, concorda e vai até o motor no qual o mecânico está trabalhando.

O mecânico se levanta e começa:
"- Doutor, olhe este motor. Eu abro seu coração, tiro válvulas, conserto-as, ponho-as de volta e, quando eu termino ele volta a trabalhar como se fosse novo. Como é então que eu ganho tão pouco e o senhor tanto, quando nosso trabalho é praticamente o mesmo?"

Então o cirurgião dá um sorriso, se inclina e fala bem baixinho para o mecânico:
" - Tente fazer isso, com o motor funcionando! "

enviado por E. FRANÇA