quinta-feira, 1 de julho de 2010

DE VENTOÍNHA????????????

HIDROMASSAGEM E COMPANHIA

MEDICINA HOMEOPÁTICA

video

JOÃO MIGUEL TAVARES


Não tenho Facebook. Serei normal?

Eu não tenho Facebook. E não ter Facebook, no círculo de amigos em que me movo, é mais ou menos o mesmo que ser jogador de futebol e não ter um carro desportivo com pintura berrante e jantes foleiras. Em geral, desculpo-me com a falta de tempo: "A produção de filhos é incompatível com o investimento nas redes sociais." Mas a verdade é que só o conceito de "adicionar amigos" ou a ideia de descobrir, 20 anos depois, os tipos com quem andámos à escola, tem sobre mim efeito semelhante ao da kryptonite sobre o Super-Homem. Ou seja, lembra-me o tempo em que vivia noutro planeta e não tinha quaisquer poderes.

Vejo pessoas à minha volta rejubilarem com a foto do coleguinha do nono ano que acabaram de descobrir num canto obscuro do Facebook, de como não o viam há década e meia, de como casou com a colega de carteira, teve gémeos e engordou 20 quilos. As pessoas adoram banhar-se em nostalgia. Compreendo. Mas em nostalgia eu não gosto de enfiar nem um dedo do pé. Até porque fui dos que engordaram 20 quilos. E só não pus a hipótese de casar com a colega de carteira porque ela me considerava tão apelativo quanto um protozoário.

A minha adolescência foi passada enfiado no meu quarto, com os dentes mais encavalitados do distrito de Portalegre, alheado de quaisquer grupinhos na escola e regularmente escorraçado por todas as miúdas que achava giras. Ou seja, os chamados "anos da parvoeira" (definição da minha mãe) não foram mais do que um longo convívio comigo próprio. É esse mundo que o Facebook me permite agora recordar? Eh, pá, obrigadinho.

Não. Eu nunca fui sociável. E sempre me irritou aquela gente que acha genuinamente que é nossa amiga só porque andou connosco na escola em 1986. Já me aconteceu em encontros ocasionais: grandes abraços, omoplatas comprimidas, e eu a pensar, pendurado no meu melhor sorriso amarelo, "mas este foi o gajo que me deu um carolo na cabeça no sétimo ano só porque me sentei no lugar dele – ah, como o odiava!".

Meus caros leitores: o passado é um lugar perigoso e há riscos que não se devem correr. Entrar no Facebook e começar a adicionar (velhos) amigos é como rever ‘Os Soldados da Fortuna’ já em idade adulta. É tamanha a foleirice, que nos sentimos idiotas por aquela ter sido a nossa série de televisão favorita da década de 80. Há memórias – acreditem – que mais vale deixar em paz.

in "CORREIO DA MANHÃ" 20/06/10

O CORTIÇO


O CORTIÇO


Hoje venho dar-lhes uma noticia relativa ao restaurante em epigrafe.
Fica em Viseu,onde estive recentemente.
Leiam,peço-lhes,o que vai mais abaixo.

Diz a ementa :
receitas antigas de comida caseira
colhidas em Viseu e suas aldeias
pelo mestre dom Zeferino
Diz mais :
casa tipica de fama internacional
o mais nobre cartaz turistico da cidade
autentica cozinha antiga
Finalmente :
fica na rua Augusto Hilario,nº 47 - 3500.039 Viseu (é nas imediações da Sé)
telef 232 425 986
tm 919 883 877
Nota minha - Quando tive noticia deste restaurante (ao tempo que isso vai !) chamaram-me a atenção para o seu arroz de carqueija.
Que coisa tão esquesita,pensei eu,e , claro,quis provar.
Pois é o que como sempre que lá vou.
Estive recentemente em Viseu e jantei lá.Jantamos, visto que eramos seis pessoas à mesa.
E lá veio o arroz.Uma unica dose.Era quase um alguidar.Uns comeram (então eu, se comi ...) outros serviram-se bem e outros limitaram-se a provar.
Sobrou.E o que foi para dentro não era nada pouco !
Com as canjas e as aguas e o vinho e as sobremesas veio a conta : 54,25 € ! Menos de 10 euro por pessoa !
Quando forem a Viseu visitem o Cortiço.
O tal arroz não os vai deixar desapontados.Mas há muita escolha e as doses são todas abundantes.
Ah! Quando forem a outros lugares e acharem coisa de recomendar,por favor,façam como eu fiz agora.
É que,querendo, sinceramente,emagrecer procuro, uma vez ou outra,seguir a lição do nosso povo,que numa das paginas do seu livro da sabedoria popular (grande compilação de sucessivas gerações!) nos aconselha a tirar,lá uma vez por outra, a barriga de miserias.
Abraço.

do nosso visitador D.A.M. a quem muito agradecemos as dezenas de notícias que nos tem enviado

OS PUTOS Nova versão

video

MELADO

Você sabia?

Momento Manguaça Cultural

Antigamente, no Brasil, para se ter melado, os escravos colocavam o caldo da cana-de-açúcar em um tacho e levavam ao fogo.
Não podiam parar de mexer até que uma consistência cremosa surgisse.
Porém um dia, cansados de tanto mexer e com serviços ainda por terminar, os escravos simplesmente pararam e o melado desandou.

O que fazer agora?

A saída que encontraram foi guardar o melado longe das vistas do feitor.

No dia seguinte, encontraram o melado azedo fermentado.
Não pensaram duas vezes e misturaram o tal melado azedo com o novo e levaram os dois ao fogo.

Resultado: o 'azedo' do melado antigo era álcool que aos poucos foi evaporando e formou no teto do engenho umas goteiras que pingavam constantemente.

Era a cachaça já formada que pingava. Daí o nome 'PINGA'.

Quando a pinga batia nas suas costas marcadas com as chibatadas dos feitores ardia muito, por isso deram o nome de 'ÁGUA-ARDENTE'

Caindo em seus rostos escorrendo até a boca, os escravos perceberam que, com a tal goteira, ficavam alegres e com vontade de dançar.

E sempre que queriam ficar alegres repetiam o processo.

(História contada no Museu do Homem do Nordeste).


Não basta somente beber, tem que conhecer!

Você sabia?

Momento Manguaça Cultural

Antigamente, no Brasil, para se ter melado, os escravos colocavam o caldo da cana-de-açúcar em um tacho e levavam ao fogo.
Não podiam parar de mexer até que uma consistência cremosa surgisse.
Porém um dia, cansados de tanto mexer e com serviços ainda por terminar, os escravos simplesmente pararam e o melado desandou.

O que fazer agora?

A saída que encontraram foi guardar o melado longe das vistas do feitor.

No dia seguinte, encontraram o melado azedo fermentado.
Não pensaram duas vezes e misturaram o tal melado azedo com o novo e levaram os dois ao fogo.

Resultado: o 'azedo' do melado antigo era álcool que aos poucos foi evaporando e formou no teto do engenho umas goteiras que pingavam constantemente.

Era a cachaça já formada que pingava. Daí o nome 'PINGA'.

Quando a pinga batia nas suas costas marcadas com as chibatadas dos feitores ardia muito, por isso deram o nome de 'ÁGUA-ARDENTE'

Caindo em seus rostos escorrendo até a boca, os escravos perceberam que, com a tal goteira, ficavam alegres e com vontade de dançar.

E sempre que queriam ficar alegres repetiam o processo.

(História contada no Museu do Homem do Nordeste).


Não basta somente beber, tem que conhecer!

O HOMEM E O TOURO


enviado por J.V.A.

4 - OFÍCIOS DO SEC XX

clique para ampliar






enviado por E. FRANÇA

COMBATE AOS SPAMS


Devido praga existente actualmente de envio de mensagens de correio electrónico não solicitadas (SPAM), é necessário proteger os endereços de e-mail divulgados na Internet.

Os Spammers usam robôs que navegam pela Internet para recolher endereços de e-mail publicados em todo o tipo de páginas. Esses robôs reconhecem todos os endereços normais do tipo: nome@dominio.com. Durante as suas buscas pela Internet, recolhem milhares (milhões?) de endereços de e-mail que são guardados numa base de dados que depois é utilizada para enviar mensagens não solicitadas. Como proteger os endereços?

Simples. Basta escrevê-los de uma forma que os robôs não percebam, mas que sejam perceptíveis a um humano. Substituindo o símbolo “@” por “[arroba]” e o “.” por “[ponto]” é uma forma simples e eficiente de enganar os robôs que procuram endereços de e-mail normais. Não divulgue endereços de outras pessoas na Internet

Muitas pessoas costumam colocar os contactos de outras pessoas nos seus sites. Por exemplo, quando falam de alguém, colocam um link para o seu e-mail. NÃO FAÇAM ISSO! Dessa forma estão a expor o endereço de e-mail dessa pessoa aos Spammers e por isso é que todos os dias perdemos tanto tempo só a eliminar lixo das nossas caixas de correio. Ajude a combater o SPAM!

TENHA UM BOM DIA............


.... E PACIÊNCIA


CONTINUE A COMPRAR JORNAIS, PRECISA DA INFORMAÇÃO!!!

PSP: Crimes violentos e graves diminuíram 7,9%
nos cinco primeiros meses do ano - diretor nacional

A criminalidade grave e violenta diminuiu 7,9 por cento nos cinco primeiros meses do ano, revelou o diretor nacional da PSP, garantindo que nem sempre o número de crimes aumenta no verão.
Em entrevista à agência Lusa, por ocasião do 143.º aniversário da PSP, que se assinala na sexta feira, o superintendente chefe Oliveira Pereira avançou que a criminalidade geral desceu sete por cento nos primeiros cinco meses deste ano relativamente ao mesmo período de 2009, tendo também a grave e violenta diminuído 7,9 por cento.
O diretor nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) disse também que nos cinco primeiros meses do ano as detenções efetuadas pela PSP aumentaram 3,5 por cento face a igual período de 2009.
"VISÃO"

Obrigadas a vender remédio mais barato
A partir de hoje, as farmácias estão obrigadas a ter sempre os cinco medicamentos mais baratos da substância activa prescrita numa receita. Caso não os tenham disponíveis ou se recusem a vender, para terem maior lucro, essas farmácias serão multadas e poderão mesmo fechar.
A garantia foi dada ontem no Parlamento pela ministra da Saúde, Ana Jorge, à saída de uma audição na comissão de saúde. "As penalizações para as farmácias que não cumprem a lei estão previstas. Primeiro são multadas e se isso acontecer duas ou três vezes podem encerrar."
Para saber se há farmácias que não cumprem a lei, Ana Jorge já pediu à Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) o reforço da fiscalização. No entanto, a ministra admite que "uma das questões mais eficazes para este controlo é a população saber os seus direitos, exigir a venda dos medicamentos mais baratos", e apela: "Se não obtiverem o medicamento mais barato, façam denúncia ao Infarmed, ao Ministério da Saúde, às Administrações Regionais de Saúde, escrevam no Livro de Reclamações".
"CORREIO DA MANHÃ"

Guerra pela Vivo "ainda não está resolvida"
Os analistas do BPI dizem que o embate entre a Portugal Telecom e a Telefónica, pelo controlo da Vivo, ainda não está resolvido e que existem “riscos políticos e legais que podem arrastar esta questão durante algum tempo”.
Ainda assim, a recomendação continua a ser de “comprar”.

O BPI Equity Reserach atribui um preço-alvo de 8,30 euros por acção à Portugal Telecom, o que confere aos títulos um potencial de subida de 0,3%. No entanto “o forte interesse” da Telefónica na Vivo deverá suportar o desempenho dos títulos e justifica
a recomendação da casa de investimento.

Ontem a Telefónica viu a sua oferta pela Vivo ser aceite por 74% de votos emitidos a favor da oferta, na Assembleia-Geral de Accionistas em que se decidia a venda da participação da Portugal Telecom na Vivo do Brasil. O governo fez uso da “golden share” do Estado na operadora portuguesa e bloqueou a decisão.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Naide Gomes dá novo salto na sua carreira
A multimedalhada Naide Gomes deu ontem mais um salto na sua carreira. Desta vez, a atleta portuguesa saltou para o mundo da tecnologia, apresentando o seu site pessoal. Foi na companhia da família, treinador e diversos amigos que a portuguesa falou desta nova etapa na sua vida
e ainda do futuro mais próximo na modalidade.

"É bom e eu sinto-me muito bem quando estou rodeada de pessoas que gostam de mim. Ter aqui a minha família, o meu treinador, o Nelson Évora e os outros é sinal que eles confiam em mim e isso é muito importante", começou por dizer a vice-campeã do mundo
do salto em comprimento em pista coberta.

O mais recente sucesso desportivo onde Naide esteve envolvida foi em Budapeste, onde a seleção nacional alcançou a subida à Superliga de atletismo. Mas, quanto ao futuro, a atleta natural de São Tomé e Príncipe fala com ambição: "Agora, passa por alcançar uma boa prestação no Europeu de Barcelona, embora antes tenha ainda alguns meetings que vão ser importantes na minha preparação."
"RECORD"

Subida do IVA deixa 5516 remédios mais caros
Governo trava cortes no preço dos medicamentos anunciados pelo Ministério da Saúde.
A factura volta a subir para o doente.

A subida do IVA que hoje entra em vigor travou o plano do Ministério da Saúde para baixar o preço dos medicamentos. Se com a revisão de preços de Ana Jorge apenas 434 embalagens de remédios ficavam mais caras nas farmácias,
com a subida do IVA em um ponto percentual, 5516 vão ter um custo superior para o doente.

A revisão anual de preços dos remédios entra hoje em vigor e aplica-se a todos os medicamentos de marca que custam em Portugal mais do que na média de quatro países de referência. A medida abrangia quase 8000 embalagens de medicamentos de marca:
a grande maioria mantinha o preço (5526), mas 2027 iam custar menos ao doente.
Com as novas regras apenas 434 iriam subir de preço.

Já com o aumento do IVA serão na totalidade 5950 as embalagens com custo mais elevado (as 434 já previstas mais as 5516 que tiveram aumento do IVA). O grosso da lista são os medicamentos que deveriam manter o preço, porque estavam em linha
com valor de referência apurado através da comparação
dos preços praticados na França, Itália, Espanha e Grécia.
Assim, com o IVA a subir de cinco para seis por cento, passam a ser apenas 173
os remédios que mantêm o valor de venda ao público.

"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Scut. Isenções ameaçam gerar movimento nacional antiportagens
O alerta é do especialista em transportes José Manuel Viegas.
Margem Sul, Vale do Sousa, Vale do Tâmega e Coimbra já contestaram

Pouco depois de ser conhecida a lista de 46 municípios que o governo quer isentar de portagens nas Scut (auto-estradas sem custos para os utilizadores), os representantes regionais, um pouco por todo o país, levantavam a questão: Se eles não pagam porque havemos nós de pagar? A proposta do PS de poupar os concelhos com menor poder de compra e a intenção do PSD de isentar troços das Scut
onde não há vias alternativas, pode abrir uma autêntica caixa de Pandora.

"É um assunto delicado face às promessas de isenções que têm sido feitas. Qualquer decisão tem de ser coerente e pensar nas consequências em outras auto-estradas", adverte José Manuel Viegas. O especialista em transportes, que hoje participa num encontro promovido pelo PSD sobre as Scut, deixa o alerta: "Temos de ter cuidado. Não nos podemos esquecer que, por exemplo, Ferreira do Alentejo tem poder de compra abaixo da média nacional e paga a A2".
"i"

Fabricantes esclarecem que distribuição vai manter preços
à custa dos fornecedores

Em nome dos fabricantes, a Centromarca veio esclarecer que os distribuidores que anunciaram manter os preços aos consumidores a partir de hoje, quinta-feira, apesar da subida do IVA,
se preparam para fazê-lo à custa dos fornecedores.

"É importante esclarecer o consumidor que quem vai suportar esses aumentos [do IVA, a partir de 1 de Julho] são os distribuidores", afirmou à Lusa João Paulo Girbal, o presidente da Centromarca, Associação Portuguesa de Empresas de Produtos de Marca,
que congrega 56 associados detentores de mais de 800 marcas.

Aquele responsável adiantou "temer" pelo futuro de alguns fabricantes que, por causa da crise económica, estão já "fragilizados" e "podem não conseguir aguentar" esta descida de preços aos distribuídos, para suportarem "todo ou parte" do aumento de preços por causa do IVA.
"Haverá também uma pressão muito maior com os distribuidores. Alguém vai ter de suportar esse valor [de aumento do IVA] que não passa para o consumidor",
adiantou João Paulo Girbal.

"JORNAL DE NOTÍCIAS"

PS e CDS-PP chumbam lei sobre crime de enriquecimento ilícito
A proposta do PSD para a criação do crime de enriquecimento ilícito foi chumbada, na comissão parlamentar de combate à corrupção, por PS e CDS-PP, esta quarta-feira à noite. O PCP e o Bloco de Esquerda apoiaram os sociais-democratas.
Os socialistas viram aprovado o seu projecto de lei para a criação de uma base de dados de contas bancárias, no Banco de Portugal, com o objectivo de acelerar os processos. O PSD viu aprovada a sua proposta para alargar ao Ministério Público a possibilidade de acesso a estas informações.
"A BOLA"

Vítimas esperam três a quatro anos por uma indemnização
Os tribunais reproduzem e agravam as desigualdades sociais nos processos, conclui trabalho do CES de Coimbra que é hoje apresentado
As vítimas de acidentes de trabalho e de viação esperam normalmente entre três a quatro anos para ver um processo concluído e receber uma indemnização, quando os casos vão a tribunal. Mas nos acidentes laborais há sinistrados que não chegam sequer a ser compensados financeiramente pelos danos sofridos porque as seguradoras alegam que as empresas não cumpriam as regras de higiene
e segurança e as empresas abrem de imediato falência.

Este é o retrato de uma área da justiça quase desconhecida em Portugal, em que predomina uma "desprotecção estrutural na parte mais vulnerável" da sociedade, sintetiza Boaventura Sousa Santos, coordenador do projecto de investigação A indemnização da vida e do corpo na lei e nas decisões judiciais que hoje é apresentado em Lisboa.
"PÚBLICO"

PARECE IMPOSSÍVEL

video

enviado por C. DIOGO

AMOR À CARRIPANA

JORNAIS DE HOJE E SEMANÁRIOS

COMPRE JORNAIS

clique para ampliar