sexta-feira, 28 de maio de 2010

CONGRESSO MÉDICO

clique para ampliar

ORGASMOGRAMA

clique para ampliar

D O C U M E N T O S

EM ANGOLA

"BI, carta de condução ou diploma?

Aguarda, 5 minutos...
Limites? Praticamente nenhuns.


Quem quiser transformar-se da noite para o dia em licenciado, precisar de apagar todo o cadastro de crimes ou passar por um cidadão com os seus compromissos militares resolvidos, tem uma mão cheia de soluções. Só tem que dispor de dinheiro e descaramento quanto baste.

Uma verdadeira indústria de falsificação funciona a todo o gás em Luanda.
Para saber como tais grupos mafiosos operam, O PAÍS percorreu, por algumas horas, um dos maiores e mais conhecidos centros de falsificação de documentos da capital: o chamado “Pau Grande”, sito no município do Cazenga.
Oito horas da manhã. Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010. A equipa de reportagem d´O PAÍS chega ao município mais populoso de Angola, o Cazenga, mais propriamente no local onde foi erguido o Marco Histórico dos Heróis de 4 de Fevereiro.
Ao contrário do que habitualmente acontece neste mês, não estamos ali para homenagear os gloriosos guerrilheiros, mas sim para conhecer de perto o local onde terá começado a maior burla bancária de todos os tempos no país.
Defronte ao marco histórico, dezenas de jovens encontram-se reunidos numa amena cavaqueira. Outros tantos estão já a consumir as primeiras cervejas do dia numa barraca feita com paredes de esteiras. O que parece ser um convívio normal e inocente é, na verdade, um posto ilegal e criminoso de trabalho. Mal nos aproximamos à barraca onde se vendem as “birras”, alguns jovens com mochilas às costas perguntam-nos, na maior displicência, se queremos tratar documentos. Pelo que, inicialmente, respondemos com um firme “não”.

Alguns metros depois, notamos que é no pormenor que tudo faz sentido. Os mais cautelosos piscam o olho a toda gente que por ali passa ou então fazem gestos com as mãos indicando que ali se comercializa todo o tipo de documentos. Disfarçados de clientes de primeira viagem, acenamos positivamente aos mais discretos, como sinal de que queremos fazer negócio. Num ápice, estamos rodeados de oito jovens que apresentam e vendem os seus serviços.

- “Temos todo o tipo de documento. O que é que o kota quer?”, questionam-nos, para depois anunciarem que vendem cartas de condução, passaportes de disponibilidade, todo o tipo de documentos militares e policiais, certificados de habilitações literárias, registos criminais, atestados médicos e de residência, bilhetes de identidade, cédulas, alvarás, entre outros.

Receoso, o falso cliente, ou seja eu, mostro-me assustado com tamanha ousadia em pleno espaço público e digo que prefiro negociar no local onde são feitos os documentos. Num à-vontade, os jovens garantem que não há qualquer problema em fazer negócio na rua, no entanto, encaminham-me para um estúdio de fotografia defronte ao supermercado Zamba I.

Para meu espanto, dentro da “Fuji Film” estão duas cidadãs chinesas, funcionárias do estúdio, que acompanham a negociação sem sequer mugir nem tugir.

- “Kota, diz o que queres?”, insiste o jovem de estatura média, trajado de calção, camisola e tênis branco da moda.
- “Bem. Preciso de um documento para entregar numa empresa petrolífera. Quero ser um chefe administrativo. Preciso de um certificado da Faculdade de Direito do último ano, registo criminal e um documento militar”, explico-me.
- “Não há makas. São 12 mil Kwanzas, mas este preço pode ser discutido”, alertou, depois de me ver franzir o nariz. Na verdade, o certificado de habilitações varia entre 10 e 12 mil Kwanzas; o registo criminal custa 2 mil e o passaporte de disponibilidade 5.500Kwanzas. Entretanto, como anuncio que vou querer mais outros documentos, o preço inicial reduz substancialmente para metade, isto é, seis mil Kwanzas para os três documentos.
Segundo os meus interlocutores, os preços dos certificados variam consoante o ano acadêmico e a Universidade. Ou seja, os canudos da Universidade Agostinho Neto (UAN) são mais caros em relação às universidades privadas, sendo que o valor dos diplomas das faculdades de Direito e Medicina são mais elevados.

O mesmo acontece com as cartas de condução. As da SADC custam 16 mil Kwanzas, enquanto que as tradicionais de cor rosada, também conhecidas como “cartão de pão”, são comercializadas ao preço único de seis mil Kwanzas.

Os atestados médicos e de residência são vendidos ao preço de 1.500 Kwanzas. A negociação entre o falso cliente (no caso o jornalista) e o falsário dura menos de vinte minutos, tempo suficiente para eu anotar num papel os meus dados pessoais, na verdade deturpados. De acordo com os jovens mafiosos, a feitura do documento dura apenas dez minutos, devendo o interessado aguardar por ele numa barraca nas imediações. Caso não queira ficar naquele ambiente criminoso, o cliente pode ainda ir dar uma volta nos arredores do bairro.

Feliz ou infelizmente a acção criminosa durou mais tempo do que o anunciado. Cerca de 30 minutos para a entrega do registo criminal.
- “Na fonte está muito cheio. O kota que bumba o mambo tem mais de 50 papéis na mesa”, justifica-se, no seu português de “business man”, sem que para tal aceite levar-nos ao local exacto da máfia.
- “Nós apenas recebemos o documento e levamos ao kota da banda. Não estamos autorizados a levar lá os clientes, porque pode ser DNIC”, atira cauteloso.
Segundo o nosso interlocutor, que não se identifica, as acções são praticadas por mais de cem jovens que se encontram distribuídos na estrada que liga o Tanque do Cazenga e o Imbodeiro do mesmo bairro.
A ousadia do farsante é tanta que, enquanto esperamos pelo documento, um jovem membro da gangue criminosa dá-se ao luxo de, diante de todos, imitar com alguma perfeição (pelo menos aos nossos olhos e dos mais leigos) a assinatura dos directores provinciais da Viação e Trânsito que assinam as cartas de condução.
- “A assinatura do director de Cabinda é assim. A de Luanda é assim”, exemplifica numa das folhas do seu fiel caderno onde transporta os documentos falsos já emitidos.
Vaidoso, porque está próximo da perfeição, o jovem anuncia aos comparsas que nos próximos tempos vai deixar de ser intermediário para passar a tratar, ele mesmo, os documentos falsos. - - “Já tenho uma máquina de dactilografar. Falta apenas um computador para ´bumbar´ as cartas de condução da SADC e outros ´ducús’ militares que dão mais dinheiro”, diz perante a cumplicidade das meninas de olhos rasgados e a estupefacção do repórter-cliente.

O relógio já marcava 14 horas quando o jovem nos trouxe o documento militar. Mas outro farsante diz que o traímos porque somos clientes dele. Aliás, prossegue, “o ´muadié´ tem cara de um dos meus familiares”. Pura astúcia. Argumento infeliz rapidamente entendido pelo concorrente que o afasta.

Como é dia de jogo Petro-ASA, os jovens retiram-se mais cedo do campo de “trabalho” porque têm de ir assistir ao derby luandense. Curiosamente, a nossa reportagem constatou que o crime realiza-se a poucos metros de duas unidades policiais, sendo que tudo é feito às claras.

Os falsificadores, com idades compreendidas entre os 16 e 50 anos, espalhados por toda avenida, em pequenos grupos, são muito populares entre os moradores e comerciantes que praticam nos arredores negócios decentes. Nem tudo é falso

Entretanto, de acordo com dados obtidos no local, nem todos os documentos feitos no “Pau Grande” são totalmente falsos. O PAÍS soube que os animadores deste obscuro negócio funcionam, em alguns casos, com os funcionários públicos das mais variadas repartições do Estado.
Por exemplo, deu para verificar como uma falsa carta de condução da SADC não tinha ainda sido plastificada porque os farsantes aguardavam pelo selo original, redondo e prateado, que dá maior credibilidade ao documento. “O selo é original. Vem mesmo da fonte”, garante.

Por outro lado, caso o solicitante queira de facto uma carta de condução original proveniente dos Serviços de Viação e Trânsito, isso também se transaciona. É tudo uma questão de preço, que no caso varia entre mil a 1.400 dólares. Paga-se e não é preciso fazer o exame de condução! Ali ainda é possível adquirir-se passaportes, declaração escolar, guias médicas, cédulas marítimas, entre muitos outros papéis oficiais necessários para os mais diversos fins burocráticos.
Segundo apurou O PAÍS, a Polícia tem realizado algumas acções de busca e captura dos farsantes, sendo que, em muitos casos, são apreendidos carimbos, papéis já timbrados de instituições públicas e privadas.
Um farsante confidenciou-nos, orgulhoso, que em todas as faculdades tem pelo menos um estudante que ingressou com o seu certificado. “Tenho a minha marca em todas as faculdades”.

Não obstante, os falsificadores do Pau Grande garantem que a fraude milionária do BNA não começou no ´SIAC´ do Cazenga, como também é conhecido o lugar, numa alusão ao oficial Serviço Integrado de Atendimento ao Cliente, que funciona nas novas urbanizações de Talatona, em Luanda. “Isso é coisa de peixe muito grande. São outras redes de filhinhos de papais que estudaram nas faculdades do exterior que falsificaram os documentos”, diz outro jovem, que falsifica documentos há mais de 15 anos. Para ele, se alguém do grupo tivesse participado da fraude bancária, já não estaria no bairro e toda a gente se aperceberia.

Enquanto esta reportagem foi feita, pelo menos seis cidadãos foram vistos a solicitar o serviço dos farsantes, uns por motivos académicos e outros de emprego. Convém sublinhar que a falsificação de documentos não é prática delitiva exclusiva do município do Cazenga. Ela ramificou-se um pouco por toda a cidade capital.
- “As pessoas falam mais do Pau Grande porque aqui o documento é feito com perfeição”, argumenta um jovem. Bilhetes de Identidade, cartas de condução, cédulas de nascimento, registos criminais e atestados médicos e de residência, estão entre os documentos mais solicitados.


Nota da Redacção do PAÍS: os documentos adquiridos pelos jornalistas para dar suporte ao presente trabalho de reportagem vão ser destruídos ou, caso as instituições públicas mencionadas os pretendam obter para efeitos de comparação e peritagem, estão obviamente disponíveis.
NR: Comentar p'ra quê?!

PEDRO LIMA - Professor Brasileiro


Data: 18 de Maio de 2010


Assunto: PORQUE CONTINUO SENDO LULA
Economista e professor de economia da UFRJ


FHC Fernado Henrique Cardoso, o farol, o sociólogo, entende tanto de Sociologia
quanto o governador de São Paulo, José Serra, entende de economia.

Lula,que não entende de sociologia, levou 32 milhões de miseráveis e
pobres à condição de consumidores;
e que também não entende de
economia; pagou as contas de FHC, zerou a dívida com o FMI e
ainda empresta algum aos ricos.

Lula, o analfabeto, que não entende de educação, criou mais
escolas e universidades que seus antecessores juntos [14
universidades públicas e entendeu mais de 40 campi], e ainda
criou o PRÓ-UNI, que leva o filho do pobre à universidade [meio
milhão de bolsa para pobres em escolas particulares].

Lula, que não entende de finanças nem de contas públicas, elevou
o salário mínimo de 64 para mais de 291 dólares [valores de
janeiro de 2010], e não quebrou a previdência como queria FHC.

Lula, que não entende de psicologia, levantou o moral da nação e
disse que o Brasil está melhor que o mundo. Embora o PIG-Partido
da Imprensa Golpista, que entende de tudo, diga que não.

Lula, que não entende de engenharia, nem de mecânica, nem de
nada, reabilitou o Proálcool, acreditou no biodiesel e levou o
país à liderança mundial de combustíveis renováveis
[maior programa de energia alternativa ao petróleo do planeta].

Lula, que não entende de política, mudou os paradigmas mundiais
e colocou o Brasil na liderança dos países emergentes, passou a
ser respeitado e enterrou o G-8 [criou o G-20].

Lula, que não entende de política externa nem de conciliação,
pois foi sindicalista brucutu; mandou às favas a ALCA, olhou
para os parceiros do sul, especialmente para os vizinhos da
América Latina, onde exerce liderança absoluta sem ser
imperialista.
Tem fácil trânsito junto a Chaves, Fidel, Obama,
Evo etc. Bobo que é, cedeu a tudo e a todos.

Lula, que não entende de mulher nem de negro, colocou o primeiro
negro no Supremo (desmoralizado por brancos)
uma mulher no cargo de primeira ministra, e que pode inclusive,
fazê-la sua sucessora.

Lula, que não entende de etiqueta, sentou ao lado da rainha (a
convite dela) e afrontou nossa fidalguia branca de lentes azuis.

Lula, que não entende de desenvolvimento, nunca ouviu falar de
Keynes, criou o PAC; antes mesmo que o mundo inteiro dissesse
que é hora de o Estado investir; e hoje o PAC é um amortecedor
da crise.

Lula, que não entende de crise, mandou baixar o IPI e levou a
indústria automobilística a bater recorde no trimestre [como
também na linha branca de eletrodomésticos].

Lula, que não entende de português nem de outra língua, tem
fluência entre os líderes mundiais; é respeitado e citado entre
as pessoas mais poderosas e influentes no mundo atual [o melhor
do mundo para o Le Monde, Times, News Week, Financial Times e
outros...].

Lula, que não entende de respeito a seus pares, pois é um
brucutu, já tinha empatia e relação direta com George Bush -
notada até pela imprensa americana - e agora tem a mesma empatia
com Barack Obama.

Lula, que não entende nada de sindicato, pois era apenas um
agitador;.. é amigo do tal John Sweeny [presidente da AFL-CIO -
American Federation Labor-Central Industrial Congres - a central
de trabalhadores dos Estados Unidos, que lá sim, é única...]
e entra na Casa Branca com credencial de negociador e fala direto
com o Tio Sam lá, nos "States".

Lula, que não entende de geografia, pois não sabe interpretar um
mapa; é ator da [maior] mudança geopolítica das Américas [na
história].

Lula, que não entende nada de diplomacia internacional, pois
nunca estará preparado, age com sabedoria em todas as frentes e
se torna interlocutor universal.

Lula, que não entende nada de história, pois é apenas um locutor
de bravatas; faz história e será lembrado por um grande legado,
dentro e fora do Brasil.

Lula, que não entende nada de conflitos armados nem de guerra,
pois é um pacifista ingênuo, já é cotado pelos palestinos para
dialogar com Israel.

Lula, que não entende nada de nada;.. é bem melhor que todos os
outros...!

T I T I N A

TERRA

MULHER CARENTE

Lista Original:

Eu quero um homem que...

1. Seja lindo,

2. Encantador,
3. Financeiramente estável,

4. Um bom ouvinte,

5. Divertido,
6. Em boa forma física,
7. Se vista bem,
8. Aprecie as coisas mais finas,

9. Faça muitas surpresas agradáveis,
10. Seja um amante criativo e romântico.

Lista Revisada aos 32 Anos

Eu quero um homem que...

1. Seja bonitinho,
2. Abra a porta do carro

3. Tenha dinheiro suficiente para jantar fora com certa frequência
4. Ouça mais do que fale,
5. Ria das minhas piadas,

6. Carregue as sacolas do mercado com facilidade,
7. Tenha no mínimo uma gravata,

8. Lembre de aniversários e datas especiais,
9. Procure romance pelo menos uma vez por semana.

Lista Revisada aos 42 Anos

Eu quero um homem que...

1. Não seja muito feio,

2. Espere eu me sentar no carro antes de começar a acelerar,

3. Tenha um emprego fixo

4. Balance a cabeça enquanto eu falo,
5. Esteja em forma ao menos para mudar a mobília de lugar,
6. Use camisetas que cubram sua barriga,

7. Não compre cidra achando que é champagne,

8. Se lembre de abaixar a tampa da privada (já tá bom, né? esquece o romance...)


Lista Revisada aos 52 Anos

Eu quero um homem que...


1. Corte os pelos do nariz e das orelhas,

2. Não coce o saco nem cuspa em público,

3. Não sustente as irmãs, nem as filhas do primeiro casamento

4. Não balance a cabeça até dormir enquanto eu estou reclamando,
5. Não conte a mesma piada o tempo todo.

Lista Revisada aos 62 Anos


Eu quero um homem que...


1. Não assuste as crianças pequenas,

2. Ronque bem baixinho quando dorme,

3. Esteja em forma suficiente para ficar de pé sozinho,
4. Use cueca e meias limpas

Lista Revisada aos 72 Anos


Eu quero um homem que..

1. Respire,
2. Lembre onde deixou seus dentes


Lista Revisada aos 82 Anos

Eu quero um homem que...

1. O que é um homem, mesmo ???



Aprenda a fazer carinho na perereca.....

.
 
enviado por uma senhora muito bem humorada

P O M P E I A



enviado por D.A.M.

TENHA UM BOM DIA


TGV: Parlamento debate hoje proposta do PSD para suspender
linha Lisboa-Madrid por três anos

- A suspensão por um período mínimo de três anos do projeto de construção da linha ferroviária de alta velocidade Lisboa-Madrid, proposta pelo PSD, vai ser votada hoje no plenário da Assembleia da República.
No projeto de resolução, o PSD diz que a linha Lisboa-Madrid é "um investimento que contribuirá para o aumento da dívida externa do país" e defende que o Governo deve apostar no "investimento público de menor dimensão".
"VISÃO"

Mourinho: «Di María só a preço acessível»
A mudança de Di María do Benfica para o Real Madrid é uma questão de dinheiro. Mourinho reconhece valor no jogador argentino mas vem garantir esta quinta-feira que a contratação só acontecerá se for a um "preço acessível".
"É um jogador fantástico num campeonato mais pequeno. Tenho dúvidas quanto ao seu rendimento num campeonato como o espanhol ou italiano. Se me disserem que podemos contratar Di María a um preço acessível, digo que arrisquem e o contratem já. Mas se for por um valor exorbitante digo que não porque não gostos que os meus clubes paguem preços loucos pelos jogadores", refere em entrevista ao "As"
"RECORD"

D. José Policarpo critica Cavaco no casamento 'gay'
O cardeal-patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, criticou ontem duramente o Presidente da República por este ter promulgado a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo em vez de usar a arma do veto político. "Esperava que o Presidente usasse o veto político. Sabemos a fragilidade do veto político na nossa actual Constituição, mas ele, pela sua identidade cultural, de católico, penso que precisava de marcar uma posição também pessoal", disse o prelado, em entrevista à Rádio Renascença.
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"


Crise pode impedir Sócrates de travar compra da Portugal Telecom
José Sócrates admitiu ontem que o Estado poderá utilizar os direitos especiais que detém na PT para travar a eventual OPA a lançar pela Telefónica. Para os especialistas, a situação do país e a fragilidade perante Bruxelas impedem o uso da "golden share".
O primeiro-ministro admitiu, indirectamente, que o Estado poderá utilizar a "golden share" (acção com direitos especiais) que detém na Portugal Telecom (PT) para travar a eventual Oferta Pública de Aquisição (OPA) hostil a lançar pela Telefónica. "Ela [golden share] existe para ser utilizada se for caso disso", afirmou José Sócrates, em São Paulo, defendendo a continuação da empresa com a actual dimensão. "Nós queremos uma PT grande, uma PT com escala".
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Acção popular contesta traçado de TGV por ser o mais caro
e danoso para o ambiente

É mais caro 17 milhões de euros e traz mais prejuízos para o ambiente. Estes são os fundamentos de uma acção popular interposta por um grupo de moradores de uma freguesia de Montemor-o-Novo que contesta o traçado do TGV na linha Poceirão-Caia, escolhido pelo Ministério do Ambiente.
O processo pretende impugnar a Declaração de Impacto Ambiental que escolhe um traçado de TGV diferente (e mais desfavorável segundo os queixosos) da solução apontada pelo Estudo de Impacto Ambiental. O caso, que até agora não foi tornado público, está há dois anos por decidir no Tribunal Administrativo de Beja.
O grupo de 44 residentes na freguesia de Silveiras, concelho de Montemor-o-Novo, contesta a solução de traçado escolhida pela Comissão de Avaliação e que deu origem à Declaração de Impacto Ambiental, assinada pelo secretário de Estado do Ambiente, em Abril de 2008.
"PÚBLICO"

UEFA: Jogos da Liga dos Campeões e do Euro2012 também terão cinco árbitros
Depois de testado na Liga Europa, o modelo de arbitragem com cinco elementos vai ser alargado aos jogos da Liga dos Campeões e do Europeu de 2012.
«Fizemos a experiência na Liga Europa, correu bem e queremos continuar», disse o secretário-geral da UEFA, Gianni Infantino. «É difícil encontrar algo negativo nesta experiência. Agora temos de cumprir as formalidades e dirigir o nosso pedido à FIFA, esperando que nos seja dada essa possibilidade».
" A BOLA"

Dívida de 239 mil milhões
No ano passado, as empresas portuguesas pediram menos crédito bancário mas viram a dívida à Banca disparar "quase 10 pontos percentuais do Produto Interno Bruto (PIB)". No final do ano, a "alavancagem" (crédito concedido) totalizava os 239,4 mil milhões de euros, valor acima da riqueza produzida no País. Com o acentuar da crise, o mais provável é aumentar também o incumprimento, o que poderá colocar em dificuldades as instituições de crédito.
"CORREIO DA MANHÃ"

"Ministério Público passou a fazer investigação por disputa de poder"
O Ministério Público deve perder as suas competências de investigação e deixar a tarefa apenas para as polícias. A opinião é de Daniel Proença de Carvalho, na qualidade que “chairmam” do projecto farol, um think-thank promovido pela Deloitte.
Em entrevista ao Negócios, o advogado argumenta que “a criação dos departamentos de investigação do Ministério Público não correspondeu a nenhuma estratégia de eficácia da investigação. Foi uma questão de disputa de poder”. E defende que o Procurador-Geral da República passe a ser o único rosto responsável pelos resultados do Ministério Público, para que haja a quem cobrar resultados.
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

BdP: famílias vão empobrecer mas isso é um mal menor
As famílias portuguesas vão sentir este ano a dureza de uma crise sem precedentes, mas o Banco de Portugal (BdP) argumenta que essas dificuldades são como um mal necessário.
Segundo a instituição ainda governada (até 31 de Maio) por Vítor Constâncio, é condição necessária que os portugueses empobreçam, atravessem o deserto do desemprego, suportem spreads mais elevados nos empréstimo e paguem a redução do défice público para saírem desta crise mais fortes e confiantes. O BdP considera bastante provável que tudo isto venha a acontecer.
"i"

Código de Execução de Penas
CDS/PP, PSD, Bloco de Esquerda e PCP concordaram hoje, no Parlamento, que a decisão de colocar um recluso em regime aberto deve ser do juiz e não do director geral dos Serviços Prisionais
O deputado centrista Nuno Magalhães considerou «precipitado» e «imoral» para as vítimas o regime consagrado no Código de Execução de Penas que permite a colocação do recluso em regime aberto voltado para o exterior (RAVE) após cumprimento de um quarto da pena e por mera decisão administrativa do director geral das cadeias.
"SOL"

ADIVINHA FINANCEIRA


Um português,
um espanhol e
um grego
decidem ir às "meninas"...
Quem paga?




....a Merkel!

Macaco no parque


enviado por ROGER

4 - CAMIÕES PAQUISTANESES

clique para ampliar





PARLAMENTO RUSSO


No "DUMA" o célebre parlamento russo, conhecido pelo elevado absentismo dos seus deputados foi descoberta uma fraude assaz curiosa: para ter o número suficiente de votos e aprovar leis, os deputados presentes correm pressurosos os lugares dos faltosos e clicam no botão de voto respectivo.
NÃO É LINDO?




O FILME É DA BBC NEWS

JORNAIS DE HOJE