segunda-feira, 4 de outubro de 2010

BOMBEIRAL

1 - ESTES SACANAS PROÍBEM TUDO





2 - DIA MUNDIAL DO ANIMAL

OS ANIMAIS SELVAGENS TÊM DE SER RESPEITADOS NO SEU HABITAT NATURAL.
AS PESSOAS QUE PENSAM QUE SABEM TUDO, ATÉ ESTAR NA SELVA SEM CAUTELAS SÃO MUITAS VEZES ATACADAS, FRUTO DA SUA IMPREVIDÊNCIA.

COMEMORAMOS ESTE DIA SEM FOTOGRAFIAS TERNURENTAS E DOCES MAS COM UM FILME CHOCANTE, PARA NOS LEMBRARMOS QUE TODOS TEMOS O DIREITO AO NOSSO ESPAÇO, INCLUINDO ANIMAIS SELVAGENS!!!!!!!!!!!!


A REDACÇÃO

LEÕES DEVORAM UM TURISTA - ARREPIANTE

DANIEL OLIVEIRA





De quem falo?
VERDE NA BOLA

Jurou que resolveria os problemas financeiros, o endividamento e a degradação em que vivemos há anos. Julgámos nós que para isso apostaria num bom desempenho que fizesse entrar dinheiro e permitisse que saíssemos do buraco em que estamos. Pelo contrário: os investimentos que fez foram incompreensíveis e os que devia ter feito ficaram na gaveta.

À sua volta apenas vemos gente incompetente. Só não quer quem lhe faça frente, por saber mais e melhor do que ele. A regra é simples: abaixo da sua mediocridade só quer mais mediocridade. E nós pagamos a fatura.

Confunde coragem com gritaria. Fala grosso para baixo, mas para enfrentar a banca, que nos suga até ao tutano a cada dia que passa, nem sussurro de ouve. Confunde determinação com arrogância. Para quem o critica, escolhe o insulto. Envergonha-nos com a sua falta de rigor, afunda-nos com a forma errante como governa à vista. Limita-se a insistir nos erros dos seus antecessores. Mas fá-lo com mais espalhafato e incompetência. Está agarrado ao poder. Mesmo quando já se percebeu que não tem estatura para o ocupar.

Está na altura de partir. Para não nos afundarmos sem remédio. Mas para isso é necessário que apareça uma alternativa digna desse nome, que corte com os últimos anos de incompetência. Alguém que esteja à altura da nossa história e do futuro que podíamos ter. Alguém com currículo e credibilidade. E não tem sido o caso. E ele só lá continua por isso mesmo.

De quem estou eu a falar? De quem governa o meu país ou o meu clube? Provavelmente dos dois. Sou português e sportinguista. Não me envergonho de ser nenhuma das coisas. Pelo contrário. Mas está tão difícil... Vá lá: pelo menos o Sporting ainda consegue surpreender e esmagar na Europa. Já Portugal...

in "RECORD"
01/10/10

1 - DIA MUNDIAL DO ANIMAL



Se um cachorro fosse o seu professor,  aprenderia coisas assim:

* Quando alguém que  ama chega a casa, corra ao seu encontro.

* Nunca perca uma oportunidade de ir passear.

* Permita-se experimentar o ar fresco do vento no seu rosto.

* Mostre aos outros que estão invadindo o seu território.

* Tire uma sonequinha no meio do dia e espreguice-se antes de levantar.

* Corra, pule e brinque todos os dias.

* Tente dar-se bem com o próximo e deixe que as pessoas o toquem.

* Não morda quando um simples rosnado resolve a situação.

* Em dias quentes, pare e role na relva, beba bastante água

* Deite-se à sombra de uma árvore.

* Quando  estiver feliz, dance e balance com o corpo inteiro

* Não importa quantas vezes o outro o magoa, não se sinta culpado...volte e faça as pazes novamente (é a lição mais difícil! )

* Aproveite o prazer de uma longa caminhada.

* Alimente-se com gosto e entusiasmo.Mas só coma o suficiente.

* Seja leal.

* Nunca pretenda ser o que  não é.

E o MAIS importante de tudo....

* Quando alguém estiver nervoso ou triste, fique em silêncio, fique por perto e mostre que  está ali para confortar.
A amizade verdadeira não aceita limitações!!!

E NÓS PRECISAMOS APRENDER ISTO COM UM ANIMAL QUE, DIZEM SER IRRACIONAL !!!

enviado por CAMY

VAMOS TODOS SER VELHOS

Compartilhando...Sabedoria chinesa...

Quando era bem pequeno...

...eles gastavam horas ensinando-o usar talheres nas refeições...

...ensinando-o vestir, a atar atacadores de sapatos, fechar botões da camisa.. 

...ensinando-o lavar o rosto, pentear o cabelo...

.. ensinando valores sociais e humanos...


...por isso... 

...quando ficarem velhos um dia... 

...quando começarem a ficar mais esquecidos e demorarem a responder...

...não se irrite com eles...


...quando eles começarem a esquecer de fechar botões da camisa, de atar atacadores dos sapatos...

...quando eles começarem a sujar-se às refeições...

...quando as suas mãos começarem a tremer enquanto penteiam o cabelo...

...por favor, não os apresse...porque você está crescendo aos poucos, e eles envelhecendo...


...basta sua presença...

...para os corações deles ficarem aquecidos...

...se um dia eles não conseguirem equilibrar-se ou caminhar a direito...

...segure firme as suas mãos e acompanhe-os bem devagar durante a caminhada... 

...assim como...

...na época em que eles ficavam consigo

enviado por LUÍSA SANTOS

OS GOLPES

ALMORRÓIDA ACAGAÇADA


Homicídio conjugal: 
em 7 meses o número de mortes já atingiu o de 2009


Vinte e nove pessoas foram vítimas de homicídio em relações conjugais entre Janeiro e Setembro deste ano. A maioria dos criminosos são homens com mais de 50 anos que não toleram o fim do casamento, nem do laço afectivo que leva ao afastamento da parceira. "É uma reacção ao abandono, que está muito presente quer em relações de conjugalidade como de não-conjugalidade", afirma Elza Pais, secretária de Estado da Igualdade e autora do livro recentemente reeditado "Homicídio Conjugal em Portugal".

O número de homicídios sinalizados em 2010 já atingiu o total registado no ano anterior pela UMAR - União de Mulheres Alternativa e Resposta, mas é ainda inferior ao número total de 2008 (40), segundo as estatísticas da Justiça.

Nos últimos dez anos Elza Pais, também socióloga, analisou as rupturas nas relações afectivas que levam ao homicídio entre casais. E na sua tese de mestrado em Sociologia, pela Universidade Nova de Lisboa, aborda as principais diferenças de motivação e comportamentos entre o casal. Importa realçar, explica, que a mudança na postura da mulher relativamente às denúncias, conduziu a significativas mudanças neste crime. Houve uma ligeira diminuição no número de mulheres que matam o parceiro para se defenderem, depois de serem vítimas de consecutivas agressões violentas. "Os crimes de homicídio há dez anos ocorriam nas relações de conjugalidade. Hoje ocorrem mais nas relações de ex-conjugalidade, no momento em que o casal já rompeu formalmente o laço afectivo, mas os afectos perduram para além das próprias relações formais", explica a socióloga.

O "Inquérito de Violência de Género" realizado pela Universidade Nova de Lisboa a duas mil pessoas, (homens e mulheres maiores de idade), que foi apresentado em 2008, concluiu que entre 1995 e 2007 a reacção mais frequente das vítimas "era ir calando e não fazer nada".

O número de denúncia registadas em 1995 é "gritante": apenas 1% das vítimas o faziam. Hoje, aumentaram as participações aos órgãos policiais. Os valores registados em 2008 variam entre os 21%, nos casos de ameaças com armas de fogo/brancas, e os 2%, no caso do "controlo social com o objectivo de isolar a vítima".

Quanto mais graves são os actos, maior é a probabilidade de participação à polícia. No entanto, para Elza Pais esta é consequência dos dispositivos de protecção das vítimas criados recentemente. As alterações legais de 2007 permitiram "alargar o conceito de "violência doméstica na definição de um crime público", mesmo nas relações que pertencem apenas ao quadro afectivo entre pessoas do mesmo sexo ou do sexo oposto. As alteração permitiram também garantir uma maior protecção às vítimas de violência doméstica. "Existe também a possibilidade dos magistrados poderem decidir pelo afastamento e vigilância electrónica do agressor", explica a secretária de Estado.

Aumentam homens A emancipação das mulheres na reacção à violência doméstica conduziu a uma estabilização no número de mulheres responsáveis por homicídios como último recurso de defesa, enquanto o número de homens aumentou de 83 para 87% nos últimos dez anos, constituindo agora uma das preocupações da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG/CIDM). O reflexo imediato é uma nova aposta na socialização dos jovens. A CIG está a elaborar um plano preventivo que resulta num maior investimento "nos valores de cidadania" dos jovens, em novos valores e respeito pela parceira.

Esta será uma das linhas orientadoras do III Plano Nacional Contra a Violência Doméstica que será apresentado a 25 de Novembro.

IN "i"
04/10/10

O "PI" E O "PHI"

Interessantíssimo...

Todos nós já ouvimos falar em número PI.

É o irracional mais famoso da história, com o qual se representa a razão constante entre o perímetro de qualquer circunferência e o seu diâmetro (equivale a 3.141592653589793238462643383279502884197169399375... e é conhecido "vulgarmente" como 3,1416).


Não confundir com o número Phi que corresponde a 1,618.

O número Phi (letra grega que se pronuncia "fi") apesar de não ser tão conhecido, tem um significado muito mais interessante.
Durante anos o homem procurou a beleza perfeita, a proporção ideal. Os gregos criaram então o rectângulo de ouro. Era um rectângulo, do qual havia-se proporções... do lado maior dividido pelo lado menor e a partir dessa proporção tudo era construído. Assim eles fizeram o Pathernon... a proporção do rectângulo que forma a face central e lateral. A profundidade dividida pelo comprimento ou altura, tudo seguia uma proporção ideal de1,618.
Os Egípcios fizeram o mesmo com as pirâmides cada pedra era 1,618 menor do que a pedra de baixo, a de baixo era 1,618 maior que a de cima, que era 1,618 maior que a da 3a fileira e assim por diante.
Bom, durante milénios, a arquitectura clássica grega prevaleceu O rectângulo de ouro era padrão, mas depois de muito tempo veio a construção gótica com formas arredondadas que não utilizavam rectângulo de ouro grego.
Mas em 1200... Leonardo Fibonacci um matemático que estudava o crescimento das populações de coelhos criou aquela que é provavelmente a mais famosa sequência matemática, a Série de Fibonacci. A partir de 2 coelhos, Fibonacci foi contando como eles aumentavam a partir da reprodução de várias gerações e chegou a uma sequência onde um número é igual a soma dos dois números anteriores: 1 1 2 3 5 8 13 21 34 55 89...
1
1+1=2
2+1=3
3+2=5
5+3=8
8+5=13
13+8=21
21+13=34
E assim por diante...
Aí entra a 1ª "coincidência"; proporção de crescimento média da série
é... 1,618.
Os números variam, um pouco acima às vezes, um pouco abaixo, mas a média é 1,618, exactamente a proporção das pirâmides do Egipto e do rectângulo de ouro dos gregos. Então, essa descoberta de Fibonacci abriu uma nova ideia de tal proporção que os cientistas começaram a estudar a natureza em termos matemáticos e começaram a descobrir coisas fantásticas.
-A proporção de abelhas fêmeas em comparação com abelhas machos numa colmeia é de 1,618;
-A proporção que aumenta o tamanho das espirais de um caracol é de 1,618;
-A proporção em que aumenta o diâmetro das espirais sementes de um girassol é de 1,618;
-A proporção em que se diminuem as folhas de uma árvore a medida que subimos de altura é de 1,618;
-E não só na Terra se encontra tal proporção. Nas galáxias as estrelas se distribuem em torno de um astro principal numa espiral obedecendo à proporção de 1,618 também por isso, o número Phi ficou conhecido como A DIVINA PROPORÇÃO.

Porque os historiadores descrevem que foi a beleza perfeita que Deus teria escolhido para fazer o mundo?
Bom, por volta 1500 com a vinda do Renascentismo à cultura clássica voltou à moda... Michelangelo e, principalmente, Leonardo da Vinci, grandes amantes da cultura pagã, colocaram esta proporção natural em suas obras. Mas Da Vinci foi ainda mais longe; ele, como cientista, pegava cadáveres para medir a proporção do seu corpo e descobriu que nenhuma outra coisa obedece tanto a DIVINA PROPORÇÃO do que o corpo humano... obra prima de Deus.
Por exemplo:
- Meça sua altura e depois divida pela altura do seu umbigo até o chão; o resultado é 1,618.
- Meça seu braço inteiro e depois divida pelo tamanho do seu cotovelo até o dedo; o resultado é 1,618.
- Meça seus dedos, ele inteiro dividido pela dobra central até a ponta ou da dobra central até a ponta dividido pela segunda dobra. O resultado é 1,618;
-Meça sua perna inteira e divida pelo tamanho do seu joelho até o chão. O resultado é 1,618;
-A altura do seu crânio dividido pelo tamanho da sua mandíbula até o alto da cabeça. O resultado 1,618;
- Da sua cintura até a cabeça e depois só o tórax. O resultado é 1,618;
(Considere erros de medida da régua ou fita métrica que não são objectos acurados de medição).
Tudo, cada osso do corpo humano é regido pela Divina Proporção.
Seria Deus, usando seu conceito maior de beleza em sua maior criação feita a sua imagem e semelhança?
Coelhos, abelhas, caramujos, constelações, girassóis, árvores, arte e o homem; coisas teoricamente diferentes, todas ligadas numa proporção em comum.
Então até hoje essa é considerada a mais perfeita das proporções. Meça seu cartão de crédito, largura / altura, seu livro, seu jornal, uma foto revelada.
(Lembre-se: considere erros de medida da régua ou fita métrica que não são objectos acurados de medição).
Encontramos ainda o número Phi nas famosas sinfonias como a 9ª de Beethoven e em outras diversas obras.
Então, isso tudo seria uma coincidência?...ou seria o conceito de Unidade com todas as coisas sendo cada vez mais esclarecido para nós?

enviado por E. FRANÇA

NAS PROFUNDEZAS

ALMORRÓIDA DE CORTIÇA


PSD vai aplicar 'lei da rolha' nas presidenciais

A partir de Novembro, ninguém poderá criticar Cavaco. É o efeito 'lei da rolha'.

A polémica "lei da rolha" do PSD vai mesmo ser aplicada e já nas presidenciais de Janeiro. Caso Cavaco Silva avance com a sua - quase certa - recandidatura, restam menos de dois meses de liberdade de crítica aos militantes do PSD. Apesar da intenção anunciada por Passos Coelho de alterar a norma, aprovada no Congresso de Mafra em Março, já não haverá congresso extraordinário antes das eleições, o que fará com que esta resolução vigore em pleno nos sessenta dias anteriores às presidenciais de Janeiro.
A norma - já incluída nos estatutos - refere que "é tipificada como infracção grave [a deslealdade ao PSD], especialmente quando a mesma se consubstanciar na oposição às directrizes do partido, no período de sessenta dias anterior à realização de actos eleitorais, nos quais o PPD/PSD apresente ou apoie candidatura". Ora, é precisamente a parte final deste ponto 9 do artigo 6.º que faz com que a "lei da rolha" seja aplicada nas presidenciais. Eleições onde o candidato apoiado por Passos Coelho, já se sabe, será Aníbal Cavaco Silva.
Pedro Santana Lopes, o grande obreiro e defensor desta norma, também terá a sua intervenção política limitada por esta novidade estatutária. Por obra do destino, Santana Lopes tem sido o militante social-democrata que mais falou na necessidade de uma candidatura à direita, alternativa a Cavaco Silva. Pois bem, só o poderá fazer até meados de Novembro, caso contrário estará a infringir a regra que criou e a sujeitar-se a sanções que podem ir até à suspensão ou mesmo expulsão. Lida à letra a norma, a hipótese do próprio Santana Lopes avançar para Belém ou de apoiar uma eventual candidatura de Ribeiro e Castro - que decide entre 5 e 15 deste mês - teria consequência interna.
Em declarações ao DN, o presidente da Comissão de Revisão de Estatutos, Rui Machete, defende que "se o PSD apoiar Cavaco Silva, os militantes não podem andar publicamente a dizer que apoiam Manuel Alegre ou outro candidato". Porém, Machete desdramatiza a chamada "lei da rolha", lembrando que está a ser preparada uma modificação no próximo congresso e que não acredita que a norma tenha "vindo a alterar muito o sistema de sanções".
O que é certo é que devido à "situação do País" as prioridades têm sido outras, daí que, de acordo com Rui Machete, "muito provavelmente o Congresso não se realiza[rá] antes das presidenciais". Ou seja, a norma está em vigor. E nem a liderança pode fazer muito para impedir a sua aplicação.

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
04/10/10

PARA QUÊ DIETISTAS????????????


clique para ampliar








enviado por MARTINS

ALMORRÓIDA PERMEÁVEL


Advogados admitem ser permeáveis à corrupção

Portugal em 11.º lugar no ranking de países onde o problema é corrente no sector da advocacia
A advocacia portuguesa é das mais permeáveis ao fenómeno da corrupção a nível mundial, aproximando-se à praticada em países como Paquistão, Rússia ou Nigéria. É a conclusão de um estudo internacional, com base em inquéritos realizados aos advogados.
Quando comparado com os restantes parceiros europeus, no que toca ao retrato por regiões, Portugal até nem faz má figura. O cenário só piora quando os advogados portugueses surgem em 11.º lugar num ranking mundial de países, classificados de acordo com as respostas dos seus profissionais: 65% dos inquiridos consideram que, por cá, a corrupção é algo habitual no sector.
No cômputo geral, e de acordo com o estudo internacional apoiado pelo Gabinete das Nações Unidas contra a Droga e o Crime (UNODC), à frente de Portugal só o Paquistão, China, Guatemala, Ucrânia, Peru, Colômbia, Argentina, Rússia, México e Nigéria (por esta ordem descendente). No extremo oposto, ou seja, os países cujos advogados questionados consideraram que a corrupção não é um problema no seu ramo, surgem a Dinamarca, Japão, Luxemburgo, Uruguai, Canadá e Chipre.
Cerca de 85% dos causídicos portugueses admitiram também que a legislação nacional e os regulamentos profissionais são ineficazes na prevenção e combate à corrupção internacional e ao branqueamento de capitais. Valor igual ao da Rússia, similar ao da Nigéria e só ultrapassado pelos da Venezuela e Argentina.

São ainda os jovens advogados, dos 20 aos 30 anos, que dão conta de tal fenómeno. Já os veteranos do Direito pouco o referenciam. Aliás, se mais de 65% dos jovens denunciam a existência de corrupção, esse indicador cai a pique entre os profissionais com mais de 51 anos.

Desconhecimento elevado

Por áreas mundiais, o relatório "Riscos e ameaças de corrupção e a profissão de advogado" aponta à Comunidade dos Estados Independentes, como a Rússia, Ucrânia ou Azerbeijão, os piores indicadores.
São daquela região os profissionais jurídicos que mais afirmaram conhecer colegas envolvidos em corrupção internacional; acreditam que colegas já funcionaram como ponte para a prática corruptiva com um governante; ou que a corrupção é algo comum dentro da classe.
No geral (ler outros dados na caixa), metade dos inquiridos consideram o fenómeno um problema com que o sector se depara.
Os entrevistados admitiram também que um número significativo é abordado para actuar como agente ou intermediário em transacções suspeitas internacionais.
Realizado pela Organização Internacional das Associações de Advogados (IBA) e Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económico (OCDE), o estudo recomenda a formação destes profissionais e a criação de programas jurídicos sobre suborno e corrupção transfronteiriça.

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
04/10/10

AVIÃO RUSSO


veja em ecrãn total

enviado por MARTINS

OH MÃE ADORADA




Mê querido filho

Ponho-te estas poucas linhas que é para saberes que tôu viva.
Escrevo devagar porque sei que não gostas de ler depressa. Se
receberes esta carta, é porque chegou. Se ela não chegar, avisa-me 
que eu mando outra.
O tê pai leu no jornal que a maioria dos acidentes ocorrem a 1 km de
casa. Por isso, mudámo-nos pra mais longe.
Sobre o casaco que querias, o tê tio disse que seria muito caro
mandar-to pelo correio por causa dos botões de ferro que pesam muito.
Assim, arranquei os botões e meti-os no bolso. Quando chegar aí
prega-os de novo.
No outro dia, houve uma explosão na botija de gás aqui na cozinha. 
O pai e eu fomos atirados pelo ar e caímos fora de casa.
Que emoção: foi a primeira vez em muitos anos que o tê pai e eu
saímos juntos.
Sobre o nosso cão, o Joli, anteontem foi atropelado e tiveram de lhe
cortar o rabo, por isso toma cuidado quando atravessares a rua.
Na semana passada, o médico veio visitar-me e colocou na 
minha boca um tubo de vidro. Disse para ficar com ele por 
duas horas  sem falar. O tê Pai ofereceu-se para comprar o tubo.
Tua irmã Maria vai ser mãe, mas ainda não sabemos se é menino ou
menina. Portanto, nã sei se vais ser tio ou tia.
O tê mano Antóino deu-me hoje muito trabalho. Fechou o carro 
e deixou as chaves lá dentro. Tive de ir a casa, pegar a suplente para a abrir.
Por sorte, cheguei antes de começar a chuva, pois a capota estava em baixo.
Se vires o Sr. Alcino, diz-lhe que mando lembranças. Se nã o vires, 
nã digas nada.

Tua Mãe Mariana

PS: Era para te mandar os 100 euros que me pediste, mas quando me
lembrei já tinha fechado o envelope.

enviado por J. COUTO

TENHA UM BOM DIA............


...apesar das notícias não serem cor-de-rosa

compre jornais, mantenha-se informado

está é caro

Ano de qualidade nos vinhos do País
Num balanço da campanha feito junto de enólogos das várias regiões vitivinícolas do País, a ViniPortugal conclui que este será "um ano de boa qualidade" dos vinhos. A produção vitivinícola deste ano dará vinhos brancos "marcados pela frescura e pelo equilíbrio" e tintos de "boa cor e expressão aromática", segundo os especialistas.
"Estamos na presença de um bom ano", disse Sérgio Oliveira, enólogo da Associação de Municípios Produtores de Vinho (AMPV), opinião corroborada pelo presidente da Comissão Vitivinícola Regional (CVR) do Tejo.
Com as vindimas ainda a decorrer, sobretudo no Norte do País, devido ao atraso no processo de maturação das uvas, as perspectivas de crescimento da ordem dos 13 por cento a nível nacional, avançadas em Agosto pelo Instituto do Vinho e da Vinha (IVV), mantêm-se.
Os produtores afirmaram à agência Lusa que as condições climatéricas que têm acompanhado a época das vindimas se têm revelado muito favoráveis, realçando Luciano Vilhena Pereira, presidente do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, a existência "de momentos de recolha de uva de grande qualidade.
"CORREIO DA MANHÃ" 

disputem o campeonato
Onze goleador em repetição
Paulo Sérgio pode pela primeira vez usar a mesma equipa de um jogo para o outro.
Porque é uma máxima que já terá barbas e será tão antiga quanto o próprio jogo. Se não se mexe em equipa vencedora, menos se mexerá num conjunto... goleador. E por isso mesmo Paulo Sérgio prepara-se para, pela primeira vez, repetir um onze no Sporting.
O 4x3x3 desenhado para o encontro da Liga Europa, com o Levski (5-0), pode então voltar a jogo frente ao Beira-Mar, ainda que o treinador leonino não descarte mudanças.
Dúvidas na defesa simplesmente não há. Rui Patrício dono da baliza começa a ser mais do que lugar comum. Assim como João Pereira na direita e Evaldo no lado esquerdo. O capitão Daniel Carriço também tem lugar garantido ao centro, mais uma vez ao lado de outro dos donos da braçadeira, Anderson Polga, que recuperou lugar no onze devido à ausência de Nuno André Coelho, que recupera de lesão.
É no meio-campo que reside uma das dúvidas. A possibilidade de André Santos regressar à equipa, no lugar de Zapater. Ainda assim, a resposta dada pelo espanhol na Europa foi positiva e por isso o lugar deve ser seu. Maniche mais para a direita e Matías Fernández descaído para a esquerda deverão manter-se nas apostas de Paulo Sérgio.
No ataque, sem Liedson, Postiga em boa forma será referência, apoiado por um Vukcevic motivadíssimo na direita e por Diogo Salomão - ainda que Yannick esteja à espreita - a querer agarrar a oportunidade no lado esquerdo.
"A BOLA"

é mais malabarismo
Investidores vão penalizar Portugal pela 
"criatividade contabilística" do Governo
O CEO do IG Group, Tim Howkins, afirma que incluir do fundo de pensões da PT para baixar o défice "não é enfrentar a crise". E alerta: "Os juros exigidos pelos investidores a Portugal vão continuar elevados".
Em entrevista ao Negócios, na nova sede em Londres, Tim Howkins disse que o corte dos salários e o aumento do IVA “são medidas sensatas no sentido de tentar resolver o problema de Portugal”.
“São ambas medidas sensíveis. Se as pessoas vão receber menos, vão gastar menos, pelo que o aumento do IVA poderá não gerar a receita esperada. Não é certo que essas medidas funcionem, mas também não sei ao certo o que mais o Governo português poderá fazer”.
Para o CEO do IG Group, “os juros que os investidores vão exigir a Portugal vão continuar elevados até que se possa ter a percepção de que estas medidas estão, de facto, a funcionar. Os investidores querem é ver o défice a descer”.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

só de escafandro
"Se o consumo vai por água abaixo 
entramos numa recessão"
Para o governo de José Sócrates são medidas "duras, exigentes, mas necessárias" para cumprir o objectivo de redução do défice e "defender o interesse nacional" junto dos mercados financeiros. Mas há também quem veja neste novo pacote de medidas de austeridade uma séria ameaça à economia nacional. "É preciso ter um equilíbrio entre o objectivo de ter finanças públicas sãs e não dar cabo da economia. Se o consumo vai por água abaixo entramos numa recessão", alerta o CEO da Mota-Engil, Jorge Coelho.
O ex-ministro socialista nos governos de António Guterres admite que "a situação do país é muito difícil" e que não será possível pensar num modelo de desenvolvimento económico para o futuro de Portugal "sem ter primeiro as finanças públicas em ordem". "Para a minha empresa é mais importante que o país tenha finanças públicas saudáveis do que ganhar dois ou três concursos. Só assim sabemos com o que podemos contar", exemplifica. Ainda assim, Jorge Coelho não tem dúvidas quanto à distância a que o país ainda está de um cenário mais desanuviado no plano económico.
"Isto não é um problema que se resolva em dois ou três anos. Só se o défice baixar e a economia internacional começar a animar é que podemos pensar em levantar voo. Mas mesmo assim será um levantar voo muito baixinho. Isto vai demorar a equilibrar", constata.
Também o ex-ministro das Finanças, Silva Lopes, considera que as medidas anunciadas vêm agravar ainda mais a crise já instalada: "Não sou desses que dizem que as medidas são suficientes ou não. Temos de ver como reagem os mercados internacionais. Agora que estas medidas criam uma crise mais séria disso não há dúvida." Traçar uma estratégia a longo prazo é algo que por enquanto "não se pode pensar como se deveria, por exemplo, pensar em mais investimento", afirma Silva Lopes. "As medidas resolvem a crise agora".
"i"

um retrato da crise

3039 empresas pediram insolvência em nove meses
Número de empresas a fechar portas desde o início do ano subiu 51% face a 2008.
Nos primeiros nove meses do ano, 3039 empresas pediram a insolvência, um aumento de 9,63% face a 2009 e de 51% em relação a idêntico período de 2008, segundo números do Instituto Informador Comercial (ICC). Com a crise instalada e as dificuldades de acesso ao crédito, nem as férias interromperam a tendência de agravamento na vida de muitas empresas - 601 entraram em insolvência em Julho e Agosto.
À semelhança do que sucedeu em 2009, o Porto continua a ser o distrito com maior número de falências: 774 até final de Setembro, mais 4,88% do que no ano passado. Seguem-se os distritos de Lisboa (595), Braga (444), Aveiro (260) e Setúbal (122).
Dos 18 distritos e duas regiões autónomas, só em seis se registou uma redução dos processos de insolvência, com a Guarda a liderar a lista: faliram 14 empresas nos primeiros 9 meses do ano, metade das que fecharam portas em 2009. Braga, Bragança, Castelo Branco, Leiria e Madeira também registam uma evolução favorável.
Os dados do ICC indicam ainda que o aumento das insolvências é particularmente grave nos distritos de Faro (76 processos em 2010, mais 65,22% em termos homólogos), fruto das dificuldades da indústria hoteleira, e de Portalegre, onde 21 empresas iniciaram o processo até Setembro, mais 61,54% do que em 2009.
Num levantamento efectuado para o DN, o coordenador da União de Sindicatos do Norte Alentejano, Diogo Júlio, diz que 28 grandes empresas e dezenas de estabelecimentos comerciais da região fecharam portas fruto das deslocalização e agravamento da crise, colocando mais de 3108 trabalhadores em dificuldades. Os encerramentos afectaram unidades industriais em áreas como a indústria automóvel, corticeira e extracção de granitos. Em Agosto foi decretada a insolvência da Dyn'aero, de Ponte de Sor, uma empresa com 60 trabalhadores que contou com um apoio do Estado no valor de três milhões de euros e que está "sem meios financeiros suficientes para proceder ao pagamento das obrigações vencidas".
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

e que jogue bem
Carlos Martins: «Sempre estive 
disponível para a Seleção»
quer esquecer divergências com Paulo Bento
Carlos Martins voltou a ver o nome numa convocatória da Seleção Nacional e garantiu estar muito orgulhoso com a chamada dizendo ainda que os conflitos com Paulo Bento no Sporting são para esquecer.
"Sempre estive disponível para representar a Seleção. É um orgulho e vou lá para estar às ordens do 'mister'. Como ele [Paulo Bento] disse, o interesse do país sobrepõe-se a qualquer conflito", disse o médio encarnado à Sport TV após o triunfo dos encarnados por 1-0 sobre o Sp. Braga.
"RECORD"

uma luta importante

Fundação Champalimaud: Pôr a ciência no hospital para derrotar o cancro
Esta é a Janela da Esperança", diz-nos Raghu Kalluri, apontando para um grande janelão que rasga a parede à nossa frente, por cima das nossas cabeças, ao nível dos andares superiores. Acabamos de entrar no átrio, com três andares de pé direito, do edifício principal das novas instalações da Fundação Champalimaud.
Ainda é um estaleiro - o PÚBLICO visitou a obra há uma semana de capacete de plástico, colete e botas especiais -, mas na companhia de Kalluri, especialista do cancro da Universidade de Harvard e director do futuro Centro do Cancro que aqui deverá começar a funcionar em meados do próximo ano, percebe-se como vai estar estruturada a principal componente do Centro Champalimaud de Investigação, situado na doca de Pedrouços, em Lisboa, e que vai ser inaugurado amanhã.
O poético nome da janela, salienta Kalluri, é do arquitecto do edifício, Charles Correa, e simboliza uma das visões de base que presidiu à sua concepção. "Este é um dos primeiros edifícios no mundo onde o hospital, a prática que consiste em ver doentes, e a investigação destinada a identificar novos medicamentos estão integradas", tinha-nos dito Kalluri, uns dias antes desta visita, numa entrevista que será publicada amanhã no P2. "É dos poucos lugares onde os doentes que entram no hospital podem ver cientistas a fazerem experiências. E os cientistas, enquanto trabalham, podem ver os doentes a entrar no hospital. Os doentes vêem que algo está a ser feito para eles, o que lhes dá esperança no futuro, e os investigadores percebem que vão ter de trabalhar ainda mais para salvar os doentes."
A "janela" não é o único ponto de ligação visual do mundo da ciência com o mundo da medicina. Um pouco mais à frente, entramos na área onde, do lado direito, ficará o hospital de dia. E, do lado esquerdo, abre-se um terraço com vista para um jardim interior (ao nível da cave) com altíssimas palmeiras e outras árvores tropicais. Um quadrilátero cujas paredes meias com o edifício também são de vidro, deixando ver o que se passa nos dois andares superiores, onde ficarão alojados todos os laboratórios científicos do centro. "As pessoas que estiverem à espera de uma consulta poderão ver daqui os cientistas a trabalhar", frisa Kalluri.
O Hospital do Cancro - cujo número de médicos ainda está por determinar, mas que foi concebido para receber, em velocidade de cruzeiro, 300 doentes por dia -, ocupa os dois andares inferiores: o piso térreo e a cave. "Não gostamos de lhe chamar clínica, é mesmo um hospital", diz Kalluri, enquanto percorremos os corredores ainda vazios. No andar de baixo ficará a área de exames e tratamento - quimioterapia, radioterapia, ressonância magnética, recolhas de sangue, etc. Também tem um pequeno jardim, mais privado, "onde, se quiserem, os doentes poderão deambular ou sentar-se enquanto recebem tratamento", salienta Kalluri. É o "Jardim da Quimioterapia".
Lá em cima, os dois andares destinados à investigação ocuparão enormes espaços abertos, com "alcovas" onde ficarão alojados os equipamentos e máquinas necessários, que serão partilhados por todos. Entre o segundo e o terceiro piso, a transparência mantém-se, graças a escadarias abertas e varandas de vidro, para facilitar a interacção entre os cientistas.
"PÚBLICO"

 quem ganha menos, ganha sempre menos

Quem ganha menos vai fazer mais descontos
A conjugação do corte salarial (entre 3,5% e 10%) com a contribuição adicional para a CGA vai baixar o valor do desconto dos salários mais elevados e ter o efeito exactamente inverso entre quem ganha 1500 a 2 mil euros. O IRS também perde receita.
Além do corte salarial, os funcionários públicos vão também ser chamados, a partir do próximo ano, a contribuir com mais um ponto percentual para a Caixa Geral de Aposentação (CGA) - para onde descontam actualmente 10% e ao qual se soma ainda o 1,5% que também pagam para ter o subsistema de saúde da ADSE. Ou seja, em vez de 11,5% passam a descontar 12,5% de um ordenado que vai "encolher" na sequência do corte já anunciado.
Mas o efeito desse corte e da subida da contribuição para a CGA é diferente, e vai pesar mais entre quem tem remunerações mais baixas. Já se sabe - porque o Governo deu como exemplo esse patamar de rendimentos - que quem ganha entre 1500 e 2 mil euros mensais verá o vencimento sofrer uma redução de 3,5%.
Na prática isto significa que quem ganha 1537 euros ficará com uma remuneração de 1483 euros e quem recebia agora ilíquidos 1945 euros descerá para 1877 euros. Em ambas as situações a subida da contribuição para a CGA vai provocar mais um "rombo" no ordenado. No primeiro caso, os descontos actuais (CGA e ADSE) somavam 177 euros e vão subir para os 185, euros; no segundo passa-se de 224 para 235 euros.
Contas feitas, a um corte salarial de 54 e 68 euros, há ainda que contar com mais cerca de 11 euros mensais de encargo para com a CGA.
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

MACRO MUNDO

clique para ampliar


JORNAIS DE HOJE


compre jornais








U2 - COIMBRA 02/10/10

6ª feira x 2ª feira




enviado por CAMY