segunda-feira, 23 de agosto de 2010

CRIATIVIDADE

clique para ampliar

enviado por E. FRANÇA

CARTA DE UM ADVOGADO À NAMORADA DÍFICIL


Prezada Cristina de Albuquerque Pereira Lima da Silva e Souza! Face aos acontecimentos referentes ao nosso relacionamento, venho por meio desta, na qualidade de homem que sou (apesar de VSa. não me deixar demonstrar, uma vez que não me foi permitido devassar a vossa lascívia) retratar-me formalmente de todos os termos até então dirigidos à sua pessoa, o que faço com supedâneo no que se segue:

A) DA INICIAL MÁ-FÉ DE VOSSA SENHORIA:

1.1. CONSIDERANDO que nos conhecemos numa festa, e que, ainda antes de perguntar o seu nome, me foi permitido beijá-la;

1.2. CONSIDERANDO o seu olhar lascivo enquanto dançava na pista, esperando que eu me aproximasse;

1.3. CONSIDERANDO que, com os beijos calorosos que trocámos naquela noite, V. Sa. me induziu a crer que em breve estaríamos explorando os nossos corpos em incessante e incansável actividade sexual;

B) DOS PREJUÍZOS EXPERIMENTADOS:

2.1 . CONSIDERANDO que fomos ao cinema e fui eu que paguei as entradas, já para não falar no jantar após o filme;

2.2. CONSIDERANDO que já levei Vossa Senhoria às discotecas mais badaladas e caras, sendo certo que fui eu, de igual sorte, quem suportou os gastos;

2.3. CONSIDERANDO que até à praia já fomos juntos, sem que Vossa Senhoria gastasse um cêntimo sequer, e que se recusou a vestir o biquíni alegando que estava muito vento;

C) DAS RAZÕES DE SER DO PRESENTE:

3.1. CONSIDERANDO QUE, até à presente data, após o longo prazo de duas semanas, Vossa Senhoria não me permitiu tocar nos seus órgãos genitais;

3.2. CONSIDERANDO QUE, em última análise, Vossa Senhoria ainda não me deixa sequer encostar a mão na sua cintura com a alegaçãozinha barata de que sente cócegas;

D) DECIDO, SOBRE O NOSSO RELACIONAMENTO, O SEGUINTE:

4.1. Vá até à mulher de vida airada que por acaso também é sua progenitora, pois eu já não sou mais um ser humano do sexo masculino que usa calções, e a actividade sexual não é para mim um lazer, mas sim uma necessidade premente.

4.2. Não me venha com "colóquios flácidos para acalentar bovinos" (conversa mole pra boi dormir) de que pensava que eu era diferente.

4.3. Saiba que vou processá-la por me iludir, aparentando ser a mulher dos meus sonhos, e, na verdade, só me fez perder tempo, dinheiro e deitar elogios fora, além de me abalar emocionalmente.

Sinceramente, sem mais de momento, fique com o meu cordial 'vá levar bem no meio do orifício rugoso localizado na região ínfero-lombar de sua anatomia' que este relacionamento já inflou o volume da minha bolsa escrotal! (encheu o meu saco)!
Dou assim por encerrado o nosso relacionamento, nada mais subsistindo entre nós, salvo o dever de indemnização pelos prejuízos causados.

enviado por J. COUTO

23 - DIGA CHIÇA

ÓBVIO

Em uma escola muito heterogênea, onde estudam alunos de várias classes sociais, durante uma aula de português, a professora pergunta:

- Quem sabe fazer uma frase com a palavra "óbvio"?


Rapidamente, Luana, menina rica, uma das mais aplicadas alunas da classe, respondeu:
- Prezada professora, hoje acordei bem cedo, depois de uma ótima noite de sono no conforto de meu quarto. Desci a enorme escadaria de nossa residência e me dirigi à copa onde era servido o café. Depois de deliciar-me, fui até a janela que dá vista para o jardim de entrada.
Percebi que se encontrava guardado na garagem o automóvel BMW do meu pai. Pensei com meus botões:
- É ÓBVIO que meu pai foi ao trabalho de Audi.


Sem querer ficar para trás, Luiz Cláudio Wilson, de uma família de classe média, acrescentou:
- Professora, hoje eu não dormi muito bem, porque meu colchão é meio duro. Eu consegui acordar assim mesmo, porque pus o despertador do lado da cama. Levantei meio zonzo, comi um pão meio muxibento e tomei café. Quando saí para a escola, vi que o fusca do papai estava na garagem. Imaginei:
- É ÓBVIO que o papai não tinha dinheiro para gasolina, foi trabalhar de busão.

Embalado na conversa, Wandercleison Maicon Jáqueson, de classe baixa (é óbvio), também quis responder:
- Fessora, hoje eu quase não durmi, porquê teve tiroteio até tarde na favela. Só acordei de manhã porquê tava morrendo de fome, mas não tinha nada pra cumê mesmo... quando olhei pela janela do barracão, vi a minha vó com o jornal debaixo do braço e pensei:
- É ÓBVIO que ela vai cagá. Num sabe lê...


enviado por J. COUTO

OS MEDÍOCRES É QUE MANDAM....


...EM TUDO


veja em ecrã total

enviado por M . COUTINHO

23 - ANO DA BIO DIVERSIDADE

clique para ampliar

ANA MOURA

22 - OUTROS OS ROSTOS

22 - FOTOCOMIC

VIRGEM DE SIGNO

12 - DONAS



Sabe o que eu fazia antes de me casar?
Tudo o que me apetecia!

23 - ROCHAS

clique para ampliar

22 - COR PARA SI